A Sutil Arte de Ligar o F*da-se

A Sutil Arte de Ligar o F*da-se Mark Manson


Compartilhe


Resenhas -


227 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7 |


Thay 05/01/2018

Para todos que estão cansados de humanos transbordando felicidade em redes sociais.
"[...] quando o foda-se não está acionado - quando se importa com tudo e todos -, você passa a viver como se tivesse a obrigação de ser exatamente do jeito que você quer. Isso é uma doença e vai te comer vivo. Toda adversidade será vista como injustiça; todo desafio, como fracasso; todo inconveniente, como ofensa pessoal; toda divergência, como traição. Vai viver confinado a um inferno de mesquinhez dentro da sua cabeça, ardendo em presunção e arrogância, preso em seu Círculo Vicioso Infernal, em constante movimento mas sem chegar a lugar algum."

Esqueça as resenhas e compre o livro. Sério, simples e imediatamente, compre o livro. Você precisa ler isso tanto quanto precisa parar de se sentir um merd* por não conseguir o corpo ideal, o emprego ideal, a casa ideal, o amor ideal, e todos os demais idealismos utópicos que só existem na sua cabeça. Amém Mark Manson.
Mily 05/01/2018minha estante
Nossa, agr eu preciso ler esse livro... Fiquei interessada!


Thay 06/01/2018minha estante
Oba! Na torcida por você, Milly! :) Pode confiar que não é autoajuda do tipo "aprenda a seguir um padrão de vida com nossa fórmula de pensamentos felizes", é mesmo um alívio essa linguagem sarcástica, ácida e direta sobre a obrigatoriedade de tentar ser quem não somos.


Isabele.Fernandes 02/08/2018minha estante
Ops... acho que preciso compra dois livros desse!!!




annac 27/12/2017

Um livrão desses, bicho!
Esse é o livro de auto ajuda menos auto ajuda que eu já li na vida.

A visão do autor, totalmente debochada e realista, faz acreditar que estamos lendo o relato de um amigo íntimo de verdade.

Todas as lições que ele teve durante a vida, passando desde a adolescência até a relevância da morte de um amigo para o amadurecimento, ele mostra como tornou a vida mais leve dando valor as coisas que realmente importam.

Ficou muito fixado na minha mente uma frase que acho que traduz bem a função do livro: ?ainda que exista valor em ver o lado bom das coisas, a verdade é que às vezes a vida é uma droga mesmo e a atitude mais saudável é admitir isso?

Um baita de um livrão da porra, recomendo pra todas as pessoas que assim como eu, estavam buscando um ponto de início para um recomeço.

Nota : 5/5
comentários(0)comente



Ellizieb 23/05/2018

Tem 224 páginas mas poderiam ser 50
Esse livro tem 224 páginas mas na minha opinião poderiam ser 50 ou até menos e sua mensagem final seria a mesma. É um ideia interessante(por mais q n tenha nada de inusitada como diz na capa) mas a sensação durante todo livro é que o autor tá ?enchendo linguiça?. Existem muitos livros do gênero com conteúdo bem mais interessante. Não entendi o sucesso deste, talvez marketing e um título bem escolhido já que a leitura é bem vazia.
Flávio 23/05/2018minha estante
Perfeito seu comentário. Tive a mesma impressão, não há nada que diversos outros livros do gênero já não tenham falado, o que me deixou surpreendido com o sucesso do livro no País. Não acredito que tamanho sucesso tenha sido pelo marketing, visto que o autor vendeu os direitos para a editora brasileira por um preço muito baixo (li isso na coluna do Lauro Jardim) então, acredito, que eles não esperavam o sucesso, ao meu ver o elevado número de exemplares vendidos está atrelado ao nome do livro, as pessoas não podem ver algo que tenha um palavrão que já acham "descolado".




spoiler visualizar
Jéssica 29/04/2018minha estante
Senti exatamente isso.


mirelasilva 08/05/2018minha estante
sim!!!!!!


Daniel 23/11/2018minha estante
fui no livro pela capa e seu título, me deparei com algo muito melhor do que eu realmente buscava




Luciano 17/05/2018

Provocador e acidentalmente irresponsável
Mark Manson pega um caminho bem provocador, no que diz respeito à motivação e auto-avaliação. Ele tem um pensamento do qual eu compartilho que é o de não alimentar uma falsa positividade. Esse pensamento nós construímos com a nossa história e com a quantidade de aprendizado que absorvemos ao longo do caminho: o mundo não é conto de fadas e a sorte do outro não cai no seu colo pois a jornada na vida é individual.

Eu concordo com muitos pontos pertinentes: baixar a guarda e refletir sobre sua arrogância, sobre seu comportamento atual e se permitir ver como alguém que pode estar errado. Não estamos muitas vezes?

Desconstruir a si mesmo, reconhecer sua humildade e que você é um grãozinho de poeira no universo. Na prática, pra quem lê, pensar assim é como mover uma montanha de um ponto da Terra para outro. Mas eu gosto dessa abordagem. O livro não é sobre jogar tudo pro alto, largar sua vida e viver seu sonho maravilhoso de infância, mas é sobre se ajustar às condições atuais. Também não é sobre dizer "foda-se" no sentido que parece no título, ele não deixa de se importar com as coisas em nenhum momento, ele aprende a se importar com o que é certo naquelas condições, no que são valores duradouros e passa a ter uma vida mais equilibrada. Entender que o sucesso vem de várias formas e não é projetando a sorte do outro em você que vai dar tudo certo. Avaliar valores realmente é um aprendizado positivo a se tirar daqui.

O que eu não curti foi a irresponsabilidade em diversos capítulos, incluindo o capítulo dificílimo sobre, ironicamente, responsabilidades. Se eu sou responsável por me sentir mal, sou responsável por mudar isso, ou seja: tenho nas minhas mãos o fio condutor do meu destino. Mas minha responsabilidade é dividida com meu cenário e minhas condições. Eu entendo o que ele quer dizer com isso, mas esbarra tanto na culpa e em outros problemas, que se torna um conceito conflituoso, como no exemplo do pai que perde a filha.

Cheio de palavras duras, humor de blog e uma linguagem fácil, mas também muitas vezes serve pra reforçar a arrogância, não para derrubar esse conceito no indivíduo que pegou o livro com o único objetivo de afirmar seu egoísmo. Peguei pra ler por que uma pessoa que eu admirava também estava lendo, o livro fala sobre valores péssimos como popularidade e fama que são insustentáveis. Quem eu admirava se comportava exatamente com esse fim até cair através de denúncias, sendo exposto por comportamento abusivo com o único objetivo de ser adorado. O livro estava ajudando? Provavelmente nem riscou o coração de gelo dessa pessoa.

Um livro que tenta ir por um caminho diferente, mas é quase mais do mesmo. Redundante em muitos capítulos e penoso na conclusão. Achei perigoso pra quem sofre de depressão ou algum problema do gênero pois a responsabilidade é facilmente interpretada como culpa, porém acho que a provocação pode ser um gatilho de ajuda dependendo de como você se vê naquela leitura.
Nayane 20/09/2018minha estante
Exatamente o q achei do livro... Irresponsavel e perigoso




Pedro Igor 09/01/2018

Esse livro é o remédio que eu precisava para curar minha ansiedade.
Não consegue fazer aquela mina que você está apaixonado se apaixonar por você, por que ela te acha um banana? Você tem que entender que não tem como ser importante e tranformador para algumas pessoas sem ser uma piada e um constrangimento para outras. Ou seja, não se importe com o que ela acha de você, pois provavelmente ela te acha irritante, burro, feio e liso. O segredo é perceber que essa busca incessante por ela é uma má decisão, e é justamente do que esse livro trata, ele é um manual de como tomar decisões em sua vida, e que manual! Ele lhe mostra que quando o botão foda-se não está acionado, quando se importar com tudo e todos, você passa a viver como se tivesse o direito inalienável de se sentir confortável e feliz o tempo todo, como se tudo tivesse a obrigação de ser exatamente do jeito que você quer. Isso é uma doença e vai te comer vivo. Toda adversidade será vista como injustiça; todo desafio, como fracasso; todo incoveniente, como ofensa pessoal; toda divergência, como traição. Vai viver confinado a um inferno de mesquinhez dentro de sua cabeça, ardendo em presunção e arrogância, preso em seu Círculo Vicioso Infernal, em constante movimento mas sem chegar a lugar algum. Evitar o sofrimento é uma forma de sofrimento. Evitar dificuldade é uma dificuldade.

O autor ensina a ligar o foda-se para tudo que dispensável em sua vida, para guardar suas preocupações para as coisas que realmente importam. Ou seja, a ideia não é fugir das merdas, e sim, descobrir com qual tipo de merda você prefere lidar.

Esse livro é uma terapia, pois vai de encontro com todas as minhas ansiedades, me fazendo perceber quão inútil é sofrer pelas mesmas. Sem dúvida um dos melhores achados do ano.
@ale_raposo 09/01/2018minha estante
To amando esse livre!To me sentindo até mais leve!


Pedro Igor 09/01/2018minha estante
Ele é maravilhoso, e ainda mais a escrita debochada do autor, usando de artifícios cômicos deixa o livro ainda agradável de ler. Me surpreendeu realmente o livro. Agora entendo o sucesso que ele tá fazendo.


Scarlety.Ellen 07/03/2018minha estante
"Esse livro é o remédio que eu precisava para curar minha ansiedade." me descreveu, apenas




Glenda.Strelow 17/01/2018

Chato
Não aguentei até o final...o livro é tipo assim...vc tá ferrado e isso é bom, nada vai mudar e pronto.
Danilo 01/06/2018minha estante
Kkkkk lê um romance adolescente com final feliz ent


Silvio 06/09/2018minha estante
É isso mesmo!




Knuttz 11/04/2018

Livro raso, para uma leitura superficial (se muito)
Um livro que traz, talvez, meia dúzia de insights, e sinceramente, só recomendo para quem consegue ler muito, muito rápido...
Kálita 11/04/2018minha estante
Pq?


Knuttz 12/04/2018minha estante
O autor é redundante demais, o livro poderia ter 25% do tamanho e não haveria perda de conteúdo.

A única coisa realmente brilhante do livro é o título, que levou muitos a comprá-lo, eu inclusive.




Lucas Campos 21/04/2018

Mais ou menos
Tem partes interessantes, como toda a ideia de valores, mas não sei até que ponto dá pra ser levado a sério.

E me fica a sensação de que poderia ser apenas um artigo na internet.
comentários(0)comente



Aline.Silva 30/01/2018

CHATO! CHATO! CHATO!
Insuportável de ler, não consegui, chato, repetitivo, meio redundante e óbvio.
warley torres 08/02/2018minha estante
Concordo com vc, foi puro merchandising apenas isso


Ana Carolina 29/05/2018minha estante
Vc pode ate ter achado chato e tudo bem. Agora obvio é particular seu, e que bom q pra vc foi obvio, vc deve ser uma pessoa bem resolvida. Agora muita gente ainda mais na nossa sociedade atual que vive de aparencias, instagram etc, precisava mt ler esse livro.


Silvio 06/09/2018minha estante
Aline, faço minhas as suas palavras!




Rafa 07/04/2018

Impossibilidade
Devo dizer que seria muito fácil ligar o bendito f***se para tudo se fôssemos providos de fortuna, saúde e taciturnos.

Infelizmente pra muitas coisas não é possível se desligar ou não se importar, mas não quer dizer que seja uma coisa ruim.

Fico imaginando o que aconteceria se todos deixassem de se importar com certas coisas...onde iríamos parar O.o

Enfim, o livro mostra que temos a escolha de importar ou não com certas situações, e algumas realmente são cabíveis e sei que nos faz bem, deixar para lá. Porém em outras nem tanto.
comentários(0)comente



Vinny Britto 18/07/2018

Gaste suas energias com o que realmente importa.
Não espere um livro que vá mudar sua vida, não é essa a proposta, pelo menos a princípio, mas dificilmente alguém sairá daqui sem aprender algo de bom.

Bati meu recorde de marcações nessa leitura, tem muitas frases legais de impacto e motivacionais para serem destacadas. O livro também tem uma linguagem bem simples mesmo abordando temas que por vezes podem ser vistos como complexos.

O autor usa muito de experiências pessoais para ilustrar os temas e algumas histórias dele são hilárias.

Como falei, não é um livro que vá mudar uma pessoa, mas que com algumas boas dicas, nos mostrará que devemos identificar o que realmente importa, usar nossos esforços nessas coisas e ligar o foda-se para todo o resto.
Murilo 18/07/2018minha estante
Sem contar a forma como se deve ligar o foda-se, gostei do livro porque mudou totalmente a perspectiva de abordagem dos nossos problemas e limitações, saindo da mesmice dos livros de auto-ajuda que lemos, dão uma receita de bolo moldado pelo vitimismo (nosso mesmo) e então faz acreditarmos que conseguimos o impossível, mas não saímos do mesmo lugar.
Senti que foi um tapa na cara em cada capítulo, sempre atento a quando o panda da desilusão vai bater na minha porta!


Vinny Britto 18/07/2018minha estante
Bem observado Murilo. Odeio livros de auto-ajuda mas esse foi uma exceção.




warley torres 08/02/2018

Perda de tempo
Nada a ver esse livro que conta algumas vivências do autor que escreve para um blog, juro que esperava mais.
Silvio 06/09/2018minha estante
Digo exatamente o mesmo!




Rodrigues 22/08/2018

Mais do mesmo
O autor promete e até faz gracejos sobre outros livros de auto ajuda, mas a verdade é que este livro é mais do mesmo. Para aqueles que adquiriram este livro com aquele espírito rebelde de mandar todos pra casa do chapéu, se deu mau.
Silvio 05/09/2018minha estante
De pleno acordo, parceiro. Simples reprodução de outros.




CiihSnoU 29/12/2017

“In this generation-defining self-help guide, a superstar blogger cuts through the crap to show us how to stop trying to be "positive" all the time so that we can truly become better, happier people.”
-
“Chega de tentar buscar um sucesso que só existe na sua cabeça. Chega de se torturar para pensar positivo enquanto sua vida vai ladeira abaixo. Chega de se sentir inferior por não ver o lado bom de estar no fundo do poço.”
-
The Subtle Art of Not Giving a Fuck, ou em português A Sutil Arte de Ligar o Foda-se é um livro de, bem, auto-ajuda, de um modo novo e inovador para ver se conseguimos colocar nossa vida para frente!

Mark Manson não é um life coach, não é um psicólogo que tenta te fazer ver o lado bom da vida, não nas 229 páginas desse livro ele tenta te fazer entender que você tem que ligar o foda-se mais vezes na vida, que você tem que entender que para viver sua vida você tem que entender que sim, um dia você vai morrer, o que é imortal não morre no final e a gente com toda certeza morre no final. O que importa é o que a gente deixa para trás ao partir dessa para a melhor.
-
Eu li o livro basicamente em dois dias, porém já estou marcando para ler novamente para entender ainda mais o que o Mark disse, apenas nessa leitura eu fiz 44 marcações de quotes porém se me deixassem eu pegaria ele todo e marcava tudo! Vou postar aqui em baixo algumas delas, porém posso dizer com toda a certeza de alguém que nunca quis ler auto-ajuda na vida por ser adepta a ideia de “Não sou obrigada” que já comecei a refletir pacas na minha vida e algumas coisas que faço e deixo de fazer, porém muito do que ele diz faz bem a minha cara, e tem muito do que o povo hoje em dia precisa perceber sim! Eu super recomendo ele para vocês.
(Ps: Eu li em inglês, e não sei se eu traduzir a frase vai pegar tudo o que eu senti no momento e o que ele quis dizer então...sorry mas não vou traduzir! Mas eu sei que está sendo lançado agora em português então procurem por ele, adquiram e aprendam a sutil arte de ligar o foda-se!)
-
“Death scares us. And because it scares us, we avoid thinking about it, talking about it, sometimes even acknowledging it, even when it’s happening to someone close to us. Yet, in a bizarre, backwards way, death is the light by which the shadow of all of life’s meaning is measured. Without death, everything would feel inconsequential, all experience arbitrary, all metrics and values suddenly zero”
-
"If you’re stuck on a problem, don’t sit there and think about it; just start working on it. Even if you don’t know what you’re doing, the simple act of working on it will eventually cause the right ideas to show up in your head"
-
“That’s simply reality: if it feels like it’s you versus the world, chances are it’s really just you versus yourself.”
-
"When we feel that we’re choosing our problems, we feel empowered. When we feel that our problems are being forced upon us against our will, we feel victimized and miserable."
-
"Maturity is what happens when one learns to only give a fuck about what?s truly fuckworthy."
-
"Because here’s a sneaky truth about life. There’s no such thing as not giving a fuck. You must give a fuck about something. It?s part of our biology to always care about something and therefore to always give a fuck. The question, then, is, What do we give a fuck about? What are we choosing to give a fuck about? And how can we not give a fuck about what ultimately does not matter?"


site: https://www.instagram.com/p/Bb9gG5kgU4U/
comentários(0)comente



227 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7 |