O Homem de Giz

O Homem de Giz Stephen King
C.J. Tudor




Resenhas - O Homem de Giz


2274 encontrados | exibindo 1 a 16
1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7 |


Paula 12/04/2018

Nadou, nadou e morreu na praia.
Um thriller elogiado pela crítica especializada e comparado a grandes autores como Stephen King e Jo Nesbo? Oba, vamos lá, não tem como errar nisso. Só que tem, e muito.

A obra claramente tentou pegar carona em histórias recentemente hypadas na mídia como It - a coisa e Stranger Things, todo o clima de cidade pequena com mistérios e um grupo de crianças com seus próprios segredos. Nenhum problema até então, excelentes obras literárias surgem como uma tentativa de homenagem outros escritores. O lado negativo é quando você não consegue imprimir sua própria personalidade e ao invés de uma homenagem a história se torna uma colcha de retalhos, com elementos de vários lugares porém sem funcionar por si só.

O Homem de Giz tem muitas falhas, uma delas é o desenvolvimento dos personagens. Todos são absolutamente irritantes, e com exceção do protagonista são rasos e não escapam de velhos padrões do gênero. E mesmo o protagonista beirando a um bom desenvolvimento não chega lá, é clara a tentativa da autora de humanizar o personagem colocando falhas de caráter (e explicando a origem de cada uma delas) , só que não acontece uma identificação com o leitor, pois o que era pra ser sensível e real acaba simplesmente se tornando maçante.
Pior do que o desenvolvimento dos personagens foi o enredo em si, além do final completamente previsível, a autora desenvolve explicações abomináveis para justificar outros acontecimentos pequenos que vão ocorrendo ao longo da trama. Um conjunto de coincidências extraordinárias e sincronizadas mas que no final não tinham ligação entre si, só calharam de ocorrer todas na mesma cidade e na mesma época para que o leitor pensasse que tinha uma elaborada tramoia ocorrendo por trás de tudo. Um artifício tão pobre e indigno quanto o velho "dar um susto no leitor mas na verdade era só um sonho". Sério, esse tipo de coisa não cola mais, deixa a história pobre e tira completamente a credibilidade do livro. Sem falar alguns furos ENORMES que a C.J. Tudor nem mesmo se deu ao trabalho de tentar explicar, adivinha porquê? Já tinha muitas coincidências, muitos personagens soltos e desnecessários na trama, não tinha mais onde enfiar justificativa meia boca sem escancarar o quanto a história é pobre e cheia de furos.
E por falar em personagens soltos, somos apresentados a alguns tão descartáveis que até o momento eu não entendi muito bem o propósito deles na trama. Exemplo, a garota que faz parte do grupinho no começo do livro, quando parece que a autora vai começar a desenvolver e dar uma justificativa pra ela estar ali (além de ser filha do pastor, única garota do grupo e por quem o protagonista alimenta uma paixonite), ela é completamente descartada da obra e retorna anos depois com uma única função (mas que poderia perfeitamente ser desempenhada por outro personagem sem alterar ABSOLUTAMENTE NADA na história).

Dei 2 estrelas apenas pela escrita da autora mesmo, é limpa e fluída e consegue te prender em alguns momentos. Queria dizer que foi uma boa tentativa, mas C.J. Tudor ainda tem que comer muito arroz com feijão pra ao menos ser comparada com bons autores de thriller.
Jo 11/06/2018minha estante
Nem vou perder tempo. Sei como vc deve ter se sentido. Também já li alguns que a critica comparou a Stieg Larson, Jo Nesbo e Mankell. Me arrependi até o ultimo fio de cabelo. Vou passar um "apagador" no homem de giz, kk.


Kah Gessy (@naoeaterradonunca) 26/06/2018minha estante
Nossa, sua resenha expressa exatamente o que senti ao ler esse livro.
Sinto como se a autora tivesse se saído muito bem até metade do livro, depois foi só ladeira abaixo.
Ela poderia ter utilizado os vários ganchos que "jogara" sem motivo nenhum na historia, mas não , escolheu um final bem forçado e ruinzinho, bem nosense mesmo...Poderia ter ficado sem ler esse livro.


MariBrandão 13/07/2018minha estante
Nossa...esse livro foi uma decepção....li alguns comentários muito bons, fiquei super empolgada pra ler.....bela meleca!!!!


larameneghel 31/07/2018minha estante
Resumiu EXATAMENTE meu sentimento ao terminar o livro!


Junior 31/08/2018minha estante
Quero aproveitar a promoção da BookFriday e este é um dos livros que eu coloquei no carrinho.
Mais uma vez o Skoob me livrou de uma decepção. Já vou voltar lá e dar uma ajustada na minha lista.


Anoca Freitas 04/09/2018minha estante
Concluí a leitura agora há pouco e é exatamente isso aí que você falou.
Confesso que não achei o fim assim tão previsível, mas essa sua colocação de que "acontecimentos pequenos" foram "coincidências extraordinárias e sincronizadas" traduz o meu sentimento em relação a esse livro.

No Twitter, comentei que demorei 90% do livro para entender aquilo a que ele se propôs, e a C.J. Tudor acabou achando que eu "não entendi o livro" (problema da tradução do tweet). interagimos um pouco por lá e ela foi muito respeitosa com a minha opinião. Ano que vem, dois novos livros serão lançados e estou disposta a lê-los.


Paula.Peixoto 20/09/2018minha estante
Nossa! E ele estava na minha lista (interminável) de "quero ler"! Mas, depois de ler suas considerações, acho que vou repensar essa aquisição!


Maria Ester 06/11/2018minha estante
Nadou, nadou e morreu na praia. tá louca


Rodd 13/11/2018minha estante
Eu ia escrever uma resenha, mas você felizmente me poupou do trabalho. Essa foi uma das leituras mais decepcionantes que eu já tive e certamente a pior desse ano. Ainda bem que a versão que comprei foi a digital e custou menos de R$ 7,00. Ficaria muito p. da vida se tivesse pagado caro por um livro que não entregou nada do que prometeu. Personagens mal desenvolvidos, acontecimentos que não levam a lugar nenhum, final previsível e absurdamente ruim. Só dei 2 estrelas porque teve um ou outro capítulo interessante. Caso contrário nem uma estrela eu daria.


Jailson 04/12/2018minha estante
Me senti igual. Começa bom e vai ficando ruim. Tantos acasos acontecendo ao mesmo tempo e a maioria sem uma função ou explicação legal. O desfecho do principal fato, o roubo da cabeça, decepcionou no nível máximo.


Mani 28/12/2018minha estante
Alguém poderia me explicar uma hipótese para o acidente com a elisa ter o mesmo ferimento que o Hoppo no final do livro? Eu tava pensando que a autora queria sugerir a mesma forma de tentativa de assassinato para os dois.


Valeria 08/01/2019minha estante
Engraçado, a história tem um monte de furos ate pq quase foi cópia de It, a Coisa. Por isso a presença da Nick, unica menina agredida pelo pai mas achei maçante o começo. Do meio para o final começou a ser mais instigante. Mas o final de tudo foi..... Comassim?


Bruno 12/07/2019minha estante
Eu terminei hj e, tipo, a garota do grupo Nicky para que a autora copiou a Beverly do It A Coisa: unica garota no grupo de meninos, ruiva, espancada pelo pai que desaprova que ela ande com meninos. Sei lá, esperava uma serie de mortes tanto no passado como no presente (achei que o homem de giz seria um serial killer, grande decepção a minha) sem falar no final que eu adivinhei faltando umas 40 paginas pra acabar, mas esperava que eu estivesse errado e que iria me surpreender no final. Decepcionante. Nem vou passar perto do novo livro da autora


Silvia AC/DC 16/07/2019minha estante
Que bom ter lido a sua resenha, eu ia comprar este livro!


Luisa.Fonseca 09/10/2019minha estante
Nossa, OBRIGADA por ter resumido o que pensei e não consegui expressar hahaha...Fiquei decepcionadíssima, li tantas críticas boas e achei o livro uma bela porcaria. Socorro, ninguém que tenha lido livros decentes de fantasia e suspense pode achar "O homem de giz" bom.


Lourenço 30/10/2019minha estante
Conta comigo, SK, garotos, corpo na floresta, irmão mais velho violento, e por aí vai... Mas o pior é usar o recurso de sonho para dar um aspecto sombrio... Desnecessário


Walter.Campos 26/12/2019minha estante
Sua resenha foi ótima. O livro é uma decepção total. O livro é uma colcha de retalhos com histórias que não têm muita relação entre si. Faltou apenas mencionar que o que seria o elo que ligaria todos os acontecimentos estranhos, que seria a identidade do Homem de Giz, título do livro, que remeteria, talvez, a um misterioso serial killer, não nos é apresentado por que, simplesmente, não existe. O desaparecimento da cabeça da primeira vítima, também, tem uma explicação que beira o ridículo. E, no final, nos damos conta de que todos personagens do livro são infelizes e mal resolvidos....


Carmen 06/01/2020minha estante
Li o livro en três dias, ontem vim aqui e li isso que você escreveu "nadou, nadou e morreu na praia", não quis acreditar, nem spoiler e vim terminar de ler.
Li muito rápido, devorei tudo, sempre pensando no que será, no que pode ser - quem lê muito suspense já vai juntando uma coisa com outra e pensando em quem fez tal coisa.
Achei um livro ok, que serviu ao seu propósito de "passatempo", mas não me surpreendeu.
No final todos os mais velhos tinham alzheimer, demência, esquecimento e coisa do gênero, achei péssimo


Claire Calegari 01/03/2020minha estante
Eu achei que tinha muito talento para um suspense bacana, mas abriu porta para inúmeras dúvidas e no final não desvendou nem 1% delas.


CadenThrones 27/03/2020minha estante
Acho que esse é o livro que mais me deu raiva de ler, e o primeiro tb. Principalmente pq achei um total desperdício de uma ideia (a dos desenhos de giz, os símbolos e etc), e que podia muito bem elaborar uma trama investigativa diferente e um tanto inovadora, mas foi uma decepção ver que a ideia foi jogada aos porcos quando a história se rendeu ao idiotismo e ao raso enquanto usa do marketing como bengala pra poder vender. Antes de lê-lo, eu tinha interesse de ler o segundo livro da autora, "O Que Aconteceu Com Annie", mas depois de O Homem de Giz, eu vi como a autora é capaz de matar boas ideias com péssimas histórias.


Iva 30/03/2020minha estante
Acabei lendo críticas semelhantes a essa história,fui lendo achando que o livro poderia ser diferente,mas infelizmente não foi, realmente não gostei.


Melina.Mollica 25/04/2020minha estante
Achei muito superestimado!


Ana Cláudia Barcelos Petry 01/05/2020minha estante
Excelente título "nadou, nadou e morreu na praia". Foi a mesma sensação que tive quando li esse livro. Nada de excitante na história e muitas pontas soltas.


Quel 20/05/2020minha estante
Aqui


Clara 02/06/2020minha estante
Gente? Eu amei o livro, me apaixonei por esse estilo literário, virou um dos meus preferidos


Mrx 08/06/2020minha estante
Nadei nadei e amei


Rubia 19/06/2020minha estante
Entendi perfeitamente o que você sentiu com a leitura. Gostei, mas pra mim existem muitas pontas soltas, coisas que poderiam ser melhor explicadas e não deixadas para o leitor deduzir, primordiais. Só uma observação, esse história foi escrita um ano antes da série stranger things, a autora foi ignorada por editoras durante dez anos. De resto, assino em baixo !


Milena 03/07/2020minha estante
Nossa, concordo, achava que era bom pq tinha ouvido falar que era. Mas não me surpreendi nem um pouco e no final achei que tudo ia estar ligado, mas não tava, o que me decepcionou, pois a minha curiosidade pra saber o final fez eu devorar o livro...pro final ser assim.


Letti 07/09/2020minha estante
Nossa, concordo totalmente!


Abrahan 08/09/2020minha estante
Sim! Eu concordo com você em tudo.
Comprei este livro por conta de muitos booktubers que elogiaram muito e o comparam com os livros do king e me arrependo profundamente por ter gasto meu dinheirinho suado nele.


Abrahan 08/09/2020minha estante
Eu tive que ler duas vezes, na primeira larguei na metade e depois de meses li (pq se eu comprei eu tenho que ler) e só me senti frustrado.


Vika 14/10/2020minha estante
Eu achei bem escrito e tal, mas esse final ficou muito a desejar, além das diversas pontas soltas que não foram esclarecidas, decepcionante.


Debora's bookshelf 17/10/2020minha estante
Quem leu "IT" fica irritado com as cópias. Até mesmo a guerra de pedras foi copiada. É quase um plágio e não tem emoção nenhuma.


Abrahan 24/10/2020minha estante
Sim sim


Joao.Victor 31/10/2020minha estante
Eu abandonei a leitura e comecei uma nova. Não consegui me senti atraído pelo enredo e muito menos pelas personagens. Fiquei extremamente hypado e acabei me decepcionando, mas amém.


Maah 08/11/2020minha estante
Sinto muito mais tive uma impressão completamente diferente, adorei o livro, adorei as mudanças de ano que a autora desenvolveu no livro e estou amando o enredo


katy 15/11/2020minha estante
A expectativa era grande nossa, tava super na vibe de suspense. Comecei esperando algo que fosse enfim me deixar MEU DEUS! mas isso não aconteceu. A história parece que foi toda mastigada senhor. Pura decepção.


Eduarda_Fistarol 25/11/2020minha estante
Gente e eu não entendi quem fazia esses desenhos, claro que alguns eram o ed que fazia com seus amigos como ele explica no final, mas por exemplo os desenhos apareciam em vários lugares como na casa dos amigos deles na hora que a mulher do carrossel sofre o acidente, na hora que ed sonha com menino morto. Eu gostaria de entender, se caso alguém leu e eu perdi alguma parte !!! Eu li a metade dele depois desisti e acabei na força do ódio então acho que acabei perdendo o rumo e por isso não entendi isso.


Tuts 08/02/2021minha estante
Alerta de bomba ??


Elisa 26/02/2021minha estante
Pra min foi completamente o contrário, eu adorei o livro, me prendeu do início ao fim e não achei final nem um pouco previsível


Sarahsz7 07/03/2021minha estante
Eu achei o livro maravilhoso mas fiquei em dúvidas com alguns fatos que não desvendaram


Brubs 12/03/2021minha estante
Pessoas sensatas.


Jenny 13/03/2021minha estante
Sim. Acabei de ler e foi uma perda de tempo. Em nenhum momento me senti instigada com nada, não dá pra empatizar com nenhum personagem e o final chato e previsível também ;-;


Abrahan 13/03/2021minha estante
Exato.


Ludyzz 15/03/2021minha estante
Sim meudeus, um livro muito previsível e que me decepcionei pois meus amigos amaram e super indicaram, foquie brava com o final e com o sentimento de perda de tempo :/


Michelle.Borges 30/03/2021minha estante
A ideia era boa, porém a história se perdeu bastante, poderiam ter explorado mais assassinatos e personagens mais intrigantes


mareududs 05/04/2021minha estante
Realmente, ficou muitas pontas soltas na trama porém, eu não achei de todo ruim não, também senti que a Tudor quis trazer coisas repetidas e é maçante mesmo. Eu nao esperava nenhum dos plot da trama, apenas aquele do final mesmo. Fiquei surpresa e gostei muito. Devorei o livro


Felipe 11/04/2021minha estante
O livro é muito ruim, você foi generosa ainda de dar 2 estrelas.




Gabi 08/06/2020

Na duvida, leia você mesmo!
Logo que "O homem de giz" foi lançado eu o comprei. Em pouco tempo começaram as resenhas negativas que acabaram me desanimando a lê-lo.
Esse mês, numa brincadeira com alguns colegas, escolhi esse título como "um livro encalhado" e, para minha - grata - surpresa, eu AMEI!!!

A narrativa é atemporal com uma diferença de 30 anos. Temos os personagens principais crianças e adultos, não muito felizes com suas vidas. Quando um deles retorna a cidade depois de alguns anos, traz consigo, um passado ainda não explicado.....

Com capítulos alternados entre passado e presente nos deparamos com um livro extremamente bem escrito!!! Sem descrições desnecessárias, sem desfecho que "cai do céu". Tudo se fecha, tudo é explicado.

De verdade, eu amei!!!

E deixo meu conselho: tire sua duvida lendo!!!


comentários(0)comente



Lizia.Yohanna 07/04/2021

Grandes reviravoltas
Eu amei esse livro, fiquei presa do início ao fim nunca imaginei quem era o assassino e muito menos o que tinha acontecido realmente pra chegar aquele desfecho. As revelações finais entre os amigos me deixaram chocadas parece que nenhum ali realmente era inocente, todos culpado de alguma coisa. A história foi muito bem escrita e fiquei empolgada para ler mais livros dessa autora.
comentários(0)comente



Suh 28/08/2020

Fiquei surpresa
O homem de giz foi um livro que comecei bem empolgada, porque sim, eu julgo o livro pela capa.
Antes de começar a ler, fui dar uma olhada em sites para saber melhor sobre o livro, já que não tem muita coisa escrita atrás ou dentro que conte sobre o que a história se trata, logo quando você pesquisa homem de giz, aparece que se você gosta de Stephen King (no caso It) e Stranger Things, provavelmente é uma história que vai te agradar.
Recentemente, eu terminei de ler It e apesar de não ler nada sobre Stranger, eu assisti.
De começo algumas coisas básicas me irritaram: os nomes semelhantes e alguns padrões como vários meninos e apenas uma menina e aparentemente as características físicas serem muito similares.
A escrita da C. J. Tudor é maravilhosa, o que fez eu me prender no livro, várias vezes pensei em desistir por ter muita cópia de It, porém com o desenrolar da história eu achei fantástica.
Basicamente, acontece um assassinato e aparecem vários desenhos com homens de giz, ninguém sabe se começou com o assassinato ou com os homens, todas as minhas perguntas durante o livro foram respondidas.
O livro me surpreendeu muitooo, quando eu achava uma coisa, acontecia outra totalmente diferente e me dava um tapa na cara.
Thi 28/08/2020minha estante
Eu também gostei de As outras Pessoas ... :)


T3mpest4d3 28/08/2020minha estante
Realmente, no comeco eu me irritei um pouco pq estava mto parecido com it, a coisa, mas com o andar da historia, me surpreendi e vi q sao livros mto diferentes e ambos perfeitos


Suh 28/08/2020minha estante
Eu quero muito ler ?As Outras Pessoas?.


Suh 28/08/2020minha estante
Exatamenteeee, eles têm histórias diferentes e cada uma delas tem suas particularidades. ???


Gabriel 28/08/2020minha estante
Deu até vontade de dar uma segunda chance pra esse livro. Parabéns pela resenha!


Suh 28/08/2020minha estante
Obrigada Gabs, tenta dar uma chance pra ele sim, vale super a pena! ???


Madeira 02/09/2020minha estante
Comecei a ler pq sua argumentação foi bem convidativa! Ótima resenha!


Suh 02/09/2020minha estante
Ahhh, muito obrigada, eu fico muito feliz que a minha resenha fez você sentir vontade de ler esse livro maravilhoso! ??
Depois que terminar de ler, me fala o que achou! ??


Madeira 02/09/2020minha estante
Pode deixar! Rs


Suh 02/09/2020minha estante
??


Maju 08/09/2020minha estante
Li e tenho algumas dúvidas, e como vi que todas as suas foram respondidas, me ajude pq n aguento mais!!! Quem desenhava os bonecos? Devido ao final, ele fez cometeu o crime então? o q vc entendeu?


Suh 08/09/2020minha estante
Os desenhos começaram por conta do Sr. Halloran, mas não era ele que desenhava (quando comecei a ler pensei que era ele), todas as crianças desenharam em certo momento, cada uma com sua cor, só que, Eddie trapaceou e começou a desenhar usando a cor de todo mundo e também quem criou o traço para chegar ao corpo foi ele, vale ressaltar que quem desenhou o cachorro de Hoppo foi Mickey.
Sobre o crime, quem matou a menina do Twister foi o reverendo pensando que era sua filha, porém Eddie seria culpado por Vilipêndio a cadáver (ações que desrespeitam o cadáver e convenhamos que se alguém rouba a cabeça da pessoa morta é um tanto quanto desrespeitoso).




Jorge 21/07/2020

...e a garota do bosque nunca voltou a ficar completa.
Muito bom! A história é fantástica, cheia de misterios e desfechos interessantes.
Com uma escrita agradável a autora conseguiu prender minha atenção com maestria e os diversos acontecimentos me fez criar diversas teorias, o que tornou a leitura ainda melhor.
Enfim, se você está na dúvida ou quer uma nova leitura, pode entrar de cabeça nesse livro, você não vai se arrepender.

Obs: Sim tem uma ponta solta ou outra, mas dá para deixar passar.
comentários(0)comente



Fabi 15/06/2020

Bem mais ou menos, mais pra menos
Admito que a leitura é fluida e você não consegue parar de ler até chegar no fim, mais o desfecho e a história toda em si é chata, a única coisa boa nesse livro é a escrita da autora que te prende, ela sabe como te pegar e não soltar, mais só. Porque a história é muito fraca em si. Esperava bem mais por ser um livro tão falado.
15/06/2020minha estante
Tive a mesma impressão


Mi 15/06/2020minha estante
Te entendo bem!!

Mas se puder, de mais uma chave pra CJ e leia "o que aconteceu com Annie?"

Ela melhora muito sua narrativa e um livro bem melhor do que esse, que foi o primeiro livro dela.


Ju 15/06/2020minha estante
O mesmo aconteceu quando li ?O que aconteceu com Anne? da mesma autora.


15/06/2020minha estante
Já li também. Achei que os dois livros o final insatisfatório. Agora tem o livro novo dela mas não estou com nenhuma vontade de ler. Decepcionei com os dois livros


Fabi 15/06/2020minha estante
Tenho o que aconteceu com Annie aqui acho que já viu engajar como próxima leitura pra saber se devo gastar meu suado dinheirinho com o novo livro dela kkkkkk


15/06/2020minha estante
Hahahaha depois conta o que achou...


Mi 16/06/2020minha estante
Acho que a escrita dela envolve sempre algo em aberto haha

Veremos o próximo!




Andrea 23/01/2021

Supor te faz parecer um idiota
?Resenha: O Homem de Giz ?

"Supor nos faz parecer idiotas"

? O livro nos traz a história de Ed, Gav, Hoppo, Mickey e Nick; uma turma de amigos que descobrem uma maneira de se comunicar entre si, desenhando homens de giz na rua, cada um com a sua cor. Quando um homem de giz branco (que não era a cor de nenhum deles) aparece e junto, os corpos começam a surgir, a vida dessas 6 crianças vira de ponta cabeça.

? A citação que mencionei define minha leitura: Tudo que supus durante a história, fui feita de besta hahahahaha. É cada reviravolta!!

? A narração é feita por Ed, e o tempo desenrola-se entre 1986 e 2016. Um Ed de 12 anos, curioso, amigo, aventureiro; e um Ed de 42 anos, velho, amante de uma (ou várias) bebida, cansado e com muitos segredos.

? São muitos mistérios. Muitas questões. E tudo se amarra no final. Achei meio lento no começo, no meio fluiu melhor e nas últimas 70 paginas, tudo voou. Tudo é respondido, e as 2 páginas finais me deixaram de boca aberta.

? Um bom thriller de suspense. Entrega o que promete. Fiquei curiosa em conhecer outros livros da C.J Tudor.



#ohomemdegiz #intrinseca #livrosdesuspense #cj #cjtudor
Campos 23/01/2021minha estante
Fiquei curioso ?




Patricia Lima 04/03/2020

O Homem de Giz
Definitivamente você demora muito pra entender como é essa história, achei bem complexo de encaixar as coisas no início.

Principalmente porque a narrativa fica alternando entre o passado e presente e da pior forma possível, que é terminando os capítulos com revelações que ficam pra depois.

Mas o depois muda a narrativa para o presente e vice e versa. E isso tirou muito o clima da história, eu odiei esse tipo de construção.

Toda a história na verdade foi muito fraca, e thrillers devem ser mais envolventes, ou pelo menos ter um bom desenvolvimento dos personagens, e não tem aqui também, porque você não se interessa e nem cria afeição pelos personagens.

Eu ia dar duas estrelas pro livro mas eu acabei gostando do final dele, então ao todo ele não foi tão ruim, por causa das revelações do desfecho.
comentários(0)comente



Leticia 04/01/2021

O homem de giz
Gostei muito, os personagens são bem construídos, a história é envolvente tem um final surpreendente.
comentários(0)comente



biacianni 22/01/2021

o final= tudo
Tava bem legal, mais não estava me prendendo muito.
Até chegar o final, que final surpreendente, eu fiquei chocada, não era quem achava que era.
Se vocês gostam de Thriller, leiam o homem de giz
comentários(0)comente



Zé - #lerateondepuder 29/07/2020

O Homem de Giz
Parece um livro redigido para crianças, mas na verdade O Homem de Giz é um daquele romances eletrizantes que contam com abusos sexuais, acidentes violentos, pedofilia e suicídio, assuntos bem recorrentes na crítica da vida atual das pessoas, principalmente para adolescentes. Mas não se trata somente de uma chamada para assuntos sórdidos, uma vez que traz excelentes mensagens sobre amizades sinceras que perdurarão ao longo do tempo, além de colocar boas reflexões filosóficas que podem ser encontradas no cotidiano de todas as pessoas.
Esse é um conto de amigos que andam de bicicleta por ruas pacatas, como Eddie Adams (Eddie Monstro), Gav Gordo, Mickey Metal (por causa do enorme aparelho nos dentes), Hoppo (David Hopkins) e Nicky, a única e bela garota de uma gangue que inventa um inocente código baseado em desenhos de giz para se comunicarem, mas que acaba sendo descoberto por um assassino frio e calculista. São crianças que viverão uma história de um assassinato cruel de uma adolescente e testemunharão graves acidentes com vítimas, além de outros crimes hediondos cercados de mistério e suspense.
A trama é apresentada, alternando-se entre o ano de 1986, quando eram pré-adolescentes entre 11 e 13 anos, e trinta anos depois, no ano de 2016, já quando Eddie está com seis 40 e poucos anos, vivendo uma crise de ingresso na meia idade. Assim contada em primeira pessoa, a escrita se apresenta de uma forma que, em determinadas passagens, poderia se observar um certo cinismo por parte da autora, às vezes, também, um sarcasmo que se coloca em seus personagens. O interessante é que os crimes acontecem no passado e voltam a recorrer no presente, com uma íntima relação.
É um suspense da primeira até as últimas páginas, quando serão revelados os principais autores dos crimes e as condições em que estes se deram, na pacata e pequena cidade inglesa de Anderbury, que conta com seus bosques, onde jovens se encontravam para namorar e fazer outras coisas erradas, mas onde também morriam. Tudo acontece em uma tradicional comunidade de vizinhos que se conhecem, centrados em uma igreja e escola, que levam o leitor, certamente, a tirar conclusões precipitadas sobre a realidade dos fatos e os respectivos autores dos delitos.
Outros personagens vão rondar o contexto em que o protagonista descreve as cenas de enigmas e incógnitas, como sua mãe médica que realizava abortos (e por isso sofria protestos diversos da comunidade) e seu pai, um escritor que começa sofrer do mal de Alzheimer, o que remete ao grande drama na vida do personagem principal. É possível ver, também, cenas de um professor bem esquisito, do irmão violento de Mickey, do pai e pastor de Nicky e da mãe de origem humilde de Hoppo, além de destacar os pais, um pouco mais bem de vida, de Gav Gordo.
Dois aspectos essenciais são bem ressaltados. A velhice que chega, juntamente com a solidão, realçando o quanto as pessoas, literalmente, encolhem, como se fossem o Gulliver em sua própria Lilliput. Outra, é a morte e sua presença constante, com seus truques que nos fazem pensar em que ela não está ali, mas está apenas a um frio e azedo ofegar, como se sempre tivesse uma carta na manga, tal qual é descrita pela autora.
Escrito no ano de 2018 como romance de estreia da escritora inglesa C.J. Tudor, que nasceu em Salisbury e cresceu em Nottingham, na Inglaterra e que escreve obras de mistério, com um estilo sombrio e macabro, inspiradas em Stephen King e bem ao jeitão de Harlan Coben. Tudor já foi repórter, redatora, roteirista para rádio, apresentadora de televisão, dubladora, passeadora de cães e imprime uma escrita bem gostosa e tranquila de se ler.
A edição resenhada foi uma Kindle de 302 páginas, baseada na da Editora Intrínseca, publicada no ano de 2018. Lembra um pouco a obra A Coisa (It) de King e vale cada minuto a leitura tanto para jovens, quanto adultos, a qual prende o leitor do início ao fim. Veja a vídeo resenha, em: https://youtu.be/LJ_5ODEy6es. Acesso em: 01 ago. 2020.
Paz e Bem!

site: https://linktr.ee/prof.josepascoal
comentários(0)comente



isa :) 04/05/2021

Final preguiçoso e cheio de lacunas!
Pegada Stranger Things e Stephen King uma ova! O homem de Giz não chega nem aos pés dessas duas beldades. Sinceramente, a única coisa comparável são os protagonistas serem crianças nos anos oitenta, porque de resto...

O livro é bom, é interessante, tem algumas cenas que te fazem ficar "Oh!" (que inclusive são as melhores), mas ainda sim é fraco e o final não ajuda em nada. Sem explicações coerentes e cheio de lacunas abertas! O livro se chama O homem de Giz, mas dos homenzinhos de Giz não se tem explicação nenhuma! Porque se tem, eu não percebi, pois ficou muito mal oganizada.

Leia por sua conta e risco, porque acho que esse livro se encaixa no patamar "Ou se ama, ou se odeia".
mauri 04/05/2021minha estante
é isto


Barbz 04/05/2021minha estante
Nossa, acontecimentos com vários furos e final feito nas pressas ... Eu tinha muita expectativa com esse livro e ele tinha muito potencial pra ser bom, fiquei decepcionada




Aelita Lear 28/12/2020

Por que eu não li antes?
Esse livro estava encalhado na minha estante já fazia tempo, e eu nem sabia porque não me atraía. Mas nossa, o livro é muito envolvente!! Fiquei presa nele do início ao fim, e não via a hora de ler! Achei a história tão real e horrível (no sentido de horror, não no sentido de ruim haha), nem sei classificar esse livro. Amei demais e recomendo a leitura!
comentários(0)comente



vitor 12/03/2021

uau
não sei nem o que falar desse livro.
a autora consegue prender o leitor de uma forma incrível, eu me senti dentro da história. C.J Tudor, eu te amo!!!!
e talvez eu tenha tido pesadelo por causa desse livro mas mesmo assim eu continuo amando ele
Ophelia 12/03/2021minha estante
me deu muita vontade de ler, mas o medo de passar noites em claro me cagando de medo é maior!!


vitor 12/03/2021minha estante
só tem um pouco de gatilho em relação a estupro e outras coisas macabras, fora isso a leitura é super tranquila e cê consegue terminar rapidin


Felipe.Almeida 19/03/2021minha estante
O plot final véi kkkkkkkk a história de infância do cara...mds




Ana Lara 05/12/2020

Eu amei.
Achei a história envolvendo, com uma narrativa bem gostosa, o esquema de um capitulo ser no passado e outro no presente torna a história mais dinâmica e prende mais.
Não achei o final tão surpreendente assim, até meio previsível, mas gostei muito da leitura. Recomendo.
comentários(0)comente



2274 encontrados | exibindo 1 a 16
1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7 |