O que Alice esqueceu

O que Alice esqueceu Liane Moriarty




Resenhas - O que Alice esqueceu?


295 encontrados | exibindo 16 a 31
2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7 | 8 |


Pandinha 28/03/2021

Incrível
Livro maravilhoso, acho incrível como a autora consegue criar um ambiente em que a gente se sente parte do personagem. Não consegui parar de ler, queria saber o que ia acontecer, oq ela esqueceu...
O final então não me decepcionou, foi ao contrário me surpreendeu como foi perfeito.
rrleme 01/04/2021minha estante
Perfeito *-*




Séfora 01/04/2021

Curou minha ressaca literária
Eu estou bem mexida com esse final do livro.

Escrevendo agora, enquanto ainda tô chorando, para não esquecer (tipo a Alice) o que tô sentindo.

O livro é muito instigante, porque você quer descobrir as coisas que a Alice esqueceu. Você deduz várias delas, mas só vai realmente saber ao decorrer dos capítulos.

E desde o começo o livro é interessante.

Confesso que no final, quando o último capítulo acabou, fiquei super decepcionada. Achava que a Alice tinha feito uma escolha mais fácil. Todos os começos são mágicos, encantadores. O difícil é vencer os desafios, recomeçar, tentar de novo.

Aí veio o epílogo e ele me salvou. O jeito que as coisas se encaixaram, a explicação para aquele final... foi tudo pra mim. Eu amei. Meu coração ficou quentinho.

Esse livro me salvou de uma ressaca literária braba. Amei.
comentários(0)comente



Franciele.Alves 11/10/2020

Em que ano estamos
Que loucura seria vc acordar e descobrir que sua memória simplesmente apagou dez anos da sua vida, família, filhos, amores e convivência com todos mudou.
comentários(0)comente



Helder 02/09/2020

Quem era você há 10 anos?
O Que Alice Esqueceu de Liane Moriarty foi uma grande surpresa para mim.
As vezes certos livros nos tocam de uma maneira que não imaginamos que seja possível, e foi isso o que aconteceu com este título menos conhecido da autora de Pequenas Grandes Mentiras.
O que Alice Esqueceu conta a estória de Alice, que acorda na academia em 2008 após cair da esteira e bater a cabeça. Porém ao acordar ela acredita que estão em 1998.
Na verdade, nem é só uma questão de acreditar. Ela simplesmente só possui lembranças até 1998.
Nas suas lembranças ela está apaixonada por seu marido. Casaram-se há pouco tempo, estão reformando uma casa cheios de ideias e estão grávidos do primeiro neném, que ela sente ser uma menina.
Porem ao acordar em 2008 fica claro que Alice não é mais aquela mesma pessoa e que nestes 10 anos muita coisa mudou.
Aos poucos a autora vai nos mostrando que hoje Alice tem três filhos, é uma dona de casa eficaz, que vive em função da casa e dos filhos, levando-os para escolas, cursos, ajudando a fazer lições, participando e organizando atividades com as mães das crianças, faz academia, tem um personal trainer e o principal: Está em um processo de divórcio litigioso com seu marido.
O livro mostra para nós o quanto mudamos com o tempo sem que percebamos o que está acontecendo.
Alice foi corroída pelo tempo e perdeu sua essência. E ler isso me fez pensar:
Quão diferente sou hoje do meu eu de 10 anos atrás? Sigo agindo me baseando nos princípios que sempre acreditei ou estes princípios foram sendo moldados pelo mundo ao meu redor durante este tempo todo e hoje aceito e faço coisas que achava impossíveis ou até ridículas anos atrás?
Quantos “eu nunca farei isso” eu disse no passado, e sem perceber acabei fazendo e tornando aquilo normal para minha vida?
Você já parou para se perguntar isso?
Alice precisa “re-conhecer” tudo o que aconteceu com ela nestes 10 anos, e é difícil para ela com sua cabeça de 10 anos atrás acreditar que tenha se tornado esta pessoa de hoje.
É como se ela fosse outra pessoa, e na verdade, é como se Alice não existisse.
E para ela, o mais difícil é entender qual a razão de estar se divorciando de Nick, seu marido, pois eles sempre disseram que seriam eternos, e o amor que ela sente por ele agora é o mesmo de 10 anos atrás, porém é explicito que ele não a suporta.
A escrita de Liane Moriarty é maravilhosa, pois consegue transformar um drama em quase um livro de suspense, pois passamos grande parte do livro tensos, pois vamos descobrindo com Alice o que ela esqueceu, e essa experiencia não deixa de ser tensa.
Você já se imaginou acordando um dia e não se lembrando mais de seus três filhos?
Em paralelo a isso, a autora ainda traz uma outra estória cheia de reflexões.

Enquanto Alice teve 3 filhos e se tornou uma mãe perfeita perfeccionista profissional, sua irmã nunca conseguiu engravidar, e segue ainda hoje tentando fazer uma fertilização In Vitro.
É triste demais ver o que uma batalha como esta pode fazer com uma mulher e inclusive com um casal.
A busca por um filho tornou-se uma obsessão e não mais uma dádiva, e isso destruiu sua irmã Elizabeth e impactou inclusive a relação de amizade que havia entre as irmãs.
Mas será que esta perda de memória não é a chance que Alice precisava para voltar a ser quem era e ter uma vida melhor?
E você, gostaria de apagar os últimos 10 anos de sua vida e reescrevê-los ou se orgulha 100 % de tudo realizado.
Vale a pena parar para pensar, ou melhor seguir em frente, sem grandes certezas , mas também sem magoas?
Alice me fez pensar sobre tudo isso, e parabéns a Liane Moriarty que novamente conseguiu criar uma estória muito interessante.
O livro com certeza vai funcionar melhor com o publico feminino, mas recomendo a leitura para ambos os sexos, pois acho a mensagem do livro extremamente importante.
Achamos que vivemos. Mas talvez só estejamos sobrevivendo.
Que tal dar uma parada e reajustar seus parâmetros para ver se nada se perdeu no caminho?
Deixe Alice te ajudar!
comentários(0)comente



Ana 20/10/2020

Um livro gostoso de ler, flui bem, é rápido e bem fácil de se apegar pela Alice. É uma historia divertida, tocante e emocionante, mas que também trás questões mais pesadas. Gostei bastante.
comentários(0)comente



Joici 19/06/2020

Esqueci kkkk ( pode ter spoiler)
bizziquei com o pé atras no momento em q as meninas do grupo de leitura coletiva disse q seria esse livro.
Nao sei porque!!! Nunca havia lido nada da Liane. E foi uma grande surpresa. Um livro de romance com muitos ensinamentos para absorver. O principal pra mim foi. Lembrar das coisas boas. Pq temos o habito d lembrar so o q nos machuca. E q casamento passam por problemas. A historia muito envolvente. Alice sem memoria sem saber q tem 3 filhos e esta se separando do marido. Elizabeth q passa por interminaveis procedimentos para engravidar. E todo o sofrimento q faz a gnt ficar amargurado ao longo dos anos. Vivemos sempre muito ocupados mandando brigando e lutando e nao observamos a pessoas q nos amam sempre ao nosso lado suportando nossas manias e bizzarices.

Esse foi uma otima surpresa
comentários(0)comente



Giuliana Sperandio 01/12/2014

Terminei o livro com sorriso no rosto...
Esse é um livro que poderia ter sido um drama, mas não foi. Foi uma grande lição, se a vida te desse uma segunda chance de ser uma pessoa renovada e sem mágoas e para isso você tivesse que perder dez anos de suas memórias seria uma benção ou uma maldição? Bem Alice perdeu a memória, mas quem diria que uma perda traria tantos benefícios em sua vida.
Não posso dizer mais na da além disso sem soltar algum spoiler, só posso dizer que foi um dos livros que mais me identifiquei com a personagem principal nos últimos tempos. Ás vezes eu também gostaria de resgatar uma outra parte de mim que se perdeu em meio as amarguras e problemas dos anos.
Recomendo!!!! Maravilhoso!!!
Márcia Naur 29/01/2017minha estante
Amei sua resenha amiga!




Bianca.Coutinho 10/10/2020

Conversa com o leitor sem que se perceba.
Com uma história contada por três mulheres da mesma família, Alice, em 3ª pessoa, Elisabeth, sua irmã, por escritos a um psiquiatra e Frannie, a "avó", que se comunica por um blog. Elas tiveram experiências totalmente diferentes na vida, confesso que chorei por diversas vezes por tocar em problemas familiares muito comuns para mim.

Narrativa envolvente que te leva a ter juízos de valores acerca de personagens e estes nossos julgamentos expõem nossas fraquezas, nossos preconceitos. A história se comunica muito bem com o leitor. Por vezes, se torna um pouco irritante porque tenho transtorno de ansiedade e mistérios me deixam louca, mas foi bom para que eu percebesse e repensasse meus próprios valores na vida. A história progride na medida certa.

Chorei em muitas partes, muitas mesmo... Pois a escrita é tão de verdade que queria muito conversar com uma personagem em especial. Recomendo bastante!
Da mesma autora de BIG LITTLE LIES!
comentários(0)comente



Pa 01/04/2020

Outra história ótima da autora
A pergunta que fica é: você se reconheceria daqui a 10 anos?
Alice, após uma queda na aula de step da academia, acaba perdendo a memória de seus últimos dez anos de vida.
Muito de sua vida atual ela não reconhece. Sua agenda extremamente apertada, um divórcio em andamento, três filhos dos quais ela não lembra e o mais importante da história é que ela não reconhece a si mesma.
Gostei de o livro trazer a narrativa da irmã de Alice que enfrenta dificuldades para engravidar, é bem dramático e comovente.
No fundo acho que a ideia principal é: não esqueça de curtir as pequenas coisas e sua família. Mais um livro em que a autora nos faz refletir sobre nossas próprias vidas.
comentários(0)comente



spoiler visualizar
comentários(0)comente



Rafa 28/10/2020

Quando lemos o melhor livro do autor outros ficam sem graça
Não sei se todos os leitores tem essa sensação, mas quando conhecermos um autor pela sua melhor obra - neste caso Pequenas Grandes Mentiras - as experiências seguintes sempre vêm com grandes expectativas, com grandes chances de decepção. O suspense criado em volta da premissa da perda de memória da personagem principal, faz sentido até um certo momento, depois se torna repetitivo, e ao invés de intrigante, se torna um pouco cansativo. Diferentemente, de Pequenas Grandes Mentiras, onde fiquei preso e comprei o suspense do começo ao fim.
Aproveito para reconhecer o grande lema da história, que é sobre cedermos, as vezes, para a nossa essência, para o nosso ?eu? mais ingênuo, sem vícios, de buscar um balanceamento, enxergar de duas perspectivas e se dar ao direito de mudar e deixar ser moldado com o tempo, mas nunca esquecer os pequenos detalhes do passado.
Gostaria muito que a autora mantivesse o perfil mostrado na sua melhor obra, que foi o que a trouxe até aqui. Este livro tinha uma premissa para ser muito mais profundo do que é, esperava personagens mais instigantes e plots mais chocantes. Ao invés de um excelente roteiro de uma série premiada da HBO, foi servido um episódio mais ou menos de Desesperate Housewives.
comentários(0)comente



Nathy Bells 02/08/2013

Como você se sentiria caso acordasse de um sonho estranho e descobrisse que passaram-se 10 anos de sua vida e você não tem nenhuma lembrança disso?! Como seria ter apenas flashes de acontecimentos que parecem reais mais não faz nenhum sentido!? Complicado demais né!?

É assim que começa a história de Alice, um jovem apaixonada pelo marido e curtindo cada segundo da gestação de seu primeiro filho (ela tem certeza que a "Uvinha" é um menino).

Na verdade ela acha que está vivendo esse momento...

Depois de um acidente na aula de step, ela perde a memória, e não se lembra dos últimos dez 10 anos de sua vida conjugal e familiar, que pelo que todos demonstram não anda assim tão bem.
Ela está se divorciando, tem três filhos, não tem mais uma relação tão boa com sua irmã e ao que tudo indica todos estes problemas envolvem uma única pessoa; sua falecida melhor amiga Gina.

Os dias vão passando, suas responsabilidades vão crescendo e nada de Alice recuperar a memória. Tudo está ligado a tal Gina, e já que ninguém está disposto a ajuda-lá contanto o que aconteceu, ela vai com suas "antigas" lembranças tentar recuperar sua vida de 10 anos atrás.

Escrito com três pontos de vista diferentes; As Lembranças de Alice nos faz "passear" por um mundo de amor, dor e descobertas. Desde os flashes de memórias da protagonista, passando pelo blog da avó e chegando as cartas da irmã, que está sofrendo para conseguir ter filhos, ao seu terapeuta.
Envolvente do começo ao fim esse livro é aquele tipo de leitura que nos faz pensar sobre nossas prioridades e que rumo estamos dando à nossas vidas.
E que muitas vezes é necessário esquecer alguns erros cometidos pelos outros e por nós mesmo para podermos encontrar nossa felicidade.

site: http://asenvenenadaspelamaca.blogspot.com.br/2013/08/resenha-as-lembrancas-de-alice-da.html
Ro 14/08/2015minha estante
As Lembranças de Alice já entro na lista dos desejados. Expectativas pra ler esse livro.




Jess 03/03/2020

Questão existencial
Esse livro despertou em mim uma baita questão existencial... Me fez pensar se meu eu de 10 anos atrás gostaria do que me tornei hoje ou se eu me tornaria uma completa estranha, como ocorreu com Alice. Alice tinha 39 anos mas, após a queda que ocasionou a perda de memória, acreditava ter 29 anos de idade. Cá entre nós, a Alice de 29 anos era tão boba que parecia ter 19. O desfecho também foi um pouco confuso. No entanto, de qualquer forma, a história de Alice provoca reflexão sobre as nossas escolhas, sobre o que damos valor e sobre o que realmente importa na vida. Quem não gostaria de ter uma chance de corrigir seus erros e recomeçar? Não é um livro que eu pegaria normalmente, fora de um desafio literário ou leitura coletiva, mas é uma leitura leve, agradável, ótima pra intercalar com algum livro pesado.
comentários(0)comente



Luly @projetocabeceira 12/10/2020

Que livro!
A história poderia ser apenas mais uma de alguém que perdeu a memória e tenta se encaixar na vida que não reconhece mais. Porém, a forma como Liane escreve envolve a gente, criando uma empatia automática pelos personagens e pela história. Não conseguia desgrudar do livro, ansiosa pra saber o desfecho. Em tempo: eu AMEI O FINAL. Ela conseguiu encerrar a história de uma maneira que não decepciona o leitor, como em muitos livros, com o mesmo ritmo, profundidade e sensibilidade. Quero ler tudo dela, porque também sou muito fã de Big Little Lies
comentários(0)comente



Lucas 06/06/2020

Eu queria ter esquecido que li este livro
Posso dizer que Liane é uma boa autora, isso é inegável. Mas acredito piamente que ela deu muita sorte quando escreveu Pequenas Grandes Mentiras, que se tornou uma série da HBO.

O livro da Alice, que veio antes de PGM, é muito moroso e não gostei nadinha desse livro.

A história aborda temas como a maternidade (e a infertilidade também), o amor num casamento, as dificuldades do mesmo e por ai vai. É o típico de Liane: explorar o universo familiar.

Mas o que foi que deu errado pra mim nesse livro? A estrutura, que não dá nenhuma abertura para a curiosidade do que o passado dela esconde (no final, você entende que não tem simplesmente nada de interessante nos 10 anos que ela esqueceu). A relação com o esposo é superficial e se o livro tivesse intercalado o antes e depois teria dado um jeitinho melhor nas coisas. Enfim, são 416 páginas de puro nada. Nem sei como li esse livro em apenas 6 dias.

A Liane é ótima, mas nem todo livro dela é. Por ora, desisti da autora.
comentários(0)comente



295 encontrados | exibindo 16 a 31
2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7 | 8 |