The Music of What Happens

The Music of What Happens Bill Konigsberg




Resenhas - The Music of What Happens


10 encontrados | exibindo 1 a 10


ANDER CELES 12/12/2021

Uma premissa meio meh com um desenvolvimento bem meh
A premissa dessa história não é grande coisa. Menino se apaixona por outro em uma situação inesperada e bem aleatória. Bem nada demais. E aí temos duas narrativas, a contada pelo Max e a contada pelo Jordan.

O Jordan é um personagem chato. Não quer fazer nada, parece não entender a gravidade da situação e é sempre muito complacente com q mãe, uma total irresponsável. A história do Jordan até seria boa, se os problemas da mãe tivessem sido melhor desenvolvidos. E se fosse mostrado de forma mais enfática o quanto isso atrapalhava o Jordan. Situações bem mais interessantes envolvendo os dois aconteceram nas últimas 20 páginas.

E temos aí outro grande problema do livro: um grande vazio no meio das páginas. A coisa parece não andar. Parece uma encheção de linguiça e da qualidade mais fraca possível. São umas situações tão sem graça, tão comuns...e algumas dessas situações de envolvem as amigas do Jordan, e essas sim são chatas. São desagradáveis muitas vezes.

E temos o Max, de longe a melhor coisa desse livro. O Max tem uma personalidade muito intere. É legal ler a história contada por ele. Fora que o plot dele é muito bom, algo que nunca tinha visto ainda ser explorado em outros livros: o estupro masculino. Uma pena que isso, assim como tantas outras coisas, não recebeu a importância que merecia, enquanto desenvolvimento. Se bem que de tudo, esse até foi desenvolvido. Mas podia mais.

Em suma, o livro tem um plot e um personagem interessante, mas com uma escrita muito enfadonha, sem nada interessante que te prenda a atenção durante muito tempo.
comentários(0)comente



Beto 20/05/2020

Quando pensei que meus dias de YA tinham acabado, pego esse livro e constato o contrário. Sou um grande fã do Bill K. desde "Openly Straight" e este título não deixou a desejar.

No início não curti muito os personagens principais, muito menos os secundários, mas conforme avancei tudo isso mudou. Bill sabe construir bons personagens e boas histórias e o faz com maestria, sempre ao final dos seus livros fico com aquele gostinho de "quero mais" e desejando que o final não chegue mas, enfim, quem sabe ele não nos presenteia com uma sequência assim como o fez em "Honestly Ben".

Esse livro aprofunda em muitos temas além do romance os quais se eu aqui citar tristemente seriam spoilers. Por fim, é uma história singular e deliciosa de ser lida. Recomendado!

"The pain cannot be stronger than a smile."
comentários(0)comente



tcharles 14/05/2021

aí, gostei não
não gostei dos personagens, não gostei da história(que até passou a ser interessante bem no final) acho que o autor quis abordar umas coisas mais profundas e esqueceu que elas são PROFUNDAS
comentários(0)comente



pontes 18/01/2021

SOCORRO QUE LIVRO BOM!!!!!!!! eu to completamente apaixonada pelos personagens e pelas histórias que eles carregam! amei cada pedacinho e é muito fácil a leitura em inglês
comentários(0)comente



Red 03/04/2021

It's gay, and it slaps
Trigger warning
Sexual assault, addiction, trauma
Proceed with caution
This it's not a happy book, think the movie Collateral Beauty not happy vibes, but no one dies.

It's a great book, do recommend, I was just not ready for, well, everything.
comentários(0)comente



heeymia 11/08/2021

Não julgue pela capa
Nem pela sinopse porque também não diz tanto.

Não é um romance de verão leve e talvez mal de pra dizer que é um romance a relação dos dois.

Max e Jordan se conhecem ao acaso e aceitam trabalhar juntos em um foodtruck por causa de uma dívida do Jordan

Jordan realmente é como na sinopse, nada chill e ele tem 0 confiança e 0 auto estima a ponto de ser irritante porque ele ta sempre "você me odeia?" mesmo que eles tenham passado o dia juntos. A voz do narrador também não ajudou porque ele tem uma voz de choro e ao mesmo tempo tem aquela voz estereotipada de gay dramática, o que não seria um problema mas o narrador usa essa mesma voz pra todos os personagens então até os heteros soam assim.
As amigas dele também são bem chatas, chegam até a ser tóxicas por não terem limites e não darem privacidade pro Jordan e ele mesmo diz que tem problemas com isso mas você percebe que ele é tão sozinho que sente que precisa ser amigo delas.
Eu poderia escrever um discurso só reclamando das partes do Jordan mas vou parar aqui

O único motivo pra eu ter continuado é que a história do foodtruck era bem interessante mesmo. Mas o autor quis colocar problemas de pobreza, racismo, abuso sexual, machismo, homofobia e doença mental tudo de uma vez só e acabou ficando carregado demais sem a atenção necessária pra cada situação

Mas quem quiser tentar, tem o audiolivro em inglês no Spotify
comentários(0)comente



José Vitor - @paginas_literarias 25/09/2021

2,5 estrelas. (Nota inédita, pois nunca dei essa nota pra nenhum livro, sempre tive dó, mas agora fui realista)

Estou muito decepcionado com essa leitura. Tudo bem que eu não sabia quase nada sobre o que falava, mas, nossa.... que desorganização.

O livro basicamente fala de um adolescente (Jordan) que, após a morte do pai, a mãe começa a ter vários problemas e um deles é apostar, ela perde tanto dinheiro que eles ficam quase sem nada para pagar a hipoteca da casa (algo assim). Até que eles decidem voltar com o foodtruck que o patriarca da família tinha. O problema é que eles não fazem ideia do que estão fazendo, já que o pai fazia tudo lá. Então Jordan conhece Max, no primeiro dia com o foodtruck funcionando. Após perceber que eles estão tendo dificuldade em comandar, Max se oferece para trabalhar para eles e ajudar. Após isso a história se desenrola e foi só ladeira a baixo.

O conceito do foodtruck eu gostei, é algo inédito em livros para mim. Foi legal ver todo o processo de fazer as comidas lá, as coisas que eles fizeram para 'enganar' os clientes e um deles descobrindo, toda a parte burocrática de ter um foodtruck e tals, mas fica só por isso.

A escrita do autor não funcionou para mim, achei muito ruim. Ele tenta abordar muitas problemáticas, mas não se aprofunda na maioria delas. Os personagens são chatos e mal desenvolvidos. Tem homofobia, sexismo e alguns preconceitos beeeem desnecessários.

O que mais me incomodou das problemáticas, foi quando o autor começou a falar sobre estupro. (Inclusive, cuidado com gatilhos se for ler)
Quando ele inseriu isso na história, só levou dois capítulos para meio que "resolver" o assunto. Felizmente ele retorna a abordar isso mais para frente e trabalha de uma forma melhor todo sobre o que aconteceu. Mas mesmo assim, é um tema delicado e que precisa de mais desenvolvimento e aprofundamento no sentimento dos personagens sobre isso, não é só uma conversa e vamos procurar ajuda e "ta tudo bem", isso é um trauma sério, deveria ser abordado mais vezes o sentimento do personagem.

Os personagens, como falei, muito mal executados. Os únicos que são legais são Max e a mãe dele, de resto... podre. Jordan é muito dramaqueen, tudo ele sofre e acha que todos odeiam ele e só estão perto dele por dó..... meu deus. As amigas do Jordan eu até agora quero entender qual foi o sentido delas ali, personagens chatas e irritantes, que não se importam com os sentimentos do próprio amigo e fazem o que quiser, mesmo ele falando não e demonstrando que está desconfortável com isso. Um exemplo, quando as amigas queria vestir e colocar acessórios no cachorro do Jordan, ele disse que não era pra fazer isso e mesmo assim elas fizeram, Jordan ficou irritado MAS NÃO FEZ NADA PARA PARAR. Os amigos do Max são escrotos, mas isso é da personalidade hetera deles.KKKKKK

No geral, a única coisa que salva aqui é a capa do livro, Max e a mãe dele, abordar sobre estupro (com ressalvas) e o assunto sobre foodtruck, de resto.... puffff.
Por esse livro ter uma avaliação muito boa em Goodreads e Skoob, vou recomendar, talvez funcione pra você, mas pra mim não foi nada legal.
comentários(0)comente



Aninha | Estante de Instantes Blog 11/07/2021

Não se engane pela capa fofa
Eu achei que ia ler um romance YA fofo (algumas partes eram mesmo) mas a história fica pesada algumas vezes.
Os personagens lidam com luto, abandono parental, vícios da mãe, estupro... Não tem temas leves e, por eles serem tão jovens, é ainda mais difícil de ler.
A mãe do Jordan deu muita pena, mas que raiva dela por fazer o filho passar por ainda mais problemas. A mãe do Max é tudo e merece o mundo!
comentários(0)comente



Kátya 26/07/2020

Okay, como começar a falar desse livro?

Não era o que eu esperava, jurava que ia ser só um romancezinho e é isso, pronto, acabou. Mas não, ele aborda alguns assuntos pesados e que talvez seja gatilho para alguém. Logo no começo eu imaginei o que tinha acontecido e tava me preparando para ver como ia ser lidado e eu gostei, apesar de tudo, o jeito que os personagens lidaram com a situação vai de acordo com as personalidades deles e isso foi um bom ponto pro livro.

Um problema que eu tive foi com as amizades, principalmente a do Jordan com a Kayla e a Pam, que no começo não me agradaram nada, mas que felizmente foram mudando conforme os personagens eram desenvolvidos. Sobre o Jordan e o Max, adorei eles, adorei a amizade, o romance e como eles se ajudaram.

Ao todo é um bom livro com um bom desenvolvimento.
comentários(0)comente



cresstaris 17/01/2022

The Music of What Happens
tiveram pontos bons, (foodtruck, personalidade do max, os problemas abordados) mas em geral não foi um livro bom. achei que as problemáticas foram explicadas muito superficialmente, o jordan era o maior pick-me-boy e me irritei bastante com ele, apesar de ele ter seu crescimento, as amigas dele e os amigos do max eram chatos e realmente faltou algo pra eu me encantar sabe, fiquei o tempo todo esperando alguma coisa acontecer pra eu me encantar pelo livro mas não aconteceu :/
comentários(0)comente



10 encontrados | exibindo 1 a 10


Utilizamos cookies e tecnologia para aprimorar sua experiência de navegação de acordo com a Política de Privacidade. ACEITAR