Sou Toda Errada

Sou Toda Errada Tammy Luciano




Resenhas - Sou Toda Errada


52 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2 | 3 | 4


Carla 11/08/2015

Sou toda errada.
Não gosto muito de fazer resenha falando que um livro é ruim, mais esse eu me sinto na obrigação.
Não só a história não é estruturada, como a escrita não ajuda.
Não recomendo!
comentários(0)comente



Vanessa Vieira 14/02/2013

Sou Toda Errada_Tammy Luciano
O livro Sou Toda Errada, de Tammy Luciano, nos conta a história de Mila, uma jovem afortunada da zona sul do Rio de Janeiro. Mila é muito bonita e aproveita a vida das melhores formas possíveis, ou seja, esbanjando muito e curtindo baladas, festas e passeios em shoppings. Sua rotina não é muito diferente do que de qualquer patricinha que se preze. Seu cotidiano é alterado por Neco, que acabou se tornando o seu grande amor - e também sua imensa obsessão. Eles engatam um namoro recheado por conflitos, brigas e muito ciúme. Depois de certo tempo, o relacionamento dos dois fica insustentável e Neco decide colocar um ponto final, deixando Mila em frangalhos.

"Sentia raiva de uma música por ciúme, de um lugar por medo e de pessoas por defesa. Era um ciclo. Muitos dos meus defeitos eram encadeados, existiam e dependiam uns dos outros, mas esse era o meu menor problema. Queria conversar com o meu namorado, conversar sério. Precisava externar minhas mágoas e abrir o jogo. Precisava que ele fizesse o mesmo e dissesse os seus sentimentos, afinal ele tinha uma importância fundamental na minha vida. Se em alguns dias estar ao seu lado era ruim, ficar longe era inaceitável."

Mila se vê completamente desolada e percebe que perdeu aquele que considerava ser a sua alma gêmea. Seus amigos, a faculdade e o limite infinito dos cartões de créditos já não conseguem mais lhe suprir e nem apagar as memórias de Neco de sua mente e coração. Nada consegue preencher o vazio do seu interior e a dor se torna uma constante em sua vida.

Sem rumo e alicerce, ela acaba trocando os pés pelas mãos, e levando uma vida completamente desregrada. Tentando se esquecer de Neco, ela se entrega ao sexo fácil, às drogas e ao álcool, se tornando cada vez mais oca e amargurada por dentro. Sua obsessão pelo ex não tem fim, e ela acaba semeando discórdias e mentiras, achando que com isso, poderá tê-lo de volta...

Eu já conhecia a sinopse de Sou Toda Errada, mas não imaginava como o enredo de Tammy Luciano poderia ser tão intenso. Mila vai do paraíso ao inferno, em um estalar de dedos, e o pior de tudo, não percebe o quanto está afundada nesse lamaçal. Ela continua cometendo erros desenfreadamente, achando que desse modo, trará Neco de volta para a sua vida, se vendo mergulhada em uma forte obsessão por seu ex. O seu detrimento se dá de forma voraz, e ela é capaz das piores estratégias para alimentar seus insanos pensamentos. Narrado em primeira pessoa pela Mila, acompanhamos toda a sua trajetória, desde o flerte que resultou no namoro até o inevitável fim.

Mila nunca valorizou Neco como deveria. Não que ela tenha que colocá-lo em uma redoma ou em um pedestal de ouro, mas creio que certas atitudes de carinho e demonstração de afeto são a base de um relacionamento. Ela sempre teve um ciúme doentio dele, e o humilhava consequentemente, dizendo que não precisava dele, que ela rica, linda e poderosa e ele não valia nada. Como diz o ditado "Água mole pedra dura tanto bate até que fura", Neco acabou cansando de tanta briga e loucura, e decidiu que era melhor cada um seguir sua vida.

Mila se abateu, mas se escondeu até os seus limites se findarem por debaixo da aparência. Ela não quis dar o braço a torcer e começou a inventar calúnias e dizer que não precisava do ex e tal. Mas, aos poucos, não consegue estancar o vazio e sofrimento que ele deixou, e acaba extrapolando de todas as formas, achando erroneamente que tais atitudes resultarão em uma reaproximação, sendo justamente o contrário. A posse, a obsessão que ela sente por Neco é doentia, e ela acaba se ferindo, sangrando consecutivamente, mas parece não perceber o que acontece ao seu redor.

Em suma, Sou Toda Errada é direto, sem arestas e com certeza, ajudaria muitas garotas que passam pelo mesmo dilema de Mila. Com uma escrita coloquial e fluída, Tammy mostra através de sua antagonista, o que não fazer, o que evitar, caso alguém se encontre na mesma situação. Gostei muito da capa e da diagramação, só a falta de aspas e travessões durante os diálogos que me confundiu um pouco, mas nada grave. Recomendo.

"Às vezes é preciso morrer na vida de alguém para permanecermos vivos."

http://www.newsnessa.com/2013/02/resenha-sou-toda-errada-tammy-luciano.html
comentários(0)comente



Isabella Pina 01/01/2013

Procurando uma história com fortes emoções? Tá aí!
Sou toda errada é um livro bem curto, mas incrivelmente... potente! Eu demorei a lê-lo, apesar de estar bem curiosa desde que fui, em Abril, no evento "Novas Letras" em Campinas (o único que fui, até hoje) e aonde conheci a super simpática Tammy Luciano, que autografou e tudo o mais *-*.

Mas falando sobre a história, tudo começa quando Mila e seu ex-namorado terminam. E ela se vê sozinha pela primeira vez na vida, sem que nada - nem dinheiro, nem fofocas, nem roupas, nem sexo, nem bebida - possa aliviar a grande dor que se instalou no seu peito. E então, numa tentativa de esquecê-lo - melhor dizendo, numa tentativa de pegá-lo de volta, causando ciúmes - ela se joga numa rotina maluca e inconsequente, aonde tudo é válido, tudo pode, e as coisas são de uma noite só.

MEU DEUS, como a Mila é irritante!! Mas num bom sentido, pois a autora quis que ela fosse assim, insuportável. Juro para vocês, por vezes tive que parar a leitura, respirar fundo e me controlar pra não sair esmurrando a cara da garota... e o pior é que ela é exatamente aquele tipo de gente, que se acha superior a todos, que pode tudo, que tem que conseguir tudo na hora... e quando perde alguém que realmente significou algo, tenta se vingar (ou reconquistar a autoconfiança que finge ainda ter) da maneira mais burra possível. Por vezes fiquei com dó das pessoas a sua volta, do seu namorado corno de mentira (really, como ele aguentava?), da namorado atual do ex! Teve alguns momentos em que ela parecia quase humana, quase legal e normal. Mas daí ela voltava a sua típica personalidade metida (e irritante). Algumas partes, vi alguns erros de digitação/revisão, mas nada grave de verdade... o livro é bom sim, apesar de eu ter xingado muito, muito, muito a Mila aí em cima nós nos sentimos dentro do livro - que é o que um bom autor sabe fazer. E apesar de todos seus defeitos - e de eu ter dito que ela às vezes parecia normal -, Mila é real. Existem, provavelmente, muitas "Milas" por aí, que quebram a cara num relacionamento e acabam se perdendo na vida.

Recomendo sim, mas vá com a cabeça fria - porque é certeza que ela vai esquentar assim que você começar a conhecer a Mila.
Finalizando, parabéns a Tammy, que soube escrever bem um momento pelo qual todas/todos passamos - mas que somos nós que escolhemos se paramos lá (como Mila) ou se seguimos em frente.
comentários(0)comente



Tathy 31/01/2012

"Hoje sei que a gente não se vicia apenas em drogas e bebidas, mas em seres humanos."
Para conferir a resenha completa com links ativos e imagens, acesso o blog Eu sou assim: www.tathy.com.br

Quando a Camille (Revista Inovattive) me convidou para participar do projeto deSintetizando, sem nem pensar duas vezes, escolhi Sou Toda Errada da queridíssima Tammy Luciano, pois apesar de conhecer a Tammy muito bem e já ter o livro há mais de um ano, eu ainda não havia tido a oportunidade de lê-lo. O que também não significa muito, pois já ouvi tantas pessoas falando sobre a Mila que sinceramente, era como se eu já a conhecesse e foi com este sentimento que iniciei a leitura do livro. Já sabendo que encontraria uma pessoa toda errada pela frente. Por este motivo, o grau de loucura da Mila não me espantou em nada, rs

Mila não deixa de ser um pouquinho da maioria das mulheres. Claro que com uma loucura e um ciúmes ampliado incontáveis vezes. Quem aí que nunca criou conta fake em rede social pra stalkear o ex ou a atual do ex que atire a primeira pedra…

A Tammy usa em sua narrativa um jogo de palavras encantador. Consegue utilizar diversos adjetivos para descrever pessoas e situações, sem que o texto fique cansativo. Além disso, ela não mede palavras, até porque a Mila não mediria, e isso torna o livro mais duro e real. Fator que eu gostei bastante.

Algo que acho que faltou foi um ápice no livro. Faltou aquela cena surpreendente, de tirar o fôlego. Mesmo que fosse só no final. O livro começa em um ponto e termina no mesmo, em uma linha reta. Senti falta do elemento surpresa. Acho que faltou também explorar mais as cenas e um pouquinho menos a “cabeça” da Mila. Mas entendo que, como um diário de uma egocêntrica, ficaria difícil Mila ver algo que não seja a si própria e ao Neco.

De forma geral, gostei muito da temática, mas não me envolvi tanto com o livro.

Quotes que amei:

Sentia saudades dos nossos jogos de ofensa, dependência e ataque mental, nosso inferno de muitas faces. Inferno que se prolongou durante meses seguidos. Éramos felizes nos fazendo mal.

Eu não sabia, mas enquanto me apresentava para ele, abria todas as portas das loucuras que guardava dentro de mim.

Eu não ligo de mentir. Falo sinceramente que minto, enquanto um monte de babaca mente dizendo que fala a verdade.

A gente brigava por repetição, sem motivo aparente, só porque um dia começou. Era como recomeçar a briga anterior, que se iniciara por causa da briga anterior, que era a continuação de uma outra, que a gente começou por uma bobagem.

Ficamos abraçados, eu sentindo aquele maldito perfume que ao mesmo tempo enjoava e atraía. Minha intuição andava por caminhos opostos. Dizia que ele não me queria mais e gritava afirmando que ainda era meu. Se não fosse meu, não seria de mais ninguém.

Se decidiu ser meu, se assumiu o namoro, tinha que abraçar tudo que sou, inclusive meu lado ruim. Ele era péssimo nisso.

A infelicidade dele não me realizava, mas de alguma maneira me preenchia. Vê-lo ferrado fazia com que eu me sentisse especial.
comentários(0)comente



Rapha 23/01/2012

Resenha de "Sou Toda Errada" no D.E.:
Sou Toda Errada não é apenas um romance, não é aventura e também não é fantasia. Poderia muito bem ser uma história real, aliás... parece impossível que não seja.

Mila, nossa personagem principal, é uma moça jovem, bonita e rica. Tem uma vida maravilhosa em termo financeiro, e adora isso, não se importa em gastar rios de dinheiro comprando roupas, sapatos, bolsas, nem pequenas fortunas em bares e baladas da cidade.

Talvez por sua posição social, Mila achava que tinha o mundo em suas mãos, mas a vida, as vezes, é bem amarga e ela começa a entender isso logo que seu namoro com Neco termina.

A princípio Mila acredita que terá volta, afinal Neco era sua alma gêmea, sua grande paixão, além disso, era bem típico eles terminarem e voltarem, isso já havia acontecido centena de vezes, não havia com o que se preocupar – pelo menos era nisso que Mila acreditava. Mas com o passar dos dias ela percebe que aquele fim era diferente: era o verdadeiro fim. É a partir daí que o mundinho da Mila vira de pernas para o ar.

Amor, paixão, desejo, vício ou simplesmente obsessão?! O tempo todo ficamos com essa dúvida. A Mila é incrivelmente ligada a Neco, mesmo que o namoro deles não tenha sido um mar de rosas (brigas, xingamentos, idas e voltas) ela o queria de volta.. e como queria.

"Éramos felizes nos fazendo mal"

É incrível como a gente se apega a personagens, né?! Por mais que a Mila fosse, literalmente, toda errada, eu senti tanto por ela, queria por tê-la ajudado, aconselhado, apesar de achar, sinceramente, que aquilo só poderia ser curado com tratamento médico. Senti também pelas pessoas que ela machucou profundamente.

Quanto à narrativa, posso dizer que me tornei fã da Tammy! A escrita dela flui muito bem e passa uma firmeza para o leitor... é como se ela realmente tivesse nascido para ser escritora (foi o que eu senti ;D).

Tammy parabéns pela obra incrível, já estou ansiosa para ler Garota Replay (novo livro da escritora que será lançado pela Novo Conceito em março deste ano). Só espero que desta vez a personagem apronte menos, rs.

CONFIRA OUTRAS RESENHAS EM: http://rapha-doceencanto.blogspot.com
comentários(0)comente



Amanda 06/01/2012

Fazia muito tempo que eu não lia um livro em uma sentada: é muito difícil você conciliar um livro que não seja tão grande (e ultimamente só leio tijolos), que tenha uma narrativa fluida e que te prenda.
Mas esse eu consegui ler numa sentada. Meus olhos já estavam fechando quando terminei, mas consegui ler ele inteiro em uma noite.

A narrativa, apesar de fluir não é muito leve.
Não é muito leve por que conta a história de uma guria que definitivamente não é leve.
A Mila é ruim. A Mila é louca, completamente louca. Totalmente pinél. E tolamente real.
Isso que talvez faz você se prender a personagem. Como segurar um livro, contado por uma personagem que você começa a odiar?
Simples: por mais que você odeie a Mila, você acaba se achando nela. Em pequenos pontos, não em toda sua loucura. Mas já é suficiente pra você ficar ali, esperando o final, querendo saber se ela vai ganhar ou perder (apesar da perda ser certa e fatal).
Talvez esse seja um ponto fraco do livro, mas ao mesmo tempo, um ponto que não apresentava uma fuga: a Mila no fim do livro perde. Você lê tudo aquilo e pensa "Onde isso vai dar?" e no fim, no fim ela só perde.
Isso faz que o livro se feche em um ciclo. O que ela fez? Queria saber o que aconteceu, quando ela finalmente esqueceu dele, uma coisa "500 dias com ela", mas muito, muito, muito menos bonita, nem assim menos emocionante.

É um livro bom. Não achei um livro ótimo, impressionante, mas bom. Bom o suficiente pra te prender na leitura.

Alguns pontos desnecessários na história:

O primeiro, ela falando sobre "meninas gordas". Ok, entendi, a Mila é uma rebelde e o mundo gira em torno dela. Ela se acha linda, especial, e o resto do mundo não presta, nunca está a sua altura.
A autora, numa entrevista que li, disse ter detestado escrever essa parte, mas "foi preciso". Não, não foi preciso. A gente já odiava a Mila, mas já estava preso a ela nessa altura da narrativa.

Segundo: Quando a autora insiste em destacar que a Mila é rica, que compra tudo. Ela bate nessa tecla assim, do nada. Não precisa. Não tem muita função na história o fato dela ter muito, muito dinheiro. Bastava deixar meio subentendido.

Terceiro: As vezes, os fatos contados repetitivamente, iguaizinhos, na mesma frase. Por exemplo, o fato de azul ser inferno para Mila, por que lembra a cor dos olhos do ex dela. Ela fala disso, e depois volta nesse assunto como se fosse a primeira vez que ela falasse sobre o azul. E fica voltando e voltando e zzzZZZ...

Gaby Branda 19/10/2010minha estante
um resenha realista. gostei.




Nia 03/01/2012

Sou Toda Errada
Sou Toda Errada é um livro que eu queria ler há muito tempo, desde que começaram a sair as primeiras resenhas. Primeiro, queria ler por ser nacional, e eu acho que cada vez mais é necessário apoiar esses autores lindos que a gente tem por aqui. E segundo, porque a curiosidade aumentava a cada vez que eu ouvia falar sobre a Mila. Todo mundo me dizia: 'Ou você ama ou odeia esse livro!' E a própria Tammy me disse isso quando eu peguei os livros das mãos dela, me pedindo pra que eu não a odiasse porque ela não era a Mila, rs! E teria como confundir a fofura da Tammy com a louca da Mila? Impossível! rs

Mas, voltando ao livro... eu comecei com certo receio, mas devo confessar que na primeira linha me indetifiquei: 'Aquela foi a primeira das muitas vezes em que eu quis me enganar achando que nunca mais pensaria nele, meu ex-namorado...' porque na verdade eu tava começando a passar pelo mesmo drama da Mila, terminar um curto, mas intenso relacionamento que mexeu muito comigo. E me perguntei mil vezes se era o momento certo pra continuar a ler o livro. Mas ai, como não gosto de abandonar nada que eu começo, fui em frente.... Queria saber se a Mila era tão maluca quando me diziam, ou se ela era apenas humana...

E posso confessar outra coisa? Eu não odeio a Mila. Acho ela maluca, isso é verdade, completamente transtornada e capaz de coisas que eu jamais pensaria em fazer. Mas como eu já disse pra Tammy, a Mila nada mais é do que um ser humano. Diz ae, quem nunca achou que o mundo fosse acabar quando percebeu que a pessoa amada estava indo embora e logo estaria com outra? Quem nunca teve vontade de bater, xingar, ou simplesmente ter uma conversa cara a cara com a menina que levou o seu grande amor? Quem nunca correu atrás pelo menos uma vez na vida de um garoto? Tá, tem muita gente por ai que é indiferente, mas eu pelo menos me identifiquei em algumas partes, porque eu sou ciumenta, sou possessiva, corro atrás mesmo e sempre demonstro demais quando eu gosto! Defeitos? São... mas eu sou apenas humana, assim como a Mila!

Claro que eu nunca teria coragem de ir em festas como ela, transar com qualquer cara, usar as drogas, me acabar no álcool, ou então criar uma situação que realmente pudesse acabar com a vida do cara como ela tentou com o Neco... nessa parte ela é realmente muito mais intensa que eu!

O problema da Mila é a falta de amor próprio! Aquela coisa de querer se reerguer mesmo sem o cara que ela jurava amar. Em alguns momentos acho que o amor da Mila se transformou em obsessão e ela já não sabia mais como encontrar o caminho de volta pra algo saudável. Dessa forma ela deixa de dar valor a quem realmente gosta dela e quer ver ela bem, passa a machucar qualquer pessoa que esteja ao seu redor e passa a viver em função de destruir o novo relacionamento de Neco.

Acho que sofrer por amor, querer lutar por aquilo que se ama é normal...e até certo ponto pode ser saudável e é natural. Mas existe um momento em que a gente precisa parar, pensar em nós mesmos e seguir em frente. Se tem uma coisa que eu e Mila somos muito diferentes, é nessa parte! Eu posso sofrer muito, mas sofro calada e jamais vou tentar destruir a felicidade do outro. Se eu amo tanto alguém, devo deixar que ele seja feliz com quem escolheu, não é? Afinal de contas, não é porque eu amo alguém que alguém tem de me amar da mesma maneira. E quando a gente começa a enxergar as coisas assim, o mundo fica bem mais fácil.

O final pelo menos pra mim foi surpreendente. Eu imaginava a Mila se dando mal depois de alguma loucura que ela pudesse ter cometido... Mas a Tammy fez com que ela sofresse de um mal que dói muito mais... A indiferença. Mas ai, pra vocês entenderem tudo que acontece, só lendo! o// Sou má mesmo! rs
comentários(0)comente



Marcos 16/11/2011

Sou toda errada traz a história de Mila, uma garota rebelde, jovem, linda e rica, que vive a vida entre baladas e shoppings e só quer saber de se divertir. Até que encontra o grande amor de sua vida (cujo nome só é revelado no final), com o qual tem um relacionamento conturbado e cheio de reviravoltas, que acaba por terminar em virtude do excesso de ciúmes. Ao se ver sozinha, Mila passa a usar de artimanhas para atrair seu ex de volta. Porém, conseguirá Mila voltar com seu grande amor? O que ela é capaz de fazer para tal? Será possível esquecer seu ex nos braços de outro(s)?

Quer continuar a ler a resenha? Acesse: http://capaetitulo.blogspot.com/2011/11/resenha-sou-toda-errada-de-tammy.html
comentários(0)comente



danilo_livros 07/11/2011

Malvada menina rica
Todos nós ansiamos por algo na vida. Poder, fama, dinheiro, cabelos diferentes, corpos mais sarados ou vidas opostas as que temos. E se você nasceu com tudo isso, será que tem algo que pode desejar?
Milla tem tudo isso. Ela é alta, linda, rica e loira. Usa e abusa do poder e dinheiro vindos dos seus pais e não se importa com nada além dela.

Isso pelo menos ela pensava...


Quando seu ex-namorado termina com ela, após um intenso relacionamento de amor e ódio, Milla descobre que não pode perdê-lo. Assim, ela se transforma num ser obcecado pelo homem que já não é mais dela. Perdida em seus devaneios,cai num abismo de sexo desenfreado e autodestruição, tentando de alguma forma compensar esta ausência.
Mas nada parece ajudá-la e seu estado piora gradativamente. É questão de tempo que ela exploda...
Será que Milla será capaz de ser ela mesma verdadeiramente?

Ler Sou Toda Errada, da Tammy Luciano (7 letras, 133 páginas) é fugir do conceito de livro adolescente. Assumo que amei odiar a Milla. Ela é hipócrita, nojenta, rancorosa e extremamente narcisista. Trata quem não interessa como se fosse o carrapato atrás da orelha do vira-lata e nem ao menos sente remorso com isso.

No começo, achei que ela só alimentava despeito, por ter sido ela a abandonada e não ter tomado as rédeas da situação. Mas a autora consegue com sua escrita densa jogar o leitor de cabeça dentro da nossa mocinha / vilã. E assistimos a gradativa quebra de todos os seus valores e sua busca incessante do amor abandonado em outros corpos e outras vidas. Por mais que não queira compactuar em nenhum instante com Milla, a gente adentra a casca espinhosa que a reveste, captando momentos de lucidez tremenda, colocando-nos em teste sobre a ambiguidade do ser humano.

Veja resenha completa no Literatura de Cabeça:
http://bit.ly/tP4Qsi
comentários(0)comente



Thyeri 05/11/2011

www.restaurantedamente.com
"Aquela foi a primeira das muitas vezes em que eu quis me enganar achando que nunca mais pensaria nele, meu ex-namorado. Merda. Era como um vício. Mesmo que eu não quisesse, ele estaria dentro de mim, colado nas paredes da minha alma, indo e voltando como em nossa última transa. Seria a última vez que eu o encontraria, antes dele implorar para voltar. Eu sonhava com esse dia. Olhava todas as fotos e tinha vontade de telefonar. Sentia saudades dos nossos jogos de ofensa, dependência e ataque mental, nosso inferno de muitas faces. Inferno que se prolongou durante meses seguidos. Éramos felizes nos fazendo mal" (pg.9).

É com este parágrafo que embarcamos na mente de Mila, que depois de meses de relacionamento, com seus altos e baixos, a relação não dá mais certo, e ela fica completamente obcecada pelo seu, agora, ex-namorado. A partir daí, quem desse mole pra ela, ela não queria nem saber, já ficava e já o levava pra cama. Mesmo quando começa a sair com o Mauro, baterista de sua banda, ela não deixa de pensar em seu ex, e de ficar com outras pessoas.

Num mundo onde as redes sociais mostram muito da vida das pessoas, Mila tem um fotolog onde mostra tudo de sua vida, ou como ela quer que as pessoas a vejam. Mas não é só ela que está nas redes, seu ex também, e a nova namorada dele. Nos encontros e desencontros com seu ex, vemos Mila fazendo de tudo para eles voltarem, desde criar contas falsas no orkut e tecer comentários maldosos em seu fotolog, à coisas mais graves, como testemunhar falsamente numa delegacia.

O livro é narrado pela própria Mila, ou seja, estamos o tempo todo imersos em seus pensamentos e entendendo (ou tentando) o porquê dela fazer as coisas que faz para ter seu ex junto de si.

"Como ficar junto, Mila? Eu não tenho mais vida com você. Nesse último mês você só me fez infeliz, só me prendeu. Descobri que não preciso disso. Você acha normal alguém ligar 55 vezes para outra? Você me telefonou 55 vezes!" (pg.23)

"Naquela noite, antes de pegar no sono, arranhei meus braços para não esquecer no dia seguinte como ele tinha me deixado só. Fiz uma cicatriz em mim e apelidei com o nome do meu ex. Fiquei me perguntando como ele tinha coragem de ir embora e terminar nosso namoro. De onde ele tinha tirado forças para isso?" (pg.25)

Esse foi um livro que me surpreendeu, pois só comprei por que conheci a autora e vi uma apresentação dela, já que pela capa e cor do livro, não seria um livro que me chamaria a atenção. Na dedicatória que a Tammy fez pra mim, ela dizia que apesar do livro ser rosa, ela esperava que eu gostasse. Bem, eu adorei.

Entrar na cabeça de Mila foi algo bem interessante, afinal é algo passível de acontecer com qualquer pessoa, tanto ficar obcecado(a) por alguém, ou ter uma pessoa obcecada atrás de você. A sequencia de acontecimentos e as resoluções da Mila sobre o que está acontecendo com ela, o por que dela não conseguir ficar com o Mauro, já que este o ama apesar dos pesares, e se questionar sobre sua fixação pelo ex, torna toda a trama muito interessante.

Posso falar que é uma história bem diferente do que estava acostumado, e acho que foi isso que me fez gostar, pois não cai no lugar comum de um romance, mais que isso, vemos uma história original sobre o que pode acontecer quando o romance não dá certo, ou não dá apenas para um dos envolvidos, mas o outro continua apaixonado, e muito.
comentários(0)comente



spoiler visualizar
comentários(0)comente



Nathy Bells 01/09/2011

“Só sabia que no meio do mundo, no bairro do Leblon, no Rio de Janeiro de violência e mortes todos os dias, eu sofria de amor. E um dia isso passaria. Ninguém notaria. Nada mais restaria de mim. Só os dias em que me senti mal, enquanto ele fazia as malas.” (pág. 35)
Mila sempre achou que tinha tudo na vida: bons amigos, fazendo o curso faculdade que queria e é claro com um cartão de crédito sem limite algum. Até que por intermédio de alguns amigos começa trocar e-mails com Neco, apos semana de contato virtual resolvem se encontrar.
Ela logo percebe que o papo pessoalmente com ele é melhor ainda e não vê a hora dos encontros serem mais sérios.
“Queria acertar naquele namoro e já o considerava meu namorado.” (pág. 13)
O começo do namoro foi maravilhoso, os planos eram parecidos e caminhar juntos era a melhor escolha, mas esse “mar de rosas” começou a se desmanchar quando as brigas apareceram, o lado ciumento e possessivo de Mila foi se mostrando exagerado.
Com o fim do namoro vai embora toda paz que Mila tinha. Ela não se vê sem Neco, e declara guerra contra tudo: maltrata o próprio corpo, começa namorar Mauro para criar uma boa impressão entre os amigos, mesmo relacionando-se com outros caras nas baladas.
“Mauro achava que eu tinha esquecido meu antigo namoro e fazia de tudo para me agradar. Passou a ser um espécie de pano de chão limpando meu passado.” (pág.26)
A cada novo capítulo a loucura fica maior… não importa os limites do seu corpo, de sua mente Mila não liga para as consequências que está sofrendo.
“Sempre imaginei que no dia em que encontrasse o grande amor da minha vida, teria paz. Muitas vezes, o grande amor das nossas vidas é a mais pura infelicidade. Era triste descobrir que eu era vazia com tanto amor dentro de mim. Quando achava que estava mal, ficava pior.” (pág.57)


Um livro fácil e rápido de ler narrado em primeira pessoa, Sou toda errada te leva a uma viagem pela loucura de uma mulher apaixonada e que não sabe lidar com perdas, ao meu ver não é só o fim do namoro que faz dela o que é. Impossível não terminar o livro sentindo uma vontade de levar Mila ao psiquiatra… rs
comentários(0)comente



Luciane 06/08/2011

Bem... o que falar sobre o livro? A leitura flui rapidamente, mas a história é um pouco conturbada com as atitudes extremas de Mila, muitas vezes dá até uma certa raiva pelo que ela faz com o homem que diz amar e com aquele que ama ela. Quando parece que ela está caminhando para o lado do bem, faz algo novamente que põe tudo a perder...
Este foi mais um livro viajante do Grupo Livro Viajante: http://www.skoob.com.br/grupo/1284-livro-viajante
comentários(0)comente



Gi 01/08/2011

Recomendo a leitura....
Adorei o jeito de escrever de Tammy, sou toda errada é um livro para quem não quer ver mais uma mocinha convencional de tantas histórias das tantas histórias de amor.
Milla é um garota linda, mas no meu ver totalmente surtada, o livro é gostoso de ler. Com certeza durante a leitura vocês se identificarão com coisas que a personagem viveu ou conheceu alguém que passou pela mesma situação.
A Tammy soube levar uma história de amor como poucos escritores consegue, sem ser meloso e enjoativo.
Com certeza lerei outros títulos da Autora.
comentários(0)comente



Celly 12/07/2011

Sou Toda Errada
Eu realmente não sei o que é pior, gostar da Mila ou não gostar.
Gostar por que, querendo ou não eu me identifico com alguns dos seus pensamentos e atitudes, claro que eu não sou tão extrema quanto ela. E não gostar por que ela me faz pensar que um dia eu posso ficar assim.
Sou muito ciumenta e hoje estou bem melhor, mas já cheguei ao ponto de assim como a Mila, achar que qualquer coisa que meu namorado dissesse era por que ele queria se redimir por estar me traindo. Neurose pura é claro, hoje eu vejo isso.
Mas enfim, adorei o jeito que a estória foi escrita.
A Mila pra mim é uma pessoa intensa, mas acho que o pior defeito dela é a sua interpretação dos fatos, a garota interpreta tudo com pessimismo, e acaba achando que tudo está contra ela.
O “ex” durante quase todo o livro não tem nome e isso me fez imaginar um monte de nomes pra ele (acho que isso é uma técnica de escritores brasileiros pra nos deixarem curiosos, e o pior é que funciona rsrs).

Adorei o livro e o carinho da autora também, mostro meu livro autografado pra todo mundo rsrsrs.

Recomendo o livro e espero que todos leiam por que além de ser um bom livro também é escrito por uma brasileira!!!
comentários(0)comente



52 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2 | 3 | 4