Realidade alternativa

Realidade alternativa Bruno Crispim




Resenhas -


4 encontrados | exibindo 1 a 4


Lucas 12/04/2019

Sensacional
"Via na empolgação dela a antítese de sua nostalgia, quando pensava que o mundo em que havia vivido quando tinha aquela idade não existia mais. Basta envelhecer para ver novos mundos surgirem. Um dia ela tinha imaginado que as redes sociais permaneceriam, que sua cultura duraria, que as cidades resistiriam. Sempre pensavam no fim do mundo como um ponto final, mas quando se vivia tempo o suficiente para ver, os fins eram apenas vírgulas."

A primeira coisa que dá para dizer sobre este livro, uma coletânea de 24 contos extraídos da revista SuperInteressante na seção de mesmo nome do título é a semelhança com o estilo de narrativa da série Twilight Zone - ao menos o da primeira versão. Nessas 24 histórias, os autores tiveram liberdade de criar histórias que se passam em realidades com aspectos diferentes da nossa. Alguns dos textos como "Querido obituário", em que uma jovem narra a experiência do convívio traumático com sua mãe e seu padrastro , ou "Teste de elenco", que relata as aventuras e desventuras de uma pessoa em busca do papel de um filme, exigem do leitor uma percepção mais apurada na hora de captar as diferenças. Outros por sua vez são mais diretos, como "Democracia Direta", na qual o protagonista é imerso em uma sociedade em que absolutamente todas as decisões são votadas pela comunidade, que dispensa a classe política e pune severamente os que se abstêm, ou "Lola pela Manhã", na qual uma sociedade de mulheres confina os homens e os usa apenas para a reprodução. O curioso disso tudo é que estas diferenças de abordagem, com cada texto tendo um estilo próprio fazem com que a experiência de leitura fique mais dinâmica e peculiar. Ao final da leitura, o leitor fica com aquela sensação que apenas um livro arrebatador pode proporcionar.
comentários(0)comente



Wanderreis 19/02/2019

Roteiros para Black Mirror
O livro contém excelentes contos, com poucas exceções. Muitos poderiam ser usados como roteiros prontos para a série Black Mirror. É até como se tivessem sido escritos para a mesma. Pena não terem incluído todos que foram publicados nas revistas. Faltaram os contos:

Um Fio Negro (Maria Valéria Rezende);
Plano Digital (Bruno Miranda);
Criaturas (Carol Bensimon);
SweetLif3.exe (Cláudia Fusco);
Noventa E Nove (Isa Prospero);
Corrida Do Queijo (Clara Madrigano);
Anomalia No Setor B45 (Ana Cristina Rodrigues).
comentários(0)comente



Karamaru 02/04/2019

A realidade não é uma só
“24 contos que escancaram a natureza insólita da mente humana”, diz, com certa verborragia, a introdução do livro. Não sei se, de fato, é o que se pode encontrar nessa coletânea; julgo o conjunto, em grande medida, irregular, o que é bastante comum em compilações do tipo.

Pois bem... O livro “Realidade alternativa: 24 contos além da imaginação” é uma coletânea de contos publicados ao longo de três anos em seção homônima pela SUPER (Editora Abril). Autores contemporâneos assinam os textos. Há nomes já conhecidos e/ou consagrados (Luiz Ruffato, Carola Saavedra, Ana Paula Maia...) e outros pouco conhecidos.

Alguns contos exploram realidades paralelas; outros, nuances inusitadas desta nossa (ir)realidade. O absurdo ou inusitado da (ir)realidade cotidiana é o que acontece, por exemplo, no conto “Infestação”, de Isabela Noronha, um dos que mais ousam no que tange à linguagem, e, por isso (também), um dos mais originais.

O maior destaque para mim é o conto “A alegria”, do experiente Luiz Ruffato. A atmosfera nebulosa desse texto transporta-nos a um limbo antigo e misterioso.

“Lola pela manhã”, de Karin Hueck, é um dos destaques também. Com ares distópicos, é narrada sucintamente parte do cotidiano do casal Lola e Sandra, numa sociedade em que os homens não representavam 1/5 da população total! Imperdível.

Destaco ainda “A máscara”, de Carola Saavedra, conto em que a noção de espaço-tempo é subvertida. O mais curto e um dos melhores, com certeza.

Todavia, um bom de número de contos não me instigou. Há casos, como “Voto obrigatório”, de Bruno Crispim, em que há um bom argumento, mas a execução parece dura, prosaica.

Estranhou-me ainda o tamanho dos contos: todos têm praticamente a mesma extensão. Não sei do contexto de produção desses textos, mas se tiver sido exigida quantidade aproximada de laudas... Seria complicado...

Em suma, uma leitura regular.
comentários(0)comente



Beca 05/07/2019

Fantástico
A maioria dos contos são surpreendentes. São tão bem escritos e construídos que mesmo com um final que é certeiro, te deixa com gostinho de quero mais. 24 contos perfeitos pra não enjoar do livro fácil. Futuros distópicos, universos diversos e verdadeiras realidades alternativas. Esse livro é extraordinário em sua proposta, vale a pena reservar ao menos 10min pra ler um e se apaixonar.
comentários(0)comente



4 encontrados | exibindo 1 a 4