Excalïbur

Excalïbur Bernard Cornwell...




Resenhas - Excalibur


281 encontrados | exibindo 1 a 16
1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7 |


Guilherme Tisot 19/01/2009

Perfeito
Realmente incrível. Esse foi o pensamento que me veio na mente assim que terminei de ler esta trilogia. Tão fascinante que, nos meses seguintes, nenhum outro livro conseguiu me satisfazer. Três livros parceram pouco, eu queria mais, precisava de mais. Queria que a história continuasse, de alguma forma, de qualquer forma, mas que jamais terminasse. Mas agora, olhando para trás, penso que as Crônicas de Artur tiveram o tamanho ideal, nem curta demais a ponto de parecer incompleta, nem grande demais a ponto de se tornar cansativa. Enfim, Cornwell acertou em cheio, uma história cheia de emoção, que tem tudo o que um aficcionado por batalhas pode sonhar.
Leia, mas sua percepção sobre ficção histórica jamais será a mesma.
Uma Obra-prima!
Cláudia 28/02/2010minha estante
Minha percepção nunca mais foi a mesma...


Pedro Nunes 21/09/2012minha estante
Você tem toda razão!!!!!
É realmente fascinante esse trilogia!!!O tipo de leitura que te prende!A cada fim de capítulo ele te deixa querendo mais!É impossível ler e não se apaixonar pelos livros e pelos seus personagens!!!!!Simplesmente perfeito!!!


Brunno 19/02/2013minha estante
Apesar de estar terminando de ler O Inimigo de deus, concordo com vc. Bernard tem muito talento na escrita, depois q terminei de ler Rei do Inverno, minha percepção mudou.... dizem que Bernard Conrwell foi influenciado pela obra de George Martin, pode até ser... mas estou mais do que convencido que Conrwell é melhor que Martin.


Dalton 26/03/2013minha estante
Boa noite pessoal,gostaria de fazer uma pergunta (sei pode parecer idiota) porém eu devo fazer,eu ganhei da minha namorada um esse livro(Excalibur), porém como todos nós sabemos é o ultimo da trilogia.Então eu gostaria de saber se há a possibilidade de eu começar a ler pelo ultimo livro.Pois tenho medo de não gostar do livro e comprar os outros 2 exemplares(que são "caros")e não gostar.O que acham?


Douglas 27/03/2013minha estante
Olá Dalton, sugiro a você ler na sequencia correta.. 1º Rei do Inverno, 2º O inimigo de Deus, 3º Excalibur.. Estou começando a ler excalibur agora, mas é uma sequencia, sem ler os outros dois você não vai entender.. Quanto ao preço, está em promoção no submarino, custam na faixa de R$20 por livro.. Quando a gostar ao não, a pergunta a ser feita é: Você gosta de histórias militares?? Histórias que envolvem guerras, politicas, amizades e traições? É mais ou menos isso que o livro retrata.. Espero tê-lo ajudado.. Abraço!


Eldes 27/08/2015minha estante
Mas dá uma tristeza quando o livro acaba, né?! Queria continuar naquele mundo de Arthur e Derfel.


Carlos Luiz 19/03/2019minha estante
Também achei uma saga excelente, mas senti falta de uma conclusão, faltou uma ponte entre o fim deste livro e o começo do primeiro, já que é uma lembrança do Derfel. Não escrevo mais para não dar spoiler.


Arlyton Sil 25/04/2020minha estante
Terminei de reler e estou destruído. Um final emocionante.


Marcia 28/02/2021minha estante
Como todos os livros de B. Cornwell, está trilogia é apaixonante. E algumas pistas sobre o desfecho de alguns personagens encontan-se


Marcia 28/02/2021minha estante
Encontram-se nos primeiros livros. Devem ser lidos na sequência.


vicki4you 04/03/2021minha estante
Olá ,
como você está? Meu nome é Srta. Vicki Dickson, vi seu perfil hoje e me interessei por você, quero que envie um e-mail para meu endereço de e-mail privado (vdickson200@gmail.com) porque tenho um assunto importante que quero compartilhar com você




Everton Vidal 21/03/2021

Começa onde o segundo volume (O Inimigo de Deus) termina, com Merlim e os objetos sagrados, sem um salto de tempo importante, como ocorreu entre o primeiro e o segundo tomo. O ponto mais alto é o retrato da Batalha de Camlann, brutal e fascinante, descrito com riqueza de detalhes, uma das melhores cenas de batalhas medievais que já li. O livro encerra a série de forma magistral, com a presença da mítica ilha de Avalon, em uma versão mais realista ou possível, embora nem todos os heróis cheguem a ela.
comentários(0)comente



Aline 09/12/2010

Indescritível
Eu nunca tinha lido um livro do Bernard Cornwell e tive a felicidade de começar justamente pela trilogia que acabou se tornando a melhor que já li. Como os três são inseparáveis, decidi fazer uma resenha que valha para todos, mesmo que um acabe se provando mais fantástico do que o último.

Vi o depoimento de muitas pessoas que afirmaram não ter conseguido ler, porque não viam grande coisa em narrativas que giram em torno de reis, conquistas territoriais e guerra, mas para mim esses três livros foram muito além disso. Teve morte, fé, loucura, justiça, romance, aventura, mistério, sangue, doença, traição e MUITO mais. Quanto mais eu lia, mais desejava que não terminasse e que, por um milagre, Artur morresse velhinho e Gwydre se tornasse Grande Rei. É impossível não se envolver com a história de Derfel e Ceinwyn, se entristecer com Tristan e Isolda, sentir raiva de Lancelot, rir com Merlin, sentir arrepios por Nimue e querer pessoalmente castrar, destruir e esmigalhar Mordred. Você torce por cada personagem decente, se entristece pelo fim de cada um deles e, claro, sorri feliz da vida quando vê os mais idiotas passarem para o Outro Mundo.

Não tenho críticas para essa trilogia, nenhuma que realmente valha à pena dizer. Eu nem consigo realmente colocar em palavras o quanto gostei, porque é tudo tão intenso e complexo que não dá para elogiar uma parte sem comentar outra. Só lendo para saber. E isso eu digo para todos: leiam, leiam, leiam!

E, pra aqueles que, como eu, sempre tiveram paixão pelas narrativas de Artur, não vão se decepcionar com esta, que mais do que qualquer outra nos faz desejar a imortalidade do lendário Artur.

"Artur provavelmente não foi rei, pode não ter vivido, mas apesar de todos os esforços dos historiadores em negar sua existência, para muilhões de pessoas em todo mundo ele ainda é aquilo que um copista no século XIV chamou de 'Arturus Rex Quondam, Rexque Futurus': Artur, Nosso Rei Antigo e Futuro" - "Excalibur", pg. 529.

Não acredito que acabou!
Tell 10/12/2010minha estante
Gostei da sua resenha! =)
Você ficou bastante empolgada quando terminou de ler, assim como eu. Essa obra é fantástica e merece ótimas resenhas como a sua. Porém, não vou te perdoar por uma coisa: você não comentou do personagem Culhwch! hehehe


Aline 17/12/2010minha estante
Aaah, eu não comentei sobre um monte de personagens que eu queria :/

É que se fosse pra colocar todos ia ficar enorme! E sem falar que eu tinha acabado de terminar de ler, então estava escrevendo na maior empolgação. HIOSHIOAS

Obrigada mesmo pelos elogios :)


Henrique 08/01/2012minha estante
Ótima resenha , essa trilogia são meus livros favoritos .




Otávio - @vendavaldelivros 22/03/2021

“Quando um homem morre em batalha vai para um lar abençoado no céu. Mas para chegar a esse grande salão de festas ele precisa morrer de pé, com a espada na mão e os ferimentos na frente.”

Bernard Cornwell tem o dom para deixar leitores órfãos de seus personagens. Excalibur dá fim a um ciclo perfeitamente construído e ambientado, e nos deixa órfãos de personagens tão bem construídos que nos levam a ter um pouco de fé de que talvez, em algum momento da história, existiu um homem na Britânia que se chamava Artur e, mesmo não querendo reinar, era rei.

Se você ama história, a trilogia das Crônicas de Artur é um prato cheio para uma experiência de leitura espetacular. Cornwell consegue transformar a Britânia do século V, com suas chuvas e paisagens pouco atraentes, em lugares incríveis e perfeitamente visíveis. Sua capacidade narrativa se estende também para uma rica criação de personagens cativantes, com personalidades destacáveis e que fogem do senso comum.

No terceiro livro, as Crônicas de Artur são encerradas com tudo de melhor que o Cornwell consegue entregar. Batalhas memoráveis, reviravoltas, sangue, morte, crítica as instituições religiosas da época e, claro, como não poderia deixar de ser em uma obra que se propõe a retratar Artur, Merlin e Guinevere, um tempero de magia. Uma magia “humana”, que flerta muito mais com a realidade que com a fantasia e surpreende vindo de um autor conhecido também pelo ateísmo.

É com respeito e humanidade que essa obra é construída. Da humanização de Artur até os relatos históricos precisos que seriam possíveis de serem retratados, Excalibur finaliza uma saga que se completa, que tem poucas falhas e que deixa, em especial, um grande sentimento de saudade. De Derfel, o narrador “autor”, de Merlin, Artur, Galahad e Guinevere (sem esquecer do o incrível Aelle que conseguiu ser um dos meus favoritos em pouco tempo). Uma saudade que vive nas paredes de escudos e em um mítico e sempre aguardado Artur, Rei sobre todos os reis.

site: https://www.instagram.com/p/CMvSSvxj_vU/?utm_source=ig_web_copy_link
comentários(0)comente



regi @bookiane 09/09/2011

Já ouvi algumas pessoas falando que Bernard Cornwell escreve "literatura para machos". De certa forma, acho que é uma definição meio extremista, mas por outro lado, acho que não é qualquer mulher que consegue passar com facilidade pelas páginas ensanguentadas do ardor das batalhas do escritor. Só que mesmo com toda essa macheza, nos é apresentada uma história de amor linda e profunda, Derfel e Ceinwyn se tornaram um dos meus casais literários preferidos (quase no páreo com Lúthien e Beren, do Tolkien), me arrancaram lágrimas.

Mesmo achando que o Cornwell tem meio que uma fórmula de sucesso para seus livros (calmaria - revelações - batalhas - mortes a rodo - calmaria e assim vai novamente, mais ou menos nessa ordem), mas não fica repetitivo, não fica chato: ele sempre consegue arranjar uma reviravolta que deixa você com cara de besta na frente do livro.
Tentei ler "Excalibur" em um ritmo mais desacelerado, para curtir aquele sentimento de fim de trilogia. Mas chega um certo momento em que as coisas ficam muito tensas e não dá para parar de ler. E que vazio terrível ficou ao fim do último capítulo. As personagens do Cornwell são sempre muito envolventes, você se preocupa com eles, xinga se eles fazem besteira, morre de amores ou de ódio (muitas vezes os dois sentimentos por uma personagem só), vibra ou se deprime quando morrem (e eles sempre morrem, afff homem talentoso para escrever tragédia!).

Eu não tinha muito conhecimento sobre as lendas arturianas, só sabia das coisas mais básicas mesmo, só que mesmo com esse conhecimento prévio ainda fiquei impressionada com a forma que o Bernard desenvolveu a história. Tristan e Isolda, por exemplo, eu fiquei em choque!

Trilogia recomendadíssima! Trezentas mil estrelas!
Aedes 09/09/2011minha estante
Você disse tudo. Eu estou terminando de reler Excalibur e mesmo sabendo a história, ainda me surpreendo e me sinto novamente ao lado de Derfel e Artur nessa jornada.




Jonas (@castelodepaginas) 11/06/2020

Excalibur
Fiz a resenha no meu blog, por favor acessem, se inscrevam e se gostarem adquira pelo link abaixo da obra

site: https://resenhasnonaarte.blogspot.com/2020/06/as-cronicas-de-artur-trilogia.html
comentários(0)comente



Dem 22/11/2021

Incrível!
Livro perfeito pra encerrar a trilogia. O final não é como a gente espera, não tem um final muito feliz mais é bom! Kkkkkk
Uma pena que acabou :(
Foi épico, maravilhoso, viciante!
Entrou na minha lista de releituras!
Nota 10! E pra trilogia, nota 1000!
comentários(0)comente



Alberto 02/07/2021

Trilogia inexorável
Os dois primeiros livros foram excelentes e fiquei com medo de o autor dar um final inapropriado para esses personagens que eu já estava tão ligado. Mas ele foi justo e manteve a linha que seguiu desde o início. Não há defeitos para colocar nessa obra. Cornwell não enrola, não coloca uma única palavra fora do lugar. Foi uma jornada tão boa que já estou procurando outros livros dele para ler, na esperança de ver mais desse tipo de narrativa.
comentários(0)comente



Tamiris 22/02/2021

Fim da Saga ?
Finalizando a saga de Artur, e com a sensação COMO ASSIM ! QUERO MAIS CADA O RESTANTE.

Posso dizer também a saga de Derfel, fiquei encantada com sua narrativa e história, fiquei torcendo pra ele do começo ao fim. Em uma palavra descrevo Derfel como leal. Leal a Ceinwyn até o fim, leal a Artur até o fim. Seu amor pela esposa me encantou moveu seus e montanhas por ela ? um verdadeiro cavalheiro. Despedida de Artur me desmanchou ? Diga que eu o amarei até o fim ?.

Confesso chorei !
Chorei por Merlim, chorei por Aelle, chorei por Artur, chorei por Derfel e tantos outros ??

Fiquei esperando o momento de como Derfel tinha se tornado cristão, pois já sabemos no primeiro livro que ele narra a história velho em um mosteiro com o Bispo Samsun e foi belo o motivo.

Temos cavalheiro zumbi, Reis e mais Reis mortos e vinganças sendo executadas.

Não esperava que terminaria assim. Mas foi um ótimo final. Só queria mais ?.
Pedro 22/02/2021minha estante
Eita, Tamiris. Eu ainda tô na metade do primeiro livro, mas já comecei a sofrer por antecipação. ?


Diego Ramos 23/02/2021minha estante
Essa trilogia é umas das minhas metas pra esse ano! Essa resenha só me deixou com mais vontade de ler ???


Tamiris 23/02/2021minha estante
Eu adoro lendas arturianas então sou suspeita kkk. Mas acho que vai gostar bastante.


Diego Ramos 23/02/2021minha estante
Que bom! O hype está alto pra ler,


Diego Ramos 23/02/2021minha estante
O primeiro volume já está garantido, os próximos irei adquirir em breve ?


Tamiris 23/02/2021minha estante
Verdade ! Esse foi o primeiro que li do autor, gostei muito da escrita e da pesquisa que fez pra desenvolver o livro. No embalo peguei os três primeiros volumes das crônicas saxônicas, espero que seja tão bom quanto.


Diego Ramos 23/02/2021minha estante
??????


Felipe Augusto 23/02/2021minha estante
Com certeza uma das melhores sagas que já li na minha vida!!!


Tamiris 23/02/2021minha estante
????




spoiler visualizar
comentários(0)comente



Gabi Moraes 16/10/2009

Confissão
Bom, vou confessar que comecei a ler a série com os dois pés bem lá atrás, por ser uma eterna apaixonada pelas Brumas de Avalon, e estranhar um pouco outras narrativas a respeito da lenda Arturiana. Olha, o que eu sentia pelo Arthur das Brumas não era nada perto de como eu me envolvi com essa história... É uma narrativa incrível, bem mais verossímel, e muito mais apaixonante! Além do Artur, por quem sempre fui apaixonada, ainda ganhei o Derfel de presente! Recomendo mesmo esse livro (esse não, a série) para quem não leu, maravilhoso!
Cláudia 13/12/2009minha estante
Em As Brumas de Avalon, nós torcemos por Morgana.

Nas Crônicas de Artur, Derfel ganha ganha nosso carinho!


Eldes 27/08/2015minha estante
Gabi, eu também li e gosto muito do Brumas de Avalon, e quando comecei as Crônicas de Arthur confesso que lia com certa antipatia, por causa da diferença entre a personagem Morgana desse comparada com daquele - da qual a Morgana é sensacional.

Mas no final, como bem disse Croda, Derfel nos conquista.




Leonardo 16/07/2021

Em uma Britânia cercada pela escuridão. E apresenta os últimos esforços de Artur pra combater os saxões e triunfar sobre um casamento e sonhos desfeitos. O livro mostra, ainda, o desespero de Merlin, o maior de todos os druidas, ao perceber a deserção dos antigos deuses bretões. Sem seu poder, Merlin acha impossível combater os cristãos, mais perigosos para a velha ilha do que uma horda de famintos guerreiros saxões. O livro traz vívidas descrições de lutas de espada e estratégias de guerra, misturadas com descrições da vida comum naqueles dias.



Eu sinceramente não sei porque não dei 5 estrelas, o que essa trilogia me proporcionou não sei dizer. A maneira como Bernard Cornwell escreve é impressionante, recomendo pra todo mundo essa trilogia. Não consigo nem descrever o quão bom é esses livros.
comentários(0)comente



Nat 14/04/2021

^^ Pilha de Leitura ^^
O título do livro já indica o que há de mais importante nesse livro: o destino da tão famosa espada sagrada. Além disso, a história agora narra a volta dos saxões. Artur tem muitos inimigos! O ápice de tudo é a batalha de Mynydd Baddon, entre poucos britânicos sobreviventes e muitos saxões. Também temos a loucura de Merlin e Minue, e o fim de Derfel. Não sei se é porque a história é contada sob o seu ponto de vista, mas o vejo como o grande guerreiro dessa saga. Livros muito bem escritos, seguindo a História real na medida do possível. Gostei de ter lido!

site: https://www.youtube.com/c/PilhadeLeituradaNat
comentários(0)comente



Matheux 29/10/2020

Batalhas incessantes
Se na resenha do 2° livro da trilogia, eu reclamei da falta de batalhas épicas, aqui esse componente é desenvolvido de forma magistral.
O desfecho do enredo me agradou em todas as vertentes possíveis. Seja no desenvolvimento e conclusão da história dos personagens, ou nas épicas lutas que ocorrem por todo o livro e são narradas de um modo que só o Cornwell consegue fazer.
Novamente ele me fez emergir nesse universo, sentindo todas as transformações que ocorriam na Inglaterra e me colocando no meio de uma parede de escudos, observando cada ação que ocorre naquele caos.
Essa provavelmente foi a melhor trilogia de livros que eu já li na vida, e não consigo esperar pra ler mais obras desse autor incrível.
comentários(0)comente



bmt 14/01/2021

Uma grande jornada
Ler esse livro, assim como seus dois predecessores, foi uma como trilhar o caminho prazeroso e pesaroso de seu narrador. A história contata me incitou a aproveitar a jornada.

Não posso dizer que fui surpreendido muitas vezes durante as páginas, mas essa é a natureza de sua narrativa ao meu ver. Entretanto, ainda é uma obra memorável - aqui englobando a trilogia completa - e que vale a pena ser lida.
comentários(0)comente



281 encontrados | exibindo 1 a 16
1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7 |


Utilizamos cookies e tecnologia para aprimorar sua experiência de navegação de acordo com a Política de Privacidade. ACEITAR