Querido Menino

Querido Menino David Sheff




Resenhas - Querido menino


5 encontrados | exibindo 1 a 5


Fabiana.Almeida 14/02/2020

Maravilhoso
A luta de uma família. De um pai por seu filho dependente químico.
O filme é perfeito!
comentários(0)comente



cris.leal 14/06/2019

Informativo e desolador ao mesmo tempo...
Em "Querido Menino" vamos acompanhar a perplexidade, a frustração e o desespero de David Sheff com a perda progressiva de seu amado filho Nic para as drogas. A grande questão para David é entender como o filho, um jovem inteligente e gentil, não conseguiu fugir do vício, principalmente após experimentar metanfetaminas.

David, que é jornalista, fez ampla pesquisa sobre drogas e os tratamentos que pudessem salvar Nic. Dessa forma, o livro é muito informativo e também um alerta para os pais, e um apelo para que o poder público reveja a política sobre a dependência química, a fim de torná-la mais preventiva, acessível e eficaz.

Ao relatar as várias tentativas de recuperação e as inúmeras recaídas de Nic, David mostra não só as dramáticas consequências da dependências química para o viciado, mas como ela interfere na vida de todos aqueles que o amam, provocando caos e tristeza.

Este foi um dos livros mais dolorosos que li. É impossível não se solidarizar com o pai desesperado que se vê impotente diante da tragédia vivida pelo filho. Infelizmente acontecem coisas na vida das nossas crianças que não conseguimos prever nem consertar, e não somos culpados por isso. Como pais, devemos cobrir os filhos de amor e cuidados, principalmente quando eles estiverem perdidos, possivelmente para sempre.

site: https://www.newsdacris.com.br/2019/06/resenha-querido-menino-de-david-sheff.html
comentários(0)comente



Adriane Almeida 01/08/2018

legal
comentários(0)comente



Marcia 13/04/2017

A luta e a dor de um pai.
Um pai relata em primeira pessoa a angústia e a luta pela sobrevivência do seu filho dependente de drogas. O autor e jornalista David Sheff abre a vida da sua família e expõe as aflições de Nic, um garoto, que aos poucos acaba entrando no mundo das drogas.
A sinceridade do pai comove o leitor, que se pergunta, como a crítica perguntou. “Por que escancarar a vida do filho desta maneira?” Ele responde: para que ele, o livro, seja um manual para aqueles que passam pelo mesmo problema, a mesma dor.
Baseado em pesquisas, como a indicação de que filhos de pais separados têm maior propensão ao uso de drogas pesadas, o autor vai escalando os degraus doloridos que seu filho sobe. Mas, antes, ele relembra a infância de Nic e narra a vida de uma criança tranqüila, alegre e carismática.
O problema é quando o menino dedicado, estudioso e inteligente começa a demostrar sinais de distração, irritabilidade e outros comportamentos que diferem de quem ele era. O pai pergunta: o que está acontecendo com meu filho? Descobre: aos 12 anos Nic começa a fumar maconha e aos 17 passa a usar drogas pesadas, como cocaína e metanfetamina.
O pai tem a impressão que vai perder seu filho para as drogas e resolve travar uma batalha. Interna o filho diversas vezes (em clínicas com tratamentos diferenciados: a cada internação, um método) e ouve sempre na saída da clínica: “pai, foi a última vez”. Mas, não. A cada recaída do filho, o pai não dorme, se culpa, tem um derrame cerebral (se salva) e tenta achar a explicação, o porquê de isto ter acontecido com seu filho – tão bem criado. Não há respostas, diz o próprio autor, só alternativas.
São elas, as alternativas para aliviar a dor e o sofrimento, que o autor vai oferecendo no decorrer do livro. Além de exemplos práticos de convívio, como fumar maconha com o filho, para tentar aproximar-se dele. Querido menino é o relato emocionado de um pai-autor que ainda sofre com o drama do filho. “O afeto que sinto pelo meu filho é temperado pelo medo que sinto dele”, diz David Sheff. Para quem já viveu essa experiência, como eu, o livro e meio que um bálsamo para a alma, qdo deixamos de lado o pensamento:"isso tinha que acontecer comigo". É um livro sofrido ou uma história sofrida, mas se antes de meu filho morrer eu tivesse conhecido este livro, penso que saberia lidar melhor com a situação. Ou não!
Catherine 22/07/2018minha estante
Um dos relatos mais verdadeiros sobre a luta contra as drogas e sobre o amor de um pai pelo filho. Qualquer palavra que eu disser aqui será irrelevante para exprimir a delicadeza e a grandiosidade com que David Sheff conta sua história. No livro há muita dor, mas há momentos lindíssimos de esperança e amor. Uma das leituras mais lindas que já fiz. Recomendo muitíssimo.




megacombo 16/01/2009

Tem horas que dá vontade de socar o menino, porque o pai faz tudo por ele, e ele fica tendo inúmeras recaídas... É muito emocionante, o pai não tem medo de expor seus erros e acertos nas tentativas de ajudar o filho a se recuperar.
Pri Oliveira 21/05/2012minha estante
Um dos melhores livros que já li. A história é super envolvente. O autor, David Sheff se mostra de duas formas: como pai preocupado que se culpa pelos problemas do filho e que não consegue desistir dele. E como jornalista curioso, que busca toda e qualquer informação sobre o tema.
Super recomendo!




5 encontrados | exibindo 1 a 5


Utilizamos cookies e tecnologia para aprimorar sua experiência de navegação de acordo com a Política de Privacidade. ACEITAR