As Viúvas

As Viúvas Lynda La Plante




Resenhas -


20 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2


Helder 01/12/2018

Uma homenagem póstuma
O livro As Viúvas pode ser encaixado no estilo de Livro Pipoca. São 400 paginas de pura diversão. E isso é explicado.
Antes de ser um livro, As Viúvas foi uma serie de sucesso na televisão inglesa na década de 80. Chegou a ter 2 temporadas. Em 2015, Steve McQueen, diretor de cinema ganhador do Oscar de melhor filme por 12 anos de escravidão se interessou em transforma-lo em um filme para o cinema, e a autora aproveitou para transformá-lo neste romance que acaba de ser lançado pela Editora Intrinseca no Brasil.
O livro, narra a estória de Dolly, Linda e Shirley que não tinham nada em comum até ficarem viúvas simultaneamente, quando seus maridos morrem num golpe frustrado ao tentarem assaltar um carro forte. Todas, com suas próprias características passam a viver o luto, até que Dolly, a mais velha e viúva de Harry Rawlins , que era o chefe do grupo, descobre uns arquivos do marido cheios de provas que comprometem diversos lideres do crime local e com todas as explicações sobre seus esquemas de roubos.
Logo ela percebe que tem muita gente interessada nestes arquivos, pois passa a ser assediada /perseguida tanto pela policia, que deseja prender todos os “nomes” destes arquivos quanto pelos bandidos locais, que veem ali uma chance de se livrar da policia e ainda aumentar seu poder de atuação, já que a morte de Harry deixou uma vaga de chefão do crime em aberto.
Surge então uma ideia maluca na cabeça de Dolly: Porque vender aquelas informações por uma ninharia se pode executar o plano do marido e ganhar um milhão de libras?
Porém de acordo como o plano, são necessárias quatro pessoas para executar o crime, e assim ela decide convocar as outras viúvas para ajuda-la a terminar o plano que matou seus maridos. Uma homenagem póstuma aos homens de suas vidas.
Dolly é decidida e pragmática. Mas atrás da mascara de frieza, é uma quarentona que trabalha como voluntária em um convento cuidando de crianças órfãs. Linda é fogosa e desbocada, trabalha em um fliperama numa zona da cidade cercada por prostitutas e afins. Está constantemente bêbada. Shirley é uma dondoca de 20 e poucos anos que ainda mora com a mãe. Ex-miss, entende tudo de roupas e maquiagem. Mas para que o esquema funcione elas precisam de um quarto elemento, e é ai que surge Bella, stripper e dançarina, com um jeito impetuoso de quem não leva desaforo para casa.
Impossível imaginar que tão diferentes “talentos” sejam capazes de executar um roubo de tal proporção, mas a autora vai aos poucos nos convencendo que elas foram feitas para isso, e logo estamos torcendo por nossas “meninas bandidas”.
É muito legal acompanhar todos os detalhes do plano. Precisam aprender a despistar a policia, roubar e arrumar carros, atirar, cortar portas com serra elétrica, comprar roupas especiais, carregar peso, chantagear pessoas e etc. A autora não esqueceu nenhum detalhe. Mas estamos em um livro de assalto, então nem tudo é tão fácil e tão claro. Pessoas começam a morrer e o detetive encarregado do caso tem uma verdadeira obsessão com Harry Rawlins.
Elas precisam tomar muito cuidado para executar o plano sem que ninguém perceba o que estão fazendo. Nem bandidos, nem a policia.
Mas filmes e livros precisam de plot twists, certo?
Lynda La Plante além de escritora é roteirista de series, já tendo até ganho Premios Emmy e Bafta, portanto ela sabe o que prende o leitor.
O principal plot twist do livro nem chegou a ser tão surpreendente, mas é extremamente importante para acelerar a narrativa, pois a partir deste ponto o leitor precisa saber qual vai ser vai ser o impacto daquela descoberta para nossas meninas. E o impacto é cruel.
Lutando para que tudo isso de certo, vamos acompanhando o crescimento no relacionamento destas quatro mulheres com vidas tão diferentes e isso torna a estória ainda mais atual, pois acaba sendo um hino ao empoderamento feminino. No começo elas se detestam, e são muitos egos em um mesmo ambiente, mas o tempo mostra que mulheres unidas podem fazer tanto ou até mais do que homens. E que até as mais fortes escondem esqueletos no armário.
Vai sair de férias? Este livro é perfeito para te acompanhar.
Para homens, com certeza será um ótimo divertimento. Mas as mulheres que o lerem, com certeza vão chegar ao fim da leitura com um sorriso estampado nos rostos que levará um tempo para ser apagado.
Edméia 17/01/2019minha estante
*Adorei a resenha , Helder ! Muito obrigada ! Vou comprar este livro no formato de e-book na Livraria Amazon !!!


Ed 03/01/2020minha estante
Amei esse livro, nas ultimas páginas não estava nem respirando direito de tanta adrenalina.




Vinny Britto 16/01/2019

Leitura Divertida
Ler AS VIÚVAS pra mim foi uma grande diversão. O livro tem um ritmo frenético e o quarteto principal é muito bom, mulheres com grandes diferenças entre si mas que se completam. Não lembro de torcer para bandidos em outras leituras mas nessa torci bastante.

Pra mim só careceu de uma grande reviravolta na trama. Um dos maiores segredos é revelado sem alarde. O final também deixou um gosto de quero mais e espero que não demore muito pra ser lançado a continuação. Ansioso agora pra ver como ficou o filme.

RECOMENDO!!!
comentários(0)comente



Carlos 22/03/2020

Arrastado, mas vale a leitura.
Bem, não foi um grande livro pra mim, mas também não é de todo ruim. Muito arrastado até uns 70% do livro... só o final que empolgou. A ideia de dar um tôm meio cômico também não funcionou pra mim. Enfim, cada um é cada um, mas eu não diria pra criarem muita expectativa com livro.
comentários(0)comente



Sheilla.Souza 11/06/2020

As Viúvas
Quotes



"O que aconteceu no mundo que o normal agora passa como excelência? Quando diminuímos nossos padrões? Estamos vivendo em um ambiente onde as pessoas são cegas. O que você não vê, você não sabe."

"Algo aconteceu esta noite, algo ruim. Nossos maridos não vão voltar. Estamos por nossa conta."


"Se tudo isso der errado, quero que meus filhos saibam que eu não sentei e fiquei quieta, eu fiz alguma coisa."
comentários(0)comente



Laura Brand 05/12/2018

Nostalgia Cinza
É um alívio ver que cresce cada vez mais o número de livros com mulheres protagonistas que fogem aos clichês e derrubam estereótipos das formas mais inusitadas possíveis. Personagens femininas fortes, características de Shonda Rhimes estão ganhando espaço também na literatura e em As Viúvas Lynda La Plante torna isso ainda mais evidente.

Em meio a um cenário de gângsteres e mafiosos, Lynda apresenta a história de quatro mulheres que descobrem, enquanto planejam um épico assalto, suas forças interiores e mostram como o poder feminino se expressa também na pele de criminosas.
As Viúvas propõe uma narrativa de máfia diferente da carga masculina à qual estamos tão acostumados. Com as mulheres da literatura ganhando cada vez mais espaço como protagonistas fortes e complexas, As Viúvas cumpre seu papel de colocar quatro protagonistas completamente diferentes de si sem precisar apelar para clichês de feminilidade ou masculinizá-las para abordar uma trama que fala de assalto, roubo e assassinatos.
A trama começa a ganhar vida de fato quando Dolly encontra os planos de Harry Rawlins, seu marido, em um cofre. Todo um assalto havia sido planejado e poderia ser executado com a ajuda de mais alguns braços. Como forma de lidar com o luto, Dolly então decide colocar à prova toda a sua inteligência para realizar um assalto extremamente elaborado e bem pensado. A solução? Procurar as outras viúvas e executar o que vinte anos de invasões e assaltos haviam ensinado a seus maridos.
Dolly é a responsável por unir essas mulheres tão diferentes e se coloca como a cabeça do grupo. Harry era o principal criminoso da cidade e registrava todos os crimes e seus participantes em um livro. Esses registros se tornam o objeto de desejo de outros criminosos que querem ter o comando da cidade e correm risco se o livro cair nas mãos da polícia. Do outro lado, Resnick, um policial prejudicado por Harry, que quer, de qualquer maneira, colocar as mãos nesses livros para provar a validade de sua obsessão pelo criminoso e para limpar seu nome.
Lynda La Planta soube como tornar uma trama envolvente e bem visual sem apelar para descrições excessivas. Não é difícil imaginar porque o enredo serviu de inspiração para o cinema; passar as páginas e como mergulhar em um roteiro de filme: bem estruturado, intrigante e cheio de reviravoltas.
O enredo é muito bem construído de forma a fazer com que o leitor consiga visualizar cada cena como se estivesse realmente assistindo um filme. É fácil se identificar com algumas características das personalidades das protagonistas e criar algum tipo de conexão com elas. Seja pelas experiências de vida, medos, anseios, prazeres e formas de pensar e agir, cada protagonista reserva um mundo único que a autora explora muito bem dentro dos limites da narrativa.
É um livro fácil de ler e cujo ritmo de leitura engana as 400 páginas. É uma narrativa divertida e intrigante, que não foge muito dos clichês, mas não deixa de entregar um enredo muito bem construído, personagens bem característicos, cenas dramáticas e viciantes e uma deixa para uma suposta continuação.
Além disso, é interessante ver a construção de uma sororidade entre as protagonistas que se unem devido a uma situação inusitada e desafiadora, mas que criam vínculos entre si ao longo do desenrolar da trama. São mulheres com bagagens diferentes, personalidades extremamente conflitantes, mas que, de alguma forma, se encontram uma na outra.
Lynda La Plante explora como as mulheres do livro lidam com o luto de acordo com sua proximidade e tipo de relação que tinham com os maridos. As reviravoltas que preenchem a narrativa servem como uma forma de nos fazer questionar a maneira como cada uma lida com sua nova realidade e como isso pode afetar o desenrolar da história.
As Viúvas, além de fazer referência a ótimas tramas de máfia e histórias de assaltos, é também sobre a capacidade que as mulheres têm de se adaptar às intempéries fazendo uso de sua audácia e feminilidade. É um livro para se ler de uma vez e mergulhar um pouco em um universo literário em que criminosos geram empatia e nos fazem torcer por seus enredos do começo ao fim. Um livro com protagonistas fortes e um enredo que está me fazendo querer correr para o cinema para conferir sua adaptação.


site: http://nostalgiacinza.blogspot.com/2018/12/resenha-as-viuvas.html
comentários(0)comente



Almeida 04/07/2020

Com certeza meu livro favorito de 2020 agora. A narrativa da autora permite que construímos sentimentos pelos personagens a um ponto que você se pega torcendo pra eles em certo homem. Com reviravoltas incrívei, a autora consegue fazer a gente mudar nosso "amor" pelos personagens a todo momento e faz isso com qualidade singular. Muito bom mesmo. Recomendo de olhos fechados para quem procura um livro eletrizante policial sem clichês óbvios que rodeiam o gênero. Perfeito.
comentários(0)comente



Gabriel 25/12/2018

Em "As viúvas" somos apresentados a três mulheres muito diferentes com algo em comum: Seus maridos trabalham juntos praticando os mais diversos roubos pelas ruas de Londres. Em um assalto praticado pela gangue comandada por Harry Rawlins, as coisas saem de controle e, durante a fuga, o grupo se envolve em um acidente e todos morrem, transformando Dolly, Linda e Shirley em viúvas. Após a descoberta de uma pasta contendo todos os detalhes dos roubos deixada por Harry, Dolly resolve seguir o plano do marido adiante e junto com as outras duas viúvas, realizar um último roubo para garantir a estabilidade e segurança das mulheres.
O roteiro originalmente adaptado de uma enorme série de sucesso lançada nos anos 80 muito se assemelha com um blockbuster. O livro é recheado de cenas de ação do início ao fim e a escrita de Lynda é muito visual, o que contribui para o ritmo eletrizante do livro: Os acontecimentos se desenrolam de maneira enquanto acompanhamos a forma com que Dolly, Linda e Shirley encontram para dar continuidade do plano deixado por seus maridos, com a ajuda de Bella, uma quarta integrante escolhida para ajudá-las nessa arriscada missão.
Confesso que a parte mais que mais me agradou no livro foi a profundidade com que Lynda escreveu e montou as 4 personagens principais que compõem "As Viúvas". Todas elas são muito diferentes entre si e as particularidades de cada uma delas são ricamente exploradas. Os demais personagens não são lá tão interessantes, assim como a grande revelação a respeito dos acontecimentos ligados ao fatídico dia do assalto em que os maridos foram mortos. No mais é uma leitura leve, instigante e super representativa. As definições de girl power foram atualizadas com sucesso!
comentários(0)comente



Nana 10/01/2019

Ótima diversão!
É feio torcer por um grupo de mulheres assaltantes? Sim, sei que é, mas foi isso que fiz lendo "As viúvas". Torci muito para que Dolly, Shirley, Linda e Bella se dessem bem após o assalto e a fuga.
O livro é muito bem escrito, com um ritmo acelerado, viciante e cheio de ação. A autora conseguiu manter meu interesse da primeira a última página.
As personagens são mulheres fortes, mas em alguns momentos frágeis e assustadas, o que as tornou muito reais.
O final ficou meio em aberto, e me deu a impressão de que pode ter uma continuação. Será?
Fiquei com vontade de assistir o filme para ver se a adaptação ficou tão boa quanto o livro. Recomendo a leitura!
Helder 10/01/2019minha estante
Tb curti muito este livro, mas imagino que pra mulheres funcione ainda mais.


Vinny Britto 12/01/2019minha estante
To lendo e to adorando. E pelo que pesquisei, tem continuação.




Carolina DC 30/01/2019

Muito bom!
“As viúvas” é um livro eletrizante e dinâmico. Narrado em terceira pessoa, a história se passa em Londres, em 1984, onde acompanhamos um assalto a um carro blindado que dá completamente errado e os ladrões são mortos carbonizados. Entre os corpos está Harry Rawlins, um negociador que era suspeito de inúmeros outros crimes, mas que a polícia nunca conseguiu provar o seu envolvimento.
É a partir da morte de Harry que o livro irá apresentar vários personagens que estarão interligados e que terão um papel fundamental em descobrir os segredos do passado e realizar um crime perfeito.
Resnick é um detetive que perdeu a moral entre os seus companheiros. Após um escândalo envolvendo acusações de corrupção (armado por Harry), Resnick não conseguiu subir na sua carreira e ficou obcecado com Harry Rawlins. Até mesmo com a morte de Rawlins, a obsessão do detetive não parou.
Os irmãos Fisher, Arnie e Tony, são os criminosos mais conhecidos da cidade e os mais assustadores. Com a morte de Harry, eles desejam o caderninho preto do falecido, que contêm todos os contatos, informações e planos necessários para evitar qualquer futura concorrência nos negócios. Para conseguir o que desejam, os dois vão fazer de tudo para conseguir, até mesmo perseguir as recentes viúvas...
Dolly é a viúva de Harry. Após décadas de um casamento repleto de altos e baixos, a morte do amado a abala imensamente. Ela sempre soube do trabalho paralelo do marido e deseja concretizar o último assalto para honrar a memória do falecido, além de é claro, conseguir uma boa quantia em dinheiro. A primeira vista, Dolly é uma mulher fria e indiferente, mas a verdade é que conforme a trama se desenrola, vemos uma pessoa sensível, que passou por inúmeras perdas pessoais e humilhações. Além disso, é uma mulher inteligente e observadora, que muitas vezes é desconsiderada e vista como alguém sem valor.
Linda é a viúva de Joey. Com 26 anos, teve uma vida difícil e sente-se inferior quando se compara com qualquer outra pessoa. Essa sensação de inadequação faz com que ela aja de forma precipitada, estúpida e muitas vezes, irritante. É provavelmente a personagem de que menos gostei durante a leitura.
Audrey é a viúva de Terry, uma jovem muito bonita que tem mais aparência do que conteúdo, mas que é um doce de pessoa e até mesmo muito inocente no meio em que vive.
Bella O’Reilly é uma stripper/prostituta que tem uma perspectiva bem simples da vida: não ficar se lamentando e seguir em frente. Quando uma boa oportunidade de ganhar dinheiro surge, ela aceita e não fica criando confusão desnecessária. Essas quatro mulheres, tão diferentes entre si, vão precisar se unir para realizar o assalto.
A construção do enredo é perfeita. Temos ação, drama, mistérios e muito suspense. É uma leitura difícil de largar e sem sombra de dúvida, completamente apaixonante. Porém, vale ressaltar para aqueles que assistiram ao filme, que alguns personagens são completamente diferentes quando comparamos livro e filme. Inclusive, a adaptação cinematográfica tem um final completamente diferente do livro.
O final é eletrizante e arrebatador, deixando o leitor ansioso para ler a continuação...

“Nós nunca fomos de ficar sentadas em casa. Sabíamos o que eles faziam. E sabíamos por que faziam. Harry fez com que eu encontrasse seus livros contábeis por um motivo. E esse motivo somos nós. Ele não queria que ficássemos sozinhas nem que passássemos por dificuldades. Nós merecemos isso, senhoras.” (p. 61)

site: http://viajenaleitura.com.br/
comentários(0)comente



Paloma White 09/02/2019

A fortaleza do "sexo frágil"
Nesse livro a autora ns faz ver como o "sexo frágil" é forte.
Mulheres podem parecer bonequinhas de luxo, ou simples donas de casa, mas quando o dever ou a necesidade chama, elas vão à luta, sem se intimidar com quem quer esteja no caminho.
O enredo é muinto bom, inesperadas reviravoltas conseguem deixar a historia eletrizante.
Gostei muito, principlamente por ser uma história onde diferentes tipos de mulheres são as protagonistas, e não apenas o enfeites.
comentários(0)comente



spoiler visualizar
Rafael 29/03/2019minha estante
É muito melhor o filme.




mirna 30/04/2019

As Viúvas
Um tema bem diferente, um enredo muito bom. Narrativa boa de se ler, personagens interessantes (no caso, as viúvas) e uma plano bem elaborado que tem tudo pra dá certo. Será???
Nunca duvidei da inteligência e força que a mulher possui, nesse livro, as mulheres mais uma vez dão um show apesar de suas fragilidades, como tpm, idade, vaidade. É uma história com ação, drama, mistério e suspense.
comentários(0)comente



Annie - @queriaseralice 06/05/2019

Deixou a desejar...
“Ela se levantou, alta e ereta. Então, apertou o cinto do roupão e passou as mãos pelo cabelo. Era uma lutadora: ela sempre fora e ainda havia muita força dentro dela para continuar lutando.”⠀

Harry Rawlins, Joe Pirelli e Terry Miller se consideravam bastante experientes quando o assunto envolvia grandes assaltos.⠀

Com muita preparação e ensaiando exaustivamente, eles haviam desenvolvido um plano grandioso, que envolvia arrombar as portas de um carro-forte, invadi-lo e pegar o máximo de dinheiro possível, fugindo logo depois.⠀

Daria tudo certo, aparentemente. Mas não foi isso o que aconteceu. No momento em que o plano foi executado, houve um imprevisto, a van incendiou e os três corpos – de Harry, Joe e Terry – foram encontrados dois dias depois.⠀

Tal acontecimento tornou, lamentavelmente, três mulheres viúvas – Dolly Rawlins, Linda Pirelli e Shirley Miller. Elas nunca foram amigas, apesar dos “negócios” que seus companheiros faziam juntos.⠀

Porém, o acidente acabou as unindo. Não de um jeito agradável, como se uma fosse dar apoio e força a outra...⠀

Dolly Rawlins tem acesso a todos os documentos e planos já executados por Harry. Ela sabe exatamente onde eles erraram e pretende pôr o plano em ação novamente, mas não conseguirá sem a ajuda das outras duas viúvas.⠀

Será que, mesmo sendo tão diferentes e imprevisíveis, elas conseguirão cumprir o objetivo e fugir por aí milionárias? 🤔⠀

O foco da narrativa é esse: o assalto das viúvas. A autora é bastante detalhista quanto aos personagens – que são muitos, como policiais, detetives e outros bandidos – e é possível conhecer a fundo grande parte deles.⠀

Mas eu tive muitos problemas para conseguir terminar de ler esse livro. Me vi presa em muitos momentos e perdida em outros, sem vontade de continuar e querendo urgentemente ler algo mais eletrizante.⠀

Eu gostei da escrita da autora e do enredo, mas muitos capítulos, pra mim, foram bem cansativos e dispensáveis. O livro tem 400 páginas e um final extremamente previsível, então... 😥⠀

Sei que muita gente AMOU, por isso não deixo de recomendar, caso você goste do gênero ou conheça o filme homônimo. ☺️⠀

site: https://www.instagram.com/p/Bw5WB7-BtwR/
comentários(0)comente



Rosy 26/05/2019

Gostei bastante, encontrei uma história policial com suspense,vingança e em alguns momentos até deboche, comédia...
Um grande "empresário" já conhecido da polícia por negócios escusos, mas sem provas para ser preso, se junta a seus comparsas e vai assaltar um banco. Algo sai errado nos planos dos rapazes e eles acabam morrendo na operação.
Desesperada, se sentindo pressionada, Dolly uma das viúvas vai tentar se unir as outras e terminar o assalto inacabado do marido.
Mulheres bem diferentes umas das outras se arriscando com o mesmo objetivo, vencer a dependência de seus maridos e provar para si mesmas que também são capazes, que também podem se sentir superiores.
Valeu a leitura!!!! Agora é assistir o filme!!!
comentários(0)comente



Biblioteca Álvaro Guerra 28/05/2019

Livro que inspirou o filme estrelado por Viola Davis com roteiro de Gillian Flynn

Dolly, Linda e Shirley não eram grandes amigas nem tinham nada em comum até que os maridos morrem juntos operando uma tentativa de assalto. Cada uma a seu modo está enfrentando o luto quando Dolly é surpreendida por descrições detalhadas de todos os roubos realizados e planejados pelo marido. Ela se vê diante de uma encruzilhada: pode se livrar daquilo tudo e voltar à sua vida pacata ou entregar a descoberta aos criminosos que querem tomar o lugar do falecido. Mas ninguém cogitaria sua aposta em uma terceira alternativa: recrutar as outras viúvas e concluir aquela última missão.

Livro disponível para empréstimo nas Bibliotecas Municipais de São Paulo. De graça!

site: http://bibliotecacircula.prefeitura.sp.gov.br/pesquisa/isbn/978-85-510-0391-6
comentários(0)comente



20 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2