Apenas Amigos

Apenas Amigos Christina Lauren




Resenhas - Apenas Amigos


41 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2 | 3


spoiler visualizar
comentários(0)comente



@viagementrelivros 12/05/2018

Resenha @viagementrelivros
Nota: 4.2?

Ah, que saudades que eu estava do bom e simples romance dessa dupla de autoras!
Eu as considero muito boa exatamente nesses clichês que a gente devora rapidinho e termina suspirando. É o caso de Apenas Amigos.
Holland (sim, o nome dela é diferentão, e vem de Holanda mesmo) é uma jovem escritora um tanto perdida no caos de Nova York. Enquanto seus sonhos de escrever romances não se tornam realidade, ela trabalha como auxiliar de um teatro ao lado do tio, o maestro do local. Ela é uma personagem muito real, sabe? Um pouco tímida, indecisa, carente, e com um desejo latente de encontrar seu lugar no mundo. Ama demais os tios, que a ajudam e ficam ao seu lado desde sempre,
Calvin por outro lado sabe desde cedo o quer: ele quer ser músico. Simples assim. Viver fazendo a coisa que mais ama. Ele passa muito tempo em Nova York buscando uma oportunidade, e quando Holland e o tio lhe oferecem sua maior chance, nada poderia ser mais frustrante do que o fato de que ele não pode aceitar esse emprego. Calvin vive ilegalmente nos país.
Como resolver essa equação? Calvin não tem como adquirir um visto. Holland não quer ver o espetáculo do tio desandar por não ter um grande astro.
Não vou dar spoiler sobre o que esses dois vão aprontar, mas é bem obvio hahahaha
Só quero dizer que gostei muito do decorrer da história. Holland me irritou um pouco com suas inseguranças sem fim, mas dá pra entender. E queria que o Calvin tivesse mais atitude. Ele só não se tornou um grande crush literário porque ele diz não gostar de Friends. Quem não gosta de Friends? Inaceitável! hahahaha
Ressalva: o título original é "Roomies" o que pode ser traduzido para "Colegas de quarto", o que faz bem mais sentido com a trama.
Ah! E se preparem, porque já foi anunciado que essa história vai ganhar filme! Como são as próprias autoras que estão fazendo o roteiro, tenho fé de que amarei o filme também. Mal posso esperar!!!
Bruna C. 05/06/2018minha estante
Como assim??? Quem não gosta de Friends?? Perdeu pontos comigo, também! hahah
Amei sua resenha!




Larissa.Castro 01/02/2019

? Não gosto de pensar em você como personagem secundária da sua própria história.
Esse livro precisa ser enaltecido. Engraçado, envolvente e cativante. Amei muito.
comentários(0)comente



Além de 50 Tons 21/03/2019

Um casamento de conveniência ao estilo Nova York...
O livro começa com Holland Lina Bekker, num dilema mental sobre a sua atual obsessão pelo musicista Jack que toca no metrô onde ela, sem necessidade nenhuma, passa quase todos os dias. Ela está um tanto quanto bêbada e só está passando no metrô, em plena segunda-feira às 23h30, pra dar uma olhadinha nele (deixo aqui declarado meu pequeno medo dessa espécie de stalker literária). Quando ela chega na estação, está tudo vazio exceto por ele, tocando seu violão da forma que ela tanto adora, mas dessa vez algo muda. Pela primeira vez em meses, quando ela coloca uma moeda na caixa do violão aos seus pés, ele levanta a cabeça, olha pra cima e fala com ela. É bem engraçado como ela fica desconcertada e fala umas coisas bem sem sentido durante a conversa. Mas mesmo totalmente abalada, ela descobre duas coisas sobre ele: os olhos deles são verdes, bem como ela imaginava que fossem, e o nome verdadeiro dele é Calvin, não Jack, como nas suas fantasias.

Depois de uma troca de meia dúzia de palavras, ela meio que sai correndo e vai pra perto da linha esperar o metrô passar, quando um morador de rua vem com tudo pra cima dela querendo roubar seu celular. Ao tentar se afastar pra que ele não chegue perto dela, Holland acaba caindo nos trilhos do metrô e desmaia. Quando ela acorda, está deitada numa ambulância com o braço quebrado. Todo mundo pensa que ela tentou se matar e entregam vários folhetos de ajuda pra ela; por mais que ela tente contar a verdade, ninguém leva a sério o que ela diz (ai que ódiooooo). Quando ela olha pra porta da ambulância e vê que Calvin está por ali ainda, ela grita chamando ele pra que ele confirme sua história, mas ele simplesmente vai embora e a deixa lá. Confesso que me deu uma raivinha interna dele nesse momento. Ele era a única testemunha disponível e vai embora, deixando-a lá, sozinha. Mas enfim....temos um motivo pra isso (ainda bem!!!).

No hospital, depois de já estar com o braço engessado, chegam ao hospital os tios mais fofos da vida: Jeff, irmão da mãe dela, e Robert, marido do Jeff. Conseguimos perceber que eles têm um amor muito grande pela Holland e dá vontade de pedir pra eles me adotarem. Ela conta pra eles o que aconteceu e dá pra ver que eles acreditam nela antes mesmo de ela começar a contar o que aconteceu, isso me dá vontade de abraçar os dois.

"Bom, você já está de alta. – Ele beija minha têmpora e pronuncia as oito palavras mais perfeitas que existem: - Vem pra casa com a gente esta noite."

Na quarta-feira seguinte ao acidente, Holland já volta ao trabalho normalmente. Apesar de ela ter mestrado em Escrita Criativa, Holland está estagnada na sua carreira profissional, barrada por um super bloqueio e trabalha como arquivista e vendedora de camisetas no teatro em que seu tio, Robert, trabalha. Acontece que Robert é um diretor musical super conhecido da Broadway por conta da sua produção muito famosa chamada, Possuído. Ao chegarem ao teatro, onde trabalham, ela e Robert presenciam um desastre para a peça que está em cartaz: Seth, um dos principais musicistas da peça, simplesmente larga tudo e vai embora. Ele, por fazer vários duetos com o ator principal, faz parte do coração da trilha sonora e sem ele, a peça estará com sérios problemas.

Depois de Robert tentar outras opções para a substituição de Seth, Holland tem uma ideia e vocês sabem bem qual é: indicar o Calvin pra substituir Seth. Parece estranho ela indicar alguém assim do nada, né? Mas no decorrer da leitura percebemos o quanto Calvin é maravilhoso e o quanto a Holland admira o talento dele. Enfim, ela consegue convencer Robert a, pelo menos, ouvir uma vez o Calvin na estação de metrô e quando ele escuta a música do Calvin, ele fica maravilhado com todo aquele dom "desperdiçado" numa estação do metrô; fala com Calvin e pede pra ele ir até o teatro fazer um teste. Calvin, achando que pode conseguir um lugar escondido da orquestra de uma das peças mais incríveis do momento, vai e arrasa. Mas quando os produtores do teatro o chamam para o papel principal, descobrimos o porquê do Calvin ter deixado a Holland sozinha na noite do acidente: ele está no país ilegalmente há quatro anos.

Assim, um pouco decepcionados por perderem um talento daqueles, durante uma reunião, Brian, o chefe escroto da Holland dá a ideia de ela se casar com Calvin para que ele se torne um cidadão legal dos Estados Unidos. Na hora, Holland fica muito chocada pra responder, mas Robert já corta Brian e diz que aquela é uma ideia ridícula, mas aquilo fica martelando na cabeça de Holland durante toda a noite.

"Pró: ele é lindo. – (...) – Vamos começar por aí.
Contra: Essa ideia tem vários tons de ilegalidade."

Depois de muito pensar sobre o assunto, Holland vai com a cara e com a coragem pedir sua obsessão Calvin, em casamento. E ela faz isso bem ao estilo Holland "Desgraçalândia" Bekker: engraçada e toda atrapalhada. É muito cômico os pensamentos dela e a forma que ela deixa tudo sair do nada. Claro que ele fica surpreso por ela querer fazer isso por ele, mas quando ela explica que quer fazer isso pelo Robert que sempre fez de tudo por ela, ele aceita entrar naquele plano. E é assim, que eles se casam escondidos de tudo e de todos, levando apenas seus respectivos melhores amigos e começam uma espécie de casamento de conveniência da era moderna. Vocês podem imaginar o quanto de confusão isso pode causar, né?

Vou parar por aqui pra deixar aí a curiosidade sobre como tudo se desenrolou depois desse casamento abrupto. Mas deixo garantido pra vocês muita diversão com esse casal muito especial. Eles vão te fazer rir e, ao mesmo tempo, irão partir seu coração com os últimos momentos do livro. É tão claro, pra nós, leitores, o amor que eles sentem um pelo outro que dá vontade de dar três tapas na cara de cada um pra ver se tomam juízo rs.

"Nunca conheci alguém que gostasse tanto da minha música que quisesse se casar com ela."

Eu quero destacar tantas coisas que me chamaram atenção nesse livro, que não sei nem por onde começar. Mas acho que a palavra chave pra esse livro é o amor, de todas as formas possíveis: O amor pela música que é algo muito palpável durante toda a leitura. Dá vontade de ir em uma orquestra hoje mesmo pra sentir toda aquela emoção que só uma orquestra pode transmitir. O amor que a Holland tem pelos tios e eles por ela, é algo tão lindo e tão acolhedor, que dá vontade de pegar os dois, colocar num potinho e guardar na bolsa pra poder desfrutar desse carinho a qualquer momento do dia. Também temos o amor incrível que existe no casamento de Robert e Jeff, eles são muito incríveis e o amor e o respeito presentes no casamento deles é meta de vida de qualquer pessoa, acredito eu.

Mas o amor que eu mais quero chamar atenção aqui é o amor que a Holland descobre por ela mesma no decorrer da história. Desde o começo do livro, só vemos Holland se depreciando, chegando até a incomodar um pouco. Ela se sente um peso para os tios que sempre a ajudam em tudo; ela acha todo mundo o máximo e ela nem tanto; e tudo isso a torna muito dependente de todos ao redor dela. Ela quer se sentir necessária e útil para as pessoas que ela ama e, esse é um dos motivos de ela entrar nesse plano louco de casamento. No decorrer da história ela vai criando uma força dentro dela que vai fazendo com que ela seja cada dia mais independente e quando ela consegue, finalmente, se desprender de todos e ver que ela consegue sozinha, é muito incrível ver que, pela primeira vez, ela vira protagonista da própria história.

"É uma carta de amor - não dá pra negar - mas a coisa mais estranha é que tenho certeza de que essa carta de amor é para mim mesma."

Esse livro, com certeza, se tornou um dos meus preferidos da Christina Lauren. Eu que sou muito fã do trabalho dela, fiquei muito animada ao começar a ler esse livro e ele não me decepcionou. Não é nada parecido com o que eu já tinha lido da autora, mas ainda é possível ver seu coração na escrita.

Eu li o livro em e-book, mas gostei tanto que já pretendo comprar o físico pra colocar na minha estante rs. Esse foi um dos muitos e-books que aproveitamos na super promoção de lançamento da editora (Obrigada, Universo dos Livros! Arrasô!). Preciso falar que eu estou muito apaixonada por essa capa. Ela é linda demais com esse tema de Nova York que eu amo pouco rs. O livro é contado em primeira pessoa, todo pelo ponto de vista da Holland, eu não encontrei nenhum erro de revisão e a diagramação tinha fonte e espaçamento bons para uma leitura confortável. E assim, com muita música, amor e corações, deixo minhas 5 estrelinhas pra esse livro fofíssimo.

site: https://almde50tons.wordpress.com/
comentários(0)comente



Giiovannaayres 04/05/2018

TOMARA QUE EU EXPLODA DE AMOR!
Não é a primeira vez que eu leio um livro em que o protagonista tem sotaque irlandês, preciso confessar que tenho AMADO quando eles aparecem! Calvin além de ser um exímio musicista tem um sotaque incrivelmente sexy, o jeito despojado faz com que ele se torne IRRESISTÍVEL! Em contra partida temos Holland, com 25 anos ela está com um bloqueio criativo desde que se formou na faculdade, sustentada pelos tios e trabalhando em um emprego que detesta sua vida é um verdadeiro tédio, exceto nos dias em que ela desvia sua rota pra ouvir um músico sexy e misterioso na estação da Rua 50.
De forma inesperada o mundo dos dois vai se cruzar, preciso dizer que a tensão entre os dois é perceptível desde o primeiro contato, e eu adorei como tudo foi se desenvolvendo aos poucos.
Apesar de ter me deliciado com a leitura, achei que a as autoras foram um pouco vagas em relação as famílias que são muito mencionadas no livro mas acabam não agregando tanto quanto eu esperava. Mas não é algo que tire o brilho da estória; a forma como foram descrito os solos que o Calvin fazia me deixaram com o coração aquecido e uma curiosidade enorme de ouvir as músicas.
Apenas amigos é sexy, divertido e delicioso de se ler. Como todos os outros livros da Christina Lauren se tornou um dos meus queridinhos!
Ana 24/06/2019minha estante
Amei sua estante???????????


Giiovannaayres 25/06/2019minha estante
Obrigada, Ana!!!




Raquel Soares 24/05/2018

Fofo, sexy e nada perfeito
Amei o livro, gente!! Vi várias pessoas dizendo q ele começou bem e depois foi ficando chato e q ela era insegura e blá blá blá...! Realmente ela é insegura, mas quem não seria dada as circunstâncias? Ela era apaixonada pelo cara desde o início, era apaixonada pelo talento dele e quando se viu casada teve medo de ele estar se envolvendo com ela somente por gratidão, uma vez q eles se casaram pra ele obter o green card e poder realizar o grande sonho de se expressar através da música. É totalmente compreensível, cara! E ele foi sincero o tempo todo, tirando uma parte (hahah), mas eu o achei fofo! A Holland é sincera, inteligente, intensa e sexy, por mais q ela ache q não é e se diminua, mas o Calvin consegue enxergar quem ela realmente é e ama o q vê. O romance deles não é perfeito, assim como nenhum outro o é. Assim como eles não são. Não achei o final vago, achei repleto de possibilidades, sem pressão sem estresse... o futuro vai ser o q eles quiserem e como quiserem!
Esse foi o primeiro romance das autoras q li e simplesmente amei!!
comentários(0)comente



Fabi 31/08/2018

PÉSSIMO
Eu particularmente amo livros em que se tem um casamento por conveniência. Este livro mesmo, quando chega na parte que o casal planeja se casar por um simples e único motivo, fiquei super animada pensando: Ah, é agora que o negócio vai ficar bom. Ilusão, pura ilusão. =/
Holland é desanimadora DEMAIS! Vive choramingando o livro todo, dizendo que não é boa comparada aos demais que tem um serviço que ama, reclamando que não é uma pessoa atraente, como que o Calvin pode afirmar gostar dela se nem ela poderia se apaixonar por ela mesma. Afffffffff que mulher chata!
E isso foi o livro TODINHO! Uma lamentação que parecia que não tinha fim. A tonta ainda por cima tem uma piranha como amiga que é mais uma cobra do que amiga propriamente.
Fiquei só esperando as cenas românticas, em que me veria suspirando pelo casal (mesmo não gostando da mocinha). Gente, essas cenas não tiveram para mim! Não senti em nenhum momento aquele clima de amor, apenas uma atração sexual.
Calvin também não é o mocinho perfeito. O cara é cheio de falhas, eis que o diga nos últimos capítulos. Inventa aquela história toda e depois diz: Mas não, você para mim é especial, me perdoa, eu te amo. VAI ENGANAR OUTRA TROUXA!!!
Não vi a hora de terminar esta tortura de leitura. 3 estrelas e ainda é muito.
Bela Paulinha 31/08/2018minha estante
Parece q só a série dos cretinos q as autoras acertaram, pq o resto...


Fabi 31/08/2018minha estante
Já leu outros livros únicos dessa autoras?


Bela Paulinha 31/08/2018minha estante
Ainda, mas tentei a série irresistível e achei fraco. Amor & ódio ainda n li, mas, pelas resenhas, parece +-.


Bela Paulinha 31/08/2018minha estante
Ainda n, mas tentei a série irresistível e achei fraco. Amor & ódio parece +- tb pelas resenhas.


Fabi 31/08/2018minha estante
Ainda quero ler Minha versão de vc, q tb é delas.


Bela Paulinha 31/08/2018minha estante
Vdd, tinha esquecido desse.


Natasmi Cortez 13/03/2019minha estante
Eu não consegui nem ler 100 páginas e já fiquei saturada dela. Fora que a forma como ocorre o tal casamento, mesmo pra mim que adoro esse lance de contrato, puxa vida, fizeram os leitores de trouxas. Detesto esse tipo de livro que fantasia tanto uma situação que perde o senso do ridículo. Como assim a menina casa com um cara que só viu no metro, pra ajudar o tio ( e a gente sabe que nem é isso de verdade) e fora que a relação dela com os tais tios beira o estranho... enfim. Como uma pessoa estuda na Juilliard acaba no metro, e como em 04 anos ilegal, o cara não tinha sido descoberto por nenhum "olheiro" se ele é tão bom como parece... Sem condições.




Mayhara 25/04/2019

Um clichê gostoso de ler...
Eu nunca tinha lido nada da Christina Lauren, confesso que tive até um certo preconceito com a Série de Cretinos dela, torço o nariz toda vez que vejo aquele monte de livros. Mas, encarei esse e amei. A escrita dela é bem gostosa e flui bem. Li esse livro em praticamente um dia.

Aquela história do casal que se casa por interesse e se apaixona depois do casamento, é uma velha conhecida de todo mundo. Não posso mensurar a quantidade de livros que abordam o assunto, ou filmes com essa premissa. Mas, mesmo sendo um enredo tão conhecido, é gostoso. E cheguei a ficar na dúvida se no fim eles realmente ficariam juntos (isso nem pode ser considerado spoiler). O que eu sempre digo é, clichê são bons se o autor sabe como desenvolver a história, como ela preenche e molda todo o enredo. E a Christina soube fazer isso muito bem.

Amei ela trazer à tona a questão de pessoas ilegais que tentam a vida nos Estados Unidos, o quanto sofrem os imigrantes e que mesmo aqueles que possuem as melhores habilidades e estudos, podem sofrer muito para construir alguma coisa em um país estrangeiro.

Também amei a relação da Holland com os tios, esse vínculo afetivo e parental atribuído a pessoas que não são verdadeiramente seus pais, talvez seja pq eu tenho um vínculo parecido.

Enfim, como disse no início é um clichê bem gostoso de ler e que quebrou meu preconceito com a autora, que talvez me faça encarar os tão famosos Cretinos. hahaha
comentários(0)comente



Jessicanacto 16/08/2019

Apenas Amigos, que não são amigos.
Um livro um tanto irritante por causa dos desencontros, mas com cenas tão hilárias que é impossível não soltar umas boas gargalhadas.
comentários(0)comente



Yara.Caracas 13/05/2018

Esperava mais.....
A sinopse prometia um romance envolvente e muito lindo e de fato o romance é lindo e envolvente, mas tudo acontece muito rápido e os personagens possuem atitudes um tanto infantil e sem pensar, eles não conversam sobre o que realmente importa, tiram conclusões precipitadas e fazem tempestade em copo d'agua por questões que poderiam ser resolvidas com uma simples conversa.
A insegurança da personagem irrita em alguns momentos.
É aquele tipo de livro que você só vai lê uma vez, aquele livro que você fica entre gostar e não gostar, tem seus pontos bons e ruins.
comentários(0)comente



Arca Literária 10/04/2019

resenha disponível, a partir do dia 25/03/19, no link http://www.arcaliteraria.com.br/apenas-amigos-christina-lauren/

site: http://www.arcaliteraria.com.br/apenas-amigos-christina-lauren/
comentários(0)comente



Mari 26/09/2018

Holland Bakker é uma aspirante a escritora que vive em New York. Está tendo dificuldades para escrever por um bloqueio criativo e por isso está trabalhando com seu tio, Robert, em um dos musicais que é de autoria dele na Broadway. Ela não está muito satisfeita com o rumo que sua vida levou, principalmente pelo enorme tempo que não consegue escrever palavra nenhuma.

Para dar uma pitada de alegria ao seus dias, Holland pega o metrô em uma estação que é mais longe do que a que deveria pegar e observa um artista tocar algumas músicas que sempre mexem com seu coração. Por não saber como ele se chama, acaba o apelidando de Jack em sua cabeça, e sabe os dias exatos em que vai encontrá-lo do metrô.

Quando o músico principal do espetáculo de seu tio desiste de tocar, ela encontra uma maneira de ajudar o crush e o tio: vai chamar "Jack" para fazer um teste na frente dos produtores. Assim, ela consegue mostrar o talento dele e ajudar Robert a acertar seu espetáculo. Porém, quando Calvin (nome real de "Jack") solta algumas bombas no colo de todos, parece ser impossível continuar com o plano...

Sabe aquele livro que tem absolutamente tudo para ser muito bom? É Apenas Amigos. Eu adoro a ideia de casamentos arranjados, principalmente pelo fato de toda aquela tensão sexual que fica no ambiente e que me deixa torcendo pelo casal. Porém, o que eu encontrei foi muito morno e, sendo sincera, decepcionante.

A trama é contada em primeira pessoa com o ponto de vista de Holland. Apesar de achar melhor quando o livro tem o ponto de vista dos dois protagonistas, esse deu certo com um único POV. Não tenho como negar que a escrita das autoras é muito boa. A escrita é fluida e elas conseguem me prender até quando eu não estou me apaixonando pela leitura.

Eu passei por ondas de sentimentos com a Holland. Eu gostei muito dela no começo do livro. Suas neuras com a escrita, o jeito de stalkear o crush, a dúvida do que fazer da vida depois de formada... Tudo isso me aproximou muito dela, já que o maior problema da minha vida hoje é a questão de estar formada e não saber o que fazer hahaha Depois disso, eu achei que ela ficou um pouquinho chata e me deu uma desanimada. Porém, mais para o final do livro, voltei a gostar dela de novo.

Achei bem legal o fato das autoras mostrarem a evolução da personagem. Ainda que eu não tenha gostado dela 100% das vezes, dá pra perceber que suas dúvidas foram sendo sanadas e que ela conseguiu se encontrar. Sendo altruísta do jeito que é, conseguiu ajudar todos ao seu redor e com isso se ajudar também. Foi uma descoberta para ela.

Já Calvin me conquistou. Ele é aquele cara simples, família, gente boa e que você gostaria de ter ao seu lado. Apesar de ter pisado na bola e ter dado uma explicação muito besta (pelo menos pra mim), ainda assim gostei muito do personagem.

Os personagens secundários fazem toda a diferença no livro e mesmo com o foco voltado no casal, a relação entre todos eles me encantou. Principalmente com o tio Jeff e o marido Robert. A forma como eles a apoiam e cuidam dela é linda e me deixou com vontade de conhecê-los. Já Lulu, a amiga de Holland, me irritou tanto que eu não aguentava nem ler o nome dela nas páginas. Ô inveja feia!

Acho que minha nota foi baixa, porque eu esperava mais. Mais calor, mais tensão, mais acontecimentos, mais tudo. Estou acostumada a ler os livros das autoras e acabar com um sorriso no rosto e com o coração quentinho. Nesse eu não senti nada além de "ah ta, ok, próximo!". Quero deixar claro que é uma leitura boa e que serve para distrair, ela só não me marcou. Ele está longe de ser o melhor no meu ranking, mas pode ser sensacional para você. Então não desista aqui e tire suas próprias conclusões.

A diagramação do livro está muito boa. Fonte legal, páginas amareladas e detalhes no início dos capítulos. Eu gosto muito da capa dele, principalmente pelas cores

site: http://galaxiadosdesejos.blogspot.com/2018/09/apenas-amigos-christina-lauren.html
comentários(0)comente



spoiler visualizar
comentários(0)comente



Sah 05/01/2019

Uma merda
Começa bem. Mas não gostei do final. E pelo amor, um final desse sem nem uma linha de epílogo é pra cair você-sabe-o-que do traseiro....
LBL 05/01/2019minha estante
Tb odeio qndo o livro termina de forma repentina. E esses romances água com açúcar presicam de epílogo!


Sah 05/01/2019minha estante
Siiiimmm!!!!!




Regiane.Braga 09/01/2019

Hummm amor!!
Leve, divertido e rapidinho de ler!!!
comentários(0)comente



41 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2 | 3