Nas Montanhas do Marrocos

Nas Montanhas do Marrocos Luisa Bérard




Resenhas -


7 encontrados | exibindo 1 a 7


Diana 03/06/2020

Nota: 4,5 estrelas.

Um romance de época muito bom. Com uma história envolvente, foi quase impossível largar até terminar a leitura.
O personagem principal, Fahid, é apaixonante.
Só não vou dar 5 estrelas porque a primeira parte(livro é dividido em três partes) é um pouco cansativa, mas a autora escreve muito bem.

Breve resumo:

Katherine é uma jovem inglesa que tenta se adequar aos costumes da época, mas impossível, já que ela busca a todo custo viver da sua maneira, livre. Ela não pensa em se casar e tem uma aptidão para o mundo dos negócios.
A vida de Katherine dar uma reviravolta quando ela faz uma viagem e acaba parando na cidade de Tânger em Marrocos. E é lá que ela conhece o seu amor, Fahid.

*Quem leu "O que dizem seus olhos da Florencia Bonelli" provavelmente vai gostar desse aqui.
comentários(0)comente



Eliza Carvalho 21/09/2020

esperava mais da protagonista. no momento em que ela começa a se relacionar sexualmente com o homem, ela apaga a tentativa de retorno a familia. ele que se diz taaaanto apaixonado por ela, poderia pelo menos ter avisado a familia dela. É um romance de banca caprichado, vê se que a escritora pesquisou sobre o local.
comentários(0)comente



Teresa.Paiva 08/02/2019

Um romance para se deliciar!
Recomendo muito! Amei, fiquei completamente apaixonada e passei a ser fã dessa autora!

O livro 'Nas montanhas do Marrocos' tem tudo que um leitor de romance gosta: cenários lindos, personagens apaixonantes, muita emoção, reviravoltas e principalmente amor. Em suma, uma história envolvente que faz você sentir todas as emoções dos personagens, nos transportando da Inglaterra para o Marrocos com suas culturas distintas e paisagens estonteantes, fazendo a pessoa não querer parar de ler.

Comecei em um sábado e na terça eu tinha finalizado. Todo o tempo livre que eu tive me dediquei a ele, não conseguia parar, tamanho o envolvimento que tive com esse livro. Quando terminei me senti nostálgica, com saudades dos personagens! E o que fiz? Decidi ler as melhores partes novamente!! Não vou passar maiores informações acerca da história do livro porque a magia está justamente no desenrolar, nas descobertas, nas surpresas e reviravoltas que a trama nos proporciona a cada página, criando uma ligação emocional indescritível.

É o primeiro livro da autora que é brasileira, e, diga-se de passagem, não deixa a desejar para as autoras internacionais de romances consagradas pelo público, e, para mim, Luisa Bérard é muito melhor que várias autoras de livros históricos de sucesso de vendas que eu já li. Torço para que 'Nas Montanhas do Marrocos' vire futuramente uma minisérie, porque tem todos os elementos para isso. Vislumbro um mega sucesso de audiência. ;)

Fica a dica de quem ainda não leu, pois está perdendo uma linda história de amor!

Para baixar o primeiro capítulo do livro entre no site www.luisaberard.com.br
comentários(0)comente



Silvana - Blog Prefácio 17/02/2019

Katherine Hartington é a filha mais nova do conde de Northwick e da condessa Lydia Hartington e para desgosto da mãe, ela não seguiu o exemplo das irmãs mais velhas, que assim como a mãe só pensam em vestidos, aulas de danças e encontrar e fisgar um cavalheiro rico para realizar um ótimo casamento. Katherine quer ser como sua tia Margareth, sexta duquesa de Melbourne, que após a morte do seu marido, optou por não se casar novamente e administra todos os negócios da família, atitude que sua irmã Lydia se opõe, mas que não pode fazer nada para mudar a situação. Nem impedir que Katherine visite a tia três vezes por semana para aprender sobre como gerir um negócio. Mas mesmo Margareth apoiando Katherine nesse quesito, ela não abre mão de que a sobrinha faça um bom casamento.

E enfim, depois de tantas aulas e preparações, chega o dia em que Katherine será apresentada a sociedade londrina. Sua família parte para Londres onde após ser apresentada a Rainha Victoria, Katherine começa a participar de um evento atrás do outro, onde consegue alguns admiradores e até um pedido de casamento, que ela recusa sem pensar duas vezes. E entre um evento e outro Katherine ainda consegue fazer um curso de enfermagem escondido da família. Mas então uma súbita doença coloca a vida de Margareth em risco, fazendo assim com que Katherine desista da temporada e volte para o condado de Derbyshire com a tia onde além de cuidar da saúde dela, ainda fica a frente dos negócios do ducado sob a supervisão da mesma. E essa doença faz com que Margareth apresente planos que ela sempre teve, fazer de Katherine sua herdeira.

Os meses vão passando e Katherine recebe um convite para acompanhar um casal de amigos em uma viagem para a Grécia. Como não quer deixar a tia sozinha, ela recusa. Mas acaba voltando atrás quando Ethan Bedford, o marquês de Huntley, que ela conheceu em Londres, aparece pedindo sua mão em casamento. Katherine precisa pensar no que realmente deseja para sua vida e vê na viagem uma ótima oportunidade para isso. Mas as coisas não acontecem como previsto. No meio da viagem o navio é atacado por piratas e Katherine é levada por eles e posteriormente é vendida como escrava no Marrocos. E por ironia do destino ela é dada como presente para o príncipe Fahid Ahmed el-mansur Saadi, que já admirava Katherine desde quando a viu em Londres. E enquanto tenta encontrar uma maneira de voltar para casa, Katherine se vê cada dia mais encantada pelo príncipe marroquino.

Estou achando bem dificil escrever essa resenha, assim como foi dificil dar a nota para ele. Como vocês podem ver o livro é enorme, quase 600 páginas, algo bem incomum em romances de época. E até a metade do livro mais ou menos, eu estava odiando a história, só encontrei coisas negativas para falar sobre a história. Mas então da página 300 em diante a história melhorou e muito, a protagonista amadureceu e comecei a gostar bastante e acabei devorando o restante do livro. Mas a duvida quanto a nota e a resenha é porque conheço muita gente que teria abandonado o livro bem antes dele melhorar. Afinal ler trezentas páginas e só passar raiva é algo que eu particularmente faço porque não consigo abandonar uma leitura, mas sei que não é todo mundo que tem esse problema.

A narrativa da autora é super detalhista, tanto que chega a cansar em vários momentos. Sabe quando você lê 50 páginas e não aconteceu nada? Lê mais trinta e só se passou um dia na história? Pois é, esse foi um dos motivos que me fizeram não gostar da primeira metade do livro. Ainda mais porque o livro é pesado e se a leitura vale a pena isso não incomoda, mas quando a narrativa é cansativa nos dois sentidos, a leitura se torna muito chata. Em segundo lugar me incomodei e me irritei muito com a protagonista. Eu leio muitos romances de época e em quase todos eles temos mulheres que estão a frente do seu tempo e que quebram as regras estabelecidas pela sociedade. Mas a Katherine, meu Deus que mulher insuportável.

Ela não quebra as regras por querer lutar por seus direitos, ela as quebra por ser teimosa e bem sem noção. Por várias vezes ela coloca em risco sua segurança apenas para não ter que baixar a cabeça e ficar com a ultima palavra. Só para citar duas situações, mas foram muitas mais, uma foi ela querer discutir com os piratas que invadiram o navio em que ela estava e outra foi ela cavalgar sem se importar nem com a segurança dela, nem com a do animal. Fiquei com muita raiva dela por causa disso e não foi uma vez só não que ela fez o animal ir além dos seus limites. E o mais engraçado é que ela sempre foi contrária ao casamento por não querer perder a sua liberdade e foi só colocar os olhos em Fahid que ela abriu mão de tudo na vontade de ser uma segunda esposa, muito contraditório.

Mas como disse antes, chega em um ponto do livro que as coisas mudam e ela amadurece e deixa de ser aquela garota mimada pela tia. Dai em diante comecei a gostar da história e até torci por ela e por Fahid. Agora falando do relacionamento deles. A principio achei que fosse se tratar de um caso de Síndrome de Estocolmo, mas não foi o caso já que não é Fahid quem compra ela e apesar de estar em um país onde ela não entendia a língua e não tinha como pedir ajuda, em nenhum momento ela perdeu sua liberdade e privilégios. Tanto que mesmo sendo considerada "escrava", ela tinha sua escrava particular, e todos se referiam a ela como milady. E também eles só tiveram relações sexuais quando Katherine pediu para que isso acontecesse.

E voltando para as "reclamações" sobre o livro, achei que a autora fosse mostrar mais sobre a cultura marroquina. Pelo tamanho do livro achei a abordagem dela bem superficial e como já li algumas coisas sobre o assunto, achei também que houve algumas discrepâncias com algumas coisas que já li e assisti. Mas como não sei de fonte segura sobre o assunto, não vou dizer quem está correto. E vi algumas divergências não só sobre a cultura da região, mas também sobre as regras da sociedade em si. Mas como disse antes, no fim de tudo achei o livro bom. Então leia por sua conta e risco, pode ser que você goste bem mais do que eu. E para finalizar vou falar sobre a capa que achei muito bonita e a edição da Novo Conceito ficou excelente. O livro já foi lançado anteriormente de forma independente pela autora e relançado agora pela NC.

site: https://blogprefacio.blogspot.com/2019/02/resenha-nas-montanhas-do-marrocos-luisa.html
comentários(0)comente



Fabi | @blogpsleitura 02/04/2019

{resenha feita no blog PS Amo Leitura}
“Nas montanhas do Marrocos” foi lançado em 2018 pela Editora Novo Conceito e conta com uma escrita rica em detalhes da autora brasileira Luisa Bérard. O mesmo pode ser considerado um esplêndido romance de época.

O ENREDO
Em uma Inglaterra antiga (1847), nós vamos conhecer a filha mais nova do conde Northwick – a lady Katherine Hartington.

Todo o enredo é criado através da jovem protagonista que apresenta um grande laço com a sua família, descrevendo o estilo de vida inglesa e todos os obstáculos sociais que eram impostos às mulheres daquela época.

Mas um grande acontecimento faz com que a lady Katherine acabe em Marrocos, sendo obrigada a viver naquele local. Tudo muda com o tempo quando ela passa a conhecer mais sobre a cultura e até mesmo se apaixonar por aquele lugar.


A PERSONAGEM
À frente do seu tempo. Com certeza essa é a definição perfeita para Katherine. Ela expõe todos os seus desejos e toda sua determinação.

Quando ela está em Marrocos, ela não deixa de mostrar toda a sua determinação e, para mim, ela foi mais forte e determinada do que nunca! É visível como o cenário todo é narrado em muitos anos atrás e a personagem é totalmente diferente da época.

Isso é algo ruim? Jamais. É algo maravilhoso! Nós mulheres lutamos por nossos direitos até hoje, então isso só mostra que nossa vontade precisa ser exposta e precisa ser ouvida por todos!


A NARRATIVA
A escrita da Luisa Bérard é realmente incrível. Ela tem uma sutileza em narrar todos os acontecimentos e uma riqueza de detalhes impressionante.

A autora faz com que você se sinta em Marrocos e vivencie todos os cenários junto com a personagem. Confesso que assim como a lady Katherine se apaixonou por Marrocos, eu também fui fisgada.

Um ponto que ressaltei que foi maravilhoso, ao mesmo tempo pode incomodar alguns leitores: a riqueza de detalhes acabou proporcionando alguns capítulos longos e isso tornou a leitura um pouco mais demorada.


FINALIZANDO...
Aos pouquinhos estou me adequando aos romances de época e quem julgaria que esse seria um? Pela capa eu jamais esperaria isso do livro e isso foi uma surpresa incrível. Um romance de época escrito por uma brasileira é de encher o coração de orgulho, ainda mais que conseguiu me cativar em diversos aspectos.

A autora soube, com uma narrativa rica em detalhes, como mesclar perfeitamente a paixão entre os personagens, os conflitos e as intrigas. Mostrando como a vida pode ser vazia sem a presença do amor, qualquer tipo de amor.

Se encante pelos cenários apresentados neste livro. Você vai se apaixonar por tudo e sentir diversas emoções: aflito, alegria, ansiedade... “nas montanhas do Marrocos” te proporciona diversas sensações.

site: https://www.psamoleitura.com/2019/03/resenha-nas-montanhas-do-marrocos.html
comentários(0)comente



Daniela -@livroterapiamylife 16/04/2019

Maravilhoso
#resenhalivroterapia | Nas Montanhas do Marrocos | @novo_conceito | @luisa_berard .
.
"É formidável a habilidade que algumas pessoas têm de tornar o impossível uma realidade."
.
Katherine Hartington, uma moça de beleza estonteante, mora no condado de Derbyshire com sua família, vive uma vida tranquila e feliz. Sendo a filha mais nova do Conde de Northwick a sua única preocupação é a chegada da temporada dos bailes debutantes em Londres. Arredia e inconformada ela tenta ganhar tempo, pois ainda quer a sua liberdade. (já quero ser amiga de Kathe(sou totalmente contra casamento rsrs). Tem um apreço sem igual por sua tia Margareth duquesa de Melbourne, que infelizmente sua saúde esta debilitada, necessita de todo os cuidados. Sendo assim Katherine é a única que sobrinha que sabe gerenciar as propriedades da tia, que por sua vez ensinou perfeitamente Kathe.

No Baile de debutante fora muitas vezes cortejada, mesmo não querendo casamento um dos rapazes que por fim era um grande amigo, lhe propôs casamento. O cerco estava se fechando e Kathe, não viu outra alternativa, a não ser viajar com um casal de amigos para Grécia.
Como nem tudo são flores, algo extremamente inusitado acontece a bordo do navio, que fez a vida da adorável menina virar de cabeça para baixo.
.
Por outro lado temos Fahid o príncipe, lindo, moderno e muito justo. Que recebeu Kathe como presente, de uma divida que seu primo tinha para com ele.
Com muito esforço Kathe acabou aceitando sua condição de escrava, sendo assim consegue um pouco da tal liberdade que tanto almejava. Porem Fahid, não media esforços para conquista lá. E posso lhe garantir que não foi nada fácil.
.
No entanto no desenrolar da trama eles acabam se apaixonando, e quando tudo estava indo bem, o pai do príncipe trava uma verdadeira guerra com ele, fazendo assim o casal apaixonado se afastarem.
.
A narrativa da autora é bem detalhada, eu senti falta de mais informações sobre a cultura marroquina. Por ser um romances histórico, a ideia da autora foi muito legal de misturar as culturas. Mas, foi a escrita detalhada, porém fluida, que eu pude imaginar cada lugarzinho visitado por Kathe.

site: https://www.instagram.com/p/Bv2l2wXAx4i/
comentários(0)comente



Amanda 11/07/2020

Diversidade Cultural com romance de época, quer mais?! Haha
Sabe aquela leitura despretensiosa que acaba te encantando e surpreendendo do início ao fim?!

A ambientação desse livro é incrível, transitando entre a Inglaterra e o Marrocos, cada descrição é um presente da autora para nós leitores, pois tudo é muito rico em detalhes e o incrível é que não é cansativo como acontece em muitos livros que tem detalhes excessivos, as descrições da Luisa Bèrard, te transportam para todos os cenários e vc è capaz de visualizar integralmente a trama. E nem falo do casal protagonista, a mocinha tem aquela típica caracteristica dos romances de época de ser à frente do seu tempo, è super independente e o par romântico dela é um personagem que conseguia me surpreender a cada capítulo pois a complementava muito bem. A escrita do livro é riquíssima, uma das mais lindas que ja vi; a ambientação e o enredo são incríveis, a trama é fechadinha, vc se surpreende, pois não é um livro "revolucionário" mas também não é nada do tipo "água com açúcar" que você prevê tudo e se cansa das inconsistências dos personagens, é simplesmente um livro rico, recomendo até mesmo pra quem não gosta muito de romances, porque a ambientação do livro, a cultura muçulmana, as questões humanas que envolvem o nosso cotidiano já valem a leitura além da história de amor que o livro trás.
comentários(0)comente



7 encontrados | exibindo 1 a 7


Utilizamos cookies e tecnologia para aprimorar sua experiência de navegação de acordo com a Política de Privacidade. ACEITAR