O demônio no campanário

O demônio no campanário Michelle Pereira




Resenhas - O demônio no campanário


6 encontrados | exibindo 1 a 6


Giovana 08/05/2018

Quando o demônio pega o protagonismo pra ele mesmo
Eva tem pais ligeiramente ricos e meio relaxados com a sua criação, portanto em meio a necessidade urgente de sua mãe pintar as unhas na gringa (parece absurdo mas é algo do tipo) a jovem é enviada para um colégio interno de freiras.

Adeus roupas pretas com spikes e rasgos, sejam bem-vindas (nah) roupas de freiras e umas regras marotas, que são menos rígidas do que os clichês prometem, a "regra" é clara: tecnologias, partidas de truco e beijos roubados são liberados, desde que nenhum funcionário faça ideia.

Eva logo consegue fazer amizades, arranjar crushes e ser a solução de pactos de demônios sem fazer ideia, a protagonista é muito amorzinho para ser punk, seus amigos da escola anterior também são inclusive, Eva também é uma personagem leal e um tanto medrosa, sua razão do medo tem nome: Karina, e personificação: Britney Spears de 2007. E não foi legal a rivalidade feminina dessas duas.

Eron é um demônio chegado na lascívia humana e que depois de ter falhado em conseguir uma virgem aos seus pés está preso no campanário sob um pacto de um superior seu, a chegada de Eva ao convento pode dar fim nisso e ele está usando tudo que pode para conseguir. Os POVs do Eron estão muito no capricho, toda a sua lábia que parece que ele narra relaxando numa banheira tomando vinho roubado da safra de Jesus... O humor é diferente, mas só consigo chegar a alguma comparação com o humor de Belas Maldições.

"Em resumo, nada de disputas até morte, nada de pular sobre a mesa, nada de cuspir ossos em meus companheiros, muito menos sangue. Uma festa certamente tediosa."

Já sobre as meninas que a Eva conhece no colégio: Joan é irritante (tem horas que demais), Carol é ligeiramente irritante e a Cristal é um neném, enquanto o Victor é um bom moço que dá diabetes.

No final do livro não curti o rumo do lado fantástico do livro, pois seria interessante a Eva e as amigas terem certas informações, eu sou chegada em grupinhos com informações obscuras e aqui seria uma ótima oportunidade. O Demônio no Campanário tem uma escrita contagiante, que te puxa para ler tudo de uma vez sem querer querendo e mostra que a Michele sabe fazer um humor que está longe do "Toc toc" e certeiro.

site: https://deiumjeito.blogspot.com.br/2018/05/livros-o-demonio-no-campanario-michelle.html
comentários(0)comente



Livros da Shesha 06/05/2018

Esse livro é uma combinação perfeita de escrita simples e história fascinante.
O Demônio no Campanário é um livro maravilhoso, a história prende e instiga a curiosidade, o livro me cativou e confesso que me apaixonei pelo Eron, esse demônio se tornou um dos meus crushs literários.
A Michele Pereira é um amor, a escrita dela é simples, leve e fluída, o que me fez devorar o livro.
comentários(0)comente



LauraaMachado 05/04/2018

Queria que tivesse sido melhor
Antes de mais nada, quero dizer que tinha algumas expectativas pela sinopse, o título e a capa, e que estou bastante decepcionada com a leitura. A autora, Michelle Pereira, é um amor de pessoa, e dá para ver já por várias partes desse livro que ela é uma boa escritora. Mas, talvez por ser seu primeiro, algumas coisas ficaram perdidas e incertas e a ideia não chegou nem perto de ser tão aproveitada quanto merecia.

O principal problema que eu tive com a leitura foi a falta de ambientação. Se tirasse os capítulos do Eron, esse livro poderia ser sobre qualquer adolescente em qualquer colégio. O título, O Demônio no Campanário, a capa e até o prólogo dão uma ideia de que vai ser algo um pouco místico, bastante fantasioso, para provocar tensão e ansiedades. O fato do livro ser situado em um convento, por exemplo, já dá a impressão de que terá um certo clima de regras e religião que poderia ter acrescentado muito valor à história. Mas, infelizmente, ele também nunca aparece. Faltou a atmosfera misteriosa e contagiante que a sinopse e o título prometiam.

A narrativa poderia ter sido mais sensorial, também poderia ter explorado mais dos personagens e suas personalidades, principalmente da Eva. Em vez disso, a narrativa se resumiu quase somente à rotina escolar nada peculiar ou interessante da Eva e suas amigas e ficou cheia de diálogos desnecessários, nada naturais, muitas vezes repetitivos e que em nada acrescentavam à história. O verdadeiro enredo começa quando já está faltando só umas trinta páginas.

E o que mais me desanima é o quanto fiquei animada com o prólogo, é a quantidade de promessa que alguns capítulos do Eron traziam. Ele era a parte mais interessante do enredo, mesmo que seus capítulos também tenham caído rápido em repetição e inutilidade. O final dele, também, quase foi ideal, mas a tentativa de introduzir mais ação ao livro no seu clímax só o deixou confuso e um pouco ilógico. A fantasia da história, que parece ser o ponto principal pelo título e a sinopse (e não é) nunca é explicada e não conseguiu me convencer, principalmente porque pareceu quase sempre aleatória.

As últimas críticas que preciso fazer são para a rivalidade feminina e a superficialidade das garotas em volta da protagonista (a única que tinha algum conteúdo, mesmo que tenha provado em todas as cenas que era passiva e nunca salvaria a si mesma). Elas só falavam de vestidos e garotos, tanto que elas mesmas percebem isso. E eu adoro os dois tópicos, mas em um livro que era para ter fantasia, lendas e adaptação da protagonista em uma situação e um lugar tão diferente, nenhuma delas parece se importar com qualquer coisa que tenha um pouco mais de substância.

Mas pior que tudo é a rivalidade. Não havia qualquer necessidade da Karina existir ou ser a vilã de novela mexicana que foi. Não gosto desse tipo de coisa sendo propagada em livros. Quero ver personagens femininas se apoiando, não medindo o comprimento da saia de uma garota que está interessada no mesmo cara que elas e a considerando inferior por isso.

Minha parte favorita talvez tenha sido a Cristal, ainda que ela não tenha tido a atenção e o desenvolvimento que merecia! Foi minha favorita principalmente porque foi a única inesperada. Queria que a autora tivesse perdido muito menos tempo em coisas triviais e focado mais nas que poderiam fazer leitores se identificarem e refletirem, como a questão da Cristal, ou em cenas que tivessem mais impacto e significado. E queria também ter sentido que entrava em um mundo novo e misterioso nesse livro, ter me identificado com alguma das personagens, ou até me encantado com outros.

Mas, como disse, esse é só o primeiro livro da autora, que ainda tem uma carreira longa e próspera pela frente! E o livro é curto, deu para ler em um dia!
comentários(0)comente



Romântico Assumido 09/03/2018

IG @rassumido
Evangeline Lions é uma adolescente tímida, inocente e adepta do punk rock, assim como seus amigos Mari e Tom. Mari é apaixonada por Tom, que por sua vez gosta de Eva que o vê apenas como amigo.

Após a separação dos pais, Eva é mandada para um colégio interno de freiras aonde conhece suas novas amigas: Joan, Cristal e Carol.

Em pleno jogos de confraternização, ela conhece Víctor, estudante do monastério ao lado e ex namorado de Karina, sua mais nova inimiga e colega de quadra no tênis.

Para completar, no convento há uma lenda de que um demônio vive no campanário há muitos anos. Ele rondava por ali em busca de almas puras para corromper. Ele até conseguiu, porém a magia demoníaca perdeu o efeito e quando a garota acordou do transe, enfiou sua cruz que prata no peito do tinhoso. Desde esse dia, o demônio espera que uma virgem vá até ele para salva-lo.

A vítima? Eva... Desafiada a passar a noite no campanário por Karina.

Você acredita no sobrenatural?

Vou confessar para vocês que a história é arrepiante. Até pesadelos me deu (logo eu que adoro um terrorzinho!). Tem todo um suspense com um quê de romance, que não me deixava parar de lê, mesmo depois de um dia cansativo de trabalho. Enfim, a capa é linda, a história é maravilhosa e os personagens são apaixonantes! Mas os meus preferidos foram o Victor e a Joan.
comentários(0)comente



BiancaGulim 08/01/2018

Uma mistura certeira de fantasia, romance e aventura!
Com uma narrativa leve e fluída, Michelle Pereira apresenta um enredo que se destaca por sua originalidade. O que pode acontecer quando um demônio sedutor encontra a virgem que tem o poder de lhe devolver sua liberdade? Acredite, você vai se surpreender! Te desafio a prever o desenvolvimento dessa história que mescla fantasia com Young Adult, abordando temas comuns do gênero sem explorar clichês tão esperados em um romance jovem.
comentários(0)comente



Adriana Costa 05/01/2018

Intrigante e surpreendente
A historia relata uma lenda de um demônio em um convento, que foi sentenciado a viver por lá até q se desfaça o que aconteceu com ele no passado. E nossa linda e corajosa Evangeline foi a pessoa a ser escolhida para os planos de Eron, mas felizmente tudo aconteceu como deveria ser e fiquei muito apreensiva desde o começo já e pensando varias formas de como isso iria ocorrer e eu lia o mais rápido possível para saber como terminaria..ahhhhhh.
E foi surpreendente e amei como a autora discorreu os acontecimentos, as amigas foram algo mais na historia que deixava algo mais leve e divertido..adorei elas. Victor foi me conquistando aos poucos e o Eron que me fez apaixonar por ele e torcendo para que ficasse com Evangeline, acreditem nisso? Um demônio! Acho que ele me enfeitiçou também kkk, fiquei feliz que não fui a única a se render pelo Eron..ahhh.
Leiam é uma historia diferente que inclui amizades, descobertas , seres sobrenaturais, feitiços e romance ..claro.
comentários(0)comente



6 encontrados | exibindo 1 a 6