Moletom

Moletom Julio Azevedo




Resenhas - Moletom


33 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2 | 3


Alana 04/01/2018

Muito bonito. Mas só isso não basta.
Moletom foi o tipo de livro que com um pouco mais de trabalho, com um pouco mais de tempo e amadurecimento do projeto, teria sido um livro muito bom.
Esteticamente o livro é muito bonito e a apresentação dele muito delicada. Há frases e passagens que são excelentes e de uma conotação poética ímpar. Mas as bases e a estrutura não são sólidas, os personagens e o desenvolvimento são rasos e não há tanta fluidez na história como poderia ter tido.
O tema, em si, foi muito bom e poderia ter sido melhor desenvolvido, como foi dito de início. A problemática central é um garoto que acaba indo passar um tempo na casa da tia, porque houveram complicações, das quais o leitor não tem conhecimento, na família dele e, na casa da tia, esse garoto acaba conhecendo outro garoto por quem desenvolve sentimentos.
Sim, é uma temática excelente que abre um leque para uma infinidade de desenvolvimentos, dos quais nenhum foi executado. As coisas aconteceram rápido demais. Os personagens foram pouco explorados e não receberam o devido aprofundamento, para que houvesse uma empatia por parte do leitor. As pontas terminaram soltas e a temática central deixada de lado em prol de algo que, sozinho, de forma alguma sustenta uma história. Faltaram respostas e desenvolvimento.
MAS não é um livro ruim. Tem seus pontos positivos e pode funcionar melhor para algumas pessoas do que para outras, como tudo nessa vida.
comentários(0)comente



Marcus.Marx 09/01/2018

Moletom
É cativante, fofo e poético, porém peca em enredo e linha do tempo, além do desenvolvimento dos personagens. Muitos nós foram atados, mas não se desataram com o passar da história. Os personagens secundários são muito superficiais, sem trabalho psicológico ou algo assim. É muito corrido. Mas é bonito. Te faz querer viver.
comentários(0)comente



geórgea 02/05/2018

Moletom
Pedro é um jovem que está passando por diversos dilemas. Recentemente ele mudou para a casa de sua tia Mariana e deixou seus pais, sua casa e suas lembranças no passado. Munido de seus sonhos, uma caneta e vários papéis o jovem, que não se considera um escritor, está escrevendo um livro e buscou na casa de sua tia um refúgio. Tanto para escrever quanto para pensar.

“Dizem que quando você cai, criar as forças para recomeçar é a parte mais difícil. Bem, se reconstruir, obviamente, é um trabalho árduo. Mas já parou para pensar que quando você perde tudo, você finalmente tem a chance de fazer as coisas de um jeito diferente?”

Enquanto explorava a cidade nova, por um acaso do destino (ou natureza) ele conhece Lucas. Um jovem que desperta sentimentos que ele prefere reprimir. Eles passam a cultivar uma amizade que com o tempo pode evoluir para algo mais intenso, principalmente para Lucas que passa a ter mais dúvidas permeando a sua vida. O medo da rejeição também é muito recorrente e isso, juntamente com a falta de diálogo, pode ser um grande problema.

Assim, com a ajuda da sua prima Amanda e suas, como ela mesma define, “paranoias aquarianas”, ele planeja superar o que passou, tentará focar no seu livro e se aproximar desse jovem que mexeu com ele desde o momento que se conheceram. Mesmo com medo da rejeição. Dessa história poderá nascer uma linda história de amor. Mas qual o segredo que consome Pedro? O que o levou a deixar os pais para trás, além da necessidade de escrever um livro? Como ele e Lucas lidarão com essa gama de sentimentos que aflorou entre eles?

Minha Opinião

Sabe aquele livro que a gente quer MAIS? O defeito deste é que ele tem fim. A simplicidade, a pureza e o amor emanam dele. O autor, que é brasileiro, possui uma página no Facebook que conta com mais de 360 mil inscritos. Lá o jovem compartilha suas artes e pensamentos e possui uma legião de fãs que se identificam com tudo que ele tem à transmitir. A riqueza de detalhes, o cuidado e capricho e, principalmente, a identificação que o público tem com seus textos são o principais motivadores para o seu sucesso.

A edição é outro ponto que devemos admirar. A cada página que viramos vemos um detalhe, sutil e delicado, mas que agrega muito ao conteúdo. O início da obra conta com quadrinhos, feitos pelo próprio autor, que falam sobre alguns sentimentos do personagem antes de adentrarmos a sua história de fato. Achei isso incrível e não lembro de ver outro livro que seja assim. Parece que tudo isso nos causa uma proximidade com Pedro e seus pensamentos.

O livro é dividido entre “eu, ele e nós”. A cada uma dessas partes temos uma visão. Na primeira sobre Pedro, sua incertezas, tristezas e detalhes pessoais, na segunda, veremos o texto pela visão de Lucas e saberemos um pouco do seu passado e o que o levou até ali e, na última, como os dois se veem juntos, a intensidade da sua paixão, a conexão que parece vir de outras vidas.

“O fato de todos esses pensamentos ainda estarem desconexos na minha cabeça me deixava extremamente incomodado. Mas agora eu estava bem. Um novo lugar. Novas pessoas. Eu preciso me fazer acreditar que agora estou bem.”

Pedro expressava o quanto se sentia sufocado, precisava se encontrar e ser ele mesmo. Quantas vezes não passamos por isso? Essa ânsia por largar tudo e ir para longe descobrir quem nós somos ou mesmo buscar inspiração para algum projeto. E, na maioria dos casos, a vontade de ir para longe de tudo que nos faz mal. Duvido que você nunca tenha passado por isso.

Nesta trama, o jovem está muito apreensivo com esses novos sentimentos, que geram uma grande identificação por parte de quem lê, pois quem nunca ficou dessa mesma forma ao se deparar com uma paixão? E aquela autossabotagem? Quando mandamos um “oi” e a pessoa demora mais de dez segundos para responder? Já pensamos mil coisas, não é mesmo? Esse livro nos faz enxergar esses momentos e ver o outro lado da história. Pois, assim como temos a visão de Pedro, também temos a de Lucas. Com esses sintomas típicos de uma paixão que chega para nos desestruturar.

Só quem já viveu um romance intenso e de momento sabe todos os problemas que ele acarreta. Aqui, além de todos os problemas que já conhecemos, também temos as inseguranças de um jovem que apenas quer ter o direito de gostar de quem ele bem entender, misturada aquele medo de sofrer algum tipo de agressão, tanto física quanto verbal, a indiferença de algumas pessoas para os problemas que eles enfrentam, a pressão familiar, as risadas e o deboche de quem não possui o mínimo de compaixão pelo próximo. Tudo isso misturado gera turbulência na vida dele. Ele expõe o quanto é difícil ser parte de uma minoria e a necessidade de reprimir seus sentimentos.

A importância de falar sobre esse assunto é gritante na nossa sociedade. Temos a necessidade de conversar, argumentar e explanar sobre isso para as crianças na mais tenra idade. Já está mais do que na hora de debater sobre um assunto que não é novidade, porque não pensem que isso é algo momentâneo, sempre existiu. Quando peguei esse livro fiquei receosa de comentar sobre algo que não tenho voz para falar ou nem mesmo entendo tanto quanto quem vive isso na pele, mas creio que este assunto deve ser debatido e defendido por todos.

“Após todo esse clima estranho, um sorriso brotou em meio aquele rosto recoberto por uma barba falha. Os olhos dele correspondiam à sua natureza: um olhar de criança curiosa.”

Cada frase escrita pelo autor nos toca de alguma forma. Por diversas vezes me peguei esmiuçando aquela frase e tirando sentidos que se encaixam ou já se encaixaram em algum momento da minha vida. Pedro é um garoto sensível, criativo e amoroso, ele é encantador pela forma como se expressa com as palavras. Lucas possui uma presença mais forte e parece mais independente, mas não deixa de ter sua sensibilidade também, além de sempre tentar ver o lado bom das coisas. Os dois se completam perfeitamente e possuem um amor tão sincero e bonito que torna a história ainda mais bela.

Entre cafés, papéis e um moletom vemos a pureza de um relacionamento intenso e verdadeiro. Nesta curta história conheceremos dois jovens que não querem mais reprimir seus sentimentos e só desejam externar o seu amor em público e mostrar o quanto estão felizes juntos. Dentro de uma sociedade preconceituosa isso é quase impossível, uma grande injustiça que deve ser exterminada JÁ. Eu que não gosto muito de livros açucarados, confesso que amei tudo que li aqui. Diria até que a história é açucarada na medida certa. Não deixe de conhecer esse romance encantador!

site: http://resenhandosonhos.com/moletom-julio-azevedo/
comentários(0)comente



Duda - @dudabooks 17/03/2018

#ResenhasDudaBooks | MOLETOM
"Às vezes a vida nos afoga, e tudo que precisamos é de uma mão para nos puxar para fora do mar."

Após ter uma discussão com seus pais sobre sua sexualidade, Pedro decide passar um tempo na casa de sua tia. Agora, em uma nova cidade, ele precisará lidar com seus sentimentos presos e se recompor. Seria ele capaz de se reencontrar, mesmo estando tão distante em relação às pazes com a família?

Em uma parada na cafeteria, Pedro conhece Lucas, o barman. Foi a partir de muito bate-papo e desenhos, que ali nasceu uma grande amizade. Ao perceberem que têm várias coisas em comum, uma simples amizade poderia estar virando algo mais sério. Mas será que o sentimento é mútuo? Será que Pedro se abrirá ao rapaz, mesmo enfrentando uma fase difícil de sua vida.

Diante de uma escrita cativante, o autor conseguiu entrar na vibe Sessão da Tarde e desenvolver uma curta estória com muitos sentimentos envolvidos.

As ilustrações não deixaram a desejar! Cada uma mais linda que a outra! Mesmo o livro tendo muito potencial, não consegui me apaixonar totalmente por ele, porém, uma grande lição de aceitação será dada à nós, leitores.

Recomendo para amantes de romance LGBT, para quem está necessitando de um livro curtinho e para quem deseja, ou não, sair de uma ressaca literária.
comentários(0)comente



spoiler visualizar
comentários(0)comente



spoiler visualizar
comentários(0)comente



Malucas Por Romances 11/01/2018

Faltou páginas
Oie gente! Hoje vou falar desse livro amorzinho que estava de olho desde quando vi essa capa super fofa. Se você gosta de uma leitura rápida e romances LGBT vem comigo nessa resenha, e se ainda não leu nenhum livro com esse tema não pode deixar de conferir a resenha, te garanto que esse livro vai entrar para sua lista de compras.

" Eu sei que já deve ser de conhecimento geral, mas vale a pena lembrar um fato importante: a vida não é um mar de rosas quando você é parte de uma minora, e isso faz com que muitos de nós se prenda numa bolha de sentimentos negativos."

Moletom é um livro de Julio Azevedo que tem uma página facebook com o mesmo nome onde posta animações lindas e é lançamento da Globo Alt. O livro chegou aqui com um kit lindo disponibilizado pela editora e comecei a leitura sem nenhuma pretensão e quando vi já tinha terminado o livro e querendo muito mais.

Comecei o livro pensando em só vou ler esse capítulo e já vou dormir e quando fui ver já estava na metade. O livro é fininho e tem poucas páginas, então vai ser uma leitura que vai passar voando. O tema do livro é um romance LGBT que eu adoro e curto muito ler. Esse ano que passou li vários livros com esse tema e já li dois que foram lançado pela editora, que foi Moletom e Quinze dias. Moletom é um livro mais rápido e cheio de desenhos e animações. Lindo por dentro e fora.

"O medo de algo não ser recíproco é como uma pedra que prende todas as palavras que queremos dizer no fundo da garganta."

O livro começa com Pedro na casa de sua tia depois de uma briga com o pai. Desolado e muito triste ele sai para colocar seu livro na gráfica e na volta para casa cai uma chuva e ele vai parar dentro de uma cafeteria. Lá ele conhece Lucas o atendente da cafeteria e começa uma grande amizade, só que essa amizade vai crescendo e se transformando em algo mais. Pedro está só de passagem e Lucas tem medo de se assumir. Será que eles vão ter futuros juntos? Isso você só vai descobrir no final da leitura rsrs.


Resenha completa no blog

site: https://malucaspor-romances.blogspot.com.br/2018/01/resenha-moletom-julio-azevedo.html
comentários(0)comente



Neylane @livrerias 09/11/2018

só não é 5 ? porque acaba rápido demais
Infelizmente. O Julio escreve super bem, os desenhos são uma graça e a poesia das palavras dele é linda, mas eu queria mais, juro que não é birra!

O livro é bem curtinho e dá pra ler de uma vez, o que é bem legal, mas deixa a gente querendo muito mais. Eu terminei o livro querendo conhecer mais o Pedro e o Lucas, saber mais sobre o romance deles, mais sobre os outros personagens, eu senti que tinha tanta história ali que podia ser contada...

Mas isso não tira o mérito do livro, de jeito nenhum. A escrita me surpreendeu bastante e acho que a capa não faz jus ao livro porque quem vê acha que é só mais um romance adolescente, e eu achei que foi muito mais.
comentários(0)comente



Mari Siqueira 30/12/2017

Fofo, sensível e repleto de ilustrações lindas, Moletom é o tipo de leitura que aquece o coração num dia frio. Sem trazer um enredo muito complexo ou grandes reviravoltas, Julio Azevedo narra uma história como quem compartilha uma memória da juventude e nos conquista justamente por ser tão real quanto um dos amores que já vivemos.



Pedro está tentando encontrar a si mesmo enquanto foge de uma vida que não o compreende. Sonhando ser escritor, o jovem se vê escrevendo o próximo capítulo de sua própria história quando faz um amigo que poderá ajudá-lo a terminar seu livro. Essa amizade cheia de sentimento e compreensão é tão pura e espontânea que cada um dos rapazes não percebe o quanto passam a significar um para o outro.



Os traços característicos de Julio Azevedo tornam a obra completa e complementam o texto com doçura, refletindo sentimento. Moletom não traz uma história de amor épica ou um grande drama capaz de destruir corações, pelo contrário, é um dos nossos tão conhecidos amores de verão - apesar de não se passar especificamente no verão, ok? É um daqueles romances que tem prazo de validade mas marcam nossa vida para sempre.



Se apaixonar nem que seja passageiramente é sentir a plenitude de estar vivo e mesmo que esse amor nos machuque depois do fim, a lembrança da felicidade permanecerá intocada. De momentos especiais é composta a nossa vida, ilustrações mentais de tudo o que conhecemos, cada uma delas única e imcomparável. Moletom é o retrato de uma bela história que pedia para ser contada com palavras e desenhos mas, acima de tudo, amor.



"- Você já ouviu falar na palavra kaukokaipuu?

Confessei que mesmo trabalhando com palavras e sendo um velho amigo delas, nunca tinha ouvido essa antes. Voltando a olhar para o céu acima de nós, ele respondeu:

- Bem é um sentimento complexo. Na verdade, é uma palavra finlandesa que nem tem tradução para o português. É tipo quando você sente falta de um lugar que nunca visitou. Kaukokaipuu é tipo aquela sensação de ser um velho amigo de alguém que você acabou de conhecer. Pode parecer bizarro, mas é assim que eu me sinto em relação a você." (p. 57)

site: http://sobreamorelivros.blogspot.com
Jessica.Carcanha 01/01/2018minha estante
undefined




Bruno 08/08/2018

Moletom, um romance bem quentinho!
____________________________________________________
Moletom é um romance LGBT lançado em 2017 pela Globo Alt.
Nele acompanhamos Pedro, um jovem quadrinista, que foge de casa após um desentendimento com os pais, e vai passar uns dias na casa da tia.
Em um dia chuvoso, Pedro entra em um café, e é lá que ele conhece Lucas, um menino que vai mexer com seu coração.
________________________________________

ESSE LIVRO É UMA FUFURINHA.
Moletom é aquele livro, que você lê em uma tacada só. A história flui como água, e logo nas primeiras páginas você já se afeiçoa com o personagem.
Júlio Azevedo mistura com maestria desenho com o texto em si, eu amava todas as partes em quadrinhos, e o traço é tão lindo.
O livro é dividido em três partes, e a parte narrada pelo Lucas é a minha favorita, pra falar a verdade Lucas é o meu personagem favorito. Um garoto que ama as plantas, acredita em superstições e ainda é um amorzinho, quem não amaria?
O livro além de ser um romance fofo, traz mensagens de aceitação e auto estima.

"Às vezes a vida nos afoga, e tudo o que precisamos é de uma mão para nos puxar pra fora do mar"

___________________________________________________
comentários(0)comente



Fábbio - @omeninoquele 22/04/2018

Livro fofo
"Eu sei que já deve ser de conhecimento geral, mas vale a pena lembrar um fato importante: a vida não é um mar de rosas quando voce é parte de uma minoria, e isso faz com que muitos de nós se prenda numa bolha de sentimentos negativos."
??
Pedro está passando por dificuldades em casa por conta de sua sexualidade, e então decide mudar-se para a casa da sua tia, numa outra cidade pra dar um tempo e pensar ou até mesmo esquecer os problemas que vem tendo com seus pais.
??
Mal sabe Pedro, que por mais que tentamos escapar dos nossos problemas, eles na verdade estão com a gente, e nos acompanham aonde quer que vamos, até nós resolvê-los.
??
E é isso que acontece com o Pedro, muda para casa da tia, na tentativa de esquecer as coisas, mas não pode seguir em frente, sem resolver seu impasse em casa. Pedro é um garoto inseguro e quando conhece Lucas em uma cafeteria, os dois começam a ficar mais íntimo e logo se apaixonam.
??
Os dois se completam e se conhecerem naquela cafeteria era algo do destino, tudo que os dois precisavam um no outro eles encontraram. Mas o que construíram em pouco tempo, estava com o tempo contado, porque Pedro, uma hora ou outra teria que voltar pra casa e resolver suas questões familiares.
??
Um livro lindo, fofo e cheio de clichês, mas que cumpre sua fidelidade que é a de passar a mensagem clara e simples de que não adianta fugir do problema, o negócio é resolver e partir pra outra.
??
A narrativa é dividida em três partes, o Eu, Ele e Nós. O livro é uma mescla de prosa e quadrinhos, e enquanto conhecemos a trajetória de Pedro nos desafios da sua vida, nos deliciamos com um livro cheio de coragem e um tanto poético, que enche os olhos e o coração dos leitores.
??
"As vezes a vida nos afoga, e tudo que precisamos é de uma mão para nos puxar para fora do mar"
??
"Esquece mais moletons por aí, quem sabe outros corações ficam tão coloridos quanto o meu ficou."
??
#Moletom #GloboAlt
comentários(0)comente



Day 11/05/2019

Um moletom para o coração do leitor
Moletom, de Julio Azevedo é um livro que mistura graciosamente quadrinho e romance.
O amor esta nas páginas, assim como o medo, a amizade, juventude e algo mais que é impossível descrever.
E quando o moletom vira personagem, nossos corações relembram o "moletom" que nos aqueceu o coração e, talvezn lembre de sabores amargos que as lembranças carregam.
Talvez, um dia, eu encontre o moletom que alguém vai esquecer e que me dará o mesmo medo que o protagonista sentiu.
Se um dia isto ocorrer, então farei o mesmo pedido que ele.
comentários(0)comente



Cesar vieira 04/04/2018

Aquele livro que aquece o coração ?
Esse livro é muito fofo te?m uma história muito gostosa o que faz você perder a noção de estar lendo,Quando você vê já acabou eu peguei o livro Sem saber nada da história e achei incrível!!!Mega recomendado!
Não posso esquecer que tem ilustrações fabulosas? aquelas que dá vontade de tirar foto e postar em todos os lugares ?
comentários(0)comente



Kelly 12/08/2018

Nesse romance sensível e poético, vamos acompanhar alguns dias da vida de Pedro e Lucas, uma casal cativante e tocante de todas as formas.

Pedro acabou de chegar na casa da sua tia, saiu de casa tentando deixar os problemas para trás mesmo sabendo que uma hora será inevitável encará-los, mas naquele momento ele só queria paz. E assim os dias vão correndo até o momento em que o caminho do nosso protagonista cruza com o de Lucas, um barmen simpático de uma cafeteria.

Quando Pedro entrou naquela cafeteria, descabelado e ansioso por café, Lucas só conseguiu imaginar o quão doido e irreverente era aquele rapaz, e de uma tarde despretensiosa nasce a amizade, e da amizade, nasce o amor. Um amor com prazo de validade, já que Pedro voltaria para casa em algum momento, mas nem por isso menos intenso e apaixonante.

"Às vezes a vida nos afoga, e tudo que precisamos é de uma mão para nos puxar para fora do mar."

Moletom é um romance poético que abrange um tema muito debatido na atualidade, não só por ser GLBT, além da sexualidade dos nossos personagens, seus dramas pessoais, são assuntos fortes. Convívio com a família, aceitação própria e do próximo, auto estima e amor.

Algumas coisas são deixadas de fora da trama, como onde Pedro está? Quantos anos Pedro tem? É como se autor quisesse passar a ideia de que não importa, não importa onde você esteja ou quantos ano você tenha, preconceito e amor são coisas que estão presentes em todos os lugares e em todas as idades. Mas apesar de tudo isso senti falta de algumas explicações e acho que o livro poderia ter tido mais páginas, não só porque a história é linda e merecia mais, mas porque nós também merecíamos um pouco mais desse casal.

O livro parece incompleto, apesar de poético os personagens são rasos, e a falta de algumas explicações deixa o leitor com um gigantesco sinal de interrogação após a leitura, apesar das informações serem facilmente imagináveis, eu gostaria que tivessem sido explicadas, e acima de tudo gostaria que tivesse durado mais.

Um livro leve, com uma narrativa em primeira pessoa, com capítulos intercalados entre Pedro e Lucas, uma escrita poética que com a ajuda das ilustrações de Azevedo me prenderam do começo ao fim. Uma leitura de horas com um contexto que permanecerá por anos.

Se você gosta de leituras que abrangem temas polêmicos e que estão atualmente em debates, gosta de leituras LGBT e gosta de poesia, em Moletom você encontrará tudo isso e mais um pouco.

O livro é apenas uma mostra da arte do autor que já vem sendo apresentada nas redes sociais. Julio desde cedo faz ilustrações e poemas que utiliza para expor seus sentimentos, e a sua arte se encontra disponível em suas redes sociais, abaixo vou deixar os links para que possam conhecer um pouco mais desse artista incrível.


site: http://www.paraisodasideias.com
comentários(0)comente



Fernanda 31/01/2018

Moletom
Resenha no blog:

http://www.segredosemlivros.com/2018/01/resenha-moletom-julio-azevedo-globo-alt.html

site: http://www.segredosemlivros.com/2018/01/resenha-moletom-julio-azevedo-globo-alt.html
comentários(0)comente



33 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2 | 3