História é Tudo Que Me Deixou

História é Tudo Que Me Deixou Adam Silvera




Resenhas - História é Tudo Que Me Deixou


73 encontrados | exibindo 16 a 31
1 | 2 | 3 | 4 | 5


Gabriel.Barros 15/08/2020

"Ser minha própria rocha é promissor, mas seria uma enorme mentira se eu não admitisse que seria igualmente recompensador me tornar uma montanha junto a outra pessoa".

Me surpreendi com a forma da escrita do Adam e gostei muito. A história não traz um quentinho no coração (não no meu caso), mas isso não diminui a história incrível de superação, crescimento, empatia, resiliência, amizade e cura.
Se eu pudesse resumir esse livro em uma frase seria: "As vezes, o apêndice é a sua própria cura e a sua montanha". (só quem leu vai entender).



Theo babaca! (Desculpe! Não pude evitar)
comentários(0)comente



Matheus.Soares 08/08/2020

Gostei muito
Um livro lindo e tocante. Mostra a jornada que é buscar se conhecer novamente e se reerguer quando seu mundo desaba e tudo o que você conhecia e dava como certo já não faz mais sentido. Fala da importância das pessoas que amamos em nossas vidas e, também, como o amor próprio e a resiliência são essenciais, mesmo que nenhum ser humano seja uma ilha. Fazendo uso das palavras do próprio autor, "as pessoas precisam de pessoas".
comentários(0)comente



Bruno Malini 07/08/2020

Esperava chorar muito, mas...
Esperava chorar muito, mas... Não é uma história ruim, o problema fica pela forma que é vendida. No geral vale a pena pelos temas discorrido e os possíveis debates sobre os assuntos que vão surgir em sua mente. Com certeza é o que você vai carregar consigo ao final da última página.
comentários(0)comente



spoiler visualizar
comentários(0)comente



Laísa 26/07/2020

Razoável
Um livro fácil de ler, diálogos simples e uma história romântica comum.
comentários(0)comente



tcharles 19/07/2020

aí esse griff
gostei bastante da história, achei o condução do Adam muito boa, porém o desenvolvimento dos personagens foi lento demais e aí rápido demais, uns acontecimentos do passado que não faziam sentido no presente, mas fora isso o livro é bem gostosinho de ler(ou tristinho).
comentários(0)comente



Danilo 14/07/2020

Incrível
Fiquei em dúvida se colocava 4,5 estrelas ou 5, já que em alguns momentos a escrita e a história ficaram meio paradas e cansativas, mas com certeza é 5 (pelo menos um 4,8). Eu amei! Talvez a história parecesse estagnada mas na verdade só era o sentimento do personagem.
A transmissão do sentimento, a escrita de Adam é sensacional! Eu senti tudo, me envolvi por inteiro. Quase chorei em algumas passagens angustiantes e muito tristes. A história é muito triste. Aclamo esse livro! Adorei, recomendo demais. Uma mistura de humor e tristeza perfeita! Incrível!
comentários(0)comente



Thaíssa 11/07/2020

A melhor leitura do ano
Fui refém de minhas emoções. O riso de Griffin era o meu riso. Se Griffin chorava, eu fazia o mesmo. E por estar tão ligada emocionalmente, detestei certos personagens que o trouxeram dor; por lhe arrancarem seu grande amor.
Todavia, avançando a história alguns pontos vão se esclarecendo. Griff tinha uma imagem etérea de Theodore, seu primeiro amor. Portanto, muitos de seus atos foram cegados pela paixão. Acontece que, mesmo sabendo suas histórias, você nunca, de fato, conhece alguém.
Um desenvolvimento impecável, que nos leva a uma verdadeira montanha russa. Montanha esta onde em certos momentos não temos certeza do que é certo e o que é errado.
Jackson foi, sem dúvidas, uma peça primordial neste quebra cabeça. O mesmo garoto que foi um inimigo, mostrou também ser um amigo.
Wade é o cara que sempre esteve lá. Chega a ser cômico como mesmo assim, eu sentia que ele estava de escanteio, estava à parte do foco da narrativa. O tratei por mais da metade do livro como um mero detalhe. Mal sabia eu de sua real importância.
Dentre os muitos pontos explorados, como o luto, o toc, seguir a vida, o que merece maior destaque são as histórias. Como uma única pessoa pode ser um universo de histórias para diversas outras.
comentários(0)comente



Babs 09/07/2020

Me prometeram lágrimas, mas passei nervoso
A razão do meu nervoso foi o personagem principal ser egoísta e egocêntrico, mas eventualmente ganhou meu coração.

As cem primeiras páginas do livro foram maçantes. Ler o peso do luto do Griffin, e a ênfase que ele dava a si mesmo quase me fez abandonar a leitura. A ideia de ser o único a sofrer imesamente, o único a sentir a perda do ex namorado e melhor amigo [Theo], como se mais ninguém além dele conhecesse verdadeiramente o rapaz. Foram longos capítulos estagnados nisso antes de começar a evoluir de uma forma que eu não esperava, mas que foi muito bem-vinda.

Intercalar passado e presente em capítulos distintos encaixou de uma forma que não saberia como fazer sem confundir a mim e aos leitores, mas o encaixe foi perfeito. No momento chave de uma cena do presente, nos mandava ao passado quando tudo ainda estava bem, quando Theo ainda vivia, antes de --enfim-- intercalar entre o drama do presente e os momentos em que tudo ruiu no passado. A maestria com a qual o autor conduz os sentimentos do leitor junto ao do Griffin foi o que me prendeu até o final e me fez ver as coisas em uma perspectiva a qual não estava me permitindo abrir.

A evolução do personagem foi gratificante de ler, o desapego do emocional que insistia em bater na mesma tecla oca de novo e de novo; atrás do amor de alguém já morto.
Foi uma leitura suave, menos dolorosa do que eu pensei que seria pela premissa, mas com diálogos e cenas impactantes nas últimas cem páginas. No que o começo pecou, foi recompensado no final.

Uma leitura mais do que recomendada para amantes de um angst leve.
comentários(0)comente



Gisele 06/07/2020

Lindo
E livro é lindo e emocionante. Minha segunda leitura de Adam Silveira e sigo apaixonada pela escrita dele.
Esse livro toca bem fundo e não posso reclamar de nada; foi uma jornada de descoberta e superação.
Recomendo a todos.
comentários(0)comente



Marcus Menezes 05/07/2020

Sensação de: quase lá
Pela sinopse, já dá para entender que é uma história um pouco triste. Apesar de realmente ser, não fiquei extremamente emotivo, mas pode ser sensível para alguns. Isto porque não achei muito dramático/meloso.

Em certos momentos, acho a escrita do Adam Silveira boa e, em outros, um pouco razoável. Os personagens são um pouco complexo ao ponto de algumas atitudes terem me irritado.

O livro me prendeu e o final me surpreendeu no sentido de que não estava esperando aquele desfecho, mas achei que faltou algo para tornar o livro realmente muito bom.
comentários(0)comente



Mirella | @booksaquarius 05/07/2020

se me fez chorar foi de desgosto;
adam silvera é um autor famosíssimo na bolha que convivo, então fiquei animada com essa primeira experiência, mas infelizmente não rolou NADA comigo. sei que tratar de luto é muito difícil, pois lutos não tem uma "fórmula", porém foi TÃO chato como foi retratado aqui, também fiquei agoniada com a falta de responsabilidade emocional de alguns personagens, e apesar de que o autor tem toc e provavelmente o que ele colocou no livro é de sua própria experiência, achei que ficou tão jogado no livro, que fiquei com a sensação de que foi levemente irresponsável.
comentários(0)comente



Jefferson Martins 02/07/2020

Não foi desta vez...
Infelizmente, apesar de amar escrita do autor, este livro não me agradou nem um pouco. As personagens do livro tomam atitudes tão infantis que deixam a história um pouco iverossímia, o que me deixou irritado com todos quase todas as personagens. Os romances no decorrer da história também não me convenceram. A coisa mais interessante da história foi acompanhar as compulsões do protagonista, e como este lida com elas. Enfim, Adam Silvera é um excelente escritor, e os seus livros "Lembra Aquela Vez" (um livro incrível) e "No Final, Morrem os Dois" (um livro muito bom) valem muito a pena de
serem lidos. Contudo, entendo como este livro pode ter tocado muita gente, pois afinal gosto é algo muito subjetivo e individual... Infelizmente, desta vez não rolou para mim.
comentários(0)comente



Felipe Rocha 26/06/2020

O início de um sonho... Deu tudo errado
As primeiras 100 páginas foram maravilhosas, onde a cada virada eu estava chorando (talvez por eu esta sensível no momento). Porém a partir daí o sentimento de que esse livro entraria para a lista de melhores desapareceu(talvez também por eu estar menos sentimental agora kkk).
Os motivos disso foram porque Griffin ficou de luto ETERNO (sei que cada pessoa tem o seu tempo pra superar, um dia, um mês...mas...), e a cada ida à cozinha ele lembrava do Theo mais como EX-namorado do que como melhor amigo, o que começou a encher a paciência.
Depois ele começou a tomar algumas decisões e agir como IDIOTA (como carambas vc viaja escondido, sem ciencia do responsável para outro estado??). Nesse momento já estava fazendo uma leitura dinâmica.
Outra coisa é que algumas ações e idiotices eu previ e quando aconteceu me deu vontade de jogar o livro no fogo.
Ah, e a idiotice não foi apenas nas tomadas de decisões mas também o motivo de fazê-las e ainda usando como algo plausível para algo besta ou importante. E outra, ele não se decide em NADA.
Fora isso, a escrita do Adam é gostosa, a história que não me agradou mesmo.
Jefferson Martins 02/07/2020minha estante
Nossa, sim!!! Hahahaha. Eu não cheguei a ter vontade de jogar o livro no fogo, mas vontade de jogar na parede eu tive. Hahahaha.


Felipe Rocha 02/07/2020minha estante
Alguém que me entende hahaha




Nico 22/06/2020

Eu sempre achei a sinopse extremamente pesada logo de cara, mal sabia que entrar na cabeça do Griffin era 50x mais agustiante. Chorei em algumas partes por tratar o luto da maneira que ele deve ser tratado : Sentindo e desbravando cada pedacinho da dor. Mudaria sem pensar duas vezes o maior plot do livro (o que foi aquilo cara?), pareceu uma tentativa de ferrar com o Griffin.
A escrita do Adam faz qualquer leitor querer ler mais e mais ate acabar por completo e com certeza eu vou lembrar disso quando ler "E se fosse a gente?".
comentários(0)comente



73 encontrados | exibindo 16 a 31
1 | 2 | 3 | 4 | 5