O Jogo do Amor/"Ódio!"

O Jogo do Amor/"Ódio!" Sally Thorne




Resenhas - O Jogo do Amor e Ódio


53 encontrados | exibindo 46 a 53
1 | 2 | 3 | 4


Amanda Ferreira - @Mandy_itbook 21/03/2018

O jogo do Amor/"Ódio!" - Sally Thorne
{ Sorrio para ele, que sorri em resposta. Fico surpresa pelo fato de as estrelas no céu não explodirem em poeira prateada }

Joshua Templeman e Lucy Hutton simplesmente se odeiam. Eles trabalham juntos na mesma editora e passam o dia todo demostrando como se sentem. Lucy é aquela garota boazinha e extrovertida que todo mundo gosta, e se aproveita. Já Joshua é exatamente o contrário, totalmente metódico e fechado, ninguém gosta dele.

Ambos não veem problema em deixar clara a rivalidade existente através de jogos de provação. E a rotina segue assim diariamente, até o dia em que um beijo acontece. A parti daí, tudo muda. O problema não é apenas a atração gigantesca que surge, mas também o cargo que estão disputando, somente um será promovido.

O jogo do (amor) ódio poderia ser um filme de comédia romântica, daquelas bem engraçadas e gostosas de assistir. Consigo visualizar claramente na minha cabeça, ficaria ótimo!

Com uma narrativa leve e fluida, aos poucos o leitor vai conhecendo melhor os protagonistas. São dois personagens que conquistam, cada um à sua maneira. Josh e Lucy são completamente diferentes um do outro, porém no final das contas combinam muito bem. É adorável acompanhar essa evolução na relação deles.

Leitura indicada para quem procura uma história divertida, com uma pitadinha mais sexy em alguns momentos e rápida de ler, ideal para relaxar.

site: https://www.instagram.com/mandy_itbook/
comentários(0)comente



spoiler visualizar
Cristian 15/03/2018minha estante
Gosto das suas resenhas :)


Luiza 15/03/2018minha estante
Muito obrigada! ??




Rafa 14/03/2018

Nêmesis
Lucy e Joshua se odeiam, um não suporta o outro, e mesmo assim um tem de encarar o outro todos os dias, frente a frente, na empresa em que trabalham.

Lucy é agradável, sorridente, gentil e todos a adoram. Vinda do interior, de uma fazenda de morangos, ela passa a maior parte do tempo trabalhando e odiando seu colega Joshua.

Joshua é insensível, impiedoso, mal humorado e ninguém gosta dele, alias todos têm medo. Vindo de uma familia de médicos, ele passa a maior parte do tempo trabalhando e irritando sua colega Lucy.

Com uma premissa simples, de amor e ódio, uma narrativa fluída e meio maluquinha, vamos nos apaixonando pelo mundinho administrativo desses dois personagem. A historia é toda narrada pelo ponto de vista de Lucy, deixando tudo hilário com seus pensamentos e seu jeito atrapalhado de ser.

A competividade e os jogos entre os dois tornam a leitura mais rápida e você se entretem muito, querendo saber o que esses dois vão aprontar.

Diante de uma promoção, o jogo vai se tornar mais acirrado, valendo tudo.

Eles são tão opostos que parecem ter sido criados um para o outro, se encaixam amplamente. É claro que todo esse ódio e competição vai terminar em um romance e muitas descobertas.

É um romance adulto equilibrado, com humor, amizade, fofura, competição, ódio, amor e descobrimento. Acho que a mensagem é clara, nem tudo é o que parece à primeira vista.

Para todos que curtem uma boa comédia romântica, O Jogo do Amor "Ódio"! é perfeito.

"Olho para sua cadeira vazia, fecho os olhos e sou invadida pelo azul de seu quarto. Estou prestes a perder uma coisa que sequer já tenho."
Pâm 14/03/2018minha estante
Oi você tem ele em pdf oi mobi? Troco por outro da sua escolha, tenho varios. Caso se interessar me manda mensagem.


Rafa 14/03/2018minha estante
Olá, eu só tenho ele em eBook ?


Pâm 15/03/2018minha estante
Ahan
Quer trocar por algum?
Tenho todos que eu li, olha minha lista de lidos e aí a gente combina se você se interessar por algum


Rafa 15/03/2018minha estante
Gostei bastante dele vou manter na minha coleção ?


Pâm 15/03/2018minha estante
Ok




Josy 09/03/2018

Ódio ou Amor? Eis a questão!
Uma história divertida, com momentos bastante pitorescos. Um texto fluido, onde o leitor fica querendo saber qual o próximo conflito dos personagens.
Lucy e Josh, são os protagonistas dessa história, trabalham numa fusão editoras, são assistentes executivos e resolveram que se "odeiam". Esse conflito os levará a momentos, um tanto quanto absurdos. Ele absolutamente metódico, ela totalmente excêntrica e de bem com a vida. Lucy tem dificuldade para entender e derrubar a barreira criada por seu colega de trabalho. É mais seguro odiá-lo, já que ela se dá bem com todos.
Porém, a disputa por uma promoção vai acirrar ainda mais o conflito entre eles.
Acontecimentos alheios as suas vontades surgem, fazendo com que se aproximem...
Para saber o desenrolar desse jogo, só se deixando levar por essa leitura. Diversão garantida!
comentários(0)comente



ELB 22/02/2018

É adorável, envolvente e te arrancará altas risadas.
Lucy Hutton é assistente executiva de Helene Pascal, dona da Gamin Publishing, uma editora que estava em colapso e teve como única solução: se fundir com a Bexley Books, que também estava em decadência. E ambos se uniram para evitar a ruína financeira, os tonando a Bexley & Gamin.

E é aí que Lucy conhece Josh Templeman, assistente executivo do Sr. Bexley. No primeiro dia, Lucy estava decidida a ser simpática e fazer amizade, mas a primeira impressão deixada por Josh selou o destino de ambos em um jogo entre eles.

Todos os dias ambos travam discussões, pressionam um ao outro e fazem uma variação de jogos, como: o Jogo do Espelho; o Jogo dos Recursos Humanos; Jogo do Ódio; o Jogo do Ou Algo Assim. E todos tem o simples objetivo de intimidar o outo e fazê-lo perder.

Mas tudo piora quando são informados que um deles poderá ser promovido a chefe do outro. Com isso, as coias ficam mais tensas, se possível, e eles acabam se beijando no elevador. O que muda completamente a dinâmica entre eles, que tentam descobrir qual jogo jogar em seguida, o do amor ou do ódio.

Ele deixa a coluna ereta na cadeira, mas o canto de sua boca se repuxa. Eu queria poder usar os polegares para puxar sua boca em um sorriso enorme e perturbado. Enquanto a polícia me arrastasse algemada para fora da sala, eu gritaria: “Sorria, seu maldito!”

" Tenho 28 anos e parece que caí pelas rachaduras do céu e do inferno e fui parar no purgatório. Uma sala de aula do jardim da infância. Um hospício."

O que falar da Sally, que acabei de conhecer, mas já considero pacas?
Esse é o primeiro livro da autora, que traz o melhor do gênero Chick Lit.

Essa história é o típico romance gato e rato. Os dois se odeiam desde o começo e trocam farpas entre si, e não perdem uma oportunidade de azucrinar um ao outro, mas conforme o tempo vai passando, eles vão desenvolvendo uma trégua, que passa para amizade e depois romance.

Parece clichê, e sim, é. Mas como eu sempre falo, depende de como o autor desenvolve esse enredo. E Sally não te decepciona em nenhum momento, o relacionamento dos dois se desenvolve lentamente, é muito bem construído, e você sente a veracidade nos sentimentos do casal. Sem falar que a autora incluiu os elementos que são obrigatórios em um Chicklit que amamos ler, principalmente o toque de humor, daquele tipo que chega a ser bobo ou até ridículo, às vezes. Mas durante o livro todo, eu estava com um sorriso nos lábios e meu coração transbordava felicidade.

Lucy é maravilhosa, gostei mais da narração dela do que da de Josh. Ela é simplesmente radiante, não tem como descrever de outra forma: ela é doce, gentil, engraçada. Enquanto Josh é arrogante, irritante e cruel às vezes, mas ele te pega. Não sei como, mas no decorrer do livro, você se pega o adorando. E o jogo entre eles é fantástico, as respostas são espirituosas e divertidas, a maneira como cada um conseguia pressionar os limites um do outro, era mais do que bem escrita. Não posso deixar de citar a tensão sexual que se vai construindo entre e eles, as provocações com um tom sexy. Tãooooo

site: http://www.everylittlebook.com.br/2018/02/resenhao-jogo-do-amor-e-odio-sally.html?showComment=1519304124808#c6054223401241766020
comentários(0)comente



Lisse 14/02/2018

Odiar é desgastante
Gamins e Bexley acabaram de se unir. E não pense que são duas pessoas, não não, são duas empresas editoriais que estavam á beira da falência e nos últimos minutos do segundo tempo conseguiram entrar em um acordo e se unir, trazendo á vida Bexley & Gamin. Agora com duas pessoas tomando á frente e dia após dia tentando sobreviver, é assim que Lucinda e Joshua precisam se aturar.

Ambos são assistentes executivos dos donos da companhia. Lucinda adora sua chefe, Helene; e Joshua é o ombro direito do Sr. Bexley, a quem Lucinda dá um apelido super carinho (você terá que ler para descobrir, ok?  ); e eles passam todo santo dia um de frente para o outro se aturando, tentando ser melhor que o outro e com muitas farpas no meio disso tudo.

Quote: "Sentado á minha frente está o assistente executivo do senhor Bexley. Seu capanga e servo. A segunda coisa, a coisa mais essencial que qualquer pessoa precisa saber a meu respeito é: eu odeio Joshua Templeman."

Lucy é a personagem mais engraçada que eu já tive o prazer de conhecer, e olha que com certeza assim como eu, você também já deve ter lido vários livros com protagonista divertidas; mas Lucy está em um patamar tão alto que é difícil superá-la. Ela não tem vergonha de muitas coisas a não ser onde foi criada, é totalmente sem filtro e tem uma personalidade que é difícil não querer tê-la como amiga. 

Quote: "Aqui está um fato: odiar alguém é desgastante."

Mas Lucy tem essa coisa de odiar Joshua por vários motivos e a principal foi a fusão das empresas e como toda dinâmica mudou e sua melhor amiga perdeu o emprego e agora ela está sozinha nesse barco, então restou apenas odiá-lo com todas as forças. 

Joshua é meticuloso com seu trabalho, suas roupas e seu jeito de ser e até de fazer suas anotações, coisa que Lucy observa atentamente. Ele também não é muito falante e não permite que Lucy o tire do sério, mas o fato é que ela sempre tenta fazer. No entanto, Josh é muito rápido e sagaz, deixando a interação deles ainda mais divertida. 

Quote: "É isso que você pensa que nós dois fazemos? Flertar? Moranguinho, se nós dois estivéssemos flertando, você saberia."

Teve momentos em que o jeito comedido do Josh me fez querer bater na cabeça dele, mas a dinâmica não demora muito a mudar. Os verdadeiros sentimentos da Lucy ficam logo claros e de um jeito muito bem feito pela autora esses personagens tornam-se tão especiais para mim, e também um para o outro, que eu estava como uma louca líder de torcida esperando pela próxima interação. E vou confessar que já faz muito MUITO tempo que não me sinto assim. 

Quote: " - Onde fica o jogo de dardos com a minha cara bem no centro do alvo?
- Fica no quarto de visitas."

Ir descobrindo um pouco mais da Lucy em cada capítulo me deixou com a sensação de realmente conhecê-la. Em como o pai dela fala do Josh de um jeito engraçado, ou o modo como Lucy e a mãe tem um relacionamento tão achegado, além das inseguranças da protagonista sobre perder o trabalho e o que fazer se isso acontecer a tornaram muito humana me fazendo querer consolar, rir, chorar ou apenas estar ao lado dela.

Já o Josh, UAU, um perfeito cavalheiro. Nenhuma de suas atitudes foram demasiadas ou inferiores, apenas na medida certa. Com seus próprios dissabores, ele é um personagem que também tem uma história para contar e que vamos entendendo pouco a pouco porque a personalidade dele não é extrovertida. Mas em nenhum momento quis que ele fosse diferente; era perfeito com seu jeitinho. Acho que fiquei um pouco apaixonada...

Quote: "Se eu achava que era viciada antes, o vício não passava de um enorme eufemismo. Quero ter uma overdose de Joshua."

Li essa história em 1 dia. 1 DIA! E ainda não acredito, afinal esse livro tem 400 páginas, mas a história é tão fluída, engraçada e dinâmica narrada em primeira pessoa pela Lucy que não notei as páginas voando. Sally Thorne fez um excelente trabalho em me deixar ligada e desesperada por mais páginas e muito mais da química explosiva de Lucy & Josh. 

Não sei se meu trabalho aqui ficou bem feito em persuadir você a ler O Jogo do Amor/Ódio, mas lembre que já estou indo reler e não é qualquer livro que me faz não querer fechá-lo e voltar para a primeira página. 
Isis 15/02/2018minha estante
Essa resenha me fez ter vontade de ler *_*


Lisse 15/02/2018minha estante
Vc deveria ler, é muito fofo


Isis 15/02/2018minha estante
Deixa eu te entregar a remessa desse ano e pego mais haha




Fabi | @psamoleitura 14/02/2018

{resenha no blog PS Amo Leitura}
Quando você trabalha com o que gosta é uma sensação maravilhosa, não é mesmo? Mas imagina ter que olhar todo dia para uma pessoa que você não suporta e pior: essa pessoa trabalha na mesa de frente a sua! É o eterno dilema entre Lucy Hutton e Joshua Templeman.

Lucy sempre sonhou em trabalhar em uma editora. Joshua trabalhava em uma editora concorrente. Mas com os grandes acontecimentos, houve uma fusão. Alguns funcionários foram mandados embora; outros permaneceram com o emprego. E foi assim que eles se conheceram e começaram a trabalhar juntos.

Eles realmente se odeiam! E deixam isso explícito por conta do humor, das respostas atravessadas, dos olhares de ódio, de senhas de computadores... e tudo vai agravando quando uma nova vaga aparece no departamento. Ambos irão concorrer essa promoção e o ódio cresce ainda mais!

Será que todo esse ódio correndo em suas veias poderia ser amor? Lucy acha que isso é impossível. Como ela seria capaz de amar um homem como Joshua? Ele é lindo, mas seu jeito de ser a incomoda completamente e é através de umas brincadeiras entre eles que ela descobrirá quem ele realmente é.

Há uma possibilidade de uma promoção. Lucy está confusa em relação aos seus sentimentos. O que será que ele pensa a respeito dela? Mas ela não deixará que nada, nem mesmo ele, atrapalha seus jogos e sua disputa para essa promoção. Afinal, como tudo isso irá acabar?

O jogo do amor/ódio" é um livro fofo, engraçado e completamente clichê. Desde o começo você já imagina como tudo irá acabar e conforme a história vai desenrolando, você tem certeza! Mas isso não impediu de ser uma boa leitura e uma boa distração.

Os personagens do livro são completamente carismáticos e mesmo eles se odiando o tempo todo, você é conquistada por ambos. Impossível não rir de Lucy descrevendo seu ódio por Joshua, assim como é impossível não rir de Joshua tentando passar a perna nela para ganhar essa promoção.

Aliás, tudo isso mostra uma grande realidade, não é mesmo? Muitas vezes temos que trabalhar com pessoas das quais não gostamos ou até mesmo viver por situações complicadas por conta do trabalho. E acho que foi isso que me conquistou ainda mais neste livro, além da escrita maravilhosa da autora.

Há cenas sexys no livro e isso realmente me incomoda em qualquer história. Então, aqui vai mais um ponto: o livro gira em torno do ódio entre os personagens e a promoção. Ok. E essa disputa foi acontecendo no decorrer dos capítulos, porém, a explicação final foi dada na última página.

Exceto isso, Sally Thorne tem uma escrita simples, leve, descontraída e cativante. O livro é narrado no ponto de vista de Lucy e pode ter certeza: a diversão é garantida com ela e seu ódio mortal pelo personagem.

site: http://psamoleitura.blogspot.com.br/2018/02/resenha-o-jogo-do-amorodio.html
comentários(0)comente



Lekatopia 03/12/2017

O jogo mais divertido do ano
Vamos começar de trás para frente. Eu adorei. Depois de alguns chick lits desapontadores, Sally Thorne e sua estréia, O Jogo do Amor/Ódio, me lembraram porque eu ainda amo esse gênero: é leve, é engraçado, é fofo e não tem medo de ser ridículo (ridículo pode ser bom, crianças). Obrigada, Sally, sua linda.

A sinopse é bem auto descritiva: Lucy e Josh trabalham juntos em uma editora e se odeiam, o que eles não têm vergonha de demonstrar com uma série de comportamentos inapropriados capaz de envergonhar qualquer RH. Lucy é excêntrica, gentil e tem consideração demais pelos sentimentos alheios (leia-se: todo mundo passa por cima dela). Josh é metódico, arrogante e tem consideração de menos pelos sentimentos alheios (leia-se: é um babaca odiado por 95% do escritório). Eles são igualmente eficientes, mas opostos, forçados a trabalhar um na frente de outro para os dois CEOs de uma editora. O anúncio de uma promoção acirra a guerra entre os dois, mas alguns acontecimentos inesperados podem revelar que as aparências enganam e fazê-los questionar se, de fato, eles se odeiam tanto assim.

Pausa para eu dizer que não tem nada que eu goste mais do que diálogos rápidos e sarcásticos entre dois nêmeses que a gente torce para ver juntos. Culpo Orgulho e Preconceito por essa preferência cultivada ao longo dos meus anos de leitura e posso dizer que, nesta frente, O Jogo do Amor/Ódio não decepciona.

É uma leitura leve e rápida, apesar das 400 páginas, além de muito divertida. Eu ri alto e dei sorrisos involuntários por diversas vezes. Perfeito para você levar para praia nas férias e se distrair.

Ainda assim, há alguns pontos que para mim separam essa leitura de algo muito bom e altamente recomendado para fãs do gênero (o que ela é) de algo quase impecável (o que faltou um pouco para ser): pouco desenvolvimento das personagens secundárias, lapso temporal curto para tudo o que acontece (as coisas me pareceram intensas demais para ter ocorrido em duas ou três semanas) e uma mudança de comportamento muito radical de uma das personagens – acho que não tinha problema admitir que simplesmente estamos falando de alguém que não é tão legal assim (afinal, essas pessoas também se apaixonam) ao invés de dar camadas de fofura cobertas em açúcar para a personagem. Para um romance de estréia, porém, Sally Thorne demonstra muito potencial e o próximo livro dela, com publicação prevista para 2018, já está na minha lista de desejos.

Mais que recomendado!

site: http://lekatopia.blogspot.com.br/2017/12/o-jogo-do-amorodio.html
*Rô Bernas 05/02/2018minha estante
Acabei de ler esse livro...amo chick-lit, justamente por ser leve e divertido. Asim como você, amo diálogos sarcásticos, exatamente por isso esperava um pouco mais de embate entre os personagens principais...achei muito rápido rsss
Mas no geral, gostei muito do livro. :)




53 encontrados | exibindo 46 a 53
1 | 2 | 3 | 4