Ninho de Cobras

Ninho de Cobras Lêdo Ivo




Resenhas - Ninho de cobras


7 encontrados | exibindo 1 a 7


Lu 14/01/2021

Já se tornou um dos meus livros preferidos!
Situado na Maceió do Estado Novo, "Ninho de cobras" oferece um panorama da sociedade da época, pautada pelo medo e pela violência. Com um primeiro capítulo brilhante, a voz narradora decide iniciar a história pela perspectiva de uma raposa adentrando o centro da cidade. As comparações com a Baleia (e seu capítulo) de "Vidas Secas" foram imediatas e reforçadas por um dos ensaios ao final do livro. O trabalho de linguagem é preciosíssimo e a divisão dos capítulos que contam com perspectivas de diferentes personagens dos mesmos acontecimentos é feita de maneira brilhante!
comentários(0)comente



Girotto Brito 29/06/2020

Prosa poética
Lêdo Ivo nos coloca diante de um cenário de intrigas, desmandos e violência velada num período de ditadura. Tudo isso com personagens bem construídos e uma narrativa incrivelmente bela e poética. Recomendo.
comentários(0)comente



Lara Moreira 10/03/2021

Há alguns anos despertei interesse nessa leitura de Lêdo Ivo, após o querido @fellipeernesto narrar, de forma incrível, um resumo dos primeiros capítulos desse livro. Quase impossível não sair daquele encontro literário para adquirir essa obra, confesso que a propaganda foi certeira e fiquei muito realizada com essa indicação aqui da terrinha!💖 A leitura só me fez aumentar a admiração pela sensibilidade e pelas críticas presentes na escrita de Lêdo.

📖O livro possui um movimento interessante a partir do momento que narra os passos de uma raposa que se perde no centro de Maceió. Nesse processo há uma rica construção histórica e cultural de toda a cidade e é extremante cativante vivenciar essas referências, conhecer as que já não existem, como também identificar os bairros da minha infância, carregados de cheiros e de uma memória afetiva. Mas não se enganem, esse livro é lapidado de crítica social e denuncia diversos comportamentos sociais evidenciados nos personagens: do cidadão comum ao pequeno burguês, passando por meretrizes, políticos e renomadas figuras públicas.

📖 “Alguns que não leram o livro pensaram que eu queria afirmar que Maceió era um ninho de cobras quando, na verdade, a história é a história dos alagoanos que não emigraram e que amam Maceió. Os que amam Maceió como as cobras amam seus ninhos de pedra. É essa aderência da criatura viva à paisagem”- Ledo Ivo.
comentários(0)comente



Dany Dantas 25/03/2009

Livro que se destaca pela análise da sociedade alagoana através de uma ótica realista da miséria e dos valores violentados de suas personagens. É uma pena que um grande escritor como é Lêdo Ivo não tenha a devida consideração no mundo das letras. Adoro e recomendo!
Filip.Teixeira 05/12/2017minha estante
Alguém sabe se encontro para download em pdf?




Jairo 24/12/2012

Prosa muito poética para o meu gosto, mas uma boa pintura da época.
Gostei bastante da estrutura do livro por forçar o leitor a envolver-se na história, tentando decifrar acontecimentos que, às vezes, eram apenas conectados por desenvolvimentos de capítulos seguintes. O tema, como não poderia deixar de ser, é bem pesado, pois a violência e a repressão da época não deixariam que fosse de outra maneira. A visão da vida (como uma jaula) e a percepção de Deus (como terrível) são extremamente interessantes, dando ao leitor o que pensar em termos metafísicos. Também metafisicamente, as três mortes induzem muitas reflexões, especialmente pela violência, apesar da maneira extremamente poética com que são relatadas. Bom livro para fazer alunos de história lerem quando o Estado Novo de Vargas estiver sendo abordado.
Filip.Teixeira 05/12/2017minha estante
Sabes de encontro disponível para download em pdf?


TgOliveira 14/07/2018minha estante
Dá pra encontrar no site da Amazon, Filip.Teixeira.




Diego Araujo 17/10/2019

“Onde ele estava não havia Deus — era a jaula fedorenta dos homens”
O texto literário contém narrativa desenhada com palavras combinadas através do estilo pretendido pelo autor. Livros considerados clássicos da literatura brasileira podem entregar histórias ímpares com a linguagem na mesma medida, transformando a língua portuguesa em arte, inovam na estrutura e desafiam o leitor a ter novas experiências sob o conforto da leitura. Acima de tudo, esta ficção ousa transgredir o limite de contar uma história, pois o autor conta também sobre a vida em si.

Ninho de Cobras é um romance experimental de Lêdo Ivo. Publicado pela primeira vez em 1973 e com nova edição pela editora Imprensa Oficial Graciliano Ramos no ano de 2015, o leitor contemporâneo é levado de volta a Maceió no tempo quando Getúlio Vargas era presidente, numa história iniciada pela aventura da raposa nas ruas da capital alagoana.

“Uma raposa em pleno coração da cidade! E ainda dizem que Maceió é um lugar civilizado”

Tudo começa pela raposa. Protagonista do primeiro capítulo, o animal passeia pelas ruas de Maceió enquanto o narrador oferece detalhes sobre onde ela passa, tomando liberdade de contar as histórias daquela parte da capital onde o animal põe as patas, e então retoma a aventura da raposa. Usa do discurso indireto livre ao trazer personalidade a este singular personagem, o de ser destemido, convicto da morte nunca a alcançar mesmo fora de seu habitat, o que, ao cruzar o caminho com dois sujeitos armados com pedaços de madeira, prova o equívoco do pobre animal. Nos dias — e capítulos — seguintes, a raposa vira a notícia mais comentada da capital alagoana, acompanhada a do suicídio de Alexandre Viana sob a suspeita de ser na verdade um assassinato encomendado pelo Sindicato da Morte.

“E as horas passaram, esponjosas, sugando o que, no tempo, era fluente como as palavras e a água”

A introdução do romance é única, feita a partir do personagem inumano: a raposa. Esta estratégia chama a atenção e antecipa a proposta da narrativa repetida inclusive nos demais personagens focados nos próximos capítulos, o de o narrador interromper a história do personagem e contar a história de Maceió. A capital do estado — por vezes até o próprio estado — atua como o personagem central deste romance a partir da intervenção do narrador, os contextos históricos se misturam à narrativa e entregam algo único durante a leitura.

Tal proposta exige maior atenção ao leitor. A mudança de foco é feita sem aviso prévio, um parágrafo conta sobre certo personagem em determinado ambiente, e em seguida este ambiente ganha história narrada pelo autor. Nem quando foca na pessoa facilita, pelas escolhas ao identificar o personagem, citando a característica dele em vez de lhe atribuir nome. Um coadjuvante em determinado capítulo pode ter o trecho protagonizado por ele em outro momento, contando a partir das informações já fornecidas, que a princípio eram secundárias.

Ninho de Cobras é um daqueles livros em que torna o enredo secundário em prol de oferecer a experiência singular de leitura, misturando contexto e narrativa, personagem e ambiente.

site: https://xpliterario.com.br/xp-leitura/ninho-de-cobras/
comentários(0)comente



Mari.Alves 20/08/2020

Um romance com ares de contos em que os capítulos são narrados por personagens diferentes com algum ponto em que as histórias se entrelaçam.
comentários(0)comente



7 encontrados | exibindo 1 a 7