Heróis de Novigrath

Heróis de Novigrath Roberta Spindler




Resenhas - Heróis de Novigrath


20 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2


Queria Estar Lendo 07/12/2018

Resenha: Heróis de Novigrath
Heróis de Novigrath é um livro escrito pela brasileira Roberta Spindler e publicado pela Editora Suma - que cedeu este exemplar para resenha. Conheci o livro na Flipop desse ano e desde então estou louca para ler, achei a temática bem diferente de qualquer outro que eu já tenha visto. O livro conta a história de Pedro, um ex-jogador profissional do jogo Heróis de Novigrath que recebe uma visita um tanto inusitada e passa a recrutar jovens para o time do qual será técnico.

Pedro (Epic) é um jovem não tão bem sucedido e um pouco frustrado. Depois de um bom início de carreira jogando Heróis de Novigrath em um time profissional, ele coloca tudo a perder por causa de más escolhas. Apesar disso, ele continua com o jogo e grava as partidas para publicar na internet.

O amor pelo jogo faz com que Pedro continue com o sonho de voltar para época e que ele era jogador profissional. Esse dia aparentemente chega quando seu personagem favorito do jogo, Yeng Xiao, aparece na sua frente em carne e osso. Obviamente, Pedro começa a questionar sua sanidade mental, mas Xiao mostra a verdade.

"- Significa que a crença humana nos deu forças e nos mantém vivos. Extrapolamos o imaginário, o ambiente virtual, graças a vocês. Já ouviu aquele ditado que o maior poder humano é a fé? Pois nós nascemos da sua fé, Epic, e da fé de outros incontáveis jogadores."

O jogo é dividido em duas facções: Defensores de Lumnia e os Filhos de Asgorth. Devido ao amor de todos os fãs pelo jogo e pelos personagens, eles agora conseguem se materializar. Porém, os Filhos de Asgorth foram um pouco além disso, eles estão usando a energia dos humanos para se fortalecerem e pretendem sair do mundo do game e ir para a realidade, o que coloca em risco a vida de toda humanidade.

Yeng Xiao surge com uma proposta, ele ajudaria Pedro a montar um bom time para competir no Campeonato Brasileiro e chegar ao mundial, só assim poderiam impedir o plano dos Filhos de Asgorth. Assim começa a busca por talentos que possam fazer parte do time.

"Um fracassado nunca poderia salvar o mundo."

O primeiro integrante que Xiao escolhe e leva Pedro até ele é o Cristiano (Fúria). Ele está no último ano do ensino médio, mas não tem o mínimo interesse em estudar e fazer uma faculdade como os pais querem. O que ele realmente gosta é de jogar, não é a toa que está entre os TOP 10. Cristiano foi um dos personagens que mais me irritou no livro, ele é bem babaca, se acha melhor que os outros e faz alguns comentários bem machistas.

A segunda integrante do time a aparecer é Samara (Titânia), ela mora com a avó em Recife, perdeu os pais muito cedo em um acidente de ônibus e isso fez com que ela precisasse amadurecer bem rápido e ser muito forte para superar tudo. Confesso que ela se tornou a minha favorita, então sou meio suspeita para falar.

Os próximos a serem recrutados são os gêmeos Adriano (LordMetal666) e Pietro (Roxy), quero guardar esses dois num potinho e nunca mais deixar sair. Adriano é rockeiro como podem ter percebido pelo nickname, cabelo azul, é o que mantém a animação do time mesmo nos momentos mais difíceis. Pietro é o mais centrado do time, um líder nato e muito fiel aos amigos.

A última integrante do time é a Aline (NomNom) uma coreana muito insegura consigo mesma e com uma relação muito intensa com os pais. O jogo se tornou uma espécie de fuga para ela que sempre foi muito sozinha e não tinha amigos. A entrada dela para o time foi bem conturbada e causou uma crise familiar. Assim como os pais de Cristiano, os pais dela não achavam que ser jogadora profissional era uma boa perspectiva de futuro.

"Durante toda a vida, acostumara-se a engolir os insultos. No entanto, depois de um mês convivendo com os Vira-Latas, algo havia mudado."

Não foi fácil juntar o time Vira-Latas e eles se deparam com muitos desafios durante a história, dentro e fora do jogo. Com o fortalecimento dos Filhos de Asgorth a batalha não fica só no jogo e seu comprometimento e lealdade com o time são levados a prova em vários momentos.

A relação que é construída entre Pedro e o restante do time é linda. Se observa durante o desenrolar da trama Pedro crescendo, criando um senso de responsabilidade e carinho por cada um dos jogadores do time. O mesmo crescimento acontece com o restante, principalmente com Cristiano e Aline. Eles se envolvem uns com os outros virando uma família mesmo, dá pra perceber o amor fraternal entre todos eles do time, que apesar dos defeitos de cada um, todos se querem bem no fim das contas.

A história é muito bem construída e bem desenvolvida, não percebi nenhuma falha ou furo. Os personagens e suas personalidades foram muito bem exploradas e as relações deles com os pais.

As cenas dos campeonatos são eletrizantes, tive o coração disparado e levado a boca várias vezes, me senti lá no estádio, junto com a torcida. São poucos livros que me absorvem assim, me engolem para dentro da história. Outra coisa que adorei no livro foram os capítulos, eles são nomeados como os níveis do jogo! Amei isso!

O único problema do livro, que nem é grave, são os termos dos gamers. Nunca fui muito fissurada em games e os termos foram um pouco confusos no início, sendo necessário apelar pro google. Um glossário as vezes ajudava para leitura fluir mais para pessoas como eu que não entendem nada disso.

Esse foi o primeiro livro da autora que li e pretendo ler outros dela, agora que conheci a escrita e que gostei muito!

site: http://www.queriaestarlendo.com.br/2018/12/resenha-herois-de-novigrath.html
comentários(0)comente



Ana 13/07/2020

Eu sou noob
Sou uma velhinha de 26 anos que não sabe abrir um joguinho sem ser a primeira a morrer, mas eu amo esses universos e essas histórias sempre me chamam atenção. Eu gostei bastante desse livro por ele ser nacional e ter tanta representatividade. Uma aventura de jovens cheios de lições para aprender ao lado de Pedro que também tinha muita coisa para aprender e se tornar uma pessoa melhor. Amei acompanhar essa jornada com os personagens.
comentários(0)comente



Biel 25/06/2020

Gostei bastante, a história é bem clichê mas ainda sim é bem feita e a autora sabe construir muito bem os personagens principais.

Tem cenas e diálogos bem bobos e que claramente não é algo que a gente falaria na viada real, mas faz parte do que o livro propõe desde o início.

E eu adorei o fato de como ela trata o Pietro e o Fred como uma naturalidade sem parecer forçado.
comentários(0)comente



Fabio Pedreira 10/07/2018

Heróis de Novigrath
Fala galera, hoje eu venho trazer para vocês a resenha do livro Heróis de Novigrath, lançado este ano pela editora Suma. É um livro de fantasia nacional com aventura que traz um grupo de jovens enfrentando perigos dentro e fora de um jogo de computador. E você que não gosta de jogos, calma, leia a resenha até o fim, pois o livro é muito mais que isso, mas primeiro vamos contextualizá-lo...

Tudo começa com Pedro, um ex jogador profissional de HDN (Heróis de Novigrath) que viu sua carreira e popularidade descendo ladeira abaixo devido ao seu comportamento e personalidade, e nunca mais conseguiu emplacar em nada do tipo, nem mesmo em lives no Youtube. Porém, isso muda quando ele recebe a visita de ninguém menos que Yeng Xiao, um dos avatares do jogo de HDN.

Pedro, no começo, acha que está ficando doido, mas quando percebe que aquilo não é um sonho sua vida muda radicalmente, pois Xiao avisa ao garoto que uma entidade poderosa e maligna está se alimentando da energia dos jogadores para poder vim ao mundo real. Cabe a Pedro então formar o time ideal para competir no campeonato mundial de HDN e vencer essa ameaça.

Começo dizendo que esse livro é, na minha opinião, uma surpresa agradável. Sempre gostei de jogos, mas de vídeo game. Jogos online nunca foi a minha praia e, acreditem, existe uma baita diferença. Por isso quando vi a Suma anunciando esse livro fiquei com um pequeno dilema, a parte da fantasia me atraía, já a parte de jogos me deixava com um pé atrás com medo de acabar me decepcionando, mas resolvi arriscar e felizmente tomei a decisão certa.

HDN lembra até um pouco de X-men, pois temos Pedro, que é o treinador, e temos o resto do time. Com o tempo eles vão adquirindo os poderes dos personagens dos jogos e isso pode ser associado a um professor Xavier e seus alunos. E não só por isso, já que os X-men foram criados justamente para tratar de preconceito com um grupo bem variado de personagens, assim também é em HDN.

Os personagens do livro são bastante variados, o que retrata muito bem essa diversidade. Um deles é um roqueiro de cabelo azul, seu irmão gêmeo é gay, a outra é uma coreana que sofre bullying por ser gordinha e também sofre com a pressão dos pais e por aí vai. É um grupo muito diversificado que serve para quebrar padrões em uma sociedade preconceituosa.

Isso sem contar que apesar da quantidade relativamente grande de personagens a autora consegue dar a cada um deles um tempo certo de destaque. Todos são muito bem construídos e, mesmo o livro sendo pequeno, isso não afeta na trama, não temos pausas na história para desenvolver personagens e vice-versa, é tudo construído em conjunto, de forma fluida. Parabéns para a autora por isso.

Já na história temos aquele velho clichê: Time do bem x Time do mal. Porém, ele é muito bem trabalhado e isso que importa, pois, mesmo sendo algo batido, não cansa, trazendo algumas surpresas durante a trama. Por sinal, HDN é um livro muito direto, não enrola para se desenvolver, seguindo um ritmo rápido, todavia, que não deixa nada sem explicação.

No fim das contas, HDN foi uma boa surpresa para mim, o livro me surpreendeu e só demorei um pouco para ler porque aqui era período de festa junina + Copa, o que deixava a rua com muito barulho e impossível de se concentrar nas leituras. Só senti falta de duas coisas. A primeira é um glossário explicando os termos do jogos online, eu que jogo não entendo alguns, imagine quem não gosta de jogos e pega para ler? Acho que a Suma deu um pequeno deslize nessa parte.

Já a segunda coisa que senti falta foi um pouco mais de batalhas dentro do mundo virtual. Quando estão no campeonato jogando, o time dos Vira-latas (que é o time formado por Pedro) se “deslocam” para o mundo virtual, ocupando os corpos dos personagens dos jogos, mas muitas vezes as batalhas são descritas apenas pelas estratégias adotada pela equipe para vencer a rodada e eu gostaria de ver um pouco mais dessas batalhas pelo ponto de vista dos jogadores, como eles vivenciaram.

Obs: Existem batalhas pelo ponto de vista deles, mas eu acho que mais umas duas seria interessante.

Tirando isso, HDN é sim um livro divertido e rápido de ler, não deixa a desejar e é muito agradável. Roberta Spindler tem uma escrita muito boa, facilita muito a leitura e ela não poupa nas gírias na hora da construção dos personagens, até se for para xingar ela xinga kkkkk. É um livro que tem uma história 99% fechada, digamos assim, pois ela se resolve nesse livro, mas nada impede de ter uma continuação.

Por fim, dou 4 estrelas para esse livro e lembre de escolher seu avatar sabiamente.

site: http://www.revelandosentimentos.com.br/
comentários(0)comente



Eminem 29/06/2020

Sobre adolescentes e salvar o mundo...
5 adolescentes, um ex-jogador fracassado como técnico, um jogo e um mundo inteiro pra salvar. Isso é Heróis de Novigrath.

Certo... HdN foi um livro com muitos altos e baixos, em certos momentos a narrativa avançava frenética e em outros ela caia na monotonia, por isso a leitura demorou.

Eu achei que as questões que a autora colocou são realmente importantes e muito relevantes de serem discutidas, mas a forma como ela desenvolveu isso ao decorrer do livro não me instigou muito. Demorei bastante até ser capturada pelos personagens e pelos seus problemas. Achei que ela deu um foco maior em partes não tão necessárias para o enredo, se estendendo demais.

Mas a trama, no geral, com todos esses elementos fantásticos dos jogos e a possibilidade de enxergar dentro do jogo, entrar em contato com os campeões, foi realmente uma tacada de mestre. Tanto que senti vontade de me dedicar mais aos games e acompanhar mais desse universo tão legal.

Realmente HdN é bem mais que um jogo, ele é um portal para um novo mundo...
comentários(0)comente



Lorena Miyuki 30/01/2019

Empolgante!
Me surpreendi positivamente!
Nunca tinha lido nada da Roberta e achei a história muito legal, os personagens são ótimos e a ambientação foi muito bem feita. Até eu, que não gosto do estilo de jogo em que é pautado o enredo (battle arena/tower defense), me diverti bastante, mas confesso que as partes que menos gostei foram as descrições das partidas em si (porque eu não entendia/não queria entender muita coisa por não gostar do estilo, e é claro que isso foi pessoal).
A primeira metade é de longe minha favorita. A formação e conhecimento dos personagens, a apresentação de cada um e seu background foi muito gostoso de ler! Eles são muito diversificados e isso foi um ponto mais que positivo, servindo de representação. Às vezes ainda me pegava confundindo um com outro, e as descrições físicas só importaram de início porque raramente foram mencionadas depois para distingui-los, então me confundiu.
Achei o final um pouco corrido e chegou um ponto em que as "gírias" e palavras usadas por eles não eram mais explicadas, e pra quem não faz parte "do meio" não dá pra entender. Acho que supôs-se que o leitor já saberia e estaria familiarizado com as nomenclaturas, mas sinceramente... não.
Também me incomodou a escolha de alguns nomes (Pietro e Pedro juntos, socorro), a começar pelo título/nome do jogo em que o livro é baseado: eu _nunca_ vou ler "Novigrath". Sempre leio "Novigrad" e fico me corrigindo mentalmente porque isso aqui não é Witcher HAHAH
Mas as coisas ficaram amarradinhas, os conflitos foram fechados e, ao mesmo tempo, abriu espaço para um segundo volume se for de interesse da autora continuar escrevendo sobre esses personagens.
Enfim, foi uma fantasia urbana misturada com slice of life que me prendeu e me deixou empolgada por ser nacional. A trupe de personagens foi bem diversificada e a interação entre eles foi o que mais me divertiu e prendeu minha leitura - há tempos não via um grupo de adolescentes tão legal.
Recomendo muito, principalmente se você gosta e joga battle arena/tower defenses, acho que vai surtar com o livro haha
comentários(0)comente



Luizinhu 26/04/2020

#resenhadoluiz | @books.andcoffee_
Heróis de Novigrath

"Em uma épica luta do bem contra o mal, Roberta Spindler escreve partidas emocionantes, batalhas arrasadoras e personagens cativantes. Heróis de Novigrath é um livro original e apaixonante, para quem gosta de boas aventuras.

Heróis de Novigrath é mais do que um jogo de computador. É um esporte. Uma paixão mundial que atrai milhões de torcedores fanáticos para estádios, banca equipes famosas e leva seus jogadores do chão ao topo ? e vice-versa. Pedro sabe bem como uma carreira pode desabar de uma hora para a outra. Heróis de Novigrath ainda é seu grande amor, mas seus dias de glória terminaram."

Imagina viver em um mundo onde um game dita as tendências, conversas e comportamentos do Mundo. Parece coisa louca né? Mas em "Heróis de Novigrath" é assim, um RPG que invadiu a casa de família e faz com que passem horas e mais horas diante da tela de um computador. Adolescentes alcançam o topo e a fama, em quanto outros se prejudicam e perdem amizades.

O jogo chega em um nível tão alto que coisas estranhas começam a acontecer. É quando o recrutamento de um novo time é iniciado com o um único propósito.

Acompanho a Roberta desde a "A Torre Acima do Véu", que aliás espero uma continuação até hoje. E ver como a escrita dele desenvolveu muito é maravilhoso. Ela conseguiu inserir tantos personagens diferentes em uma história, sem deixar que com eles se perdessem ou não fossem concluídos.

Cada personagem tem um avatar, e é muito legal ver essa ligação entre eles no desenvolvimento da história. E como cada um cresce e aprende lidar com as situações que aparecem. Inserir assuntos que estão sendo bem explorados hoje em dia e fazer com que sejam bem conduzidas foi um ponto altíssimo nessa leitura.

Eu estava com muito medo de ler, por se tratar de algo baseado em jogos, o que não faz muita parte da minha vida. Mas eu me surpreendi e consegui ser transportado para dentro do livro. Então Roberta, você cumpriu seu papel como autora! Haha

site: https://www.instagram.com/p/B_ckjgxjWrh/
comentários(0)comente



Giuliana Murakami 26/04/2018

Empolgante e viciante
Fazia mais de dois anos que eu não me empolgava tanto com uma leitura no gênero de fantasia. Meu último vício Literário foi "Dragões de Éter", do Raphael Draccon e, agora, mais uma vez uma escritora nacional me cativa com sua escrita.
HdN é um jogo do tipo eSports, que se tornou febre no mundo todo. Porém, as personagens do jogo estão mais próximas das pessoas do que podemos imaginar. Um grupo de jovens de histórias, personalidades e gostos distintos é reunido por um fracassado jogador de HdN, Pedro, que passa a treiná-los para enfrentar uma ameaça de proporções muito maiores do que o Campeonato Mundial de HdN.
O que mais gostei?
Não há um elemento que eu tenha gostado mais. Tudo no livro me deixou extasiada: a narrativa que em nenhum momento se mostrou enfadonha, a proposta da história ao estilo Jornada (ou, nesse caso, Jornadas) de Heróis que eu tanto amo e, sem dúvida, as personagens. Não houve um personagem nesse turbilhão de personagens que eu não tenha gostado. E, acreditem, é extremamente difícil todas as personagens cativaram todos os leitores. O HdN tem essa diversidade que agrega e que desmistifica toda uma construção histórica de personagens principais masculinos e vigorosos. Aqui temos um ex-jogador fracassado, uma coreana gordinha e tímida, um guitarrista de cabelo azulado e ppersonalidade divertida, um gay sério e competente, uma negra com mais fibra que qualquer garoto que já conheci, um menino rebelde e criativo, e tantos outros que, mesmo coadjuvantes, conseguiram me fazer amá-los.
Só tenho a dizer que a Roberta Spindler ganhou uma fã. Que você possa embarcar nessa aventura sem medo porque a única coisa que você pode temer são os Filhos de Asgorth.
PS: apenas o final me deixou triste, mais pela despedida das personagens. Senti um pouco de falta de maior intensidade entre elas, mas confesso que tenho a teoria de que o final só foi esse porque temos mais no futuro (que os Defensores de Lumia possam influenciar a cabeça da Spindler para tanto ?)
comentários(0)comente



Leitora Viciada 05/05/2018

Resenha para o blog Leitora Viciada www.leitoraviciada.com
Conheci o trabalho da Roberta Spindler há 5 anos com Contos de Meigan: A Fúria dos Cártagos (2011, Dracaena), fantasia épica em parceria com outra autora. Seu primeiro livro é A Torre Acima do Véu (2014, Giz Editorial), distopia e fantasia urbana e um dos melhores livros nacionais que já li. Possui ainda inúmeros contos de ficção especulativa publicados em antologias, como Super-Heróis, Dinossauros e Space Opera (Draco). Você encontra alguns na Amazon, incluindo em formato digital. Sempre acho que a escrita da Roberta têm qualidade e criatividade.

A Editora Suma, do Grupo Companhia das Letras, após a reestruturação do selo com o foco total nos gêneros fantásticos, divulgou o primeiro livro brasileiro de fantasia a ser publicado por eles: Heróis de Novigrath, da Roberta Spindler, lançamento da Suma em março de 2018.

Nerd assumida, a autora é fã de RPG, histórias em quadrinhos e games. Contos de Meigan está mais para RPG, assim como A Torre Acima do Véu tem mais o estilo de HQs. Portanto, não me surpreendi quando vi que seu novo romance fantástico seria inspirado no mundo dos games, precisamente os do tipo Multiplayer Online Battle Arena (MOBA). É um gênero de jogos eletrônicos onde ocorre uma batalha entre dois times e o vencedor será o que derrotar a base principal rival. Cada jogador escolhe um personagem, geralmente um herói ou campeão e com habilidades ou poderes específicos, para utilizar durante a partida.

O enredo do livro é supercriativo, repleto de ação, representatividade e muita aventura. Tem também pitadas de humor e até mesmo de romance. Fantasia perfeita para aficionados por games ou por super-heróis. Mas se você não é gamer, sem problemas: o livro é voltado a qualquer fã de fantasia e aventura, gamer ou não. Como adoro fantasia, si-fi e heróis estilo Marvel/DC, curti muito a leitura e o time Vira-Latas, que atua também como super-heróis ganhando os poderes de seus avatares do game!

Para ler toda a resenha acesse o Leitora Viciada. -> leitoraviciada.com
Faço isso para me proteger de plágios, pois lá o texto não pode ser copiado devido a proteção no script. Obrigada pela compreensão.

site: http://www.leitoraviciada.com/2018/05/herois-de-novigrath.html
comentários(0)comente



mouemily 11/05/2018

Eu sei aproximadamente zero coisas sobre eSports, mas vi tanta gente falando bem da Roberta Splinder e desse livro que acabei comprando ele na pré-estreia já, aproveitando o HYPE. E eu me diverti bem mesmo sem conhecer o cenário!! Eu amei demais a Sam e a Aline e toda a vibe de amizade (chorei uns pares de vezes de emoção), a ideia por trás de Novigrath e os personagens do jogo vindo pro nosso mundo (EU AMO ISSO) e o desenvolvimento da Aline, do Pedro e do Cristiano principalmente. Tinha umas partes que eu queria que tivessem sido mais aprofundadas, mas entendo que o livro ficaria grande demais se isso acontecesse então tudo bem. Enfim, no geral, curti bastante!!
comentários(0)comente



Ricardo Brandes 12/07/2018

Uma fantasia de ação para o público jovem
Olá! Heróis de Novigrath (Editora Suma) é uma fantasia de ação para o público jovem, mas que também pode agradar adultos apaixonados por games e muita aventura!

Escrito por Roberta Spindler, a obra traz uma história bem interessante que mistura realidade e fantasia, em uma aventura sobre E-games. Como mostra a própria capa, os personagens centrais são jovens, fascinados por um famoso game que dá nome ao livro: HDN, ou Heróis de Novigrath, um megassucesso mundial, que esconde mistérios e muitos segredos. Em meio ao jogo real, situações inesperadas começam a acontecer, desafiando o grupo a salvar sua vida e o mundo!

A problemática da juventude e do grupo de amigos, formado em torno dos campeonatos de E-games, trazem questões modernas e atuais sobre os jogos eletrônicos como esporte e suas equipes de jogadores.

Os relacionamentos, amizades, disputas e desafios vão colocar à prova o grupo, em vários momentos de grande tensão. Com um enredo repleto de aventura e tecnologia, Heróis de Novigrath é uma obra de destaque na literatura jovem.

E o que achei da leitura? Com 293 páginas, capítulos curtos e bem intensos, nomeados em níveis, como fases de um jogo, encontrei erros e acertos nesta obra da Roberta Spindler.

Os acertos foram principalmente na temática jovem e atual dos E-games na adolescência, e as questões sociais do grupo. Gostei!

Entre os pontos negativos, após a metade da obra a leitura tornou-se cansativa e, por vezes, pensei em abandonar a obra. Mas a autora soube puxar as rédeas e controlar a situação, com boas emoções e surpresas.

Sobre o trabalho da equipe da Editora Suma, a diagramação ficou muito boa, bem alinhada para tornar a leitura mais agradável. A capa também ficou bem bolada, colorida e destacada.

Assim, Heróis de Novigrath torna-se uma aventura original e criativa, que abre espaço para um novo nicho na literatura nacional, mesclando games, amizade e principalmente, espírito de equipe para se tornar um verdadeiro herói.

Por RicBrandes
(Resenha para o Blog Amores e Livros)

site: http://www.amoreselivros.com.br/2018/07/herois-de-novigrath-roberta-spindler.html
comentários(0)comente



Jessé 07/08/2018

Ah, fazia muito tempo que eu não lia algo tão divertido! Amo literatura infanto-juvenil, tanto para ler como para escrever. Sinto falta dos personagens de Percy Jackson, e Jason e seus amigos me mostraram como é bom escrever esse tipo de história.





E Heróis de Novigrath me trouxe um pouquinho dessa nostalgia.







Heróis de Novigrath é sobre um MOBA de mesmo nome. Aqui, o mundo do eSports deu cada vez mais certo. O jogo é jogado mundialmente, com vários campeonatos que atraem multidões. Pedro (username: EpicShot), um dos protagonistas, já foi um dos melhores jogadores do mundo, mas viu sua carreira desabar em questão de dias. Agora, não passa de um jogador muito bom, mas que não consegue mais participar de nenhum campeonato.



Pedro ama o jogo, e faria qualquer coisa para dar a volta por cima. Ele percebe que esse dia chega quando Yeng Xiao, seu herói favorito no jogo, se materializa na sua frente.



O PERSONAGEM DE UM JOGO SE MATERIALIZA NA FRENTE DO PERSONAGEM. Sigamos com a programação normal.



O jogo é dividido em duas facções: os Defensores de Lumnia e os Filhos de Asgorth. Xiao é um dos Defensores de Lumnia. Ele vem para o mundo real dar um recado à Pedro: ao redor do mundo, os jogadores alimentam o game com sua paixão e, sem saber, com sua energia vital. O amor dos fãs foi tanto que o jogo se tornou "real", possibilitando que os personagens pudessem adentrar nosso mundo.



E é aí que a coisa fica feia. Os Filhos de Asgorth estão dispostos a invadir nosso mundo, e os Defensores precisam fazer alguma coisa. Xiao entrega uma missão para Pedro: o ex-jogador precisa reunir um time e classificar-se para o Campeonato Mundial, pois é onde o evento principal (aka A Guerra Chegando Na Terra) acontecerá.







Pedro vai atrás dos melhores jogadores do país, e acaba montando o Vira-Latas. O time é composto por:



Samara (Titânia);

Cristiano (Fúria);

Aline (NomNom);

Adriano (LordMetal666);

Pietro (irmão gêmeo de Adriano) (Roxy);



Eles são um time e, no começo, é óbvio que vai dar tudo errado. Adriano e Pietro jogam juntos desde sempre, Aline é mais fechada que a entrada da Câmara Secreta e Cristiano é o rapaz mais nariz empinado que tu vai conhecer. Porém, aos poucos, conforme a história avança, os personagens aprendem a conviver entre si.



A escrita de Roberta é simples e divertida, ainda mais se tratando de jogos online. Por se tratar de um tema tão atual, é normal que jovens se identifiquem mais ao ler essa história, mas o livro é recomendado para todas as idades. Vemos aqui, numa leitura rápida e fluída, onde um grupo totalmente desconhecido aprendeu a aceitar as diferenças de cada um e unir-se como uma família, lutando por si mesmos e em prol de algo maior.



O mundo de Novigrath é criado sabiamente. Cada herói descrito e cada batalha me deixaram com vontade de jogar qualquer jogo do tipo, e olha que nunca nem joguei MOBA. Ou seja, pra me deixar minimamente interessado, o jogo precisaria ser muito bom, e Heróis de Novigrath conseguiu isso.





site: www.dicasdojess.com
comentários(0)comente



PorEssasPáginas 05/11/2018

(...)
Amei o primeiro livro da Roberta Spindler, A Torre Acima do Véu (tentei anexar uma fotinho super legal que tenho com a autora e com o livro, mas não rolou!). Por isso, assim que saiu Heróis de Novigrath fiquei super animada. Fiquei mais animada ainda quando recebi o livro em parceria com a Suma.

Só que… demorei pra caramba pra me envolver com a história. No começo todos os detalhes relacionados ao mundo gamer deixaram a leitura arrastada pra mim. Sou da época do bom e velho Atari e apesar de usar meu primeiro salário para comprar um GameBoy, eu, na verdade, nunca fui muito de games. Não tenho um computador todo adaptado e não entendo muito da linguagem e da gíria usadas. Por isso, enquanto não me desapeguei das coisas que eu não entendia direito e passei a ler como uma fantasia eu não consegui aproveitar. Mas assim que fiz isso, aí sim, percebi que a história é muito legal!

Vencido meu bloqueio, a leitura se tornou fluida e as descrições detalhadas das personagens e dos ambientes puxam o leitor para dentro da batalha do mundo virtual versus real. E a batalha final é super emocionante!
(...)

**Resenha completa no blog!**

site: http://poressaspaginas.com/resenha-herois-de-novigrath
comentários(0)comente



Rafael.Lois 22/11/2018

Amei
O ritmo rápido, os personagens, tudo nesse livro é maravilhoso! Me deu nostalgia da época em que eu jogava LoL com os amigos. Além disso, acho que seria maravilhoso usar esse livro para atrair mais jovens para a literatura fantástica, com a temática relevante e o bom uso da linguagem gamer
comentários(0)comente



Biblioteca Álvaro Guerra 24/07/2019

Há anos Novigrath está em guerra, com os Filhos de Asgorth e os Defensores de Lumnia travando milhões de batalhas por dia — a cada vez que alguém abre o game, escolhe um avatar e inicia outra partida. Heróis de Novigrath se tornou um fenômeno do eSport, uma febre que há tempos alimenta não só a indústria de games competitivos, como os próprios personagens do jogo. Usando a energia vital dos jogadores, os avatares de HdN estão ganhando vida e sua influência cresce secretamente por todo o globo. O plano dos Filhos de Asgorth é simples: angariar mais fãs e usar sua energia para invadir nosso mundo. Para impedi-los, os Defensores de Lumnia precisam frear a popularidade dos inimigos — e a melhor maneira de fazer isso é garantir que uma equipe dos Defensores vença o Campeonato Mundial. Cinco jovens estão prestes a formar o time que é a última esperança dos Defensores de Lumnia. Com um ex-jogador fracassado como técnico, eles montam o Vira-latas, time mais subestimado do Campeonato Brasileiro. E logo eles vão descobrir que Heróis de Novigrath é muito mais do que um jogo — é o futuro de todos eles.

Livro disponível para empréstimo nas Bibliotecas Municipais de São Paulo. De graça!

site: http://bibliotecacircula.prefeitura.sp.gov.br/pesquisa/isbn/9788556510594
comentários(0)comente



20 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2