Agora e Sempre

Agora e Sempre Judith McNaught




Resenhas - Agora e Sempre


100 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7


Lizzy 06/08/2011

Todos os ingredientes de um excelente romance!
(resenha editada)
Esse é o meu preferido da JM. Adorei reler recentemente e gostei mais ainda.
A autora consegue prender em toda a trama, sem nunca ser cansativa. Os diálogos são bem elaborados e os personagens cativantes, Dígno de um filme!
A mocinha é uma fofa, e ele é uma mistura de Mr Darcy (de Orgulho e Preconceito) e Edward Rochester (Jane Eyre). Os dois são como fogo e água, ela é tão inocente e meiga e ele um vulcão, grosseirão e irresistível. Adoro o contraste entre os dois e como eles crescem na trama, ambos são intensos à sua maneira, principalmente o mocinho, frio, cheio de defeitos, exala masculinidade e sensualidade, um felino no meio de gatinhos, como bem pontuou a autora. Amo. Super recomendado.



Lu 09/06/2011

Judith McNaught repete sua fórmula e devo dizer que foi bastante feliz. "Agora e Sempre" é um romance bonito, envolvente e emocionante. A narrativa é fluida e prende a atenção durante várias páginas. Aliás, isso chega a ser um problema se vc, assim como eu, tem que acordar cedo no dia seguinte.

Mas vale a pena. Victoria é uma protagonista adorável. Forte e apaixonada, eu torci muito por seu final feliz. Ela, junto com os adoráveis personagens secundários, que vão desde o querido Tio Charles, passando pelos criados até as formidáveis parentes da Victoria são um show.

O problema é o mocinho. Lindo, galante, riquíssimo e capaz de grandes gestos de generosidade. Pela descrição, ele lembra até o Ian do 'Alguém para Amar". Só que nesse livro, eu acho que a Judith errou a mão e perdeu a medida. O comportamento de Jason beira perigosamente o abuso. Ele ultrapassa o limite do perdoável mais de uma vez. Eu sei que há uma explicação. Mas não acho que justifique algumas de suas atitudes ou mesmo algumas coisas que ele disse. Não gostei do personagem.

Minha nota real para o livro seria de 3,5 estrelas. Vou arredondar porque o resultado geral é um livro muito gostoso de ler e o final é bem legal.

Recomendo, mas acho o "Alguém para Amar" uma escolha melhor.



comentários(0)comente



Fernanda 20/06/2015

Descobrindo que ainda existe muitos livros bons por ai.
Genteee,esse livro faz parte de um “achado”.Quinta-feira passei numa livraria sebo para procurar qualquer livro que me instigasse. Muito embora a capa de AGORA E SEMPRE tenha me chamado a atenção,não dei nada por essa obra.Talvez pela aparência gasta ou pelo medo do desconhecido uma vez que eu não conhecia nada dessa autora.

No desenrolar deste resumo,será perceptível os motivos que me levaram a acreditar que esse livro é muito mais que valioso:

A narração da trama é desenvolvida de forma magistral na terceira pessoa.A historia inicia já com um drama,a protagonista Victoria mesmo tão jovem esta com a cabecinha a mil por hora devido os seus pais terem sido acometidos pela morte de maneira trágica,sendo assim Victoria e a irmã se encontram desamparadas e acreditam estar sozinhas no mundo.

Victoria Seaton logo se descobre a mercê de familiares que elas sequer sabiam que existiam.Como a trama vem brindada de suspense,é perceptível que a mãe de Victoria mantinha segredos com relação aos parentes e sua parte na vida nobre...Por motivos que a moça não compreende , sua avó, uma senhora de alta posição social, não permite que ela continue com a sua irmã caçula,tão pouco a avó tem interesse em trazer Victoria para ficar sobre seus cuidados e o seio familiar.De um feitio resoluto a senhora manda Victoria para a casa de um tio distante que concorda em recebê-la.

A partir desse fato a trama ganha mais vida,se é que isso é possível,uma vez que eu já estava quase trazendo essa jovem para dentro da minha casa e acolhendo-a como deveria ser feito...Largando minhas divagações de lado...Continuando..

O que Victoria não esperava era encontrar no lar do tio, um desafio constante para os seus dia mais nublados. Nesta casa reside um primo distante, Jason ..Um homem formoso,porem,sombrio .

O encontro a primeira vista segue uma narração meticulosa e os detalhes fazem toda a diferença.Desde a acolhida do mordomo ou a jovem com um leitão preso por seu abraço acolhedor. E Jason saltando fogo pelas ventas ao se deparar com uma jovem maltrapilha em sua porta ostentando um porquinho como se fosse um acessório rsrsrsrs .ADOREI ESSE ENCONTRO.

Entre uma pagina e outra ,começo a notar a inquietação da mocinha,convencida de que não era bem vinda naquela casa e Jason em muitos momentos dava mesmo a entender essa desconfiança.

No entanto,Jason carrega consigo mesmo,um passado tristonho e fardado pelo sofrimento. E o amor com certeza é a ultima das suas ambições.

Mas,como boba e romântica que sou,ficava suspirando o tempo todo.E as vezes fica tentada a mandar Victoria e o Jason para o inferno,eitaa casal cabeça dura hehehe
Os diálogos são maravilhosos e muito bem construídos,fluindo de jeito natural e espontâneo, o suspense de Jason contribui muito para que avançasse mais e mais na leitura.

Sorri,chorei,blasfemei,vibrei e reli certas partes que me deixavam toda boboca e vomitando arco iris hehe
Enfim,sem deixar spoiler. Os capítulos que antecedem o final.N.O.S.S.A.A.A.A.A.A.A. Não tem como não ficar eufórica.

Esse romance tem tudo que eu procuro,enredo rico e bem desenvolvido, a atração entre o casal é a primeira vista,porem,ambos passam por um processo de convivência ,conquista,brigas calorosas e também encontros de sentinela,encontros abrasadores e de DESCRIÇÃO MUITÍSSIMO ELEGANTE.

Judith McNaught me ganhou,quero ler todos os livros desta autora.Maravilhoso, INSTIGANTE e sem defeito.Um verdadeiro ACHADO.
Como eu sempre digo,ISSO NÃO É UMA RESENHA,não sei fazer uma de forma clássica e nem tão pouco eu quero.No entanto,gosto deste espaço para compartilhar impressões e opiniões .AVALIAÇÃO BASEADA EM UM JULGAMENTO e GOSTO PESSOAL.


Lay 26/06/2017

Que livro lindo!!!!!!!
Eu estou encantada com esse livro!!! Amei do fundo do meu coração. É simplesmente incrível o modo como ocorre o desenrolar da história. A escrita da Judith é fenomenal, que mulherão!!! Os personagens são maravilindos, tão bem construídos.... além da mensagem que o livro trás, que é emocionante. Agora e Sempre possui uma miscelânea incrível de emoções e vou guardar esse livro para sempre na memória.

O livro é narrado em terceira pessoa, o que colaborou muito pra o desenvolvimento da história. Aqui temos Victória, uma jovem cheia de vida e feita de humildade e simpatia, que após perder os seus pais em um acidente e ter seu coração partido, descobre que vem de uma família nobre da Inglaterra e assim sendo, acaba sendo enviada para morar com o seu tio Charles, um Duque que foge dos perímetros da nobreza. Gente, ele é a melhor pessoa ever, eu ri muito com os planos malucos-românticos dele. O Charles é ótimo!!!!! No entanto, ele possui um filho-sobrinho. Jason, é um homem frio, mal humorado e todas aquelas "desqualidades" de crápulas que nós adoramos odiar. E que já sofreu tanto nessa vida. (Confesso que achei muito pesado o passado dele, coitado.) O que colaborou pra tornar-lo o homem que ele é. Claro que, com a chegada de Victória vai ser um caos, porque tem aquilo de um odiar o oposto do outro e etc. Só que é tão incrível a forma como a autora desenrola o romance. É algo totalmente diferente dos enredos de época nessa pegada que eu já tenha lido. O que se torna algo muito maravilindo. Eu amei como a autora não fez aquilo de mudança brusca de personalidade. Jason continuou sendo um bruto, porém, um bruto apaixonado. E adorei a persistência da Tory em tentar quebrar os gelos do Jason. O livro nunca se torna chato, porque é tiro atrás de tiro, amigos. E ensina como é importante não termos medo de amar e ser amados, e que se for por amor, sempre valerá a pena.

Eu amei esse livro e pretendo ler os outros livros dessa autora, virei fã de carteirinha. Eu recomendo muito, principalmente para os fãs de romance como eu.


Blog MDL 13/09/2013

Victoria Seaton e sua irmã perderam seus pais em um trágico acidente e após o ocorrido se veem a mercê de parentes que elas sequer sabiam que existiam. Por razões que a Victoria desconhece, sua avó – uma dama da alta sociedade londrina – não permite que ela continue com a sua irmã caçula e a manda para a casa de um tio distante que aceita recebê-la. O que ela não esperava era encontrar um homem bonito – mas truculento – e não o senhor que lhe havia escrito tão amavelmente. Convencida que não era bem vinda naquela casa, a jovem Victoria sente-se perdida e apesar de determinada a ganhar o seu espaço, ela sente que talvez as coisas pudessem ser diferentes se o seu primo Jason não fosse tão arredio com ela.

Jason Fielding apesar de não se negar a uma boa companhia feminina tem razões de sobra para não confiar nas mulheres – principalmente naquelas que são tão belas quanto Victoria –, por isso ele não está muito feliz com a decisão do seu tio de deixar aquela jovem órfã em sua casa. Contudo, ele tinha que admitir que ela tinha algo diferente. Talvez fosse o brilho de determinação no seu olhar. Talvez fosse o seu jeito rebelde. Talvez fosse a sua predisposição de se meter em confusões. Ou talvez fosse a sua inocente beleza. De certo, ele não sabia afirmar o que era. Ele só sabia que ela estava deixando-o louco e isso nunca poderia significar uma coisa boa. Não quando ele mal podia controlar o desejo de beijá-la apaixonadamente...

Não sei se isso acontece com todos os leitores de romances históricos, mas eu não consigo deixar de imaginar como seria se eu vivesse naquela época. Contudo, o que eu sei é que não há como não sentir vontade de estar ali, em meio aqueles bailes suntuosos ou assistindo aquelas belas óperas, pois apesar de saber que sempre há algo ruim sendo tramado em algum lugar, é impossível não se deixar levar pelo romance que envolve a atmosfera. E por incrível que possa parecer, é justamente nas histórias de Judith McNaught que eu consigo achar tudo o que procuro em um bom romance de época. Ela sabe conduzir de maneira tão magistral o leitor por entre as páginas de seu livro, que mesmo quando a história soa clichê é impossível largar o livro e desistir da história. Acho que é por isso que eu não me canso de dizer que ela é minha autora de romances predileta.

Em ‘Agora e Sempre’ mais uma vez me vi cativa da história de vida da mocinha. É difícil explicar, mas McNught tem um dom de fazer personagens apaixonantes e o que ela fez com a Victoria não foi diferente do que eu estava acostumada, já que ela nos presenteou com uma personagem que acima de tudo é humana. É claro que vemos uma boa dose de drama de sua parte, principalmente quando ela passa a se envolver emocionalmente com o Jason, mas o modo como ela trata as pessoas e a forma como ela se importa verdadeiramente com tudo e com todos me deixou encantada. E mesmo que eu não entendesse no princípio, ela era exatamente o que o Jason precisava. Acredito que ninguém mais poderia amá-lo tão profundamente quanto ela, já que ele não necessitava apenas de uma mulher bonita para desfilar pelos bailes, ele carecia de uma mulher que também estivesse disposta a afastar os fantasmas do seu passado e a curar suas antigas feridas. Ademais, o Mike não podia estar mais certo ao escolher uma mulher para seu “sobrinho”, pois, por certo, ela era a única que conseguiria lidar com ele e com o seu gênio intragável de quem passou por mais coisas do que qualquer um seria capaz de superar.

Se fosse por minha vontade, esse livro teria o dobro de páginas, pois apesar do seu final ser lindo e emocionante, eu fiquei com um gostinho de quero muito mais e eu, de fato, adoraria ter tido um vislumbre do futuro de Victoria e Jason. Contudo, eu já deveria ter me acostumado com isso, pois é sempre assim que me sinto com relação aos livros de Judith McNaught, já que independente do que ela escreva, a sensação que tenho é que ela fez isso só para me deixar mais encantada e com a certeza de que ela é imbatível quando o assunto é uma boa história de amor. Podem ter certeza, não há maneira de vocês leitores, lerem o primeiro livro dela e não implorarem para ter um segundo em mãos, por isso digo e repito: Leiam Judith McNaught o quanto antes. Vocês não sabem o que estão perdendo.

site: http://www.mundodoslivros.com/2013/08/resenha-agora-e-sempre-por-judith.html
comentários(0)comente



Nanda 01/08/2010

Apesar de não ter gostado tanto do outro livro da Judith, me arrisquei a ler Agora e sempre e não me arrependerei jamais por isso! Estou apaixonada por livros de romance histórico e creio que me apaixonei ainda mais ao ler esse livro. Eu gosto de ler as histórias descritas de tantos anos atrás. Eu me transporto pra outro mundo, onde todos viviam com outros costumes, outras regras. Tudo era diferente e as vezes parece até mesmo mais divertido. Apesar de várias vezes dizer a mim mesma que eu não daria conta de viver naquela época, haha.

Mas quando leio sobre os bailes, os flertes tímidos das moças, a tentativa dos cavalheiros de cortejá-las, é tudo tão incrível, tão fascinante. Eu me envolvo totalmente na história. Nessa não foi diferente. Apesar da história tão clichê, onde a mocinha é ingênua e se apaixona pelo frio e galante cavalheiro, ela se destaca das demais. Desde o começo do livro, tem-se a certeza de que conquistar o coração de Jason não seria uma tarefa fácil. Não apenas a morte do filho o transforma num homem frio, mas também a sua infância sofrida e digamos espantosa. Entretanto, Tory entra na vida dele e consegue fazer brotar em seu frio coração o amor.

E como Mike diz certa vez para Tory, Jason só será capaz de amar uma única vez e quando isso acontecer será para sempre. Apesar de tudo que aconteceu na vida e de ter todos os motivos para odiar as mulheres, Jason entrega seu coração calejado a Tory agora e sempre. É apaixonante!


Quatro Amigas 11/02/2015

Resenha para o blog www.quatroamigaseumlivroviajante.com
Oi, gente!!!

Feliz 2015 para todos vocês!

Começarei o ano falando de livros que vinha postergando a leitura por dois motivos: falta de tempo e porque não são muito baratos fáceis de achar. Então, preparem seus forninhos porque vamos falar da Diva JUDITH McNAUGHT.

As publicações de JUDITH McNAUGHT no Brasil são confusas e difíceis de acompanhar. Explico, cada livro tem começo, meio e fim, e podem perfeitamente serem lidos de forma independente, PORÉM, fazem parte de determinadas séries onde alguns fatos, lugares ou personagens se entrelaçam.

Ou seja, para nós - leitores ávidos e exigentes - fica a sensação de que fomos lesados no conteúdo. Mas já passamos por isso outras vezes.

Começarei falando de uma das mais aclamadas séries da autora, “SEQUELS”, editados pela EDITORA RECORD:

Livro 1 – "AGORA E SEMPRE" (Once and Always – 1987) - Casal: Victoria Seaton e Jason Fielding

Livro 2 – "Something Wonderful" (1988) - Casal: Alexandra Lawrence e Jordan Townsende

Livro 3 – "ALGUÉM PARA AMAR" (Almost Heaven – 1990) - Casal: Elizabeth Cameron e Ian Thornton

Bom, imagino que há essas alturas vocês já estão se perguntando: Por que não publicaram o segundo livro da série? Olha, é difícil dizer! Estamos falando que uma das mais renomadas autoras do gênero e de um livro que vendeu milhares de cópias, portanto, também não fui capaz de chegar a uma resposta convincente.

O livro que dá início a essa intensa e fabulosa jornada é "AGORA E SEMPRE".

VICTORIA SEATON tem 18 anos e acaba de ficar órfã. Ela e sua irmã mais nova, Dorothy, estão completamente desamparadas. Graças ao médico que esteve presente aos últimos momentos de seus pais, Victoria foi informada - e muito surpreendida - com a notícia que sua mãe tem parentes que fazem parte da aristocracia inglesa. Sua irmã foi gentilmente aceita para ir morar com sua avó, a Duquesa de Claremont, mas Victoria não a acompanhará, será conduzida para a casa de um primo distante.

VICTORIA é uma garota simples, muito inteligente, esforçada, determinada e exuberantemente linda. Com sua madeixas cor de fogo nem se dá conta do quão é atraente, e de que mais parece uma Deusa. Embora sua vida esteja longe da tranquilidade com que tanto sonhou é a esperança de reencontrar seu amor de infância, Andrew, que a mantém firme e confiante.

JASON FIELDING é um homem duro, arrogante e amargo. Dono de uma alma torturada, solitária e infeliz ele não acredita em nada e em ninguém. Para LORD JASON FIELDING a vida é um grande jogo de interesses onde todos valem quanto pesam e carregam no bolso. Os homens o temem por sua empáfia e riqueza, as mulheres o idolatram pelo seu poder de sedução, beleza devastadora e pela trilha de dinheiro deixada por seus passos.

Uma carroça está parada diante a imensa, imponente e elegantíssima mansão de JASON FIELDING, uma garota chamada VICTORIA SEATON, suja de lama, descabelada e segurando um leitão nos braços está parada em sua porta dizendo ser uma prima distante da América que foi convidada para passar algumas semanas.

Caros, como a grande maioria sabe, sou uma fã incondicional de romances históricos ou de época – como queiram chamar – e já li vários deles, mas NADA neste mundo poderia ter me preparado para JUDITH McNAUGHT.

Nós todos sabemos que os romances de época são sobre redenção, o resgate da melhor parte que todo ser humano tem guardado, esquecido ou adormecido que vem à tona através de muito sofrimento e amor, mas, meu amigo, o que essa mulher faz em suas histórias é simplesmente estupefante, inenarrável!

São cerca de quinhentas ou - com sorte - mais páginas de uma trama muitíssimo bem articulada (eu pessoalmente nunca tinha livro um romance de época tão bem escrito e elaborado), sem deslize, sem brechas, sem pontas soltas, sem coincidências conveniente e principalmente, sem ar! O texto é muito intrigante, eximiamente bem escrito, enlouquecedoramente sedutor e envolvente.

E esse casal, meus queridos, é literalmente DE-LI-CI-O-SO!!!

Eu não vou dizer nenhuma outra palavra sobre o que foi uma das minhas melhores descobertas literárias dos últimos tempos! Querem saber mais? ENTÃO, CORRAM ATRÁS DESTE LIVRO!!!

Mas eu nunca poderia terminar esta resenha sem falar de uma pessoa que eu tenho enorme admiração e respeito, minha querida SUELI JANSEN. Foi graças a uma de suas maravilhosas resenhas para o Blog Romances in Pink que eu descobri JUDITH McNAUGHT. Imaginem qual não foi a minha surpresa quando lhe enviei um e-mail, com algumas dúvidas sobre os livros de Judith, e ela prontamente me orientou e ajudou a entender melhor a obra desta escritora maravilhosa.

Então, quando as próximas duas resenhas da série “SEQUELS” sairem, saibam que esta que vos fala foi muitooooo bem orientada!

Sueli, meu MUITO OBRIGADA por toda essa sua “querideza”!

Agora, larguem tudo e vão comprar, trocar, emprestar esses livros, minha gente!

* O livro que eu li foi a versão da EDIÇÕES BestBolso com têm 416 páginas. O texto está na integra como o da edição Best Seller.


Título: Agora e Sempre
Saga: Sequels #1
Autora: Judith McNaught
Páginas: 416
Editora: BestBolso
Resenha por: Alessandra
Classificação: 5/5 ♡

site: http://www.quatroamigaseumlivroviajante.com/2015/01/resenha-agora-e-sempre-judith-mcnaught.html#.VNv05PnF800


Sissa 11/11/2010

Acho que sofro da Síndrome do Suspiro Apaixonado
Quase pirei quando entrei na livraria e perguntei inocentemente para a vendedora "Tem algum livro da Judith Mcnaught aí?", porque todas as vezes que eu perguntava eu ouvia sempre a mesma resposta: "Não". Desta vez foi diferente, ouvi um sim!!!!!!!!!!!! Pensa na felicidade desta pessoa aqui, isso porque eu já tinha lido ele umas duas vezes em ebook, mas em papel é beeeeeeeeeeeeeeeeeeem mais emocionante!!! vai entender...

Bem, pra variar..., a história é maravilhosa.

Minhas resenhas costumam ser longas.
Mesmo.
Mas resolvi postar uma única palavra que resume toda a minha opinião em relação ao livro: PERFECT.
(parece que já ouvimos essa palavra em outro livro da mcnaught, não é mesmo!! rsrsr, belo trocadilho!)

O livro é isso: PERFECT.
Jason é maravilhoso.
Vitoria é mais ainda.
E no final, é de chorar de dó, de angústia e depois de mais pura felicidade e alívio.

Me fez suspirar feito uma idiota no final (pra variar...)
Por isso acho que sofro da Síndrome do Suspiro Apaixonado todas as vezes que termino uma leitura da Mcnaught. Todas as vezes!! kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

Não tenho mais o que falar. PERFECT.

OBS: Se alguem me perguntar "Qual a história do livro?" eu me mato.
É só ler a sinopse que se descobre. Eu quaso infarto quando eu leio algumas opiniões e nos "comentarios" da resenha vem um espírito de porco e pergunta: "Qual a história do livro?" Aff!! kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk
É exatamente por isso que existem as sinopses!!!!!
Nossa, hoje eu tô sem educação!!! kkkkkkkkkkkkkk
Livros da Mcnaught dispensam as sinopses. Pode ler numa boa.

comentários(0)comente



Pat 24/07/2014

Decepção.
Esse é meu segundo livro da autora e confesso que estava bem curiosa principalmente porque gostei muito de outro livro dela, mas o que eu encontrei foi uma total decepção.

O começo do livro é bem interessante. Gostei da personalidade da Victoria e sua irmã, e até do sofrido Jason. Uma pena que a autora se perdeu totalmente à partir da metade do livro.

Eu entendo que por ser um livro histórico o machismo predomina, mas como já havia lido outros livros nesse tema e mesmo assim gostado achei que não encontraria problemas nesse... ledo engano.

Victoria que era uma personagem divertida e com seus próprios ideais foi poucos aos poucos se perdendo. Ela era inocente? Sim! Mas não justifica o quão fácil ela aceitava o que os demais lhe falavam, e embora em várias situações ela estivesse certa teve que se submeter e ter conflitos internos sobre si mesma devido ao maior problema desse livro...

Jason. Começou como o típico mocinho de romance histórico: sofredor, lindo, rico e com um passado obscuro e até aí normal, MAS pouco a pouco quanto mais ele se interessava pela Victoria mais possessivo ele se tornava. Era um relacionamento abusivo. Ele não aceitava um não, a intimidava, e a fazia ter *medo* dele. Quantas cenas não foram a Victoria falando algo que sabia que iria lhe irritar e depois ficando com medo de ele explodir pra cima dela? Não é normal.

Ele tinha um passado triste? Com certeza. Mas tentar justificar suas atitudes para com todos(principalmente mulheres) por causa do seu passado traumatizante não rola, na verdade, só piora.

A manipulação, a intimidação, a violência, entre outros fatores foram os motivos que me fizeram terminar com aquela sensação de tristeza por a autora ter feito seus personagens tomarem esse rumo.

ENFIM, com certeza lerei outro livro da autora com um pé atrás.



Ivi 10/09/2014

AGORA E SEMPRE (Judith McNaught)

Oi gente que ama livros, hoje venho com a resenha do 70º livro em 2013 e foi AGORA E SEMPRE (Judith McNaugth). Ganhei este livro no blog LIVROS ROMÂNTICOS da minha querida parceira Raíssa e já imaginava que ele seria um romance, mas eu não estava preparada para a deliciosa narrativa da autora. Foi uma leitura muito boa, até porque eu estava ainda na ressaca do livro MENINO DE OURO e precisava me conectar com novos personagens.

O livro nos traz uma narrativa desenvolvida tendo como cenário o ano de 1815. Conhecemos então a Victoria, uma moça que acabou de perder os pais em um acidente e juntamente com a irmã Dorothy, é enviada da América para a Inglaterra, afim de ser cuidada por parentes distantes que ela nunca conheceu. Dorothy irá ficar com a bisavó, que nunca perdoou a mãe das meninas por ter deixado a família para trás e Victoria irá ficar com o primo Chase, este que antes mesmo de conhece-la, deseja casá-la com Jason, um homem envolvido em mistérios, dono de uma fama de mulherengo e pouco satisfeito com a intromissão de outras pessoas em sua vida.

O romance se desdobra entre Victoria e Jason de uma maneira maravilhosa. Victoria apesar de estar vivendo o momento mais vulnerável de sua vida pois os pais morreram e ela está em um outro país com pessoas que nunca viu, é forte e decidida o suficiente para não deixar ninguém humilhá-la e tudo isso sem perder a feminilidade que é muito bem construída desde as primeiras páginas da história. Jason por sua vez faz de tudo para perturbar a moça tendo um comportamento arredio, mas sem passar ao leitor aquele perfil chato e insuportável que alguns protagonistas masculinos possuem.

Além da história do casal ser muito bonita, os personagens que orbitam ao redor da trama são extraordinários. Cada um deles que diretamente age sobre a vida de Jason e Victoria, são tão bem caracterizados que nenhum passa desapercebido. Dos parentes próximos ou até a criadagem das suntuosas propriedades, ganham vida própria e desfilam na narrativa com autonomia.

Salvo os livros da Jane Austen, eu não me lembro de ter lido nenhum romance histórico e nem saberia justificar o motivo, mas este livro conseguiu me levar para outro século, me fazer visualizar as carruagens, as roupas, a prataria usada para servir o chá e ainda que estejamos falando de uma época distante da nossa, conseguiu imprimir sentimentos muito bem descritos e presentes na vida atual.

O final do livro é amarrado de uma maneira original e com direito a uma deliciosa surpresa e quando eu concluí a leitura, estava me sentindo a leitora mais satisfeita do universo.

Super recomendo o livro para os românticos, para os leitores que apreciam uma boa descrição sem cair no tédio de parágrafos desnecessários e sobretudo, para quem gosta de personagens fortes e inteligentes.

Foi o primeiro livro da autora que eu li e eu espero que não seja o último. Amei a leitura do começo ao fim!!!
comentários(0)comente



Nadja 17/06/2014

Vicioso!!!
Não foi o primeiro livro que li da Tia Judith, mas é o livro que mais releio. Amo. Amo. Amo. Escrita perfeita (como sempre)e com a história perfeita para personagens intensos e marcantes. É a velha conversa da prima pobre que vai morar com o primo rico, mas que nas mãos da Judith vira arte, vira show. Jason (Seu lindo, eu te amo, eternamente, suspiros...AHHHHH)é o Ogro em pessoa, mas por tudo que o infeliz já passou ele pode ser o que quiser (que eu deixo)e a minha Tory é a tradução da bondade e força com uma pitada de heroísmo. O enredo te atraí de tal maneira que você não larga o livro até dá fim dele e no fim deseja que ele tivesse no mínimo 3000 páginas que leria feliz da vida. É uma guerra de vontades, orgulho e quem ganha é o amor.
Falar dos livros de Judith pra mim é fácil, sou fã total, li todos, conheço os personagens e acho até que sou pirada porque me sinto tão íntima das criaturas literárias.
Quem leu não se arrependeu.E por favor não insistam o JASON é meu.


Luciane 08/03/2017

Melhor livro de todos os tempos
Sou completamente apaixonada pelo Jason. Já li e reli essa estória várias vezes e há sempre a mesma sensação de prazer e encanto. A Judith é realmente maravilhosa, não tem como não suspirar e se emocionar lendo seus livros.

Jason é um marquês, um homem sozinho e amargurado, com um passado sofrido, não acredita no amor até conhecer a bela ruiva americana que vira sua vida de cabeça para baixo.

A Victoria é uma jovem alegre e inocente que perdeu os pais e a vida que conhecia na América, foi enviada para a Inglaterra para viver com um primo distante, rejeitada pela avó e separada de sua única irmã.

A pureza e a beleza de Tory encantam Jason e começam a derreter seu coração tâo resistente ao amor.

Sou suspeita para falar porque amo esse livro, mas as cenas compartilhadas pelos dois são lindas, eles vivem muitos momentos de brigas e desentendimentos, mas a partir do momento que a Victoria percebe que ama o marquês ela decide lutar por esse amor com unhas e dentes e faz de tudo para conquistar o coração do amado.

A partir daí vemos algumas cenas engraçadas, tristes, românticas, e o amor tomando espaço no coração do teimoso Jason.

Amo a cena que ela dá um presente para ele, adoro quando ele derruba a porta e me derreto na cena que ele finalmente se rende ao amor e à doce Victoria.

Livro maravilhoso, para amar e se encantar...


Diego 18/03/2010

perfeito!
Amo a escrita da autora, ela e fantástica. Ninguém descreve cenas de amor e paixão tão lindamente quanto essa amada autora chamada Judith Mc Naught. Fico arrepiado com suas cenas e personagens inesquecíveis.
comentários(0)comente



Ana Camila 29/12/2013

Cada vez mais apaixonada pelos livros da autora. Muito bom livro essa começa já com toda a aventura, com muito romance, muito, muito bom! Adorei a companhia de Victória e Jason, não dá vontade de parar de ler.
comentários(0)comente



100 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7