Um Drink Antes da Guerra

Um Drink Antes da Guerra Dennis Lehane




Resenhas - Um drink antes da guerra


12 encontrados | exibindo 1 a 12


Carol 20/06/2019

"...um branco, o outro morto."
É por livros como esse que eu ainda encaixo dentro de um dia agitado e cansativo algum tempo pra leitura.

A história é comum para os que estão acostumados com literatura policial. Mas a narrativa não. Não há absolutamente nada de comum na narrativa de Lehane. Beira a perfeição.
comentários(0)comente



Carol 17/01/2017

Nota 3.5
Remei para ler esse livro.. Não conseguia seguir em frente com a história, quase abandonei várias vezes. Mas peguei para terminar e gostei, a história me surpreendeu. O ínicio achei bem cansativo, mas do meio para o fim a história fica mais interessante.
Juliana 17/01/2017minha estante
Oba!


Carol 17/01/2017minha estante
Sim, Juliana! hahah




Minha Velha Estante 18/02/2016

O que esperar de Um Drink Antes da Guerra
No geral eu gostei bastante da história, a escrita é bem ágil, as cenas bem descritas a ponto de você visualizar bem os cenários. O Patrick tem um humor que incomoda aos mais sensíveis, e Angie não fica atrás. Nenhum foge da raia, e as faíscas que rolam entre eles rendem bons momentos.

A guerra entre as gangues é bem explicada, você começa a ter um vislumbre que não te prepara o suficiente quando o real motivo é exposto, é um baque e tanto que só lhe deixa mais ávido para concluir a leitura.


site: http://www.minhavelhaestante.com.br/2013/01/um-drink-antes-da-guerra-dennis-lehane.html
comentários(0)comente



Araggorn 18/02/2014

Um drink antes da guerra é o primeiro livro da série com a dupla de detetives particulares Patrick Kenzie e Angela Gennaro.
Uma trama de cunho político e racial que faz refletir. Dennis Lehane possui essa característica numa história de gênero policial noir.
A dupla de detetives é fantástica, talvez uma das melhores duplas da literatura policial. Eles são amigos de infância e possuem uma química indiscutível.
Eles são contratados por políticos para recuperar um material roubado por uma empregada negra. Como toda a história de Lehane nada é o que parece. O branco é preto e o embaixo é em cima. Eles se veem envolvidos no meio de uma guerra de gangues e são ameaçados de morte.
A história mostra uma sociedade mentirosa, gananciosa e racista, onde a busca pelo poder é a prioridade. Kenzie e Gennaro vão conhecer da pior maneira a decadência das ruas.
A leitura é ágil e os diálogos intensos!
Neste primeiro livro somos apresentados a personagens como Bubba, um gigante e brutal traficante de armas que possui um peculiar senso de lealdade a dupla de detetives.
Dennis Lehane entra para minha lista de melhor autor policial.
Imperdível!



site: www.siriguelasaltitante.com.br
comentários(0)comente



Bia 18/07/2013

O primeiro Kenzie
Conflitos raciais, briga de gangues e Boston são os três elementos onipresentes em "Um drink antes da guerra". A cidade é tão importante quanto seus habitantes - brancos ou negros, ricos ou pobres, vivos ou mortos - e seus problemas.
Patrick Kenzie e Angie Gennaro são apresentados por Dennis Lehane, neste primeiro livro da dupla, sem rodeios e é no decorrer da leitura que conseguimos montar um retrato, ainda que inacabado, dos dois.
O texto mistura reflexões íntimas de Kenzie, que narra a história e tem o seu quinhão de conflitos psicológicos, com cenas de ação tão cruas e tão reais que às vezes a gente esquece de respirar entre uma frase e outra. Recomendo, e muito.
comentários(0)comente



Igor Nascz 15/07/2013

O inicio da dupla Kenzie e Genaro
“Tem um bar aqui perto. Deixe-me pagar um drinque antes da guerra."

Altamente recomendado, marca o inicio da dupla Kenzie e Genaro. A história envolvendo a dupla em uma Boston no meio de uma guerra entre duas gangues rivais é excelente, empolgante do início ao fim. E não tem nenhum ponto negativo a acrescentar.
comentários(0)comente



Núbia Esther 15/04/2013

Um Drink Antes da Guerra foi publicado em 1994 e marca a estreia de Lehane na ficção policial. É neste romance que também somos apresentados à dupla de detetives que protagonizam muitos dos livros publicados pelo autor: Patrick Kenzie e Angela Gennaro. Confesso que a dupla não me era desconhecida, há muito tempo já havia lido Gone, Baby, Gone e naquela época já havia sido cativada pela narrativa sombria e ácida de Lehane e por seus personagens.

“Pessoas morreram no verão passado. Quase todas inocentes. Algumas mais culpadas que outras.
E pessoas mataram no verão passado. Nenhuma delas era inocente. Sei disso; fui uma delas. Por trás do cano de um revólver, mergulhei o olhar em olhos dominados pelo medo e pelo ódio, e neles vi meu reflexo. Apertei o gatilho para fazer com que desaparecesse.
Ouvi o eco de meus tiros, senti o cheiro de explosivos e, na fumaça, continuei a ver meu reflexo, e me dei conta de que sempre haveria de vê-lo.”

Os clientes da vez são três homens com bastante influência no jogo político da cidade de Boston: os senadores Sterling Mulkern e Brian Paulson e o deputado Jim Vurnan. O trabalho? Recuperar documentos comprometedores que podem afetar um projeto de lei polêmico na próxima semana. Esses documentos foram roubados por Jenna Angeline, faxineira dos gabinetes de Mulkern e Paulson, que está desaparecida há nove dias. Só que quando Patrick encontra Jenna, descobre que há muito mais nessa história do que os políticos deixaram entender. E depois disso, a tarefa de encontrar Jenna e avisar os políticos toma um rumo completamente inesperado, principalmente quando as informações colhidas por Jenna a transformam em vítima e colocam Kenzie no fogo cruzado de gangues de rua.

Preconceito é a palavra-chave nessa história. Crimes raciais, a guerra (declarada, mas considerada tácita aos olhos da lei) entre brancos e negros, políticas contra a discriminação racial e seu impacto na sociedade, tudo isso entra em foco na narrativa de Lehane. E a morte de Jenna, coloca rastilho nessa bomba. Só que podem até terem tentado silenciá-la, mas Patrick não deixará barato. Descobrir o motivo e fazer os responsáveis pagarem por ele será seu objetivo. E quando Patrick assume ares de justiceiro, acompanhar seus planos é uma atividade bastante interessante. Principalmente quando eles envolvem ações pouco ortodoxas e personagens que compartilham com Kenzie e Angie seu senso de humor ácido e refinado. Quer seja o anacrônico Bubba que tem raiva de tudo e todos, menos de Patrick e Angie a quem defende com unhas e dentes, mentira, na verdade com fuzis e quem sabe até algumas granadas. O jornalista Richie, que não se priva de botar a boca no trombone, mesmo sendo por um lado motivo de piada dos que estão no poder e por outro, motivo de ódio dos outros negros que acham que por estar “bem de vida” se vendeu aos brancos. Ou até, os policiais Devin e Oscar, que como oficiais da Lei muitas vezes tem que agir impedindo os detetives de concluir suas empreitadas, mas que em outras oportunidades até os auxiliam, nem que seja só fazendo vista grossa.

A guerra está pronta para estourar e os responsáveis por ela irão pagar muito caro. Saber o que ocasionou todos esses eventos é o grande segredo que Lehane sustenta com maestria até o final. Em seu primeiro romance, o autor já dá mostras da atmosfera sombria e sufocante e dos personagens ambíguos que se tornariam mais tarde sua marca registrada. Leitura altamente recomendada aos fãs de romances policiais. O autor tem seis livros protagonizados pela dupla e cada um funciona bem sozinho, ou seja, dá para ler em qualquer ordem ou só ler alguns dos livros que compõe a série. Mas, só se seu interesse na obra se restringir apenas ao “caso” da vez, já que uma das principais características dos personagens é a sua intensa relação que ultrapassa a amizade e a parceria de trabalho. Uma leitura aleatória, apesar de prazerosa (como tive oportunidade de conferir), não te permite acompanhar o desenvolvimento dessa relação e as implicações disso na vida dos dois. Foi por isso, que decide começar a ler a série toda em ordem cronológica e concluída a leitura do primeiro livro, acho que posso dizer que me tornarei fã do Kenzie e da Angie definitivamente.

[Blablabla Aleatório] - http://blablablaaleatorio.com/2013/04/15/um-drink-antes-da-guerra-dennis-lehane/
comentários(0)comente



Thiago 08/08/2011

Dennis Lehane se apresenta ao mundo.
Dennis Lehane iniciou sua carreira literária em grande estilo com "Um Drink antes da Guerra" (A Drink Before the War), apresentando ao mundo a dupla de detetives Patrick Kenzie and Angela Gennaro que, tendo como cenário uma cidade de Boston marcada pela violência e por conflitos raciais, são contratados para localizar o paradeiro de uma simples camareira e recuperar com ela documentos ilegalmente obtidos no escritório de um influente político.

Impossível não sentir empatia pelos protagonistas da trama, muito bem desenvolvidos pelo autor, que precisam aliar a atividade profissional, seus conflitos internos e uma tensão romântica com alguns obstáculos para se consumar.

A narrativa em primeira pessoa, na voz de Patrick Kenzie, imprime um estilo singular ao texto, nos fazendo mergulhar em suas memórias e em toda selvageria urbana que marca a ambientação do livro.

Com diálogos inteligentes e humorados, bons personagens e uma trama envolvente, "Um Drink antes da Guerra" é uma ótima opção de leitura para todos, e não só para aqueles que apreciam o gênero policial.
comentários(0)comente



Normanda 30/05/2011

Detalhista
Adoro o Dennis Lehane. Pulei a ordem e comecei lendo 'Dança da Chuva', comprado na bienal do livro do RJ e depois 'Gone, baby, gone'. Eu me divirto com o jeito de pensar do detetive Patrick Kenzie. Ele demonstra perseverança mesmo quando outro já teria desistido logo na primeira confusão. A coisa toda começa a se enrrolar, envolver mais gente e vai ficando tudo nervoso. Muito inteligente apesar de ser demais detalhista, o que as vezes cansa. Enfim, Bubba é um sociopata adorável e Genaro deve de ser uma deusa pra tanto homem ficar de quatro por ela - literalmente. Livro envolvente, debate dinâmico - assim como sua história cheia de casos recentemente abordados . Mocinho e bandido? É dificil dizer quem é quem.
comentários(0)comente



Bruno 28/04/2011

Brilhante!
Iniciei a leitura deste livro cheio de espectativa e, para ela, fiquei completamente satisfeito. Dennis Lehane é excepcional, cria personagens extremamente complexos, de muita inteligência, virilidade e insensibilidade. E fora isso que me cativou. Pois os mocinhos da história não fazem o tipo daqueles protagonistas politicamente corretos, cheios de justiça natural, o que acaba fugindo da realidade.

Kenzie e Gennaro não vêem problemas de lançarem mão de recursos nada escrupulosos para protegerem a sua vida. O que de certa forma isso fascina, pois foge desse clichê do herói corretinho.

A trama não é aquela conspiração cheia de desdobramentos intrigantes, o que não tem nada a vez com o tamnho do livro. O livro é pequeno, mas de tão bom, por incrível que pareça, você sai completamente saciado, sem querer mais, semq uerer menos. Na medida certa. A trama, portanto, é até simples, mas, diante da identidade e personalidade única dos personagens, a leitura torna-se extremamente prazerosa.

Recomendo fortemente.

comentários(0)comente



tiago damazo 30/08/2010

o mellho livro que ja li
para quem gosta de uma boa historia com detetives particulares, açao com descriçoes incriveis e ainda uma critica social perfeita , leiam esse livro
comentários(0)comente



Nil 17/07/2009

Nunca tinha lido nenhum livro do Dennis Lehane. Gostei muito desse livro, os personagens são críveis, a história é envolvente e ainda tem espaço para o relacionamento deles. Muito bom!
comentários(0)comente

Lili Machado 06/11/2009minha estante
Pois é - emprestei e não consegui recuperar - por isso está na minha estante de desejados.


Márcia Naur 12/05/2011minha estante
Nossa! Que triste Lili, também empresto muito meus livros.




12 encontrados | exibindo 1 a 12