The Everlasting Rose

The Everlasting Rose Dhonielle Clayton




Resenhas - Untitled


1 encontrados | exibindo 1 a 1


Laura Machado 21/07/2019

Mais ou menos no mesmo nível do primeiro
Esta deve ser a série mais difícil de avaliar que já li. A ideia dela, de todo o universo, da magia e das pessoas, é tão única e interessante! Mas nem o primeiro, nem esse segundo conseguiu ser tão bem escrito e desenvolvido quanto a ideia merecia. E, ainda assim, eu gosto dos livros e continuo recomendando.

Tudo é bem consistente aqui com o primeiro, a narrativa é no mesmo nível e até os problemas persistem. Tem partes com mais ação e outras mais paradas, mas me incomodou menos do que tinha incomodado no primeiro. Também tem outra vez cenas importantíssimas, de reviravoltas e momentos determinantes, sendo narradas super rápido, a ponto do efeito delas vir quase amortecido. É difícil absorver a reviravolta quando em três linhas as coisas já avançaram demais.

Mas um problema do primeiro e deste segundo que só percebi agora é a falta de sutileza da autora. Os personagens têm diálogos muito forçados às vezes, personalidades muito caricatas que mal encaixam nas cenas e características clichês mal trabalhadas. Falta sutileza na narrativa toda, desde nos personagens até no enredo. Aliás, o enredo do livro é bem simples e mal desenvolvido. O foco aqui é claramente outro. A autora sabe descrever coisas bonitas e características de seu universo, mas ela faz isso demais, o tempo todo, para coisas que a protagonista-narradora nem deveria conseguir ver (ou então, se vê, o livro tem outro problema de não ter um país sem tamanho definido e lógico), e parece ter esquecido que o resto também é importante.

Aliás, essa questão geográfica é um problema sério, mas que eu sempre decido ignorar. Não tenho a menor ideia do tamanho desse país. De vez em quando, eles cruzam meio mapa em algumas horas, depois cruzam cinco centímetros em dois dias. É bem difícil se localizar, mas eu tentei mesmo não ficar incomodada com isso, porque seria mais uma coisa que não passa firmeza.

O romance aqui continua como um passo em falso. De novo, falta sutileza. Personagens que se conhecem há pouquíssimo tempo e mal demonstram interesse um pelo outro falando que se amam. Detesto isso. Não é preciso dizer que ama alguém para se importar com ele! E forçar esse amor do nada só faz o romance perder credibilidade! Foi um pouco melhor do que no primeiro livro, mas ainda senti que a autora estava tentando evitar colocar o romance como parte importante demais e acabou tratando-o como dispensável, mas com palavras como "Eu te amo" jogadas no meio dele. Não foi nada bom.

Eu achava que era uma duologia, mas descobri já perto do final que teria um terceiro livro. Fez sentido para mim na hora, já que estava nas últimas vinte páginas e não existia jeito possível e lógico para terminar toda a história tão rápido. Imagine minha surpresa quando as próximas páginas realmente trouxeram uma tentativa bastante apressada de finalizar praticamente tudo! Tem ainda alguns buracos para serem explorados no próximo livro, mas são pequenos. Esse foi finalizado correndo, claramente, o que foi bem desnecessário. Ele poderia muito bem ter mais páginas e mais aprofundamento. As coisas poderiam pelo menos ter acabado com menos pressa, sem passar dias e semanas entre capítulos de três páginas.

Juro que teve coisa da qual gostei. A autora fez questão de explorar mais três conjuntos de ilhas do país, o que eu acho mega válido para dar a sensação de que é um lugar real. Cada um deles é diferente e interessante. Também estou bem curiosa para saber como ela vai resolver a questão do vício pela beleza no próximo volume.

Não é um livro ruim, só precisava ter sido mais trabalhado, mais aprofundado e feito com mais calma. Precisava de mais edição. Entendo que a autora teve problemas sérios de saúde na época em que estava escrevendo, já até sabia disso, porque a sigo no Instagram, mas a própria editora deveria ter adiado o lançamento para que desse mais tempo de enriquecer o enredo. Tem muito foco em descrever o mundo e pouco em descrever as cenas.

Agora, vou ler o terceiro por bastante curiosidade, mas não posso dizer que espero uma melhora para ele, como esperava do primeiro para o segundo! Mas ainda recomendo a leitura, porque é uma ideia única demais para ser ignorada!
Krous 22/07/2019minha estante
Adoro suas resenhas!




1 encontrados | exibindo 1 a 1