Sem Medo do Passado

Sem Medo do Passado Veronica Wolff




Resenhas - Sem Medo do Passado


7 encontrados | exibindo 1 a 7


Marcia Pimentel 26/10/2010

Um otimo livro
Eu gostei muito desse livro, eu gosto quando as autoras misturas ficçao com realidade, Eu ja tinha lido sobre Alasdair MacColla, quando eu li o nome dele eu pensei sera que é o mesmo?, e continuando a leitura vi que era o mesmo da historia da Escócia. Achei isso muito legal. E a historia de amor entre Haley e McColla é muito linda, eu chorei quando ele morreu, e quando um livro me faz chorar, é porque vai ficar marcado.
Cris.Pimentel 02/08/2019minha estante
ótimo como os seus? eu amo "Nos braços do highlander", sou sua fã!




Deca363 27/01/2010

Gostei de ler sobre Alasdair MacColla, pois ele realmente existiu e era mesmo um homem grande, umm heroi escoces e irlandes, capitão general, lutou ao lado de James Graham...A autora conseguiu mesclar com sucesso a realidade com a ficção...mas...faltou algum ingrediente para que o romance fosse 5 estrelas...não sei o que...quem ler e descobrir me conta...
Vou postar ele no topic "bem dotados" da comunidade do Orkut "Adoro Romances"...então quem quiser ler é só procurar por lá....
Ah!...já ia esquecendo da mocinha...Haley...corajosa, inteligente, pela descrição não é muito bonita, mas tem fibra e sabe o que quer...eu gosto de mocinhas assim.
comentários(0)comente

Bibi 18/05/2010minha estante
vou ler depois de do seu comentario deu vontade...




Ana Vidal 19/02/2010

bem, o q vale a pena mesmo nesse livro é a mocinha Haley q bate igual um homem, rapaz kkkkkkkkkkkkkkkk ela luta ferozmente. e só. o mocinho, Alasdair MacColla, q é realmente um personagem histórico, é um baita de um escocês bobalhão. sua verdadeira personalidade foi compeeltamente adaptada para um romance e, honestamente, me parece um banana.... mocinha volta no tempo e encontra mocinho e tenta salvá-lo da morte, já q ela sabe q ele vai morrer e como ele vai morrer. é só isso. sinceramente? não vale a leitura.
comentários(0)comente

Cris Paiva 19/02/2010minha estante
O outro livro dessa autora tambem não é muito bom. Esse negocio de viagem no tempo tem de ser bem trabalhado senão não funciona.

Eu queria mesmo era ver um escoces de espadão no sec XXI, isso sim, ia ser vantagem!




Cris Paiva 13/09/2010

Eu li outro livro dessa autora, "O Destino de Lilly" e achei um tédio, e já começei a ler esse esperando um repeteco do outro. Mas me decepcionei... o livro é ótimo! Kkkkkkk
A mocinha, uma mulher moderna, volta no tempo e encontra o escocês de espadão, que a "resgata" de um castelo inimigo junto com a irmã. A mocinha não faz a minima ideia do que esta acontecendo e acha aquele homem um grosso! Mas quando ela descobre onde ela está e quem é o "grosso" a coitada tem um crise de pânico e passa mal pensando em todas as barbaridades que disse pra ele. Afinal não se sai por ai insultando um legitimo Espadão das Terras Altas! Kkkkk
Ela reconhece o mocinho como um grande heroi escocês, dos mais valentes e sanguinarios (ele existiu mesmo, eu olhei na Wikipedia), se apaixona pelo Espadão e se deprime, lembrando que ele irá morrer em uma batalha pouco tempo depois...
Realmente é uma perspectiva deprimente, se apaixonar por alguem cujo prazo de validade está para vencer. Como lidar com isso? Será que ela vai conseguir mudar o destino e ter o seu felizes para sempre com o seu valoroso Espadão das Terras Altas??? Ai que nervoso!!!

Cristine 13/09/2010minha estante
parece ser interessante!!
aquela excursão, Jacobsville, Montanha dos Carpatos vai ter que passar pelas terras altas escocesas
kkkkkkk
por sinal, acho que o CVC precisa investir nesse roteiro, não tem cruzeiro temático, podiam fazer um passeio temático de romance!!
kkkkkkkkkk


Ana Lidia 13/09/2010minha estante
Ai Jesus, um Espadão das Terras Altas legítimo? Preciso tanto de um desses! kkkkkkk




Adriboa 06/11/2010

# Sem Medo do Passado – Verônica um belo de um Wolff de direita! – CHE 343

CúdiFerro, vulga CDF, está agoniada por tem que apresentar, pra ontem, seu argumento para a tese de mestrado, e se sente acuada por correr o risco de perder a tão almejada bolsa de estudos, caso não tenha uma brilhante idéia para defender as Terras Altas com suas armas, facão, mosquetes e espadão.

Fuçando no museu, a procura de alguma inspiração, CDF encontra uma misteriosa e deslumbrante faca esquecida no meio de tanta quinquilharia guardada a sete chaves e ela, como especialista em armas medievais, logo vislumbra na descoberta da peça a possibilidade que faltava pra deslanchar no argumento sobre os selvagens do Século XVII das Terras Altas podendo inclusive alterar a story.

A excitação da descoberta é tanta que em plena reunião familiar ela, como verdadeira CDF, não resiste e retorna aos trancos e barrancos ao museu para dar mais uma “espiadinha” em tão bela e desconhecida faca. Ela se admira ao ver que durante 4 séculos ninguém botou reparo no valor e na importância dessa antiguidade largada no sótão como se fosse uma verdadeira quinquilharia.

Fuçando aqui e ali, em tudo a espera de novas descobertas CDF se depara com uma pintura da mesma época e, imediatamente, se vê transportada pelo Túnel do Tempo para um outro mundo muito mais além da imaginação.

O lugar é soturno, apavorante, aterrizador e arrepiante, ela cai de paraquedas bem no meio de uma briga territorial. A irmã de Highlander está presa no calabouço do inimigo e quando ele está a procura de uma rota de fuga da masmorra vê CDF se materializar diante dos seus olhos, porisso pensa tratar-se de mais uma inimiga e a rapta.

Logo ao vê-la a atração animal o abate deixando-o de joelhos bambos e com uma vontade incontrolável de sealphodê-la inexplicavelmente de uma maneira ou de outra numa parada bem Lost.

Ele tem 2 metros Highlander da mais pura gostosura Neanderthal, regados a um charme medieval arrasador e quando CDF vê aquele Colosso de Rodes levando-a como a um saco de batata revolta-se masssss ao olhar para a belezura do Rodes começa a apreciar o Colosso também!

No primeiro instante ela não percebe e pensa realmente tratar-se de um rapto, mas quando a ficha cai e vê que foi parar na época medieval fica apavorada e quase morre de tanto pôr os bofes pra fora, ainda mais ao lembrar-se da story e saber que Highlander foi um dos mais ferozes e selvagens heróis medievais de 1.600 e bolinhas.

Highlander realmente é uma graça ao demonstrar, apesar de toda a época Neanderthal, o seu grande e verdadeiro amor por ela. Ele é a antítese do Uominho Medieval diPapel, é um TDB com letras garrafais escritas com um pistão bem alto e com bom tom de relevo anormal.

Sempre com aparência distinta, cheirosa e bonita apesar de nem sempre assim tão limpa, Highlander destroça o meu, o seu, o nosso cuore com a sua candura e delicadeza apesar de tanta macheza.

CDF começa a perceber que há alguma coisa de errado no reino da Dinamarca, pois a realidade diverge do que a story narrou. Ele é feroz nos campos de batalhas mais um doce de coco quando a trata e a beija. Ela espera Selvageria mais ele a trata com Delicadeza! Bravura?... Candura! Ódio?... Amor! Ela quer SealPhodê mais ele quer SealAmá-la!!!

CDF percebe que para que o seu amor dure e Highlander perdure, ela terá de algum jeito mudar a story por saber o dia, a hora, o mês e o ano que ele virará polveri di stelli, poeira de estrelas ou purpurina celestial.

Esse livro é para "aquelas" que gostam de Uominhos diPapel que quando outro Men simplesmente tocam na sua amada eles, extremamente territoriais, rosnam em desaprovação... Pois Mermã esse é o livro Men!

Apesar da Adriana não ser chegada a mato, acampamento, desconforto, conforto zero, higiene nula, ratos passeando pela casa, sopa com cabeça de peixe, comidas duvidosas, bebidas de água turvas e gosto asqueroso, banhos de canequinhas, sem shopiscentis e muitas mais muitas cabeças degoladas...

E por ele andar sempre descalço, provavelmente seus pés Highlander são enormes, grossos, rachados e cheios de cascos masssssssss com um Highlander maravilhoso e glorioso desses, além de delicioso e de bom caráter.

Nóis não só abre uma exceção como a Boattini fecha os olhos e embarca rumo à felicidade no Túnel do Tempo com uma tonelada de lixas, pedra pomes e creme de pé na bagagem pra deixar os pés do Mano uma delicadeza e uma seda só Men!

Confesso que a Adriana se apaixonou desesperadamente por essa delicadeza de 2 metros de Men, ele é grande mais tão grande que Nóis ficou sem fôlego de ver tanta belezura por metro além de um Rhodes Highlander de Cavalo. Porisso Boattini lembre-se...

O Perfeito tem Defeito, além é claro dele ser um Uominho apenas di Paaaaaaaaaaapeeeeeeeeeeeeeeel! Ohhh Que Meeeerda de Desgosto Men!

PS: No tempo livre e nas horas a vagas a Adriana poderá ser encontrada visitando Museus, Pinacotecas, Monastérios e Viadutos a procura de um Highlandercomo esse e, como até o momento nada foi encontrado nem mesmo os pés cascudos...

Nóis quer saber se as Mina, encarecidamente, não teriam um quadro medieval, um retrato paranormal ou um casco de animal para emprestar pra Nóis ir na encruzilhada fazer um Mizifi dos brabos. Mermã coloca Nóis nessa Fita Medieval PeloAmoDiDeus Men!

São Paulo, Novembro de 2010.
comentários(0)comente



Ly Cintra 14/01/2017

Viagem no Tempo
Vamos exercitar a mente agora. Já pensou em voltar no tempo e depois de muita confusão se tornar refém de um famoso guerreiro que você costumava estudar nos grandes livros de história da biblioteca? Se você disse sim, conhece a confusão de sentimentos pela qual Haley passou. Um pouco menos, porque a imaginação dela foi mais, digamos, palpável :D

A história de Haley e MacColla se passa entre Boston do século XXI e Argyll na Escócia, em 1646. A mocinha faz mestrado em História, especificamente em línguas celtas, apesar de manter um incontrolável interesse por armamentos pré-modernos o que a desvia do foco de estudo. Diante um imprevisto em uma de suas noites de estudo no museu de Havard, Haley acaba diante de MacColla que está no castelo do asqueroso Campbell, o vilão da história, para salvar a irmã Jean.
Pensando ser uma espiã, ou até mesmo parente de Campbell, MacColla logo sai arrastando Haley para tentar dar o troco ao vilão na mesma moeda. Haley fica atordoada e acha que tudo não passa de uma brincadeira, além de achar MacColla e Jean dois completos malucos. A ficha demora bastante a cair e a confusão é grande. Mestre em briga de rua, a mocinha é apavorada por uma longa cicatriz que possui na base do pescoço e impressiona MacColla todas as vezes que demonstra suas habilidades de defesa pessoal. O mocinho é o brutamonte mais fofo que já li, mas não se engane, pois ele não pensa duas vezes antes de usar sua longa espada, longa mesmo, mais de 1,80m :O As cenas entre os dois são de saltitar o coração. Preparem-se para as guerras, muito sangue, mortes, tristezas, todas bem dosadas com muito romance. Parece impossível? Só conferindo para ver!
Quando Haley se dá conta do que está realmente ocorrendo o impasse entre o passado e o futuro torna-se uma constante. Entretanto o enredo é uma incógnita do início ao fim é um daqueles livros sem certeza alguma para o final. Caso decida lê-lo prepare-se para um constante frio na barriga. Em meio a tantos Leannan (querida, em escocês) MacColla me deixou suspirando e desejando que todos os denominados bárbaros tivessem o seu caráter. Livro mais que recomendado!

Sem Medo do Passado, no original Warrior of the highlands, foi publicado pela Nova Cultural em 2009. Faz parte da série Clássicos Históricos Especial, que compreende os romances até o séculos XVIII. O livro faz parte de uma saga de 4 livros, sendo este o 3º. Sendo assim, segue a ordem da série:

CHE 318 - O Destino de Lily - Master of the Highlands.

CHE 361– Em algum lugar do passado - Sword of the Highlands.

CH343 – Sem Medo do Passado – Warrior of the Highlands.

Sobre o 4º livro não encontrei edição em português! Se alguém souber, por favor, me avise. O título é Lord of the Highlands. O personagem principal é o Rollo, que também aparece no livro 3.
E se você quiser ficar por dentro sobre os últimos lançamentos da autora, é só seguir:
@veronicawolff


site: http://minhas-palavras-secretas.blogspot.com.br/2012/04/sem-medo-do-passado-veronica-wolff.html
comentários(0)comente



Lua 02/01/2018

Gaita de foles, Livrinho de Banca e McDonald's
A história se inicia com a mocinha, Haley Fitzpatrick indo parar no século XVII enquanto realizava o seu trabalho de conclusão de curso. Lá ela encontra com o Alasdair MacColla.
No princípio a mocinha não sabe que o homem que a sequestrou era um dos quais ela estudou em livros e no início eles se bateram de frente, já que Haley é uma protagonista corajosa e não aceita ordens do seu captor. Mas logo ela descobre quem a sequestrou e a partir daí os dois passam a se entender melhor. Porém, com o romance veio o medo, Haley sabia que MacColla morreria em breve e estava disposta a tudo para salvar seu cavaleiro.

Bom, a princípio eu pensei que o livro fosse independente e não é bem assim. Apesar da história da Haley e do MacColla ser abordada somente nesse livro, a autora escreveu outros dois livros antes desse, e no final do livro em questão, ela aborda uma passagem importante de algum dos livros antecessores. Como eu não li nenhum deles, achei que essa parte ficou meio sem nexo.

Quanto ao enredo da história, a autora aborda muitas guerras na história da Europa e alguns movimentos históricos que eu achei bem chatinho, além disso, a mocinha tem uma fixação por armas medievais que me encheu o saco em algumas partes.

Apesar disso, o romance dos dois foi realmente uma coisa fofa! O MacColla é um TDB total, super atencioso e carinhoso com a Haley. Enfim, foi um livro bom para passar a tarde.

Leia a resenha completa no meu blogg. :)

site: http://rabisco-essencialmenteliterario.blogspot.com.br/2017/12/sem-medo-do-passado-veronica-wolff.html
comentários(0)comente



7 encontrados | exibindo 1 a 7