A Mulher Na Janela

A Mulher Na Janela A.J. Finn




Resenhas - A Mulher Na Janela


149 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7 |


Gihh Maddox @estante_maddox 19/06/2018

Uma mulher viciada em vinho e remédios. Um assassinato. Afinal, o que realmente aconteceu?

"Alguns têm pavor de gente, outros, da desordem do trânsito.
Para mim, o problema está na vastidão do céu, na desmesura do horizonte, no simples fato de estar exposta à pressa acachapante da vida ao ar livre."

Anna Fox era uma psicóloga que sofreu um grande trauma e agora sofre Agorafobia. Sem conseguir sair de casa ela vive sozinha com seu inquilino, pois seu marido e sua filha estão em outro lugar. Sua vida atual consiste em jogar xadrez na internet, tentar ajudar pessoas com o mesmo problema que ela através de um site, ver filmes antigos, falar com seu marido no telefone, beber muito vinho, tomar remédios com essa bebida e espionar seus vizinhos com uma câmera através da janela. Nessa rotina Anna acaba vendo uma nova família se mudar para lá, os Russels são mãe, pai e filho, uma família perfeita se não escondesse tantos segredos. Para ela essa rotina de espionar os vizinhos está bem, até que ela testemunha um assassinato. Mas será que realmente houve um assassinato? Como acreditar numa pessoa que toma tanto vinho e mistura tantos remédios?

“Sinto o lado de fora tentando entrar...
O mundo externo inflando na rua, flexionando os músculos, arranhando a madeira da porta.
Posso ouvir sua respiração, o vapor que ele sopra pelas narinas, o ranger dos dentes. Um monstro prestes a me atropelar, a me rasgar e duas, a me devorar.”

Para mim, esse foi um dos melhores thrillers do ano, o autor faz com que a gente se prenda na história e tenha a mesma dúvida do personagem, com a escrita um pouco enrolada fica difícil não ter certas desconfianças, mas o final não deixa de ser surpreendente. Recomendo para quem gosta de suspenses.

site: https://www.instagram.com/p/BkK10Y2HZv4/?taken-by=estante_maddox
comentários(0)comente



Patty Bantim 18/06/2018

Fiquei paranóica com a protagonista!!
A MULHER NA JANELA

Até o nome já é meio sinistro não é ??

Pois sim ??

Pense num livro que me enganou bastante!!

O começo foi arrastado, a personagem na minha visão estava sendo um pouco chata e bem exagerada em seus motivos pra fazer o que fazia...

Exemplo: Ela é médica, atua na área de psicologia, ou seja, qualquer pessoa tem completa noção de que não se deve nunca ingerir bebida alcoólica com medicamento, imagine ela... E a misturança que ela vai fazendo, tomando as quantias todas erradas em horários errados, e bebendo uma quantia de vinho que à deixava completamente bêbada...

Isso me cansou um pouco, todo o drama que ela fazia... Afastar a filha de 9 anos... O marido ainda vai... Mas a filha... Isso me fez pegar um pouco de asco da protagonista... Me irritou bastante e quase parei de ler, mas...

Então né... Vamos falar mais da nossa Dr. Anna, ela tem um transtorno chamado Agorafobia, "medo de espaços abertos", ela não sai de casa a 10 meses, faz tratamento com um especialista que à atende em casa, tem um inquilino que à ajuda com o lixo e a manutenção da casa, suas compras são todas feitas pela internet e telefone, e tem sessões de fisioterapia semanais... O que eu não entendi no começo, mas depois foi um baque bem feio ao saber o que de fato havia acontecido com a Anna.

Pra passar os dias ela joga xadrez online, participa de chats na internet ajudando pessoas com a mesma fobia que ela, assistindo à filmes policiais antigos e... Claro!!! Observando a vizinhança através de sua janela!!!!

Tudo que acontece ela sabe, tudo que eles fazem ela vê...

Até o que a vizinha lê ela acompanha!!!
(Essa é das minhas!!)
???

Até que um dia ela vê sua vizinha sendo esfaqueada!!!

Mas... Quando ela chama a polícia, e a mesma averigua tudo e não encontra nada suspeito, seus vizinhos estão intactos, e tudo está em plena "paz", e todos duvidando dela, e dizendo que ela havia bebido muito e confundido realidade com seus filmes é que tudo começa de verdade.

Aí sim a leitura me pegou, foi uma corrida entre as páginas pra saber o que havia acontecido, porque foi muito real e conforme eu ia lendo eu ia me perdendo junto com a mulher da janela...

Seria loucura mesmo?!

Uma forma de chamar a atenção?!

Uma dupla personalidade escondida?!

E como provar que não era alucinação?

Até seu marido e sua filha com quem ela se falava todos os dias por telefone, não acreditavam nela...

O que mais me deixou apreensiva era o fato dela não poder provar, e não conseguir ir atrás das provas!!!! Estar de mãos atadas me deixou muito muito apavorada, quando duvidavam dela, aquilo doía em mim...

Até que a uma bomba cai bem em cima da minha cabeça!!!!

A escrita desse livro, me deixou tão focada em tentar desvendar a trama, que eu esqueci da historia da vida da nossa personagem principal... E de repente, os capítulos que estavam sendo intercalados entre presente e passado dela antes da separação da família explode na sua cara e você nem vê!!!!

Aí tudo faz sentido, tudo que você se arrastou na leitura até antes de haver (ou não haver) um crime, passa como um filme na sua cabeça e sua boca cai até o chão de tão pasma que os fatos de deixam.

Aí eu fiquei assim:

Puts... E eu odiando a mulher... Coitada...

Aí, bate o remorso!!!

Aí... Você lê mais um pouquinho e volta a ficar com raiva dela de novo!!!

Aí você pensa:

Puts... Que VACA!!!

E Caracas!!!! Aí é um tapão na cara que levamos a cada capítulo, tudo que você tinha ferrado a cabeça pra desvendar tava errado, e depois ta errado de novo e de novo!!!

E você se vê jogado de um lado pro outro aos trancos com cada descoberta que você vai fazendo...

O livro é muito bom, e o fim... Sem chance de alguém descobrir o que de fato aconteceu naquela vizinhança doida!!!

Recomendo muito!!!
comentários(0)comente



PJ 16/06/2018

Avassalador
Leitura flui com muita velocidade. O autor consegue passar toda a angústiada personagem enclausurada devido sua fobia. Mesmo dentro de uma casa a narrativa não deixa a desejar, pelo contrário, prende. Amei ?5/5
comentários(0)comente



Rita.Cacavelo 11/06/2018

Livro superestimado. Leitura arrastada e demora para as coisas acontecerem. O final é surpreendente, mas cansei de esperar.
comentários(0)comente



Kelly Brandão 11/06/2018

O Thriller do ano? Poooooorra nenhuma!
E vai ter filme dessa bagaça ainda.... ?
Achei muito arrastado, difícil de acompanhar a confusão mental da protagonista. Eu sei que a intenção é exatamente essa, porém, 350 páginas de bebedeira e comprimidos é pá cair o cu da bunda né?
Tive que insistir na leitura pra dar conta de terminar, quase duas semanas lendo essa bosta, e é exatamente o que falei na publicação de uma amiga: "Esse é o tipo de livro escrito pra fazer o leitor de otário. Primeiro deixa a gente mais doido que a doida da protagonista, depois que a gente "descobre" as coisas, esfrega na nossa cara que a solução era a mais óbvia possível"
Desconfiei das pessoas certas, das situações certas, óbvio que não imaginei o motivo de tudo, óbvio que tive umas surpresas no decorrer da leitura, poucas mas tive. O final, pra mim, não foi surpreendente.....
Enfim, não gostei, mas recomendo! Até pq não sou dona da razão, leiam e tirem suas próprias conclusões.
comentários(0)comente



Lorrane Fortunato 10/06/2018

Resenha: A Mulher na Janela / Dreams & Books
“Tenho a sensação de que a loucura veio para me libertar.”

Eu amo trilhers psicológicos e já fazia algum tempo que não lia nenhum livro assim, mas quando vi A Mulher na Janela soube que era o momento de voltar a ler esse gênero. Por isso, solicitei o livro e não me arrependo nem um pouco dessa decisão.

A Mulher na Janela é um livro que prende o leitor e o deixa ávido para saber o desenrolar da trama. Viciante e envolvente, não torna possível abandonar a leitura.

Os acontecimentos se desenrolam num ritmo ideal, não tão rápido que o leitor nem consiga assimilar ou tão devagar que deixa a história cansativa. Tudo se encaixa perfeitamente.

"Alguns têm pavor de gente, outros, da desordem do trânsito.
Para mim, o problema está na vastidão do céu, na desmesura do horizonte, no simples fato de estar exposta à pressa acachapante da vida ao ar livre."

O autor tem uma escrita que faz com que o leitor se sinta como se fosse a protagonista. É maravilhoso o quanto é possível ver e sentir as coisas pela pele da personagem. Isso acaba criando empatia em quem lê e abrindo os olhos para questões muito importantes.

Os personagens são ótimos e maravilhosamente bem desenvolvidos, nada de personagens rasos aqui! Gosto muito de como ninguém é inteiramente bom ou mal nesse livro, temos personagens que remetem muito ao real com defeitos e qualidades.

“Sinto o lado de fora tentando entrar...
O mundo externo inflando na rua, flexionando os músculos, arranhando a madeira da porta.
Posso ouvir sua respiração, o vapor que ele sopra pelas narinas, o ranger dos dentes. Um monstro prestes a me atropelar, a me rasgar e duas, a me devorar.”

O enredo é cativante e vai ganhando o leitor a cada página e o final... O que falar desse final? Só posso dizer que é extremamente surpreendente e de tirar o fôlego!

Não mais, só me resta recomendar esse livro! Se você curte um bom trilher psicológico ou até mesmo nunca leu nenhum e está com vontade de começar, recomendo demais A Mulher na Janela! Tenho certeza que esse livro não vai te decepcionar.

"Não é paranoia se realmente está acontecendo."


site: www.dreamsandbooks.com
comentários(0)comente



Nina 10/06/2018

Um brilhante thriller psicológico, com uma narrativa envolvente, intensa, instigante e com personagens bem escritos. O que é real e o que é imaginário? Que livro, gente! Que livro! É quase impossível largar antes de descobrir todos os mistérios e saber qual o desfecho da trama. O livro já teve seus direitos comprados pela FOX, vai virar filme estrelado por Amy Adams.
comentários(0)comente



Helder 10/06/2018

Não é tudo isso não.
A mulher na janela chama-se Anna Fox. Ela é uma psicóloga que sofreu um grande trauma e agora sofre de Agorafobia, ou seja, ela não consegue sair da casa onde vive sozinha, pois seu marido e filha estão morando em outro local. O autor nos apresenta sua vida atual, onde sua rotina consiste em jogar xadrez na internet, participar de um site para pessoas com o mesmo problema que ela, ver filmes antigos de suspense, falar com seu marido por telefone, beber muiiiiiitttto , tomar remédios junto com estas bebidas e espionar seus vizinhos com sua mega câmera fotográfica. Nessa rotina ela percebe que tem novos vizinhos, os Russels, que consistem em um pai estranho, um filho amoroso e uma mãe que de repente torna-se sua amiga. Para ela a rotina está bem, até que ela testemunha um assassinato.
Mas será que realmente houve um assassinato? Como confiar numa testemunha tão instável que mistura remédios com álcool em quantidades extremas?
Esta era uma das premissas do livro. Fazer o leitor ter a mesma duvida da personagem, mas o que temos aqui é uma convenção tão grandes de clichês que sinceramente fica difícil ter grandes surpresas. Eu estava com tanta vontade de ler este livro que ele acabou sendo uma pequena decepção. Para mim é somente um livro ok para iniciantes em thrillers. Se você como eu, já leu muitos thrillers e até assistiu Janela Indiscreta, as coisas aqui são muito devagar e quando aparecem as “surpresas”, você ao invés de dizer Uau, simplesmente tica mais um item no seu checklist de thrillers, garantindo que o livro seguiu o manual do curso de literatura americana atual.
Nos EUA existem cursos que ensinam pessoas a escrever romances. Tudo me leva a crer que a primeira lição é que um livro de suspense deve ter uma mulher mal amada que afoga seus problemas em bebidas, vide A Mulher no Trem, Em um Bosque Muito Escuro, A Mulher na Cabine 10. Ai estas veem um crime e ou perdem a memoria ou são desacreditadas pela policia. Que tal mudar de assunto? Dá para mulher se deprimir e roer as unhas só para mudar um pouco?
Só por curiosidade dei um Find na palavra “Taça” no meu aplicativo de leituras e a palavra aparece 78 vezes. Quase uma taça a cada 4,5 páginas. Ou seja: Anna Fox bebia tanto que até o leitor fica alcoolizado. Ai fica difícil se apegar a mocinha, e quando o vilão aparece e esfrega na cara dela o quanto ela é burra, fica difícil não concordar.
O final, para mim é outro problema. Ok, a surpresa da identidade do vilão é interessante. Cheguei a pensar nesta pessoa, até porque não tem tanto personagem assim para a gente desconfiar, mas não tinha como descobrir a motivação, simplesmente porque em nenhum momento tivemos nenhuma dica para aquilo. Como o nosso ponto de vista era da protagonista, acabamos tendo uma visão deturpada até daquilo que ela deveria ser craque, que é conseguir reconhecer problemas psicológicos. Ela não era uma boa psicóloga? No fim, é uma personagem tão coitada que só me deu pena. Ainda não me conformo com a cena com o inquilino bonitão. E se não fosse o vilão ser um(a) 'psicopata arrogante e convencido(a) igual a vilão do Batman" (Mais um clichê ai, gente, o vilão só falta dar gargalhadas satânicas e amarrar nossa doce psicóloga em uma armadilha para morrer devagar) e desenhar para ela tudo o que ele(a) fez , o livro não teria um final, pois a protagonista não descobre nada sozinha.
Nota 3,0 e está muito bom. Autor tem potencial, mas precisa se soltar um pouco mais dos clichês. Bom para ler num domingo de chuva, pois é melhor que programação de TV aberta no fim de semana, o que não é grande Curriculum, certo?.
Tem thriller bem melhor no mercado.
Kelly Brandão 11/06/2018minha estante
Achei esse livro deprimente.... Dei duas estrelas pra ele.


Helder 11/06/2018minha estante
Fui um pouco mais bonzinho que vc. Achei chatinho. Preciso de livros de suspense onde o suspense comece logo. Aqui só acontece algo mais interessante pra lá da metade.


Claudia 11/06/2018minha estante
Esse, decidi: NÃO VOU LER. Basta de lançamentos vazios!


Helder 11/06/2018minha estante
Claudia e Kelly, vcs leram Por Trás dos seus olhos? Este eu curti muito. Fiz resenha ontem tb. Este pra mim foi o mês dos psicopatas. Li este chatinho, li Você que tb é fraco e o dos olhos que valeu a pena, mesmo com o fim doido.


Claudia 11/06/2018minha estante
"Você que tb é fraco"?


Helder 11/06/2018minha estante
Sim. Não curti muito não. Vou fazer resenha.


Claudia 11/06/2018minha estante
Não achei o livro aqui no site. Bom, aguardo a resenha.


Renato 12/06/2018minha estante
Temos gostos parecidos mesmo, rsrs.


Helder 13/06/2018minha estante
Vi hoje na net que vai mesmo virar filme. O diretor é um cara especialista em filmes de época chamado Joe Wright. Dirigiu uma linda versão de Anna Karenina. Anna Fox será Amy Adams. Não sei se assistirei.


Giovane.Rezende 16/06/2018minha estante
Eu ia ler esse livro, mas agora tô achando que tomei spoiler depois de ter lido sua resenha estou me perguntando se a parte "E se não fosse o vilão ser um 'psicopata arrogante e convencido igual a vilão do Batman" foi para referir-se ao gênero do vilão ou um uso genérico da palavra mesmo. AAA




Ana Luiza 09/06/2018

FINAL SURPREENDENTE
Apesar de não ter alcançado todas as minhas expectativas, A Mulher na Janela foi uma leitura muito boa. Infelizmente, partes da trama são previsíveis e o livro se estende mais do que necessário. Mas, como pontos positivos, temos personagens complexos e intrigantes, em uma trama que, com muitas referências ao cinema clássico de suspense, acaba ganhando um ar cinematográfico. Com uma narrativa que envolve o leitor em um clima crescente de tensão, a história traz um desfecho bastante inesperado, movimentado e emocionante. De bônus, A Mulher na Janela ainda fala sobre doenças mentais, como a agorafobia e psicopatia, e como elas podem isolar as pessoas, destruir relações e levar a fins trágicos. Espionagem de vizinhos, paranoia, suspeitas de assassinato e muito mais recheiam esse suspense, que recomendo para quem gosta do gênero e quer conferir a história de A Mulher na Janela antes que ela chegue aos cinemas.

LEIA A RESENHA COMPLETA E VEJA FOTOS DO LIVRO NO MEU BLOG:

site: http://www.mademoisellelovesbooks.com/2018/06/resenha-mulher-na-janela-aj-finn.html
comentários(0)comente



Amanda @litera.pura 07/06/2018

Mais resenhas em @litera.pura
Anna Fox tem agorafobia. Isso significa que ela nunca sai de casa e todo seu tempo livre é dedicado aos seus três hobbies: assistir filmes antigos, tomar vinho (muito mais do que deveria) e observar os vizinhos.
⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀
Uma das vizinhas está traindo o marido, a outra começou uma nova leitura para o clube do livro. Anna, vivendo longe do marido e da filha, sabe dos detalhes da vida de cada um.
⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀
Quando uma nova família se muda para a casa na frente do parque, Anna fica obcecada. O casal tem um filho adolescente muito simpático, a esposa é linda e prestativa e o marido tem uma carreira promissora. Ela chega até a esquecer um pouco das outras casas enquanto fixa sua atenção naquela família perfeita, muito parecida com a que ela mesma tinha antes de tudo dar errado...
⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀
Um dia, através das potentes lentes de sua câmera, ela vê algo muito errado acontecendo, mas ninguém acredita nela. Nem a polícia, nem os médicos, nem seu marido. ⠀
⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀
Anna bebe demais, toma muitos remédios, tem depressão, vive isolada do mundo. Todos acham que ela teve alucinações ou está apenas tentando chamar atenção, mas ela sabe o que viu.
⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀
Em sua incessante busca pela verdade, ela descobre muito mais do que gostaria. Por trás daquela família tão bonita, existem coisas sombrias e Anna é a única que pode provar. Mas como? ⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀

site: https://www.instagram.com/litera.pura/
comentários(0)comente



Thally 06/06/2018

Aaaaaaaaaa a pessoa termina de lê essa hora kkkk
Acabei de ler esse livro e fiquei sensibilizada com a fobia e o drama da Anna , sem fala que me identifiquei bastante com ela kkkk
Pois adoro uma taça de vinho, amooooo filmes CUT e sou bem observadora ... Claro que não ao seu nível Hardy kkk
Qto a história me prendeu , pois queria confirmar minhas suspeitas ...
Obs: suspeitas confirmadas com sucesso, tendo um reviravolta que eu não esperava kkkkk ponto pro autor .
Edit: difícil conseguir desligar agora kkkk
Gaby 06/06/2018minha estante
Adoro quando me sinto assim também hahahahh


Douglas Oliveira 06/06/2018minha estante
Amo esse livro! O melhor do ano até agora...


Janine 06/06/2018minha estante
Ok, me convenceu. Kkkk


Thally 06/06/2018minha estante
Eh muito bom neh Gaby :-)


Thally 06/06/2018minha estante
O melhor até agora pra mim eh o livro "por trás dos seus olhos " simplesmente sensacional , Douglas


Thally 06/06/2018minha estante
Que bom saber Janine , leia e depois a gente fala sobre ele kkkk


Gaby 07/06/2018minha estante
Sim, muito bom haha


Douglas Oliveira 07/06/2018minha estante
Thally, por sua culpa eu fiquei interessado em "Por Trás dos Seus Olhos"! Hahahaha Ele foi lançado ano passado, né? Então, no meu ranking de melhores leituras de 2018 eu só levo em conta os que foram lançados esse ano. Por isso considero "A Mulher na Janela" o melhor até agora. ;)


Thally 08/06/2018minha estante
Gaby S2 como eu sinto falta do emojs aqui kkkkkkk gzuis


Thally 08/06/2018minha estante
Eu queria ser assim mais organizada Douglas hahahahaha mas tenho certeza que se vc lê esse livro, tu arruma um jeitinho de por ele no ranking desse ano ou tira o 1 da lista do ano passado ;-)


Douglas Oliveira 08/06/2018minha estante
Mesmo? Eu tenho um caderno só para organizar as leituras. kkkk


Gaby 08/06/2018minha estante
Sim hahahahah




Mônica 05/06/2018

Um dos melhores thrillers de 2018.
Nao sou muito de ler livros na hype, porém vi muitos comentários positivos a respeito desse thriller e confesso que não consegui larga-lo até finalizar. Muito bem construído, o autor te leva por um caminho e logo depois tudo que vc imaginou que poderia ser já mudou completamente e assim vai até o desfecho surpreendente.
A leitura em alguns momentos pode ser cansativa pois se faz em primeira pessoa e você não faz ideia se tudo realmente acontece ou se é imaginação da protagonista que vive a base de antidepressivos regado a muito vinho. Isso não é spoiler...
E as peças vão se encaixando a medida que pequenos detalhes são revelados ao longo dos capítulos.
Recomendo para quem gosta do gênero. Li em 2 dias! Um dos melhores de 2018.
comentários(0)comente



annac 05/06/2018

INCRÍVEL!
Um suspense agonizante e muito bem escrito. Foi uma grata surpresa, pq quando você ACHA que já entendeu tudo, aí que você percebe que na verdade não sabe nada.

Personagens bem construídos e uma protagonista forte. Um dos melhores que li esse ano.

Nota 5/5!
comentários(0)comente



Karina 04/06/2018

Gostei bastante.
Achei confuso mais me prendeu mesmo assim.
Depois foi desenrolando e me surpreendeu.
Gostei bastante, estou a procura de mais Livros assim,enigmáticos.
comentários(0)comente



Michelle 03/06/2018

Um dos melhores desse ano!
O livro parte da premissa "mulher alcoolatra vê demais e ninguém acredita nela", mas a forma que a personagem é construída é muito boa, deixa a leitura leve. Grandes reviravoltas acontecem e o final acaba sendo surpreendente. Muito bom por ser o primeiro livro do autor!
comentários(0)comente



149 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7 |