Os Noivos do Inverno

Os Noivos do Inverno Christelle Dabos




Resenhas - Os Noivos do Inverno


42 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2 | 3


Veneella 29/06/2018

Magia, ilusões e intrigas... tem como ser melhor?
Estou apaixonada, senhoras e senhores. O que começou com desconfiança e uma crença ferrenha de que essa seria uma protagonista insuportável, terminou com o desespero da última página.

Eu preciso saber mais.

Ophélie é uma mulher -pausa para apreciação do fato- sim, uma mulher. Não me lembro de terem citado uma idade clara mas fica óbvio que essa não é sua típica protagonista de 16 anos de idade. Nope.

Como eu dizia, Ophélie é uma mulher que já rejeitou vários proponentes, ama seu trabalho e acredita saber exatamente quem é. Até que do nada é forçada a se casar ou jamais poderia pisar em casa de novo e seu marido não podia ser pior (ou será que pode?) sendo um grosseirão do Norte que a princípio ela está bastante confortável em odiar.

Mas como uma merda nunca vem desacompanhada, esse novo mundo caótico e repleto de ilusões -literalmente- é mais frio do que os 25 graus negativos do termômetro indicam. Conspirações, assassinatos e toda aquela boa e velha intriga de corte que todos nós amamos estão presentes das formas mais absurdas possíveis.

Ophélie não só vai aprender que não pode confiar em ninguém como vai redescobrir seu valor. Escondendo uma personalidade forte e inteligente por trás do jeito tímido e calmo, é uma personagem que se desenvolve e cresce pela trama aos poucos, mas sem jamais titubear.

Com personagens femininas incríveis e reviravoltas por todos os lados, muita magia e jogos políticos, A Passa-Espelhos tem tudo pra ser aquela série lacradora de todos os tempos.
Míriam Pimenta 29/06/2018minha estante
A capa desse livro é linda! E pelo visto a história faz jus, gosto de protagonistas fortes.


Rosy 29/06/2018minha estante
Esse eu não perco, aliás a Morro branco está ganhando meu coração!


day 01/07/2018minha estante
Que legal!! Será minha próxima leitura


Ana Carol 04/07/2018minha estante
"Mas como uma merda nunca vem desacompanhada", morri kkkkk


Duda 21/07/2018minha estante
Amei sua resenha ? Já quero ler


Malu 10/08/2018minha estante
O resumo perfeito dessa obra maravilhosa.


Ligian 11/03/2019minha estante
É mto boa essa história, ansiosa pela continuação.




Quequel 19/07/2018

Uma fantasia deliciosa: um mundo muito bem construído, cheio de elementos inéditos (eu nunca tinha lido algo assim), muita ação, conflitos políticos, familiar e uma grande dose de reflexão. Personagens misteriosos que lutam pela sua sobrevivência que aos poucos vão se apresentando a nós e nos mostrando a cada página que coragem, força e verdade não estão em desuso.
comentários(0)comente



Acervo do Leitor 16/08/2018

Os Noivos do Inverno de Christelle Dabos | Resenha | Acervo do Leitor
RESENHA – OS NOIVOS DO INVERNO

Pedras no céu. Fragmentos de um mundo que há muito se partiu. Extensos pedaços de terra habitados e mantidos por seres poderosos, espíritos que dão vida as linhagens que habitam nas mesmas e que mantem a ordem nos pequenos reinos formados por essas arcas gigantes. Reinos, que apesar de certo parentesco não se comunicam, ou não deveriam. Porem, alianças são feitas, casamentos arranjados e pessoas de mundos que não deveriam coexistir acabam colidindo. Essa é a história de uma jovem prometida para outra realidade, servindo como uma pequena peça em um grande e complexo estratagema. A jornada da “Passa-Espelhos” Ophélie.



“Passar por espelhos exige enfrentar a si mesmo. É preciso ter estômago, sabe, para se olhar bem nos olhos, se ver como é, mergulhar no próprio reflexo.”

Ophélie é uma jovem que vive em Anima, uma das poderosas arcas que flutuam no céu. Como uma Animista com sangue mágico ela tem a capacidade de atravessar espelhos, podendo se “teleportar” por ambientes, alem de ser uma “Leitora” com a fantástica capacidade de ler a história por trás de qualquer objeto assim como a de seus proprietários. Uma combinação poderosa herdada de Ártemis, o espírito fundador de Anima. Porem, seus dias como curadora de um museu estão contados. As “Decanas”, anciãs que cuidam da gestão de Anima, decidiram que já é tempo dela se casar. E um distinto e misterioso pretendente está chegando da gélida arca Polo.


“Você não foi criada para o lugar ao qual estou te levando.”

Thorn está chegando do Polo. Ele chega frio, seco e afiado como um espinho. Não há sentimento ou emoção por Ophélie, que chega a soar insignificante. Mas em seu dirigível gigante a leva para Cidade Celeste. A jovem “Passa-Espelhos”, levando sua tia viúva para este Reino como dama de companhia, sente que este novo mundo é extremamente hostil a sua presença, mesmo com todo glamour aparente. Seu noivo é odiado por todos, tanto por sua profissão quanto por ser um bastardo. Apenas uma parcela pequena de sua família aceita Ophélie, e são estes poucos membros que cuidarão de apresentar, e até mesmo esconder, a jovem “passa-espelhos” de todos aqueles que a querem destruir. Em breve, a jovem se verá refém de um intrincado e mortal jogo perpetuado por três clãs que se odeiam no Polo, e seus poderes poderão não ser suficientes para salva-la de caçadores e ilusionistas mortais. Não adiantará sentir medo ou chorar, porque ninguém se importará.



“O charme é uma arma maravilhosa dada às mulheres, você precisa usar sem escrúpulos.”

SENTENÇA
É inegável a qualidade da escrita da francesa Christelle Dabos, assim como a riqueza do seu mundo criado. Porem, o uso excessivo de certas fórmulas tão batidas no gênero atrapalham o desenvolvimento. Uma trama com “jovem leitora que não liga para aparência destinada a se relacionar com um jovem influente e que aos poucos vão se aproximando enquanto ela se descobre/amadurece” permeia toda a história, principalmente até a metade da trama, e soa como mais do mesmo. Algumas descrições excessivas e falta de ação, em demasia, também comprometem. Definitivamente, apesar de reconhecer se tratar de uma obra interessante e simpática, faltou uma alma de originalidade, ou algo mais para a protagonista ganhar meu coração. Acredito que a série tenha potencial para evoluir, mas assim como os poderes da protagonista eu passo, ou melhor, dispenso.

site: http://acervodoleitor.com.br/os-noivos-do-inverno-resenha/
comentários(0)comente



Raíssa 25/08/2018

Maravilhoso!
Com um quê de Alice no País das Maravilhas, a fantasia envolvendo esse romance é simplesmente incrível! Christelle soube criar com maestria um mundo totalmente novo, recheado de detalhes e personagens marcantes. Sendo bem sincera: foi um dos melhores livros que li esse ano! A protagonista me deixou irritada em alguns momentos, por sua passividade em aceitar algumas condições da vida, mas isso rendeu uma chama e um aprendizado totalmente importantes para o fim do livro! Estou surpresa com a narrativa e com a impressão (parabéns Morro Branco!). Super recomendo para quem curte livros com: intrigas, fantasia, mistério e um quê de romance! E que venha o segundo *-*
comentários(0)comente



mayara.tcs 12/10/2018

Uauuu
Quando eu comprei, achei que seria mais um clichê de romance, mas passou bem longe disso!! Embora seja um livro super emocionante, e que te prende na historia, a leitura não é pesada, dá para ler por horas.....Alem disso, é francês! Realmente mereceu o premio q ganhou
comentários(0)comente



Rafael 18/07/2018

MUITO bom
A narrativa se passa em um mundo distópico onde a Terra foi fragmentada em pedaços e que os sobreviventes fundaram famílias-clãs, cada uma com habilidade sobrenatural distinta.
Ophélie, a protagonista, é apresentada logo no início como uma garota muito comum para ser escolhida para um grande casamento arranjado entre famílias. Sem muita boa vontade, Ophélie deixa sua terra natal para conhecer e viver com seu futuro marido, Thorn, um rapaz de poucas expressões, palavras e um tanto misterioso. Ela se vê obrigada a colaborar com os planos e armações da família de seu noivo, vivenciando momentos bem difíceis. O casamento demonstra planos e intenções veladas e intrigantes que lhe instiga (você leitor) a buscar descobrir o real motivo em cada página e em cada fala.
Na segunda parte do livro, a narrativa ganha um ritmo mais acelerado e cheio de adrenalina que lhe deixa muito curioso para saber o que irá acontecer na página seguinte. Mortes, ameaças, reviravoltas e segredos revelados marcam os últimos capítulos... Quando você se der conta, terminou.
Uma premiada autora francesa, Christelle Dabos faz jus ao prêmio recebido pela sua habilidade com a escrita e, principalmente, com a imaginação. Não posso concordar AINDA que ela esteja à altura de J.K. Rolling (pottermaníaco falando aqui, rsrs), mas garanto que o universo criado demonstra originalidade e criatividade.
“Os Noivos do Inverno” é o primeiro livro de fantasia de uma série (até hoje, são três volumes) que fala sobre amadurecimento, coragem, questionamento da situação atual e luta pela sobrevivência (no sentido mais amplo possível da palavra).
comentários(0)comente



day 17/07/2018

amei^^
Imagine uma menina que vive feliz cuidando da biblioteca da sua família em um lugar com pessoas amorosas e gentis.

E de repente ,ter que ficar noiva de um desconhecido e sair de sua terra pra sempre?

Fora que o noivo é super chato,estranho e parece que não dá a mínima ora Ophélie...

Quando ela chega em sua nova casa,tudo muda...ela começa a perceber algo muito estranho por trás de toda essa conversa de casamento...existe alguma conspiração no ar...

Gente ,eu achei o livro muito legal!! E olha que eu não sou fã de livros de fantasia,mas confesso que esse me prendeu do início ao fim.

Agora é esperar pela continuação e sofrer de curiosidade até la.

ameiii^^

site: http://escreverdayse.blogspot.com.br
comentários(0)comente



Queria Estar Lendo 27/02/2019

Resenha: Os Noivos do Inverno
Se alguém viu minha TBR de Fevereiro sabe que eu estava bem ansiosa pra ler Os Noivos do Inverno desde a Flipop do ano passado. Escrito por Christelle Dabos e publicado no Brasil pela Morro Branco, é uma fantasia francesa que me supreendeu e ao mesmo tempo me decepcionou. Ele é o primeiro volume de uma série chamada A Passa-Espelhos.

O nome da série vem da personagem principal Ophélie, que tem dois poderes: ler objetos e atravessar espelhos. A leitura de objetos é uma descendência da família dela que mora toda em Anima e tem como espírito familiar Ártemis. Nesta fantasia criada pela autora, o espírito familiar é a entidade suprema do local, a autoridade, imortal. Porém, como todo imortal, eles não são exatamente amigáveis com os inferiores, meros mortais.

Ophélie foi prometida de casamento ao misterioso Thorn, vindo do Polo. Essa atitude é bem estranha, visto que o costume é se casar com primos, mas foi escolha das Decanas, as únicas abaixo de Ártemis. Então essa decisão não pode ser revogada, isso foi deixado bem claro por elas.

Thorn é frio como o lugar em que mora, misterioso e, assim como Ophélie, não tem o mínimo interesse em se casar, ainda mais com ela. O espírito familiar de Polo é o Farouk, tão misterioso e exótico quanto os moradores da cidade.

Como exigência do casamento, Ophélie é tirada de sua casa, sem direito a voltar, e levada para o Polo com o seu futuro marido. Junto com ela vai sua tia Roseline para manter a segurança e a inocência da menina.

A cidade do Polo é algo além da imaginação, achei isso um ponto muito forte do livro, a cidade é suspensa e vertical. Sim, vertical! Além disso, toda a ambientação é muito bem escrita e muito bem imaginada. Eu literalmente me sentia em outro mundo. Como Ophélie não conhece muito bem o ambiente, você também fica um pouco confuso e perdido como ela, mas aos poucos tudo vai ficando mais claro conforme ela vai compreendendo a dinâmica do lugar.

No Polo existem várias famílias, cada uma delas com a sua especialidade. Os Miragens, como próprio nome diz, são capazes de criar qualquer tipo de ilusão. A Teia é como uma rede de fofocas 24 horas, 7 dias na semana, todos os membros dessa família são conectados e o que um vê ou ouve, todos os outros membros também sabem. E por fim, Os Dragões, onde Thorn pertence, eles são fortes e todos possuem Garras - no sentido metafórico - são capazes de ferir qualquer um sem sequer encostar em um fio de cabelo. Todos eles são identificáveis por tatuagens, cada família tem a sua.

Apesar da família de Thorn já ter sido respeitada um dia, eles caíram em desgraça quando Thorn nasceu. Isso porque Thorn é um bastardo e sua tia Berenilde o protegeu, correndo o risco de ela mesma ser expulsa da família.

No Polo, tudo é muito diferente, as regras são muito rígidas. Thorn é intendente, um cargo muito importante, o que faz com que ele seja odiado por muitos, principalmente por ser um bastardo ocupando o cargo. A notícia do seu casamento se espalhou rápido, o que deixa Ophélie em risco de vida. Ela não entende bem o por quê e não entende toda a proteção de Thorn com ela. Ela não deve confiar em ninguém, não deve sair de casa, não deve revelar em momento algum que é a noiva de Thorn ou estará correndo perigo.

Ophélie é uma personagem tímida e eu não dei nada pra ela em boa parte do livro, o que me incomodou. Eu tenho que me apegar a algum personagem do livro pra me envolver na história e se ele for narrado em primeira pessoa, tem que ser a personagem principal. Ela não é do tipo que segue as regras impostas e não se contenta com as poucas informações que dão para ela, mas suas explosões são bem esporádicas. Na maior parte do tempo ela só está irritada e fica resmungando que Thorn e Berenilde não dizem nada. Até metade do livro, ela só tinha tomado atitude e feito o que ela achava certo uma vez.

Os outros personagens são bem complicados. Thorn é extremamente frio, seco e sério, se preocupa mais com o próprio trabalho e imagem do que com o restante que acontece ao seu redor. Berenilde é um pouco mais doce que o sobrinho, mas também mais preocupada com o próprio umbigo. Já a tia de Ophélie, Roseline, é uma mulher bem perdida e com a boca grande demais, fiquei aguardando ela ser a responsável das confusões o livro todo.

Esse livro foi muito lento durante boa parte, só ganhou um ritmo melhor nas últimas 100 páginas; quase desisti várias vezes. O final deixa com uma vontade de quero mais, já que é bem impactante.

Ophélie cresceu muito na trama e resolve tomar atitude na vida, mas não sei se lerei o próximo volume. A autora perde tempo com várias cenas irrelevantes pro enredo e isso cansa, além de gastar 5 páginas numa cena importante, mas que poderia ter sido feita em 2 páginas. É bom dar importância para algumas passagens, mas sem exagero.

Um detalhe que é colocado na orelha do livro são os comentários de revistas e jornais e em um deles é dito que o livro está no mesmo patamar que Harry Potter. Quando li isso, me empolguei, apesar de pensar "não deve ser tudo isso, mas deve ser bom". Estava com médias expectativas, mas mesmo assim me decepcionei um pouco com ele.

Apesar do enredo, no fim das contas, não ter sido muito o que eu esperava, a ambientação é maravilhosa. Além da edição ter um mapa da cidade, que me foi útil, pois foi bem confuso no começo e uma "árvore genealógica" também muito útil. Fora serem úteis, esses dois itens são lindos e deram um charme a mais que somado a capa maravilhosa fizeram a edição entrar no meu top 5 de edições mais bonitas.

site: http://www.queriaestarlendo.com.br/2019/02/resenha-os-noivos-do-inverno.html
comentários(0)comente



maria @mariandonoslivros 10/08/2018

Um dos melhores livros publicados no Brasil.
A nossa protagonista é Ophélie. Uma menina que vive em Anima, a sua única casa. Junto de seu tio-avô, ajuda a cuidar de um museu, onde utiliza o seu grande poder: é uma leitora, sendo capaz de descobrir o passado dos objetos com o simples toque de suas mãos. Por isso vive sempre com uma luva (meio Vampira X-Men, saca?). Ela também pode ultrapassar espelhos (onde ganha o nome de passa-espelhos). Sua vida é monótona, pelo menos no começo do livro. E parece certa e sua única finalidade neste mundo. Até que sua mãe arranja um casamento para ela. E então a vida de Ophélie muda drasticamente.

Esta personagem é incrível. A forma como encara o mundo e como faz os seus questionamentos sobre sua nova vida é uma das melhores partes do livro. Além de ser uma delícia acompanhar o seu crescimento ao longo da história. A narrativa em 3° pessoa consegue imergir o leitor neste universo único. A cada descrição feita, um novo quadro se forma em nossas mentes.

O noivo de Ophélie é uma incógnita. É difícil sabermos os reais sentimentos deste personagem tão denso e cheio de camadas. O que achei diferente e ao mesmo tempo frustante. Nos faz criarmos mil teorias. Principalmente em relação ao seu relacionamento com a tia, o mundo em que se encontra e Ophélie. Mas eu o amei. Os personagens secundários trazem consigo a responsabilidade de fazer com que o leitor se aproxime ainda mais deste complexo criado por Dabos. E conseguem com muito êxito. O que é de extrema importância, pois assim conseguimos visualizar e perceber como tais sociedades funcionam.

A criação de mundo é algo surreal e impecável. Uma das melhores coisas que já li em muito tempo. Tanto Anima quanto o Polo trazem características tão próprias, que você chega a conclusão que ambos tem vida própria. Como se estivessem vivos, sob os pés de seus habitantes.

Em meio a tramas políticos, uma aventura de autodescobrimento, personagens esotéricos e uma história densa e surpreendente Os Noivos do Inverno, com toda a certeza, é um dos melhores livros publicados e traduzidos no Brasil.

Uma ótima leitura.
Beijos de luz, Maria ノ゚ο゚)ノミ★゜*。・+☆
Blog: mariandonoslivros.blogspot.com.br
Twitter: twitter.com/mariandolivros
Facebook: facebook/mariandonoslivros
Instagram: instagram.com/mariandonoslivros
comentários(0)comente



Laís Anulino @livrosdalais 08/10/2018

Maravilhoso!
Nesse universo o mundo se partiu e assim ficou dividido em Arcas, cada qual com suas particularidades. Ophélie mora em Anima, arca onde as pessoas tem a habilidade de dar vida a objetos, e os mais dedicados como nossa protagonista, conseguem ler o passado dos objetos com apenas um toque, além disso, ela ainda tem o dom de passar por espelhos o que a torna capaz de se deslocar por pequenas distâncias através deles.

Com tantos dons, tudo que Ophélie deseja é uma vida tranquila, porém quando menos espera é prometida em casamento a Thorn, um cara nada amistoso que vem de outra Arca.

Ao se mudar para o Polo, arca onde vive seu noivo, ela se vê no meio de pessoas nada confiáveis, e o que ela pensava que seria apenas um casamento não desejado é na verdade uma teia de intrigas políticas da qual ela não pode escapar.

Gente!! Como amei Ophélie, ela não é vaidosa, e não se importa com o que pensam dela, além de passar por coisas que nós mesmos podemos viver no nosso dia a dia. E como amei também a crítica que a autora fez a sociedade por meio de uma ficção fantástica, ela aborda temas sobre diferenças de classe social, desvalorização do trabalhador, manipulação política e como o povo é iludido por falsas promessas, entre outras coisas.

Além disso, do mesmo modo que a autora conseguiu criar personagens que vamos amar, ela também criou outros que vamos odiar por toda vida.

Sem dúvida gostei muito dessa leitura, tive pena da nossa protagonista em vários momentos, mas ela se mostrou forte. A criatividade da autora é incrível e algumas coisas bem sutis nos ambientes me fizeram lembrar do Castelo de Hogwarts, mas não posso falar nada para não dar spoilers, espero que ao ler vocês também notem essas semelhanças.

“Ophélie só era boa em ler. Se tirassem isso dela, só restava uma idiota. Ela não sabia cuidar da casa, nem conversar, nem fazer faxina sem se machucar.”

"Ophélie tomou consciência tarde demais do que tinha falado. Nem todas as verdades devem sempre ser ditas."

site: https://www.instagram.com/p/BopzttkHqBm/?taken-by=livrosdalais
comentários(0)comente



Laís 18/09/2018

[#resenhamaniadelivro] Os Noivos do Inverno – Christelle Dabos

Ophélie vivia uma vida tranquila em Anima. Seu trabalho consistia no uso das mãos para ler objetivos antigos, entender de onde vieram, seus antigos donos e histórias – essa capacidade tão incrível é o seu maior dom. Praticamente obrigada a se unir com Thorn em um casamento arranjado, ela parte rumo a Cidade Celeste, no Polo, um lugar completamente oposto de onde ela nasceu.

Seu futuro marido se mostra ser muito frio e apático, tratando-a da forma mais ignorante possível. O que já estava péssimo para Ophélie, piorou quando ela teve que se mudar (sob o disfarce de um empregado homem) junto com a tia de Thorn para a casa de um desconhecido – esse disfarce, que durou meses, arrancou todas as forças de seu corpo e de sua alma. Ophélie se viu no meio de um campo minado, cheio de pessoas loucas por poder e doentes por aparências que ela jamais pensou vivenciar.

Essa fantasia de origem francesa me surpreendeu das mais diversas formas. Primeiro porque, sendo sincera, a capa bonita esconde o quanto de escuridão esses capítulos possuem. Segundo: esse é um livro denso, onde cada página demanda atenção aos detalhes, mas conseguiu me prender de jeito pela curiosidade e originalidade. Terceiro: essa é realmente uma história promissora em um universo bem elaborado, com um combate político silencioso de uma sociedade que vive de aparências e ilusões. Ta bom ou quer mais?!

Não teve nenhum momento dessa leitura em que eu não tenha imaginado os cenários e ambientes em que a história se passa. Pensa em um livro com um plano de fundo que é mais curioso que os próprios personagens! A Cidade Celeste, palco de toda essa confusão, foi um dos lugares que, na literatura, mais me encantou!

Ele é denso e detalhado, então tende a ser um pouco cansativo também. Sendo o vol 1 de uma trilogia (que possui capas lindíssimas), é claro que será mesmo um livro bem introdutório. Tirando uma parte ou outra que me cansou, a leitura foi uma verdade viagem a cenários e personagens super bem elaborados!

site: https://www.instagram.com/_maniadelivro/
comentários(0)comente



Dani 31/07/2018

4,5
Fiquei encantada e muito surpreendida com essa história.
Comprei o livro sem nenhuma indicação e sem ter ouvido ninguém comentar a respeito. Fiquei intrigada com a linda capa e animada ao perceber que a autora é francesa ( estava comentando recentemente com amigos que a grande maioria dos autores que leio de fantasia são americanos, por isso a nacionalidade da autora me chamou atenção nesse momento).
Embarquei praticamente às cegas na leitura e fui surpreendida com um mundo fantástico e original e um enredo repleto de intrigas políticas. Os personagens são cativantes e instigantes, atiçando minha curiosidade desde o inicio da narrativa.
Ainda tem muito que não sei sobre esse mundo e esses personagens, então espero um pouco mais de desenvolvimento nos próximos volumes.
Três volumes já foram lançados da França e espero que a Morro Branco não demore muito para trazê-los ao Brasil. A editora, por sinal, está de parabéns. A edição está muito bem cuidada e trabalhada. Descobri inclusive que esse volume ainda será lançado nos EUA em setembro e já temos nossa versão aqui em português. É a primeira vez que vejo isso acontecer. Show!!!
comentários(0)comente



Juu | @aquelabookaholic 23/05/2019

Uma fantasia surpreendente
Honesta e cabeça-dura, Ophélie não se importa com as aparências. Mas, a garota esconde poderes únicos: ela pode ler o passado dos objetos e atravessar espelhos. A vida tranquila que leva em Anima se transforma quando Ophélie é prometida em casamento à Thorn, herdeiro de um distante e poderoso clã.

Agora, ela terá que deixar para trás tudo o que conhece e seguir seu noivo até Cidade Celeste, a capital flutuante de uma gelada arca conhecida como Polo. Ali, o perigo espreita em cada esquina, e não se pode confiar em ninguém. Sem se dar conta, Ophélie torna-se um peão em um jogo político mortal, capaz de mudar tudo para sempre.
.
O título do livro pode até sugerir romance, mas esse, definitivamente, não é o foco. Na verdade, praticamente tudo no enredo me surpreendeu, por fugir, pelo menos nesse primeiro livro, do óbvio, e nos apresentar um cenário, no mínimo, peculiar e curioso.

Christelle construiu um universo original e muito bem descrito, impossível não se sentir em cada ambiente retratado. Além disso, a construção dos personagens é igualmente impecável. Assim como Ophélie, não sabemos em quem confiar, quais alianças formar, pois quase todos os personagens são dissimulados, arrogantes e traiçoeiros. Infelizmente, nossa querida e inocente protagonista só deve contar consigo mesma, algo que ela demora bastante a entender, mas em minha opinião não tira o brilho da história e nem diminui a personagem.

Outro ponto muito interessante são os poderes e habilidades de cada clã. Quem não gostaria de poder viajar através de um espelho? Conhecer as histórias que um objeto carrega? Mas não são só flores, tem uns poderes bem sinistros em outros clãs.

A narrativa chega a ser um tanto lenta, o que é compreensível pois estamos sendo apresentados a um universo rico e desconhecido. E é justamente esse cenário e seus personagens intrigantes que tornam essa leitura maravilhosa. Terminei ansiosa pelo próximo, e acredito que será uma série promissora. Não deixem de conferir.
comentários(0)comente



Fabi 30/07/2018

MARAVILHOSO
Pare tudo, rasgue sua lista de próximos livros e leia esse livro AGORA! rs

Apaixonada por esse livro e sofrendo imensamente de ressaca literária. Tem muito, muito tempo que não amo um livro assim. Original, gostoso de ler, e principalmente: um universo bem construído e incrível.
Eu diria que é perfeito pra quem gosta de fantasia e pra qualquer idade. Gosto da personagem ser mais uma jovem adulta, e ter algumas metáforas inteligentes sobre auto conhecimento, mas acredito que pode ser lido em qualquer idade =)
comentários(0)comente



Lane @juntodoslivros 23/01/2019

Resenha os Noivos do Inverno
Em Os Noivos do Inverno temos um novo universo. Aqui as cidades são divididas em arcas e cada arca contém uma extensa família que provém de um espírito familiar, onde os filhos do espírito familiar tem dons. Nossa história começa na arca Anima e termina na arca Polo.

Ophélie sempre foi a estranha da família Anima. Enquanto seus irmãos e irmãs sempre gostaram de conversar e fazer barulho, ela se contentava em ficar lendo seus livros. Com o dom da “leitura”, ela consegue saber a história de um objeto só de tocá-lo, além de conseguir atravessar espelhos. Ophélie trabalha no museu da família e já rejeitou dois casamentos por não ter nenhum interesse desse tipo, porém as Decanas da família decidem que está na hora dela casar e honrar a família. E o casamento é arranjado com um homem chamado Thorn, proveniente de outra arca.

Sem ter como recusar para não ser rejeitada pela família, Ophélie aceita o casamento e parte com sua madrinha para a arca chamada Polo. A garota já sabia que sua vida não seria fácil, mas não imaginava que iria acabar no meio de uma intriga entre os clãs ao ficar noiva de Thorn.

Algo que me surpreendeu foi que aqui não temos um romance propriamente dito. Isso me deixou satisfeita, porém o “casal” não me conquistou separadamente. Ophélie era um capacho em todas as situações em que se encontrava. Eu tinha muita vontade de entrar no livro e dar colo para essa garota ou até dar-lhe um cascudo por aguentar tudo calada. E Thorn era extremamente taciturno. Como inspirar alguma empatia por ele?

A história tem várias nuancias e por isso é difícil explicar mais detalhes sobre ela. E ainda por isso, demorei bastante tempo para concluir essa leitura, pois eu me via confusa nesse novo universo criado pela autora Christelle Dabos. Além da leitura ter sido um pouco arrastada. Não me sinto decepcionada com Os Noivos do Inverno, mas me sinto fatigada com tantas situações enroladas e cansativas. Espero que o próximo livro seja mais ágil e intrigante, pois a cena final desse livro promete novos conflitos. Estou ansiosa!

site: https://www.instagram.com/p/Bnta8OSnN7P/
comentários(0)comente



42 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2 | 3