A Coragem de não agradar

A Coragem de não agradar Ichiro Kishimi...




Resenhas - A Coragem de não agradar


47 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2 | 3 | 4


Marciele 09/08/2020

Um livro diferente...
Uma abordagem diferente para questões existenciais.
comentários(0)comente



Cah 31/07/2020

Para mexer com as convicções
Uma leitura profunda, porém dinâmica. Sem palavras difíceis, mas com bastante conteúdo. Confesso que não sou fã de livros tipo entrevista, no entanto, entendo porque os escritores optaram por essa forma. Com certeza vários aspectos dessas teorias mexem com nossas convicções.
comentários(0)comente



Letícia Motta 30/07/2020

A CORAGEM DE NÃO AGRADAR
A leitura se baseia em cinco encontros entre um filósofo que afirma levar uma vida simples e feliz dizendo que todos podem fazer o mesmo e um jovem insatisfeito com a sua vida. Ao longo desses encontros o filósofo fala como se tornou quem é hoje e o motivo de ser inspirado diariamente pela filosofia adleriana, de Alfred Adler, filosofia a qual o jovem questiona sempre que possível por não acreditar que exista a possibilidade de uma vida simples e com a felicidade ao alcance de todos.

Essa livro, como algumas outras que tenho, foi um divisor de águas na minha vida. Em todo o diálogo o filósofo oferecia teorías e ferramentas para nos mostrar a simplicidade real da vida, e mais do que isso, o tornou uma realidade palpável, quando lia tinha aquele pensamento de ''ei, eu posso fazer isso. Eu posso ser alguém melhor e com uma qualidade de vida superior, e posso fazer isso agora!''.

No começo do livro me identifiquei muito com o jovem, e acabou parecendo que eu realmente estava naquela conversa, e vendo outros comentários a respeito do livro percebi que a grande maioria se sentiu assim também. É uma leitura que indico a todos e com certeza irei ler outras vezes.
comentários(0)comente



spoiler visualizar
comentários(0)comente



Lia 24/07/2020

O livro apresenta o debate transformador entre um jovem e um filósofo. Ao longo de cinco noites, eles discutem temas como autoestima, raiva, autoaceitação e complexo de inferioridade. Aos poucos, fica claro que libertar-se das expectativas alheias e das dúvidas que nos atormentam é o melhor caminho.
comentários(0)comente



Paskally | @booksdapaska 17/07/2020

@booksdapaska
O livro é um grande diálogo entre um jovem e um filósofo, inspirado nas ideias de Alfred Adler, também filósofo. Não o conhecia, mas pesquisei e descobri que ele se equipara a Freud e fazia aniversário no mesmo dia que o meu pai.

De cara, me assustei por envolver filósofos, achei que a linguagem poderia ser complexa e cansativa. Mas, pelo contrário, a linguagem é super simples e a leitura flui.

Ao longo do livro são abordados temas como:
autoestima, autoconhecimento, complexos de inferioridade e superioridade, necessidade de reconhecimento, felicidade, entre outros.

É através dos diálogos entre eles que vamos entendendo a necessidade de vivermos intensamente o aqui e o agora, de nos aceitarmos, de nos libertar das expectativas alheias e das dúvidas sobre o futuro. De uma forma bem prática, separando tarefas, as nossas e as dos outros.

Como diria o filósofo: ?A habilidade nos já temos, falta a coragem.?
comentários(0)comente



spoiler visualizar
comentários(0)comente



Roberta Priscila 09/07/2020

Leitura densa em certos momentos.
Um relato de diálogos entre um filósofo e um jovem não muito feliz com o que passa em sua vida. O filósofo se baseia nas ideias de Adler, muito conhecido na psicologia. O jovem tenta por vezes pôr em terra os argumentos do filósofo. Por se tratar de um tema filosófico, para mim, a leitura em certos momentos se tornou exaustiva e repetitiva. Em suma, ambos tentam debater assuntos como a mudança, conflitos e relações interpessoais e aceitação própria.
comentários(0)comente



Letícia Rinolfi 07/07/2020

Uma obra de impacto e significação
Você já se perguntou qual é o sentido da vida?

Sou estudante de Psicologia e confesso: nunca tinha ouvido falar sobre Alfred Adler. Ele foi membro da Sociedade Psicanalítica de Viena, mas se separou do grupo ao propor uma "psicologia individual", cujas ideias contrariavam as de Freud. Contrárias à etiologia, as ideias de Adler garantem afirmações impactantes no livro, porque vão de encontro ao pensamento social comum. E, ouso dizer que, para quem é da psicologia, são afirmações que, em um primeiro momento, gerarão reflexões profundas (até mesmo para os amantes das abordagens comportamentais). Mas, ao final tudo se encaixa, construindo um sentido que modificou minha forma de encarar alguns aspectos da vida.
O livro ocorre inteiramente em formato de diálogo entre um jovem e um filósofo, facilitando a compreensão da psicologia adleriana, ao mesmo tempo que retoma o método socrático. A linguagem é simples, acessível, e as dúvidas e revoltas do jovem contemplam as nossas o tempo todo.
Espero que seja uma boa leitura para quem tiver coragem de realizá-la (rs) e que ela também modifique vocês de alguma forma!
comentários(0)comente



Douglas 06/07/2020

Impactante.
Assim como as ideias de Sócrates, registradas por Platão, as expressas nesses livro, no começo, soaram estranhas no início mas no decorrer da narrativa toma um rumo esclarecedor e com sentido. Realmente é possível ser feliz, mas não do jeito que o jeitinho ?realista? que as pessoas mais velhas (experientes na vida) costumam pregar.
comentários(0)comente



Caroline.Sobierajski 25/06/2020

Daquelas leituras que são essenciais para a evolução humana.
Já era um livro que eu queria ler fazia tempo e foi o título que me chamou atenção ?a coragem de não agradar?... como aquelas músicas que a gente resolve escutar por causa do nome, sabe?! As vezes a música é tudo de bom e as vezes só o nome que é legal, o mesmo acontece com os livros.
E gente, que maravilha! O livro é um diálogo entre um filósofo e um jovem durante 5 noites em 5 capítulos que eu pretendia ler em uma semana, um capítulo por dia porém apesar de a leitura ser tranquila, tinham informações tão interessantes que quis tomar meu tempo e digeri-las aos poucos! Mas o livro não é cansativo e é possível ser lido rapidamente.
Bom, o título e o diálogo do livro me tocaram porque eu realmente acho que tem que ter coragem de não agradar... apesar de muitos (e até eu) me acharem uma pessoa para frente, eu não gosto de desagradar... fico agoniada quando sinto ou sei que alguém não gosta de mim, não sou a maior fã de confrontos e tenho sim um complexo com rejeição... e sei que isso vem de mim, que eu em algum momento congelei e sigo meio estagnada em alguns aspectos da vida porque tenho medo do julgamento negativo dos outros... só de estar aqui me abrindo e escrevendo para vocês já acho que é uma vitória hehe
No diálogo o jovem vai até o filosofo para tentar desbancar suas teorias, que se baseiam principalmente na psicologia adleriana, do austríaco Alfred Adler, que tem uma visão bem interessante sobre o comportamento humano, apesar de eu não concordar ou conseguir compreender 100%...
Para não me prolongar aqui e também deixar um suspense sobre o livro a fim de atiçar a curiosidade de vocês para que leiam o livro também, vou apenas destacar minha parte preferida ?a coragem de ser feliz também inclui a coragem de ser detestado e de agir sem se preocupar em satisfazer as expectativas dos outros. Quando você adquire essa coragem, seus relacionamentos ganham uma nova leveza?.
Estou apaixonada por este trecho do livro, ele é muito real para mim! Eu costumo me questionar muito sobre o que eu fiz ou falei de errado quando fico sabendo que alguém não simpatizou comigo, quando na verdade eu deveria aceitar que nem todas as pessoas vão simpatizar e isso não significa que eu fiz ou falei algo ruim! A pessoa não gostou porque não gostou, se ficarmos querendo não ser detestados, querendo ser amados pela maioria não vamos ter liberdade nunca de ser quem somos! Viveremos ?pisando em ovos? e nunca vamos conseguir nos encontrar e realizar nossos sonhos!
Devemos ser quem somos independente do que os outros vão pensar!
Indico a leitura, principalmente para quem se identifica comigo nesta resenha!! É libertador!
comentários(0)comente



Luana Lavareda 20/06/2020

Perfeito
Já fazia um tempo que eu queria um livro pra ajudar em autoaceitação e autoconhecimento... livros de auto-ajuda no estilo coach, etc nunca me atraíram. Li um pouco de A sutil arte de ligar o f*da-se numa livraria e não corri mais atrás. Quando esse apareceu, totalmente baseado em filosofia e psicologia, comprei na hora e não nego: o livro realmente é transformador! Faço terapia e vários assuntos do livro passaram pelo consultório... é incrível como me alavancou refletindo sobre tudo e muito mais. Como um dos autores disse, a psicologia adleriana parece ser muito óbvia, mas toca profundamente e revolta hein! Várias passagens que eu li minha reação foi "????? não é possível que ele esteja falando dessa maneira", e outra coisa também, é duro. O livro joga muitas verdades na cara e por isso demorei mais a digerir certas coisas. Enfim, realmente tô muito feliz de ter achado essa preciosidade e fiquei com vontade de ler mais sobre Adler e sua psicologia. Também tive um pensamento igual ao do jovem: "ahh se eu tivesse lido essas coisas quando mais nova...", mas na real? Esse foi o momento certo e nunca está tarde pra mudar. Quero viver o agora ao máximo.
comentários(0)comente



Suellen Guimarães 19/06/2020

Ao terminar essa obra levo comigo alguns ensinamentos, que claramente são transformadores. Entre eles estão a autoaceitação, o conceito de felicidade, liberdade e o sentido da vida. Tudo depende de você. Você gera uma mudança, você dá sentido à sua existência. Isso torna tudo mais leve, o que dá total significado à frase: ?O mundo é simples e a vida também.?
Está na minha lista de livros para reler. Recomendo muito a leitura :)
Ander 19/06/2020minha estante
Entrou na minha lista ???




Guilherme Carvalho 14/06/2020

Aprender através da filosofia
Encontrei certa dificuldade em ler o livro por ser em formato de diálogo entre duas pessoas, achei esse modelo um pouco cansativo demais em certo ponto. Além de que o livro é basicamente um manual da filosofia adleriana. Os temas abordados são muito bons, nos faz refletir em todos os pontos da vida, porém tem outros que podemos ter certa dificuldade em aceitar e achar radical demais. Num geral, aprender sobre essa filosofia é super válido, basta saber quais parte dela faz sentido para você e se vale a pena aplicar na sua vida.
comentários(0)comente



Haydée Navarro 14/06/2020

Dei de presente depois de ler (e nunca faço isso!)
Eu tenho dificuldade em lidar com o fato de ser impossível agradar 100% das pessoas e por isso me interessei pelo livro. Me serviu muito e achei que poderia servir ao meu irmão (alguém que eu sempre achei que lidava bem com o fato acima!).. Ele não lê, mas mantém o livro exposto na cada dele :)
comentários(0)comente



47 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2 | 3 | 4