Batgirl na Super Hero High

Batgirl na Super Hero High Lisa Yee




Resenhas -


4 encontrados | exibindo 1 a 4


spoiler visualizar
comentários(0)comente



gabriel 03/05/2018

A Super Hero High, é onde os heróis estudam e aprendem a controlar seus poderes e serem “pessoas” melhores, sempre tentando ajudar ao próximo, mas Barbara Gordon, nossa protagonista apenas trabalha lá dando apoio técnico, é claro, ela é uma gênia de tecnologia e adora desvendar mistérios, e, isso não passou despercebido pela sua melhor amiga Supergirl, que a indicou para estudar lá.

Receber o convite foi à parte fácil, mas convencer seu pai, o Comissário Gordon, deixar é outra historia... Sendo filha única, os dois acabaram tendo uma relação “super protetora”, e ele não quer nem imaginar sua filha lutando com algum vilão, mas Barbara anseia por isso, usar suas habilidades para salvar pessoas... É claro que os dois acabaram entrando em um acordo, e ela pode ir estudar com os mais poderosos heróis da galáxia.

Na escola, Barbara/Batgirl se destaca em praticamente em todas as matérias, menos em educação física, porque digamos correr ao redor da cidade não é uma tarefa fácil como ao redor do ginásio. Mas disciplinas a parte, ela está trilhando um ótimo começo, só que às vezes ela acaba se sobrecarregando pegando muitas atividades para fazer, como por exemplo, ficar com o seu antigo emprego, mesmo que temporário, enquanto tenta acompanhar as matérias atrasadas...

Quando a mídia descobre sobre a nova heroína Batgirl, ela é convidada para participar de um programa de televisão, o TechTalkTV, onde as maiores mentes tecnológicas do mundo competem para descobrir quem é a melhor, e, é claro, Batgirl não irá recusar um desafio desses, ainda mais podendo conhecer pessoas que pensam igual ela - mais ou menos.

Essa é uma parte importante do livro, porque é onde Batgirl basicamente se “joga no mundo”, mostrando seus talentos, mas será que ela irá conseguir vencer? Afinal, não é preciso apenas o apoio dos seus amigos pra isso, mas mostra raciocínio rápido para encontrar soluções para vários desafios – TeamBatgirl.

O livro até aqui está muito bom, mas ainda fica uma sensação que está faltando algo sabe? Ela conseguiu estudar na escola, fez amigos, está participando em programa de tv incrível e, digamos que sua vida está quase perfeita, só que todo herói precisa de um vilão, não acha?

Pois é, o de Batgirl é o Calculator, um mestre da tecnologia que irá criar um vírus que se espalha pelo mundo pela internet, onde seu proposito é causar caos em todos os lugares, digamos que a única pessoa, ou melhor, heroína que pode salvar o mundo é a nossa Batgirl, mas ela está preparada para algo tão grande?

Ps: quase não falei aqui, mas no livro temos bastante a presença dos outros heróis, viu? Como Supergirl, Wonder Woman (e seu romance? Com Steve Trevor), Katanam e Harley, ajudando Batgirl a se ajustar na escola, assim como The Flash, Ciborg e Besat Boy.

Ps2: Essa serie é mais voltada para o publico adolescente, então foi feito uma adaptação dos personagens do mundo dos quadrinhos, então é normal ver vilões como mocinhos por aqui, um exemplo é a própria diretora Amanda e o vice Groot.

“Eu adorei a leveza desse livro, como Barbara conseguiu realizar os seus sonhos, enfrentar os seus medos e encarar seus erros, afinal, é difícil ser o aluno novo, e ainda mais em uma escola de super heróis, você ser o único sem poderes? Poies é ela enfrentou tudo de cabeça erguida, teve suas dúvidas, mas todas apontavam que aquele é o lugar dela, junto dos seus amigos. Ansioso para os próximos volumes.”

site: http://perdidoemlivros.blogspot.com.br/2018/04/resenha-batgirl-na-super-hero-high-lisa.html
comentários(0)comente



Ani 24/03/2018

BatGirl na Super Hero High é o terceiro livro da série DC SuperHeroGirls escrita pela autora Lisa Yee e lançado pela Editora Rocco. Nós já conhecemos a história da Wonder Woman, SuperGirl e agora vamos saber mais sobre a genial Barbara Gordon.
Nossa protagonista sempre foi muito inteligente e sabia tudo sobre tecnologia. Ela trabalhava para a Super Hero High e sempre acompanhava as batalhas dos seus colegas com muito interesse. Depois de muitas conversas, sua melhor amiga – a SuperGirl – percebe que ela é uma ótima candidata à estudar no colégio e a convence a – tentar pelo menos – ingressar na maior escola de super-heróis do mundo.




Essa história se tornou especial para mim pelo simples fato de que Lisa soube criar um enredo onde a personagem está aprendendo sobre o universo dos super-heróis e, principalmente, sobre ela mesma. Barbara não possui nenhum super-poder a não ser o cérebro e a capacidade de se livrar em algumas situações e isso torna o enredo muito mais humano. Além de ter todo o problema de uma adolescente que não se encaixa, Barb ainda tem que lidar com o seu pai – o Comissário Gordon – que é extremamente protetor e morre de medo que algo aconteça com sua filha.

“Seu pai queria muitas coisas para ela. No entanto, ele nunca ouvia o que BatGirl queria para si mesma”

Essa proteção excessiva mais atrapalha do que ajuda, já que por muitas vezes seu pai acaba preferindo mudar de assunto à conversar sobre as evoluções da filha no colégio.
A BatGirl não está preocupada apenas em salvar o mundo, ela quer ser aceita, ela não consegue dizer não, sua ingenuidade acaba fazendo com que os outros abusem da sua boa vontade e isso foi bem trabalhado no livro. Por muitas vezes eu queria aproveitar minha – pouca – experiência e entrar no livro para dar alguns conselhos para ela.




O que eu mais admiro nessa série é a ousadia e a criatividade – porque não genialidade – da autora em criar personagens tão incríveis a partir do pensamento “como seria a vida dela no ensino médio?” é legal ver que esse cuidado se mantendo durante os demais livros. Sobre o prólogo: que sacanagem!!!!! Estou muito ansiosa para o próximo livro da série que é sobre a Katana. A autora disse que foi uma das histórias que ela mais gostou de escrever. Ansiosa para a Rocco trazer o livro para cá.
Sobre a parte gráfica, a editora está de parabéns! Foi mantido o padrão das obras lançadas originalmente só teve uma mudança de “at” para “na” no título e isso não foi problema nenhum. A diagramação é linda e cheia de detalhes, não localizei nenhum erro na tradução. As folhas são amareladas e a fonte é agradável com um ótimo espaçamento. Ou seja, isso ajuda muito a leitura fluir. Vale ressaltar que há um padrão desde o primeiro livro e eles estão sendo mantidos.




Em suma, eu NUNCA fui fã de super-heróis, comecei assistir um filme ou outro para agradar mozão, mas hoje eu sou apaixonada pelo universo criado pela Lisa Yee. Sei que a autora já veio ao Brasil para pesquisar sobre uma personagem e espero que ela volte logo para autografar todos os meus livros. Conhecer a história de uma heroína tão humana me deixou apaixonada. Leitura mais que aconselhada.

“O que os verdadeiros super-heróis têm em comum é a capacidade de tentar mesmo diante de imensas dificuldades”

site: http://www.entrechocolatesemusicas.com/2018/01/batgirl-na-super-hero-high-lisa-yee.html
comentários(0)comente



Auri 31/12/2017

Batgirl na Super Hero High
Batgirl na Super Hero High é o terceiro livro da série DC Super Hero Girls e nos conta a trajetória de Barbara Gordon na famosa escola para heróis. No livro anterior, Barbara ganha destaque ao ser escalada para trabalhar na parte de tecnologia do colégio, ela prestava serviços a Super Hero High e foi muito importante na batalha contra um vilão que tentou dominar a Terra.

Por causa da sua bravura e de sua inteligência que salvou a todos, Barbara - a nossa Batgirl - recebeu a oportunidade de deixar Gotham High para ingressar na Super Hero High. Mas como uma garota "comum" poderia se destacar entre tantos jovens com superpoderes? Essa é uma das inseguranças de Barbara, além do medo constante de seu pai, que relutou para permitir que sua filha estudasse na Super Hero, a garota tem muita disposição para mostrar que é capaz e que merece estar no colégio tanto qualquer outro estudante. É um tanto difícil porque ela acaba sentindo os fatores de não ser uma adolescente com poderes ou com habilidades físicas invejáveis e isso interfere em como ela se enxerga dentro da escola.

Barbara é muito inteligente. Ela sempre foi muito ligada na parte de tecnologia e não é por acaso que o novo professor de Robótica e Ciência da Computação vê na jovem um potencial a ser explorado. Potencial este que já tinha sido reconhecido pela escola, uma vez que ela prestava serviços nessa área. O problema é, como grande parte dos adolescentes e das heroínas dos livros anteriores, Batgirl vive dilemas, tem a aprovação duvidosa de seu pai em relação ao colégio, o desejo de se mostrar capaz. Felizmente ela passa por essa fase com a ajuda de sua melhor amiga Supergirl e do grupo de meninas do bem (apelidei carinhosamente o grupo das heroínas que se importam).

Como em seus antecessores, Batgirl na Super Hero High tem uma diagramação muito boa, cores vibrantes e que chamam atenção do público para o qual está destinado. Também dividido em três partes, segue o mesmo padrão dos anteriores. A jovem é iniciada no colégio, tem os conflitos pessoais e uma batalha pela qual ela passa e tira disso uma lição. Trata-se de uma leitura para o público infanto, com características bem diferentes das personagens que nós que gostamos de quadrinhos estamos acostumados. Contudo, acho uma iniciativa válida para as crianças terem esse contato com essas personagens e de uma maneira mais leve e divertida. O próximo livro da série é com Katana!

site: http://www.detudoumpouquinho.com/2017/12/resenha-batgirl-na-super-hero-high-lisa.html
comentários(0)comente



4 encontrados | exibindo 1 a 4