Um Reino de Sonhos

Um Reino de Sonhos Judith McNaught


Compartilhe


Resenhas - Um Reino de Sonhos


35 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2 | 3


Izabelle 16/01/2019

"...Jenny chorava ao mesmo tempo que sorria para eles. Afinal, não é todo dia que uma mulher recebe um reino de sonhos."
Por deus, como a Jennifer Merrick é chata e mimada e tão sonhadora que a torna cega e idiota.
ok, ela é forte e não abaixa a cabeça pra home, só pro escroto do pai dela e daquele clã que não suporta ela, mas ela fica nessa de querer ser aceita e blá blá blá que acaba cometendo erros escrotos e falando coisas horríveis e tomando atitudes imaturas por causa disso, dela só gostei de algumas cenas e foi poucas, muito poucas. Aquela cena que ela mata, mesmo sem querer, o cavalo do Royce me subiu um ódio da imprudência dela, mas ok.
Royce é um guerreiro, todo machão, mas ele é um amor, ele acredita na jenny e por isso toma muito no c* mas ele vai evoluindo e ele é muito mais agradável que ela, ela é um pouco insuportável.

*QUOTES*

"ela era uma Merrick, e os Merrick nunca admitiam ter medo de homem algum."

"Ela não sabia o que era ter medo. Ainda não. Porém, quando ele pusesse as mãos nela, ela descobriria o significado do medo. Ela aprenderia a ter medo dele."

"De pé ali, como uma cigana muito furiosa com o cabelo solto formando chamas douradas e seus enormes olhos azuis cheios das lágrimas de ódio que não derramou, ela levantou lentamente a mão... a mão que segurava uma adaga que obviamente havia conseguido tirar da bota nela. E, nesse momento impensável, enquanto segurava a adaga no alto,
pronta para atacá-lo, Royce Westmoreland pensou que ela era a criatura mais magnífica que já havia visto; um anjo selvagem, belo e enfurecido, sedento por vingança, com o peito subindo e descendo de fúria enquanto confrontava corajosamente um inimigo mais forte."

"Nunca ouvira o som do riso de Jenny, nem o vira brilhar nos olhos magníficos da jovem. Sentada em uma pilha de peles exuberantes, rindo para ele, Jennifer Merrick era inesquecível. Ele percebeu isso com a mesma clareza com que percebia que, caso se aproximasse e se sentasse ao lado dela, era bem possível que também a considerasse irresistível."

"— Até as jovens feias têm sonhos, milorde — observou com um sorriso. — Jennifer — disse bruscamente, cheio de remorso e admiração —, você não é feia. Você... — Mais atraído por ela nesse momento, ele a examinou, imaginando o que era atraente na jovem, porém era mais do que simplesmente o rosto ou o corpo que o atraía; Jennifer Merrick tinha uma gentileza radiante que o acalentava, um espírito ardente que o desafiava e um brilho que o atraía para ela com uma força cada vez maior. — Você não é feia."

"— Algumas mulheres não precisam de joias para brilhar. Você é uma delas."

"Com os olhos fechados, os braços ainda em torno do pescoço do conde, a orelha pressionada contra a batida acelerada do coração dele, Jenny flutuava entre a paz total e uma alegria estranha e delirante. Era a segunda vez que ele a fazia sentir coisas maravilhosas, assustadoras e arrebatadoras. Porém, naquele momento, ele a fizera sentir outra coisa: sentir-se necessária, apreciada e desejada, e essas eram as três coisas que ela desejava sentir desde que se entendia por gente."

"Ela foi se dando conta de tudo o que havia se passado entre eles, e ali, na segurança dos braços de Royce, teve uma sacrifício nobre, uma vez que havia encontrado um prazer tão pagão naquilo, algo tão... celestial. Abaixo de seu rosto, sentia o forte batimento rítmico do coração de Royce e engoliu em seco um nó de dor. Ela havia encontrado outra coisa ali, algo proibido e perigoso para ela, um sentimento que não devia nem podia existir. E, apesar de todo o seu medo e culpa pelo que sentiu, tudo o que queria naquele momento era que ele a chamasse de “Jenny” novamente com aquele mesmo tom rouco e carinhoso. Ou que dissesse, com qualquer tom, “eu te amo”."

"— Havia doenças e conflitos no seu reino de sonhos? — interrompeu Royce, surpreso. — Claro! — admitiu Jenny, com um pesaroso sorriso de canto de boca. — Era preciso que houvesse um pouco dos dois, para que eu pudesse correr para o resgate e ganhar a batalha. Essa foi a verdadeira razão para eu ter inventado meu reino. — Você queria ser uma heroína para o seu povo — concluiu Royce, sorrindo para uma motivação que podia prontamente compreender. Ela fez que não com a cabeça, arrancando-lhe o sorriso do rosto com o anseio melancólico que havia em sua voz suave. — Não. Eu só queria ser amada por aqueles que amo; ser vista e não ser considerada imperfeita por aqueles que me conhecem."

"— Você não pode viver a vida tentando provar para o seu clã quem você é. — Eu posso — disse ela, com voz baixa e feroz. — Eu faria qualquer coisa para que me vissem como um membro do clã novamente. Eles são o meu povo; o sangue deles corre nas minhas veias e o meu, nas veias deles. — É melhor esquecer isso — pediu Royce. — Parece que você embarcou em uma busca na qual a vitória é, na melhor das hipóteses, impensável. — Por um momento, nos últimos dias, não foi tão impensável quanto você imagina"

"O simples fato de terem dado um maravilhoso prazer não era motivo para que se sujeitasse a uma vida de conflitos contínuos. Por outro lado, ela era a única mulher que fazia amor com ele , e não com a lenda que ele era. E ela o fazia rir como nenhuma outra mulher já havia feito; tinha coragem, sabedoria e um rosto que enfeitiçava e seduzia. Por fim, mas longe de ser menos importante, era direta e honesta, e isso o desarmava por completo."

"Por mais que tentasse, não conseguiria enviá-la para casa. Ela havia lutado contra ele como uma leoa, mas se rendera como um anjo. Tentou esfaqueá-lo, mas beijou as cicatrizes que lhe causou; o deixara cheio de desejo; tinha um sorriso que iluminava os recônditos mais sombrios de seu coração e uma risada tão contagiante que o fazia sorrir. Também era honesta, e isso ele apreciava, acima de tudo."

"— Por que — murmurou Royce, fitando os olhos inebriantes de Jenny — cada vez que você se rende de boa vontade, como agora, faz com que eu me sinta como um rei conquistado? Mas, quando eu a conquisto contra a sua vontade, faz com que eu me sinta como um mendigo derrotado?"

"— No que estava pensando agora, enquanto olhava pela janela?
— Eu... não estava pensando. — Então, o que estava fazendo? — perguntou, a curiosidade atiçada. Um sorriso pesaroso tocou os lábios convidativos dela. Ela olhou para ele antes de se virar para a janela. — Eu estava... falando com Deus — admitiu. — É um hábito que tenho. Surpreso e ligeiramente divertido, Royce perguntou: — Sério? O que Deus lhe disse?
— Acho — respondeu ela, suavemente — que disse: “De nada”. — Por que diria isso? — provocou Royce. Ao olhar para os olhos dele, Jenny respondeu solenemente: — Por você."

"Naquela manhã, sua vida lhe parecera tão sombria quanto a morte. Naquela noite, sua alegria estava em seus braços. Alguém ou algo — o destino, a sorte ou o Deus de Jenny — havia olhado para ele naquela manhã e contemplado sua angústia. E, por algum motivo, Jenny lhe fora devolvida. De olhos fechados, Royce deu um beijo leve na fronte macia de Jenny. Obrigado! , pensou ele. E poderia jurar que, no coração, ouviu uma voz responder: De nada!"

"Ao levantar a mão em um gesto reconfortante, Jennifer Merrick Westmoreland olhou para o seu povo, e nenhuma daquelas pessoas achou nela falta alguma. Gritaram ainda mais alto quando seu marido a ergueu mais e a aproximou mais de si, e era óbvio para qualquer um que observasse que a duquesa de Claymore era muito amada por todos a quem amava. Jenny chorava ao mesmo tempo que sorria para eles. Afinal, não é todo dia que uma mulher recebe um reino de sonhos."
comentários(0)comente



Talita 11/01/2019

Um pouco de amor em meio ao caos
Jenny espera seu pai á dois anos, ela quer voltar para casa, deixar a abadia, e voltar para sua antiga vida. Só que isso não vai ser possível já que o seu pai acha mais sensato ela ficar com as freiras, até que em um dia passeando pelos limites da propriedade um dos soldados do maior rival de seu pai sequestra não só a ela como a também sua irmã.
Royce Westemoreland está confuso e irritado, seu irmão Stefan acaba por trazer as filhas de seu inimigo e como se não bastasse, uma das filhas, Jenny, a que não é a mais bela, mas sim impetuosa, fria e calculista, acaba por confundir seu senso de direção. O que não é um bom sinal já que ele necessita de atenção total aos seus próximos passos para que nenhum dos seus soldados morra.
Mas como nem tudo é o que esperamos, Jenny e Royce se veem cada vez mais próximos um do outro, rindo um do outro, beijos escondidos, olhares trocados, sorrisos sinceros. Ou seja, atos que naquele tempo em que só existia guerras, traições, duelos, escolhas mortais, já era alguma coisa que beirava quase a esperança, já que Jenny só obtinha o amor de sua irmã, já que seu pai o escocês Conde de Merrick não prestava atenção a nada que não fosse guerra.
Os dois então tomam decisões que podem colocar tudo a perder, e o relacionamento deles não é lá essas coisas, já que um não pode confiar no outro para traçar planos. E quando menos imaginam se veem noivos por um acordo de paz entre o rei Henrique e o rei Jacob, mas não acaba aí, porque o pai de Jenny não aceita isso muito bem, e Royce supõe que sua mulher sabe mais do que fala.
O desfecho ? Excelente. A moral ? Sempre confie em seu coração. O tema ? Uma guerra entre escoceses e ingleses que está na história que todos conhecemos. Acaba aí ? É claro que não até porque, como o titulo mesmo diz, é um reino de sonhos, e isso foi só o começo.

comentários(0)comente



Taty Assis 31/12/2018

Jennifer é filha de Merrick, um senhor de terras escocesas. Primeira filha, Jennifer acreditava que herdaria o Clã, mas, a verdade é que isso seria entregue a um de seus meio-irmãos, e não a uma jovem. Merrick acaba enviando a filha para uma abadia, onde ela acaba sendo sequestrada, juntamente com sua irmã mais nova, pelos homens do tão temido "Lobo Negro".

Royce é o tão conhecido "Lobo Negro". Sua reputação não é das melhores, afinal, ele lutou muitas batalhas e está prestes a invadir a Escócia em nome de seu rei.

É claro que Jennifer pensa todas as formas de se livrar do seu cativeiro, já que Royce é um inimigo que pretende atacar sua família. Ela é bem ardilosa e acaba pregando algumas peças em Royce e em seus homens, mas acontece que ele é um homem vivido e não abre mão de ter Jennifer cativa, ainda mais quando pode usá-la em seus planos de invadir a Escócia.

Após não obter sucesso nas suas tentativas de fuga, Jennifer acaba tendo ideia de usar uma situação reversa: se fingir de boa moça e ganhar a confiança de Royce. E isso acontece. Royce se mostra surpreso com as facetas dela e acaba se aproximando.

As coisas entre eles poderiam muito bem dar certo, mas há muita coisa envolvida, e talvez o reino de sonhos de Jennifer nunca aconteça.

Royce é machista, e em muitos momentos é completamente impulsivo. Suas atitudes por vezes me incomodaram, e me fizeram ver que o romance está muito longe de ser romântico, está mais para possessivo.

Jennifer é bem à frente de seu tempo, e isso a coloca em apuros em muitos momentos. Royce acabou se mostrando um homem diferente do que estava pensando que ele fosse, mas é sua família que está correndo risco e ela fará o possível para tentar evitar uma batalha, nem que para isso precise mentir e fugir quando as coisas já não pareciam tão ruins entre os dois.

Eu poderia dizer que Um Reino de Sonhos é lindo, tem um romance fofo e apaixonante, mas a verdade está muito longe disso. É uma história em que a vida dos personagens são decididas por reis que querem manter a paz entre seus reinos, e por pessoas que desejam vingança acima de tudo.

Confesso que foi uma leitura com altos e baixos. Demorei alguns meses para concluir, pois ao mesmo tempo que estava envolvida e a história se tornava instigante, os personagens tomavam atitudes que me irritavam e eu acaba deixando a leitura de lado.

Infelizmente a leitura não foi tudo aquilo que imaginei, mas talvez o que tenha me incomodado nos personagens se deva pela época em que a história se passa.

site: http://www.aculpaedosleitores.com.br/2018/11/resenha-um-reino-de-sonhos.html
comentários(0)comente



Ana Luiza 07/10/2018

Divertido, mas problemático
A HISTÓRIA
Na Era Medieval, Jennifer Merrick é uma jovem da nobreza escocesa atrevida e dona do próprio nariz. Ela se orgulha de ser sagaz, mas foi justamente sua língua atrevida e comportamento impulsivo que colocou todo o seu clã contra ela. Diferente de sua irmã, Brenna, a beldade amada pelos Merrick, Jennifer é vista com desconfiança e como um problema até mesmo por seu pai. E por isso ela acabou sendo mandada para viver em um convento. Contudo, isso não tirou o sonho de Jennifer de mostrar o seu valor para seu clã. E, quando seu caminho cruza com o Lobo Negro, ela finalmente tem sua chance.

Royce Westmoreland, o “Lobo Negro”, é um nobre inglês famoso pela sua eficiência e crueldade nos combates. Em nome do rei da Inglaterra, ele já invadiu e destruiu inúmeras propriedades. E, agora, sua missão é invadir a Escócia. Contudo, a missão se complica quando seu irmão, Stefan, sequestra Jennifer e Brenna Merrick. Agora Royce, além de lidar com a ira do povo escocês por ter feito duas nobres de refém, se vê em um verdadeiro combate com Jennifer. Ela rapidamente se mostra uma garota inteligente demais para o próprio bem e disposta a qualquer coisa para se livrar dele.

Jennifer não vai deixar um inglês, ainda mais um arrogante e irritante como Westmoreland, ficar no seu caminho. Ela planeja uma fuga com a irmã, o que apenas vai deixar o Lobo Negro ainda mais no seu encalço. Quando percebe que é o único que pode controlar a garota, Royce coloca Jennifer na sua tenda, para vigiá-la de perto. O que ele não esperava era se sentir atraído pela prisioneira, a primeira pessoa em anos que parece não ter medo dele. Jennifer rapidamente percebe que o Lobo Negro não é o monstro que dizem ser, contudo, se surpreende mesmo quando percebe que está cada vez menos resistente a sedução dele.

A SÉRIE
Um Reino de Sonhos é o primeiro dos três volumes da Dinastia Westmoreland, de Judith McNaught, que ainda conta com alguns contos extras. A série traz as histórias de romances apaixonantes e impossíveis, cheios de aventuras, desventuras e casais fofos. Todos os mocinhos da trilogia pertencem a poderosa família Westmoreland, mas são de épocas diferentes.

O livro 1, Um Reino de Sonhos, se passa na época medieval. Na história, para salvar sua irmã doente de Royce Westmoreland, terrível inglês que as sequestrou, a ousada Jennifer bola planos de fuga e até aceita ser seduzida pelo seu captor. Contudo, ela não esperava se apaixonar por ele no processo. No 2º livro, Whitney, meu amor, uma jovem da Era Regencial a frente do seu tempo se vê obrigada a casar com Clayton Westmoreland, um rico e irresistível duque. E, por fim, no 3º e último livro, Até Você Chegar, uma professora de uma escola para damas da alta sociedade sofre um acidente e perde a memória. Ela acorda na mansão de Stephen Westmoreland e acaba se apaixonando pelo dono da casa.

A LEITURA
Desde que comecei a ler e comentar sobre romances de época, muitos apaixonados pelo gênero passaram a me recomendar as obras da Judith McNaught. A autora é uma das mais consagradas (e premiadas) no meio desde sua estreia, nos anos 80. E, após ler o meu primeiro livro dela, posso entender o fascínio com suas histórias, apesar de que tenho também minhas críticas. Antes de tudo, é preciso admitir que a narrativa de McNaught tem um grande magnetismo. Com toques de humor e ação, além de muito drama e sensualidade, a escrita da autora nos conquista logo nas primeiras páginas.

McNaught consegue nos fazer rir, suspirar e ficar intrigados para saber o que virá a seguir durante todo o livro. Além da narrativa, a leitura de Um Reino de Sonhos nos prende ainda mais com uma trama cheia de altos e baixos. Apesar de previsíveis, as muitas reviravoltas do livro são recheadas de aventura e emoção, com direito a fugas, perseguições, sequestros, lutas, intrigas e até mesmo assassinato. E, em meio a isso tudo, a autora ainda traz cenas carregadas de romance e sensualidade entre os mocinhos. Mas, há algo de imperdoável em Um Reino de Sonhos, que não sei se estende a outras obras da autora, mas que nós, leitores, simplesmente não podemos aceitar. A história, assim como o mocinho, são extremamente machistas. E o livro foi originalmente publicado no final dos anos 80, ou seja, não muito tempo atrás a ponto de justificarmos o sexismo da obra falando que era algo comum da época.

Sim, nos anos 80 se questionava bem menos o machismo do que nos dias de hoje. Mas é difícil imaginar que beijos e toques forçados, assim como tratar o sexo como forma de dominação do homem sobre a mulher, eram coisas aceitáveis vinte anos atrás. Porque definitivamente não são hoje. Em pleno 2018, não podemos ler um livro e agir como se fosse normal o modo como o mocinho utiliza a intimidade sexual para confundir, controlar e colocar sua posse sobre a heroína. A “sedução” que Royce faz com Jennifer tem muito mais caráter de assédio, em muitos momentos ele a trata como um objeto de prazer. Um um ponto até é narrado que Jennifer “aceitou” os avanços sexuais de Royce apesar de não querer, o que, amigos, hoje em dia chamamos pelo que é: violência sexual. E o que mais me irritou nesse quesito é Um Reino dos Sonhos trazer cenas como essa como se, além de normais, fossem românticas, o que definitivamente não são. O livro pode ser bem divertido de ler, mas retrata uma relação completamente tóxica e sexista.

LEIA A RESENHA COMPLETA E VEJA FOTOS DO LIVRO NO BLOG:

site: http://www.mademoisellelovesbooks.com/2018/10/resenha-um-reino-de-sonhos-judith-mcnaught.html
Marisa.Palma 22/11/2018minha estante
Terminei a leitura! Gostei bastante, romances de época são os meus preferidos . Um Reino de Sonhos meu prendeu com seus altos e baixos na trama. Recomendo


Ana Luiza 23/11/2018minha estante
Que legal que curtiu!


Naiara Aimee 02/12/2018minha estante
Esse eu não li, mas li Whitney, Meu Amor e fiquei bem chateada com umas coisas similares que acontecem nesse pelo que vi na sua resenha :( Eu penso como você: anos 80 pode até ser que não se falasse sobre machismo como hoje, mas é difícil imaginar certas situações sendo normalizadas sendo que evidentemente é desconfortável para a mulher.




Mih 03/10/2018

Emoções Intensas!

Tudo o que ela queria era um Reino dos Sonhos...💖💖

Essa é uma leitura realmente maravilhosa.
Jennifer é determinada, sonhadora, teimosa; uma jovem que no fundo somente quer ser aceita pelo seu clã, e que encara de frente seus inimigos.
Royce Westmoreland, o Lobo Negro é uma lenda, um guerreiro poderoso, temido por todos.
A ameaça de uma guerra iminente mudaria o destino de ambos.
Escolhas são feitas e acaba por entrelaçar suas histórias; eles são inimigos, mas conforme os conflitos entre os dois vão surgindo, uma ardente paixão também nasce e será impossível resistir.

Essa é uma história de sequestro, tramoias, planos de fuga, guerras, mentiras e traições... Mas também é uma história de sonhos, magia, descobertas, amor e perdão.
Esse é um livro único, com declarações de amor tão lindas, profundas e emocionantes.

Me apaixonei pelo mocinho, um Lobo que não é o vilão; honrado, leal e apaixonado.
Em contra partida em várias cenas, tive uma imensa vontade de dar uns tapas em Jennifer e sua teimosia 😁 Mas apesar de todas as dificuldades e personalidades difíceis, o casal amadureceu muito e foi uma jornada incrível. 💗
A prova de amor que ambos deram no final me deixou sem palavras. Foram cenas angustiantes demais, de partir o coração; mas foi uma declaração de amor sem necessidades de palavras. Foi lindo e perfeito.
Royce provou a Jennifer que a amava de uma forma que foi contra tudo o que se esperava dele; foi dolorosa demais, sofrida demais, linda demais... Um sacrifício do Lobo Negro por sua amada. E Jennifer se redimindo de suas escolhas estúpidas, se apresentando à seu amado despida de todo seu orgulho, somente com seu amor e admiração. Foi perfeito! Um final com emoções intensas.

Esse livro se tornou um dos meus favoritos.💕💕
Essa é uma leitura que deveria ser apreciada por todos. 😍
--------------------------------------------------------------------------------

-Estava... falando com Deus - respondeu - Tenho esse costume.
Assombrado, Royce perguntou: - De verdade? E o que ele te disse?
-Acredito que me disse: "De nada".
-Por quê? - perguntou ele sorrindo.
Jenny o olhou nos olhos e respondeu com solenidade: - Por você. 💖💖

comentários(0)comente



Giovana 26/09/2018

Reviravoltas
No começo da leitura achei que iria desistir do livro. Uma história fora dos padrões de romance de época que te faz pensar sobre a protagonista e sua vida. Jennifer, escocesa, é o exemplo de dama que foge do senso comum. Em sua trajetória ela se vê em um caminho pelo qual não teve opção de escolha. Porém no começo da leitura nos da a sensação de que ela foi forçada a se adequar a nova vida. Mas não é bem isso que ela demonstra depois.Royce, inglês, se vê envolvido por Jennifer porém tal amor não será aceito pela sociedade já que envolve dois paises- Inglaterra e Escócia- historicamente em guerra. Uma leitura cheia de ação e com uma história de amor arrebatadora.
comentários(0)comente



Raquel 26/08/2018

Jennifer é uma mocinha um pouco a frete da sua época. Recusou um casamento e desafiou o meio irmão em duelo. Em consequência foi mandada para um convento para aprender a se comportar melhor.
Um dia enquanto caminhava pelos terrenos do convento, foi capturada pelo exército de Royce Westmoreland, principal inimigo do seu pai.
Royce, conhecido como "Lobo Negro" tem uma fama de ser muito perverso, porém Jenny não se deixa intimidar pela fama dele e transforma a vida do lobo de cabeça para baixo.
Achei que o romance lembrou bastante Esplendor de hora da Julie Garwood. Leitura simples e gostosa, embora não seja o melhor livro da Judith Mcnaught, ainda sim é muito bom.
comentários(0)comente



cris.leal.12 22/08/2018

É fácil não se decepcionar com os livros, basta ler Judith McNaught!
No ano de 1497, o destemido guerreiro Royce Westmoreland, o conde de Claymore, também conhecido como o "Lobo Negro", foi enviado pelo rei da Inglaterra para invadir a Escócia. Na ocasião, o irmão de Royce, Stefan, sequestra Jennifer Merrick, a condessa de Rockbourn e sua irmã, Brenna Merrick, filhas de um poderoso lorde escocês. A intenção é usar as moças como moeda de troca na luta pelo poder. No entanto, a partir do momento que Royce e Jennifer se encontram, uma história divertida e maravilhosa começa a ser contada.

Lobo Negro é o inimigo mais odiado e mais temido da Escócia. Em tese, Jenny deveria ter medo dele, mas ela é valente, voluntariosa e o confronta. Tanta coragem, desperta a admiração do guerreiro. Por outro lado, Jenny constata que Royce é um combatente implacável, mas fora do campo de batalha, ele é um homem terno, honrado e justo. Apesar da guerra entre seus países, Royce e Jenny sentem-se atraídos um pelo o outro e acabam se apaixonando. A relação, entretanto, enfrentará problemas porque Jenny é muito leal ao pai e ao seu clã, e fica dividida entre honrá-los ou se deixar levar pelo que sente por Royce, o "inimigo". Esta situação mescla momentos de mal entendidos e conflitos com cenas românticas dignas dos mais profundos suspiros.

"Um Reino de Sonhos" é uma história muito bem escrita e lindamente romântica. A trama repleta de castelos medievais, donzelas e cavaleiros, torneios e armaduras, é capaz de empolgar, envolver e fascinar os apreciadores de um bom romance de época. Eu amei!

site: https://www.newsdacris.com.br/2018/08/resenha-um-reino-de-sonhos-de-judith.html
JANEREINANDO 24/08/2018minha estante
Amo??




Cris 18/08/2018

O reino de sonhos não é perfeito. Ou é, sim por ser aquilo que a gente precisa.
Foi uma experiência bem diferente ler um livro da Judith McNaught. Parece uma novela das 8. Acontece tanta coisa! Mas a parte histórica é inegavelmente bem feita! Muito legal mesmo. A história se passa pelos anos 1490, entre Escócia e Inglaterra em acampamentos de soldados, nada de bailes e festas pomposas. Traz várias questões da época que colocamos em xeque hoje em dia.
A Jenny me irritou em várias partes, mas mostrou muita doçura em outras. Mas passa a sensação de quem está tentando entender as coisas, tem pouca experiência e é muito impulsiva. Royce é um personagem bem construído. O Lobo é bem humano, erros, acertos.
Mas os outros livros ser passam em outras eras, então nada de continuação dessa galera.
O final... achei um tanto corrido.
comentários(0)comente



Beta 11/08/2018

Resenha: "Um reino de sonhos" por Beta Stories
“Um reino de sonhos” é uma história medieval cheia de intrigas, romances, disputas e cenários incríveis.

Jennifer e Brenna são levadas a força de um convento e usadas como reféns pelo temido Lobo Negro (Royce Westmoreland, Duque de Claymore). As irmãs Merrick seriam peças fundamentais para que Royce e seu grupo conseguissem “negociar” com o clã Merrick.
Contudo, nada vai sair como planejado, porque nessa narrativa nada é conquistado facilmente.

Essa narrativa é muito surpreendente. A todo momento, a autora cria algum problema para movimentar a trama. Quando tudo está indo bem e calmo, de repente, os inimigos de Royce aparecem na porta dele, literalmente.

Além disso, os protagonistas são muito bem desenvolvidos. Royce e Jennifer possuem as mesmas personalidades. Dois orgulhos, arrogantes quando necessário e não dão o braço a torcer.
O clã da família de Jenny odeia Royce, então, ela alimentava o mesmo tipo de sentimento por ele. É uma raiva que se transforma em amor e chega uma hora em que um não consegue viver sem o outro. ·

Judith McNaught foca muito em descrições. Suas palavras conseguem ter o poder de nos transportar para os grandes castelos medievais e observar junto com os personagens aqueles pátios, salões, quartos e florestas. É realmente fascinante!

site: https://betastories.wordpress.com/2018/08/10/resenha-um-reino-de-sonhos/
comentários(0)comente



Fernanda.Granzotto 27/07/2018

Eu tenho muitos sentimentos em relação a este livro, alguns bons, outros nem tanto. Então para facilitar, vou apontar o que eu gostei e o que não gostei.
- Os personagens, eu me apaixonei por Royce.
-A história em si tem suas falhas, mas nada que torne a leitura uma experiência ruim.
-É um livro que conta uma história sem tornar a leitura chata ou lenta.
Outro ponto muito positivo para mim foi ter a visão dos dois personagens principais.

No final, o livro é incrível e eu recomendo!
comentários(0)comente



Lilian.Oliveira 14/07/2018

Esperava mais...
Um livro que tinha tudo para ter uma bela história.... Porém ficou cada vez mais chata e cansativa, Jennifer a mocinha sempre tão teimosa e inconsequente que me tirou do sério muitas vezes RS, quando eu pensava que ela ia mudar ela ia lá e fazia mais uma burrada , agora com relação ao Royce com o decorrer do tempo eu vi mudanças em seu temperamento que se mostrou um excelente partido depois de toda a parte do rapto, casamento e etc. Acredito que a autora poderia ter economizado umas 100 paginas, e ter melhorado a parte final achei desnecessario o Royce ter que passar por tudo aquilo devido a sua esposa ser facilmente manipulada pelo pai . Enfim, terminei a leitura pulando páginas e com certeza não leria novamente.
comentários(0)comente



Dri - @oasisliterario 26/06/2018

Com certeza esse não será o único livro da Judith que irei ler.
Royce Westmoreland, o temido "Lobo Negro", é enviado para uma invasão à Escócia. Seus planos mudam quando seu irmão sequestra Jennifer e Brenna Merrick, as filhas do importante lorde escocês e seu grande inimigo.
Royce e Jennifer acabam se aproximando, mesmo que Jennifer queira apenas fugir e ter a aceitação de seu clã e Royce anseie por uma mulher que o veja além das crenças locais que deram origem ao seu apelido de "Lobo Negro".
Após uma noite apaixonante, ambos ficam abalados e indecisos sobre o futuro. Seria esse amor capaz de fazê-los perder tudo que já batalharam para conquistar um dia?

Quando recebi o livro "Um Reino De Sonhos" fiquei encantada com a edição. Pesquisando um pouco mais sobre a história, descobri que a autora é muito conhecida e aclamada entre os fãs de romances históricos e minha curiosidade só aumentou.

A narrativa inicial apresenta uma situação instigante e leva o leitor ao início de tudo. Esse ritmo rápido me cativou e eu não conseguia parar de ler páginas atrás de página. No entanto, aproximadamente na metade do livro, a autora acabou perdendo o foco da história e muitos acontecimentos pareciam apenas enrolar e nada acrescentavam. O que me conquistou de volta foi o desfecho muito bem elaborado e encantador.

Os personagens criados por Judith MacNaught são intrigantes e possuem um passado muito bem construídos, proporcionando histórias envolventes. Adorei conhecer mais sobre o temido "Lobo Negro" e compreender a necessidade de aceitação de Jennifer.
A química entre o casal também foi muito bem explorada pela autora e, mesmo tendo alguns momentos questionáveis, me conquistou.

Desse modo, mesmo passando um pouco de raiva durante o desenvolvimento da história, recomendo o livro. Com certeza esse não será o único livro da Judith que irei ler.
comentários(0)comente



Naiana C S Mendes 13/06/2018

Um reino de sonhos
Acabei de ler e posso dizer que adorei! Apesar da Jennifer ser uma chata, rs. Royce me conquistou.. a história é bem envolvente e bem diferente dos romances de época convencionais que já li! Os personagens secundários também são muito cativantes.. ainda mais Stephen e Brenna, agora me digam, achei que ia ter uma sequência com a história de Stephen e Brenna e descobri que há outro livro da autora em que o par romântico é composto por Stephen Westmoreland e outra pessoa.. como assim, gente?? Partiu meu coração! Alguém já leu esse outro livro a que me refiro??
Sarah Miranda 14/06/2018minha estante
O irmão do Royce se chama Stefan e não Stephen. E esse outro livro se passa no século XIX e Um reino de sonhos no século XV.
Também queria um livro com a história do Stefan e da Brenna ?


Sarah Miranda 14/06/2018minha estante
O irmão do Royce se chama Stefan e não Stephen. E esse outro livro se passa no século XIX, enquanto Um reino de sonhos no século XV.




Leisiane Peloi 04/06/2018

Leitura Agradável
Um Reino de Sonhos, é obra de estreia da autora Judith McNaugaht que foi publicado pela Bertrand Brasil, e é o primeiro livro da trilogia Dinastia Westmoreland, nele vamos acompanhar o destino cruel de duas irmãs, que teve suas escolhas tiradas após um rapto.

Jennifer Merrick e sua irmã estavam tendo um dia difícil no convento onde vivem, onde ameaça de uma guerra iminente traçaria para sempre o destino de Jennifer, mas tudo muda quando as duas jovens foram raptadas por Stefan, um lorde escocês e irmão do tão temido Royce Westmoreland, o “Lobo Negro”, o homem era uma lenda, por onde passava, causava destruição, vencera muitas batalhas, mas não estava preparado para a petulância de Jennifer. Ela é uma jovem rebelde, que quer ser aceita pelo seu clã e não se deixa abalar pelo seu furioso captor. Conforme dias vão passando, Royce deseja ter Jennifer em seus braços, nunca conhecera uma mulher capaz de enfrenta-lo, e isso faz ele ter uma atração muito forte pela jovem. Jennifer é ousada, e tomará atitudes que a levará por um caminho perigoso, onde não terá mais volta.

❝— Porque – respondeu categoricamente –
desprezo você, e desprezo tudo o que você representa.❞

Nas primeiras páginas do livro, somos transportados a uma cena do casamento de Jennifer e Royce, no qual, claramente nenhum estava satisfeito, então a trama se inicia pelas memorias de Jennifer, onde nos leva aos momentos que antecedem o matrimonio. Achei brilhante essa jogada, porque logo de inicio comecei a fazer suposições, do porquê daquele casamento e como chegaram até naquele ponto se odiando.

A narrativa da autora é em terceira pessoa, Judith McNaught tem uma escrita bem fluida, o que permite viajar pelos cenários escoceses e ingleses, além de transportar a emoção dos personagens para nós leitores. Desde a primeira página o livro te prende, e a leitura segue envolvente até o final. Entretanto tiveram fatos, que como leitora me incomodou um pouco; o primeiro é da autora de dado a personagem uma idade muito precoce que contradizia a as atitudes da mesma, e o segundo fato, é que foi muito surreal o a cena final de Royce, entretendo, apesar das ressalvas, o livro de um modo geral é encantador.

Em suma, posso dizer que Um Reino de Sonhos é uma leitura dispendiosa que aborda questões politicas de fundo, mas onde o foco principal é o romance, que foi desenvolvido de maneira cautelosa e apaixonante. Aguardo ansiosa para ler o restante da trilogia e retornar a esse cenário envolvente.

Primeira frase:
❝— Um brinde ao duque de Claymore e à sua noiva!❞

Última Frase:
❝Afinal, não é todo dia que uma mulher recebe um reino de sonhos.❞

site: https://amanhecerliterario.wordpress.com/2018/06/04/resenha-um-reino-de-sonhos-judith-mcnaught/
comentários(0)comente



35 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2 | 3