Doce Inferno

Doce Inferno Jessica Figueiredo Marques


Compartilhe


Resenhas - Doce Inferno


13 encontrados | exibindo 1 a 13


Marcela.Basilio 08/04/2018

Intenso ❤❤
#IndicaçãoNacionalTopppp

Super indicoooo😍😍😍

DOCE INFERNO - JESSICA MARQUES

O que dizer de um livro que te pegou de jeito? Sim esse foi um dos meus preferidos ❤...com uma leitura fluida, leve envolvente Doce inferno me pegou de jeito, fazendo com que eu peca-se junto a Julien pelo padre mais incrivelmente e irresistível que eu já conheci Darlan❤....

Doce inferno é uma história leve, envolvente e apaixonante. O primeiro capítulo já te deixa surpreendida tanto pela escrita da autora quanto pela sensibilidade que ela tem ao descrever os sentimentos da personagem principal Julien. Uma mulher de aparência forte, mas com um interior totalmente destruído pelo seu relacionamento anterior. Abuso. Agressões. Pressão psicológica, o relacionamento dela com Matt era totalmente abusivo durante 4 anos. Julien percebe antes que seja tarde demais que aquilo não é normal é que precisa por um fim em tudo antes de subir ao altar.

E é nesse dia que ela conhece Darlan, o padre mais lindo e misterioso que já viu.


Doce inferno é intenso demais, o amor entre eles foi lindo de ler , pois não foi aquilo de primeiro olhar, foi sendo construído aos poucos, fazendo com que a intensidade do casal só aumentasse. Nunca havia lido nada com essa temática….esse foi o primeiro e confesso que abriu minha mente para outros que pretendo ler. .
Eu super amei DI Jéssica você arassou de coração. Quero muito conhecer seus outros trabalhos. Parabéns 👏👏❤😍
comentários(0)comente



spoiler visualizar
comentários(0)comente



Nu e As 1001 Nuccias 05/04/2018

Resenha do blog As 1001 Nuccias
Julien Dikins é uma excelente repórter morando nos EUA, mas poucas pessoas sabem o que o seu passado esconde. A primeira vez que encontramos Julien, ela está no casamento de sua irmã Suz com o policial das forças especiais internacionais Joffrey, enquanto tenta, desesperadamente, fugir dos comentários cortantes de sua mãe que a culpa por ter deixado seu ex-noivo Matt escapar.

O que poucos sabem, e praticamente ninguém da sua família, é que ela fez muita questão de deixar Matt escapar. Meses antes, ela quem terminou o relacionamento às vésperas de seu próprio casamento. Por Matt esconder um segredo que deixou marcas em Julien. Marcas físicas, abusivas, estratégicas, ao longo dos 4 anos em que ficaram juntos.

"- Ingratidão não lhe cai bem - Ele aperta meu braço com força e traz à tona a dor recente da fratura a qual eu fora exposta em nossa última briga. Sua mão em meu pescoço já sufoca, como em todas as vezes anteriores. / - Covardia também não combina com você, mas isso nunca te parou."

No mesmo dia em que terminou o relacionamento com Matt durante um passeio pelas ruas de Paris, Julien se enfiou em uma Igreja para confessar seus pecados. O pecado de ter se envolvido com tal homem. De ter deixado ele fazer tudo o que fez. O pecado de ter aguentado quieta toda a tortura física e psicológica. Estranhamente, o padre com quem se confessava, além de insistir que ela devia denunciar o ex-noivo, tinha uma voz sexy e cadenciada e era gostoso como só Deus sabia.

Infelizmente para Julien, aquela não seria a última vez em que a tentação seria posta em sua frente, colorida e em 3D. Darlan O'Hurn também era o sacerdote que realizaria o casamento de sua irmã. E continuava gostoso e desejável como o Diabo bem gostava. Louca para fugir de Paris, da família e dos olhos e conselhos do padre Darlan, Julien mal vê a festa da irmã passar.

Para piorar, Darlan era o pároco da cidadezinha de Conques, uma comuna no sul da França, para a qual Julien foi designada como repórter pelos próximos 4 meses, se quisesse mesmo assumir sua nova posição como redatora-chefe do Neil Daily. Quatro longos meses em um paraíso turístico escondido do mundo, caminho da Peregrinação a Santiago de Compostella, que precisava ser salvo de se tornar vítima do capitalismo desenfrado: seria posta abaixo para dar lugar a um resort luxuoso. A reportagem de Julien seria essencial para evitar tamanho sacrilégio, pois seria o pivô da defesa do pároco no congresso turístico francês.

"Fico em silêncio, pesando cada uma das palavras dele e buscando entender como passando tão pouco tempo ao meu lado ele já conseguira encontrar meu grande calcanhar de Aquiles: eu não possuía fé alguma em mim mesma."

Ambos, Julien e Darlan, têm de enfrentar seus novos e antigos pecados. A história de cada um os persegue. No caso de Julien, persegue de modo literal, Matt é obsessivo. E o desejo que começa calmo e passa a ser avassalador, com o tempo se torna uma paixão proibida. Mas será mesmo que um amor desses é pecado?

Bem... apesar da imensa baixa autoestima de Julien, ela é uma personagem forte. Passar por todo aquele tempo em que sofreu abusos físicos e psicológicos do cara com quem iria se casar, conseguir forças para se separar, para ficar longe, e construir uma nova vida, não é pra qualquer um. Ok, a nova vida tinha lá seus problemas, como os fantasmas ainda presentes e a perseguição do ex obsessivo, contudo, ainda assim, era um senhor rumo, uma meta.

Darlan é padre, porém muito recente e também sem muita fé em si mesmo. O seu passado o persegue tanto quanto o de Julien persegue a ela. Promessas foram feitas e ele não pretende quebrá-las. Só que Julien... o que a moça tem que mexe tanto com os brios de Darlan, que o muda, modifica e o faz questionar suas escolhas, que o queima, que o leva a querer defendê-la e a proteger?

"Eu não sabia o que acontecia comigo na presença de Julien. Eu me transformava em alguém que desconhecia, irresponsável e tão ousado. Como se eu tivesse escolhas, como se minha vida me pertencesse."

Achei o texto muito bem construído! O enredo tem bons personagens, daqueles que mexem com a gente. Um ponto interessante, é que, apesar de a história começar a se desenvolver baseada no desejo de cada um, naquele feeling todo carnal, nas chamas que fervem o sangue só de trocarem olhares, na segunda metade do livro os protagonistas se conhecem o suficiente para começar a desenvolver uma paixão mais sólida, menos sexual.

Além do polêmico caso central, o livro também fala de abuso contra mulher sem se aprofundar demais no tema. Não temos cenas exageradamente violentas, é mais sobre o que restou do abuso do que o abuso em si. É também um livro sobre romance, sobre dramas pessoais, e especialmente sobre fé em si mesmo. Não tem cenas eróticas, nem mesmo um pega desavisado. É a primeira vez que leio algo com essa temática (relação proibida pela religião) e gostei bastante.

O que pegou pra mim no livro que me fez não dar as 5 bruxinhas? Apesar de ser focado nos sentimentos amorosos, a primeira parte do livro foi toda sexual (sem sexo, saca?), então eu fiquei esperando cenas hot que não aconteceram e meio sem saber se ia rolar paixão mesmo pois demorou a desenvolver, MAS... quando surgiu, vi que foi no momento exato.

"Não pode se dedicar às coisas de Deus por um motivo tão torto quanto perder a fé em si mesmo!"

Demorei para me apegar aos personagens e para tomar partido, no entanto consegui ter opiniões desde a primeira página. A família de Julien era estranha (confesso que pensei seriamente em matar os pais dela), o padre era bem sério e tinha um linguajar muito formal para sua idade (o que acho que condiz com a formação de seminaristas, não sei como funciona) e a própria protagonista me dava nos nervos por não conseguir nem falar com o padre direito só pensando em dar uns pegas.

Fiquei sentindo falta de uma maior descrição do cenário, da cidade de Conques. Outra coisa que me incomodou foi a revisão, e isso a autora já está sabendo. Ela realmente gosta de vírgulas! XD

No geral, o final, apesar de ser o esperado, foi bem organizado, crível e muito justo. Particularmente, gostei da forma como a família dela agiu e como eles se entenderam. É uma leitura muito gostosa, bem leve, com um cenário maravilhoso que deu vontade de conhecer pessoalmente. Mais do que recomendado!


site: http://1001nuccias.blogspot.com.br/2018/04/resenha-livro-doce-inferno-de-jessica.html
comentários(0)comente



Gil Fox 05/04/2018

Bom
O livro trás uma temática que precisamos falar. A violência doméstica. Temos uma personagem forte que apesar da sua boa vida lutar para ter sua independência. Temos um amor proibido que vai se construindo aos poucos. Uma boa leitura
comentários(0)comente



Laurih 01/04/2018

Muito bom
Doce inferno é um desses livros que nos levam a pensar o que seriamos capazes por amor. A historia gira em torno de Julien, uma moça que sofreu agressões no relacionamento e de um Padre tomado pela culpa. Os dois descobrem juntos que amar vale a pena e que todos sempre têm uma segunda chance para para ser feliz. Parabéns a autora.
comentários(0)comente



Alves 30/03/2018

" Doce inferno"
Gosto muito de livros que tragam algo mais além de entreter e foi justamente isso que encontrei em "Doce inferno". A forma que a autora tratou a violência doméstica e os transtornos psicológicos que isso acarretou na personagem foi fascinante.
comentários(0)comente



Silvia.Souza 16/07/2018

Muito bom!!!
A história é muito bonita!!! Particularmente eu não me simpatizei com a Julien... Não me agradou o fato de o tempo todo ela minimizar o perigo sobre o Matt para as outras pessoas e continuar morrendo de medo dele... Mas amei todos os outros personagens, principalmente a Suz...Só não dou cinco estrelas porque esse livro precisa urgentemente de uma revisão... Tem muitos erros ortográficos que na minha opinião, tirou um pouco o brilho da obra...
comentários(0)comente



Luciana Dryer 26/03/2018

Apaixonante e arrebatador!
Palavras talvez não sejam capazes de definir as emoções que a leitura de “Doce Inferno” despertou em mim.
Fui arrebatada suavemente, sem alarde, sem barulho, para dentro da história. Sai totalmente da minha zona de conforto, pois ler, debater ou vivenciar amores proibidos, religião e violência doméstica não é nada fácil, é pesado, é duro, dói... Mas a autora usou de muita sensibilidade para abordar os assuntos. Você não se cansa de ler, quer descobrir o desfecho final.
A escrita da Jessica Marques é leve e direta, com uma linguagem inteligente. Cada palavra, cada frase faz sentido.
Julien vem de uma família rica e abastada, é inteligente, madura e decidida, porém se vê presa em um relacionamento abusivo. Depois de três anos sofrendo agressões físicas e psicológicas, ela dá um basta a esse relacionamento e procura consolo numa pequena igreja que encontra no caminho, nesse instante mais uma vez sua vida muda, ela conhece o pade Darlan, a atração é inevitável.
Darlan é padre não por vocação, mas para aplacar a culpa que sente pela morte do irmão e Julien uma mulher machucada pela vida, cada um luta a seu modo contra os seus demônios.
A história poderia ser dramática, mas é conduzida com maestria pela autora, que nos faz enxergar apenas duas pessoas que lutam com seus valores, sentimentos e decisões.
Nem sempre o amor nos leva a ser tudo ou a viver tudo... Amar também significa sacrifício, abrir mão e fazer o que é melhor, não o que queremos.
Julien não força Darlan a deixar o que acredita, ela se afasta para que ele não tenha que fazer uma escolha, pois sabe o quanto lhe custaria essa decisão.
No meio dessa escolha Julien encontra forças e o apoio da família para finalmente denunciar Matt, seu ex violento.
Cada um segue seu caminho, mas será que esses caminhos se cruzam novamente?
Torci muito pela Julien, pela mulher forte que é, não a julguem por ter suportado tanto tempo as agressões, às vezes a gente acha que dá conta de carregar o mundo nas costas, porque é mais fácil se magoar do que magoar o outro, mas os erros não nos definem, somos mais que isso. E todas as omissões de Julien eram para proteger a família.
Darlan também é apaixonante, com seu jeito sedutor e controlado, carrega muita culpa no coração, mas é um homem justo e admirável.
O livro me fez questionar tantos tabus e valorizar cada vez mais a família que temos.
Não achei o livro hot, porém cada troca de olhar entre Darlan e Julien, nos faz delirar!
Super recomendo sua leitura!
comentários(0)comente



Mirtes 22/03/2018

Doce Inferno
Uma história intensa,que fala sobre a violência contra a mulher e a superação de tudo através do amor verdadeiro
Julien,uma moça ferida física e psicologicamente,por Matt,um noivo doentio, obcecado por ela.Cansada de tudo,ela resolve terminar esse relacionamento.Nesse tempo,conhece Padre Darlan,que transforma sua vida,seu coração, através do amor verdadeiro.
Geo e e sua irmã Suz, são quem mais a apoiam nessa reviravolta de sua vida.
Cheia de sentimentos,de contradições,e acima de tudo amor,uma história que com certeza nos envolve!
comentários(0)comente



spoiler visualizar
comentários(0)comente



Mia Antiere 07/04/2018

Estou apaixonada
Que livro foi esse?
Ainda sinto as emoções dos personagens em cada célula do meu corpo. Gente como eu queria dar dois tapas na cara desse Matt para ele deixar de ser lunático.
E que família linda, presente, unida!
Agora, esse casal, só com muito banho de água gelada mesmo. Como torci por eles e como achei lindo que os dois pesassem seus sentimentos em relação ao chamado dele. É amor!!!
Não vou falar muito para não dar spoiler, mas AMEI cada página.
comentários(0)comente



Giseli.Cristina 07/04/2018

Simplesmente amei!!!
De primeiro momento, saber do que trata-se a história, já nos deixa inseguros, mas com o passar dos acontecimentos, todos os segredos vindo a tona, todos os motivos e sacrifios revelados, nos deparamos com o mais puro e doce sentimento.

Julien é uma encantadora jornalista que passa por um relacionamento abusivo com seu ex-noivo. Após um fatídico episódio em sua prova de vestido de noiva, ela encontra coragem para lutar por sua vida e sua felicidade, como realmente deve ser vivida. Ela só não imaginava que ao entrar em uma igreja, algo inesperado aconteceria.

Darlan é um homem forte, que carrega sombras do passado e que sacrifica todos os seus desejos e vontades mais ocultas, para cumprir uma promessa feita à sua familia. Ele se doa de corpo e alma para atender a Deus e ajudar as pessoas da melhor maneira possivel. Apesar de se identificar com o rumo que sua vida tomara ele jamais, imaginou que uma mulher pudesse mexer tanto com um sentimento, mesmo sem conhecê-la, sem tocá-la, sem saber ao certo o que acontece entre ambos.

Pode ser ironia do destino, mas tudo coincide para que uma história de amor nasça sem esforço algum, doce e sorrateira, quando se deram conta aquele sentimento já estava ali, impregnado em ambos. Como lutar contra? Como resistir?

Essa história vai mecher com nossa cabeça, nos fazer torcer por ambos, nos deixar na berlinda do certo e errado, nos apaixonar por cada personagem.

Tão simples e tão complexo, assim é doce inferno. Vale a pena cada segundo, cada laglágr, cada emoção. Amei o desfecho, queria mais e mais e mais história. :)

A autora está de parabéns!
comentários(0)comente



Danny 26/03/2018

Doce inferno
? Doce Inferno ?

A história se passa em Paris, em um condado lindo e encantador, Conques, que nos convida a pegar o primeiro voo, e conhecê-la.
Julien é aquela protagonista cabeça dura, com uma opinião forte, mas frágil. Em seu passado iminente sofre com o ex noivo, e, decidida a pôr um fim nisso, rompe com Matt. Aceitando um novo desafio de sua empresa, aceita permanecer no novo condado, afim de providenciar uma matéria na tentativa de preservar o local pitoresco ? pois sofre ameaça de ser destruído por causa de uma construção de um possível Resort.
É quando ela reencontra Darlan, o padre que lhe ouviu no momento mais aflito, depois de seu rompimento com o ex noivo, e, por quem se apaixonou logo de cara.
Darlan também possui um segredo; carrega uma culpa, da qual se encarrega de carregá-la até os últimos dias de sua vida. E é por causa dela que luta contra a paixão e o amor, avassalador, que Julien despertou nele.
Depois de muita luta e desejos reprimidos, os dois se entregam aos prazeres dessa paixão, mas de modo contido, sempre preservando um possível respeito à atual posição do padre.
Entre uma trama dramática, e o ressurgimento de Matt, o ex noivo, Julian é posta à prova, novamente. E então, ela consegue o enfrentar, porém, a dor que mais lhe fere é o rompimento com o padre, seu verdadeiro amor.

Doce Inferno nos trás uma trama sensível, principalmente por se tratar de um tema tão delicado. Consegue conduzir a história com o respeito pela religião, e, os personagens, viverem seu final felizes.

Só senti falta de alguns detalhes.

Mas, parabéns, a história é linda!

Recomendo a leitura, certamente.
comentários(0)comente



13 encontrados | exibindo 1 a 13