Nove Desconhecidos

Nove Desconhecidos Liane Moriarty




Resenhas - Nove desconhecidos


110 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7 |


Pa 03/03/2020

Adoro a escrita da autora, já é o seu 4o livro que leio. Infelizmente foi o que mais demorei para finalizar. Acredito que por ter muitos personagens a leitura se arrastou e não me prendeu muito. De qualquer forma os personagens foram bem construídos, a temática é atual e em vários pontos me fez refletir. No fim, surpreendeu e é isso que torna Liane, Liane.
comentários(0)comente



Laura 28/06/2020

Foi legal no começo
Tenho sentimentos controversos a respeito desse livro, gostei muito no começo, achei os personagens interessantes e achei que a autora tinha mil modos para desenvolver bem a trama do livro. O problema desse livro para mim é que enquanto a autora apresentava os personagens ( e são muitos) , alguns pareciam desnecessários para a trama, que só estavam ali para encher linguiça, ficou até cansativo depois de um tempo ler todos aqueles pontos de vista. Na metade do livro eu já sabia o que ia acontecer no final, e apesar de eu ter gostado de ver como ela desenvolveu a vida de todos esses personagens depois de muitos anos após a experiência no Spa, o final desse livro foi muito cansativo de ler e muito incoerente segundo o meu ponto de vista. Demorei muito para passar do 50% do livro, me decepcionei um pouco, mas até que gostei do desenvolvimento pessoal de alguns personagens.
comentários(0)comente



Anne - @literatura.estrangeira 03/07/2020

Decepção
Esse ano começou com tanta decepção literária. ?

O engraçado da Liane que parece que leio os livros dela começando do melhor para o pior.
O primeiro livro que li dela, Pequenas Grandes Mentiras, foi o que mais gostei. Depois a cada livro eu fui gostando menos e esse eu não curti.

A história não faz muito sentido. Se prolonga sem deixar muitas pistas e vai se tornando um amontoado de pontas soltas. E o final não me surpreendeu. ?????
Bia 07/07/2020minha estante
Acabei de ler e MDDC ??????
A impressão que fiquei foi que a história ficou tão escalafobética que ela não soube fechar de maneira interessante, construiu um suspense com um negócio que no final não convenceu, a conta não fechou e ainda ficou um final de novela.
Muito mais interessante seria se fosse um negócio tipo O Caso dos Dez Negrinhos que todo mundo morre, sei lá, saísse a dona do spa livre, mas uma coisa mais satisfatória para um livro de quase 500 páginas.




mere 08/06/2020

Segundo livro que leio dessa autora e gostei. Capítulos curtos,cada capítulo narrado por um personagem. Alguns divertidos e outros um pouco maçantes. Mas é um livro que recomendo.
comentários(0)comente



Conça 28/04/2020

Minhas impressões, opniões e sentimentos
Liane Moriarty é uma escritora australiana conhecida mundialmente pelos romances ?Pequenas Grandes Mentiras?, lançado em 2014, e ?O Segredo do Meu Marido?, lançado em 2013, que alcançaram o primeiro lugar na lista de mais vendidos do prestigiado jornal norte-americano The New York Times.

O livro do clube intrínsecos de fevereiro/2019, apresenta mais uma obra de Moriarty com Os nove desconhecidos.

São nove estranhos, dez dias e um sem-número de surpresas. Cada qual por uma razão, eles compram um pacote de estadia no spa Tranquillum House, um balneário remoto ao norte de Sidney, na Austrália, a fim de se desintoxicar da própria vida ? curar um luto, perder peso, lidar com a crise no casamento. Em comum, todos querem um pouco de paz, e o programa intitulado "Retiro exclusivo de dez dias para transformação total da mente e do corpo" parece ideal. A aposta em meditação, ioga, terapias alternativas e alimentação saudável, sem álcool ou drogas, naturalmente, tem tudo para ser uma escolha acertada. Quem nos conta isso é uma das internas, Frances Welty, uma escritora de meia-idade de best-sellers românticos apegada a aforismos literários que só quer esquecer o golpe que sofreu em seu último relacionamento. "Vocês não vão ser mais as pessoas que são agora" é uma das promessas do spa.

O enredo foi envolvente do começo ao fim. Aborda um tema crítico nos tempos atuais em que vivemos. A proposta do questionamento sobre estar conectado o tempo todo nos desvinculando do contato presencial e tratando assuntos e pessoas de forma superficial, bem como a si, foi muito profundo. Isso é real. Isso é a vida de todos nós.
Esse romance foi de uma certa forma completo, porque construiu personagens com caraterísticas distintas mas que precisavam buscar o silêncio dentro de si e viver uma aventura fora da sua redoma. Expurgando sentimentos e emoções que eles mesmos não eram capazes de admitir ou negar. Nós somo assim. Por alguns personagens fui capaz de nutrir amor e ódio, e as vezes, na ordem inversa. Tem romances que você consegue se identificar com um personagem porque existe uma ligação muito forte entre você e ele. Seja pela natureza, seja pela desenvoltura ou até mesmo a forma de encarar a vida. Frances é uma das que mais se aproxima de mim em vários sentidos.
A narrativa teve muita fluidez e não foi cansativa apesar da pertinência nos capítulos da terapia psicodélica. Eles foram de extrema necessidade para desafiar o leitor a conhecer os principais pontos que estavam faltando para compreender cada um dos nove desconhecidos.
Acredito que ninguém esperava as reviravoltas surpreendentes e nada previsíveis que Liane Moriarty elaborou na construção desse enredo.

Recomendo a obra porque costumo dizer que todo livro é uma aprendizado e que alguns como esse, deixam uma mensagem que vai reberverar por muito tempo na memória do leitor que se identificar com ela.
Para concluir... minha nota é sem dúvida, 4.5
comentários(0)comente



50livros 30/06/2020

Livro bom para amantes (ou não) de thrillers inteligentes
Fiquei subitamente apaixonada pela autora depois de ler "Pequenas Grandes Mentiras", mas nunca imaginei que gostaria ainda mais dela após esse livro aqui. Apesar da própria editora considerá-lo um romance chick-lit, eu sinceramente acho que thriller caberia melhor. A autora constrói o mistério de forma muito particular, de maneira descontraída e elegante, mas que não deixa de empolgar do início ao fim. Tem um toque de tudo: romance, comédia, drama, terror... A escrita da autora continua não me decepcionando, se tratando de um livro grande, mas super ágil de se ler. O final, que me preocupava, foi bastante inteligente e me fez gostar ainda mais da leitura. Não foi nada extremamente chocante ou inventivo, mas acho que foi isso que deixou-o ainda melhor. "Nove desconhecidos" foi uma leitura perfeita, deliciosa de se fazer e que eu recomendo de olhos fechados para amantes ou não do gênero.

site: https://www.50livros.com/post/resenha-de-nove-desconhecidos-de-liane-moriarty-intrinsecos
comentários(0)comente



Rav 07/05/2020

Não sei o que pensar. Apenas sentir.
Aaaaaa eu não sei o que foi esse livro! Eu curto bastante a Liane, mas de verdade eu não sei se amei ou odiei esse livro.

Alguns trechos foram lindos e me identifiquei super, outros eu revirei os olhos a ponto de achar que ia morrer, mas o fato é: esse não é o tipo de livro com a assinatura da Liane. Segue um caminho bem diferente dos outros, na minha humilde opinião.

Começa com essa trilha good vibes de detox em spa e transformação pessoal e as histórias das tais 9 pessoas que não se conhecem. Numa parte da história eu juro que fiquei me questionando onde isso tudo ia dar e dei uma pausa na leitura.

Mas depois a narrativa toma um rumo, que olha... não sei explicar. Só posso pedir a todas as pessoas que leiam, pra que assim eu tenha com quem dissertar sobre e chegar a uma conclusão. Ou não.
Fabiana 08/05/2020minha estante
Também achei um tanto diferente do estilo dela...
Não foi o melhor é achei que após 70%, perdeu a mão. Mas é uma leitura fácil e isso ajuda a manter o ritmo...


Rav 08/05/2020minha estante
Sim. A leitura é fluida mesmo. Concordo com você sobre a perda de mão a partir dos 70%.


Jéssica.Aparecida 25/06/2020minha estante
Acho que o grande recado do livro é que nossos problemas parecem enormes até vermos os dos outros. Tá todo mundo enfrentando sua barra, sabe? E a maior lição é que apesar disso, todo mundo ama sua vida e sentiria muita muita falta de viver as coisas simples do dia a dia. Esse livro faz a gente refletir sobre valorizar as coisas simples, apesar dos problemas que temos na vida.


Rav 25/06/2020minha estante
Olha, Jessica, eu até concordo com você, mas acho que a narrativa não conseguiu despertar esses sentimentos em mim. A construção não me fez criar um vínculo real com os personagens e o fechamento dos ciclos não me fez enxergar que a história seria crível. Gosto muito da autora, como eu disse e seguirei lendo outras obras dela, mas essa infelizmente não me tocou tanto. Mas que bom que foi uma experiência profunda pra você! Fico feliz em saber. ?


Jéssica.Aparecida 25/06/2020minha estante
??????




Daniela Colaci 23/05/2020

Liane Moriarty sempre vale a pena
A Tranquillum House, um SPA na Austrália que fica bem longe da cidade, tem 9 novos hóspedes para um retiro de 10 dias. Entre eles está Frances Welty, uma escritora de romances que precisa se curar de um coração partido e de uma dor nas costas que não alivia. O SPA promete atividades ao ar livre, exercícios criativos, massagens e sucos personalizados. Um pacote perfeito para quem busca conhecer melhor a si mesmo, tirar um tempo pra pensar na vida e quem sabe até perder uns quilinhos... Porém, à medida que vai conhecendo os outros hóspedes, Frances começa a se questionar porque eles estão ali, pois não parecem ter objetivos parecidos com os dela. Uma das pessoas que mais a intriga é Masha, a diretora do SPA. Será que ela é realmente o que parece ser? E será que esse SPA era mesmo o retiro relaxante que Frances procurava?

Nove Desconhecidos foi o livro de Liane Moriarty que mais demorei para me conectar. Não por não ser tão bom quanto os anteriores, mas por ter mais personagens, demorei um pouco mais para criar aquele vínculo. Mas quando eu consegui, não consegui desgrudar até saber o desfecho de cada um deles!

Essa é mais uma trama característica da autora, onde seus personagens aparentemente comuns, são cheios de camadas e ao longo da narrativa cada uma dessas facetas nos é apresentada. Que problema poderia ter um casal jovem, bonito e que acabou de ganhar na loteria? E um advogado de família bem sucedido que mais parece um modelo? Entre os hóspedes encontramos pessoas completamente diferentes umas das outras, mas com carências que todos nós podemos compreender.

Não é segredo que sou fã da Liane pela forma que ela apresenta seus personagens, bem humanos, e a maneira que ela entrelaça suas histórias. Nove desconhecidos tem um plot twist surpreendente, alguns momentos emocionantes e outros que vão te arrancar sorrisos. A gente entende algumas dores, se indigna com certas questões e torce para que os personagens encontrem o conforto que tanto procuram. Um livro sobre relações e seus desdobramentos, assim como a vida da gente.

site: https://www.instagram.com/resenhasdealgodao/
comentários(0)comente



Vai Lendo 03/06/2020

Por que é tão difícil estarmos satisfeitos com as nossas vidas? Aceitarmos que o que temos é o suficiente? Essa busca constante pela perfeição e/ou pela completude geralmente nos leva a uma sensação bastante incômoda de frustração, responsável por uma ansiedade crescente e, até mesmo, pela depressão. E é justamente sobre esses anseios que Liane Moriarty fala em seu novo livro, Nove Desconhecidos, publicado aqui no Brasil pela Intrínseca (inclusive, a obra foi lançada antes através do Intrínsecos, o clube de assinaturas da editora). E, mais uma vez, a autora é dura e certeira.

Em Nove Desconhecidos, um grupo de nove pessoas se encontra em Tranquillum House, um spa que fica bem afastado da cidade e proíbe qualquer tipo de contato com a civilização. Ou seja, sem celulares, carro nem qualquer contato com o exterior. O objetivo é elas aproveitarem esse tempo para refletirem e se redescobrirem. Durante 10 dias, essas pessoas terão que lidar com suas inseguranças, medos e questões interiores. Tudo isso sob a vigilância severa e quase obsessiva da diretora do spa, Masha.

A temática de Nove Desconhecidos não poderia ser mais atual. E pertinente para o momento que estamos vivendo. Isso porque, com suas personagens, Liane traça uma avaliação extremamente detalhada e realista de nós, como sociedade, e do ser humano, como indivíduo. No livro, são nove pessoas buscando uma resposta. Mas poderia ser qualquer um(a). E o formato da narrativa, que alterna entre os personagens para apresentar diferentes pontos de vista e diferentes formas de se lidar com questões das mais variadas, contribui – e muito – para essa identificação. Perda, luto, drogas, depressão, estresse, problemas com peso, dinheiro, maternidade. Tudo tão real. Tão natural e direto. Tão Liane.

Apesar de o livro girar em torno de nove personagens, além de Masha e seus funcionários, é Francis quem sobressai, e particularmente é a minha personagem preferida. Escritora de romances best-sellers, porém, em decadência e com sérios problemas de aceitar críticas, ela chega à Tranquillum House para, quem sabe, aproveitar para relaxar e curar um problema físico, além de tentar esquecer os problemas do coração. Francis é tão humana que parece ser de verdade, quase como se ela mesma estivesse contando a sua própria história pra gente. E, ainda que tenha as suas questões, diferentemente dos demais, ela não chega a sucumbir ao egoísmo e/ou à vaidade, em alguns momentos. Masha é outra personagem igualmente fascinante, porém, quase intolerável. Talvez, porque ela escancare essa nossa necessidade quase urgente por controle e aceitação. Difícil de engolir e principalmente de aceitar.

A escrita de Liane é excepcional. Ela consegue mesclar momentos de seriedade e de reflexão profundas com situações cômicas quase absurdas. E é impressionante como Liane também desenvolve bem a relação e a dinâmica das personagens, mesmo sendo muitas e todas com personalidades e características bem distintas. Nove Desconhecidos faz críticas, propõe avaliações pessoais e mostra que, cada vez mais, precisamos parar de buscar algo que provavelmente nunca teremos porque, vejam só, não precisamos. Assim como não precisamos nos esforçar para seguir padrões impostos. Nove Desconhecidos é diferente dos livros que li de Liane e, ainda assim, mais uma vez, foi uma leitura incrível.
comentários(0)comente



Giuliana.Fiori 08/02/2020

Divertido
Leitura flui muito bem!
comentários(0)comente



Carol 17/02/2020

Razoável
A leitura não prende, é arrastada, demorei mais do que esperava ler no esse livro.
comentários(0)comente



spoiler visualizar
comentários(0)comente



Ana Clara 12/02/2020

Esperava mais
Bom, resolvi ler esse livro porque recebi grandes recomendações. Então não sei se é porque a minha expectativa estava mto alta, mas esperava mais. Passei o livro inteiro esperando chegar no ápice, mas quando assustei já tinha acabado...
Rav 07/05/2020minha estante
Olha... preciso concordar com você. Eu to até agora sem saber se o livro é ruim ou bom. Eu curti muito outros livros dela que li. Recomendo bastante ?O que Alice esqueceu?. E sei lá. Esse livro foi totalmente diferente do que ela costuma fazer, sabe... eu fiz mil comentários durante a leitura, e minha sensação foi: Liane, senta aqui... vamos conversar. Que que foi isso? Hahahaha terminei de ler nesse exato momento e precisava falar isso pra alguém. Sorry hehe


Ana Clara 09/05/2020minha estante
Aí que bom que vc teve a mesma sensação que eu! Ou que ruim hehehehe foi o primeiro livro que li dela, estão confesso que fiquei com medo de ler mais. Será que eu arrisco?


Rav 09/05/2020minha estante
Eu já tinha lido 2 outros dela: O segredo do meu marido e O que Alice esqueceu. E esse segundo, li no comecinho do ano e foi uma das melhores leituras do ano (até o momento), mas é aquilo, né. Um livro ?ser bom? tem mais a ver com o momento que o lemos. Li na virada do ano. Fala sobre família, sobre sermos ou não aquilo que sonhamos um dia... e isso me tocou muito. Acho que vale a tentativa, mas se estiver muito decepcionada com a autora, espera um pouco pra ler. hehe




Karen 08/07/2020

Demorei um pouco mais para ler, mas gostei
Se você está esperando um romance mais bobinho, não se engane. Eu também entrei no spa Tranquillum House sem imaginar o que estava por vir, assim como os personagens.

Se eu pudesse resumir a temática em uma palavra, eu diria perda e a obra tem uma sensibilidade cativante ao mostrar como cada um desses 9 desconhecidos lidam com seus conflitos internos, seja um familiar que se foi ou seja uma carreira que não anda bem. Curti muitos os personagens, que pra mim foram bem desenvolvidos, e as loucuras todas.

Apesar disso, foi um livro que eu demorei para concluir. A história não é ruim, de jeito nenhum, porque quando eu pegava o livro ficava um bom tempo lendo. O problema era pegar o livro kkkkkk Acho que só não me empolgou tanto, por isso custava a decidir lê-lo. Normalmente levo poucos dias, menos de uma semana e dessa vez demorei uns 14 dias. E só pra esclarecer, na vida eu definitivamente sou a Frances! Se recomendo? Com certeza!


?Jessica não conseguia se livrar da sensação de que, caso não registrasse aquele momento com o celular, significaria que aquilo não teria acontecido de verdade; não contava, não era a vida real. Sabia que era irracional, mas não tinha como evitar. Sentia-se literalmente em privação sem o celular.?

?Naquele momento, naquela manhã, três anos antes, Zach não fizera uma escolha errada. Fizera o que devia ter lhe parecido ser a única escolha. O que mais era possível fazer quando você se sentia daquele jeito? Era como pedir às pessoas nas torres em chamas para não pular. O que mais era possível fazer quando você não conseguia respirar? Faria de tudo para respirar. Qualquer coisa. Claro que você pula. Claro.?
comentários(0)comente



Flaviaunneberg 02/03/2020

Narrativa bem feita mas o livro me cansou um pouco. Não me envolvi tanto na historia.
comentários(0)comente



110 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7 |