Minha História

Minha História Michelle Obama




Resenhas - Minha História


19 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2


PRiX 21/03/2019

Uma mulher modelo
O livro é do início ao fim a narração da vida de Michelle, que cresceu em um bairro de Chicago - USA que ao longo de sua infância foi se tornando um gueto. Menina muito aplicada, estudou, entrou na Universidade de Princeton para fazer os anos iniciais e em seguida passou para na faculdade de Direito em Harvard – tudo por meio de crédito estudantil. Com a descrição de seu ambiente familiar, escolar e pessoal muitas pessoas conseguirão criar empatia e se reconhecer nela. Entrou como estagiária e cresceu muito bem em um renomado escritório de advocacia, onde conheceu Obama - que concorreu a uma vaga de estágio de verão, enquanto fazia Direito também em Harvard - quando ela já era advogada contratada pela empresa (isso ocorre no capítulo 8 do livro, 21% da leitura). Daí para a frente ela descreve em detalhes toda a sua trajetória profissional junto com a história profissional de Obama e o quanto isso influenciava em sua carreira e vida. O conceito de família demora a aparecer no livro, lá para os 43% de leitura, mas ela conta como e em que momento decidiram ter Malia e Sasha (Natascha) – que ocorreu quando tinha 34 e 37 anos, respectivamente. Após este momento, começa a relatar mais a vida de Barack como Senador, até resolver concorrer às eleições à presidência dos EUA e então, finalmente, relata os 8 anos da família dentro da Casa Branca (acontece no capítulo 19, com 64% da leitura) sob o seu ponto de vista.
Como o livro é todo um relato de suas lembranças, há muitos momentos em que se torna uma leitura monótona. Entretanto, como sua vida sempre foi agitada isso faz com que prossigamos a leitura para chegarmos ao momento em que estão na Casa Branca – acredito de ser o motivo pelo qual todos leem este livro. Não podemos esquecer de que a biografia é dela, afinal.
Mulher sábia, inteligente e americana. Digo isso porque é possível perceber sob pequenos aspectos traços dessa cultura como: pensar com afinco apenas no trabalho até os trinta anos, ser prática em que questões como gerenciar a família e trabalhar no sentido de que ela não demonstra exatamente momentos de fraqueza ou que pensa em desistir e jogar tudo para alto e até agressiva em relação a busca de seus objetivos. Entenda que aqui não faço um julgamento de valor se são atitudes boas ou ruins, apenas constatações sob o meu ponto de vista. De todo o livro, pra mim a melhor lição que ela nos dá é: aprender a mensurar o nosso valor como profissional e exigir isso sem vergonha, e pelo contrário, orgulhosas do trabalho que somos capazes de fazer!
Além disso tudo, apesar de se dizer uma pessoa “não política” eu a entendi como uma pessoa super politizada desde as suas percepções da adolescência, e isso pode ser claramente visto em diversos trechos do livro até que ela evidencia TODOS os seus pensamentos bem ao final. Dentro os assuntos que ela aborda: questão racial, pobreza, oportunidades, estudo, trabalho, saúde, violência, guerras e por aí vai! Para mim ela é aquele modelo de mulher americana e foi uma Primeira-Dama perfeita, sem defeitos. Vale a leitura!
comentários(0)comente



Nilson Gonçalves 20/03/2019

Intetessante
Interessante conhecer os bastidores do poder e especialnente a intimidade do casal na Casa Branca. Mostra tambem um certo deslumbre pelo poder embora tente nao transparecer isso. Descreve de maneira bastante interessante a trajetória de vida do casal. Gostei de saber q o primeiro carro do Barack Obama tinha um buraco no assoalho porque me fez lembrar de meu primeiro carro(gordini) tambem com assoalho furado, rsss. Vale a pena ler. Gostei
comentários(0)comente



Book.Obsession 08/03/2019

Assim que vi esse lançamento fiquei interessada em ler. Apesar de ser uma autobiografia, um gênero que leio bem pouco, a história dessa grande mulher me chama atenção desde que seu marido tornou-se Presidente dos Estados Unidos.

Só de olhar para o casal, nos dá a sensação de serem pessoas maravilhosas, que tem um relacionamento sólido, de respeito mútuo e de muita compreensão. E para minha surpresa, me deparei com uma biografia rica em detalhes e muito inspiradora, e o momento para postar minhas considerações não poderia ser em uma melhor data, afinal, hoje é dia internacional das mulheres.

“Até agora, fui advogada. Fui vice-presidente de um hospital e diretora de uma ONG que ajuda jovens a construírem uma carreira significativa. Fui estudante negra da classe trabalhadora em uma faculdade de elite de maioria branca. Fui a única mulher, a única afro-americana, em todos os tipos de ambientes. Fui a noiva, a mãe estressada de uma recém-nascida, a filha consternada pelo luto. E até pouco tempo atrás, fui a primeira-dama dos Estados Unidos da América – emprego que não é oficialmente um emprego, mas que ainda assim me deu uma plataforma que eu jamais imaginaria. Ele me desafiou, e me deu uma lição de humildade, me estimulou e me retraiu, às vezes tudo ao mesmo tempo.”

Michelle Obama tornou-se referência para as mulheres do mundo inteiro. Independentemente de sua cor, não conheço uma pessoa que não a olha ou fala com admiração sobre uma mulher que tanto se destacou por sua responsabilidade social como Primeira Dama dos EUA.

Ao longo das 440 páginas, Michelle LaVaughn Robinson Obama, 54 anos, nos conta vários momentos de sua vida, desde a infância até o desafio de viver dentro de uma das casas mais importantes do governo americana, a Casa Branca.

“Desde que entrei, relutante, na vida pública, fui considerada a mulher mais poderosa do mundo e apontada como uma ‘mulher negra raivosa’. Queria perguntar aos meus detratores qual parte da expressão eles consideram a mais relevante — ‘mulher’, ‘negra’ ou ‘raivosa’?”

Vindo de uma família de classe média, parte de sua juventude foi morando em cima da casa de seus tios em South Side, Chicago. Criada de forma rígida, com muita disciplina, conhecemos a vida na infância, o relacionamento com seus pais e seu irmão que desde pequeno já mostrava um grande cuidado com Michelle.

Para quem não sabe, Michelle é uma advogada, chegou a trabalhar na área e foi em um escritório, Sidley & Austin, que conheceu Barack. Estudou nas renomadas Universidades de Princeton e Harvard. Como em todo ambiente, mais precisamente nessa época, sentiu na pele o peso do machismo e do preconceito, porém isso não a intimidava, pelo contrário, Michelle transformava em combustível para seguir em frente e lutar pelos seus propósitos.

"Tentava não me intimidar quando a conversa em sala era dominada pelos alunos homens, o que era bastante comum. Ao escutá-los, me dei conta de que não eram mais inteligentes do que nós. Eram apenas mais incentivados a falar, navegando na maré ancestral da superioridade e estimulados pelo fato de que a história nunca lhes dissera o contrário."

Claro que a autora não deixaria de fora a vida com sua família. Seu relacionamento com Barack Obama, o nascimento de suas duas filhas e o impacto que toda a carreira política viria a ter na vida delas.

Conhecemos um pouco mais sobre Barack Obama em sua intimidade. O pai amoroso, marido dedicado, que mesmo vivendo cercado de pessoas e compromissos políticos, dedicava uma parte do seu tempo para pelo menos jantar com sua família. É perceptível o quanto Michelle se dedicou e abdicou para ajudá-lo em sua corrida na carreira política, mas nem por isso, essa mulher deixou de ser independente e em alguns capítulos conhecemos os feitos dela dentro da Casa Branca.

"Nunca fui de ficar presa aos aspectos mais desmoralizantes de ser afro-americano. Fui criada para pensar positivo.
Mas, ouvindo Barack, comecei a entender que sua versão de esperança era bem mais ampla: eu me dei conta de que uma coisa era sair de um lugar empacado; outra, totalmente diferente, era tentar desempacar o lugar."

Michelle sem dúvidas é uma mulher que se destaca por sua simplicidade. Que apesar de toda pompa e de inúmeros empregados à disposição, sempre procurou passar os ensinamentos e manter suas filhas com atividades o mais próximo da normalidade, até porque, o fato de morarem na Casa Branca era ótimo sim, mas não seria para sempre a residência deles. Então, temos uma mãe criando uma horta (diga-se de passagem ajudou a alimentar muitas pessoas e de origem ao programa Let’s Move!), realizar eventos públicos para criar uma relação próxima com as pessoas, uma mãe brincando de pular corda com as crianças, outro fato curioso foi Michelle passar a responsabilidade para as filhas de fazerem suas camas e não utilizar camareiras para isso. Está certo que é uma coisa básica, mas quando se é rodeado de empregados, chama atenção.

Ah, e ela não esquece de mencionar sobre a posse do novo presidente Trump e a recepção na Casa Branca com a atual Primeira dama. Além de demonstrar seu posicionamento ao atual governo.

Atualmente, Michelle, Barack e Sasha moram em Washington e Malia está morando e trabalhando em Nova York, finalizando o ano sabático antes de iniciar a faculdade.

“Se há uma coisa que aprendi na vida é o poder de usar a própria voz. Sempre tentei dizer a verdade e trazer à luz as histórias de pessoas que são muitas vezes postas de lado.”

Sobre a edição: Gostei bastante do projeto gráfico, que está repleto de fotos sobre diversos momentos importantes na vida de Michelle e sua família. Lançado em novembro de 2018 pela editora Objetiva (selo do Grupo Companhia das Letras), Minha História está disponível em físico e em ebook.

Foi até difícil separar os quotes, porque esse livro tem tantos trechos maravilhosos que pretendo trazer uma postagem só com eles.

Uma leitura que entra para os favoritos com louvor! Se antes me simpatizava com a figura da ex-primeira dama, hoje posso dizer que me tornei grande admiradora de seus feitos, da mulher, mãe e esposa.

Minha História é um livro extremamente poderoso, empoderado. Com uma narrativa ágil, reflexiva, que nos arrebata logo em seus primeiros capítulos. Uma jornada de uma mulher negra inteligente, consciente do seu papel na sociedade, determinada, forte, que se destacou no cenário político e se fez ser ouvida por várias classes sociais, deixando um legado inspirador para gerações futuras de mulheres.


site: https://www.bookobsessionblog.com/2019/03/resenha-minha-historia-michelle-obama.html
comentários(0)comente



Grazy 08/03/2019

ESTE LIVRO MUDOU-ME
Logo nas minhas primeiras palavras deixo claro que as próximas linhas não comporão uma resenha (onde contaria o enredo e terminaria com alguma frase ou pergunta que te instigaria a querer ler o livro). Como durante a leitura me senti próxima da escritora Michelle Obama e de sua história, decidi fazer um texto que me aproximasse de... Você. Isso mesmo, não leu errado. Você, a pessoa que tirou alguns segundos do dia para ler o que tenho a dizer.
Assim que os meus olhos percorreram as primeiras linhas, soube que a essência desse livro seria diferente dos outros já lidos por mim. E estava certa.
Sendo eu, uma garota-mulher negra, tento através da literatura, música, arte, filmes, documentários, entre outras formas e plataformas de divulgação de conteúdo, encontrar pessoas (sendo elas famosas ou não) que signifiquem representatividade para mim. A Michelle é uma delas.
Nem preciso entrar em detalhes, mas é de conhecimento geral que há uma série de questões históricas e culturais que contribuíram e contribuem para a sociedade ser preconceituosa. O que inclui: A cor da pele, religião, classe social, ocupação profissional, o modo de falar e de se vestir, sexo, orientação sexual, local onde mora... O que me entristece é saber que se mudanças não forem realmente feitas, a tendência é que essa situação continue por várias e várias gerações. Por outro lado, há uma união maior dessas pessoas já estafadas que dizem “Chega! Não aceito ser tratado (a) assim!”
É nesse ponto que é importante ter o contato com a história de uma mulher que viveu num apartamento apertado com a família em South Side de Chicago, formou-se pela Universidade de Princeton e pela Harvad, que trabalhou num escritório de advocacia e teve outros empregos após esse, envolvida em várias causas e que anos mais tarde se tornaria a Primeira-Dama dos EUA.
Claro que a vida dela não é um mar de rosas, o que ela faz questão de mostrar através da sua biografia. Quem é que, em juizo, diz que leva uma vida perfeita sendo rodeado por várias injustiças? Será que essas pessoas não conseguem sentir nem um pouquinho de empatia pelo próximo?
“Minha História” em algum momento deixou de ser basicamente um livro e se tornou uma conversa, um diálogo, onde Eu deitada no chão da sala de barriga para baixo confortavelmente, balançava minhas pernas enquanto ouvia a Michelle sentada no sofá contar-me sua história. A cada pausa feita para tomar fôlego ou beber um copo d’água, pensava comigo: “Eu também quero fazer a diferença”.

Talvez seja por isso que em 2016 comecei a escrever. Antes eu achava difícil dizer a mim mesma que sou uma escritora nacional. “Escritora? Haha. Quem acha que é? Isso não é para o seu bico! Lembre-se: quanto mais alto for, maior será a queda”. Acredite ou não, essas e outras malditas palavras ficavam martelando em minha mente.
Cresci em meio a pessoas que não vão muito bem com a minha cara e que estão prontos para me ver cair. Por anos, fui absorvendo esse sentimento e me odiando. “O que será que tem de errado comigo? Por que não podem me amar?”, pensava. A cada ano-novo em que se chegava fazia várias e várias promessas. Tudo para me encaixar num molde pré-estabelecido como aceitável. A propósito: Nunca consegui alcançá-lo.
Olhando para o passado e por tudo que já passei na minha tenra idade, vejo que essas pessoas enxergaram potencial em mim antes de perceber que o tinha e, por isso, tentaram “me destruir”.
Graças a Deus, os anos foram se passando e eu amadurecendo cada vez mais. Se antes não questionava o modo como me tratavam e nem analisava cada situação, agora era diferente. Foi nesse momento em que mudei pela primeira vez (como diria Raul Seixas: “sou uma metamorfose ambulante”). Parei de dar ouvidos àqueles que não me faziam bem e comecei a focar em mim e no que realmente queria fazer. Descobri que nem sempre é bom estar rodeada de pessoas e comecei a valorizar as horas que passava sozinha tendo os meus pensamentos como companhia (se as pessoas tivessem acesso a minha mente... Kkkkk).
Compreendo que o que passei me ajudou a ser mais forte, mas queria que tivesse sido diferente.
Para quem em grande parte da vida se odiou, hoje sei onde quero chegar, que tenho condições, e que consigo chegar onde quero.
Pois é... Cada lágrima derramada usei para me transformar na pessoa que sou. E digo, sim, para quem quiser ouvir: Eu sou escritora nacional e me orgulho de ter tornado os livros meus amigos.

Nossa, acho que acabei usando esse espaço para desabafar um pouquinho, né?

Voltando ao livro... Ele transmite vários ensinamentos, entre eles o de sermos fortes mesmo em meio às trevas, fazermos o que amamos e nos faz bem e, não darmos ouvidos a palavras carregadas de munição.
Como deu para perceber, com “Minha História” revivi o passado. Em contrapartida renovou meu horizonte e me deu forças para continuar minha jornada. E que venha o futuro.
Se você leu as linhas anteriores e agora está lendo isso daqui, saiba que não tomarei mais o seu tempo e, como sou uma pessoinha educada, digo: “Obrigada!” se você leu o meu desabafo sem revirar os olhos. Se por acaso fez isso, saiba que te entendo. ;)


site: https://amantesliterarios.wixsite.com/livros/single-post/2019/03/08/Dica-Liter%C3%A1ria-Minha-Hist%C3%B3ria-de-Michelle-Obama?fbclid=IwAR3f3PghMWKBzHM4-h3FfzK77xut9GKXlQm-zF_qlwpCyiHwOggwLD3t4f8
comentários(0)comente



Gio 07/03/2019

Que as portas da inspiração se abram!
Comecei esse livro com boas expectativas, muitas mulheres ao meu redor estavam falando sobre ele e de como essa mulher era incrível. E para conhecer ela resolvi ler sua biografia.
Em cada capítulo meu espirito se elevava em ânimo para continuar lendo, entendendo quem era essa mulher e de como chegou aonde pisou. Toda a narrativa ela marcou bem o ponto que mais lhe importava, a educação. Ela pontuou seu ponto de vista sobre o tema e mostrou a relevância em sua vida e de como quis levar isso para outras milhares de crianças que eram como ela. E mais do que isso, ela desafiou muito de si mesma e de todos ao seu redor, instigando, encarando as armadilhas e passando por tudo isso de maneira humana. Muitas das passagens desse livro me trouxeram reflexões sobre minha própria vida e me inspiraram a continuar crescendo. Uma ótima leitura!
comentários(0)comente



Karen Araki 18/02/2019

Um livro poderoso e arrebatador de uma mulher maravilha conhecida como Michelle Obama!
Que leitura simplesmente espetacular foi desse livro arrebatador da primeira dama dos EUA Michelle Obama. Simplesmente não conseguia parar de ler, apesar de ser um livro grande de quase 500 páginas, Michelle nos cativa já nas primeiras páginas através de uma leitura fácil e que convida o leitor a conhecer a sua vida desde a infância no Southside de Chicago, seus familiares que sempre a incentivaram , o que moldou a sua perseverança e já estava dentro dela o espírito e a vontade de sempre lutar e galgar passos mais altos através de uma educação de qualidade a qual ela sempre cita no livro que a educação leva e levará as pessoas de quaisquer classe social, cor, país, etc para um desenvolvimento melhor tanto no âmbito pessoal como no profissional e que devemos lutar e incentivar as futuras gerações que existe um futuro promissor com resultados comprovados mesmo que as situações sejam muito adversas. Também contou os seus diversos trabalhos em Chicago e que de uma certa maneira já mostrava a sua preocupação pelo bem estar ao próximo. Também contou como conheceu o seu marido e futuro presidente dos EUA Barack Obama as decisões em conjunto quando o mesmo decidiu se eleger como candidato a presidência dos EUA e como transformou com as suas particularidades o país em um lugar mais saudável e que se preocupa pela saúde e bem estar da população e criou até uma horta nos jardins da Casa Branca e que produziu mais de 1 tonelada de alimentos. Trouxe também as dificuldades de estar em um alto cargo e as consequências do poder das palavras quando transmitidas de forma incorreta, No livro também observamos as dificuldades de ser mãe com trabalho integral e com o marido fora a maior parte do tempo. Mostrou o lado triste do preconceito que ainda está enraizado nas pessoas e que infelizmente persiste ao longo dos anos Também vimos o lado não somente como as câmeras mostram mas o lado humano de Michelle Obama que sempre desde pequena se mostrou em prol da sociedade para um futuro melhor e mais próspero Virei mais fã da Sra. Obama que é uma das primeiras damas mais adoradas e respeitadas dos EUA e do mundo. Uma leitura simplesmente de encher os olhos, de se emocionar e depois que acabar a leitura simplesmente abraçar o livro e agradecer por existirem pessoas como a Michelle Obama. Livro nota 100
comentários(0)comente



joana 14/02/2019

Michelle sendo ela mesma
"A forma mais fácil de desmerecer a voz de uma mulher é resumi-la a uma pessoa rabugenta."
comentários(0)comente



Amanda Ulaf 06/02/2019

Minha História – Michelle Obama – Nota: 5/5
Todos nós conhecemos Michelle Obama por ser casada com o ex-presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, contudo, Michelle foi e é muito mais do que uma ex-primeira dama.

Acompanhamos neste livro, muito mais do que um simples relato de suas memórias, conhecemos sua infância, sua família, sua trajetória de vida. Passamos a nos sentirmos amigas, confidentes e representadas pela sua história.

Com detalhes minuciosos e de extrema delicadeza, nos deparamos com suas dificuldades em ser negra, pobre e mulher, nos emocionamos com cada conquista e superação. A história de Michelle Obama vai ser também um pouquinho da sua! Difícil encontrar uma parte em que eu mais gostei! O livro ficou cheio de post-its! Recomendadíssimo!

“O que importa não é a perfeição. O que importa não é o destino final. Há poder em se fazer conhecer e ouvir, em ter sua própria história, em usar sua voz autentica.”(Pg. 433).
comentários(0)comente



Polly 02/02/2019

Sempre nutri uma admiração pelos Obama mas nunca acompanhei a vida deles de forma mais profunda. Michelle, porém, me passava a imagem de uma mulher determinada, que não tinha vindo ao mundo para ser o segundo sexo, e por isso quis ler a história dela, contada por ela. A reação que tive hoje, ao finaliizar o livro, foi a mesma desde o início das primeiras páginas: que mulher!, só que numa intensidade maior a cada capítulo e cada vez que eu mergulhava no universo um pouco mais no mundo dela.
Michelle agora faz parte da minha vida, como uma inspiração e uma espécie de mentora na construção da Minha História.

Dica: procurem os vídeos dos discursos dela e do Barack à medida que eles aparecerem no livro. A gente se sente fazendo parte daquele momento, é surreal.
comentários(0)comente



steph (@devaneiosdepapel) 30/01/2019

Minha História
Minha História é o livro de memórias escrito por Michelle Obama, ex-primeira dama dos EUA e esposa do primeiro presidente negro da história desse país. Por meio de uma narrativa leve e poderosa, Michelle nos conta sua trajetória desde a infância até os dias vividos na Casa Branca, entre os anos de 2009 e 2017.

Eu conhecia muito pouco sobre Michelle, só aquilo que ouvia na mídia mesmo. Sabia que ela era uma mulher forte e determinada, mas ao ler seu relato, pude ver que sua personalidade distinta já se mostrava desde pequena, quando morava na região de South Side, em Chicago. Apesar de não ter passado por dificuldades financeiras, ela morava com a família em um bairro de classe média que ao longo dos anos foi se tornando predominantemente negro (e pobre).

O início do livro foi a parte mais arrastada para mim; a autora nos conta em detalhes como era a dinâmica familiar com seus pais e irmão mais velho, que moravam na casa acima de seus rígidos tios. A disciplina sempre fez parte da vida de Michelle, mas percebi também que ela viveu em um lar muito unido e amoroso.

Depois, somos apresentados à vida adulta e à carreira de Michelle, que eu nem sabia que era advogada (!). Adorei os tópicos abordados por ela durante essa parte, porque vemos claramente o racismo e machismo velado que existia nos anos 80 nas faculdades de renome (Michelle se formou em Princeton e Harvard).

"(...) Tentava não me intimidar quando a conversa em sala era dominada pelos alunos homens, o que era bastante comum. Ao escutá-los, me dei conta de que não eram mais inteligentes do que nós. Eram apenas mais incentivados a falar, navegando na maré ancestral da superioridade e estimulados pelo fato de que a história nunca lhes dissera o contrário."

Ao falar sobre sua carreira, a autora acaba entrando em uma parte muito relevante e conhecida para a maioria do público: seu relacionamento com Barack. Como eles se conheceram no ambiente de trabalho, Michelle traça diversos paralelos entre sua vida profissional e pessoal, como a ascensão de sua carreira e algumas das decisões difíceis que precisou tomar em prol do sucesso de Barack. Acho que essa foi minha parte favorita do livro; o relacionamento deles é muito maduro e repleto de momentos fofos. Adorei ver Barack como um rapaz sonhador e romântico e Michelle como uma mulher que se apaixonou mas nunca abriu mão de sua independência por amor.

"Nunca fui de ficar presa aos aspectos mais desmoralizantes de ser afro-americano. Fui criada para pensar positivo. (...) Mas, ouvindo Barack, comecei a entender que sua versão de esperança era bem mais ampla: eu me dei conta de que uma coisa era sair de um lugar empacado; outra, totalmente diferente, era tentar desempacar o lugar."

"O que acontece quando um individualista que gosta de solidão se casa com uma mulher sociável e extrovertida que detesta solidão? A resposta, imagino eu, é provavelmente a melhor e mais sólida dr todas para qualquer pergunta que surge num casamento, para qualquer pessoa e qualquer questão: você dá um jeito de se adaptar. Se o casamento é para sempre, não tem escolha."

Por fim, vemos a carreira de Barack até a chegada à presidência e como foram os anos da família Obama na Casa Branca. É muito interessante conhecer mais sobre esse mundo da política pelos olhos de Michelle; ela é uma mulher muito pé no chão e sempre fez questão de passar isso para suas filhas (por exemplo, as camareiras foram avisadas por Michelle que as meninas tinham que fazer a própria cama), sem permitir muito deslumbramento, afinal, aquela era uma residência apenas temporária.

Passei a admirar muito Michelle após ler seus feitos durante o período em que foi primeira-dama. Ela sempre quis fazer a diferença e aproximar a Casa Branca da população, organizando eventos abertos ao público e criando projetos para melhorar a saúde e a vida como um todo dos norte-americanos. E em meio a isso, teve de lutar contra o machismo e a futilidade da mídia (e da oposição), que julgava seu corpo, suas atitudes e suas palavras sempre que possível.

"A forma mais fácil de desmerecer a voz de uma mulher é resumi-la a uma pessoa rabugenta."

"O poder de uma primeira-dama é uma coisa curiosa – suave e indefinido como o próprio papel. (...) A tradição mandava que eu emanasse uma luz suave, agradando ao presidente com minha devoção, agradando à nação sobretudo ao evitar confrontos. Mas eu começava a ver que essa luz, se usada com cuidado, tinha um poder maior (...)."

Michelle é uma mulher corajosa e por mais classe que possua, deixa seu posicionamento bem claro ao falar sobre a posse de Trump. Confesso que senti um aperto muito grande no peito ao ler seu depoimento sobre o dia da posse e foi inevitável enxergar as semelhanças com a nossa situação política atual.

É impossível resumir em apenas alguns parágrafos a história tão grandiosa de uma mulher como Michelle Obama. São quase 500 páginas de um relato muito verdadeiro, inspirador e emocionante, que mostram ao leitor a força e persistência de uma mulher que nunca se contentou em ser mediana e lutou para não ser resumida apenas à sua aparência ou suas fraquezas.

A edição da obra está muito bem feita, com uma parte dedicada a fotos em alta qualidade de momentos marcantes da vida da autora. Só acho que essas imagens poderiam ter ficado como um adendo ao final do livro, em vez de no meio de um capítulo.

No mais, é uma super indicação para qualquer pessoa que goste de biografias e livros de memórias e queiram conhecer mais sobre a vida dessa mulher que junto à seu marido e família, marcou a história dos EUA e do mundo (e continuará marcando, com certeza). Acredito que vá entrar para os meus favoritos de 2019 com facilidade!

site: http://www.dear-book.net/2019/01/resenha-minha-historia-michelle-obama.html
comentários(0)comente



Carolina Reginatto 28/01/2019

Maravilhoso
Que livro emocionante!
O jeito que a Michelle escreve é único, da pra sentir a verdade nas palavras dela. Estava ansiosa para ler pois sempre admirei ela muito, mesmo não sabendo muitos detalhes da vida dela, e posso dizer que agora admiro ela muito mais.
Vale a pena cada pagina do livro. Recomendo demais.
A Michelle e sua familia são humildes demais, pessoas que fazem a diferença no mundo com certeza.
comentários(0)comente



ritita 25/01/2019

A melhor biografia que li até hoje.
Não tenho a mínima condição de resenhar uma biografia desta magnitude,. Muita informação, muita emoção pra pouca Rita, mas vamos a algumas considerações:

1) A vida da moça açambarca a vida de quase todas as mulheres que conheço, independente de cor, credo, ou condição social, desde as que nasceram pobres de marré de si, até as que nasceram na alta classe média. Claaro que nenhuma das que conheço chegou a ser primeira dama.

2) Estudar e estudar e estudar faz a diferença aqui, lá e acolá.

3) Para procurar sua própria voz, seja no gueto, no local de trabalho, em uma comunidade, ou mesmo na Casa Branca, é preciso achar junto com a voz uma coragem dos diabos.

4) Os EUA que tantos admiram é um país misógino, xenofóbico, racista, violento e conservador.

5) Não tenho condição psicológica para ser primeira dama nem do prédio que moro. Não gosto de sapo, cobras, muito menos lagartos.

6) Raras comparações entre Brasil & EUA cabem depois de ler, tirando as brigas e maracutaias políticas, como nação somos a mosca do cocô do cavalo do bandido, com relação a organização deles.
comentários(0)comente



Naty 13/01/2019

Ícone de responsabilidade social
Primeira Leitura de 2019 - Michelle Obama Minha História

Foi muito interessante e inspirador ler a biografia deste ícone da responsabilidade social nos Estados Unidos e no mundo. Inspira otimismo, luta diária e vai além!!!

Super indico a todos os seres humanos e aqueles que buscam se reinventar como seres humanos!

Ótima Leitura!
comentários(0)comente



Heloisa Motoki 05/01/2019

Íntimo, poderoso e inspirador
Michelle Obama conta sua história de forma íntima, capaz de fazer você se sentir dentro de sua família.

Ela conta para empoderar, nós mulheres, nós humanos e inspira na forma que conduziu sua vida, sua criação e ja criação de suas filhas
comentários(0)comente



Sandra 15/12/2018

Dezembro 2018
Uma otima biografia. Mostra os bastidores do poder , com todas as suas dificuldades. As vezes um pouco didático para quem não gosta de politica, mas no geral é muito intetessante, gostei.
comentários(0)comente



19 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2