O Espelho Secreto

O Espelho Secreto M.J. Putney




Resenhas - O Espelho Secreto


14 encontrados | exibindo 1 a 14


Helo 05/02/2021

O Espelho Secreto
É um bom livro, cheio de aventuras misturando a ficção com fatos históricos. É uma leitura rápida
comentários(0)comente



nina 27/12/2020

bom
É uma leitura bem levinha, não tem muitos fatos surpreendentes, mas vale a pena ler, ótimo para tirar da ressaca.
comentários(0)comente



Mind Mix 03/09/2020

Muito top
Li em um dia só, leitura super rápida e fácil, muito bom. Envolve muita história, acho que eles misturaram um pouco da realidade com fantasia, achei muito interessante isso mesmo q eu odeie história kkkkkk o romance eu não achei assim graaandes coisa, mas gostei mesmo assim. Não foi exatamente como eu imaginei, mas talvez tenha sido até melhor, eu pensava q eles fossem explorar mais as aulas normais chatas que tem lá no lugar, mas ainda bem q não foi isso, do jeito que ficou eu achei bom demais
comentários(0)comente



Duda @pagesofduda 12/08/2020

Gostei!
Apesar do livro ser mais juvenil do que imaginei, misturar fatos históricos com fantasia tornou a história bem interessante.
comentários(0)comente



Anna V. Lima 11/08/2020

Devo admitir que estava cheie de espectativas para este livro, mas a obra não alcançou nenhuma.

O Espelho Secreto promete uma estória incrível e interessante, mas quando eu li, senti que estava faltando alguma coisa para me fazer sentir paixão pelo livro. Não sei dizer o que é.

Mesmo assim, estou curiose para descobrir o que me aguarda na continuação da triologia.
comentários(0)comente



Fernanda 18/04/2020

Gostei muito do livro! A leitura é rápida e fácil. O fato da autora usar elementos históricos e magia juntos deixou tudo bem interessante.
Uma pena que não tenha outros livros da autora publicados aqui no Brasil.
comentários(0)comente



Juh 23/02/2020

Como uma romântica incurável e apaixonada pela histórica segunda guerra mundial ( admito que minhas primeiras intenções foram apenas interesses pela história ) fiquei encantada pelo livro, tanto a grande guerra quanto a segunda guerra foram descritas de uma forma repleta de detalhes, além da narrativa ser surpreendente! Não consegui largar o livro!
comentários(0)comente



Jeh Diário dos Livros 09/11/2018

“ A magia é algo sedutor.. por isso é tão perigosa.”
O Espelho Secreto foi um livro que quando vi sua capa e sua sinopse fiquei muito interessada em ler ele, foi como se fosse um olhar a primeira vista e tivéssemos uma conexão. E posso dizer que minha intuição estava bem certa, o livro é muito bom.
A história se inicia na Inglaterra no início do séc. XIX um mundo repleto de magia, onde magia é praticada pelas pessoas mais simples, os plebes, porem é condenada para os nobres. Nessa época um nobre não deve se ter magia em seu sangue e se tiverem eles precisam ser curados e com isso surgiu a escola para esses jovens.

“ A magia é algo sedutor.. por isso é tão perigosa.”

Victoria Fairmount é uma jovem de 16 anos, filha caçula de sua família e em breve será apresentada à sociedade para um futuro casamento promissor, já que os Fairmount são respeitados e muito conhecidos pela alta sociedade. Por terem essa fama, seu pai acaba sendo muito rígido, porém algo muito relevante para sua posição social, já sua mãe é mais calma e doce com os filhos. Mas as coisas começam a ficar diferentes quando nada Victoria acorda flutuando em seu quarto e descobre que possui magia.

“ O perigo vem da sociedade, e não da magia em si.”

Fingindo ser normal, e tentando entender melhor como funciona seus poderes, Victoria terá que se esforçar para que ninguém descubra seu dom, mas infelizmente algo terrível acontece em uma festa dada por seus pais e Tory se vê sem escolha a não se revelar sua magia para salvar uma pessoa da família.
Inconformados, e resignados por ela ter magia, sua familia não pensa duas vezes e mandá-la para a famosa escola de Lackland para que ela possa se curar dessa maldição.
‘’Como a magia pode ser anormal se tanta gente a possui? ... Anormal é fingir que a magia não é real quando ela é."

Na Abadia de Lackland crianças e jovens até 21 anos tem seus poderes "bloqueados" e aulas param que possam se livrar da magia ou ao menos bloquea-la totalmente de seu corpo e espírito, para que com sorte possam ser aceitos de volta por suas famílias, com uma posição inferior, sendo treinados e talvez conseguir com sorte um bom casamento com àqueles antes considerados impróprios para sua classe social, porem o que nem todos sabem é que no subsolo da Abadia a magia existe.

“ – Pelo que sei, ninguém sabe quão corajoso pode ser até se ver face a face com o perigo.”

Tory acaba tendo que ir para o seu pior pesadelo, e ainda mais sabendo que quando voltar não será a mesma de antes e nem poderá ter a vida que sonhou.
Então ela resolve que vai seguir todas as regras do lugar, para poder sair de lá o mais rápido possível. Mesmo que sua curiosidade por aprender mais sobre sua magia a deixe inquieta. Mas logo Tory terá que tomar uma decisão muito importante, pois assim que ela se vê dentro da escola, ela descobre que uma guerra está prestes a acontecer em seu país e que seus poderes talvez sejam uteis para salvar a Inglaterra.
O Espelho Secreto é um livro de época voltado para o gênero de romance com muita magia, aventura e pontos históricos. Iniciei a leitura com uma expectativa alta e a autora cumpriu o que eu esperava.
Para quem não sabe Mary Jo Putney é uma autora de livros de romance de época voltados para adultos. Mas nessa trilogia ela resolveu deixar a história mais leve e tirar um pouco do romance hot que encontramos nos livros de época e fazer algo mais juvenil, e a proposta ficou muito boa, já que o foco do livro é na fantasia também.
Posso dizer que quando fomos apresentados a Abadia de Lackland, a escola me pareceu muito com Hogwarts e acho que autora se inspirou um pouco lá sim, mas não temos semelhanças com Harry Potter já que a história é voltada para o século XIX e explora muito sobre Napoleão e a possível invasão a Inglaterra onde vive Tory e os outros mágicos. E também temos um ponto que eu não sabia que teria na história e me fez favoritar a leitura. Viagens no tempo.
Também avançamos para o futuro nesse livro, mas especificadamente em 1940 quando estava iniciando a segunda guerra mundial e Hittler atacava com tudo que podia para conquistar terras. E autora fala com maestria e total segurança sobre as guerras e como tudo estava acontecendo, parece que estamos realmente em 1940 e vendo Hittler atacar cidades, vendo pessoas morrerem e ficarem gravemente feridas. E não esquecemos da magia é claro, é através dela que Tory e seus amigos consegue viajar no tempo e conhecer o futuro.
E o que eu mais gostei de todo o livro além do enredo, foi a autora usar uma história verídica, tentar traze-la para o livro como foi realmente a guerra anos atrás e pegar fragmentos da história e colocar respostas da magia ali, como se realmente tivesse sido mágica algumas coisas boas que aconteceram a vida real, como por exemplo a frota de grandes e pequenas embarcações que salvou 340 mil homens de Dunquerque, pois o Canal da Mancha é turbulento e tempestuoso no final da primavera, e a evacuação não teria sido possível se não fosse pelo clima surpreendentemente calmo durante aqueles dias. Mas, na história a autora consegue dizer que os magos do clima que fizeram o mar fica calmo para ajudar as pessoas a resgatarem os homens na guerra e essas pequenas ideias me fizeram achar a história brilhante. Pois, foram ideias que se encaixaram perfeitamente no enredo.
Já os personagens são todos cativantes, desde Tory nossa personagem principal até Cinthya que no começo não é muito amigável e até mesmo cruel com outras pessoas. No começo quando conhecemos Tory da para ver que ela é de uma classe social alta, filha caçula, uma garota que poderá escolher um bom marido e seguir a linhagem de sua família, achei que ela seria uma esnobe, mas me enganei, Tory é tão simples, tão focada em seus objetivos, que não parece que estamos vendo só uma garota que tem 16 anos. Tory me surpreendeu em sua personalidade e vemos o quanto ela é madura para sua idade, apesar de 16 anos naquela época já se uma idade para se casar, Tory se mostrou muito bem e muito comportada.
Conhecemos também Jack Ranford, um mago climático que é bem carismático, sarcástico e trás um ar mais tranquilo para a história, já que o outros personagens são mais centrados.
Temos também nosso querido Alarde ( novo crush ♥) um marquês que tem uma herança e futuro muito promissor, mas por ter magia precisa se curar na abadia. Só que o que Allarde quer mesmo é lutar e salvar pessoas com sua magia e não esconde-lo Ele é um garoto muito nobre, misterioso e um pouco sombrio, ele não tem tantos diálogos na história, mas o pouco que vemos dele, conseguimos ver uma maturidade enorme.
Há outros personagens que são muito bem explorados e todos os personagens secundários tem um objetivo importante na história, fazendo que eles sejam tão visíveis quanto Tory.
Gostei também da autora abordar o mago Merlin em sua história, através dele tivemos algumas respostas para algumas perguntas.
Só tenho duas ressalvas e nem são sobre a história em si, o primeiro é que gente que tradução foi essa? De Dark Mirror à Espelho Secreto? Não que não faça sentido na história, pois faz, mas preferia a tradução mais próxima. E a Segunda é que o livro não foi muito divulgado por aqui, uma pena, pois a história é muito boa e poucas pessoas conhece.
Bom posso ficar falando o quão esse livro é bom, o quanto é rico de histórias, quanto tem personagens cativantes, mas só vai fazer essa resenha ficar muito grande e eu já disse isso lá em cima tambem.
O que posso dizer para finalizar é que O Espelho Secreto é um livro muito bem feito, um livro de época com uma história muito criativa, e que tem muito potencial para seus próximos dois livros.
Super recomendo para aqueles que gostam de fantasia.

site: http://diarioelivros.blogspot.com/2018/07/resenha-o-espelho-secreto.html
comentários(0)comente



Regiane Moreira 19/04/2018

Para quem gosta do gênero ... e eu gosto
Numa Inglaterra no início do séc. XIX repleta de de magia praticada pela plebe mas condenada para s nobres, foi criada uma escola para "curar" os filhos da nobreza que tiveram a ousadia de ter poderes.
Na Abadia de Lackland crianças e jovens até 21 anos tem seus poderes "bloqueados", mas no subsolo a magia acontece. Não posso deixar de citar que no século XVIII/XIX os jovens de 16 anos eram quase adultos. As ladys estavam prontas para o casamento e muitos lordes assumiam seus títulos até antes disso.
O Espelho Secreto é um Young Adult que, na minha opinião, fez uma mistura de Harry Potter com X-Men, viagem no tempo e história e essa mistura deu certo.
Os Irregulares, grupo de magos perseguidos, se juntam para defender a inglaterra e ajudar aos que precisam na época em que forem necessários.
Leitura que flui.. Para quem gosta do gênero recomendo.
comentários(0)comente



Minha Velha Estante 15/02/2018

Resenha da Adriana Medeiros
"Essa é a definição de coragem verdadeira – disse a professora em voz baixa. – Ter medo e, mesmo assim, fazer o que é certo."
Tory, ou melhor, Lady Victoria Mansfield, 16 anos, caçula da família Fairmount, vive na Inglaterra do final do século XVII. De origem nobre e tradicional, Tory está para firmar compromisso com um belo e também nobre rapaz, o que é o sonho de 10 entre 10 mocinhas da época.

"- Cambridge não é um lugar para mulheres. – Ele sorriu para ela. – Você é bonita demais para se enterrar em livros poeirentos, Lady Victoria."

A vidinha de Tory parece pacata, até o dia em que ela acorda flutuando acima da sua cama (?!?!?!?!). E a reputação da sua família está arruinada! Tory descobre que herdou magia da sua mãe, maga que ainda esconde de todos o seu segredo. No mundo de Tory, a magia é algo vergonhoso entre os nobres, relegado apenas ao povo. E os que manifestam poderes são levados à Abadia de Lackland para serem ‘curados’. Hipocrisia à parte, os nobres sempre contratam os serviços de magos climáticos, por exemplo, para transformar um dia feio em dia ensolarado, ou um mago de cura para aliviar os seus males.

“A prática da magia era vulgar. Até mesmo desonrosa. Famílias nobres como a de Tory descendiam de reis e guerreiros. Magos geralmente não passavam de comerciantes, como ferreiros e costureiras. Um membro da família Mansfield preferiria morrer de fome a entrar para o comércio.”

Na abadia, Tory terá grandes surpresas: desde à total falta de conforto, comparado à vida que levava, até conhecer alunas que não querem se livrar da magia e forma um grupo rebelde. Tory terá que escolher entre bloquear a sua magia e voltar curada para casa, se casar e honrar o bom nome da sua família, ou se juntar aos nobres magos rebeldes, fazer amigos, encontrar o amor e salvar toda a Inglaterra de uma terrível guerra.

"- A diferença entre um dom e uma maldição poder ser como você se sente a respeito dele. A maior parte dos magos sentem que os poderes enriquecem suas vidas, portanto, para eles, é um dom. Muitos invejariam suas habilidades."

Continua no blog...

site: http://www.minhavelhaestante.com.br/2018/02/o-espelho-secreto-m-j-putney.html
comentários(0)comente



chrisakie 13/02/2018

"Pelo que sei, ninguém sabe quão corajoso pode ser até se ver face a face com o perigo."

Numa sociedade onde magia é condenada e os magos são desprezados, um aristocrata com poderes é isolado das classes altas e considerado amaldiçoado.

Lady Victoria Mansfield é filha caçula do conde de Fairmount, e na tentativa de salvar uma criança, ela acaba revelando seus poderes diante de vários nobres durante a festa de seu pai. Mesmo depois de um ato heroico, seus amigos e seus pais passam a desprezá-la. Então Tory é exilada na Abadia de Lackland, local onde os jovens são ensinados a suprimir o dom mágico. Mas chegando no reformatório, Tory se depara com um submundo onde é atraída pela magia e passa a integrar os rebeldes que usam seus poderes para proteger o país.

Primeiro livro da série Dark Mirror, ele parece até com certo filme de super-heróis mutantes. Personagens que a primeira vista parecem monótonos, mas ao longo da história revelam-se muito queridos. Tory surpreendeu bastante, no início achei que fosse uma aristocrata mimada, porém, no final conseguimos notar o seu amadurecimento e sua coragem.

A escrita é bem leve e cheia de diálogos. Quando chegou na metade do livro, algumas coisas aconteceram de forma tão rápida e "um pouco" surrealista, que já não estava mais entendendo onde a autora queria chegar. Após essa pequena confusão, aos poucos a trama foi se moldando e a narrativa tornou-se mais regular e tomou rumo que nunca imaginei. Gostei da forma como a autora combinou os fatos históricos com pitada de magia, dando o seu toque especial.

Um ótimo livro para passar o tempo, de leitura rápida. Apesar de ser o primeiro da série, acredito que a história finalizou bem e não vejo a necessidade de uma continuação.

site: https://www.instagram.com/p/BeG-XO8n2dV/
comentários(0)comente



Coisas de Mineira 07/02/2018

“Tory ficou tensa, chocada e deliciada. Nunca tinha sido beijada, nunca soubera como um beijo podia ser tão íntimo. Deslizou os braços pela cintura dele sob a jaqueta larga, sentindo a força delgada do seu corpo, sua energia quente. Era terrivelmente injusto que houvessem se encontrado quando tudo que podiam ter era um punhado de dias!”

Na Inglaterra do século XIX a magia foi considerada uma prática impura para os nobres, sendo aceita e praticada apenas por quem não pertencia a essa classe. As pessoas da nobreza que tinham magia eram enviadas para a Abadia de Lackland, uma antiga instituição religiosa para irmãos e irmãs, que foi transformado em escola/reformatório que tinha o intuito de curar essa impureza deles. A jovem Lady Victoria Mansfield, Tory, filha caçula do conde e da condessa de Fairmount, completou a pouco tempo 16 anos e não vê a hora de ser apresentada à sociedade para poder escolher seu noivo.

Tory possui magia e está tentando esconder de todos, pois, quem vai para Lackland volta com o futuro arruinado, sem casamento e sendo rejeitado pela sociedade. Mas, um acidente faz com que todos descubram os poderes da menina, e ela acaba sendo enviada para onde não queria. Em Lackland ela descobre algumas coisas sobre magia e si mesma, além de um grupo de rebeldes que abraçou a magia e a treina para aperfeiçoá-la e um garoto que possui algo que faz com que ela se sinta atraída por ele.

“Respirando fundo, aceitou o fato de que Lady Victoria já não existia mais. A morte de seu antigo eu doía, mas agora estava livre para se tornar o que desejasse. E essa ideia era ao mesmo tempo excitante e assustadora.”

Em um primeiro momento quando você lê a sinopse já pensa em uma fantasia normal com magia, rebeldes e a paixão arrebatadora. Aí que você se engana, “O Espelho Secreto” é um livro que te prende do início ao fim, e não é só Tory que faz a história ser boa, outros personagens têm grande presença no livro, como Jack, o mago climático que me fez querer ver um triângulo amoroso no início, mas depois shippei ele com uma personagem bem inusitada. Cynthia, que parece ser a megera, mas consegui ter uma grande admiração por ela. Sem falar no misterioso Allarde, que acaba fazendo com que nos pequenos gestos nos apaixonamos por ele, assim como o Tory.

A história se passa em duas épocas distintas que possuem dois fatos históricos importantes: a invasão de Napoleão e a Segunda Guerra Mundial. Esse fato, deixou o livro ainda mais atrativo, pois não foi um mundo criado aleatoriamente, mas sim os acontecimentos da época na Inglaterra, misturados com a fantasia criada por Mary Jo. A escrita de M.J. é tão leve e fácil que no final fiquei ansiando por mais da autora e da história, e olhem o que descobri: “O Espelho Secreto” é o primeiro livro de uma trilogia chamada “Dark Mirror”, que possui ainda uma história bônus, e já estou rezando para que a editora Bertrand continue trazendo-a para o Brasil.

“- Essa é a definição de coragem verdadeira - disse a professora em voz baixa. - Ter medo e, mesmo assim, fazer o que é certo.”

A diagramação é outro ponto positivo. A capa com cores escuras e a predominância do roxo, mostra uma menina olhando um espelho que possui uma imagem de uma cidade e o título está em alto relevo. Além de ser linda, a capa combina com toda a história. M.J. Putney é o alter ego da escritora Mary Jo Putney, ganhadora de vários prêmios por seus romances históricos. Mary possui mais dois livros lançados no Brasil pela Bertrand, “Um Beijo do Destino” e “Magia Roubada”, este último foi considerado um dos dez melhores romances do ano pela Booklist em 2005. O “Espelho Secreto” é o primeiro livro da autora dedicado ao público juvenil, publicado pelo seu alter ego.

“Quando os espectadores romperam em aplausos, o sr. Dodge se levantou com esforço e bateu continência.
Motor rugindo e bandeira da Inglaterra ao vento, o Sonho de Annie partiu para a guerra.”

Por: Ana Elisa Monteiro
Site: http://www.coisasdemineira.com/2018/01/resenha-o-espelho-secreto-m-j-putney.html

site: http://www.coisasdemineira.com/2018/01/resenha-o-espelho-secreto-m-j-putney.html
comentários(0)comente



Kari 30/12/2017

Olá, hoje vim falar da leitura que terminei a pouco tempo O Espelho Secreto - primeiro volume da série Dark Mirror. Eu amei!



A ambientação deste livro é Inglaterra do século XIX e não temos apenas magia, mas personagens bem descritos, e fatos reais históricos que se misturam à ficção dando um colorido muito especial à trama.



Victoria Mansfield é uma jovem "bem nascida", Criada com boa educação e tutores para lhe ensinar o necessário sobre como gerir um lar e também coisa que apenas homens aprendem em escolas, mas como seu pai acredita em filhas bem informadas, ele sempre manteve suas meninas com tutores particulares e seu filho homem também bem educado, porém em uma instituição como deve ser.



"- Magia é coisa do demônio e já está na hora de a proibirmos. Quem nunca sofreu nas maos de magos que utilizam seus poderes para enganar e manipular? Eu digo que está na hora de recomeçarmos a queimar bruxas!"



Victoria, ou Tory, é a caçula de sua família e em breve será apresentada à sociedade; sua família é muito respeitada e uma das mais conhecidas e ricas - são os Fairmount. Seu pai é rígido, porém clássico para sua posição social, sua mãe maravilhosa e ela tem muita sorte por ter ela diretamente lhe ensinando diversas coisas ao invés de delegar a terceiros como a maioria das mães de famílias ricas o fazem; além disso tem uma incrível melhor amiga. Mas a coisa muda de figura quando em uma festa importante dada por sua família se torna seu pior pesadelo! Algum tempo antes Tory descobre ter agia, ela pode flutuar, e acorda em uma manhã flutuando sobre sua cama e sua mãe a encontra, isso não é algo bom, ao menos toda a sociedade rica vê isso como uma maldição, sua mãe à aconselha a esconder bem seu poder, do contrário nem mesma ela poderá evitar que seu pai a jogue na Abadia de Lakland, um lugar para onde os "bem nascidos" são enviados para obterem a cura e com sorte serem aceitos de volta por suas famílias, mesmo que não na posição de antes, sendo treinados para serem governantas, tutoras ou coisas assim, e quem sabe até, com sorte obter um bom casamento com àqueles antes considerados impróprios para sua classe social (comerciantes e afins). Tory, faz bem seu papel de aprender a se controlar e esconder de todos seu poder, mas isso cai por terra quando seu sobrinho fica em perigo e então ela usa sua magia para salvar o menino e assim se revelando não apenas ao restante de sua família, mas à toda alta sociedade presente no local. É um imenso alívio para sua cunhada e irmão ver o menino bem e vivo. Mas todo o restante à lha com nojo, horror, incluindo o rapaz por quem estava interessada e sua melhor amiga. Tory sente-se perdida e sabe qual será o seu destino, mas não imagina que o mesmo seja cumprido logo na manhã seguinte. Mesmo suas irmãs, irmão e mãe não a condenando.. Ela é enviada para a Abadia pelo seu pai com um casal de empregados da residência - ele nem sequer foi vê-la.



"- Não posso ser uma maga! - ofegou Tory, chocada diante da impossibilidade da palavras da sua mãe. - Sou uma Mansfield. Nós não somos mágicos!"


Ao chegar ao local de destino Tory sente uma opressão enorme aos seus instintos, dizem que o lugar é composto por algo que inibe a magia e ela sente-se como se estivesse sufocada. Tudo que ela pretende é entrar, ser curada e ir embora o mais breve possível, quem sabe seu pai a aceite de volta em casa e ela ainda possa ocupar alguma posição na sociedade. Mas logo ela descobre um mundo todo diferente do que ela conhecia, pessoas que aceitam a magia, pessoas que lutam por um objetivo e principalmente se aceitam como são e aos outros! Ela fica divida e em dado momento encontra um grupo no labirinto que há embaixo da Abadia, onde o poder parece emanar cada vez mais das paredes e terra!


"- Como a magia pode ser anormal se tanta gente a possui? ... Anormal é fingir que a magia não é real quando ela é."


Ela será apresentada a um grupo auto proclamados "irregulares" e ao objetivo do mesmo, desenvolver suas magias para que possam defender seu povo, já que uma guerra se aproxima! Tory decide por ora fazer parte do grupo, podendo sempre mais tarde desistir, mas aos poucos novos fatos, acontecimentos e sensações vão surgindo e ela precisará decidir quem quer ser! Desistir de sua magia e voltar para seu mundo aceitando o que ainda restar para alguém como ela, ou assumir seus poderes e ser deserdada, porém dona do seu próprio destino e podendo com isso ajudar pessoas.


Bom, o que posso dizer é que a história é encantadora, desde a ambientação da Inglaterra, costumes, personagens, aos fatos históricos e a combinação da magia com tudo isso! Realmente nos faz imaginar uma Inglaterra com pessoas com poderes, guerras histórias reais e situações como viagens no tempo entre outros.


Fiquei encantada a cada virada de página. Tory é uma personagem que apesar de sua posição social não é mimada ou enjoada, apesar de sentir medo do desconhecido tem um caráter e coragem ímpar e por mais que ainda pense como qualquer dama de sua época (bons casamentos e afins), ainda assim, tem a força necessária para por as necessidades gerais à frente de sua própria.



"- A diferença entre um dom e uma maldição poder ser como você se sente a respeito dele. A maior parte dos magos sentem que os poderes enriquecem suas vidas, portanto, para eles, é um dom. Muitos invejariam suas habilidades."


Amei demais!
Thaira.Corpes 30/01/2018minha estante
undefined


Adriana.Batista 21/12/2018minha estante
Esse livro tem final ?




14 encontrados | exibindo 1 a 14