The Priory of the Orange Tree

The Priory of the Orange Tree Samantha Shannon




Resenhas - The Priory of the Orange Tree


32 encontrados | exibindo 1 a 16
1 | 2 | 3


Lauraa Machado 26/02/2020

Define o gênero 'fantasia épica'
Um livro de fantasia do tamanho de The Priory of the Orange Tree promete muita coisa. Antes de mais nada, ele promete ser épico. Pela citação da capa, dizem que merece ser tão famoso quanto Game of Thrones e, ainda que a comparação seja exagerada pela editora (o que não consigo confirmar, já que nunca li GoT), só de existir, ela já me fez esperar uma fantasia medieval, com jogos políticos e batalhas emocionantes.

É difícil dizer se Priory entrega tudo que promete. Na minha opinião, entrega bem mais. Logo no começo do livro, já dá para ver que o mundo que a autora criou para ele é complexo demais para não ser surpreendente. Os personagens narradores são bastante diferentes e estão passando por situações tão diversas, que não tem muito como esperar nada. Fiquei tão imersa na história, que já não tinha expectativas, nem tinha como comparar o que estava lendo com o que esperava antes. Desde o começo também, a autora leva a história em rumos nada previsíveis, o que me ajudou a parar de tentar adivinhar o que ia acontecer.

O enredo é realmente único, na minha opinião. O mundo dessa história tem um propósito para existir. Ele é cheio de peças diferentes, se movendo ao seu tempo; personagens diferentes, tendo atitudes que vão influenciar outros, em cantos opostos do mundo; é tanta coisa! Levei um pouco de tempo para acompanhar tudo direitinho e terminei o livro com vontade de reler só para poder absorver todos os detalhes e indiretas do começo que não tinha como eu perceber antes. A primeira metade do livro é menos movimentada do que a segunda, mas nunca chega a ser parada. Tem sempre alguma coisa acontecendo na história, e a autora não perde tempo com cenas inúteis. Isso é bem raro com livros tão grandes!

Talvez ele pudesse ser um pouco mais curto, para falar a verdade, mas não acho que oitocentas páginas intimidem tanto assim. Foi ruim para mim, porque o meu exemplar era pesado e mais frágil do que precisava ser, então tive que fazer certos malabarismos para conseguir ler sem danificar a lombada, mas valeu a pena. Quando eu pegava o livro para ler, nunca queria largar.

Eu amo dragões, então confesso que essa foi a primeira razão para eu querer ler o livro. Fiquei só um pouco triste pelos dragões do Oeste serem vilões! Para mim, dragões têm que ser sempre amados e idolatrados, como os do Leste! Mas amei ver as duas espécies diferentes, além dos dois jeitos que eles poderiam ser vistos por culturas diferentes.

E acho que essa é uma das coisas mais excelentes que o livro tem, a diversidade de culturas, crenças e personagens. É um mundo bem medieval mesmo, então fez muito sentido toda a distância entre os países, o pouco que um sabia sobre os outros que não eram aliados ou próximos. Gostei muito de ver as religiões diferentes, como a de Inys foi criada principalmente, mas também sobre o priorado e as suas crenças! É tudo tão crível, tão plausível e real nesse livro, desde que tipo de coisa as pessoas acreditam e como isso se desenvolveu durante mil anos, que não tem como não se sentir parte da história!

Dos quatro personagens narradores, Ead foi de longe minha favorita, mas teve partes da história em que eu estava bem mais interessada no que estava acontecendo com os outros! Tem tanta cena diferente, em navio, voando com dragão, fugindo da corte, lutando contra inimigos e antigos aliados, traição à coroa, na sala de trono, no meio de um castelo que mais parecia um pesadelo, entre tantas outras! Isso sempre me anima! Também adorei poder ver pelo menos um pouco de cada país (faltou um, mas nem fez falta!) desse mundo. É esse tipo de coisa que deixa a história mais real.

Não sei dizer bem o que mais gostei em Ead. Talvez seja ela ser decidida e tomar atitudes em vez de ficar se questionando. Ela acredita em seu instinto, e eu adoro isso. O romance dela também é muito bem feito, devagar e realista, sem nunca tomar o foco da história, mas ainda importante. Ele é, afinal, um detalhe, nem chega perto de dar à história a chance de ser classificada como romance.

Uma das minhas partes favoritas do livro foi ver tantas personagens mulheres diferentes em todos os sentidos. Física, emocional, religiosa, cultural e intelectualmente. É isso que significa 'fantasia feminista', um livro em que as mulheres são pessoas reais e diversas. E isso é tão raro, principalmente com personagens tão complexas e que se desenvolvem durante a trama, que o livro valeria quatro estrelas só por isso.

Mas essa complexidade está em tudo de Priory e sua história é o verdadeiro significado de trama, pois é tudo conectado, ainda quando não fica claro desde o começo. São mesmo várias peças se movendo ao mesmo tempo, todas se encaminhando para o clímax do livro, e eu ficava cada vez mais impressionada pelo controle da autora em amarrar tudo e dar tanto, mas tanto detalhe significativo em todas suas cenas. Estou realmente impressionada!

É claro que recomendo o livro! Eu quero mais! Espero que a autora escreva outro livro nesse universo, mas ao mesmo tempo espero que Priory seja único! Ainda bem que eu não me deixei intimidar por algo tão besta quanto a quantidade de páginas, principalmente que agora eu queria que tivesse ainda mais! Definitivamente um dos favoritos, porque me marcou de um jeito especial também!
Aline 26/02/2020minha estante
Agora fiquei com mais vontade ainda de fazer essa leitura!


Amanda @atracaliteraria 27/02/2020minha estante
Eu estou apaixonada por essa resenha tanto quanto sou apaixonada por esse livro. É incrível como você conseguiu transmitir tão bem tudo o que eu senti durante a leitura.
Torcendo para alguma editora lançar ele aqui e mais leitores poderem apreciar essa história.


Lia 20/06/2021minha estante
Qual foi a sua edição? Fiquei sabendo que a de capa dura é mto pesado e ruim de ler mas n sei qual comprar


Lauraa Machado 20/06/2021minha estante
A minha era de capa comum internacional. É bem maior que a capa comum americana, que é a que está vendendo hoje em dia! Deve ser bem mais leve agora


Amanda 27/06/2021minha estante
Oii, você sabe dizer qual é o nível do inglês dele? :)


Lauraa Machado 27/06/2021minha estante
É avançado! Só recomendo se você já estiver acostumada a ler livros de fantasia em inglês e mesmo assim vai ter palavras para pesquisar no meio da leitura! Poucas, mas vai




bia 06/07/2021

the priory of the orange tree
ALTA FANTASIA ÉPICA SIM!!!!!! Que livro incrível! A autora foi apenas genial com tudo que criou e inseriu na história. Em um época medieval, com vários reinos distantes e variação de um mesma religião interpretada por povos diferentes, ela entregou absolutamente tudo.

Tem tanta cultura diferente, riqueza de personagens e mitologia que a gente acha que vai se perder ou não conseguir acompanhar mas tudo vai se ligando de uma maneira espetacular ao longo das quase 900 páginas, e a cada peça do quebra cabeça que se encaixa a gente fica de queixo caído.

Gostei muito de todos os personagens, todos foram bem construídos e desenvolvidos de acordo com o que se esperava. Mas: EAD SABRAN e TANE são apenas tudo. O conceito dessa fantasia ter um foco nas mulheres fez toda a diferença. A gente tem uma rainha, uma maga e uma montadora de dragão... resumindo: obra de arte.
comentários(0)comente



Desi Gusson 06/02/2021

Nada É Pequeno Aqui
Sim, eu comecei esse livro em 2019. Sim ,eu terminei ele agora só. É um outro nivel de enrolação.
Me dá vergonha olhar pra o diário de leitura dele no Skoob, porque eu ficava meses em hiato, depois voltava com a cara mais lavada do mundo, como se Ead e Tané não estivessem se virando do avesso pra salvar a humanidade e eu ignorando esses esforços.
Pra ter uma idéia eu reli TODOS os livros da Sarah J Maas nesse meio tempo. Um desfrute só.
Ah, e quando voltava pra ler, ainda tinha que puxar bem na memória tudo que já tinha acontecido, porque o negócio ali é meio George R R Martin, tem bem uns 2 trilhões de personagens e o dobro de acontecimentos. Digamos que a Shannon não perde tempo descrevendo a grama crescer (alô, Tolkien)
Claro que em alguns momentos ficou meio chato mesmo, sem ritmo, mas assumo que a culpa pelo não aproveitamento, do que só posso descrever como um livro muito bem feito, é totalmente minha (e da Athena)(e da pandemia).
The Priory of the Orange Tree é uma fantasia ambientada num mundo fictício, mas construída com ossos bem medievais e uma mensagem sutil, mas poderosa: não importa de onde você é e qual o nome da sua fé, o Mal verdadeiro é um só e precisa do coletivo para ser posto pra dormir.
Xenofobia, intolerância religiosa e fanatismo são velhos conhecidos nossos, e fazem muito da estória aqui. Porque não basta você ter um exército de dragões maléficos cuspidores de fogo pra derrotar, tem o povinho das políticas e aqueles que estão em busca de vingança por erros num passado muito distante causando todo tipo de retrocesso. Prioridades que fala, né?
São quatro pontos de vista que se alternam para dar conta dos acontecimentos nos 4 cantos desse mundo, ainda que seja claro que nossas mocinhas são Ead e Tané (mais Ead que Tané, mas sou grande simpatizante da cavaleira de dragão) e talvez tenha sido justamente essa alternância excessiva de pontos de vista que deixaram chatas muitas partes do livro, prejudicando o ritmo.  Juro que tinha horas que me dava um desespero ler, ler,  ler e não ter avançado nada na narrativa.
Mas, fora isso,  Priory of the Orange Tree tem uma coisa que muitos tentam e poucos conseguem: romance na medida certa.
É uma fantasia épica meu povo, ela foca na epiquicidade (que?) fantástica, se fosse pra focar no romance era Sarah J Maas! Ead e Sabram, a jovem rainha mais humanamente detalhada do meio literário, se cozinham em banho maria até o ponto que eu queria gritar com elas, mas nem todas as panelas encontram suas tampas e isso me deu certo alívio,  porque as vezes parece uma regra: escreva um número par de personagens porque no final todo mundo tem que tá namorando. *eyeroll*

Então me debati com esse livro, amei, odiei, desprezei, exaltei e depois,  quando finalmente acabei, queria de volta a sensação de ter estado em outro reino e vivido outras vidas que só uma boa fantasia traz.

PS; Se vocês toparem a gente faz que 2020 não existiu pras metas literárias, blz?
xayane.silvarebousa 14/02/2021minha estante
Esse livro é unicom


xayane.silvarebousa 14/02/2021minha estante
?


Desi Gusson 14/02/2021minha estante
Oi, é sim


Line 17/02/2021minha estante
saudades das suas resenhas, amiga!




Sakurazuka 15/09/2021

Um universo fantástico
Estou apaixonado por esse mundo, todo esse universo que ela criou é de tirar o fôlego, o livro é um acontecimento atrás do outro e não se perde em nada. Eu quero ler mais sobre esse mundo, mas lá Samantha, pode escrever mais e continuar a história desse mundo.
Ela sabe fazer uma reviravoltas que nada é o que os personagens acreditam e bem o que a gente acredita. E que batalha final foi essa, fiquei sem fôlego. Só tenho palmas pra você.
comentários(0)comente



lightweaver 08/12/2020

O Priorado da Árvore de Laranja?🤔🤔
Tenho alguns pros and cons com essa história mas aparentemente a Shannon esta trabalhando em mais livros "Priory Related", se esses vão ser de acontecimentos futuros ou passados, who knows. Esse livro poderia ter sido bem melhor se a Shannon tivesse aproveitado mais os dragões e as ameaças mas é uma fantasia sólida e é de fato um mundo muito bem feito e com bons personagens também.
comentários(0)comente



Karoline 05/07/2021

"The Priory of the Orange Tree" teve tudo o que eu esperava do gênero do maravilhoso e mais um pouco:

— Um vasto mundo, muito bem construído, cheio de lendas, história e sistemas políticos e sociais tão bem situados, que me fizeram acreditar que ele realmente existia (ou seja, escapismo na sua melhor forma).
— A construção das personagens é igualmente bem desenvolvida, o que considero demais, uma vez que é muito difícil eu encontrar uma história de fantasia na qual tanto o universo criado quanto suas personagens são bem trabalhadas.
— As personagens femininas foram, todas, sem exceção, uma inspiração. São fortes, independentes, sábias, que lutam pelo o que acreditam, leais, complexas, e um exemplo de que podem sim serem as protagonistas de uma narrativa épica como esta (queria muito ter lido algo parecido quando era mais nova).
— Os homens são igualmente múltiplos em suas personalidades, o que só aumenta a verossimilhança dessas pessoas (sim, eu falei pessoas sim, pois ai de quem me falar que o Loth só existe na ficção haha).
— O amor está presente em todas as formas nesta história, o que é lindo e só mais um lembrete de que a representatividade é mais do que necessária, ela precisa ser a regra.
— Um dos poucos exemplos no qual a relação entre homem e mulher não é tratada romanticamente (exalei forte mesmo).
— E por fim, mas não menos importante, tem muitos dragões, magia, alquimia, ciência, línguas diversas, mapas, e piratas (!!!).

O livro tem 804 páginas, mas juro que terminei e sabia que se tivesse mais 800 eu devoraria num piscar de olhos.
Dani 09/07/2021minha estante
Mds que resenha intensa! Você leu em inglês mesmo?


Karoline 09/07/2021minha estante
Sim, sim! Infelizmente ainda não foi publicado por aqui. :(




Lariê 03/06/2021

Não desista no começo! Vale a pena prosseguir.
MEU DEUS, como assim eu acabei? esse livro é GENIAL, a autora simplesmente vai trançando o destino das personagens. eu ficava super curiosa para saber como ela iria juntar todos e fazer daquelas histórias tão diferentes, se tornarem uma só, e ela foi incisiva ao fazer isso. o começo foi MUITO lento, mas tudo bem, sem problemas, porque sem ele o livro não seria perfeito. estou apaixonada por esse livro.
comentários(0)comente



11/08/2021

QUE LIVRO GENIAL!!!!! Caras, o mundo de Priory é extremamente bem desenvolvido. Vi um pessoal reclamando que é enrolado, que poderia ter sido escrito com menos páginas e etc, MAS NÃO. A história se desenvolve com maestria e com a calma necessária para introduzir a complexidade dos acontecimentos e dos personagens, de modo que você tenha tempo suficiente para criar afeto pelos mesmos (por todos eles!) e consiga entender tudo que tá acontecendo. No início quaaaaase desisti, mas não por ser ruim, mas sim porque era coisa demais (muuuuito detalhe), mas entendo que em um livro de fantasia épica com 1 só volume necessite dessa introdução mais demorada e detalhada. O final é incrível, sem brincadeira alguma, não faltou NADA. O livro entregou tudo que prometeu, não deixou nenhuma brecha, nenhuma ponta solta, nadinha. Adorei os capítulos finais situando os personagens individualmente. LERIA DE NOVO COM CERTEZA. Vale 100% o hype.
comentários(0)comente



Dani 16/06/2020

2,5 ou 3? Não consigo decidir...
Não posso dizer q tenha gostado da leitura, mas também não é um livro ruim. A autora construiu um universo grandioso e uma história de caráter épico, mas infelizmente foi incrivelmente tedioso de presenciar. Não consegui me apegar à nenhum dos personagens, mesmo tendo passado 800 páginas com alguns deles. As mortes que ocorreram, embora importantes para a história, pouco significou para mim. Poderia ter facilmente abandonado a leitura se não tivesse me forçado à concluir, pois em nenhum momento tive aquela conexão com a história ou curiosidade pelo que iria acontecer .
Achei que melhorou um pouco final, embora a autora tenha ido no sentido oposto e acelerado demais ( vai entender...) .
No fim, achei uma leitura OK. Não me arrependo do tempo investido, mas não é uma leitura que eu recomendaria. Simplesmente não vale as mais de 800 páginas : (
comentários(0)comente



Teca 01/04/2021

Eu vi a capa desse livro e já botei na minha lista, li o primeiro capitulo e já fiquei presa, às histórias as lendas as criaturas tudo no livro é bem detalhado. Esse livro começa devagar e continua devagar eu pensava que na batalha final ia ter mais ação mas durou muito pouco e foi muito ?fácil? e no pós batalha eu queria ter visto mais da vida dos personagens para saber como eles ficaram mas acabou de uma forma tão súbita, e eu queria ter visto mais dos dragões ? mas mesmo assim o livro vale a pena ler a história e muito bem escrita e envolvente?
comentários(0)comente



Juliana @julianaaf 28/07/2021

Vou sentir falta desse mundo tão completo e sensacional! O livro te promete e entrega tudo, apesar de um começo difícil, vale a pena seguir até o fim.

Tudo se encaixa e você gostaria de continuar lendo mais e mais, a história tem ação, drama, romance e também diálogo sobre crenças.

Ead com certeza foi minha personagem preferida, mas a construção dos outros personagens também foi sensacional.

Uma boa pedida pra quem quer uma boa fantasia.
Gabys 28/07/2021minha estante
Como eu queria ter ânimo pra ler Inglês




Nath 27/05/2021

A perfeita mistura de GOT e LOTR escrita por uma mulher
Pode parecer intimidador no começo, com suas quase 900 páginas, mas esse livro vale a pena o esforço.
A história é separada por 6 partes, ficando mais fácil de encará-la como uma saga. Vem com mapas, descrições de personagens e linda do tempo também. Dica de leitura: coloque post-its de forma visível para separar cada parte.
A autora consegue criar um mundo complexo, com diversas religiões, reinos, formas de governo, segredos e culturas diversas.
A representatividade presente nesse livro comprova que é possível, sim, introduzir em um livro de fantasia épica personagens com diversividade étnica e LGBTQIA+ e que fazem nos apaixonarmos por suas histórias. Além de contar com uma forte presença feminina em posições de poder, saindo da narrativa de "donzelas que precisam ser salvas", esse livro demonstra como mulheres também tem um enorme senso político de estratégia.
As primeiras 200 páginas já possuem muita ação, mas de uma forma a nos apresentar à esse universo. Após essa primeira parte, fiquei tão envolvida nesse mundo que tive que me segurar para não terminar. A partir da metade do livro, é impossível se segurar.
Infelizmente, esse livro não terá continuação. Ele fecha a saga que se propõe a contar. Porém, com um universo tão rico, após a leitura ainda fica a vontade de saber mais sobre o que acontece depois.
Sou apaixonada pela história de cada um dos personagens, até mesmo daqueles que são moralmente ambíguos.
É a perfeita mistura entre Game Of Thrones e Senhor dos Anéis que foi escrita por uma mulher. Épico!
Se tornou um dos meus livros favoritos! Desejo um dia poder ver sendo adaptado como série e ver pessoas dando vida à Ead, Sabran, Tané, Loth e Niclays.
comentários(0)comente



Vivianni Cordeiro 16/06/2020

Eu pensava que odiava fantasia
Quando você tenta ler o Tolkien e detesta os livros dele não desista de todos os livros de fantasia , procure um autor melhor do gênero. Eu recomendo tentar este livro.
comentários(0)comente



Lucas 20/08/2020

Perfeição que fala?
Que livro PERFEITO, tem de TUDO, um mundo muito bem construído, Samantha Shannon não se conteve, ela escreveu sobre 3 religiões que acabam por terem múltiplas semelhanças e mesmo assim são extremamente complexas entre si, um passado de mais de mil anos que será de extrema importância para o tempo em qual estamos no livro, diversas regiões e cada uma com seus costumes. Os personagens extremamente complexos e incríveis, cada um merecendo seu desenvolvimento ao longo da história que, apesar de ter quase 900 páginas, em nenhum momento fica chato de ler. Tané e Ead já entraram na minha lista de personagens favoritas, e até mesmo Niclays e Loth, que no começo você não dá nada pra ambos os personagens, conseguiram ter seu momento de brilhar e se tornarem figuras incríveis. Além de tudo isso a representatividade nesse livro é incrível, tem personagens de diversas etnias, sexualidades e as personagens femininas são incríveis, eu AMEI o tanto de mulheres que são poderosas.
comentários(0)comente



lau 25/05/2021

um dos melhores que já li
admito que comprei pela capa kkkkk, mas não me arrependo nem um pouco, uma história maravilhosa e cheia de reviravoltas, vale cada centavo que paguei.
comentários(0)comente



32 encontrados | exibindo 1 a 16
1 | 2 | 3


Utilizamos cookies e tecnologia para aprimorar sua experiência de navegação de acordo com a Política de Privacidade. ACEITAR