Educação não violenta

Educação não violenta Elisama Santos




Resenhas - Educação não violenta


23 encontrados | exibindo 1 a 16
1 | 2


Nando Borges 22/12/2020

Repetitivo
Acho que li a palavra workshop umas 500 vezes no livro, talvez mais. Tudo acontece nos workshops da autora. Podia ter uma dinâmica diferente que não cansasse tanto.
comentários(0)comente



Lili 20/05/2019

Educação Não Violenta
Eu gostei muito desse livro. O que não quer dizer que concordei com tudo, claro. Sempre que leio um livro sobre educação infantil, eu sinto o mesmo: nenhum livro se aplica 100% à nossa realidade. Por outro lado, nunca li nenhum livro desse tipo que não me desse pelo menos uma dica útil. É só ler de guarda baixa e coração aberto, não invalidando todo o livro apenas porque discordamos de algo.

Gostei muito das dicas para sair de situações em que só pensamos em gritar ou bater nas crianças; gostei do desenvolvimento da empatia (tentar ver pelos olhos das crianças é muito revelador) e gostei também do tom do livro, como uma conversa franca e sem receitas de bolo.

Recomendo muito para quem não quer recorrer à violência e ainda assim não quer ser permissiva com os filhos.
comentários(0)comente



Alice 28/12/2020

Validação de sentimentos
Excelente leitura. Pais e educadores leiam este livro! Através do autoconhecimento mudanças significativas ocorrerão em seu cotidiano.
comentários(0)comente



21/09/2020

É um livro conciso e direto sobre parentalidade. Fácil de ler, discursa sobre Disciplina Positiva e fornece alternativas à educação que temos como tradicional. Um ótimo livro para começar a rever conceitos antigos e mudar atitudes.
comentários(0)comente



Eduardo 02/08/2020

Transformador
Excelente livro sobre educação parental. Abriu minha mente para uma educação muito mais saudável do que eu jamais pensei ser possível.
comentários(0)comente



Mila @milaeoslivros 01/03/2020

Inspirador
É realmente muito interessante pensar em formas alternativas de educar. Enquanto educadora acredito que a violência (tanto verbal quanto física) não tem efeitos positivos nas crianças, e é muito interessante conceber essa visão através da ótica da família que a autora traz com seu livro.
comentários(0)comente



Sheltom 11/06/2020

Incrível!
Elisama é precisa, genial e didática, mas sempre humana, gente como a gente!!!

Se você espera um livro te ensinando a cuidar de seus filhos, não é isso que vai encontrar. Por outro lado, essa é a leitura ideal para entender um pouco melhor as dores e delícias da relação que temos com nossas crianças. Em vez de respostas, temos reflexões e, com elas, aprendemos a olhar através de outras lentes. Incrível!
comentários(0)comente



Carol B. 28/07/2020

A autora expõe de forma objetiva, mas ao mesmo tempo tocante, conceitos chave de comunicação não violenta e disciplina positiva de uma forma que eles nos toquem e façam sentindo em nosso dia a dia. Imprescindível para as nossas crianças filhas e para as crianças-nós, as que ainda moram na gente e que por muitas vezes não estão entendendo nada e continuam tentando seguir sem apoio emocional.
comentários(0)comente



Nat França 16/08/2020

Esse foi o livro que mais me surpreendeu esse ano. Foi o primeiro Audiobook que escutei de fato, prestando atenção mesmo e simplesmente adorei.
Eu, que não sou mãe, aprendi muito sobre a criação que tive e passei a entender melhor meus pais.
Uma excelente indicação para quem quer aprender mais sobre relações humanas em geral.
comentários(0)comente



Michelle Trevisani 23/05/2019

Amei!
Olá pessoal! Tudo bem? Espero que sim! Hoje a resenha que trago é dessa descoberta de livro e pessoa, da autora Elisama Santos. Vi por acaso na internet um de seus vídeos, e um foi levando a outro e outro, até que descobri que ela tinha lançado um livro. E o tema do livro é justamente o que estou procurando como bagagem para utilizar para um ser novo que está fazendo parte agora da minha vida e do meu marido: nossa bebê!

Simm! Acabei de ser mãe, e agora vivo em prol de um pacotinho de amor chamado Samira. E meu marido e eu, decidimos que vamos criar essa coisa linda da maneira mais amorosa possível. Por isso achei tão importante pesquisar a respeito. Decidimos que nossa educação será não violenta, preconizando diálogo e boa convivência. Ler o livro da Elisama me faz crer que esse tipo de educação é o mais indicado - muitas vezes não será o caminho mais fácil, pois é difícil romper paradigmas. Já tive como modelo pais que nunca me bateram, nem em mim e nem no meu irmão e acredito que nossa relação construída no respeito, no diálogo, no carinho, foi um dos caminhos mais lindos escolhidos pelos meus pais para a nossa educação.

Neste livro da Elisama, vamos acompanhar situações bem práticas que ela mesmo utiliza na educação de seus filhos. Como ela mesma diz, violência e amor não devem estar em uma mesma frase nunca, então bater em uma criança justificando que a ama nunca será o modelo de educação ideal em seu ponto de vista.

O jeito que ela escreve e explora o assunto realmente nos faz ver o quanto uma educação baseada na violência pode ser prejudicial no futuro. Muita gente diz: "há, mas eu apanhei e estou vivo, eu apanhei e isso me fez ser um adulto melhor". Mas o que a violência realmente te ensinou? A ficar com raiva do adulto que te batia, ao invés de refletir sobre o que foi feito de errado. Essas mágoas ficam enraizadas para sempre em nós, e alguns sabem lidar melhor do que outros com elas.

Para uma educação não violenta é preciso ter paciência. No mundo de hoje, poucos pais fazem uso dela. Gritar, coagir, intimidar, muitas vezes é mais fácil do que perder mais alguns minutos construindo um diálogo com o filho. A Elisama então vai nos ensinar caminhos e artifícios para tornar mais fácil essa trajetória.

Esse tipo de livro a gente precisa deixar na cabeceira para ir consultando sempre. Fiz várias anotações no decorrer da leitura e fui separando trechos que realmente farão sentindo na hora de ensinar. Além de ler este livro, procuro constantemente também na internet vídeos que me ajudam a reforçar essa minha escolha. Ela não é impossível - muitas pessoas não enxergam outro caminho além do da violência para educar. Mas quando você lê a respeito e entende que não há lógica numa pessoa adulta fazer uso de força para coagir uma criança na busca de educação, tudo faz sentido. É covarde aproveitar da fragilidade do outro para impor uma força da qual a criança não conseguirá se defender. É pensando em tudo isso que virei fã dos ensinamentos da Elisama e de muitas outras mães que seguiram o mesmo caminho - inclusive a minha!, obrigada mãe.

Para você que é mãe e pai e que quer fazer diferente, leia. Procure se informar - tente! Uma educação baseada no amor tem tudo para ser linda. Tem tudo para ser o caminho correto. O amor aproxima e quando se trata de ter os filhos por perto, esse sentimento é o único que realmente importa.

comentários(0)comente



@gbdrt 20/08/2020

Gostei demais, leitura fluida e muito didático, não é um manual mas me fez ter muitas reflexões desde minha criação a maneira que me relaciono com todos ao meu redor.
comentários(0)comente



Aline 04/10/2020

Excelente
Excelente livro que nos leva a refletir nossa forma de maternar.
comentários(0)comente



Aline Marques 02/06/2019

Empatia é prática! [IG @ousejalivros]
Educar tem que ser um gesto de amor e respeito.

É através da convivência que se demonstra a dimensão de tudo o que se sente, sonha e realiza. E quando a violência, seja ela verbal, física ou psicológica, faz parte das ferramentas de construção de tal perspectiva, a imagem não se aproxima do que se internaliza ou almeja, e a frustração consome e exaure. Então, como alcançar um bom relacionamento, baseado na cooperação, acolhimento e empatia, transpondo os conceitos de obediência e a bagagem de reprimendas, rótulos e cicatrizes da nossa própria história?

Elisama Santos afirma que o melhor caminho é a compreensão dos próprios sentimentos e expectativas, além dos das crianças e adolescentes. Aceitar que o analfabetismo emocional somado a ideia de que educação é sinônimo de hierarquia e punição fracassou, é se permitir transformar não apenas as relações com os filhos, mas a própria cidadania e forma de enxergar o mundo.

O autoritarismo não respeita a humanidade do indivíduo, menosprezando as necessidades e sentimentos particulares. Acreditar que a submissão e ausência de resistência resultará em adultos bem sucedidos e autônomos, centrados e disciplinados, é ignorar a forma como chegamos até aqui e os resultados que agora colhemos.

E é pensando em toda essa impotência que a autora, de forma acolhedora e acessível, apresenta ao leitor novas perspectivas sobre dificuldades antigas. Através da identificação, qualquer pessoa, tenha ela um filho ou não, poderá aprender mais sobre si mesma e no tipo de futuro que espera alcançar, junto a nova geração.

Um livro que fala diretamente com a pessoa que almejamos nos tornar, sem ignorar tudo o que já vivemos, com capítulos curtos e didáticos que se assemelham muito a boas conversas entre amigos.
Fernando Lafaiete 03/06/2019minha estante
Excelente resenha!! Já vai pra minha pilha infinita de próximas leituras. Rrsrs


Aline Marques 10/06/2019minha estante
Obrigada! Sei bem como é, Fernando... Hahah
Os capítulos são curtos e dinâmicos. Ajuda programar a leitura de um por dia, viu?




Vanessa.Louis 14/09/2019

Impactante, sensível e informativo.
A escrita leve e sensível da Elisama me trouxe inúmeros momentos de reflexão não só sobre a minha busca na educação da minha filha, mas sobre mim, sobre minhas próprias feridas e sobre a importância de abraçar minha criança tão reprimida. De fato, quanto mais leio sobre comunicação não violenta e disciplina positiva, maior é a minha percepção do quanto devemos nos aceitar para podermos aceitar também o outro, entendendo os momentos e necessidades de cada um. Gratidão pelo aprendizado!
comentários(0)comente



Vanessa.Kawashima 24/07/2020

Desafio
Ótimo livro para quem tem crianças, não tem soluções , mãe mostra boas estratégias.
comentários(0)comente



23 encontrados | exibindo 1 a 16
1 | 2