Sunamuh

Sunamuh Herbert Silva Costa




Resenhas - Sunamuh


7 encontrados | exibindo 1 a 7


João Luiz 03/09/2018

Retlaw é um jovem que vive num reino dividido em duas castas, ele pertence a casta inferior, chamados nortenhos. No dia em que ele consegue passar no teste para se tornar soldado, viverá o pior dia de sua vida. Sua família é presa acusada de traição, numa reação desesperada ele fuge com sua irmã, nesta fuga ele descobrirá um mundo totalmente diferente do que imaginava. Recheado de reviravoltas, aventuras e a busca de seu objetivo em salvar sua família. Nos prende do início ao fim, com capítulos curtos e escrita agradável, fazem a leitura ser muito envolvente. Ansioso pela continuação, onde promete trazer várias respostas para nosso jovem herói!
comentários(0)comente



Mars Henrique 25/08/2018

Resenha: Sunamuh - A Fuga (Autor: Herbert Silva)
Logo no início somos apresentados a Retlaw, ele é um jovem nortenho e vive em uma sociedade que e dividida em casta, a que ele pertence e a mais baixa, ou seja, ele, assim como todos os nortenhos, são tratados como seres inferiores. Retlaw e um garoto inteligente, forte, decidido e líder. Ele e o único nortenho que frequenta a classe superior e a academia que prepara os jovens para se tornarem soldados. Certa noite soldados do império invadem a casa de Retlaw ordenando a prisão de toda a família por ordem do rei, a acusação feita foi que eles estariam traindo o rei e seus princípios. Mas não se dando por vencido e vendo a injustiça o garoto consegue fugir com sua irmã mais nova, Haras, e com isso iniciando uma série de aventura e sufoco. Mas será que ele conseguirá salvar seus pais? O que será dele e da irmã daqui pra frente?
A história e bem desenvolvido e com uma linha de raciocínio incrível. Eu adorei cada detalhe descrito. Herbert criou um universo novo com muita injustiça, na qual o personagem principal não estando satisfeito com aquilo tenta reverter a situação. Uma fantasia distópica incrível que eu tive honra de ler ?
.
Escrita: A escrita por autor é super gostosa de se ler e de fácil compreensão. A cada nova página eu queria saber mais e mais da história. Com uma forma fluída e uma escrita sem erros eu, sendo honesto, devorei esse livro
.
Desfecho: Herbert deixa uma brecha para a continuação, já que esse e o primeiro livro. Em muitos momentos do final eu me surpreendi com o que estava sendo narrado, pois foram várias surpresas e reviravoltas impressionantes que me deixaram de boca aberta haha
.
Diagramação: A diagramação do livro e linda e incrível. Fontes, tamanhos e detalhes foram estudados de forma minuciosa, fazendo com que o livro ficasse lindo. A obra também possui algumas imagens que tem ligação com alguma cena da história, e eu achei todas lindas ?
comentários(0)comente



Corredora Literária 19/08/2018

Sunamuh | Blog Corredora Literária
Nesta narrativa em terceira pessoa acompanhamos a vida do jovem Retlaw, soldado, humanista, inconformado com a vida que os nortistas levam.

No reino de Satidipuc há duas zonas que são separadas, a superior onde vivem os sulistas cultuando suas quatro divindades e apoiando o rei e a inferior onde sobrevivem os nortenhos que sofrem uma forte opressão política e religiosa, além disso, eles são marcados a ferro quente (feito gado) com um triângulo no pescoço para serem identificados, mas marcas mais profundas eles recebem com o desprezo da sociedade e de seu rei.

Esta separação das zonas (superior e inferior) é feita por uma ponte e um muro, e isso é apenas o início... Há também separações por castas, traições, toque de recolher, hierarquia e a ganancia pelo poder.

Durante a leitura você encontrará cenas muito fortes de pura tortura, o autor retrata muito bem essa e as demais cenas, seus personagens, suas personalidades e ideais, fazendo qualquer leitor mergulhar de cabeça neste mundo.

Retlaw sendo um soldado do Reino de Sadipuc, tem permissão para ficar na área superior junto aos Sulistas, porém sua família continua na área inferior e algo de muito estranho acontece no dia em que ele se forma.

De repente, Retlaw perde o pouco que tinha, é torturado, se vê envolvido em tráfico de drogas, torna-se um assassino, faz inimigos, (e alguns poucos amigos) descobre segredos obscuros que o reino guarda, eles não estão sozinhos... sua fuga se inicia... Na verdade ele se mete em várias enrascadas e eu fui suando frio a cada página virada.

No reino de Sadipuc todo o material escrito (livro) só pode ser consultado pela nobreza, os nortenhos são alienados e não têm acesso ao que se passa fora dos muros (só sabem que há uma guerra entre reinos acontecendo), eles se quer sabem escrever, os livros são raros, são proibidos a maioria das pessoas, isto me lembrou um pouco o livro Fahrenheit 451 do Ray Bradbury, ótimo por sinal!

Não posso deixar de falar da personagem Adirf, que me chamou a atenção também, uma mulher de personalidade forte, decidida e que deixa qualquer marmanjo tremendo na base! Muito bem construída, ela não necessita de força física para conseguir o que almeja, ela é pura técnica.

Sunamuh - A Fuga é o livro de estreia do autor Herbert e vem recheado de reviravoltas, um livro rápido de ser devorado. O autor deixou várias pontas soltas e quero saber o que me aguarda no próximo volume! Indico a leitura sem dúvida!

Uma curiosidade a ser citada é que a artista que fez a capa do livro é a irmã do autor, ela manda muito bem! Adorei a capa e as ilustrações.

site: https://corredoraliteraria.wordpress.com
comentários(0)comente



Diego.Chronos 18/08/2018

Sunamuh é ótimo.
Gostei demais da história.
Acompanhamos o jovem Retlaw, suas mazelas e dificuldades em sua jornada que começa de modo mais parada sim, mais ótimo para contextualizar o que o cerca e tudo muda numa noite e a partir de uma escolha aí então o ritmo vai ficando mais e mais frenético, eletrizante.
A leitura flui veloz.
Super índico a leitura à todos
comentários(0)comente



Ottaviou - @octaliterario 08/08/2018

Lute por liberdade!
Postado anteriormente no perfil literário @cearabooks.

Um império. Dois reinos. Duas divisões!

O livro em questão traz a premissa de uma sociedade separada por sulistas — os que têm mais importância econômica, política e afins. E os nortenhos, que são pessoas reprimidas e submissas à vontade do rei, não tendo direito a discordar de nada. É aí que entra nosso personagem Retlaw Etihw, o único nortenho ingresso na academia de formação onde todos os outros são os “privilegiados” sulistas.

Após uma possível traição de seu amigo e mestre Silibulov, ao levar seus pais presos, ele resolve fugir com sua irmã mais nova para tentar se salvar. Mas uma verdadeira tempestade se instala sobre sua cabeça, fazendo com que nosso herói passe por muitas enrascadas.

Sunamuh - A Fuga, é uma fantasia nacional bem interessante de ser lida. Os capítulos são curtos e nos levam rapidamente para o final do livro, deixando pontas soltas para uma continuação. Sem falar que o livro traz algumas ilustrações para embalar ainda mais a trama. Enfim, o veredito é que: PRECISO SABER O QUE VAI ACONTECER APÓS ESSA FUGA!


site: https://www.instagram.com/p/BmLaBrMnQm7/?hl=pt-br&taken-by=cearabooks
comentários(0)comente



Desireé (@UpLiterario) 03/06/2018

O fim de uma vida e o começo de uma aventura. (@Upliterario)
Retlaw acabou de passar no teste que irá mudar sua vida, será um soldado do Reino de Satidipue. Nascido como nortenho, casta mais baixa da sociedade, seu novo cargo poderá mudar seu destino e o de sua família.
.
Mas antes mesmo de assumir suas funções, surge uma ordem de prisão para seu pai, e Retlaw, sua mãe e sua irmã mais nova são levados juntos como prisioneiros. Assustado e sem pensar nas consequências, o garoto foge dos soldados com sua irmã, embrenhando-se pelos becos escuros de seu reino. E em uma noite de perdas e perigos, Retlaw consegue escapar para fora dos muros do reino, sozinho e desamparado, e a partir daí sua vida jamais será a mesma.
.
Retlaw descobre mais sobre o seu reino do lado de fora e principalmente sobre a Grande Guerra e os conflitos que o reino enfrenta e promove. Enquanto tenta sobreviver à virada que o destino lhe deu, o garoto só pensa em uma coisa: retornar à Satidipue e retirar sua família da prisão. Custe o que custar.
.
"O mundo só te respeita à medida que você o enfrenta."
.
Uma aventura emocionante, sobre um reino corrupto, autoritário e opressivo e um povo legado à miséria e à discriminação. Só fiquei um pouco incomodada com o modo que Retlaw criou para salvar sua família. O jovem decide acumular riquezas para subornar um guarda e, para isso, ele irá plantar e comercializar uma planta proibida no reino, que ao ser triturada e fumada, causa uma sensação de relaxamento e prazer no indivíduo.... Sem querer levantar nenhuma bandeira aqui sobre legalização ou não das drogas, na minha opinião o protagonista poderia ter optado por outras formas de acumular riquezas ou mesmo outras soluções para buscar justiça e liberdade para sua família. Achei que a solução se tornou só mais uma tentativa de opressão sobre os nortenhos, parcela da sociedade que começa a consumir o produto.
.
Enfim, opiniões à parte, Sunamuh é o primeiro volume de uma história que promete aventura e luta de um povo contra um sistema autoritário e opressor. Boa leitura!

site: www.instagram.com/upliterario
comentários(0)comente



Acervo do Leitor 24/05/2018

Sunamuh – A Fuga de Herbert Silva Costa| Resenha | Acervo do Leitor
Até onde você iria? O que você aguentaria pelo que acredita, por sua fé, por justiça e por quem você ama? Essa é uma história de fugas e resgates. Um jovem sonhador com sua realidade destroçada tendo que correr atrás de um passado apagado para poder vislumbrar um futuro concreto. Um Império, dois reinos, duas castas e um fugitivo que promete mudar essa história.

“A vida consiste em fugir daquilo que somos e daquilo que vivemos (…) É uma fuga incessante de nós mesmos.”

Bem vindo ao Império de Sunamuh e seu conto de dois reinos. Era o melhor dos tempos para os Sulistas de Satidipuc, era o pior dos tempos para os Nortistas de Satidipuc. Era o melhor dos tempos para os Sulistas de Oisulli, era o pior dos tempos para os Nortistas de Oisulli. Dois Reinos divididos em regiões. Dois reinos divididos pela vergonha e opressão. Sulistas nobres, elitistas cheios de orgulho e estupidez explorando Nortistas miseráveis, marcados como gado ao nascer mas por vezes sábios em sua ignorância. Cada reino separando seu povo por uma ponte ou muro da vergonha. Repressores e reprimidos envolvidos em uma guerra sem fim. Época em que poucos almejando a coroa do Império fazem muitos sofrerem em desespero e falta de esperança. Nos voltemos para o Norte de Satidipuc onde uma família está para sentir toda a “cólera” de um sistema inumano. A familia de Retlaw Etihw.

“Para que um governante se mantenha no poder, ele precisa que o povo sinta necessidade dele ali, sinta a necessidade de um governo para tomar o poder para si e fazer com ele o que quiser.”

Retlaw não é um nortenho qualquer. Ele é o primeiro marcado pelo triangulo da vergonha no pescoço a conseguir se tornar um soldado da guarda real. Porem na noite de sua formação não se viu glória, apenas lágrimas. Seu pai foi acusado de traição e conspiração contra o Rei sentenciando toda sua família a prisão. Mas Retlaw não treinou tanto técnicas de combate para conseguir se conter frente a tal calúnia. Reagindo aos captores de sua família ele foge com sua irmã pequena. Uma fuga desesperada e suicida que é apenas o principio das dores de sua vida. A destruição de tudo que acredita acaba elevando sua perspectiva de vida. Em meio ao luto gerado por suas atitudes acaba conhecendo todo um mundo oculto de seu povo. Oculto dos livros pela religião vigente a “Ordem”. Conhecendo rebeldes e ladrões ele acaba se tornando tudo que nunca imaginou em sua jornada por justiça! Retlaw vai lutar, traficar, roubar, matar e velejar em uma louca cruzada contra o rei de Satidipuc, e ninguém conseguirá parar seu coração.
“Sempre que tentamos evitar memórias desagradáveis sobre nossas próprias vidas, incentivamo-nos a pensar ainda mais sobre elas.”

SENTENÇA

Livro de estreia de Herbert S. Costa é um prato cheio de diversão. Não tem como não se envolver com as desaventuras e sofrimento do jovem Retlaw. Um livro curto, com capítulos curtos que entregam uma rajada de ação e reviravoltas até seu final. POREM, talvez refém de sua própria criatividade, ou apenas fruto de uma geração acostumada a consumir trilogias e sagas, essa obra é apenas o primeiro volume da série deste escritor. Uma obra sem final, com várias pontas soltas e com algumas “viradas de trama” arriscadas que não me agradaram muito. Há a necessidade urgente de um segundo livro (pelo menos) para a conclusão da jornada de nosso protagonista. Mas acredito no frescor e gana deste jovem autor (Herbert) para encerrar essa divertida historia o mais rápido possível, pois não creio que seus admiradores terão tanta paciência para esperar, afinal George R.R. Martin “fez escola” mas gerou traumas. Se jornadas, momentaneamente, sem final não forem um problema para você, vá sem medo porque é entretenimento garantido!
Comments

site: http://acervodoleitor.com.br/sunamuh-resenha/
Herbert 25/05/2018minha estante
In acervo we trust! Muito obrigado!




7 encontrados | exibindo 1 a 7