Finale

Finale Stephanie Garber




Resenhas - Finale


2 encontrados | exibindo 1 a 2


Mari 01/07/2019

Favorito
A trilogia inteira se tornou a minha favorita, me apaixonei por todos os personagens. Se ganhasse um caraval pediria que apagasse a trilogia da minha mente só para poder ler tudo de novo! Vou sentir saudades :( . Espero uma adaptação para cinema, pq sinceramente merece MUITO.
comentários(0)comente



Luiza Helena (@balaiodebabados) 03/06/2019

Originalmente postada em https://balaiodebabados.blogspot.com.br/
Depois de todas as revelações e o final eletrizante de Legendary, eu estava mais que sedenta por Finale. Com muita alegria afirmo que o livro não me decepcionou, chegando a exceder as expectativas.

Em Legendary, Stephanie evoluiu de forma grandiosa sua história e aqui soube muito bem manter o nível. Com capítulos alternados entre Scarlett e Donatella, a leitura teve um ritmo maravilhoso e eu me consumida por esse livro, capítulo após capítulo, mais que sedenta para saber como tudo iria terminar.

Donatella foi uma personagem que ganhou meu coração no livro anterior e aqui o amor continua. De personalidade bastante contagiante, destemida e determinada, Tella não se deixa intimidar por ninguém. Ao mesmo, ela é uma jovem que tem suas inseguranças e dúvidas, ela está disposta a ir até o fim do mundo que seja para salvar todo o reino de Valenda

O melhor de Tella aparece nas suas interações com Legend. Desde o livro passado, a química entre dois era mais que explosiva e assim continua. Os dois se tornaram um dos meus casais preferidos dos últimos tempos. Apesar de Legend me estressar um cadinho em certos momentos, é bem perceptível o sentimento que ela tem pela mais nova Dragna e da parte dela é bastante recíproco. Porém, como nada é tão fácil, esse sentimento pode vir a ser uma grande arma para os inimigos.

“Esta é minha escolha, e escolho você, Donatella. Eu não preciso de imortalidade. Você é o meu para sempre.”*

Scarlett foi uma personagem que teve uma boa evolução nesse livro. De início, achei que seu plot seria bem tedioso, porém num plot twist e ela se torna a peça-chave para salvar Valenda. Sua evolução é bem coerente com sua personalidade doce e caridosa. Assim como sua irmã, ela também está disposta a fazer sacrifícios para salvar os seus queridos.

Desde Caraval, vemos Scar descrever seus sentimentos em cores e sensações. Eu sempre achei que era um modo da autora nos fazer entender o que ela estaria sentindo, porém vai muito além disso. Gostei bastante da explicação dada e eu nunca teria imaginado algo do tipo.

Os sentimentos de Scarlett eram uma comoção de cores, girando em torno dela em guirlandas de água marinha animada, calêndula nervosa e gengibre frustrado.*

As interações entre Scar e Julian são regadas de um sentimento genuíno. Enquanto a relação entre Tella e Legend pode ser descrita como intensa, Scar e Julian é calmaria. Apesar do início da relação, é bem perceptível o quão verdadeiros e profundos são os sentimentos de Julian pela Dragna mais velha e da parte dela também é recíproco.

Um personagem que me intrigou bastante no livro anterior foi Jacks. Aqui ele ganha mais destaque, principalmente por ser a ponta de um triângulo, envolvendo também Tella e Legend. Vocês sabem o quanto odeio triângulos em histórias, mas esse aqui está mais que intrínseco e é bem coerente com a história. Suas ações envolvendo Donatella são, ao mesmo tempo, para ajudá-la assim como para se beneficiar, fazendo a personagem está mais que certa ao ficar com os dois pés atrás com ele.

No livro anterior fomos apresentados aos Fates e Deck of Destiny. Nesse livro, eles têm mais destaque, visto que a história aqui é justamente como derrotá-los. Gostei muito de como eles foram usados e explorados, com suas personalidades traiçoeiras e nada confiáveis.

A reta final é de parar o coração. Não houve tantos plots twists como nos dois outros livros, mas foi tão envolvente quanto. Durante toda a trilogia, foi mostrado o quão forte e profunda é o amor entre as duas irmãs, que uma sempre poderia contar com a outra sempre. Juntas, Tella e Scar não precisaram ser salvas por ninguém, a não ser por elas próprias.

“Não há nada tão precioso quanto o amor de uma irmã.”*

Não perdendo a tradição dos livros, o final foi bem fechado, mas deixando aquela pontinha a nos deixar a imaginar o que aconteceu. Não vou mentir que se ela quiser escrever outros livros a partir desse detalhe, nem vou reclamar.

Ocasionalmente, há minutos que levam segundos extras. Momentos tão preciosos que o universo se estende para dar espaço adicional a eles.*

Acompanhar essa trilogia foi uma experiência bem prazerosa e gratificante. Quem me conhece sabe que não sou a pessoa mais romântica do mundo, mas adorei como Stephanie conseguiu trabalhar a fantasia do seu mundo e explorar igualmente o amor em todas as suas formas. Enquanto muitos pensam que o sentimento é uma fraqueza, as irmãs Dragna mostraram que ele pode ser a mais poderosa arma.

“[...] o amor é outro tipo de mágica. Torna tudo mais brilhante, faz as pessoas mais fortes, quebra regras que não deveriam existir, é infinitamente valioso”*

* Sinopse e quotes traduzidos por mim

site: https://balaiodebabados.blogspot.com/2019/06/resenha-394-finale.html
comentários(0)comente



2 encontrados | exibindo 1 a 2