Uma monografia sobre engarrafamentos

Uma monografia sobre engarrafamentos Ana Yassuda




Resenhas - Uma monografia sobre engarrafamentos


7 encontrados | exibindo 1 a 7


Krous 22/04/2020

DNF - 40%
A editora Duplo Sentido liberou todo seu catálogo no Kindle Unlimited durante o período de isolamento social, e eu aproveitei para pegar todos os livros que vinha namorando

Longe de mim ofender ou magoar algúem, mas foram as 146 páginas mais longas da minha vida. E mesmo com essa quantidade de páginas, eu não consegui ler o livro até o final.
Quando cheguei na marca dos 40% do livro, eu decidi abandonar a leitura. Nada me prendia à história que parecia não ter própósito nenhum.

Matheus e Felícia conversam bastante pelo aplicativo Waze, mas as personalidades deles são tão iguais que eu nunca sabia quem estava falando com quem sobre o quê, o que deixou o livro muito confuso. O conteúdo das conversas também era bastante... desinteressante.

Mas o texto da Ana Yassuda é bom. Foi basicamente o que me fez avançar tanto num livro que não estava me agradando desde o primeiro capítulo.
comentários(0)comente



Lauraa Machado 04/07/2020

Decepção, infelizmente!
Eu amo essa nova onda de autores nacionais sendo publicados, compro livros de vários sem nem precisar saber qual é a história e especialmente amo e admiro muito todo o trabalho da editora Duplo Sentido. Dá para ver em cada página o carinho que elas têm com a história, e a própria autora, Ana Yassuda, é um amor de pessoa. Detesto ter que criticar um livro nacional, porque a última coisa que quero é fazer algo que impeça nossa literatura atual de crescer. Mas, infelizmente, eu sofri em cada página aqui e não suporto a ideia de censurar minha opinião.

Logo no primeiro parágrafo, já soube que não ia gostar. Ainda tinha alguma esperança, mas as frases longas demais, as divagações desnecessárias e as informações repetidas me incomodaram de cara. Tudo só piorou quando percebi na escrita a péssima tendência de usar palavras complicadas, formais e pretensiosas para descrever as coisas mais banais! Foi uma tentativa descarada de deixar a escrita mais inteligente, mas o que fez foi deixar o texto truncado, pesado e chato. Tão chato, que queria ter largado antes da página vinte. Fui valente e li até o final, mas ainda não sei bem por quê. A leitura foi torturante.

Os dois personagens principais, Matheus e Felícia, não tinham qualquer química. A interação deles parecia estar acontecendo dentro da cabeça dele, já que os dois tinham exatamente a mesma personalidade, falavam do mesmo jeito, usando palavras esquisitas que só contribuíram para a narrativa pretensiosa e pedante. Teve uma hora em que quis ler só os diálogos e mensagens, mas não deu para escapar da escrita. Nem pareciam mensagens de celular, para falar a verdade. Pelo jeito que falavam, seu vocabulário e suas referências, os personagens pareciam ter mais de cinquenta anos, no mínimo.

Não tem enredo também, nada acontece, e eu passei o livro inteiro querendo gritar: "Peguem um metrô, pelo amor de deus!" Não senti a ambientação em São Paulo, provavelmente por isso. Morei alguns anos lá, quando tinha mais ou menos a mesma idade, e não reconheci nada direito da cidade no livro. Que pessoa de vinte e poucos anos vai para a Liberdade de carro e não de metrô? Que tipo de pessoa não usa metrô quando odeia engarrafamentos? Ou ônibus? São Paulo tem um sistema de transporte público super prático e utilizado, sabe? Sei que tiraria todo o propósito do título, mas se afastar de carros talvez ajudasse a salvar o livro. Talvez, mas as chances não são grandes.

Não acontece grande coisa mesmo, dá para resumir o livro em algumas linhas, mas a ideia da história é a melhor parte dela. Acho que devia ter sido reescrita com uma linguagem mais natural e menos formal, ainda mais quando (pelo menos pela capa e pela diagramação) o livro parece ter sido feito para um público mais jovem, mais YA mesmo. O fato é que não tem enredo para mais do que um conto, o que essa história era e devia ter continuado sendo, e não teve desenvolvimento ou adaptação para um romance suficiente.

Ainda vou continuar apoiando a editora loucamente, porque ela é maravilhosa e exatamente do tipo de coisa que me dá esperanças para a literatura nacional, mas esse livro infelizmente deixou muito a desejar. Eu nem esperava tanto dele, mas estou extremamente decepcionada e incomodada. Queria que pelo menos fosse fofo, leve e romântico, mas foi o oposto. Pesado, chato e sem sal.
Krous 05/09/2020minha estante
Eu também tive a impressão de que os diálogos se passavam na cabeça do Matheus de tanto que a personalidade deles é parecida. R as referências culturais também me causou estranheza, mas eu relevei.




fefe 14/04/2020

Uma Monografia sobre Engarrafamentos
Comecei a ler a amostra no wattpad e fiquei completamente apaixonada, então em algum momento eu TINHA que ler esse livro. Obviamente algumas mudanças foram feitas, até pq a amostra era apenas o "projeto" de algo maior. Gostei muito do livro, principalmente por ter uma premissa interessante e por dar mais visibilidade para alguns assuntos que merecem importância. Só que algumas vezes o personagem principal ficava refletindo muito sobre alguns pensamentos e - não sei se é pq eu só lia antes de dormir - isso me irritava um pouco kkkkkkkkk, mas acho que também faz parte da intenção da obra, já que o próprio livro se denomina como uma "monografia".
comentários(0)comente



Beatriz @4estacoess 15/04/2020

Que surpresa boa foi esse livro, quando o peguei pra ler, peguei pelo tamanho que era fininho e por estar procurando uma leitura mais rápida, mas mesmo que ele seja super fininho, que baita livrão. ?

O livro fala sobre uma coisa bem comum para os paulistanos, o trânsito. Também fala muito sobre as coincidências da vida e o quanto nós andamos correndo demais até mesmo para notar o que está bem diante de nós. É bem comum que em São Paulo você passe mais tempo no trânsito a caminho, do que no lugar propriamente dito e é em um dia assim que Matheus se vê preso em um engarrafamento e nota que mais a diante aconteceu um acidente. O que ele pode fazer naquele momento? Abrir o seu app de GPS e reporta o ocorrido. E é no Waze que ele acaba se comunicando com uma motorista que também está presa por ali, que por acaso é a dona de um dos carros do acidente.

Uma conversa começa a se desenrolar e quando você vê, devorou o livro e ficou com um gostinho de quero mais. ?

O livro é bem escrito e realmente parece uma monografia mas com um toque super divertido, que dá um calorzinho no coração. Quando terminei fiquei com uma visão totalmente diferente, me perguntando se eu estava prestando atenção as pequenas coisa que levavam outras a acontecerem. Do início ao fim o livro nos faz questionar e nos deixa querendo ler mais e mais. ?

O fim do livro pra mim também foi um super ponto chave e eu acabei com aquela sensação de quentinho no peito. Já queria mais, com toda certeza desse mundo. E ah, a edição... Que edição lindíssima. Apenas leiam, sério.
comentários(0)comente



Sarah 01/01/2019

Uma monografia sobre engarrafamentos
Um livro que não me agradou tanto embora tenha uma premissa original.
Os persongens não me cativaram muito, embora seja um livro curto, em alguns momentos, pareceu um pouco enrolação com várias reflexões sobre acontecimentos que podem ligar pessoas diferentes por milhares de motivos diferentes ao longo de um dia e acabou sendo um pouco cansativo e eu só queria passar logo por essas partes.
Alguns dos assuntos tratados (que são spoilers e por isso não vou falar) são interessantes mas acho que poderiam ter sido mais bem trabalhados, até porque são importantes pra conscientizar e ensinar pessoas.
O que mais me chamou a atenção nesse livro foi o seu título, mas a história acaba não fazendo tanto jus à proposta interessante dele.
comentários(0)comente



Ana 24/03/2019

Transformando pensamentos ruins em poeira
"Mas havia um 'não sei o que' em Felícia que me cativava, prendia olhares e transformava pensamentos ruins em poeira."

Engarrafamentos são provavelmente a coisa que mais me apavora na vida. Eu odeio o barulho dos carros e todo o desespero de não sair do lugar. Mas depois de finalizar essa leitura, eu quase fiquei com vontade de me perder entre os carros e encontrar um amor improvável.

Ana escreve de uma forma única e cativante, nos mostrando uma premissa original e sensível. Matheus é um narrador tão sincero que cada sentimento que ele descreve toca profundamente nosso coração. Durante a narrativa, os diálogos são muito criativos, com soluções simples, mas competentes, para descrever um protagonista que se comunica de forma diferente da maioria.

O final deixou aquele gostinho de quero mais, porém, ao fechar o livro, eu senti aquela necessidade de prestar mais atenção, de estar mais aberta para aprender a enxergar por outras perspectivas.

O livro em si está lindo. A editora fez um ótimo trabalho, não ficando atrás de nenhuma empresa maior. Amei as entradas de capítulo e agora quero todos os livros do catálogo na minha estante e, claro, quero ler mais coisas da Ana.
comentários(0)comente



Giovana | Blog Dei um Jeito 01/09/2019

Claramente um drama paulistano
Matheus Albuquerque está novamente preso em um engarrafamento por conta de um acidente entre em uno amarelo e um sedã rosa e já que ele está usando o celular de sua irmã e ela é uma usuária ativa do Waze, ele notifica no aplicativo o acidente, o moço também é chegado em puxar papo, daí quando vê um usuário chamado AlguémMeSalva por ali ele pergunta se quer ajuda, iniciando uma conversa com a dona do uno amarelo - a Felícia - conversa que rendeu bem e o resto virou uma "monografia" de 180 páginas.

O livro é cheio de palavras com um tom meio rebuscado (aliás quem nunca fez isso em trabalho escolar - ou principalmente monografias - para dar uma encorpada no texto e não acabar tendo algo na mão com só 5 linhas?), mas o jeito que foi escrito deixou a história com um tom divertido ao invés de chato, que provavelmente o uso de diálogos em um chat tenha ajudado demais nisso.

Uma coisa legal é a tirada nas coincidências da vida dos dois, ambos andam demais naquela avenida e frequentem alguns lugares em comum, mas nunca tinham se visto ou se notado de alguma forma (ter um uno amarelo poderia ajudar a Felícia ser mais notada no trânsito, mas não foi o caso).

Uma Monografia Sobre Engarrafamentos também respira brasilidade, trabalhando mais um ponto que respira a vida paulistana: engarrafamentos em que os aplicativos do celular (no caso quem ganha a 15 minutos de fama é o Waze) são bem necessários, e um lanchinho com uma média para sobreviver a tudo.

Para a galera dos corações quentinhos e quer ter uma noção do clima do livro e o tom charmoso das conversas, Antes do Amanhecer pode ser um norte, por ter desconhecidos tendo conversas legais com uma dose de química no meio do caminho, às vezes literalmente inclusive.

site: https://deiumjeito.blogspot.com/2019/08/livros-uma-monografia-sobre.html
comentários(0)comente



7 encontrados | exibindo 1 a 7