Ensina-me a Amar

Ensina-me a Amar Raíssa Nantes




Resenhas - Ensina-me a Amar


6 encontrados | exibindo 1 a 6


Laíssa Lima 26/03/2020

Menos o final
O livro é bem escrito, os diálogos são maravilhosos. As cenas sensuais dão um friozinho na barriga, me senti encantada pelo duque e pela Keira.
Só que não gostei do final, achei corrido e meio sem graça.
Recomendo a leitura. ?
comentários(0)comente



Ler é Literário 05/10/2018

Olá literários e pessoas apaixonadas por livros!!!
Tudo bem com vocês??

Pois é, novamente aquela leve desaparecida e como vocês já sabem: faculdade, agora PIBID e blá, blá... Que não vou retornar a falar aqui no blog para justificar o sumiço, mas a gente volta no começo do mês logo de cara e falando de livro de autora parceira aqui no blog 🤗

"Tinha de ficar longe daquela mulher... ou o pouco de sanidade que ainda lhe restava seria massacrada por aquele delicioso perfume [...]."

Ensina-me a Amar é um livro que traz seus personagens inspirados em uma das mais famosas óperas, "O Fantasma da Ópera", escrito pela nossa autora parceira Raíssa Nantes e lançado de forma independente. É uma história que chega a lhe prender do início ao fim da mesma 📖

"Não se aventure por Caradon, há mais fantasmas entre estas paredes do que possa imaginar."

Keira Kress é uma jovem londrina, considerada já uma solteirona por sua idade avançada e por recusar todos os pretendentes que aparecem atrás de conseguir sua mão e por ventura seu dote. Apesar do que a sociedade diz sobre ela, a mesma não se importa com nada disso e nem com as convenções que a cercam porém sua mãe não desiste de arranjar-lhe pretendentes e a mesma a contraria sempre por recusá-los.

"Aos vinte e seis anos você prefere ficar com a cara enfiada nesses livros contábeis, lendo sobre física e filosofia..."

Apesar das complicações com a mãe, Keira fora sempre criada pelo seu pai para ser uma garota inteligente e independente de si mesma. A mesma tornou-se uma jovem muito apta com os números e sabe fazer a contabilidade de uma propriedade excepcionalmente, ajudando até mesmo sua família.

"- Meu pai me criou para ser uma mulher sensata."

Quando seu pai acaba caindo doente, a mesma se ver tendo que fazer uma viagem com sua família para a propriedade de Caradon para que a saúde de seu pai tão amado seja recuperada. Porém, Caradon esconde muitos segredos que despertarão a curiosidade e espírito investigativo de uma certa jovem.

"Talvez houvesse algo mais naquilo tudo, mas deixaria para pensar sobre essa parte quando fosse à hora."

Anthony Thorton, o duque de Caradon é um homem com seus próprios fantasmas e que guarda inúmeros mistérios dentro de si. Por anos viveu recluso em sua propriedade, mas uma carta com o pedido de um amigo acaba por interferir em sua solidão e faz com que tenha que abrir as portas de sua casa para receber os convidados que não esperava.

"Voltando os olhos para as janelas, algo muito maior se assomou sobre o telhado chamando-lhe a atenção. Ao lado de uma imensa gárgula, observando sinistramente os recém chegados, havia um homem, cuja negra capa que vestia ondulava ao seu redor como as asas de um corvo."

Anthony, terá que lidar com pessoas rodando sua propriedade e talvez com isso seus dias de solidão agora estejam contatos com o surgimento da bela jovem Srta. Kress.

[...]

LEIA MAIS DA RESENHA NO BLOG

site: https://lereliterario.blogspot.com/2018/10/resenha-58-ensina-me-amar.html
comentários(0)comente



spoiler visualizar
comentários(0)comente



Diana 18/12/2017

Uma Linda História de Amor!
Inglaterra, 1825. Apesar de não terem título de nobreza, os Kress são uma das famílias mais ricas de Londres. Isso torna sua filha Keira uma das jovens casadouras mais disputadas da cidade, principalmente por nobres falidos que que não têm como sustentar os luxos a que estão acostumados como o marquês de Castlebury. Mas se engana quem pensa que Keira é uma jovem boba e impressionável. Ao contrário, ela é uma jovem à frente de seu tempo.
Intelectual e dona de uma grande aptidão com os números, Keira cuida das finanças de seu pai e não está muito inclinada a casamento; o que ela gostaria mesmo é de administrar a própria vida. Mas o sr. Kress, pai de Keira, está doente dos pulmões e os médicos o aconselham a ir a um lugar com o ar mais limpo (menos poluído) para que possa se recuperar mais facilmente. É aí que entra o duque de Caradon que, apesar da vida recruza que leva, por amizade ao irmão de Keira, convida os pais dela a passarem uma temporada em sua propriedade na Cornualha. Mas há um detalhe. O duque não quer nenhum tipo de relação social.
Gravemente marcado pela guerra e viúvo, Antony, o duque de Caradon, acha que todos o rejeitam por sua aparência e carrega consigo a culpa do suicídio de sua esposa. Apesar de formarem um casal improvável, uma moça que não pensa em casamento e um duque profundamente marcado pela dor, ambos sentem uma irresistível atração na primeira vez em que se veem, mesmo à distância. Será que Keira e Antony conseguirão interagir, apesar do distanciamento inicial dele, e aprender a amar um ao outro? Que mistério guarda a mansão Caradon?
“Ensina-me a Amar” é um lindo romance de época com vários ingredientes interessantes para quem, como eu, ama esse gênero literário, tais como uma mocinha inteligente, que sabe o que quer, e um duque que, apesar das marcas do corpo e da cegueira de um olho (quem conhece os meus livros sabe o quanto eu AMO personagens com deficiência), sabe ser charmoso e sedutor.
Com uma trama instigante, personagens principais e secundários apaixonantes (como o sr. Kress, Marge, Henry, Laura e o vigário) e outros que vão lhe despertar raiva (como Anne, Castlebury e Santini), “Ensina-me a Amar” traz cenas de amor quentes e poéticas e um mistério a ser desvendado que conquistam o leitor da primeira à última página.
Com uma escrita fluída e bem elaborada, a escritora Raíssa Nantes nos brinda com um romance envolvente que mexe com nossas emoções e nos faz viajar no tempo para acompanhar Keira em sua apaixonante jornada por Caradon. “Ensina-me a Amar” é uma boa pedida para todos aqueles que gostam de romances de época com um toque de mistério. Recomendo!

E você? Já leu? Conta-me o que achou?


Abraços,
Diana Scarpine.

site: http://dianascarpine.blogspot.com.br/
comentários(0)comente



Silvia.Souza 02/12/2017

Amei!!!
Amei... O enredo é ótimo e os personagens são maravilhosos... Adoro personagens como a Keira, forte, determinada e decidida, sem as frescuras que tanto encontramos em muitas histórias... E melhor, uma história sem os clichês que me cansam tanto... Apenas sugiro uma revisão, porém super recomendo a leitura!!!
comentários(0)comente



Rose 06/11/2017

Keira Kress é uma moça de 26 anos muito inteligente que deseja para si muito mais que apenas um casamento por conveniência. Filha de um promissor burguês com uma frívola filha de um baronete quase falido.
Anne, mãe de Keira ainda sonhava em voltar para a nobreza através de um bom casamento da filha, e não se importava que o genro fosse um nobre falido. Aliás, graças ao vultuoso dote de Keira, eram justamente estes nobres falidos que mais faziam fila em sua porta, e o pior é que nem disfarçavam seus reais interesses. Prova disso era a insistência de Castlebury em casar-se com ela, mesmo diante de todas as recusas que ela deu.
Para Castlebury, Keira era seu passaporte para sair da falência e continuar com a vida perdulária que estava acostumado. Ele contava inclusive, com o apoio da mãe de Keira, o que era motivo de muitas brigas entre as duas.
O pai de Keira, John Kress, não compartilhava das mesmas ideias da esposa, mas estava muito doente dos pulmões e precisava de sossego e de um ar mais saudável do que o encontrado em Londres. Por conta disso, James, irmão de Keira, entrou em contato com seu amigo, o duque de Caradon. Os dois que estiverem juntos na Batalha de Warteloo, acabaram desenvolvendo uma boa amizade, mesmo que não se vissem constantemente.
Não só por morarem em locais bem diferente, pois o duque morava em Cornualha, mas principalmente porque depois que voltou da guerra, Anthony, o então duque de Caradon, mudou completamente seu estilo de vida. Por conta de seus ferimentos de guerra, e pela tragédia vivida com sua esposa, ele acabou tornando-se um recluso, não recebendo nenhum tipo de visita, ou mesmo fazendo uma a alguém.

De última hora Keira acabou indo junto com o pai e a mãe para Cornualha atendendo a um pedido do pai e também para escapar do assédio de Castlebury.
Apesar de conhecer os inúmeros comentários que haviam sobre o duque e de sua residência, ela não estava preparada para o que encontrou. Uma casa abandonada que só não estava pior por conta da lealdade de alguns funcionários.
Justamente ela que não tinha nenhuma ilusão de ter algum contato com o duque, acabou conhecendo-o de uma forma inusitada. E não só conhecendo como também conseguindo um contato que há muito tempo Anthony não tinha, a não ser com seus empregados.
Keira e Anthony acabaram desenvolvendo uma certa amizade, e com a língua afiada que possuía, Keira não se furtou de apontar as falhas inaceitáveis do duque, como por exemplo, deixar a casa abandonada do jeito que estava e pior, sobrecarregar seus empregados, sem lhe dar o devido valor.
Anthony que não estava acostumado a ser confrontado, acabou dando carta branca para que Keira fizesse o que achasse necessário, não só para uma melhor estadia sua e de seus pais, como também para melhorar a situação de seus empregados.

E não foram apenas estas mudanças que Keira acabou influenciando,pois Anthony acabou percebendo que precisava interagir com a família dela. Com isso, ele acabou recebendo um bom conselho de John, visto que ele estava com alguns problemas em sua contabilidade. Sabendo da inteligência e capacidade de sua filha, John não pensou duas vezes em aconselhar Anthony de pedir ajuda a sua filha.
Pedido feito e aceito, as interações entre Keira e Anthony aumentaram consideravelmente, o que acabou fazendo com que uma amizade e admiração mútua nascesse entre eles. O que levou a mudanças ainda mais profundas em Anthony, que começou a perceber como foi fraco durante estes anos todos em que deixou de viver. Como duque, não era apenas a vida dele que estava em suspensão, mas todos que viviam sob seu ducado. Seus colonos estavam largados a míngua, e Keira não se absteve de mostrar esta grande falta de responsabilidade. Assim como não deixou de alertar sobre a precaridade financeira do duque. Mesmo não tendo uma vida de desperdícios e jogatina, Anthony não estava financeiramente bem como imaginava. O pior ainda eram as suspeitas que Keira tinha para os motivos disso. Para ela, o causador deste rombo financeiro era um homem de confiança não só do duque, como também do falecido pai dele. Um homem muito influente na região, do qual seria complicado não só provar alguma coisa, como também fazer algo. Fora isso, Keira ainda suspeitava que a morte da esposa de Anthony estava intimamente ligada ao desfalque.

O mais engraçado de tudo isso, é que para confirmar suas suspeitas, Keira contava não só com seu cérebro, como também com algumas dicas da falecida mulher. Antes de levantar qualquer suspeita a cerca destas sérias desconfianças, Keira precisaria de provas. Infelizmente, uma pessoa que parecia saber de tudo o que pode ter acontecido, recusava-se a falar qualquer coisa.
A única coisa realmente boa diante de tantos problemas, é o fato de Keira e Anthony estarem mais perto do que nunca. Mas até isso começa a ser ameaçado quando Castlebury chega a Cornualha atrás de sua "noiva". Lógico que tinha dedo da mãe de Keira nisso tudo, o que gerou uma sonora briga e uma resolução inusitada de John, que tomou uma drástica decisão para proteger a felicidade da filha.
O que ninguém imaginava é que Castlebury estava disposto a tudo para fazer Keira subir ao altar. E para apimentar ainda mais este enredo, junte o fato de Keira está mais próxima das provas que precisava para confirmar suas suspeitas, o que colocava a vida da jovem Laura em perigo iminente e poderia afastar Anthony e Keira, visto que o duque pode não está realmente preparado para as descobertas que tinha pela frente.

Ensina-me a amar é um enredo não só de amor, mas principalmente do resgate da esperança em se viver. Uma história que conquista logo nas primeiras páginas, muito bem construída que não deixa pontas soltas, apesar de eu até querer uma continuação, e que conta com personagens muito bem formados. Até mesmo a fútil mãe da Keira foi bem feita, ganhando minha antipatia. Que mulher sem noção gente!!!! Um livro muito bom para os que gostam de um romance de época, e o melhor disso tudo, é que ele é nacional!!!

site: http://fabricadosconvites.blogspot.com.br
comentários(0)comente



6 encontrados | exibindo 1 a 6