O Homem Inocente

O Homem Inocente John Grisham




Resenhas - O homem inocente


24 encontrados | exibindo 1 a 16
1 | 2


Agnaldo 03/07/2021

A justiça é omissa Por quem tem poder
Um livro muito bem detalhado e nós leva a viver uma história de muito injustiça e mal preparo por parte das pessoas que deveriam incriminar ou inocentar o acusado. E esse foi um dos muitos casos que deve existir no mundo inteiro. O livro nós mostra como a afobação pra prender alguém e tentar acalmar a população, faz um erro grotesco passar despercebido.
comentários(0)comente



@juliaavictorino 20/01/2021

Revoltante
É triste e revoltante ver o que testemunhos mentirosos, provas corrompidas e trabalho investigativo ineficaz podem fazer com a vida de pessoas condenadas por crimes que não cometeram.

Em seu primeiro livro não ficcional John Grisham narra não só o caso de Debra Carter, mas mostra como se dá a aplicação de penas de morte nos EUA e como as análises de DNA mudaram o curso de investigações criminais a partir do fim dos anos 80.

Sua escrita é bem documental e em partes torna a leitura um pouco cansativa devido à quantidade de informações e backgrounds apresentados. Apesar disso, por desconhecer o caso, a leitura foi bem mais rápida do que esperei e o misto de curiosidade e indignação me embalaram até o fim.
comentários(0)comente



Luiza.Glaciete 01/04/2020

O homem inocente
O livro é todo angustiante e estarrecedor. Fiquei revoltada do início ao fim. A primeira parte é bem tediosa e pensei até em abandonar mas na metade a leitura fica bem mais fluída e você não consegue parar. É um livro muito bom e vale muito a pena ler.
comentários(0)comente



Fabiana 06/07/2021

Um bom livro! História verídica
Você vai lendo o livro é vai dando muita raiva ?. Entretanto, é uma história verídica que aconteceu há um bom tempo, mas que infelizmente ainda hoje é muito replicada.
comentários(0)comente



Fernando 20/03/2021

Baseado em fatos reais
O livro contam a histórias reais de casos de prisão perpétua e penas de morte onde o acusado era inocente mas foi condenado por falhas na justiça , desde procedimentos policiais a falhas no julgamento.
comentários(0)comente



Bia @biaeseuslivros 23/11/2020

4/5
O primeiro livro de não-ficção do autor, e que virou documentário no Netflix (Inocente: uma real de crime e injustiça). O Homem Inocente é meu segundo livro do autor sobre o mesmo tema: condenações de pessoas inocentes. Depois de ler Cartada Final, decidi ler outra obra de John Grisham, e, ao me deparar com este livro com abordagem de fatos reais (adoro), não tinha como não ser a próxima.
Com uma escrita fluida e instigante, John Grisham consegue criar uma linha do tempo que te prende na história.
Interrogatórios prolongados, ameaças, provas manipuladas... uma série de injustiças acontecem até que a polícia consiga encontrar um culpado para o crime sem solução. A leitura acaba provocando sentimentos de indignação e revolta quando você enxerga erro atrás de erro na investigação e no julgamento.
Mais um caso no qual a polícia faz as provas ?caberem? no acusado e não encontrar um acusado que ?caiba? nas provas. A vontade de condenar um culpado é maior que a vontade por fazer justiça.
comentários(0)comente



Bianca Rinaldi 04/03/2020

Sou fã de carteirinha dos livros do John Grisham. Tenho quase todos seus livros físicos lançados no Brasil e me surpreendi em ler a sinopse e lembrar da história. Esse livro é o relançamento do livro O Inocente (que inclusive o tenho aqui em casa), que foi fantástico. Fiquei surpresa pq vi que não havia nenhuma menção ao livro anterior. A história é fantástica, digna de uma série mesmo da Netflix, que agora vou aproveitar para ver.
Recomendo
comentários(0)comente



Camila 04/03/2020

Me convenceu, Sr. Grisham!!
Quando John Grisham lançou esse livro no ano de 2006, eu era uma advogada recém formada e estava terminando a minha pós graduação em Direito e Processo Penal. Talvez por isso – e por também ser grande fã do autor – me interessei imediatamente pela história que prometia mostrar todos detalhes mais sombrios de um dos erros mais famosos da justiça americana.

Naquele mesmo ano o livro foi publicado aqui no Brasil e corri para garantir um exemplar. Acontece que, como todo aluno de pós-graduação em final de curso, eu estava absorvida pela tarefa de escrever minha monografia e o livro foi direto para estante, enquanto eu prometia que, assim que tivesse uma folguinha, faria a leitura! Ah tá… Vocês já podem imaginar o que aconteceu, né?!

Treze anos se passaram, a Editora Arqueiro faz uma nova edição do livro, pedi o ebook pela parceria e só agora tomei vergonha na cara para ler essa história! O velho ditado “Antes tarde do que nunca” mandou lembranças, viu gente?! hahaha Eu já tinha saído da minha zona de conforto com a leitura de O Sol Ainda Brilha (lançado pela Gutenberg), então nada melhor que pegar o embalo e continuar no tema “Condenações Completamente Absurdas à Pena de Morte”!

Para escrever esse livro, John Grisham mergulhou nas entranhas do sistema judicial e da polícia de Ada. Examinou centenas de documentos, transcrições dos julgamentos, relatórios de perícias… O resultado de todo esse trabalho é um livro arrebatador, que poderia ser facilmente descrito como um thriller da vida real.

A curiosidade que essa história me despertou foi quase doentia! Um misto de revolta com a necessidade que sinto por justiça, me fez devorar página a página… Eu tinha certeza que o livro traria apenas a história de Ron Williamson e Dennis Fritz e só com isso já estava revoltada. Quando me deparei com a história de Tommy Ward e Karl Fontenot, quase explodi de raiva!! O livro pode se chamar O Homem Inocente, mas o que esse livro nos mostra é que ao menos 4 moradores da pacata cidade de Ada podem ter ido para a prisão por causa do péssimo trabalho de investigadores e pelo empenho criminoso de um promotor sem escrúpulos.

A maneira como Grisham constrói essa história é louvável. No início, a narrativa pode parecer confusa, com alguns saltos temporais e mudanças de foco, mas aos poucos tudo começa a fazer sentido, todas as pontas começam a se amarrar… E é nesse momento que a gente vê que o autor começa a abandonar sua objetividade e começa a deixar clara a sua posição em relação a tudo. Comentários sarcásticos mostram que a intenção dele não é só a de contar uma história qualquer, mas sim a de convencer os leitores de que esses quatro homens comuns foram vítimas de um sistema judicial precário e corrupto, onde condenações rápidas se tornam propaganda para promotores e juízes que buscam a reeleição!

Missão cumprida, Sr. Grisham! Terminei essa leitura completamente convencida!!! Dois desses homens permanecem presos e se estiver rolando um abaixo-assinado para que eles tenham direito a um novo julgamento, eu assino embaixo!

site: https://leitoracompulsiva.com.br/o-homem-inocente-de-john-grisham/
comentários(0)comente



spoiler visualizar
comentários(0)comente



LUI 10/07/2021

eu prefiro o letterboxd
a vida é injusta e triste e a única esperança é a morte
eu odeio o governo o sistema morram todos
skoob vc e confuso
comentários(0)comente



Dai 12/05/2020

Inocente até que se prove o contrário....será?
John Grisham traz de forma brilhante a história não-ficção sobre a vida de Ron Williamson e da cidade de Ada. Além de "mergulhar de cabeça" nos meandros da polícia e investigações criminais.
Um crime bárbaro é cometido, e a polícia da cidade começa a sua investigação. Uma investigação falha, preconceituosa, parcial, que leva dois homens inocentes a serem condenados injustamente: Ron Williamson e Dennis Fritz.
É uma história de leitura bem densa, difícil mas que te envolve pela revolva e incredulidade. A riqueza de detalhes com qual o autor vai descrevendo as situações e personagens faz com que o leitor fique imerso "naquele mundo" e, em meio a angústia e revolta diante do péssimo trabalho da polícia e de qual seria o desfecho para a vida dos personagens, você se vê impelido a continuar lendo.
Não é uma história de sentimentos bons, alegres, frívolos. É uma história repleta de dor, injustiça, revolta, incredulidade, reflexão.
Não é uma leitura fácil, porém cativante.
comentários(0)comente



Sibele Brito 23/07/2020

Uma história real corajosa, angustiante e repleta de suspense
comentários(0)comente



Tamara 02/07/2019

Não conheço muitos autores que escrevem thrillers jurídicos, então John Grisham sempre foi uma referência para mim de autor do gênero, especialmente pelo modo interessante e dinâmico como aborda o tema e eu sempre o acompanhei, mesmo antes de eu entrar para a área jurídica. Então, assim que soube de seu lançamento, O homem inocente, e que este seria baseado em um caso real, logo fiquei extremamente empolgada e na primeira oportunidade que tive peguei o livro para ler. Admito que não foi uma leitura que correu da maneira como eu esperava, e posso dizer até que foi decepcionante em certos aspectos, o que me deixou um tanto frustrada, mediante todas as expectativas antes construídas.
Na verdade, acredito que o maior problema deste livro tenha sido a escrita que se mostrou arrastada, entediante e em certos momentos eu sentia uma enorme vontade de abandonar o livro, pois apesar de o que era narrado ser interessante, não me instigava a continuar com uma escrita que soava excessivamente técnica. Por outro lado, as reflexões que esse livro me suscitou foram enormes, e mais uma vez fiquei horrorizada com os erros da máquina que é o poder judiciário e apesar de o caso aqui descrito ter ocorrido nos Estados Unidos, senti uma forte identificação, uma vez que no Brasil passamos pelos mesmos problemas, e é duro ver o que uma condenação injusta faz com famílias inteiras, bem como é triste perceber o amor que alguns operadores da lei possuem por holofotes, sem pensar se o indivíduo condenado é realmente culpado, é o típico achar culpados para satisfazer a população, sem querer saber mais de nada.
Apesar de tudo, foi um livro mediano para mim, e depois de sessenta por cento de leitura quando consegui me acostumar com a escrita cansativa o livro fluiu melhor. Para os leitores que já conhecem e gostam do autor acho que a leitura vale a pena, mas para aqueles que pretendem conhecê-lo agora, acredito que haja obras muito melhores e mais bem escritas que ele já lançou.
comentários(0)comente



garrido79 04/02/2020

Estupefato
Muita gente tem os EUA como referência jurídica, que lá a justiça funciona e tem poucas falhas, então lê um livro desse, que acaba relatando não apenas um, mas diversos casos absurdo demonstrando que lá o Estado já matou muitos inocentes deixando os verdadeiros criminosos livres...

É um livro não-ficção, tipo um documentário, mas mesmo não gostando desse tipo de literatura recomendo que leia este livro, pricipalmente quem é a favor de pena de morte no Brasil...

É UMA HISTÓRIA VERÍDICA, o todos devem lê-la...
comentários(0)comente



Cley 06/07/2019

Na década de 80 Debra Carter foi estuprada e assassinada numa cidadezinha chamada Ada, Oklahoma. O crime ficou anos sem solução, até que novas pistas apontaram para Ron Williamson, um ex-jogador de beisebol. Depois de passar por uma série de problemas Ron será julgado e condenado à morte por um crime que não cometeu.

Ao iniciar o livro sabemos que Ron não é culpado, isso não é nenhum spoiler, pois o próprio título e a sinopse passam essa informação. John Grisham não se preocupou em deixar o leitor curioso para saber se Ron era ou não inocente, mas, expor que o sistema pode errar e condenar inocentes à morte.

“O homem inocente” é uma obra de não-ficção que aponta inúmeras irregularidades em processos judiciais. Uma cidade como Ada, onde os policiais desprezavam fatos importantes, os peritos que tendiam a errar muitas vezes, testemunhas mentirosas, a defesa incapaz de comprovar a inocência de Ron, etc., tudo isso nos faz questionar sobre a quão precária foi o processo ao qual Ron foi submetido.

O livro ostenta detalhes de como ocorreu o assassinato de Debra; como foi a vida de Ron; sua infância; sua vida como atleta e como ser acusado por algo que não fez mudou drasticamente sua vida.
John também narra com precisão os julgamentos e nos deixa a par de todo o processo.
É uma leitura densa, cheia de informação, detalhes e é preciso que fiquemos atentos a tudo.
Há reviravoltas no caso e isso deixou a leitura mais incitante.

Torci para que o Ron fosse inocentado, mas devido a tantas falhas e negligências, esse desejo foi se esvaindo. Ron foi condenado e o verdadeiro assassino de Debra ficou impune.
Quando se está no corredor da morte você espera, espera e espera, às vezes, por um milagre (ou não) o culpado é considerado inocente, mas que vida um ex-condenado pode ter quando a maior parte dela foi massacrada e não resta mais um resquício de perspectiva?

Há uma série documentária na Netflix contando mais sobre essa história, chama-se “Inocente: uma história real de crime e injustiça”, com 6 episódios.

"Quando você não tem dinheiro para se defender, fica à mercê do sistema judicial. E, uma vez que entra no sistema, é quase impossível sair, mesmo se você for inocente."
comentários(0)comente



24 encontrados | exibindo 1 a 16
1 | 2


Utilizamos cookies e tecnologia para aprimorar sua experiência de navegação de acordo com a Política de Privacidade. ACEITAR