A Lady de Lyon

A Lady de Lyon Julie Garwood




Resenhas - A Lady de Lyon


87 encontrados | exibindo 1 a 16
1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6


Rayane Colomes 30/12/2017

Julie Garwood e seus livros
Fechando esse ano com chave de ouro! Bom, o que dizer dessa autora que se tornou uma de minhas favoritas??? Quando vi a capa desse livro já logo fiquei louca, amei! E não aguentei esperar o lançamento para ler...
O começo é meio confuso, nas primeiras paginas quando vi que se tratava da historia de alguns indios não estava entendendo nada.
A personagem principal, Cristina, foi criada em meio aos Indios Dakota, e por isso é tao diferente e peculiar. Tem uma força e coragem admiravel.
O mocinho, Lyon, é encantador. Me apaixonei por ele logo de cara. Realmente foi o destino que uniu esses dois teimosos e corajosos protagonistas.
A historia se desenrola de uma maneira que vc nao consegue parar de ler por um segundo sequer. Fiquei presa na historia durante todo o tempo. A historia é muito bem escrita assim como os dialogos, que sao muito engraçados. As diferenças entre o casal, devido as culturas em que foram criados, tambem foi encantadora. Enfim, leiam! Se apaixonem por esse historia. Eu me apaixonei muito....Só ficou faltando mesmo eles se encontrarem com a familia da Cristina!
Jaque Ferreira 30/12/2017minha estante
Eu só preciso ler " Julie Garwood " pra saber que será favorito da vida . Esperando esse loucamente .


Drica 30/12/2017minha estante
Uau, 5 estrelinhas e favorito? Que bom!!!!!!


Drica 30/12/2017minha estante
Uau, 5 estrelinhas e favorito? Que bom!!!!!!


Rayane Colomes 30/12/2017minha estante
sim, é muito amorzinho! os dialogos sao muito bons! vale muito a pena


Patricia 01/01/2018minha estante
Os livros dela são romances históricos,ou são aqueles livros hots?


Rayane Colomes 02/01/2018minha estante
a maior parte do livro é romance mesmo...tem uma ou outra cena mais assim mas nao é hot nao


Dani Paiva 14/02/2018minha estante
Adorei a resenha... tava procurando um de epoca pra ler mas nao to afim de serie.... sabe se esse faz parte de uma serie, Rayane? Se sim, ja leu?


Rayane Colomes 14/02/2018minha estante
Olá Dani, este pertence a uma série, mas é o primeiro volume e pelo que eu entendi pertence a uma serie mas cada um trata de personagens distintos, acredito que nao sao nem da mesma familia....quando terminar o que eu estou lendo, vou ler o segundo, mas todos tem notas excelentes no goodreads! enfim, eu gostei tanto que até reli ele na semana passada!


Dani Paiva 14/02/2018minha estante
Show! Acho q vou embarcar nele então.. thx!




Jefi 07/02/2021

Eu só leio livro de época quando alguma coisa na sinopse ou nas resenhas me chama a atenção, porque realmente não me atrai muito esse tipo de leitura.
Fiquei feliz por ter lido, pois gostei bastante. na verdade qualquer livro onde o mocinho faça alguma loucura por amor já me ganha kkkkkk.
Então adorei e ri horrores quando Cristina se recusou a casar com Lyon (depois de uma rodada de sexo) e ele pra pressionar ela, saiu na rua com as calças ainda meio aberta, rindo e acenando de maneira que todos concluíssem o que tinha ocorrido e dessa forma Cristina se veria forçada ao matrimônio. Foi hilário kkkkk...fiquei imaginando a cena na minha cabeça.
Recomendo!
Dayane.Persil 12/02/2021minha estante
Já gostei hahahaha preciso desse livro urgente


Jefi 13/02/2021minha estante
Hahahaha vc também gosta de loucuras de amor né?


Dayane.Persil 14/02/2021minha estante
Amo! ?




spoiler visualizar
Letícia 02/11/2019minha estante
Spoiler
.
.
.
.
.
.
.
A família dela morreu mesmo?


Karolspi 05/11/2019minha estante
Os dakotas? Não, foi invenção da bruxa da tia dela.


Letícia 12/11/2019minha estante
Obrigada, não ficou muito claro isso no livro.




Carolina DC 03/02/2018

O livro "A Lady de Lyon" é narrado em terceira pessoa e tem uma premissa criativa e diferente. A história se passa inicialmente nas Américas, no ano de 1797, onde iremos conhecer os primeiros anos de vida de Christina, uma garotinha loirinha de olhos azuis que passou por inúmeros tormentos antes de ir parar nos braços de Alegria e sua família. Acontece que a mãe biológica de Christina era uma mulher da alta sociedade londrina, que acreditou ter o casamento dos sonhos, mas que ao descobrir a verdade sobre o seu marido, decide fugir, levando no ventre a protagonista. Infelizmente, como vocês podem imaginar, o destino teve reviravoltas e a garotinha foi criada de uma maneira nada convencional aos olhos da sociedade, mas rodeada de amor e carinho. Os anos se passam e Christina precisa voltar à sociedade londrina para cumprir uma promessa feita entre suas mães. Uma promessa que mudará toda a sua vida mais uma vez.

A partir daí a história se passa em Londres, Inglaterra, no ano de 1814 e Christina é a herdeira que faz seu retorno triunfante após tantos anos. Sua beleza e maneiras impecáveis fazem com que admiradores a chamem de Princesa e a fila de homens que sucumbem ao seu charme não para de crescer.

É durante um dos bailes que participa que Christina depara-se com o Marquês de Lyonwood e seu melhor amigo Conde Rhone. Lyonwood, ou Lyon como é chamado, é um homem cético em relação ao sexo oposto. Para ele, as mulheres sempre tem segundas intenções e as trata de forma analítica e fria. Porém, algo na Princesa Christina desperta seu interesse e após ter seu ego machucado graças a uma aposta que realizou com Rhone, ele decide descobrir mais sobre a protagonista.

Como eu mencionei antes, a criação de Christina foi peculiar e a aproximação de Lyon faz com que ela perca toda a compostura adquirida para andar pela sociedade londrina. Quando estão a sós, ela é muito honesta sobre o que está sentindo e diz coisas que podem entregar o seu passado. Mas, conforme mais "estranha" ela se torna, mais atraído Lyon fica...

"O sorriso dele poderia derreter a neve. Christina estava tendo dificuldade em manter a tranquilidade. Tudo que ela queria pensar era na forma como Lyon a beijara, e sua maior ambição era encontrar uma maneira de fazê-lo beijá-la novamente." (p. 124)

A trama tem todos os elementos necessários para tornar o livro um dos queridinhos dos leitores: um romance muito bem desenvolvido, um mistério, ação, vingança, personagens secundários carismáticos e muito humor.

Rhone é um personagem que se destaca por estar sempre apoiando Lyon, mas também tem sua própria história, apresenta seus problemas pessoais e cria uma subtrama interessante. Outros personagens vão sendo adicionados ao enredo, como a tia e tutora de Christina, a tia Patricia, é uma senhora vil e ardilosa, que mesmo tendo uma idade avançada não esconde sua cobiça e amargura; Diana, a irmã caçula de Lyon é romântica, faladeira e desastrada e tem um encantamento pela vida que apenas a inocência é capaz de proporcionar; Elbert, o mordomo de Christina, um senhor de idade avançada que não tem papas na língua e que é muito respeitado pela protagonista e tantos outros personagens que auxiliam na leveza e humor do livro.

"-Oh, Deus. Elbert chamou minha tia de morcego velho na sua frente? Tenho mesmo que ter outra conversa séria com ele. Ele parece ter tomado uma antipatia extrema por ela." (p. 163)

A história vai mostrando trechos do diário da mãe biológica de Christina, que vai contando toda a sua saga, desde o casamento até seu fim, explicando para a filha o que a motivou a agir como agiu.

Christina é uma das protagonistas favoritas de 2018. Ela é forte, determinada e demonstra que é sábia mesmo sendo jovem. O respeito que ela tem pelos mais velhos, a forma como ela encara tudo ao seu redor e a forma como ela valoriza os pequenos detalhes da vida, tornaram-na uma protagonista apaixonante.

"Ele jamais se acostumaria a olhar para ela. Ela ficava cada vez mais bonita." (p. 121)
Aline 03/02/2018minha estante
Adorei a resenha!! Entrou na lista de super desejados!!


Carolina DC 03/02/2018minha estante
Obrigada, Aline!




Lari 30/03/2020

O romance perfeito
Todos os elementos clichês e nada clichê. Amei amei e 10000x amei. Amo autora,acho sua sensibilidade ímpar. Mas nesse livro ela se superou. Uma das protagonistas mais ferozes que já vi digna de ser a Eve da série mortal da Nora Roberts. Ela é linda, encantadora. Cristina vai te fazer largar sua vida até descobrir tudo aquilo que ocorreu na dela e ainda pedir mais.
Vivi 30/03/2020minha estante
Tbn gosto da autora, deu vontade de ler !


Lari 30/03/2020minha estante
Eu amei demais esse livro




Laura 09/02/2018

Muito bom! Para começo de conversa que capa linda, se eu fosse chegada me apaixonaria por essa moça (risos!) Bom! Quanto ao romance em si, ele é muito bem desenvolvido, criativo, com todos os elementos necessários para se tornar inesquecível. Um protagonista incomum, um "Marques macho pra caramba", personagens secundários interessantes e até mesmo engraçados. Mistério, crime, vingança e uma das piores vilãs que já vi, gente, serio! A mulher é tão má que deixa as vilãs Disney no chinelo. E minha única reclamação é justamente por conta dela, da vilã. Eu queria ter lido que ela sofreu muito, tipo, foi fervida em óleo quente, enforcada ou melhor ainda. que viveu ate seu ultimo dia na pobreza estrema. Eu sei também sou má para caramba (risos! risos!) mais gurias é só com as vilãs ok! Então eu recomendo que você corre e leia.
Lizzy 09/02/2018minha estante
Também amei esse livro na ocasião que li, deu vontade de reler!




spoiler visualizar
Andrea 14/03/2019minha estante
Sabe, os romances históricos eram meus preferidos quando mais nova, mas sempre me incomodou o comportamento dos protagonistas, principalmente. Quando o livro é mais antigo, a gente até tenta superar, mas livros recentes mantêm a mesma linha de pensamento!! É muito difícil achar livros que não caiam nisso.




@sv_book 09/05/2020

Lyon é maravilhoso dos pés à cabeça, ao mesmo tempo que é forte e bruto ele reconhece o amor e se entrega pra ele, e ver essas duas faces faz ele ser completo, um cara que se arrisca e que trás segurança e conforto para todos ao seu redor, veterano de guerra é conhecido como o maior assassino da Europa, a as marcas de suas vitórias estão por todo o seu corpo.
O que deixaria qualquer lady Londrina com medo e o que mais fascina Christina, ela reconhece que Lyon é um guerreiro e para uma leoa nada menos que isso é aceitável em Um homem.

Um romance que prende a atenção do leitor do único ao fim, eu simplesmente me apaixonei pelos personagens, tanto principais quanto secundários, eu preciso de um livro da Diana com o Rhone para ser feliz e de uma nova aparição dos Dakotas, tirando esses dois pontos, livro perfeito.
Cris Paiva 09/05/2020minha estante
Amei, amei, amei!!! Entrou pra minha lista de autoras preferidas




AMANDINHA 08/05/2021

que maravilhoso esse livro, gostoso de se ler
Primeiro que não sou muito chegada a esses livros do século XVIII ou XIX, mas esse livro.. mano muito bom, primeiro que eu amo a Christine, o respeito que ele consegue no decorrer do livro por todos e principalmente dos tarados, claro que depois que ameaçou com uma faca na garganta pq só se resolve assim, é impressionante. Claro que seria tudo de bom nós sermos treinadas assim pra se defender, e é muito incrível o modo como ela resolve as coisas de modo simples e sincero, nossa ela tem todo meu coração. Lyon... rabugento mas de grande coração, apesar de que no costume que era retratado na época os homens serem machistas, ele dava o devido respeito por ela e obedecia é claro, apesar de burlar algumas regras da aldeia com carinhos e o charme dele. Mas o adoro de todo o coração. A família dele é tudo tbm, não sei do que restou da tia Patrícia, mas espero que tenha ido pro quinto dos infernos aquela morcega velha, e bem feito do pai dela fdp ter merecido aquilo. Devo dizer que o final foi meio apressado e que a autora não deveria ter tido medo de prolongar mais. Enfim, livro gostoso e divertido pra se ler a tarde, e muito bom pra se passar as horas e vc nem percebe.
comentários(0)comente



Jéssica Spuzzillo @pintandoasletras 14/03/2018

Apaixonada por esse casal!
Narrado em terceira pessoa, o livro conta a história da Christina Bennet, uma mulher misteriosa, recém-chegada a sociedade londrina.

Em uma bela noite ela conhece Lyon, o Marquês de Lyonwood. Ele é instantaneamente atraído por alguns modos estranhos e o passado misterioso de Christina. Depois de muito flerte, foi impossível lutar contra a atração que sentiam um pelo outro e ele acaba roubando um beijo dela.

“Christina estava tendo dificuldade em manter a tranquilidade. Tudo que ela queria pensar era na forma como Lyon a beijara, e sua maior ambição era encontrar uma maneira de fazê-lo beijá-la novamente”

Apesar dos seus desejos, o foco de Christina era outro e ela não podia se deixar levar por um romance, pois, se fizesse o seu segredo seria revelado e o seu destino, totalmente comprometido...

Amei! Os personagens principais são incríveis, Christina e Lyon são divertidíssimos e se tornaram um dos meus casais favoritos de romance de época, impossível não se apaixonar por eles. Os secundários também não ficam atrás, me diverti muito com a irmã de Lyon, Diana e Rhone o melhor amigo dele.

Eu gostaria de contar mais, mas acabaria soltando algum spoiler, na verdade só queria demonstrar o quanto este livro é divertido e os diálogos são hilários, dei ótimas risadas.

Romance, intrigas, vingança, morte, humor e suspense, encontramos tudo isso e muito mais nesse enredo incrível, uma leitura fluida e prazerosa. Esse foi o meu primeiro contato com a escrita da autora, mas não será o último. Se você ama romance de época, fofo, quente e muito divertido, esse livro é pra você!

site: https://www.instagram.com/pintandoasletras
comentários(0)comente



Luiza Helena (@balaiodebabados) 27/03/2018

Originalmente postada em https://balaiodebabados.blogspot.com.br/
A Lady de Lyon é o primeiro livro da série Crown’s Spies. E também é o primeiro livro da parceria com a Universo dos Livros #yay Eu pedi ele porque, além de ser romance de época, eu gostei dessa capa, o que é um milagre já que geralmente não curto capas com gente na frente.

Já que estamos falando da capa, a modelo da capa representa bem as características físicas de Christina, nossa mocinha. Ela é uma mulher um tanto impetuosa, determinada, de personalidade forte e um misterioso passado. E são essas características que atraem o marquês de Lyonwood, mais conhecido como Lyon. Lyon é tipo aqueles cachorros pinscher: faz mó barulho, late pra caramba, mas no fundo é uma manteiga derretida. Seu instinto protetor se aflora não só ao redor de Christina, mas de todos que ele se importa, apesar de sempre querer se fazer durão.

O que mais gostei na história foi a criação de Christina. Acho que é primeira vez que vejo uma personagem que foi criada por índios. Sim, isso mesmo que você leu. Eu achei isso demais, diferente e ousado. Ficamos conhecendo como Christina foi parar com os índios dakotas logo no prólogo. E pense num prólogo bem escrito e contextualizador. De primeira, eu achei que estava lendo o livro errado (e um tanto fumado), mas depois que foram narrados alguns acontecimentos, eu me encontrei.

O casal principal tem uma boa química e, por serem de gênios fortes, geram diálogos bem afiados. OK que eu achei o relacionamento deles um tanto rápido, mas a autora reservou o desenvolvimento para a imagem que Lyon tinha de Christina. De início, ele achava que ela era aquela lady indefesa e inocente, mas isso porque ele não sabia do seu passado. Mal sabe ele que Christina sabe se defender e muito bem. É bem legal de se acompanhar ele perceber que dá pra se importar com a pessoa amada ao mesmo tempo que também é necessário deixar que ela lute suas próprias lutas.

Apesar da boa leitura, alguns detalhes na história me incomodaram, mas eu relevei por motivos de 1- o livro foi escrito em 1991 e 2- em 1991, a autora decidiu fazer uma história cuja mocinha foi criada por índios. Eu acho algo bem ousado para época.

Dois personagens me conquistaram, Rhone (amigo de Lyon) e Diana (irmã de Lyon). Assim como Christina, na primeira interação entre os dois eu já estava vendo o interesse e queria muito que eles tivessem um livro. Confesso que fiquei bem deprê quando vi que eles não teriam uma história, maaaaaaaaaaaaas não significa que eles não tiveram final feliz um ao lado do outro.

A Lady de Lyon foi um romance de época bem gostosinho de ler e me deixou com vontade de já devorar os outros livros da série - e da autora.

Leia mais resenhas em https://balaiodebabados.blogspot.com.br/

site: https://balaiodebabados.blogspot.com.br/2018/03/resenha-265-a-lady-de-lyon.html
comentários(0)comente



Jenny 03/04/2018

[ RESENHA ] A Lady de Lyon

Em 1797, o Xamã, Wakan, da tribo dos Dakotas finalmente teve a visão que tanto ansiara. Contudo, havia algo na visão que o deixara intrigado e até mesmo assustado. Wakan viu uma manada de búfalos, que simbolizava o povo Dakota, e no meio deles havia um belíssimo leão da montanha, seus pelos eram brancos e os olhos eram incrivelmente azuis. Mas o que poderia significar esse leão?

Ao retornar a aldeia, Wakan temeu contar a visão completa ao seu líder, Águia Cinzenta, pois este estava muito desolado por ter perdido a filha, Alegria, e o neto, Águia Branca, durante uma batalha contra uma aldeia inimiga.

Mas para o alívio de todos os Dakotas, mãe e filho retornam sãos e salvos para a sua aldeia depois de onze meses desaparecidos. Porém, o que Alegria carregava em seus braços, surpreende a todos, principalmente Águia Cinzenta, e o marido de Alegria, o guerreiro, Lobo Negro.


Seu nome era Christina, uma menina branca, de cabelos loiros da cor do relâmpago e olhos azuis. Aos dois anos, Christina já era uma criança muito curiosa, determinada e possessiva em relação à Alegria e Águia Branca, que agora eram sua família. E apesar de ser filha de um homem branco, ela falava a língua dos sioux tão bem quanto qualquer criança Dakota.

Após o alvoroço, Alegria conta o ocorrido ao Lobo Negro, que não estava nem um pouco feliz por sua esposa ter trazido uma criança branca para a tribo. Ela conta que havia sido prisioneira de Nuvem Cinzenta, inimigo de seu marido. Após estuprá-la, Nuvem Cinzenta tentara matar Águia Branca, mas ele foi salvo por Jéssica, a mãe de Christina. Contudo, durante a viagem de volta, Jéssica falece, mas não antes de fazer Alegria prometer que cuidaria de Christina como se fosse sua filha.

O marido de Jéssica era um homem cruel e que tentara matá-la quando esta ainda estava grávida, por isso ela fugira. Mas após ter ouvido Alegria contar que Lobo Negro era um homem forte e um guerreiro muito valente, Jéssica desejava que sua filha também se tornasse uma mulher forte e guerreira. E quando atingisse a idade adulta, Christina deveria voltar para o seu povo, na Inglaterra. Alegria iria honrar essa promessa e se Lobo Negro não permitir que Christina viva com eles, então ela partiria. Ele cumpre a palavra. Porém, por odiar os brancos, ele não a trataria como filha.

Mas, Christina era uma criança tão esperta e adorável que até um homem terrivelmente orgulhoso e obstinado não resistiria por muito tempo. E aos poucos, foi Christina se tornando sua filha.

“– Pai – Águia Branca falou –, uma mulher branca salvou minha vida para que eu pudesse voltar para o meu povo. As palavras veementes do rapaz produziram um silêncio imediato. – Christina agora é minha irmã. Eu a protegerei como qualquer irmão o faria. Lobo Negro não pôde conter sua surpresa diante da petulância com que seu filho ousava falar com ele. Antes que pudesse responder, Águia Branca se virou para onde sua mãe estava. Ele apontou para ela, olhou para Christina e afirmou:– Minha mãe. Ele sabia muito bem o que ia acontecer. Christina provou ser bastante coerente em sua possessividade. O que pertencia a Águia Branca pertencia a ela também. O menino só precisou dizer as palavras uma vez antes que a garotinha voltasse correndo para o lado do irmão. Ela tirou o polegar da boca o suficiente para gritar: – Minha mamãe. Então, ela sorriu para o irmão, esperando que ele continuasse aquele novo jogo. Águia Branca balançou a cabeça em concordância. Ele apertou a mão dela para que soubesse que estava satisfeito com a resposta e, então, virou-se para encarar novamente o pai. Levantou lentamente a mão e apontou para Lobo Negro. – Meu pai – falou com voz firme. Christina continuava chupando o dedo enquanto olhava para Lobo Negro. – Meu pai – repetiu Águia Branca, dando outro aperto na mão de Christina. Christina de repente tirou o polegar da boca. – Meu papai! – ela gritou, apontando o dedo para Lobo Negro. Então, olhou para o irmão, a fim de obter sua aprovação. Águia Branca olhou para o avô. Quando o líder assentiu, o irmão de Christina aprovou-a com a cabeça. Era tudo o que a menina precisava. Ela soltou a mão da Águia Branca, virou-se e foi andando de costas. Sem mostrar o menor receio, ela caiu no colo de Lobo Negro. Todo mundo observou a bebê se acomodar. Lobo Negro ficou rígido quando Christina estendeu a mão e agarrou uma de suas tranças. Ele não afastou a mão dela, mas virou-se para olhar para o chefe. Águia Cinzenta sorria com satisfação. Alegria correu para se ajoelhar na frente do marido, mantendo a cabeça baixa. Lobo Negro podia ver como a esposa tremia. Ele soltou um longo e controlado suspiro de aceitação. – Este Conselho não é lugar para os meus filhos. Leve-os para o nosso tipi. Alegria imediatamente estendeu os braços para pegar Christina. Ela estava soltando a mão da filha da trança do marido quando o impacto total das palavras dele atingiu sua mente. Seus filhos. Alegria esforçou-se para não sorrir, mas, quando olhou para o marido, soube que ele podia enxergar o seu contentamento. E também o seu amor. Lobo Negro reconheceu ambas as coisas com um arrogante aceno de cabeça.”


Wakan fica muito satisfeito, pois a sua visão se cumprira e o leão se tornou parte dos búfalos. Conforme Christina ia crescendo e aprendendo um pouco com cada membro da aldeia, ela também sonhava em conhecer um homem tão honrado e valente quanto seu pai, quando chegasse a hora de voltar para a Inglaterra.


Londres, Inglaterra, 1814.

O Marquês de Lyonwood, Alexander Michel Phillips ou Lyon (para os íntimos haha). Era um homem coberto de cicatrizes tanto em seu exterior quanto no interior. No lado direito do seu rosto, uma cicatriz fina e irregular cobria a sua testa até a sobrancelha, dando-lhe um ar de pirata por conta das missões feitas em nome do governo. Mas essas ainda não eram piores que as localizadas em seu interior. Um homem tão belo, agora possuía sempre uma expressão carrancuda no rosto e um olhar glacial. Tudo graças a uma desilusão amorosa causada por sua falecida esposa, Lettie. Enquanto ela sofria de dores ao dar a luz ao seu primeiro filho, esta confessa que o verdadeiro pai do seu filho era ninguém menos que o irmão de Lyon, James. Contudo, não apenas a mãe, mas também o filho,morrem tragicamente no parto.

Quatro anos se passaram, e assim como as missões, os rostos do passado continuavam a assombrá-lo à noite. Forçado a comparecer a uma festa, acompanhado de sua irmã mais nova, Diana, Lyon não conseguia manter uma expressão agradável no rosto, principalmente por conta da dor latejante em seu novo ferimento na perna após a sua última missão.

Enquanto conversava com Rhone, seu melhor amigo e mulherengo, que só sabia reclamar por Lyon estar espantando as mulheres da festa com o seu olhar sombrio, uma mulher surge no campo de visão dos dois, fazendo Lyon ficar completamente encantado e surpreso pelo efeito que a bela jovem estava despertando sobre ele.

Apesar de ter se tornado uma verdadeira Lady, após conhecer sua tia, Patrícia, irmã de sua mãe biológica, e estar vivendo em Londres há quase três meses, Christina continuava perplexa com os estranhos rituais dos “homens brancos”. Aprendera muito há dois anos antes, principalmente a falar Francês e Inglês, com a ajuda de um missionário que Lobo Negro capturara. Ela deveria adquirir uma posição temporária na sociedade até que a sua missão estivesse completa e ela pudesse enfim retornar para o seu povo, por isso, ela precisava manter as aparências.

Porém ela irá perceber que esta tarefa será bem mais difícil a se deparar com Lyon, tudo nele a atraía. Sua cicatriz, o seu olhar sedutor e ao mesmo tempo intimidador e o seu título, faziam-na se lembrar de casa e do quão parecido ele era com Lobo Negro. Um sentimento intenso é despertado entre os dois, fazendo com que Christina perdesse a sua compostura quando estava perto de Lyon, quase revelando a sua origem. Mas isso só fazia com que Lyon estivesse mais determinado em desvendá-la. E após um beijo, ele percebe que não a deixaria escapar.

“Lyon sabia que a estava embaraçando. Ele podia vê-la corar, mesmo ao tênue luar. – Você é como uma florzinha frágil – ele sussurrou, enquanto suas mãos acariciavam seus ombros, o pescoço. – Sua pele parece seda quente. Seu rubor intensificou. Lyon sorriu. – Abra os olhos, Christina, olhe para mim – ele ordenou em uma voz tão suave quanto a brisa. As ternas palavras dele provocaram arrepios nos braços de Christina. Palavras de amor, quase idênticas em significado às palavras que Lobo Negro sempre dizia para Alegria quando pensava que estavam a sós. Lyon estava tentando amansá-la, da mesma forma. Isso significava que ele queria copular com ela? Christina quase soltou aquela pergunta, mas então percebeu que não devia. Lyon era inglês, lembrou-se. As regras não eram as mesmas. Que o céu a ajudasse, ela não podia esquecer. – Eu nunca flertaria com um leão – ela não se conteve e disse. – Seria perigoso. As mãos de Lyon rodearam o seu pescoço. Ele não tinha certeza se queria beijá-la ou estrangulá-la. A mulher certamente o confundia com seus extravagantes comentários. Ele podia sentir a pulsação frenética dos batimentos cardíacos dela sob os seus dedos. – Seus olhos não mostram nenhum medo, mas seu coração diz a verdade. Você teme sua atração por mim? – Que homem arrogante você é – disse Christina. – Estou tão assustada que posso desmaiar se você não me soltar agora mesmo. Lyon riu, deixando que ela soubesse que não acreditava em sua mentira. Ele se inclinou até que seus lábios estivessem quase tocando os dela.– Você não me disse que eu era atraente demais para resistir, Christina? – Não – ela sussurrou. – Eu disse que você era quase atraente demais para resistir, Lyon. Quase. Há uma diferença.Ela tentou sorrir, mas foi-lhe impossível. Christina estava ocupada demais lutando contra o desejo quase incontrolável de se fundir a ele, abraçá-lo forte, descobrir o seu toque, seu gosto. Ela queria que o cheiro dele copulasse com o dela próprio. Ela sabia que era um desejo proibido e perigoso. Uma coisa era provocar um filhote e outra muito diferente brincar com um leão adulto. O olhar sombrio nos olhos de Lyon lhe dizia que ele seria tão determinado quanto um leão faminto, também. Ele a devoraria se não se protegesse.”


Mas assim como ele, Christina também era determinada, e mesmo que ele despertasse esses novos sentimentos, ela não poderia se desviar da sua missão. Principalmente com uma tia tão cruel e ambiciosa que estava louca para por as mãos na fortuna deixada em seu nome, pelo Conde de Acton, avô de Christina.


“– Você simplesmente não deve mais pensar naquelas pessoas. O passado deve ser esquecido. – Por que o chamam de Leão? – perguntou Christina, mudando de assunto com habilidade. Ela lentamente afastou o braço que sua tia segurava com força, machucando-a. – É só por curiosidade – explicou –, porque, como você me disse, os ingleses não usam nomes de animais nem… – Não, claro que não, sua cabeça de vento – resmungou a tia Patricia. – O marquês não tem o nome de um animal. A grafia não é a mesma. A condessa soletrou lentamente o nome de Lyon e sua voz perdeu um pouco de sua debilidade quando prosseguiu: – É por deferência ao título que ele é chamado de Lyonwood. Os amigos mais próximos podem encurtar o nome, é claro. – Ele não serve? – perguntou Christina, franzindo o cenho. – É claro que não – respondeu a condessa. – É muito esperto e rico demais. Trate de se manter longe dele, entendido? – Claro. A condessa assentiu.– O simples fato de você se sentir atraída por ele está além da minha compreensão. Um sujeito daquele não dá para controlar. – Eu não me senti realmente atraída por ele – respondeu Christina. Ela mentiu, é claro, mas só porque não queria provocar uma nova explosão de raiva em sua tia. E tampouco conseguiria fazer sua tia compreender, de qualquer maneira. Como poderia ela argumentar com uma mulher que acreditava que a marca de um guerreiro era uma detração? Com tal mentalidade, a tia de Christina ficaria horrorizada se lhe dissesse a verdade. Oh, sim, o leão a atraía. Gostava dos raios dourados em seus olhos castanho escuros. Aquela poderosa compleição era a de um guerreiro, e sua força a compelia naturalmente. Havia uma aura de autoridade ao redor dele. Tinha o nome adequado, porque lembrava de fato um leão. Christina reparara sua atitude preguiçosa, quase entediada, mas sabia por instinto que ele poderia se mover com audaz velocidade quando provocado. Sim, ele era atraente. Christina gostou muito de olhá-lo. Mas ela adorou o seu cheiro. O que pensaria sua tia se admitisse esse fato, Christina se perguntou, com um ligeiro sorriso. Ora, ela provavelmente instalaria outro trinco na porta do próprio quarto. Não, a condessa não entenderia sua atração. O velho xamã de sua aldeia iria entender, no entanto. E ficaria muito satisfeito também.”


Um romance envolvente, contendo intrigas, morte, lutas, roubo, trapaças, uma fortuna que pessoas cruéis farão de tudo para adquiri-la e um casal relutante em relação ao destino que os unirá.

Aaah que livro lindooo!
Eu sabia que ficaria encantada pela escrita da Julie desde o dia em que eu li alguns quotes do livro ”Um amor para Lady Johanna”. Ela escreve de uma maneira tão envolvente, e o casal é tão apaixonante que é impossível não torcer para que eles fiquem juntos haha. Fazia um tempo que eu não lia um romance histórico tão viciante.

O que eu achei mais interessante foi como a história da Christina foi desenvolvida, sendo criada pelos Dakotas e depois tendo que se separar da sua família e cumprir o seu destino. Com a ajuda do diário de Jéssica, ela estaria preparada para o que viria. Só não contava com o Lyon em seu caminho haha. Os dois são tão fofos juntos, com o jeito doce, divertido e espontâneo de Christina, ela acabava eliminando a barreira protetora que Lyon criara em seu interior. Há momentos muito hilários também quando Christina começa a falar coisas que só fariam sentido para os Dakotas, e isso acabava deixando Lyon mais confuso. Foi muito lindo e divertido ver o desenrolar desse romance, que para a minha surpresa também contém cenas de ação muito envolventes.

O livro é narrado em terceira pessoa, não encontrei nenhum erro ortográfico e a capa está lindíssima e retratou muito bem a personagem principal. Já estou com saudade dessa história incrível. Vale a pena conferir!


site: http://colecoes-literarias.blogspot.com.br/2018/04/resenha-lady-de-lyon.html
comentários(0)comente



Taty Assis 03/04/2018

"Havia uma promessa a ser cumprida, não importa quantas vidas fossem perdidas, não importa quantos corações foram partidos. E se ela sobrevivesse, poderia voltar para casa."

Christina perdeu a mãe quando ainda era uma garotinha e desde então foi criada por Alegria, uma indígena. Christina viveu rodeada de muito amor, mas quando tinha idade suficiente para entender a promessa que Alegria fez a sua falecida mãe, ela vai à Londres para cumprir com sua "missão".

Christina é enviada aos cuidados de sua tia Patricia, com quem acaba aprendendo a se portar diante da sociedade londrina. A aparição dela era esperada por muitos, já que acreditavam que ela também estava morta, e isso causou muito fervor, além do mais ela era uma princesa.

Lyon é um homem notável, mas que acaba por espantar as pessoas a sua volta. Ele é viúvo e desde então não pensa em ter um relacionamento sério, seus encontros amorosos não são nada mais do que apenas casos passageiros, mas ao conhecer Christina tudo muda....

Christina é destemida, dona de si e totalmente diferente das damas londrinas. Ela tem um dever a cumprir, e fará o possível para revelar o mínimo de coisas sobre sua vida. Lyon é um ex agente do governo e sabe que Christina está escondendo algo, e mesmo assim não deixa de se sentir atraído e fascinado por ela e por seus misterios.

" – Acho você quase atraente demais para resistir. "

Confesso que no começo do livro fiquei um pouco perdida com a visão do xamã indígena e o verdadeiro significado dela, mas conforme fui lendo me vi cada vez mais presa a história e ansiosa para saber qual seria o desfecho.

Christina não desejava deixar sua família indígena para trás, mas para honrar a memória de sua mãe, ela precisou retornar "para casa". Christina é muito astuta e foi criada aprendendo a se defender, então terminar sua missão e partir seria algo fácil, mas ela não contava que conheceria Lyon e que ele mexeria profundamente com seus sentimentos. E é por medo de não conseguir concluir tudo o que deseja que se nega a envolver com Lyon, e também por acreditar que quando ele descobrisse sobre seu passado não iria deseja-la da mesma maneira. Mas ele é um homem que está fascinado, e fará de tudo para conseguir conquistá-la e protegê-la.

Christina está determinada a cumprir sua missão em Londres, ela não quer desviar do seu foco, já que pretende voltar para sua família o mais rápido possível, mas ao se deixar levar pelo forte desejo que sente por Lyon, suas chances de retornar se tornaram praticamente nulas. Ela é corajosa, teimosa e conta algumas mentiras para proteger sua história – ri bastante das mentirinhas inventadas por ela. Lyon me decepcionou em alguns momentos com suas atitudes, mas no fim ele acabou conquistando o meu coração rsrs.

Foi bem interessante acompanhar Christina e Lyon, já que ambos não pretendiam se envolver, mas acabam completamente atraídos um pelo o outro. O envolvimento deles é bastante intenso, o que acaba nos rendendo boas cenas.

Mesmo sentindo falta de alguns detalhes – principalmente da família de criação de Christina – eu gostei da leitura. A escrita da autora é bem fluída e instigante. Sem contar que o romance e a história tem o seu diferencial.

Um livro sobre amor, confiança, lealdade, amizade, família, que conta com traições, soberba, inveja, avareza... e novos recomeços.

Recomendo!

site: http://www.aculpaedosleitores.com.br/2018/04/resenha-lady-de-lyon.html
comentários(0)comente



87 encontrados | exibindo 1 a 16
1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6