King of Scars

King of Scars Leigh Bardugo




Resenhas - King of Scars


30 encontrados | exibindo 1 a 16
1 | 2


Bianca.Mioti 08/01/2021

Ansiosa para o próximo livro ?
Só acontece coisa ruim o livro inteiro mds, amei a interação da Zoya com o Nicolai e espero ver muito mais deles no próximo livro, e espero que todos do universo grisha estejam no próximo livro ?
comentários(0)comente



Ely 04/11/2020

"Minha implacável Zoya"
"Por que nunca podemos nos disfarçar de pessoas ricas?” questionou, tirando o manto medonho que Tamar lhe trouxera e prendendo-o sobre o kefta.
"Um comerciante de seda e sua modelo glamourosa?", perguntou Nikolai.
"Sim. Vou até bancar o comerciante. Você pode ser minha bela musa.”
"Zoya, você acabou de me chamar de bonito?"
"Tudo parte do ato, Vossa Alteza."

Quando terminei a Duologia Six Of Crows, fiquei muito ansiosa para começar esse livro; não só porque teríamos uma das protagonistas de SOC, mas mais ainda por motivos de: Nikolai Lantsov e Zoya Nazyalensky.

Desde de Sol e Tormenta, eu sou apaixonada no Nikolai, e Zoya ganhou meu coração em Ruína e Ascenção, e meu Deus. Nesse livro, eles são absolutamente TUDO.
Ver Ravka depois dos acontecimentos da trilogia Grisha me fizeram sentir medo e esperança. Porque não está tudo bem, os cofres estão vazios, os exércitos não tem a mesma força de antes. Porém, reencontrar os personagens me deixou muito feliz. Ver como eles estão lidando com seus medos e amores e com o poder que exercem no país me deixou orgulhosa.

A escrita da Leigh continua perfeita, descritiva e sagaz. Não foi uma leitura rápida para mim, mas aproveitei cada segundo.
Confesso que o ponto de vista da Nina me incomodou um pouco, por ser a única narradora que não estava em Ravka, não consegui me importar tanto com o que estava acontecendo. Obviamente, chorei horrores com algumas coisas que acontecem no plot dela, mas mesmo assim, foi a parte mais difícil do livro, na minha opinião.

A magia nesse livro é tão forte e palpável. Tudo começa a fazer sentido, coisinhas plantadas nos primeiros livros e que as respostas estão nesse.

“Por que você não me beija docemente pela manhã, Zoya?”
“Eu não faço nada docemente, Sua Alteza.”

As narrativas da Zoya e Nikolai são incríveis. Ambos são engraçados e divertidos ao seu modo. Mas tem seus medos, segredos e coisas dais quais precisam se curar. E a relação entre eles é tão bem escrita e condizente com quem eles são, que meu deus @#@##[email protected]$# não é apenas um romance, é uma parceria, é uma confiança mutua, é saber o que cada um precisa e respeitar isso.

O final é digno de Leigh Bardugo, uma reviravolta que eu não imaginaria NUNCA NA MINHA VIDA. Fiquei um tempo relendo o final porque eu simplesmente não acreditava.
Amo o universo dela, e quero muuuito ler o próximo livro dessa duologia.
comentários(0)comente



Maria 29/10/2020

Se você chegou até aqui, provavelmente já leu os outros 5 livros desse universo, então não preciso ficar repetindo o quão incrível é a capacidade da Leigh Bardugo de construir mundos e personagens. Nesse quesito, King of Scars é tão bom quanto a duologia anterior.

O livro é dividido em duas partes, e temos, inicialmente, três pontos de vista: Nikolai (tudo pra todos), Zoya e Nina. Como os dois primeiros estão quase sempre juntos, seus capítulos são bem fluidos e foram ótimos. O arco da Nina, entretanto, por ser totalmente desconexo dos outros acontecimentos, dificulta muito o ritmo da leitura como um todo. No final conseguimos entender a importância da parte dela, mas acho que eu teria aproveitado mais tudo o que aconteceu se fossem duas histórias separadas. Tendo isso em vista, a segunda parte foi bem mais rápida de ler que a primeira, que foi, honestamente, quase entediante.

Sobre os personagens, há três acréscimos que me agradaram muito: Hanne, Yuri e Isaak (o quarto ponto de vista). São todos bem tridimensionais e fáceis de se relacionar com pessoas da "vida real", além de muito importantes para o todo da obra. Adorei o desenvolvimento da Zoya e acho, inclusive, que ela foi a minha favorita, principalmente por tudo o que passou e o que isso representa.

(Uma adição aqui: cada vez que um personagem antigo era citado, eu surtava um pouquinho como a fangirl que sou)

Foi bastante interessante, também, acompanhar mais dos bastidores de Ravka. Como é estar na pele de um Rei? As estratégias, a diplomacia, as decisões que precisam ser tomadas e os papéis que precisam ser interpretados.

Sobre o final, o que eu digo é que espero que a autora consiga amarrar todas as pontas no último livro. Fiquei um pouco desanimada (leia-se com preguiça) quando a ~grande revelação~ aconteceu, mas ainda acredito que teremos um final digno.

No mais, King of Scars é essencial para quem ama o Grishaverse, e eu não poderia estar mais ansiosa para Rule of Wolves e o encerramento do universo.
comentários(0)comente



Lanny 26/10/2020

Aqui é Ravka, sempre tem mais
No embalo da releitura da Trilogia Grisha e da leitura da duologia Six of Crows emendei a leitura desse livro que é uma nova duologia do Grishaverse em inglês mesmo. Não sei se era por ser em inglês, mas o início não estava me agradando. Enrolei um monte, só li porque estava na meta diária e eu fui lendo dois capítulos por dia, até que chegou um determinado momento e um determinado fato que deu um reviravolta na história que eu fiquei querendo saber mais.... do Nikolai, porque a história da Nina eu achei bem fraca.
Tudo isso pra chegar no final e descobrir que um personagem que eu preferia ver pelas costas aparece de novo. Não sei pra quê... Ravka já tem problemas demais pra ainda ter mais essa. No aguardo para a continuação.
comentários(0)comente



isaadoraswn 10/10/2020

?It?s not exciting if nothing can go wrong?
Eu nunca pensei,em toda a minha vida,que eu pudesse amar tanto personagens que eu já amava antes,e odiar tanto personagem que eu amava antes.

Nikolai Lantsov é o melhor personagem de todo o universo de grisha juntamente com a Zoya e eu tenho o dito.

Juro que eu amo tanto eles que eu queria EXPLODIR.
comentários(0)comente



Bia 01/10/2020

Amo o grishaverse e todas as camadas sociais que se desenvolvem nele, toda a dinâmica dos reinos em volta e principalmente depois de termos conhecido kerch tão de perto de um jeito tão bom que estragaria qualquer continuação.
Esse livro realmente conseguiu me surpreender algumas vezes, mas em outras foi simplesmente "pra quê???" e não é por ser um livro situado em um universo já conhecido.
Achei o desenrolar dos primeiros capítulos meio difícil pelas narrações longas, necessário mas ainda assim foi difícil.
Espero que a continuação tire esse sentimento de coisas sem motivo.
comentários(0)comente



youngisbell 25/09/2020

A equipe impecável, ficou simplesmente perfeita a formação.

Grande parte do livro estava incrivelmente interessante com acontecimentos e sentimentos maravilhosos.

Aí veio o último capítulo que estragou tudo
comentários(0)comente



youngisbell 25/09/2020

A equipe impecável, ficou simplesmente perfeita a formação.

Grande parte do livro estava incrivelmente interessante com acontecimentos e sentimentos maravilhosos.

Aí veio o último capítulo que estragou tudo
comentários(0)comente



Giuliane.Souza 20/09/2020

Minha nossa senhora da bicicletinha
Ahhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhh
comentários(0)comente



julia 19/09/2020

Resenha: King of Scars
King of Scars é um livro de ritmo lento com uma construção de mundo fascinante que é familiar, mas continua crescendo. Existem personagens antigos e novos, todos complexos e incrivelmente bem escritos, que brilham e são o verdadeiro coração da história. Os pontos de vista diferentes são muito bem feitos, principalmente quando combinados com a bela escrita.

Eu to chateada, mas acho que é isso que acontece quando você tem grandes expectativas em relação a algo. Eu só... tive problemas com o livro desde o início e as coisas pareciam que iam melhorar depois da primeira metade, mas... isso não durou.

Coisas boas primeiro: os personagens são INCRÍVEIS! É tão bom ler sobre rostos familiares e destacar outros personagens. Nikolai e Zoya e Nina e Isaak são ótimos narradores por si só, e adoro como Bardugo faz com que todos pareçam pessoas reais. Cada um deles tem seus defeitos, lutas e forças, e seus capítulos explodem de emoção e mostram realmente como são únicos.

A construção do mundo também é incrível. Bardugo tem a vantagem de escrever em um universo que já está bem estabelecido, mas adoro como ela continua a desenvolver esse mundo e a apresentar novos elementos dele. Os leitores aprendem um pouco sobre Grisha e a mitologia relacionada a eles, bem como a magia que eles tecem. Algumas das partes mais interessantes da história, pelo menos para mim, giram em torno disso.

Agora, para as coisas com as quais tive problemas...

O ritmo é tão lento durante a primeira metade do livro, e não ajuda o fato de Bardugo introduzir uma dúzia de tópicos de trama que têm o potencial de ser tão bons e interessantes (intriga política, parem, o monstro de Nikolai), mas que acabam sendo colocados de lado ou demoram metade do livro para serem desenvolvidos adequadamente. O enredo parece muito espalhado e bagunçado, ainda mais com o ritmo lento, com o foco sendo dado a coisas que são de pouca importância.

Então temos Nina. Sua história é bastante convincente por si só, mas parece muito fora do lugar nesse livro. É chocante ir de Nikolai ou Zoya ou, mais tarde, o ponto de vista de Isaak para a perspectiva de Nina, já que as histórias não se conectam e não parecem que estão acontecendo no mesmo livro. Adoro que Bardugo quiz continuar a jornada de Nina, mas, pessoalmente, a execução prestou um desserviço ao personagem de Nina porque diminui o impacto de sua jornada no arco geral.

A outra coisa é que a principal reviravolta na história no final é TÃO PREVISÍVEL que consegui chamá-la na marca de 33% do romance. Essa é a página 170 de 528. Não apenas apaga os sacrifícios feitos no final de Ruin and Rising, mas também parece... preguiçoso, na verdade. O Darkling não precisa ser o único vilão na história de Nikolai. Existem conflitos mais interessantes por aí, alguns dos quais até introduzidos pela própria Bardugo nesse livro, mas que são esquecidos a favor desta confusão.
comentários(0)comente



Marina 16/09/2020

Nikolai é definitivamente um dos meus personagens preferidos de todo o universo Grisha e por isso confesso que esperava um maior protagonismo dele no livro, o que não acontece. Um ponto positivo é com certeza a evolução da escrita da autora.
comentários(0)comente



@livrostasticos 12/09/2020

Esperava mais?
Eu realmente fiquei desapontado com King of Scars. Eu iniciei a leitura certo de que iria favoritar, mas não foi o caso.
É um bom livro, a escrita da Leigh Bardugo continua a melhorar, principalmente nos diálogos e interações entre as personagens, mas eu esperava mais.
O dos meus problemas com esse livro foi o enredo, logo com o primeiro capítulo realmente achei que história iria progredir numa direção, mas ela tomou um rumo completamente diferente. Os capítulos dedicados para a perspectiva da Nina (que eu amo de todo o coração) pareceram completamente deslocados e fora de lugar nesse livro, mas suponho que no próximo faça mais sentido.
Meu outro problema, e o maior deles, foi o final. Eu odiei o final. Não posso explicar o motivo por conta de spoilers, mas odiei.
Enfim, como eu disse antes, o livro é bem escrito. As personagens são interessantes, Zoya foi uma surpresa para mim e provavelmente a minha personagem favorita desse volume. Vale a pena a leitura de você é fã desse universo e do trabalho da autora. Vale a pena ressaltar que ao contrário de Six of Crows, King of Scars não pode ser lido sem antes ter lido a trilogia Grisha e a duologia Six of Crows. Há spoilers imensos para ambas as séries!
comentários(0)comente



Ruru 17/08/2020

Em qualidade, é um meio termo entre a saga da autora.
Uma das melhores ideias desde livro è pegar os dois melhores personagens da trilogia Grisha, Nikolai e Zoya, a história sem a Alina e o boy chatondela evoluem demais. Porém, as partes da Nina, a pior personagem dos seis protagonistas em Six of Crows, servem apenas pra enrolar e o livro ganhar mais páginas. Assim, a jornada do rei das cicatrizes é empolgante, boa e seu casal com Zoya é cheio de química, nota 4 para declarar meu amor ao Nikolai ?. Isaak, você é um herói.
comentários(0)comente



spoiler visualizar
Camila.FArias 15/08/2020minha estante
Eu nao gostei desse livro. Uma pena pq adoro Nikolay,mas nem ele salvou. Adorei o plot do guarda dele! Achei viajado demais a parte dos " santos ". Agora fiquei com uma dúvida,pq faz um tempo q li. O darkling vou mesmo? Na minha cabeça eles tinham conseguido interromper isso. Gostei da lersonagem nova q ta interagindo com nina. Mas achei tudo muito meh, infelizmente


kingbabyackles 16/08/2020minha estante
Ai, eu amei o Isaak, mesmo já tendo uma leve ideia que ia dar ruim para ele, foi muito bom ver mais do Palácio sem o rei por lá e como parte do Triunvirato se viraria com todas as delegações lá.

Os santos achei bem viajado também, mas não posso negar que adorei bastante isso. Foi algo "diferente" pra mim.

Então, o Darkling voltou, mas no corpo do Yuri. Em um momento da travessia do monge, Nikolai e Zoya de volta para o Palácio, a Zoya foi buscar dois cavalos para levar eles como presos (para o pessoal não descobrir que o rei estava andando por aí sem guardas). Daí o Nikolai que viu que o Darkling voltou quando ficou só eles dois em um celeiro. Como ele voltou foi mais ou menos assim: A Zoya queimou o corpo que a Lizaveta guardou, mas o "espírito" dele já tinha saído e migrado pro corpo do Yuri. Pelo menos foi o que entendi. Mas de qualquer forma, ele tá de volta.

Sobre o plot da Nina, eu gostei muito da Hanne, mas não curti elas como casal, acho que como amigas seria tudo por enquanto, não aquela forçada que aconteceu para as duas terem um certo clima.

Eu gostei muito do livro, mas poderia ter sido melhor se o plot da Nina tivesse sido mais bem enroscado com o principal, só pareceu que foi algo a mais ali.


Camila.FArias 16/08/2020minha estante
Valeu! Não lembrava de jeito nenhum desse " detalhe" do darkling. Agora fiquei um pouco curiosa pra ler o proximo pq me apaixonei pelo darkling na trilogia! Achei o clima entre nina e a menina meio forçado tb mas consigo ver as duas como casal. Eu sinceramente acho q vao colocar elas como casal mesmo,mas espero q seja desenvolvido melhor. Eu quase larguei esse livro! Uma das coisas q mais me frustrou foi q parecia q tava lendo 2 livros e não 1 só pq o plots não se conectaram e tinham ritmos diferentes. Ainda prefiro a trilogia grisha. Veremos


kingbabyackles 16/08/2020minha estante
Eu sempre gostei do Darkling, achava ele um "bom" vilão, mas precisa ser algo beeem desenvolvido, senão vai acabar sendo cópia da trilogia.

Ahhh, eu também acho que elas vão ficar como casal, mas também espero que tenham um desenvolvimento bem melhor, porquê realmente parece forçado em KoS.

Esse negócio dos plota não conectarem é super verdade, isso aí é algo que no próximo livro precisa melhorar e dar um vínculo maior pro que a Nina está fazendo em Fjerda.

Eu prefiro a duologia de Six of Crows, mas tudo pode mudar no próximo livro e a duologia do reizinho virar minha fav, só resta a Leigh ajustar alguns pontos.




spoiler visualizar
comentários(0)comente



30 encontrados | exibindo 1 a 16
1 | 2