É Assim Que Acaba

É Assim Que Acaba Colleen Hoover




Resenhas - É Assim Que Acaba


1081 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7 |


Lara.Bia 07/04/2020

Bom demais
Confesso que mesmo sem ser a minha intenção, julgava as mulheres que continuam casadas enquanto apanham do marido. Este livro serviu pra abrir meus olhos e perceber que não é tão fácil assim, falta empatia para não julgarmos a vítima
Daisy 23/05/2020minha estante
Não sabemos nem um terço do que acontece ...




Ana Karina 13/04/2020

É assim que acaba
Como sempre a autora despedaçando o nosso pobre coração com mais um livro ótimo como esse foi.

Aqui vamos conhecer a vida da Lily no presente onde ela vai conhecer o Ryle e o desenrolar do relacionamento deles e também vamos conhecer o passado dela onde ela teve muitos problemas familiares e ver ela conhecendo o seu primeiro amor o Atlas. Não vou fazer uma resenha muito extensa para quem for ler consiga sentir o mesmo que eu ao ler esse livro. Digo que é uma leitura necessária, aprendi muito com ele e pude mudar a minha percepção desse tipo de relacionamento no qual a Lily nos mostra com a sua história.
Se eu recomendo esse livro? Com toda certeza, leia e se possível, indique mais pessoas a ler ele, no momento em que estamos vivendo nós mulheres precisamos enxergar todo tipo de opressão que podemos sofrer sem nem perceber, sendo elas psicológicas ou físicas.
Raquel 13/04/2020minha estante
Livro sensacional e necessário demais


Thaís 13/04/2020minha estante
quero tanto ter coragem de ler esse livro kkkkk ta aqui na minha estante há décadas. mas to com medo de dar gatilhos :(


Ana Karina 13/04/2020minha estante
Oi Thais, ele é um livro bem pesado se a pessoa não souber lidar com as temáticas dele, tanto que eu comecei a ler ele em Fevereiro e fui terminar no final de Março, rsrsrs, eu comecei e vi que não era o momento, fui dar continuidade depois, vai lendo aos poucos para ir se acostumando com a história, e quando ler, vem me contar o que você achou. :)


Reis 27/04/2020minha estante
Sensacional, só lamento por não ter lindo antes.




Camila 18/05/2020

"É assim que acaba"...ou pelo menos tenta acabar, com as impressões e julgamentos que as pessoas fazem da vida dos outros!!

O tipo de livro que muda sua forma de ver as pessoas, e o mundo!!
Já me tornei fã da autora!
Recomendo!
comentários(0)comente



Lissa 26/05/2020

É uma história tão envolvente, consegui entender a Lily, no início eu ficava "pq ela ainda n acabou com esse cara?" Mas a história me fez vê o outro lado da moeda, a não julgar inconscientemente a mulher, e perceber o quão é difícil estar naquela situação, e o mais difícil que é sair dela, extremamente necessária e com muitos ensinamentos
@OsLivrosDaTha 26/05/2020minha estante
aaaah sou apaixonada pela escrita da Coco


(Ficaria muito feliz se você me seguisse por aqui)




lia 25/02/2020

Lá vai uma verdade nua e crua...
Esse foi o primeiro livro que me fez chorar. Chorei de angústia, tristeza e orgulho. Não esperava todas as reviravoltas e muito menos me identificar tanto.

Indico esse livro para todas as mulheres. De antemão, aviso que existe violência doméstica, mas leia. Leia porque todas nós pelo menos uma vez na vida passamos por algo assim e é difícil passar por tudo sozinha. Mas não é preciso.

?Ciclos existem porque é doloroso acabar com eles. Interromper um padrão familiar é algo que requer uma quantidade astronômica de sofrimento e de coragem.?

E ciclos podem ser quebrados.
Diana 25/02/2020minha estante
Homens também deveriam ler. Principalmente os que acham que a mulher é sempre a culpada pelo fracasso num relacionamento ou ainda pior: responsáveis pela atitude agressiva deles


lia 25/02/2020minha estante
Sim! Também! Desculpe se pareceu excludente... ?


Diana 26/02/2020minha estante
De maneira nenhuma pareceu excludente. Só reforcei pois a sensação que tive ao ler foi tão intensa quanto a sua. E terminei com a ideia se que deveria ser leitura obrigatória na escola considerando tudo o que podemos levar para a vida como lição ??


Inglid.Santos 27/03/2020minha estante
Como vc fez pra ler


Renata.Vieira 02/04/2020minha estante
Nao tô conseguindo ler




spoiler visualizar
Bart 27/03/2020minha estante
E assim inumeráveis mulheres passam pela situação! Qnd vc consegue resignificar o olhar de uma pessoa q passa por isso, ela nunca mais volta a cair nisso! Até prq o trabalho está em fazê-la se amar acima de td!!
Já gostei do livro!!


Neide.Braga 27/03/2020minha estante
O livro é MARAVILHOSO, sério!!
Me abriu os olhos.
Não vou falar muito para não dar spoiler.
Quando terminar me diz o que achou.




Aline 24/06/2020

Uma leitura obrigatória
Uma história forte e comovente.
Um livro destruidor, um amor destrutivo.
Acabou com o meu coração.

Lily é uma mulher forte que tem que fazer escolhas difíceis.
Ryle parece perfeito demais para ser real.


Atlas, o primeiro amor de Lily, é um cara incrível.
Uma leitura obrigatória.
Mi 24/06/2020minha estante
É tão maravilhoso!!!!


Aline 24/06/2020minha estante
Perfeito. Cheio de detalhes ?


Lana 24/06/2020minha estante
Amei ?


Aline 25/06/2020minha estante
Muito tocante




Katy 05/07/2020

Impedir o coração de perdoar uma pessoa que você ama é, na verdade, muito mais difícil que simplesmente perdoá-la.
Estou há dias tentando escrever a resenha desse livro e sempre parava porque NADA, N-A-D-A que eu disser chegará perto de expressar a magnitude que foi essa leitura e como ela me acrescentou enquanto ser humano.

Acredito que muitos de vocês, assim como eu, já se fizeram certos julgamentos ao saber de casos de violência doméstica em que a vítima sempre perdoa seu agressor. Nem digo julgar por maldade, mas sim ficar se perguntando por que diabos alguém se sujeita àquilo, sem reagir ou sem impôr. Pois então, se você já cometeu esse tipo de julgamento equivocado, esse livro é para você. E, ainda que não tenha cometido, acho que uma leitura assim sempre é um exercício de empatia, então sempre é válida

Em “É assim que acaba”, conhecemos Lilly em dois momentos de sua vida: a adolescência e a vida adulta.
O livro começa com Lilly voltando do enterro do próprio pai, ainda perplexa pelo fato de não ter conseguido dizer absolutamente nada de bom sobre ele. Ela vai então para o telhado do prédio mais alto da cidade, onde consegue observar tudo de cima e ficar sozinha com seus pensamentos. E é lá que ela conhece Ryle, um neurocirurgião que parece estar tendo um dia tão ruim quanto o dela.

Nos capítulos que mostram sua adolescência vemos uma menina de 15 anos muito ressentida com seu pai, que é um homem extremamente violento. Apesar de nunca ter sido violento com ela, é comum para Lilly ver ele agredindo sua mãe repetidas vezes, ainda que sua mãe sempre fizesse de tudo para agradá-lo. Motivo esse que fez com que Lilly também carregasse uma profunda mágoa da própria mãe, por esta nunca ter se livrado da situação e sempre ter defendido o marido nas inúmeras vezes que Lilly quis denunciá-lo. Lilly passou a ver a própria mãe como uma mulher fraca, submissa e sem nenhum amor-próprio, características das quais ela sempre fez de tudo para diferir.

É também na adolescência que sabemos da história de Lilly com seu primeiro amor, um mendigo chamava Atlas, que se abrigava em uma casa abandonada atrás do pátio de Lilly. Apesar de jovens, os dois cultivaram uma linda amizade, que começou com Lilly salvando a vida do rapaz, e foi crescendo até se transformar em um grande amor.

Paralelo a isso, vemos Lilly no presente, uma mulher forte e decidida, que foi embora do lar violento e refez sua vida em Boston. Ainda no telhado, Lilly e Ryle logo criam uma conexão, proferindo “verdades nuas e cruas” um para o outro. Ok, vemos aqui um dos clichês da CoHo, que é criar intimidade instantânea entre os personagens, pois apesar de Lilly e Ryle nunca terem se visto, ambos começam a confessar os pensamentos mais íntimos um para o outro, como espécie de uma brincadeira (o que é bem estranho de se fazer com quem não conhecemos).

Enfim, nesse vai-e-vem de confissões, Ryle fala que queria muito transar com ela, mas que jamais se relaciona com ninguém, que todas as pessoas com quem transa nunca passam de uma noite. Lilly recusa, dizendo que esse tipo de coisa não serve pra ela, e logo eles se despedem a vida segue normal para ambos.

Lá na frente, Lilly consegue realizar um dos seus muitos sonhos, que é ser dona de uma floricultura. E, no dia em que adquire o local para fazê-la, ela conhece Allysa, uma moça rica e entediada que busca um emprego apenas para se distrair. As duas se dão bem logo de cara e Lilly aceita contratá-la, dando assim início a uma linda amizade. Porém, o que ela não imaginava, é que Ryle é irmão de Allysa, motivo que os levaria a se reencontrarem, meses depois da noite em que se conheceram no telhado.

Esse reencontro dá início a uma história de amor e é MUITO difícil não gostar de Ryle, não torcer por ambos. Eles demoram um pouco para realmente se acertar devido ao fato de Ryle continuar com sua forte opinião sobre não ter relacionamentos, mas assim que isso passa, a história dos dois flui rápido. E é uma linda história, até Atlas reaparecer, fazendo Lilly relembrar de todo o amor que compartilharam.
Então, surge a violência do homem contra mulher. E, tal como deve acontecer na maioria dos casos, ela começa disfarçada de um impulso por “amar demais”. Começa “leve”, ainda que não exista leveza quando falamos de agressão. Mas quero dizer que o início é tão sutil, que conseguimos entender toda a relutância da protagonista.

Ela tem muito certo para si que jamais quer passar pelo mesmo que a mãe passou, mas será que vale a pena jogar toda uma história de amor fora por causa de um empurrão num momento de impulso? Será que não vale dar mais uma chance, afinal, “todo mundo erra. O que determina o caráter de uma pessoa não são os erros cometidos. É como ela usa esses erros e os transforma em aprendizados, não em desculpas.”

E então você perdoa uma vez, pois o agressor parece realmente muito arrependido, e vocês têm uma história linda e ele está jurando que não vai mais fazer e você tá tão destruída por estar passando por isso, que parece que a única pessoa que pode entender, consolar ou mesmo consertar isso, é aquela que causou. É um abraço dos mesmos braços que vieram o tapa. Um carinho da mesma mão que veio o soco. Uma noite tranquila e sem brigas dormindo ao lado do mesmo corpo que tentou violentar o seu. “Às vezes as coisas mais importantes na vida de uma pessoa são as que mais a magoam.”

E foi assim que Lilly aprendeu que é muito fácil julgar quando não é seu lugar de fala. Que a gente só entende a proporção de uma coisa dessas quando sofremos na pele e que até isso acontecer (e espero que nunca aconteça!), só nos resta ter empatia.

“As pessoas passam tanto tempo se perguntando porque as mulheres não vão embora... Onde estão as pessoas curiosas do porquê os homens serem violentos? Não é aí que deveria estar a culpa?”

Gente, é uma leitura pesadíssima, devido às incontáveis reflexões e dilemas que traz. Mas posso garantir que vale cada página. Para finalizar, só queria acrescentar mais uma observação: vi muita gente reclamando da romantização do agressor, por ele ser um personagem lindo, inteligente, carismático, romântico e ter um passado doloroso. Vocês já pararam pra pensar na grandiosidade disso? Agressor não tem cara.

Agressor não é sempre só o cara babaca, fedorento, que arrota na mesa e faz discurso machista. Se fosse assim, certamente haveriam alguns casos de violência a menos, pois caras assim são reconhecidos de longe. Mas toda mulher que sofre violência do cara pelo qual é/foi apaixonada, já também vivenciou muitas coisas boas ao lado desse cara, coisas que fizeram ela se apaixonar. Isso que é o mais difícil, porque é por esse cara que elas esperam toda vez que perdoam. Enfim, leiam esse livro. Leiam inclusive a nota da autora, que é super emocionante e explica o motivo pelo qual ela contou essa história. Trabalhem mais a empatia, isso é sempre necessário.
comentários(0)comente



spoiler visualizar
Rafa 29/07/2018minha estante
Me identifiquei tanto com teu comentário, obrigada


Talita.Chahine @cutucandoahistoria 30/07/2018minha estante
Concordo com você , e a coisa fica pior ainda quando a autora usa sua própria experiencia de vida para justificar seus atos. Ao final do livro ela conta a sua historia com um abusador dentro de casa, e diz que sua mãe simplesmente se divorciou e seguiu com a vida. Mas em nenhum momento ela deixa claro que isso nem sempre é o que acontece, uma pessoa violenta não vai embora pacificamente... E nem tudo que funciona com uma pessoa vai funcionar para todas !!!


Giovanna 13/08/2018minha estante
Você leu as notas da autora no final? vai ver que ela escreveu o livro em homenagem a mãe. Que foi baseado no relacionamento dos pais, incluindo a primeira agressão na cozinha foi a primeira agressão que a mãe dela sofreu do pai, e a mãe dela se separou do pai logo quando era criança e nunca falou mal do pai, ele nunca foi agressivo com as filhas. Por isso a Lily não denunciou, porque a mãe dela n vida real não denunciou e assim ela pode ter um relacionamento com pai sem ter lembranças ruins dele com a mãe.


Giovanna 13/08/2018minha estante
Ela quis mostrar como a mãe foi uma mulher forte de não se prender num relacionamento por conveniência, por medo de não ter onde viver, por medo de não ter como sustentar as filhas. Ela quis ser o mais fiel possível a mãe, dando finais parecidos para ambos os pais.


@ketstrapazzon 15/08/2018minha estante
Oi Giovanna, li, claro. Compreendi isso. Minha crítica é que, ao transformar isso em ficção, (que tem outra relevância) ela abre para a interpretação de que a mulher deve tentar fazer isso com seu agressor. Deixar ele ir, impune. E sabemos que nem todo agressor vai ser 'bonzinho' e ir embora como o pai da Colleen foi. A experiência das mãe dela, infelizmente, é a exceção, não a regra. Mas como comentei, essa foi a minha reflexão. Vai variar de pessoa para pessoa e tá tudo bem! Beijão!


carolina.trigo. 23/01/2019minha estante
Eu gostei do livro, principalmente ao retratar a violência doméstica e como ela é normalmente vista de fora, como acontece com a Lily e sua mãe. Mas também tive essa impressão. Que a Colleen, ao meu ver, meio que justifica a mulher não denunciar o marido porque ele sente muito. Dependendo de quem está lendo, pode passar uma ideia errada.
Para mim, os pontos altos foram os diários da Lily, pois ela traz vários questionamentos importantes e como muitas vezes é difícil para a mulher sair de um "relacionamento" assim.
E olha que adoro as histórias da autora. Tanto que mesmo com as minhas ressalvas ao livro, li ele muito rápido.
Excelente o seu comentário!


sadbitch 02/07/2019minha estante
Ao ler sua resenha me lembrou muito outro livro da Colleen, o lado feio do amor. Nada novo sob o sol ver a autora fazer isso. Ela fez algo parecido com um personagem de "O lado feio do Amor". Miles era um babaca de carteirinha, e a Tate um trouxa sem limites, Miles tratava Tate de forma ridícula, o que me deu muita raiva foi a justificativa de ele agia dessa forma por causa de traumas passados... o final desse livro é a coisa mais tosca do universo, tenho ranço até hoje por ter lido essa b****. As autoras tem que parar de tentar justificar e romantizar atitudes esc**ro*tás, isso é uma das coisas que faz com que eu não curta muito "romance romântico".


Barbara 31/08/2019minha estante
eu entendo PERFEITAMENTE o que vc quis dizer e pensava assim ate o momento do parto, que foi quando lembrei da nota inicial da autora, essa historia era sobre alguem, li as notas finais depois de terminar e minhas suspeitas se confirmaram. Essa n era uma historia moral da coisa certa a se fazer nesses casos e nem uma representacao fiel da maioria dos agressores, era a historia da mae dela e do que ELA presenciou, ela deixa bem claro nas notas finais e ate alerta sensatamente sobre isso. Que nao é o perfil da maioria. Entao se vc leu as notas finais e ainda sim pensa desse jeito, n entendeu o que ela quis passar, ela cumpriu o que se propros escrever. Longe de mim defender essa autora, pois november 9 e ugly love foram ruins demais, mas nesse caso eu defendo pois é necessário.


Rafaela 08/01/2020minha estante
obrigada, é exatamente isso, eu senti que toda hora ficavam passando pano pro Ryle




Bruna.Mendes 04/05/2020

Resenha + Quotes da Bruu ?
Lily é uma mulher forte e trabalhadora de 23 anos. Quando conhece o neurocirurgião Ryle Kincaid que é um cara independente e que já deixa claro que não quer ter nenhum tipo de compromisso.
Porém a química entre eles é nítida, depois da noite em que se conheceram, só se viram 1 ano depois.
O livro começa com a Lily narrando o velório de seu pai. Ela sente que é neste momento em que sua vida realmente começa, por muitos anos, Lily viveu em uma casa em que seu oai agredia diariamente a sua mãe.
E um dos medos da Lily é que aconteça o mesmo com ela.
Lily sai da sua cidade e vai para Boston, decide abrir a sua própria floricultura. Quando conhece Alicia, uma mulher rica que é casada com o Marshall.
Alicia é nada mais e nada menos do que a irmã do Ryle, ela se oferece para trabalhar na floricultura, pois ela se sente inútil e que quer ocupar seu tempo.

QUOTES:

"Mas vai passar. É a natureza humana: curar uma ferida antiga e preparar uma nova pele."
?
"Você me avisou. Disse que uma vez com você não seria o suficiente. Disse que você era como uma droga. Mas não falou que era o tipo de droga mais viciante de todas."
?
"Você não me pressionou para que eu fosse algo que não sou capaz de ser. Me aceitou como realmente sou!"
?
"Todo mundo erra. O que determina o caráter de uma pessoa não são os erros cometidos. É como ela usa esses erros e os transforma em aprendizados, não em desculpas."
comentários(0)comente



C. P. 15/06/2020

de amor da minha vida pra pesadelo
Dizem que não se é aconselhável ler nada de sinopse ou resenha desse livro.... Então, se estiver lendo isso, paaare imediatamente rsrsrs
mas pulando a brincadeira... não vou mentir... teve momentos dificeis de ler esse livro... a coisa toda da violência doméstica foi de partir o coração... quase larguei o livro só pela sensação ruim. Mas pelo jeito, não vou desistir da autora
comentários(0)comente



Rayssa 11/05/2020

Um livro sobre amor, desafios, corações partidos, que fez com que eu me odiasse em muitos momentos, fez com que eu me sentisse envergonhada, que me fez sorrir e chorar, mas acima de tudo um livro que me ensinou que para viver é preciso ter sobre coragem.
Lily, é umas das pessoas que mais quero conhecer na vida depois de ler esse livro.
Lily me ensinou a não julgar, Lily me ensinou que escolhas são difíceis, Lilly me mostrou que para amar temos que nos arriscar, Lily você me mudou.
???(piada interna haha)
isinha 11/05/2020minha estante
HINO DE LIVRO


Midy 11/05/2020minha estante
Ah! Gostei de ler essa resenha, sem dizer a real do livro. Estou no começo da leitura ainda. ??


Rayssa 11/05/2020minha estante
Aaah fico muito feliz. Espero que goste da leitura tanto quanto eu. ?


Midy 11/05/2020minha estante
???




JacBel 27/06/2020

Em caso de violência doméstica, denuncie
Nos mostra como é o sentimento conflitante das pessoas vítimas de violência doméstica, que nem sempre é fácil sair desse meio, o livro é excelente e me deixou desconfortável inúmeras vezes, como tem que ser em relação a esse assunto
comentários(0)comente



Jeh 23/05/2020

Sensacional... E este elogio ainda é modesto para este livro incrível!!!
Eu tô sem palavras para descrever meus sentimentos por este livro! Uma leitura marcante, sem sombra de duvidas; te prende do começo ao fim, e a forma que a autota trata sobre um tema pesado com leveza me conquistou.
Ela nos revela nossos pensamentos mais sombrios ao julgarmos alguém que vivencia esse problema ao msm tempo que nos dá um tapa na cara nos ensinando como a pessoa pensa e sofre, mostrando que nunca é tão fácil qnto parece!
Mas Lily deu a volta por cima. E acho que em parte a historia ser tão bem escrita é pela autora ter se inpirado nela msm...
O livro não tem nada de cansativo ou repetitivo é super fluido... Até a nota e os agradecimentos da autora nos cativa e emociona.
E qndo ta qse no finzinho que pensamos " que merda" nos surpreendemos com um final perfeito!! Eu amei.

Agora sobre o livro: Lily foi uma adolescente com um lar conturbado. Teve seus medos e seus amores e perdeu tudo.
Qndo adulta, se muda para Boston (onde tudo é melhor) e vai atrás dos seu sonhos e onde conhece Ryle; um neurocirurgião super atraente que logo de cara revela todas as suas intenções que são contrarias ao que a propria Lily quer. Eu curti muito a forma que os dois se conheceram e suas " verdadea nuas e cruas", uma boa forma de se iniciar um relacionamento.
Depois de algumas idas e vindas os dois iniciam um relacionamento que parece ser perfeito até se transformar em um pesadelo para Lily. E o fato de seu amor da juventude reaparacer não ajuda em nada.
É incrivel a forma que a autora retrata tudo e deixa até mesmo nós, leitores, em duvida sobre Ryle e até msm querendo que Lily lhe dê mais uma chance... achei uma tacada de mestre da autora nos envolver desta maneira na trama!
Em determinadas partes onde Lily se abre para sua mãe e sua cunhada, que é sua melhor amiga, pesei que seriam condescendentes e ficaram do lado de Ryle; porém, muito satisfeita fiquei qndo não foi o que aconteceu.
E qndo chega o final nós não duvidamos nem por um segundo q a escolha foi errada e passamos a apreciar ainda mais Lily e sua corajem e ousadia!
Não tive escolha a não ser favoritar e agora não tenho outra escolha a não ser te recomendar este livro magnifico!!
Anne Melo 23/05/2020minha estante
Maravilhosooooo


Anne Melo 23/05/2020minha estante
Favorito também


Jeh 23/05/2020minha estante
Não tem como não favoritar amiga;muito perfeito! Tô apaixonada...
Meu bolso ta sofrendo, pois já quero todos da autora... rs rs


Fran 24/05/2020minha estante
Já está na minha lista, quero muito ler ele ??


Jeh 25/05/2020minha estante
Vale muito a pena Fran...
Passei ele na frente de varias leituras e sem arrependimentos




Aritany 24/05/2020

Leitura extremamente necessária
Não tenho como começar a descrever o misto de sentimentos que tive durante essa leitura.
Me apaixonei e odiei Ryle durante todo o livro, sofri e chorei e ri com Lily e amei Atlas.
Essa é uma leitura extremamente necessária e um aprendizado que vou carregar e também o sofrimento por todas as mulheres que estão na mesma situação em que Lily se encontrava.
Apenas leiam.
comentários(0)comente



1081 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7 |