Como se Encontrar na Escrita

Como se Encontrar na Escrita Ana Holanda




Resenhas -


21 encontrados | exibindo 1 a 16
1 | 2


Vanessa Garcia 23/03/2021

Como se encontrar na escrita
Um livro muito inspirador! Tudo que eu precisava pra não desistir (de começar).
comentários(0)comente



LariReis 11/03/2021

Ótimo para quem quer se inspirar na escrita!
Ana Holanda é, pra mim, a rainha da escrita afetuosa. O livro está recheado de exemplos sobre como essa escrita é feita, sem que isso atrapalhe a fluidez da leitura. Ainda, traz sugestões de exercícios que são um bom ?extra?.
comentários(0)comente



Keitilisi 03/03/2021

Ótima inspiração
É um livro mto bacana para quem quer aprender a escrever de forma criativa e afetuosa. Ensina a não ter vergonha dos sentimentos e enxergar o lado bonito das coisas simples. Me ajudou muito!
comentários(0)comente



Leninha 25/02/2021

Amor e leveza por meio da escrita
Não conhecia a autora, estava procurando por algum livro que me ajudasse na reconexão com a escrita, e encontrei com esse título.
⠀⠀⠀⠀⠀⠀
Neste livro, Ana Holanda traz inspiração para escrever de forma afetiva, e assim gerar uma conexão real com as pessoas.
⠀⠀⠀⠀⠀⠀
É mais do que um livro sobre escrita, é uma aula de viver com significado.
⠀⠀⠀⠀⠀⠀
Recomendo para quem quer aprender a escrever/viver com mais profundidade.
comentários(0)comente



Viquetoria 17/02/2021

Bom
A proposta do livro é boa e simples, com vários trechos de textos publicados como exemplos. Gostei dos exercícios propostos. Infelizmente, achei um tanto quanto repetitivo.
comentários(0)comente



Alice 25/01/2021

Muito bom
O livro resgata a simplicidade, despertando-nos para um olhar ?afetuoso? acerca do nosso dia a dia. Muito inspirador!
comentários(0)comente



Janaina Vieira Writer 24/12/2020

Escrever com afeto
Adorei esse livro! O que significa escrita afetuosa? Significa colocar a alma e o coração em cada palavra. Há quem pense que, no mundo corporativo, por exemplo, não existe espaço para escrita afetuosa porque tudo deve ser racional, direto e objetivo, mas o livro mostra que isso não é verdade. Podemos, e devemos, colocar afeto até mesmo em um simples e-mail, sem deixar de transmitir a mensagem principal.

A escrita afetuosa é libertadora e muito necessária, ainda mais nos dias que vivemos. Por isso, aprender a libertar-se de caixinhas e amarras no ato de escrever é o que pode conduzir tanto aquele que escreve como aquele que lê a um novo e melhor estágio com as letras. Além disso, pode ajudar muitas pessoas a descobrirem o escritor que dorme em sua alma, trazendo-a à luz.

Recomendadíssimo!
comentários(0)comente



@nemaria 23/09/2020

Se você gosta de escrever...
Ana Holanda parece conversar com a gente olhando direto nos nossos olhos nesse livro. Nos mostra, com açúcar e com afeto, que é possível escrever de forma afetuosa até sobre temas que já são padronizados e envolvem números e gráficos. Através das atividades propostas, vai desbloqueando nosso potencial criativo e nos ensina como encontrar nossa alma e a colocar no papel. Magnífico! Ah! Tem um Tedx dela; muito bacana também.
comentários(0)comente



Lethycia Dias 22/09/2020

Desenvolvendo um olhar sensível
Recebi em um grupo de escritores a indicação do livro "Como se encontrar na escrita", e aproveitando a minha assinatura do Kindle Unlimited e que recentemente li outro livro sobre escrita, decidi ler. Eu não conhecia o trabalho de Ana Holanda e nem seu curso, e portanto, o livro foi uma surpresa para mim.
Ana Holanda é uma jornalista brasileira e trabalha como editora na revista Vida Simples. Ela tem há alguns anos um curso de escrita onde ensina pessoas a se conectarem de forma emocional com o ato de escrever. E é daí que vem esse livro.
"Como se encontrar na escrita" é voltado para qualquer pessoa que goste de escrever ou que trabalhe com isso. Não só de escrever literatura, mas qualquer tipo de texto. É voltado para jornalistas, blogueiros, executivos que querem melhorar a forma de se comunicar com os funcionários de sua empresa, pessoas que escrevem por hobbie e até quem sonha em ser escritor. Ana procura ensinar um público muito variado de pessoas a desenvolver um olhar sensível na vida cotidiana para que consigam transferir autenticidade e afeto por meio das palavras que escrevem. Isso é o que ela chama de "escrita afetiva" ou "escrita afetuosa".
Eu sinto que precisava desse livro anos atrás, quando estava no meio da graduação em jornalismo e imersa na rotina de escrever textos jornalísticos a partir de técnicas muito rígidas. Nessa época, eu cheguei a pensar que não conseguiria mais escrever literatura. Eu sentia falta de escrever só pelo prazer de fazer isso, sem obrigações ou regras. Até que um dia, senti uma coisa que me despertou essa vontade novamente. Penso que esse processo poderia ter sido menos doloroso se eu tivesse lido esse livro naquela época.
O livro de Ana Holanda fala de pessoas que também se sentem assim. Ela conta histórias de vários de seus alunos que também se sentiam insatisfeitos com o que escreviam, e que se reencontraram com a ajuda dela. O que Ana faz em seu livro é nos chamar atenção sobre como todas as histórias valem a pena ser contadas e o que menos esperamos pode nos surpreender ou emocionar. Para demonstrar isso, ela reproduz várias reportagens em estilo de jornalismo literário publicadas na revista Vida Simples, além de textos publicados em outras fontes. Alguns desses textos me emocionaram muito. No fim de cada capítulo, ela propõe um exercício de observação e/ou escrita.
Só duas coisas me incomodaram nesse livro: a quantidade de informações que Ana dá sobre sua vida; e as inúmeras citações ao curso da autora e à revista onde ela trabalha: tudo parece uma propaganda do curso e da revista, de como o curso transforma vidas e a revista publica o tipo de texto que Ana ensina a escrever. Não duvido que isso seja verdadeiro. Mas achei a repetição um pouco cansativa.

site: https://amzn.to/3iSLZ4o
comentários(0)comente



@pricabral_br 21/09/2020

Esse livro é de uma profundidade...
Livro lindo, profundo, que te faz pensar e repensar sobre a vida. Fala sobre a escrita de um ponto de vista que muitas vezes é ignorado. Não é um manual, é um abraço que te faz mergulhar em si e através desse mergulho você encontrará o outro: seu leitor.
comentários(0)comente



Luiz 13/09/2020

Mergulhe e escreva
Livro super sensível e acolhedor que encoraja a nos expressar pela escrita. A autora elabora sua perspectiva de como a escrita sincera pode ser libertadora e transformadora. Um processo de autoconhecimento e real contato com os outros. Depois de ler, fica a sensação gostosa de aprendizado e incentivo!
comentários(0)comente



Daniela.Agendes 30/08/2020

Inspirador
O livro não traz técnicas de escrita, mas sim inspiração e estímulo para que escrevamos com alma e, assim, tenhamos textos ricos em emoções e sensibilidade, capazes de cativar o leitor.
comentários(0)comente



Lulis 28/07/2020

Intenso!
O que foi esse livro?
Não teve receita de escrita, não teve vontade de parar a leitura, não teve distância.
A experiência aqui foi muito além do ato de ler e de escrever, foi uma perspectiva da vida. Da vida de pessoas comuns, como eu ou você. E sabe o que é incrível? Essas histórias de gente comum é que deixa tudo especial.
Muito além de mostrar o que é a leitura afetuosa, Ana faz você viajar em uma. E mais que isso, nos leva a ver a vida como um livro que deve ser lido de forma afetuosa.
A sensibilidade com o autor que tem medo de se expor e de entregar ao que faz é o que faz a diferença. Saber que alguém se identifica com você e te ajuda a enxergar o mundo de um jeito mais emocional.
Se a jornada do livro não te atrai como escritor, pode lhe fazer bem como leitor, mas o que mudará de verdade é o lado humano. Pois, além de mostrar produções textuais, ela apresenta trabalhos que realçam o nosso lado humano e nossa visão de mundo.
comentários(0)comente



Mari 28/06/2020

Não é manual
A autora não propõe um método. Ela reflete sobre como nos distanciamos pessoalmente do textos que produzimos e o impacto quando estamos dispostos a nos aproximar.
comentários(0)comente



Oxente_Johany 17/06/2020

Perfeito
No começo, enquanto eu admirava a capa, fiquei receosa de começar e ser só mais um livro que fala as mesmas coisas que os demais. Estou cansada de regras e mais regras, que não parece não sair do lugar.
Então dei uma chance e não quis parar. Fazendo um curso de Comunicação Social, já presencia em sala, os professores ditando regrinhas sobre como criar a reportagem, artigo, entrevistas. Poucos eram os artigos que conseguiam me prender, me deixar emocionada, presa na leitura. E quando eu pensava em escrever algo assim, ficava triste.
Então imagina a surpresa ao me deparar com esse livro e ter a sensação de ser abraçada e acolhida... a sensação que sim!, eu posso escrever algo que toca, que sensibiliza, que marca a vida dos meus leitores.

Recomendo esse livro para todos!
comentários(0)comente



21 encontrados | exibindo 1 a 16
1 | 2