Em Pedaços

Em Pedaços Lauren Layne


Compartilhe


Resenhas - Em Pedaços


48 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2 | 3 | 4


Nanda {@talvezumaleitura} 15/10/2018

Em Pedaços
Aaah terminei com quentinho no coração pelo final feliz. A escrita da autora é muito fluida por isso li durante um dia, a história e os personagens também prendem. Aquele clichêzinho de leve gostoso! Como estava sem pretenção, foi uma leitura muito boa.
comentários(0)comente



Paula Juliana 13/10/2018

''Uma garota com segredos corrosivos. Um ex-soldado com cicatrizes externas e internas. Um amor que pode salvar ambos... ou destruí-los de vez.''

Matando as saudades dos romances fofos, cheios de superação e que prendem o leitor até a última página! Em pedaços acordou uma parte da leitora dentro de mim há alguns meses já adormecida, e como de se esperar engoli essa obra linda, sexy e apaixonante.
Lauren Layne é uma autora com uma escrita muito gostosa, já tinha tido contato com outro livro dela e também tinha curtido muito, mas algo a mais na obra Em Pedaços me conquistou, muito!

Conhecemos Olivia que é uma mocinha no estilo fofa, ela é linda, rica, tem um futuro brilhante pela frente, estava passando por aquele momento da vida que geralmente todos passados, qual é o caminho certo? Afinal, tem que existir aquele algo a mais na vida, tudo isso com o acréscimo de um drama pessoal que estava lhe tirando o sono. Olivia precisava de um tempo, precisava de distancia para assim SE ENCONTRAR. SE PERDOAR!

Assim, ela saiu de NY e parte para uma cidadezinha distante de interior, bem, no meio do nada, onde irá trabalhar de cuidadora de um homem, que não tem nada de muito fácil!

E com toda razão!
A vida foi terrível com Paul um ex-fuzileiro que após voltar com sérias marcas da guerra, porém vivo, por dentro Paul está morto.

Pelo menos foi isso que pensou até conhecer a obstinada e doce Olivia que aos poucos foi lhe trazendo de novo a vida! Parece clichê e confesso que é mesmo um pouco, mas a obra é tão linda e envolvente, o tipo de leitura que faz quem lê torcer e sonhar junto.

A obra fala de amor, esperança e superação.
Tem um ritmo tão gostoso, de uma forma tão descomprometida, e nos captura pela curiosidade, principalmente dos segredos dos dois protagonistas, nos envolve, é sexy, quente, sem muito mimimi, tem muita história em meio as cenas completamente cheias de químicas.

Paul é um homem difícil, passou por muitas coisas realmente traumáticas, por meio desse personagem a autora fala sobre a vontade de viver, sobre marcas muito mais fortes que as físicas, as mentais. Paul faz o leitor sofrer, nos deixa indignadas, apavoradas e também apaixonas. Em algumas partes senti que a história poderia ter sido ainda mais aprofundada do que foi, por isso dei 4 e não 5 estrelas, mas mesmo assim, me fez sofrer loucamente.

Em pedaços é uma obra linda, aquele romance gostoso, quente e comovente que se lê em uma bela tarde chuvosa, que nos envolve de uma maneira louca, e nos faz desligar do mundo real. Lauren Layne escreve mais uma história de tirar o fôlego com personagens dramáticos e reais que nos fazem questionar nossa própria vida. Recomendadíssimo para os fãs dos romances fofos, hots e apaixonantes.

Paula Juliana
comentários(0)comente



Raffafust 04/10/2018

Foi a 1ª vez que li um livro de Lauren Layne e por acompanhar vários blogs já tinha lido resenhas positivas sobre sua escrita.
De fato, se depender dessa minha primeira experiência ela ganhou uma leitora assídua, pode mandar mais livros que queremos ler todos.
Vamos à história. Nesse livro temos a protagonista Olivia Middleton, uma moça de 22 anos que tem tudo que quer, ou quase tudo. Ela deixa Manhattan e dois segredos que vamos descobrindo aos poucos que ela não se recuperou do passado, primeiro a autora nos apresenta uma Olivia que não foi uma personagem que eu curti tanto, até ela se envolver com o bofe da vez: Paul Lagdon. E deliciosamente ao encontrá-lo ela de fato se torna uma mulher mais interessante porque não sabe no que maravilhosamente está se metendo, aliás, por favor leiam com afinco a página 192, de preferência com um bom suco gelado do lado.

Nossa mocinha pensou que ela estaria ajudando um veterano de guerra mais velho e meio mala, ao seu ver, mas o que ela recebeu em vez disso foi muito sexo, não de primeira assim né, mas depois, meus amores, ela se descobriu e sentiu um prazer que nunca tinha sentindo antes. E ela acaba descobrindo que não era nenhum coroa tipo George Clooney, o que obviamente ninguém acharia isso ruim, ou acharia? O tal do Paul tinha quase a idade dela, incrivelmente atraente, apenas com alguns machucados mas o ruim é que ele estava de mal com a vida. Ele não queria a ajuda de Olivia. Ele não queria a ajuda de ninguém na verdade e ninguém o suportava mais. Ele simplesmente queria ficar sozinho. A única razão pela qual ele concordou em ter Olivia lá foi para que seu pai lhe desse a herança que ele precisava para ajudar a família de seu amigo já falecido.Mas, como tantas vezes acontece, o que ele menos queria era o que ele mais precisava. Ah e porque ela foi ajudá-lo? Para fugir de sua cidade ela vai para outra que é onde ele mora, no Maine, e não essa não é uma história do Stephen King mas a autora disse que se inspirou em A Bela e a Fera, sinceramente não senti muitas semelhanças, porque ele não está todo deformado pós guerra do Afeganistão e ela vai como cuidadora dele, recebendo a grana paga pelo pai dele, então não é tipo ficar presa como a pobre da Bela.
Uma coisa muito bem escrita no livro são as cenas de sexo, os personagens tem química, maravilhosamente descritos pela autora e é incrível ver como precisavam um do outro para curar suas feridas internas e às vezes externas.
Já quero ler mais livros dessa autora, e você, já leram algum? Gostaram?

site: http://www.meninaquecompravalivros.com.br/2018/10/resenha-em-pedacos-serie-recomecos.html
comentários(0)comente



Maria - Blog Pétalas de Liberdade 03/10/2018

Resenha para o blog Pétalas de Liberdade
A narração é alternada entre os protagonistas: Olivia Middleton e Paul Langdon. Olivia tinha vinte e dois anos, era de família rica (embora não tão tradicional quanto outras da sociedade), e decidiu abandonar a faculdade no último ano para "fazer caridade". Muitos consideraram sua atitude como algo de grande generosidade, afinal, nem todo mundo sairia do conforto de casa para ajudar os outros. Mas o ato de Olivia não era tão generoso assim, a verdade é que ela queria fugir, queria dar um tempo de sua vida por causa da culpa que sentia por algo que aconteceu. E ela nem iria para muito longe de Nova York, seus pais deram um jeito de arranjar um trabalho para ela no Maine. Olivia cuidaria de um veterano de guerra por três meses.

Três meses, esse era o tempo que Paul Langdon teria que aturar mais uma das cuidadoras que o pai insistia que ele tivesse, mas nenhuma tinha durado tanto tempo, graças ao seu temperamento difícil. Paul tinha vinte e quatro anos, e nunca mais foi o mesmo depois de voltar da Guerra do Afeganistão, onde perdeu amigos, teve os movimentos de uma perna comprometidos e ficou com cicatrizes no rosto. Ele passou a viver isolado numa propriedade do pai, acompanhado da cozinheira e do motorista, dos seus livros e da bebida. Como o filho não melhorava, o pai, temendo que o rapaz se suicidasse, contratava cuidadores, mas vendo que não estava surtindo efeito e que Paul continuava enfurnado na casa, deu um ultimato: se a próxima cuidadora não ficasse no trabalho por pelo menos três meses, ele expulsaria Paul da residência e pararia de lhe dar dinheiro.

"'E seus preciosos livros?', ele desdenha. 'Todas aquelas primeiras edições de que tanto se orgulha?'
Viro-me para a estante. Meu pai sabe que acabou de atingir meu calcanhar de aquiles com a ponta do seu sapato fino.
Ele é ridiculamente rico, e a mesada que me manda todo mês é ridiculamente generosa. Não gasto nem um centavo comigo, a não ser pelos livros. Depois do que aconteceu comigo, acredito que ganhei o direito de ficar sentado e deprimido, lendo meus livros caros.
Mas a ideia de perder minha coleção não é o que faz meu coração acelerar. Não preciso dos livros. Mas preciso do dinheiro do meu pai, pelo menos até completar vinte e cinco anos, quando poderei receber o que foi investido pela minha mãe em um fundo fiduciário." (página 23)

Como precisava da ajuda financeira do pai (para bem mais do que poder comprar seus livros), Paul decidiu que faria um esforço. Ele só não estava preparado para conhecer uma cuidadora tão diferente das anteriores como Olivia. Ela era mais jovem que ele, aparentemente uma garota riquinha que só usava rosa, não tinha nenhum preparo para o trabalho, além de ser linda, despertando em Paul uma atração que ele não acreditava ter futuro. Se para ele foi um choque conhecer Olivia, foi igual para ela, pois o rapaz era totalmente diferente do ex-soldado debilitado que ela imaginava encontrar, e também despertava na moça uma atração que ela não procurava. Será que esses dois conseguirão juntas seus pedaços e sair inteiros ao fim desses três meses?

"Ficamos parados por alguns segundos, só nos encarando, Dois jovens mimados e em pedaços. Dois desastres.
'Vou fazer as malas', ela diz afinal, e vai embora.
Eu a seguro pelos ombros. Ela vira o rosto para mim. Estamos ambos com a respiração acelerada, e não nos olhamos. 'Fica', digo, brusco. 'Já usamos um ao outro até agora. Podemos muto bem ir até o fim." (página 165)

A autora também escreveu "Mais que amigos", um romance que tem sido muito elogiado. Já "Em pedaços" tem recebido algumas críticas negativas. Como eu tinha os dois livros, decidi começar por "Em pedaços", para não pegá-lo com expectativas muito elevadas caso tivesse começado por "Mais que amigos". E eu gostei muito da leitura. O Paul sabe sim ser um babaca irritante em determinados momentos e faz algumas burrices, mas quem sou eu para imaginar o que é passar pelo que ele passou na guerra, o que é ser um rapaz cheio de sonhos e, no momento seguinte, estar com cicatrizes sendo alvo de comentários ofensivos? E aí temos Olivia, que muitos julgam ter exagerado no motivo para sua reclusão no Maine, mas eu também não sei o que é ter uma vida toda dentro do script e ferrar com tudo, magoar pessoas amadas, dormir e acordar com essa culpa. Quem nunca precisou de um tempo para se reencontrar?

"Forço um sorriso. 'Então... tem algum truque que eu deva saber para usar esse tênis? Preciso adivinhar uma senha ou eles funcionam por mágica?'
Paul revira os olhos e aponta a bengala na direção em que normalmente seguimos. 'Trota um pouco. Tenta não tropeçar, rebolar ou qualquer outra coisa que envergonhe seu tutor.'
'Tutor? É isso o que você se considera?', pergunto. 'Porque parece mais a madre superiora.' Começo a me alongar, bem devagar.
Sinto o toque gentil de sua bengala no meu joelho. 'A última novidade do mundo da corrida é que alongar antes do treino não previne contusões.'
Devolvo o pé ao chão. 'Mas sapatos mágicos previnem?'
Seus lábio se contorcem em algo que quase parece um sorriso. 'Isso mesmo.'
'Espero que ninguém me veja assim', murmuro, brincando. 'Por outro lado, também espero que esses tênis durem bastante, por que vão ficar ótimos quando eu for para um asilo.'" (página 129)

Eu gostei muito do jeito como a Olivia lidava com o mau humor do Paul, ela não dava as respostas que ele esperava, e os diálogos entre os dois são ótimos. A tensão sexual entre eles também é um ponto alto do livro, senti química entre o casal. Além da personalidade da Olivia, algo que me agradou foi o fato de os personagens serem muito mais do que aparentam inicialmente, o Paul não é só um bêbado recluso que torra o dinheiro do pai, ele tem um lado bom, assim como a Olivia não é só uma alma caridosa, o pai do mocinho também tem outras facetas. Falando em pais, gostei de a Olivia ter uma família amorosa.

Enfim, essa foi minha experiência de leitura com "Em Pedaços", e meu primeiro contato com a escrita da Lauren Layne foi ótimo. Recomendo esse romance new adult para quem procura uma leitura rápida e fluida, pois além de ter menos de duzentos e cinquenta páginas e capítulos curtos, é um daqueles livros onde, quando a gente percebe, já se passaram páginas e páginas, a escrita da autora é ótima e a história consegue nos prender. Na contracapa consta que é uma recontagem de "A Bela e a Fera", e há algumas leves semelhanças com o clássico, como o apego do Paul pelos seus livros (amei isso!) e sua aparência e temperamento que assustam alguns, já a Olivia tem sim um pouco da determinação da Bela.

site: http://petalasdeliberdade.blogspot.com/2018/09/resenha-livro-em-pedacos-lauren-layne.html
comentários(0)comente



Katheleen 02/10/2018

Coração quentinho e cheio de esperanças.
Incrível como a autora aborda um tema tão profundo e nos faz sentir a dor dos personagens. Incrível também é ver que o perdão e o amor realmente cura. Fiquei envolvida na história do início ao fim e terminei a leitura com o coração quentinho, e cheio de esperanças.
comentários(0)comente



giovannacardosol 02/10/2018

Quando eu comecei a ler, eu não sabia a sinopse e nem o gênero, foi uma surpresa quando eu soube que era como se fosse uma releitura de Bela e a Fera com um toque de jojo moyes, mas a historia vai muito mais além e a escrita da autora é maravilhosa, valeu super a pena ter lido, eu me diverti muito com a leitura.
comentários(0)comente



Nathany Teixeira 29/09/2018

Estranhei
Quando adquiri o livro, esperava encontrar um romance que me prendesse do início ao fim e essa foi a única pré-certeza que tive que realmente aconteceu. Li o livro em um dia pela forma como a autora narra. É envolvente sim, com certeza. Porém, fiquei muito impressionada em como atitudes machistas e agressivas acontecem o tempo todo e a protagonista justifica esse tipo de tratamento em cem por cento das vezes. Cheguei a ficar nervosa, afinal, o personagem principal resolve se vingar por coisas tão pequenas e de forma tão devastadora que me deixou louca. Mas o pior, é a protagonista em si sempre justificar essas atitudes "escrotas".

Em um momento é abordado um tema... Sobre o motivo pelo qual o protagonista masculino aceita viver as custas do pai..o dinheiro não é para ele, mas em momento nenhum foi abordado alguma cena com o real motivo. Sabemos o porquê, mas não vemos nada sobre o que aconteceu com aquela família que ele ajudava.

O livro foi bom em questão da narrativa, do cenário e da atração sexual ser exibida de forma envolvente. Nos sentimentos. Na pressão que a guerra trouxe. Mas no restante achei que ficou devendo demais. Vou ler outras obras da autora para ver se me encontro melhor.
comentários(0)comente



spoiler visualizar
comentários(0)comente



Jéssica Spuzzillo @pintandoasletras 21/09/2018

=/
Depois de tomar uma péssima decisão, Olivia Middleton está tentando aliviar a sua consciência culpada, então deixa de lado a sua vida glamorosa em Nova York e aceita um cargo como cuidadora de um veterano que foi ferido pela guerra.

Paul Langdon é a definição de homem quebrado, aos 24 anos ele possui muitas cicatrizes da batalha, mas as internas são as principais. Ele se tornou um homem grosseiro, desafiador, uma pessoa que se recusa a seguir em frente e só quer viver no seu mundinho fechado.

A partir do momento em que o caminho deles se cruza, eles percebem que talvez esse arranjo seja mais complicado do que esperavam. Ambos são jovens e atraentes e quando estão juntos o ar de luxúria, química e atração é o que permeia o local. Mas eles vão lutar contra isso com todas as forças.

Os dois vão experimentar o extremo um do outro nessa recontagem moderna de A Bela e Fera. Será que vão conseguir colar os pedaços desses corações quebrados?

Quando eu li Mais que Amigos da Lauren Layne me apaixonei pela escrita da autora, estava tão ansiosa para ler esse livro, mas infelizmente as minhas expectativas não foram atendidas. A leitura é fluida, o desenvolvimento da história é legal e o enredo tinha tudo para se tornar um dos meus favoritos, visto que amo releituras de clássicos da Disney, mas a Fera dessa história teve comportamentos que na minha opinião são inadmissíveis.

Paul se apaixona por Olivia e começa a tratá-la bem, mas logo em seguida a trata como lixo. Eu entendo os medos dele, seus problemas e angustias, mas nada justifica as suas atitudes grosseiras e sem fundamento. Os dois personagens são mimados, egoístas e achei todo esse drama muito exagerado e olha que eu amo drama!

Indico para que vocês leiam com o coração aberto, talvez o que não funcionou para mim, funcione para vocês! Não posso deixar de ressaltar que a escrita da Lauren é ótima e que apesar de não ter curtido as atitudes desses personagens, estou ansiosa para ler mais livros dela assim que forem lançados!
comentários(0)comente



Ana Entre Páginas 19/09/2018

Resenha: Em Pedaços (Blog Entre Páginas)
No livro Em Pedaços conhecemos Olívia Middleton, uma jovem de 22 anos, bem estilo Gossip Girl: rica, bonita, mora em Manhattan, rodeada de pessoas ricas e influentes, que tem o mundo aos seus pés... Mas o que poucos sabem que é ela guarda um segredo que mudou a sua vida, e por isso ela resolveu se afastar de tudo, largar a vida de luxo e o passado para cuidar de um ex-soldado recém saído da guerra no Afeganistão. Ela espera que cuidar de um “idoso” em um lugar afastado no Maine pode ajudá-la a redimir os seus pecados.

Só que, o “idoso” de idoso não tem nada haha. Paul Langdon tem 24 anos, e está revoltado com o mundo. Após a guerra no Afeganistão, ele traz grandes traumas no corpo e na mente de tudo o que viveu por lá, e passa boa parte do seu tempo bêbado, de mau humor, afastando as pessoas e se lamentando pelas suas marcas físicas. Ate então ele conseguiu espantar todas as cuidadoras pra bem longe, mas um ultimato do seu pai o obriga a aguentar a Olívia por pelo menos 3 meses, ou ele perderá coisas bem importantes pra ele.

A atração entre os dois é imediata, mas são duas pessoas feridas, cheias de marcas no seu passado, buscado aceitação e redenção, cada um à sua forma. Enquanto Paul não se acha digno de Olívia ou de felicidade alguma e por isso a trata com toda hostilidade possível, ela aceita esse comportamento e tenta lidar com ele da melhor forma que consegue, pois acha que merece punição pelos seus erros. O grande desafio aqui é saber se esses dois conseguirão superar todos os traumas e conseguir se entender e se entregar ao sentimento que sentem, ou se o melhor a fazer é seguir seus caminhos separados.
Essa foi uma releitura de A Bela e a Fera bem interessante. A autora criou uma Fera (Paul) tão perfeita, que em vários momentos eu não quis que ele tivesse um final feliz de tanta raiva que ele me fez. Ele foi machista, cruel, e acho que muitas de suas atitudes foram injustificadas. A parte boa é quando ele percebe o mal que ele faz aos outros e a si mesmo, e resolve se redimir.Outro ponto que devo ressaltar é que achei ótimo o posicionamento das pessoas a sua volta, sabendo a hora de dar espaço, e a hora de colocar limite. Isso foi fundamental para o amadurecimento dele e ele realmente teve o que mereceu no fim do livro.

Olívia até o meio do livro não tinha me conquistado, achei que ela fez um drama grande para algo pequeno, (não era pra tanto fofa), largar a faculdade, os amigos, carregar toda aquela culpa... E também achei que ela foi muito passiva nas suas interações com Paul e nos ataques de idiotice dele, tudo tem limites né? A parte boa foi ver ela se reconstruir, correr atrás do prejuízo e buscar sua independência. Quando ela viu que era hora de seguir em frente, se libertar das amarras que ela tinha e ser feliz, ela foi, e o caminho que ela constrói a partir daí é bem bacana e da um final digno a história.

Esse é o primeiro volume de uma série, e espero que nos próximos a autora trabalhe a Kali, uma amiga do Paul que acho que merece ter a sua história, e o Michael, o melhor amigo de Olívia que também teve um papel interessante nesse livro.

Espero que tenham gostado da resenha, beijos e até a próxima!

site: www.entrepaginas.com.br
comentários(0)comente



LiteraTudo 15/09/2018

Resenha: Em Pedaços/Lauren Layne.
Olívia tem a vida perfeita, porém após cometer um grande erro decide tirar um tempo longe de tudo que a rodeia como uma espécie de redenção. Para isso ela decide trabalhar como cuidadora de um ex combatente de guerra.
.
Paul não é o mesmo desde que voltou da guerra, as cicatrizes internas são muito mais profundas do que as que marcam seu rosto.
.
O que nenhum dos dois imaginava é que a junção de uma patricinha com um soldado mal humorado poderia ser a solução para a superação de problemas e a cura para seus corações feridos.
.
✏Mais uma vez Lauren Layne nos apresenta uma história leve e envolvente, dessa vez com características de A Bela e a Fera.
.
Confesso que apesar de ter gostado muito do livro, não pude deixar de me decepcionar com o modo que a autora conduziu a história. Achei que os personagens iriam construir uma relação aos poucos com uma amizade com o tempo se transformando em paixão, o que não foi o caso. Já no primeiro contato os protagonistas se sentem incrivelmente atraídos o que não é uma coisa que me agrada em romances.
.
Mas apesar dessa química presente a todo instante, temos um livro bom e envolvente a tal ponto que nem percebemos quando a leitura chega ao fim. Ainda prefiro Mais que Amigos, pois achei que a autora o desenvolveu melhor que Em Pedaços, já que um romance divertido precisa de menos profundidade do que um que aborda drama.
.
Também não achei o motivo da fuga Olívia motivo para tamanho estardalhaço. Esperava algo bem grave, porém o que ela fez, mesmo sendo errado, é bem corriqueiro e normal.
.
Mas apesar de não parecer (depois dessas críticas) gostei bastante do livro e com certeza recomendo para quem está à procura de um livro estilo sessão da tarde e que pode ser lido em poucas horas.

Olívia e Logan não são os melhores personagens que já li, no entanto não tem como não torcer para que os dois encontrem uma forma de superar seus problemas para poderem viver esse amor que chegou na hora que cada um mais precisava.
.
Em Pedaços é uma história sobre superação, onde os personagens aprendem com seus erros e encontram no amor e perdão o segredo para seguir em frente.
.

site: https://www.instagram.com/p/Bl9Es9nn1RQ/?hl=pt-br&taken-by=literatudo_ig
comentários(0)comente



Raquel.Lima 11/09/2018

Em pedaços - Lauren Layne
Olivia Middleton, uma jovem de 22 anos que leva uma vida de glamour no Uper East Side - um bairro da alta sociedade no condado de Manhattan, é perfeita aos olhos de todos, mas o que muitos não sabem é que ela carrega a culpa por ter cometido um erro no passado. E isso a faz largar a faculdade de Nova York, sua família e amigos para trabalhar no Maine como cuidadora de um ex soldado que se recupera de grandes traumas sofridos na guerra do Afeganistão. Mas para surpresa de Olívia, o Veterano de guerra não era um senhor de idade e sim um jovem de 24 anos de temperamento difícil e disposto a ficar sozinho.
Paul Langdon é um jovem amargurado, sem limites e grosseirão.
Determinado a levar uma vida de reclusão, ele afasta todos que estão ao seu redor. E com Olívia não seria diferente. Mas o que ele não poderia imaginar é que Olívia seria capaz de despertar nele sentimentos conflituosos, já que ele não conseguia se manter distante, mesmo fazendo de tudo para afastá-la.
A atração imediata entre os dois deu certa emoção ao livro. Aquele sentimento avassalador, porém cauteloso me deixou com a expectativa em alta. O desejo e o empenho de Olívia em curar as feridas emocionais de Paul e traze-lo de volta à “vida” foi louvável. Mas admito que odiei algumas atitudes dela com relação ao ex soldado. Achei que ela não se deu o valor e aceitou com facilidade a conduta desprezível que ele teve em alguns momentos. E isso me deixou um pouco incomodada e acabei não tendo um apego emocional com os personagens e com o romance entre eles.
Embora minhas considerações não sejam tão favoráveis, eu indico o livro. Querendo ou não, a história é envolvente e por ser contada sob a perspectiva dos protagonistas, faz com que a narrativa seja fluída e mais detalhada. É um livro bem rapidinho de ler e como a escrita da autora é agradável, quando menos percebemos o livro já terminou.

Para mais resenhas, sigam @destaqueliterario no instagram
comentários(0)comente



Clau 09/09/2018

Então....
A história começou em um ritmo bom, mais senti que as escritora se perdeu em vários momentos, focou demais no drama da mocinha, que para mim nem drama era, mocinho muito imaturo em vários momentos me cansou um pouco.
comentários(0)comente



Ana Luiza 04/09/2018

Em Pedaços é o tipo de livro que deixa o meu cérebro um pouco confuso. Por um lado, a leitura é fácil e rápida, além de divertida. Passei uma boa tarde devorando a obra, entre risos e suspiros. Contudo, quanto mais penso sobre esse livro, mais problemas encontro nele. A narrativa da autora é excelente e, dividida entre os protagonistas, nos dá uma boa ideia de quem eles são e de todos os ângulos da história. Mesmo parada, sem tramas secundárias e sem surpresas, a história de Em Pedaços cativa e entretém. Contudo, mesmo com uma boa química, o casal do livro é problemático e difícil de engolir. A mocinha não tem qualquer personalidade e o herói se comporta de forma machista, rude e injustificável. Em resumo, Em Pedaços é uma leitura agradável, mas problemática. Recomendo o livro para quem busca uma obra fácil e divertida, mas que consiga perceber os defeitos do livro e, mais importante, compreender que o relacionamento retratado não é saudável e que não deve ser aceitável na ficção e muito menos na vida real.

LEIA A RESENHA COMPLETA E VEJA FOTOS DO LIVRO NO BLOG:

site: http://www.mademoisellelovesbooks.com/2018/09/resenha-em-pedacos-lauren-layne.html
comentários(0)comente



Aline Miguel Books 30/08/2018

O amor pode tudo. Principalmente reconectar/conectar vidas.
Terminei de ler EM PEDAÇOS da Lauren Layne...

Conheci a escrita da autora recentemente e curti bastante... Um livro com escrita simples, narrado pelos dois personagens, com uma história fluída. Inspirado no clássico A Bela e a Fera é o primeiro livro da série Recomeços...
Uma leitura rápida e que prende.

Olivia é uma jovem linda, que tem tudo o que quer. Tem as facilidades da vida, tem status, tem o namorado perfeito, os melhores amigos... Olivia perde o foco e com isso perde o que parecia ser o mais certo em sua vida. Olivia resolve que precisa se doar a algo, alguém para conseguir o próprio perdão.

Paul é um jovem lindo, que pode ter tudo o que quer, mas que resolve dar tudo que tem. Paul tem marcas eternas, marcas que transformaram ele por inteiro. Paul precisa se reconectar a vida.

Quando Olivia e Paul se encontram o que eles menos esperavam era se deparar com o que viram. A realidade é totalmente diferente do que imaginavam.

Duas vidas.
Dois dramas.
Duas pessoas que precisam encontrar o perdão.

Seguir em frente não é uma opção. É uma obrigação, mas Olivia e Paul simplesmente não sabem como fazer. Juntos eles acabam descobrindo a vida um do outro e principalmente, suas próprias vidas.

Eu me senti completamente presa dentro da história, consegui entender os medos, os desejos e até mesmo os comportamentos que os dois tiveram. Parecia que tudo que eles viveram antes tinha dois propósitos: Fazer deles pessoas melhores e fazer os dois se conhecerem.

Por muitas vezes eu tinha vontade de dar uma bela bronca neles, dar um soco forte e um grito para fazer eles acordarem pra vida... (como eles me irritavam) Mas ai, eu percebia que tudo era simplesmente porque tinham medo, pela imaturidade, pela falta de experiência ou até mesmo por terem vivido do melhor ao pior da vida.

Um livro cheio de drama, descobertas, amor, sensualidade, desejos, medos e acima de tudo um livro que mostra superação. Uma leitura envolvente.

SE EU INDICO ESSA LEITURA?
Sim.Eu indico.

Paul e Olivia são os extremos, oscilam, mas tudo isso tem motivo e eu simplesmente amei descobrir todas as suas camadas.

O amor pode tudo. Principalmente reconectar/conectar vidas.

#AmoLer # FicaDica #LaurenLayne
comentários(0)comente



48 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2 | 3 | 4