Um Amor Perdido

Um Amor Perdido Alyson Richman




Resenhas - Um Amor Perdido


26 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2


Queria Estar Lendo 28/03/2018

Resenha: Um Amor Perdido
Um Amor Perdido é uma das apostas da Editora Bertrand Brasil para o mês de Abril; chegou para a gente em cortesia através do VIB - o serviço de TAG em que alguns blogs recebem caixas com lançamentos antecipados. Esse livro retrata um amor perdido em meio à Segunda Guerra Mundial, e um amor reencontrado quando o mundo renasceu em paz.

No pré-guerra, Lenka é uma estudante de arte com sonhos e medos e esperança. Ela conhece Josef por causa da faculdade e o amor entre os dois jovens floresce com promessas de um futuro cheio de felicidade - pelo menos até os ventos da guerra soprarem sobre a Europa. Ambos são judeus, e o que antes era uma ameaça de crueldade contra seu povo se torna realidade. Lenka fica para trás; Josef consegue escapar. Lenka vive todos os horrores da guerra; do outro lado do oceano, Josef se vê corroído pela incerteza. Essa é uma história não somente sobre um amor perdido, mas sobre a perda da esperança, da inocência, dos sonhos - e a força necessária para reencontrar essas coisas quando tudo parece perdido.

Um Amor Perdido foi impactante do início ao fim. É o tipo de livro que te fisga nas primeiras páginas, onde promete a história de uma garota carismática, com uma família amorosa e sonhos grandiosos - e se desenvolve em uma história densa e perturbadora da realidade que abateu o povo judeu com a ascensão do nazismo.

De uma história jovial e apaixonante até uma trama crua e perturbadora, essa obra consegue equilibrar muito bem a esperança e a devastação dentro da sua narrativa.

Lenka é a representação do que a guerra pode fazer com uma vítima. Nós acompanhamos toda a transformação da artista cheia de vida para a sombra de uma mulher que, no fim, só quer sobreviver e proteger sua família. Desde a faculdade até os campos de concentração, Lenka caminha em meio às dificuldades e então aos horrores da opressão e da tirania, uma jovem dobrada pelo medo e sentenciada por pessoas cruéis.

A sensação que sua prisão passou durante a leitura é quase indescritível. O terror que ela passou é real. Está ali, nos nossos livros de História, nos relatos de sobreviventes, nas cartas e imagens e fotografias dos que ficaram para trás, e acho que isso é que tornou a obra ainda mais pesada, que carregou tanto o emocional dessa protagonista.

Lenka é uma sobrevivente. É uma vítima. É uma mulher e uma artista e a guerra apagou seus traços como borracha sobre papel, mas alguns rabiscos permaneceram ali. Mesmo nesse abismo devastador, ela encontra pequenas beiradas onde se agarrar, detalhes e pessoas, olhares e rascunhos onde poderia desenhar sua esperança para mantê-la acesa, ainda que a escuridão falasse tão alto.

Do outro lado da história, acompanhamos Josef nos dias atuais, abraçado por lembranças do que ele construiu com Lenka antes da guerra separá-los, construindo uma vida em meio às perdas. É uma realidade dolorosa a da incerteza que ele vive, mas o drama é simples se comparado ao que vemos do outro lado da trama. É mais leve para equilibrar com todo o sofrimento da outra parte do livro.

Enquanto a guerra estourava e Lenka lutava para sobreviver, Josef vivia. Ainda havia medo e terror, mas o lado desse personagem existe para explicar os anos que se passaram, para ver o que foi a construção da vida dele sem ter certeza do que acontecia com a amada que escolhera ficar para trás.

Dois lados de uma moeda; dois amantes separados pelo conflito, unidos pelas memórias e por poucas esperanças de um reencontro. Um Amor Perdido é muito sobre seus personagens. Sobre os diferentes tipos de sobreviventes, sobre as perdas irreparáveis que a Segunda Guerra Mundial destrinchou sobre quem participou dela.

O núcleo da Lenka é o que mais mostra um desenvolver de seus personagens secundários; a família dela, sentenciada às mesmas prisões, são seus pilares para seguir em frente. Tudo que Lenka faz é por seus pais e por sua irmãzinha. Cada decisão, cada sacrifício, cada pensamento arredio de que vai continuar lutando, é tudo por eles. É um amor incondicional, uma entrega e pertencimento que enriquecem o crescimento da personagem.

Outros coadjuvantes participam para dar vida ao pesadelo que foi a tirania nazista sobre os prisioneiros judeus, e aqui eu preciso destacar a sensibilidade da autora de sempre desenhar muito bem a humanidade de seus personagens. Através do olhar aguçado de Lenka, sempre uma artista, vemos as cores sombrias dos prisioneiros, mas umas poucas pinceladas de vida em meio a isso.

Esse livro vai mexer com suas emoções de todas as maneiras possíveis; não é uma história fácil, mas é uma história honesta. Bela, em toda sua composição e desenvolvimento. Alyson Richman entregou um livro sensível e esperançoso sobre corações separados pela tragédia, sobre o que os move a continuar batendo e lutando por um novo amanhã.

site: http://www.queriaestarlendo.com.br/2018/03/resenha-um-amor-perdido.html
comentários(0)comente



Ste (@stebookaholic) 31/03/2018

Comovente e inspirador
Recebi a prova antecipada de " Um amor perdido" e logo me encantei com a premissa. Sou louca por histórias de amor, ainda mais por amores impossíveis.

E quando li a sinopse, já peguei uns lencinhos extra, pois sabia que o choro seria livre, rs...

Não me enganei a respeito disso, chorei e sofri demais...

"Um amor perdido" superou todas as minhas expectativas! Me surpreendeu!

Vou te contar um pouquinho dessa história e de como ela me conquistou.

Conhecemos a jovem Lenka, estudante de artes, e sua família encantadora. Seus pais são um casal apaixonado e muito sofisticado. Lenka tem uma irmã mais jovem e eles moram todos em Praga.
Conhecemos também, Veruska, a animada e deslumbrante amiga de Lenka, sempre com seus vestidos esvoaçantes e vermelhos. Veruska é irma de Josef, um jovem estudante de medicina, que se apaixona por Lenka, assim que a conhece.
Eles são todos fortes, lindos e cheios de energia... até chegar a guerra!

Lenka e Josef, apaixonados, se casam, mas logo, são separados pela Guerra, como tantos outros casais, tantas outras famílias...

Josef vai para a América, e recebe a notícia de Lenka morreu...
Ele se forma um obstetra, bem sucedido, casa-se novamente e constrói uma família.
Mas nunca, conseguiu esquecer sua amada...

Lenka, achando ter perdido seu marido, sofre e esse sofrimento aumenta mais ainda, com os horrores da Guerra, no campo de Terezín, mas ela encontra forças, e sobrevive graças a arte e sua família.

Após anos, esse casal se reencontra em Nova York, e é aí que eles nos contam, essa linda história de amor, resistência e esperança.

Uma das coisas que mais me encantam em livros que retratam o Holocausto é a ESPERANÇA. Sim, essa esperança louca que ardia em cada coração, em meio a tantos horrores e maldades, em meio a tantas situações desumanas e cruéis. De onde vinha essa esperança, essa fé, a força para lutar?
Será que eu a teria? Sempre quando leio algo sobre a Guerra, me questiono.

E com esse livro não foi diferente, ao longo da leitura, me senti em uma sala aconchegante, sentada ao lado de Lenka e Josef e assim, eles iam me contando suas histórias.
Histórias de amor, dor, sofrimentos, recomeços, saudades...
E em muitos momentos me questionei, até onde eu suportaria?!

Josef e Lenka são personagens fortes e resilientes. Suas histórias são incríveis, com muitos momentos emocionantes.

O livro é uma história de amor sim, mas não apenas de Josef e Lenka. Essa história vai muito além...

O amor é capaz de superar muitos obstáculos, dores, medos, mas nunca o esquecimento!

Terminei a leitura encantada e inspirada!

www.stephanyalmeida.com.br
comentários(0)comente



Kari 29/03/2018



Olá pessoas queridas, tudo bem? Hoje vim falar sobre essa prova que recebemos no blog para darmos nossas impressões antes que o livro chegue às livrarias e todos os leitores possam ter acesso a obra. Quero começar a resenha dizendo que nos sentimos honrados e felizes de ter essa oportunidade. A VIB é uma Box da Editora que será enviada para alguns dos blogueiros que eles acham que podem dar uma posição sobre a leitura antecipada; isso mostra a confiança da Editora em nossa opinião sincera e direta!


Vamos falar sobre o livro que temos em mãos. Este livro é uma das apostas da Editora para o mês de abril.

"Separados pela guerra. Unidos pelas lembranças."

Vamos conhecer Lenka, uma jovem estudante de artes no período que antecede a grande guerra. Ela é uma jovem incrível com seus sonhos, esperanças, anseios e posições e em meio aos seus estudos, ela tem a chance de conhecer Josef e achar aquilo que muitos procuram e poucos encontram que é o amor. Essa relação que se inicia promete muitos sonhos a serem realizados, amor a ser vivido, com grandes promessas de imensa felicidade.. Um verdadeiro sonho que muitos querem viver! Mas infelizmente a guerra chega e tudo desanda; os sonhos se tornam incertos e o medo paira! ambos são judeus e todo o povo judeu está prestes a viver uma espécie de terror absurdo e desespero!

Josef consegue fugir, enquanto Lenka permanece onde está e acaba sofrendo as consequências da guerra.


E é nesse cenário que iremos presenciar um grande amor. Josef não conseguiu ficar em paz, sabendo que Lenka não está com ele. Ele não consegue sequer imaginar todas as atrocidades que ela possa estar ou não enfrentando.


Temos em mãos uma história de amor intenso, perdas, desespero, guerra, esperança e muito mais. Os sentimentos que permeiam as páginas de Um amor perdido são tão intensos e devastadores que o leitor é atingido em cheio e passa a torcer por um futuro melhor, por esperança, por reencontros.. E nesse meio vemos a força em recomeçar, em redescobrir. Uma história que nos traz não apenas isso, mas também o terror do nazismo e o sofrimento do povo judeu. A história nos mostras nuances de amor e terror, esperança e desespero.. É impossível passar por tudo que Lenka passou sem que marcar profundas fiquem fincadas para sempre em sua alma, tendo que fazer tudo ao seu alcance para proteger a si mesma e aquele que ama. Sofrendo uma imensa opressão, terror e crueldades inimagináveis. Apesar de se tratar de uma ficção, o livro nos traz muitas verdades sobre esse período em que os nazistas incutiram crueldades sem fim sobre o povo judeu; então ficção e realidade se misturam tornando a leitura ainda mais crível, real e intensa!


Foi preciso uma força sobre-humana por parte de Lenka para encarar tudo que viveu, todas as atrocidades que se abateram sobre ela e aqueles à quem ama. Enquanto em contrapartida temos Josef que conseguiu escapar dessa crueldade toda vivida por Lenka e tantos outros judeus e suas lembranças do que teve, do amor que perdeu e seguindo com sua vida mesmo com Lenka tendo ficado para trás, mas sem jamais deixar as lembranças de lado ou sequer deixar de pensar em tudo que foi e poderia ter sido caso a guerra não tivesse ficado entre eles. A esperança de que um dia poderiam estar juntos novamente não os abandona, mesmo para Lenka que se tornou um vislumbre do que já foi e para Josef que seguiu com sua vida, sem saber o que aconteceu com Lenka.


Lenka é uma dessas personagens admiráveis, poucos teriam sua coragem, sua determinação e sua força. Tudo que ela faz e tudo que ela deseja é manter seus pais e irmã seguros. Sua força encontra-se principalmente nesse amor que ela sente por sua família.. Sempre que parece que ela vai "quebrar" ela se ergue e continua a lutar! Como eu disse lá atrás, ela é uma personagem incrível! Admirável! Altruísta e especial!


Uma história construída com delicadeza diante o caos, com personagens palpáveis, "humanos" e outros monstros que fizeram parte de uma tirania que infelizmente é real e faz parte da nossa história!

A escrita de Alyson Richman é precisa, sentimental e crível! A ambientação é perfeita e os personagens muito bem delineados!


O livro traz muito mais do que eu esperava e estou verdadeiramente encantada e muito feliz por ter tido a oportunidade de ler essa história!


comentários(0)comente



Carol 03/04/2018

Uma das obras mais emocionantes que já li!
Lenka é uma jovem estudante de Artes que vive uma vida confortável ao lado de sua família em um bom bairro, uma boa casa com empregados e com visitas frequentes a costureira. Após conhecer Josef, irmão de sua melhor amiga, sente algo que nunca havia sentido antes, ele passa a dominar seus pensamentos e ela passa a ser o grande amor de Josef.
Os dois vão se encontrando às escondidas enquanto em Praga começa uma perseguição aos judeus que faz com que eles percam a sua liberdade, empregos, planos de saúde e passem a viver com medo de que as coisas piorem ainda mais. Pensando nisso Lenka e Josef resolvem se casar para que as duas famílias consigam fugir para os Estados Unidos.
Mas, após o casamento, as coisas acabam acontecendo de outra forma e o caminho dos dois muda inesperadamente, porém o sentimento que nutriam permanece forte e inabalável mesmo enquanto Lenka sofre nas mãos dos alemães acreditando que o amado morreu e Josef, acreditando na mesma coisa, se casa novamente e vira um obstetra renomado em Nova York.

No livro “Um amor perdido” iremos conhecer um casal de judeus em plena Segunda Guerra Mundial, iremos ver todo o sofrimento que esse povo passou, nos deparar com todas as difíceis escolhas que tiveram que fazer e garanto que vai ser impossível não chorar com todos esses relatos.
A narrativa é em primeira pessoa, alternada entre Lenka e Josef, passado e presente. Esses elementos nos mostram a dor e a crueldade dos campos de concentração e como uma pessoa que na tentativa de fugir e encontrar a felicidade perde tudo o que amava e agora precisa seguir em frente, mostra que continuar pode ser tão doloroso quanto sucumbir.
Me apaixonei por Lenka, uma personagem incrível, fiel, que faria tudo por sua família, corajosa e forte, aquele tipo de força interna que faz com que as pessoas não desistam em meio a tanto horror.
A história escrita pela autora Alyson Richman tem inspirações e personagens reais, me fez chorar, me fez refletir, me fez sofrer e terminar a obra com a certeza de que será uma das melhores leituras do ano!

site: www.nossaressacaliteraria.com.br
comentários(0)comente



Além das Páginas 18/04/2018

Olá pessoas queridas, tudo bem? Hoje vim falar sobre essa prova que recebemos no blog para darmos nossas impressões antes que o livro chegue às livrarias e todos os leitores possam ter acesso a obra. Quero começar a resenha dizendo que nos sentimos honrados e felizes de ter essa oportunidade. A VIB é uma Box da Editora que será enviada para alguns dos blogueiros que eles acham que podem dar uma posição sobre a leitura antecipada; isso mostra a confiança da Editora em nossa opinião sincera e direta!

Vamos falar sobre o livro que temos em mãos. Este livro é uma das apostas da Editora para o mês de abril.

"Separados pela guerra. Unidos pelas lembranças."

Vamos conhecer Lenka, uma jovem estudante de artes no período que antecede a grande guerra. Ela é uma jovem incrível com seus sonhos, esperanças, anseios e posições e em meio aos seus estudos, ela tem a chance de conhecer Josef e achar aquilo que muitos procuram e poucos encontram que é o amor. Essa relação que se inicia promete muitos sonhos a serem realizados, amor a ser vivido, com grandes promessas de imensa felicidade.. Um verdadeiro sonho que muitos querem viver! Mas infelizmente a guerra chega e tudo desanda; os sonhos se tornam incertos e o medo paira! ambos são judeus e todo o povo judeu está prestes a viver uma espécie de terror absurdo e desespero!
Josef consegue fugir, enquanto Lenka permanece onde está e acaba sofrendo as consequências da guerra.

E é nesse cenário que iremos presenciar um grande amor. Josef não conseguiu ficar em paz, sabendo que Lenka não está com ele. Ele não consegue sequer imaginar todas as atrocidades que ela possa estar ou não enfrentando.

Temos em mãos uma história de amor intenso, perdas, desespero, guerra, esperança e muito mais. Os sentimentos que permeiam as páginas de Um amor perdido são tão intensos e devastadores que o leitor é atingido em cheio e passa a torcer por um futuro melhor, por esperança, por reencontros.. E nesse meio vemos a força em recomeçar, em redescobrir. Uma história que nos traz não apenas isso, mas também o terror do nazismo e o sofrimento do povo judeu. A história nos mostras nuances de amor e terror, esperança e desespero.. É impossível passar por tudo que Lenka passou sem que marcar profundas fiquem fincadas para sempre em sua alma, tendo que fazer tudo ao seu alcance para proteger a si mesma e aquele que ama. Sofrendo uma imensa opressão, terror e crueldades inimagináveis. Apesar de se tratar de uma ficção, o livro nos traz muitas verdades sobre esse período em que os nazistas incutiram crueldades sem fim sobre o povo judeu; então ficção e realidade se misturam tornando a leitura ainda mais crível, real e intensa!

Foi preciso uma força sobre-humana por parte de Lenka para encarar tudo que viveu, todas as atrocidades que se abateram sobre ela e aqueles à quem ama. Enquanto em contrapartida temos Josef que conseguiu escapar dessa crueldade toda vivida por Lenka e tantos outros judeus e suas lembranças do que teve, do amor que perdeu e seguindo com sua vida mesmo com Lenka tendo ficado para trás, mas sem jamais deixar as lembranças de lado ou sequer deixar de pensar em tudo que foi e poderia ter sido caso a guerra não tivesse ficado entre eles. A esperança de que um dia poderiam estar juntos novamente não os abandona, mesmo para Lenka que se tornou um vislumbre do que já foi e para Josef que seguiu com sua vida, sem saber o que aconteceu com Lenka.

Lenka é uma dessas personagens admiráveis, poucos teriam sua coragem, sua determinação e sua força. Tudo que ela faz e tudo que ela deseja é manter seus pais e irmã seguros. Sua força encontra-se principalmente nesse amor que ela sente por sua família.. Sempre que parece que ela vai "quebrar" ela se ergue e continua a lutar! Como eu disse lá atrás, ela é uma personagem incrível! Admirável! Altruísta e especial!

Uma história construída com delicadeza diante o caos, com personagens palpáveis, "humanos" e outros monstros que fizeram parte de uma tirania que infelizmente é real e faz parte da nossa história!
A escrita de Alyson Richman é precisa, sentimental e crível! A ambientação é perfeita e os personagens muito bem delineados!

O livro traz muito mais do que eu esperava e estou verdadeiramente encantada e muito feliz por ter tido a oportunidade de ler essa história!

@karinicouto
comentários(0)comente



Quedma 10/06/2018

Iniciei a leitura esperando um romance ambientado no período de Guerra. Mas foi muito mais que isso, através das lembranças de Lenka e Josef a autora construiu uma história que retrata um período aterrorizante com muita delicadeza.

Os personagens se aproximam tanto de nós leitores, são tão reais que a nossa vontade de tocar e consolar; abraçar e proteger em muitos momentos transpuseram as paginas.

Descreveu também os "monstros" tiranos que tristemente fizeram esta história doer a nossa alma, porque é uma história real de um passado cruel.

Alysson tem uma escrita maravilhosa, consegue transmitir todo o sentimento, é clara sem descrições exarcebadas tornando a história crível em um cenário muito bem construído.

O livro começa com um reencontro que já faz o nosso coração estremecer e retorna no tempo com lembranças de uma jovem cheia de sonhos envolta a muito amor de sua família , que conhece o primeiro amor e todas as descobertas deste novo sentimento.

E é neste ponto que somos apresentados a muito mais, foi um presente de uma Nova amiga literária que indicou este livro, e sou feliz por ter tido a oportunidade de ter conhecido está história.

Uma história que me encantou, me fez chorar e me emocionou profundamente.

Não conhecia a autora e quero ter a oportunidade de ler outras histórias dela, sua escrita leve me cativou, sou fã agora!!!!

Os agradecimentos finais do livro quando eu estava recuperando, me quebrou novamente, saber de todos os toques reais que nortearam a escrita foi excepcional.

Eu Super Recomendo !!!!

Obrigada Horto Jacques ?
comentários(0)comente



Dryh 21/04/2018

Estou encantada
Lenka é uma estudante de artes plásticas que vive em Praga com a família; a mãe, o pai comerciante e a irmã mais nova. Apaixonada por Josef, um estudante de medicina e irmão de sua melhor amiga, ela se vê presa num caos terrível quando as pessoas começam a voltar-se contra os judeus, e a Tchecoslováquia é invadida pelos alemães. A família de Josef consegue fugir para a Inglaterra, mas a Lenka só resta esperar para ver a se a guerra vai acabar, ou se sua família conseguirá fugir também.

Quando recebi este livro eu já tinha lido alguma resenha a respeito, e já estava mega curiosa. Não é segredo que eu amo histórias que se passam no período das guerras mundiais, principalmente se elas trazem um romance junto. E o romance de Lenka e Josef é lindo! Meu coração se apertava sempre que eu me lembrava que eles seriam separados por causa da guerra, e como no início do livro a autora narra o reencontro deles, muito anos depois (mais do que eu gostaria...haha’), eu ficava imaginando o que teria acontecido naquele intervalo de tempo em que não estavam juntos.

Lenka é uma protagonista incrível. Decidida a seguir seus sonhos de se formar na Academia de Artes de Praga, ela estava sempre desenhando ou pintando coisas, e mesmo depois que tudo parecia perdido, continuava desenhando, como uma forma de escape e também de rebelião. A admirei muito quando deixou que Josef fosse embora sem ela, para que ficassem com sua família em Praga, e mais ainda quando foi forte e sobreviveu às prisões, humilhações e mortes que o Holocausto impôs em sua vida. Dona de uma personalidade incrível, Lenka é o tipo de personagem que a gente sempre procura num livro, e também aquele tipo em que só queremos abraçar e dizer que tudo vai ficar bem.

Josef não fica muito atrás, mas como as partes narradas por Lenka (o livro é narrado pelos dois) foram mais profundas, mais envolventes e mais “pesadas”, eu me senti mais conectada a ela do que ele; ainda assim não nego que a vida para Josef foi difícil, principalmente depois de ter deixado Lenka para trás. Ele perdeu muito, e acho que podemos dizer que até mesmo se perdeu ao longo da história, pois nunca mais foi o mesmo.

Um amor perdido é um livro muito emocionante, foram diversas as cenas que me fizeram chorar, e quando cheguei aos agradecimentos e vi que a história tinha um quê de realidade – essa história realmente aconteceu e muitos dos personagens do livro realmente existiram e tiveram o mesmo destino da história de Alyson –, aí meu coração se apertou de vez. Um amor perdido não é só um romance que se passa na Segunda Guerra Mundial; é uma prova de que o ser humano pode se manter de pé e esperançoso mesmo nas piores situações, e fazer o seu melhor para os outros – apesar de que esses acontecimentos foram causados justamente por seres humanos -, é bom acreditar que, mesmo que haja maldade no mundo, há o dobro de bondade, ainda que não tenhamos conhecimento disso no momento em que acontece.

Eu ainda não tinha lido nada da Alyson, mas posso dizer que me tornei uma fã. Sua escrita é bem leve e envolvente, tem o toque certo de romance e drama, e começar a história no ano de 2000 – bem depois dos acontecimentos da guerra – foi uma jogada e tanto! Não há nada melhor do que saber um pouquinho de presente e voltar para o passado, conhecer os personagens, suas histórias, e só então voltar para o presente, quando já os conhecemos e sabemos pelo o que passaram.

Um amor perdido se tornou um dos meus favoritos não só do ano, mas também da vida. Não duvido que volte a lê-lo um dia. Queria agradecer, mais uma vez, ao Grupo Editorial Record por ter me enviado essa prova; o livro é simplesmente maravilhoso, e se alguém ainda duvida que amores antigos podem se reencontrar mesmo depois de terem passado pelo inferno na terra, Um amor perdido está aqui para provar que isso pode ocorrer. Recomendo para todos os leitores, até mesmo para os que não são muito fãs de romances; acreditem, esse livro vale a pena.


site: http://shakedepalavras.blogspot.com.br
comentários(0)comente



Glauci 08/05/2018

Leitura Concluída: Um amor perdido - Alyson Rickman.

Não tenho palavras. Apenas lágrimas.
Em um outro livro que falava sobre perdas de guerra, eu me perguntava "como o ser humano é capaz de suportar tanta dor?" E nesse, o questionamento é: "como o ser humano é capaz de produzir tanta dor!". Eu sempre corri de histórias que falavam sobre o sofrimento do povo judeu, e hoje vejo que corri com razão. É muito triste. E dói mais, por que sabemos que isso foi real.
Classificação no skoob: cinco estrelas.
Valeria 18/05/2018minha estante
E tão triste assim??? Não gosto de livro triste. Acho melhor eu não ler.




Sandra 27/05/2018

Maio 2018 otimo
Segunda guerra , josef e lenka casal apaixonadi aeparados pela guerra por 60 anos. O livro começa com o encontro e depois conta a historia dia diis separadanente durante os 60 anos. Otimo, recomendo
comentários(0)comente



Amiga Leitora 09/04/2018

Sou o tipo de leitora que não abre mão de obras com grandes acontecimentos históricos de fundo, principalmente se estiver relacionado a Segunda Guerra Mundial. Por mais desumano que seja estar diante de acontecimentos assim, esse tipo de leitura me faz refletir, me auto analisar como pessoa e batalhar para ser um ser humano melhor. Então quando 'Um Amor Perdido' chegou em minhas mãos, antes mesmo de seu lançamento oficial (30/04/2018), não tive duvidas de que seria uma estória comovente e inspiradora.

Em 'Um Amor Perdido' conhecemos a história de Lenka e Josef, um jovem casal separados por uma guerra barbara e desumana, mas que ainda sim nos mostra o poder da bondade e do amor em meio a situações ruins da vida.

A narração navega por uma linha de tempo irregular, horas no presente e horas no passado, sendo Josef o narrador dos momentos pós-guerra e Lenka na pré-guerra. A estória começa quando Josef descobre que sua esposa não foi morta, a partir daí somos levados de volta ao passado em Praga, onde Lenka conta os momentos marcantes da sua infância, adolescência e vida adulta.

Lenka vem de uma família Judia, seu pai é dono do próprio negócio, e sempre deu uma vida confortável a sua esposa e duas filhas. Além de ser uma família muito unida e bondosa, as meninas sempre contaram com os cuidados de Luci, que após engravidar decidiu que era hora de deixar o emprego com um lindo laço de amizade a ligando a esta família.

Foi quando Lenka iniciou a faculdade de artes que conheceu a extrovertida Veruska, ambas se tornaram muito amigas, e graças a este convívio Lenka conheceu o amor da sua vida. Junto com o nascimento desse amor veio também os primeiros indícios de guerra, e depois de viverem um romance as escondidas, Josef decide pedir Lenka em casamento e leva-la para America. No entanto seus planos não saem bem como o esperado, e os dois terão suas vida de casados interrompida por esse grande desastre.

Esse foi meu primeiro contato com a escrita da autora Alyson Ruchman, e confesso que me senti lendo algo semelhante a Lucinda Riley. A narração fluiu com mesma facilidade que passado e presente se entrelaçavam nesse enredo. O romance entre homem e mulher que aparentemente seria o foco da história, perde destaque para uma obra emocionante, que nos faz sentir na pele os momentos de crueldade que os judeus precisaram enfrentar nos campos de concentração nazista.

Além disso a leitura nos permite ver o quanto uma guerra é capaz de transformar um ser humano, mudar sua vida e seus sentimentos. Lenka que era uma garota cheia de fé e esperança, chega em um momento que começa a questionar sua própria fé. Foi impossível não derramar lágrimas e mais lágrimas em meio a esses momentos.

Os personagens dessa história são todos encantadores, criei uma afeição enorme por cada um deles. E pela primeira vez li um livro sobre a Segunda Guerra Mundial que me levou para dentro de um campo de concentração nazista, o que me fez sentir na pele os momentos de angustia e de esperança narrado pela nossa protagonista. É imensamente desconsertante ter em mente que essa foi sim uma guerra real e que pessoas de verdade passaram por todo esse caos e sofrimento.

'Um Amor Perdido' é uma obra prima de emoções que chegou despretensiosamente e mexeu com todas a emoções que existe dentro de mim. Eu não esperava me comover tanto quanto fui comovida, e recomendo essa leitura para todos, sem restrições. É com certeza uma história comovente que reforça tudo o que conhecemos sobre AMOR, FAMÍLIA, DOR E ESPERANÇA.

* Escrito por Thais Teixeira do Blog Amiga da Leitora

site: http://www.amigadaleitora.com/2018/04/resenha-um-amor-perdido-bertrandbrasil.html
comentários(0)comente



Diane Ramos 13/06/2018

UM AMOR PERDIDO (Alyson Richman)
Gosto bastante de realizar leituras que se passam durante a Segunda Guerra Mundial, apesar de ser uma das épocas mais sombrias e aterrorizantes da história, os livros que se passam nessa época sempre tem ensinamentos lindos e nos mostram muito sobre caráter, maldade e como o amor pode resistir a provas extremas de resistência. Assim que recebi Um Amor Perdido e soube que a história se passava nesse período fiquei extremamente empolgada e felizmente Alyson Richman conseguiu suprir minhas expectativas.
O livro se passa em Praga, durante o pré-guerra, e traz a história de Lenka, uma jovem estudante de artes plásticas que leva uma vida estável com sua família judia e suas tradições. Com uma mente criativa e uma personalidade sonhadora, Lenka acaba se apaixonando pelo irmão de sua melhor amiga, Josef, um estudante de medicina e também judeu. Recíproco, o amor que sentem um pelo outro só aumenta, e enquanto vivem um lindo romance, a Segunda Guerra Mundial se aproxima.
Em meio á muitas dificuldades desse períodos, como a perseguições aos judeus e a soberania dos nazistas, muitas famílias são separadas, e num golpe do destino, Lenka e Josef, agora recém casados, são separados pela guerra, onde Josef consegue fugir para os Estados Unidos e Lenka, permanece em Praga. Na América, Josef torna-se um obstetra bem sucedido e constrói uma família, apesar de nunca esquecer a mulher que acredita ter morrido. Mas, no campo de Terezín, Lenka sobrevive graças aos seus dotes artísticos e à memória de um marido que julgava nunca voltar a ver.
Do conforto da vida em Praga antes da ocupação aos horrores da Europa em guerra, Um Amor Perdido explora a resistência do primeiro amor e do espírito humano e a capacidade de recordar.

Um Amor Perdido é narrado em primeira pessoa e intercala os pontos de vista entre as versões do casal protagonista, onde na visão de Lenka acompanhamos sua versão sobre a época em que ocorreu a Segunda Guerra Mundial, as humilhações no campos de concentração e outras brutalidades; já nos capítulos dedicados á Josef, acompanhamos sua história no pós guerra e sua tentativa de superar o passado. A escrita da autora Alyson Richman é densa, envolvente, sensível e rica em detalhes, o que nos faz mergulhar nos dramas vividos pelos protagonistas.
Os personagens foram muito bem construídos, o casal protagonista tem uma química bem interessante e nos faz torcermos por eles do início ao fim. Lenka é uma protagonista incrível, forte e sonhadora que usa todo o seu talento como uma válvula de escape para todas as humilhações que é obrigada a passar em Terezín. Lenka é aquele tipo de personagem que todo leitor procura num livro, aquela heroína que dá vontade de entrar nas páginas para abraçá-la. Josef também é um personagem encantador, mas, como sua parte da narração fica durante o pós-guerra elas foram mais “leves” e não causam tanta empatia como os de Lenka. Achei interessante que a autora também intercalou algumas histórias reais na ficção, muitos dos nomes e histórias contadas nos campos de concentração e outros são de pessoas reais e que de fato vivenciaram aquele momento.
Muito mais do que um livro de amor, Um Amor Perdido é um livro que nos fala sobre a força de recomeçar, de se redescobrir e nos mostra ainda que o ser humano pode se controlar e manter as esperanças mesmo nas piores situações. Um livro que além de uma belíssima história de amor, também apresenta o terror nazista, o sofrimento dos judeus e ainda lembra o leitor as atrocidades que o antissemitismo, o preconceito, o nacionalismo exacerbado e o totalitarismo são capazes de fazer.
Enfim, Um Amor Perdido é um livro denso e lindo, que traz reflexões profundas para nossas vidas e mexe com o sentimento do leitor... Recomendo de olhos fechados para todos vocês e espero de coração que deem uma chance para essa obra sensacional!

site: http://coisasdediane.blogspot.com.br/
comentários(0)comente



Gislaine 10/05/2018

Q livro emocionante!Onde o coração fica na mão durante toda a leitura.Qto sofrimento,qta dor a Guerra,o Holocausto causaram aos judeus.O amor de Lenka e Josef seria uma leveza no meio de tanta morte,mas não foi bem assim......
Amei,de um jeito estranho,pq como amor uma história c tanta tristeza??? Amei sim,cada judeu q se encaminhou a lugares q não faziam ideia do q esperar,uns a morte,outros a maneiras de pessimamente sobreviver, tenho compaixão por cada um, e por fim, amei como a autora terminou a história de L&J .
comentários(0)comente



Cheiro de Livro 09/05/2018

Um Amor Perdido
O livro de Alyson Richman começa em uma festa de casamento onde o avôs do noivo e a avó da noiva se encontram pela primeira vez e se reconhecem. O avô fala “Lenka. Sou eu, Josef, seu marido”. Desse momento em diante somos transportados para os horrores da Segunda Guerra Mundial e o que fez com que esses dois se perdessem no tempo. Não há nada de inovador na narrativa e mesmo assim ela é envolvente.

“Um Amor Perdido” (tradução de Ana Carolina Mesquita) reconta como dois jovens tchecos se apaixonaram, casaram e foram separados pela Segunda Guerra Mundial. O romance começa no entre guerras e funciona para ambientar o leitor em como viviam os judeus em uma Praga pré ocupação nazista. O conforto, a despreocupação e, principalmente, dois jovens apaixonados vão nos guiando lentamente por um mundo que começa a mudar e a endurecer. É quando Lenka e Josef se separam que o livro ganha em força. Cada parte do casal vai contar uma realidade inerente aos que sobreviveram a guerra: Josef a saudade e a culpa dos sobreviventes e Lenka as agruras de sobreviver no dia-a-dia em uma guerra.

A narrativa de Lenka é mais forte, impressiona mais talvez por meu pouco conhecimento sobre o Terezin, um campo de concentração e não de extermínio montado pelos nazistas na Tchecoeslováquia. Como Lenka trabalhava no campo, como ela desenhava, como, mesmo em meio a privações, a vida seguia. A descrição de como os artistas faziam questão de retratar todo o horror que os cercava e como muitos desses trabalhos sobreviveram para nos lembrar sempre o que aconteceu. É impossível não se emocionar com as perdas que Lenka tem ao longo dos anos em campos de concentração nazistas e com tudo que ocorre quando os nazistas começam a realizar que a guerra está perdida.

O que Josef conta é a parte menos explorada em narrativas de guerra: a culpa dos sobreviventes. Josef foge da Europa antes da guerra explodir e isso não significa que ele não tenha perdas enormes e que o peso de ter conseguido fugir não o esmague e o molde. A vida de Josef nos EUA é confortável, ele não passa privações mas é assombrado pelo fantasma da sua família, pela culpa de ter se separado de Lenka. Josef continua buscando os seus mesmo depois do final da guerra, continua parado no tempo buscando uma vida que foi destruída em outro país.

Richman transforma em algo envolvente uma história já contada milhares de vezes e isso é um grande mérito do livro. O romance de Lenka e Josef é apenas um pano de fundo para mostrar os horrores da guerra. O inacreditável é que precisamos, mais do que nunca, lembrar as pessoas o que o antissemitismo, o nacionalismo exacerbado e o totalitarismo são capazes de fazer.

site: http://cheirodelivro.com/um-amor-perdido/
comentários(0)comente



Dri 10/04/2018

Essa história ficará marcada em mim para sempre.
Lenka é uma jovem artista que vive em Praga e tem grandes planos para seu futuro. Pouco antes da Segunda Guerra Mundial, Lenka se apaixona por Josef, um médico recém-formado, e decide se casar. Ambos são judeus e correm risco com a eminente guerra. Lenka jamais abandonaria sua família, nem mesmo em nome do amor, o que leva o casal a ser separado pela guerra. A falta de informações faz com que ambos a acreditem na morte do outro e seguir a vida como possível. Estaria o amor de Lenka e Josef realmente perdido?

Mesmo quase duas semanas após concluir a leitura de "Um Amor Perdido" continuo super apegada à história e a esses personagens tão singulares criados por Alyson Richman.

Alternando entre o ponto de vista de Lenka e de Josef em diferentes períodos de tempo, somos introduzidos em um período muito cruel e doloroso: o nazismo.
Desde a fuga de Josef sem sua amada, passando pelo cotidiano de judeus no campo de concentração, até as sequelas deixadas em uma pessoa que testemunhou as atrocidades do período, "Um Amor Perdido" nos traz uma história de amor dolorosamente linda.

Posso afirmar que não costumo ler livros com esse tema por causa da carga emocional que trazem, mas Alyson Richman conseguiu acrescentar uma delicadeza imprescindível para a narrativa, tornando a leitura ainda mais emocionante. É impossível não se sentir com o coração partido ao acompanhar Lenka e Josef, mas também é lindo ver um amor tão puro e cheio de esperanças.

"Um Amor Perdido" talvez não seja um livro escrito para todos tipos de leitores, mas definitivamente é um livro graciosamente escrito para fãs de romances históricos. Essa história ficará marcada em mim para sempre!
comentários(0)comente



Bruna 14/06/2018

Romance Histórico tentando sobreviver ao nazismo
Foi um leitura intensa, tensa, de aquecer o coração e de destruir a alma. A história é alternada entre passado e presente. ⠀⠀ ⠀⠀ ⠀
⠀⠀ ⠀⠀ ⠀
Um passado na pré-guerra e o nazismo! Da pra imaginar a intensidade né?! Lenka - apaixonada por arte e Josef - médico recém formado se apaixonam nessa época. E veem o amor ser ruído pela dor e destruição acusada por esse período. ⠀⠀ ⠀⠀ ⠀
⠀⠀ ⠀⠀ ⠀
Ambos lutaram MUITO não só pra sobreviver por pela família. Lenka me ganhou, sou força e luta pela eram de prender a respiração. ⠀⠀ ⠀⠀ ⠀
⠀⠀ ⠀⠀ ⠀
Ahh e os sentimentos, gente foram tantos sentimentos despertados durante essa leitura. Acho que isso se intensificou, por ter sido um livro baseado em fatos reais.
⠀⠀ ⠀⠀ ⠀ ⠀⠀ ⠀⠀ ⠀
Por falar nisso, não deixem de ler o comentário da autora sobre a construção desse livro e dos fatos reais, está tudo lá no finalzinho. ⠀

site: https://www.instagram.com/naoemprestolivros/
comentários(0)comente



26 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2