O Siciliano

O Siciliano Mario Puzo




Resenhas - O Siciliano


15 encontrados | exibindo 1 a 15


Kildary 12/09/2018

Excelente.
Para começar, é impossível não lembrar, imediatamente, de O Advogado do Diabo, de Morris West.
O cenário é o mesmo: as regiões montanhosas e pobres da Sicília no pós-guerra, o povo explorado e carente, profundamente religioso e crente em seus "heróis".
Assim, Salvatore "Turi" Guiliano possui um paralelo bastante próximo de Giacomo Nerone. Ambos são líderes populares com desprezo pelas autoridades e os mais ricos, com traços de Robin Hood.
A narrativa é não-linear, mas tão imersiva que dá vontade de comer uma massa com queijos, salames e vinho ao final de cada capítulo.
Personagens complexos e bem-construídos, sobretudo Aspanu Pisciota, Don Croce, Hector Adonis e o próprio Guiliano. Há ainda as participações mais que especiais de Michael Corleone e Peter Clemenza, imprescindíveis. E para nosso deleite, mais um bom conselho de Don Corleone a seu filho, no final do livro.
Não é uma continuação de O Poderoso Chefão. É uma história absolutamente independente, exceto por estes pequenos pontos de ligação. Mas muito cativante e bem elaborada.
Vale muito a pena conhecer.
Kildary 19/09/2018minha estante
Corrigindo: O Advogado do Diabo se passa na região da Calábria, e não na Sicília.




Reh.Rodrigues 16/03/2018

Uma grande história, um personagem forte, um ótimo livro.
Clássicos são clássicos por algum bom motivo, e O Siciliano é um desses clássicos com motivos suficientes. Fiquei totalmente envolvida na história e é difícil ver como um homem bom como Turí Guiliano foi capaz de comenter atos que antes eram impensáveis a ele, mais tudo por amor ao seu povo. O livro retrata muito bem a Sicília, com seu fraco governo e forte poder da máfia, que manda e desmanda no que bem entende. Também mostra as relações de respeito e carinho por familiares, a forte presença da religião e o orgulho e honra Siciliana. Confesso que demorei um pouco pra me apegar ao livro, porém depois não conseguia largar, curiossisima pelo desfecho, que confesso que me pegou de surpresa. Um grande livro, com uma grande história e um forte personagem.
comentários(0)comente



Juninho 10/11/2017

Nenhuma Novidade
esse livro é sobre Robin-Hood que tira dos ricos e dá pros pobres mas na versão Máfia Italiana mas prefiro outro tipo de livro
comentários(0)comente



Tico 10/09/2017

Incrível
Mario Puzo com a genialidade clara de O poderoso chefão, continua com a história da Sicília trazendo acima de tudo personagens reais, com atitudes humanas. Um livro muito bom, que merece cinco estrelas.
comentários(0)comente



Yuri 29/07/2017

O "Robin Hood" da Sicília
Conhecido pelo seu best seller sobre a máfia ítalo-americana "O Poderoso Chefão", aqui Mario Puzo utiliza os personagens principais dessa mesma obra (Don Vito e Michael Corleone, com maior ênfase no período do exílio de Michael, uma vez que a trama se passa na Itália) apenas como um pretexto para impulsionar as vendas do livro que será analisado e para contar sua verdadeira história, baseada em fatos verídicos. Salvatore Guiliano alcança fama nacional ao enfrentar polícia e máfia italianas com o intuito de ajudar o povo de sua cidade natal, a Sicília (um país dentro de uma nação, separado da Itália geográfica e politicamente), a sair da miséria causada pelo descaso das autoridades políticas e locais, usufrutuárias de seu trabalho árduo. Dessa forma, a trama gira em torno da celebridade que se transforma numa espécie de “Robin Hood” do povo siciliano, sua ascensão e, inevitavelmente, sua queda.
A desigualdade social e a marginalização sofrida pelo povo do sul da Itália, bem como a subordinação imposta pela máfia local, são retratadas de forma tão consistente e visceral que é impossível com que o leitor sinta-se alheio. Seu autor aqui consegue, com facilidade, superar sua própria “magnum opus”. Tanto a história quanto a personalidade do siciliano personagem-título são envolventes, chegando ao ponto de transformar qualquer Corleone em boneco de plástico. Puzo mostra como um camponês de personalidade forte, altruísta e com instinto de liderança consegue adentrar na comoção e no imaginário popular.
comentários(0)comente



spoiler visualizar
comentários(0)comente



Rafael 08/09/2014

O Siciliano - Carabinieri maledetos
Este livro de Mario Puzo é muito bom.
Trata de uma viagem de ajuda feita por um dos filhos do chefão da máfia Corleone para ajudar uma família amiga na Sicília.
Conta a história de Salvatore Guiliano, desde a infância. Como sofreu para fugir de seus perseguidores.
E todos os ingredientes estão lá: aventura, emoção, traição, os Capos, a máfia e etc.
Ótima leitura para quem gosta do gênero.
comentários(0)comente



Vitória. 19/10/2012

Pelo menos pra mim, eu acho que quem se apaixonou loucamente pelo Poderoso Chefão (como eu) e se envolveu com a história do Don Vito, pela máfia em si, os "Amigos dos amigos", com os caporegimes e todo esse sistema, vai ficar um pouco "decepcionado" com o início da história. Bem, não digo que ninguém irá gostar, porém, eu meio que me decepcionei com isso o início. Porque eu esperava a mesma coisa que tive no Poderoso Chefão, eu esperava uma continuação do que eu li. Entretanto, veio completamente diferente... com Turi Guiliano, o Don Croce Malo... a história dos amigos de Turi e tudo mais. Logo, não foi o que eu esperava, não começou tão empolgante. Mas logo (logo mesmo!) o livro vai chamando atenção, a história e a personalidade de Turi Guiliano é envolvente, os cenários são bem descritos e principalmente a forma que a cultura e a época é caracterizada de uma maneira incrível. E cá entre nós, a maneira que Mario Puzo escreve já é contagiante em si. Logo você se empolga e começa adorar cada personagem.
Apesar de achar que não chega aos pés d'O Poderoso Chefão, eu recomendo o livro. A leitura realmente vale a pena.


Mari 30/01/2012

Apaixonante!
"Ao enfrentar o governo corrupto de Roma e o governo 'real', a Máfia, Guiliano deflagra uma terrível guerra de traições na qual a vingança é uma virtude e o perdedor só tem um destino: a morte."

Trama completamente envolvente, Turi Guiliano é um personagem apaixonante.
Esse foi um livro que eu comecei a ler por acaso, simplesmente por tê-lo e querer ler alguma coisa, mas logo no começo fiquei presa à leitura. Eu estava lá com Turi em cada batalha, em cada armadilha; me sentia inquieta e preocupada assim como Maria Lombardo à cada vez que Turi visitava Palermo. Me tornei fã dele e o admirava assim como seus subordinados e cada camponês pobre da Sicília. Sorria a cada vez que uma criança acrescentava "e salve Guiliano dos carabinieri" às suas orações.

Apesar de O Poderoso Chefão ser mais aclamado, eu, particularmente, gostei mais de O Siciliano. Não senti por nenhum dos personagens de O Poderoso Chefão o carinho e a admiração que senti por Turi Guiliano. Cheguei até àquele estágio em que se diminui o ritmo da leitura com medo de ver chegar o fim.
Realmente incrível!
comentários(0)comente



Fran 01/07/2011

Mario Puzo entra, oficialmente, para minha lista de favoritos. E histórias da Máfia também: controle, vingança, amor, devoção, respeito, entre muitos outros sentimentos explorados nas suas histórias.

A sistemática de escrita de Puzo é diferente e, para mim, combina muito bem com suas histórias. Ela tem idas e vindas entre presente e passado que te deixa doido de curiosidade.

Confesso que O Poderoso Chefão é melhor, mas O Siciliano conseguiu ser quase tão bom.

Turi Guiliano virou meu ídolo e eu torci ensandecidamente por ele. Michael Corleone foi fundamental para prender o início do livro, já que essa história se passa durante a estada dele na Sicília.

A teia de fatos e pessoas é complexa e a gente vai entendendo tudo e se deliciando com o fervor siciliano descrito. A idéia de que para os sicilianos, a Sicília é um país próprio, separado da Itália. E esse sentimento faz coisas impressionantes.

Juro que no final do livro, quando eu já estava agoniada esperando o desfecho e fui percebendo aonde tudo ia chegar, que eu exclamei, em voz alta, sozinha (totalmente doida): "Não acredito! Filho da p***".

Sim, envolvida ao extremo!
Gregory 14/05/2012minha estante
Minha família veio da Sicília, o que sempre me deixou ainda mais fascinado por essa incrível ilha.

E sua reação com o final do livro foi parecida com a minha, terminei de ler a praticamente uma hora e to até agora sem conseguir acreditar que acabou dessa maneira, hahahaha

E concordo com você em tudo, principalmente que colocar o Michael logo no começo do livro prende a atenção do leitor. Livro sensacional, recomendadíssimo.




Daniel Abreu de 24/03/2011

Meia boca
Li porque gosto muito do Poderoso Chefão, estava curioso.

Literariamente medíocre, sem nada de notável. A história é aceitável, embora também não tenha nada de especial. Mais um romance enfeitando eventos reais misturados com ficção.

Dá pra ler, mas não é nada de mais.
comentários(0)comente



Ravazi 13/07/2010

O Siciliano

O livro é relacionado com outro livro de Mario Puzo -O Poderoso Chefão-
a estória se passa antes e durante o exílio de Michael Corleone na Sicília. Este livro retrata com primorosa perfeição a realidade do povo camponês que vivia naquela época, a pobresa, a exploração dos trabalhadores que ganhavam salários insignificantes e principalmente a máfia que controlava a tudo e a todos. Surge para defender o povo, Turi Guiliano comparável a Robin Hood, tirando dos ricos para dar aos pobres.
Ótimo livro, possui um texto de agradável leitura que o fará se apaixonar pelos personagens e pela estória em si.
comentários(0)comente



Nick Balboa 12/07/2010

Um dos que mais me apaixonei!
Puzo escreve de um jeito que adoro: detalhado, com riqueza de detalhes, mas sem ser chato nesse ponto.

Não é o melhor do autor, mas com toda certeza foi o que mais me prendeu, mais de deixou apaixonado e vivo na história, no cenário. Mais que O Chefão, inclusive.
Amo esta obra.
comentários(0)comente



J. 24/01/2010

Continuaçao detalhada de alguns momentos de O CHEFAO, contem inclusive referencias historicas pois o personagem princiapl e historico e participou de um determinado momento de um capitulo ocorrido na Italia
(se me recordo a Portella de La Ginnestra - um massacre) li faz alguns anos e encontrei uma resenha de jornal sobre este capitulo. Gosto destes livros que despertam na gente vontade de fazer os trejeitos da personagens tamamnha a riquesa de detalhes na dissertaçao delas e nos detalhes do que esta a volta desta personagem e Mario Puzzo sabe fazer isto bem.
comentários(0)comente



Gofh 03/12/2009

O Siciliano
Mario Puzo descreve a a vida do mais famoso bandidos siciliano, Salvatore Giuliano (que no livro se chama Guiliano) , mostrando passo a passo a sua ascensão, apogeu e queda. Um romance com bases históricas e narrativa cativante, um personagem principal marcante e carismático que conquista o leitor. Mais uma vez os bastidores do crime são descritos com maestria por Puzo.
comentários(0)comente



15 encontrados | exibindo 1 a 15