A Viúva de Safira

A Viúva de Safira Dinah Jefferies




Resenhas - A Viúva de Safira


19 encontrados | exibindo 1 a 16
1 | 2


day 18/01/2021

Como todo livro da autora ,encantador
Um livro lindo ,eu me apaixonei pela escrita dela desde o perfume da folha de chá
Esse livro fala de uma mulher feliz em seu casamento no Ceilão.
Porém muitas coisas acontecem e a vida dela muda completamente
Talvez a vida dela nunca tenha sido o que ela realmente pensava que era .
Um livro sobre decepção,dor ,recomeços e amor em todos os seus nuances .
Super recomendo
comentários(0)comente



Biia Rozante | @atitudeliteraria 15/11/2020

Emocionante e encantador
Louisa nasceu na Inglaterra, mas passou a vida inteira no Ceilão, lugar este que aprendeu a amar e admirar. Casada a muitos anos com Elliot, sua vida parece feliz apesar dos problemas com a concepção, Louisa não consegue ter um filho, ela sofreu diversos abortos e até teve uma filha natimorta, o que a abala muito, e é uma situação difícil entre o casal. Outra rusga entre ambos, é a natureza complicada do marido – mimado, egoísta e imaturo -, que ainda por cima é viciado em jogos e tem problemas com a bebida. Como deu para se notar, apesar da fachada perfeita, a vida de casada escondia vários problemas. A verdade é que Elliot nunca foi um bom marido, ele raramente estava presente e Louisa sempre precisou lidar com as dificuldades das perdas praticamente sozinha. A única pessoa que aparentemente parecia conhecer a natureza duvidosa do rapaz, era seu pai, um grande comerciante de joias preciosas que sempre a apoiou em seus empreendimentos – ainda que pra época isso não soasse como adequado -, e que apesar de empregar o rapaz, sempre manteve um olhar mais aguçado para suas transgressões, ao contrário da filha que sempre esteve por perto para amparar o marido.

E é somente quando o marido morre em um trágico acidente de carro, que tudo a volta de Louisa desaba e as verdades ocultas começam a aparecer. Elliot escondia muitos segredos, acumulou inúmeras dívidas, vivia uma vida dupla, mentiu sobre si e sobre suas viagens. Transformou tudo que Louisa acreditava em frangalhos, estilhaçou seu coração, a fazendo pensar que seu casamento não passou de uma grande mentira. A cada dia uma nova revelação, um novo estranho em sua porta, mais um valor exorbitante para pagar. E quando ela sai em busca de uma solução... outra grande rasteira, essa sim roubando seu chão completamente.

“Ao se deitar na cama, sentiu-se atormentada entre a dor da perda e o peso das mentiras dele. O pior era o receio de, em doze anos, nunca ter descoberto quem Elliot realmente era.”

Louisa viveu por muito tempo segundo os moldes da sociedade para uma mulher de 1935, complacente, passiva, empenhada para a família, apoiando o marido, ainda que o mesmo não merecesse. Ela guardava sua dor, recolhia seus pedaços a cada perda e fazia de tudo para seguir sem fazer grandes alardes. Uma mulher Inteligente, trabalhadora e muito esforçada, mas que se escondia em si mesma, o estopim para sua grande mudança foi a morte do marido, seguida de revelações tão dolorosas quanto, fazendo com ela se abrisse e enfim florescesse. E no meio deste turbilhão todo, quando precisa lidar com o fato de descobrir que o marido a quem pensava conhecer como a palma da sua mão é na verdade um estranho, quando pessoas estranhas e aleatórias passam a bater em sua porta exigindo pagamentos, e as verdade parecem borbulhar na superfície sem parar, ela ainda precisa lidar com sentimentos inapropriados por Leo. Um homem que apareceu no olho do furacão.

A VIÚVA DE SAFIRA pra mim, é muito mais sobre uma mulher se redescobrindo, se curando e tentando encontrar um caminho para seguir, do que propriamente sobre um romance. Louisa é uma personagem que cativa e encanta, toda sua jornada é permeada por muitas lutas e amadurecimento, precisando que ela se torne senhora da sua vida e encontre o caminho para sua tão merecida felicidade. O único problema, é que – mais uma vez, pra MIM -, no final da construção desta personagem, alguns pontos apenas não combinavam com toda sua trajetória. E foi então que Louisa pecou pelo excesso. Excesso de altruísmo, de bondade, de aceitação... Peço desculpas se tiver soando cética demais, mas duvido que qualquer mulher exposta as situações em que ela foi, da maneira como foi, diante de algo que era sim uma ferida aberta e incicatrizável como a dela, tomaria as decisões que ela tomou. Eu acredito no perdão, acredito que páginas podem ser viradas e novos começos escritos, mas não consigo visualizar nem de maneira fantasiosa um cenário onde uma mulher ferida assumiria sua postura e isso foi meio complicado pra mim. Elliot é o típico filhinho da mamãe, que precisa ter todas as suas vontades atendidas, mimado, egoísta, ambicioso, imaturo, que no fundo é apenas medíocre demais e toma decisões idiotas sem se preocupar se está magoando ou ferindo alguém. Apenas... fujam deste tipo de homem. Leo... ainda não sei se tenho uma opinião formada sobre ele. Entendo sua importância na trama, visualizo o seu peso, mas por enquanto é apenas isso.

“O único jeito era lidar com um dia após o outro, até se acostumar. Viver uma hora, depois outra, até o dia terminar. E no dia seguinte fazer tudo de novo.”

O que me leva para o romance. Acho que como todo recomeço, principalmente se tratando de viúva com a bagagem de Louisa, todo cuidado e pequenos passos são necessários, e acredito que a autora até tenha trabalhado isso bem, a construção do romance foi sutil, tão sutil que ficou superficial e em determinados momentos até solto no meio do enredo. Mas, como já mencionei, acredito que isso se dê porque a autora coloca o romance em segundo plano, para atrair mais atenção para a figura feminina. O que em minha humilde opinião poderia ter sido equilibrado e trabalhado com mais carinho, entregando uma história mais completa e feliz. Ela fez isso em O PERFUME DA FOLHA DE CHÁ.

Eu gosto da maneira como Dinah constrói seus enredos e cenários, ela os explora com maestria e sempre nos leva a viajar através das páginas quase nos passando a impressão de que poderíamos estar presentes no ambiente descrito. Gosto também que ela trabalhe a figura feminina, dando voz as suas personagens e até as construindo a frente de seu tempo, sempre promovendo reflexões e discussão sobre a sociedade de modo geral. Sua narrativa é delicada, ao mesmo tempo em que se mostra forte e impactante, e esse é outro ponto positivo.

Apesar de A VIÚVA DE SAFIRA não ter me conquistado por completo, é uma boa leitura, que emociona, encanta, repleta de reviravoltas e que propõe reflexões. E justamente por acreditar no potencial da autora para ir além do que ela entregou, esmiuçando com sagacidade as partes mais importantes e relevantes da trama, tenha ficado um pouco decepcionada. Sigo na torcida para termos mais de seus romances publicados aqui no Brasil. Como sempre falo, a única forma de saber se você gostou ou não de um livro é lendo. Não se apegue apenas aos meus apontamentos, sua visão sobre ele pode ser completamente diferente da minha.


site: http://www.atitudeliteraria.com.br/2019/12/a-viuva-de-safira-dinah-jefferies.html
comentários(0)comente



Joici 03/10/2020

Amei
Depois d O perfume da folha chá esse tem drama mas e um pouco menos dramatico. Mas mao se engane a Jovem Louisa sofre bastante, descobrir tudo q esse marido dela aprontava pra ela foi dificil, descobrir que sua vida foi uma mentira. Mas enfim achei q faltou algumas explicações sobre o comportamento do Elliot
comentários(0)comente



Gi 10/09/2020

Um romance histórico de tirar o fôlego.
Um casamento baseado em mentiras, e como acreditar no amor agora? Mistério, drama e lugares exóticos, como não ficar fascinada por essa autora?
Se você quer um romance intenso, essa é a escolha perfeita!
comentários(0)comente



Clarissa 03/08/2020

Decepção
Eu já havia lido dois livros da autora, O Perfume da Folha de Chá e Antes da Tempestade, ambos bons.
Já não posso dizer o mesmo da A viúva de Safira, só não desisti de ler, pois não gosto de abandonar nenhum livro. A ideia principal do romance tinha tudo para dar certo, mas foi decepcionante, um enredo cansativo, arrastado, pobre...
A protagonista não é nada cativante, chega a ser irritante com suas atitudes de boa samaritana...
Vou dar um tempo da autora...
comentários(0)comente



Rubia 11/06/2020

Muito Bom!!
Esse livro é muito gostoso de ler.. vc começa e quando viu já leu 50 páginas, amo o jeito dessa autora escrever sobre os lugares, vc realmente se imagina lá vendo tudo aquilo.. Esse livro se passa no Ceilão (hoje Sri Lanka), depois de ler O perfum da flor de chá e esse livro aqui, dá uma vontade enorme de conhecer este lugar, parece ser incrivel. O bom dos livros é isso, vc visita outros lugares sem sair do lugar. Voltando a história, nesse livro vai aparecer novamente o casal do livro anterior Laurence e Gwen, muito bom rever eles, pois esses tiveram uma história espetacular.. No livro de agora, conta a história da Louisa e Elliot, a vida deles parece perfeita mas quando Elliot morre e começa a aparecer toda uma vida paralela e cheia de mentiras por parte dele, vc fica sem acreditar como ele pode fazer isso.. A medida que a história vai passando é muito bom ver a força de Louisa e como ela encara toda aquela verdade... Surgem no livro Leo, que é maravilhoso. Também amei a cunhada dela Margot, o pai dela, foi maravilhoso também, agora a sogra Irene era um horror, meu Deus...enfim o que Louisa faz nesse livro é incrivel, eu não sei se agiria do jeito dela, ela foi generosa demais, e amei isso nela! Com certeza uma lição de perdão e recomeços... Super Indico!!
comentários(0)comente



Ana Paula 09/06/2020

Uma história de perdas, traição, coragem e recomeço
Viúva de Safira é uma história escrita por Dinah Jefferies, conhecida pelo livro O perfume da folha de chá. Neste novo livro, ela volta a ambientar a trama no Ceilão do início do século passado. Louisa é uma jovem esposa que carrega a dor de ter sofrido abortos e sua última gravidez resultar em uma criança natimorta. Ela sofre pelos filhos perdidos, mas o amor pelo marido Elliot e seu sólido e feliz casamento são a sustentação para que ela siga em frente.

No dia em que comemoraria mais um aniversário de casamento com uma festa para amigos em sua casa, ela recebe a notícia do falecimento do marido em um trágico acidente de carro. E a partir daí ela começa a descobrir segredos do marido que a fazem questionar se viveu os últimos anos mergulhada em mentiras e iludida com um casamento nada feliz.

Louisa já tinha uma relação complicada com a sogra e tudo se agrava depois da morte de Elliot. Seu apoio é a cunhada Margot, uma personagem ótima que trás um respiro para Louisa. Seu pai, Jonathan é também um grande apoiador e muito presente na vida dela. Ele trabalha com lapidação de pedras preciosas e Elliot trabalhava com o sogro, além de ter outros negócios.

Uma personagem querida que retorna nessa história é Gwen, a protagonista de O perfume da folha de chá. Amiga de Louisa, ela oferece apoio e companhia nos momentos em que Louisa mais precisa. Com uma bebê nos braços, Gwen ainda sofre pela perda da primeira filha e seus conselhos são preciosos para a amiga. Da mesma forma que Gwen retorna, toda a ambientação da história no antigo Ceilão está de volta com as descrições da autora nos fazem viajar para aquela região. Enquanto na história de Gwen podíamos sentir o aroma do chá na fazendo de seu marido Lawrence, agora sentimos o aroma da Canela, nas plantação de Leo!

Leo surge na vida de Louisa de maneira inesperada e representa a sua chance de amar novamente. Ele é um personagem forte, um pouco enigmático e muito cativante. Tem suas marcas do passado e vivia sozinho na fazenda de canela até sua prima Zinnia ir morar na fazenda levando seu filho Connor.

Entre as tantas traições de Elliot, uma se revela a mais grave e dolorida possível e é diante dessa descoberta que Louisa tem que ressignificar toda a sua vida.

A viúva de Safira é uma história de perdas, traição e recomeços escrita de forma delicada e envolvente, em um ambiente sedutor que estimula a nossa imaginação. Alguns acontecimentos são previsíveis, mas a maneira como eles transcorrem e são narrados criam uma linda história.


site: www.estantedaana.com.br
comentários(0)comente



Luisa.Duarte 03/04/2020

Eu sinceramente esperava mais. Li O Perfume da Folha de Chá e fiquei encantada. Acho que o que falta aqui é um pouco da descrição da cultura do Sri Lanka, tão rica no livro anterior. Ainda sim interessante e ótimo para uma leitura leve
comentários(0)comente



Coisas de Mineira 07/12/2019

A indicação de hoje é do livro “A Viúva de Safira” da autora Dinah Jefferies, lançado esse ano pela editora Paralela. Bem na capa, vemos uma frase impactante: “depois de um casamento baseado em mentiras, é possível amar de novo?”.

Na história acompanhamos o Ceilão, uma rica colônia britânica do sul da Ásia, de 1935, onde Louisa e Elliot vivem um casamento feliz. Para qualquer pessoa que visse Louisa, pensaria que ela teria a vida perfeita, mas ao contrário disso, ela não consegue a única coisa que deseja: um filho.

Depois de sofrer dois abortos e de um bebê morto, Louisa percebe seu marido cada vez mais distante dela, mas nada que ela considerasse fora do normal. Até que em uma fatalidade Elliot morre em um acidente de carro. O problema? Nesse dia, ele havia saído de casa falando que iria velejar com um amigo, e acabou sofrendo um acidente longe de onde teria dito que ia.

Diante da morte trágica de Elliot, Louisa começa a descobrir segredos chocantes do marido, a ponto de chegar a se perguntar ‘quem era aquele homem com quem estava casada’. Em busca de respostas, ela encontra apoio em Leo, o dono de uma plantação de canelas que Elliot gostava de visitar. Esse é o enredo de “A Viúva de Safira”.

Assim que li a sinopse pensei: “então Elliot tem que morrer para a história realmente começar a ficar boa?”. E é isso mesmo. Lembro de ler o início do livro só pensando que Elliot tinha que morrer logo para eu conseguir saber o que ele tinha feito (e falei isso com umas duas pessoas, que estava esperando um personagem morrer para a confusão começar).

E que confusão. Nunca tinha lido nada autora, então como primeira vez tenho que dizer que gostei da forma como ela escreve. Dinah conseguiu prender a minha atenção, jogando informações ao longo da história para instigar que eu continuasse leitura.

“Mulheres têm que passar por cada coisa, pensou. Cada coisa, e ainda assim conseguem sorrir.”

A construção dos personagens também foi algo que gostei bastante. Ela conseguiu fazer com que Louisa além de forte, fosse humana. Não colocou a personagem como aquela mulher foda, que é boa e cheia de certezas. Ao invés disso, vemos uma mulher que amou, que está de luto, magoada e que precisa trabalhar na confusão de sentimentos que possui.

Vou falar apenas de Louisa para não ter problema de dar spoilers desnecessários. Algo que preciso comentar é que se alguém já leu algo da autora, é possível rever personagens de outros livros. Para mim, esse detalhe acabou sendo irrelevante, já que não tinha lido “O perfume da folha de chá”. Se assim como eu, você não tiver lido, não se preocupe, a história não perde o sentido. É possível apenas que você fique pensando que está perdendo alguma referência, mas fora isso, é bem tranquilo.

Para os que sempre estão buscando um romance, vão com calma. Há uma história de amor, uma bem bonita até e que é construída aos poucos ao longo da história. E não digo apenas história de amor, no sentido de romance não, mas isso deixarei para que vocês descubram ao lerem a história.

Sobre a capa, eu preciso repetir um fato: eu não sou fã de capas que possuem pessoas. Não sei por que, apenas não chama minha atenção e geralmente não me agradam. O título “A Viúva de Safira” cabe bem com a história, afinal, Louisa é filha de um importante comerciante de pedras preciosas.

Dinah Jefferies nasceu na Malásia, mas se mudou para Inglaterra quando tinha apenas nove anos. Em seu site, a autora diz que em 1985 perdeu um filho de quatorze anos e que, embora tenha sido o momento mais sombrio de sua vida, ela consegue colocar a experiência da perda em suas histórias.

Dinah possui sete livros, desses, três foram publicados no Brasil: “A Viúva de Safira”, “O Perfume da Folha de Chá” e “Antes da Tempestade”, todos lançados pela editora Paralela.

Por: Ana Elisa Monteiro
Site: www.coisasdemineira.com/a-viuva-de-safira/
comentários(0)comente



Monique 29/10/2019

"A viúva de Safira" é um romance histórico ambientado na rica colonia britânica no sul da Ásia, mas precisamente no Ceilão do século XX.
Neste cenário, conhecemos Louisa. Uma mulher que possui uma vida quase perfeita. Ela é bonita, jovem e rica, herdeira do império das pedras preciosas. Casada com Elliot, ela tem um casamento perfeito, não fosse suas tentativas frustadas de ter um filho, seria uma mulher feliz. Porém, seu mundo desaba com a morte repentina e misteriosa do marido.
Com a morte de Elliot, Louisa descobre que sua vida não era nada como ela pensava. E que seu marido tinha uma outra vida paralela a partilhada com ela. Elliot deixa um mundo de dividas, traições e mentiras na qual Louisa se vê totalmente perdida, com perguntas para as quais não tem resposta.
Em meio a tantas descobertas e revelações, ela tenta arrumar um novo sentido para sua vida.

"Ao se deitar na cama, sentiu-se atormentada entre a dor da perda e o peso das mentiras dele. O pior era o receio de, em doze anos, nunca ter descoberto quem Elliot realmente era"

Eu nunca tinha lido nada da autora Dinah Jefferies e estava muito curiosa a respeito. A narrativa é bem fluída e fácil de ler, porém em alguns momentos acaba ficando cansativa demais, devido as constantes descrições excessivas tanto do ambiente. A descrição da cultura local é maravilhosa para que possamos ambientar na história, mas com detalhes demais realmente fica massante.
Confesso que tenho sentimentos conflitantes com relação a este livro, pois na primeira metade tive vontade de realmente abandona-lo. A leitura não fluía bem e as coisas demoram demais para acontecer e eu não conseguia me conectar com a personagem. Mas da metade do livro pra frente, quando as coias começam a caminhar um pouco melhor fui me apegando a história. De qualquer forma, foi um dos livros que eu mais demorei para ler na vida...rsrs.

"Sempre se pode ver as coisas de mais de um jeito. Talvez não porque o que você achava não fosse verdadeiro. Talvez fosse, mas também poderia haver um outro lado desconhecido. Todo mundo não tem um segredo?”"

O crescimento de Louisa como personagem é incrível. Ela consegue não só superar todas as adversidades da vida, quanto consegue se reinventar e se reerguer ainda mais forte. No inicio do livro ela tem uma vida totalmente vazia, m função do marido e a morte dele acaba sendo um divisor de águas na vida dela. Louisa tem um coração enorme e realmente consegue provar que mesmo depois de tudo o que passou ainda é capaz de ser uma pessoa maravilhosa e muito altruísta.
O amor tinha que encontra-la de alguma forma e ela encontra em Leo McNairn tudo carinho, respeito e paixão que tanto precisava. E Connor acaba completando essa felicidade, sendo a parte que sempre faltou na vida de Louisa.
A edição deste livro é linda e a capa maravilhosa!
comentários(0)comente



Dayana @leitorareal 24/09/2019

Resenha @leitorareal
O Livro conta a história do casamento de Louisa e Elliot que estão casados há nove anos. Começamos o livro vendo o casal em harmonia, o marido consolando a esposa no segundo abordo sofrido. Louisa estava esperançosa em ter um filho, mas estava ficando cada vez mais difícil.
Depois de acompanharmos o convívio do casal, a morte repentina de Elliot abala Louisa que tanto o amava. Mas após a morte, Louisa descobre várias coisas sobre o marido. Dívidas altíssima, o dinheiro que ela o havia emprestado para compra de um prédio havia sido sacado e ela não sabia o porquê. Fora que no dia da morte, Elliot disse que estaria velejando com o amigo, e não indo para Colombo onde aconteceu o acidente.
Será mesmo que Louisa conhecia o marido por quem amava tanto? Quem era Eliot e com o ele realmente estava envolvido?
Nessa busca por respostas, vemos Lia superar o luto e a decepção pelo marido, temos segredos imagináveis para serem revelados e uma nova trajetória de Lia para acompanharmos.
.
Já comecei o livro desconfiando de Eliot por causa da sinopse. Muitas páginas do livro o Eliot ainda estava vivo e por mais duvidoso que eu estava em relação a ele, não consegui desconfiar dele. Ele parecia ser um bom marido, então quando ele morreu eu fiquei curiosa para saber o que Eliot fazia. Acompanhamos e descobrimos as coisas na mesma medida que Louisa.
Cheio de acontecimentos, A Viúva de Safira trás uma época gostosa de viver uma história, época em que a eletricidade recentemente chegará a cidade. Onde o ar do campo é um lugar gostoso de viver rodeados de animais livres. 1989, é o ano que a história é relatada, eu particularmente amo essa época

site: https://www.instagram.com/leitorareal/
comentários(0)comente



Ana Claudia 02/09/2019

A Viúva de Safira
Elliot e Louisa viviam no Ceilão, lugar anteriormente conhecido como Serendip _ A Ilha das Pedras Preciosas.
Ela, herdeira de um empreendimento familiar gigantesco nesse ramo, e ele, um homem, garboso, um empresário, que gostava de correr riscos. Tudo poderia ser perfeito, mas algo lhes faltava: um filho. (...)
(Continua no blog!)
Com a morte de seu marido Elliot, o mundo parece a engolir gradativamente em meio a tantas mentiras, dívidas, traições e muitas decepções a envolvendo.
Com tantas revelações, ela conhece Leo McNairn, um jovem dono de uma fazenda de plantação de canela, e redescobre o amor, reaprendendo a sentir o amar, de uma maneira diferente.

site: https://www.cafecomleitura.com/2019/09/402019-viuva-de-safira.html
comentários(0)comente



Dressa Oficial 12/08/2019

Resenha - A viúva de Safira
Olá, tudo bem com vocês?

Estou extremamente feliz em voltar a trazer resenhas dos livros que estou lendo, esse ano estou conseguindo ler bem mais que antes e isso me deixa muito feliz porque é muito ruim você amar muito ler e não vir a inspiração para pegar um livro e mergulhar nele.

A Viúva de Safira é um livro bem fácil de ler, apesar do ritmo ser um pouco mais lento, a história se passa na época de 1935.

Louisa é casada com Elliot e eles já vivem juntos há alguns anos, aparentemente tudo lindo e maravilhoso.

Louisa já tentou engravidar algumas vezes mas todas as gestações deram problemas e não vingaram, isso é algo que a deixa bem triste e preocupada.

Elliot anda meio estressado, comprou um imóvel para fazer novos negócios mesmo não tendo dinheiro para pagar, é viciado em jogo e tem tratado mal Louisa nos últimos tempos.

Louisa mora em uma casa super espaçosa , tem empregados, o pai é muito rico porém ela gosta de fazer alguns trabalhos e é bem humilde, ela mantém em um negócio com seu pai de safiras e assim vão levando a vida.

Até que em uma festa de comemoração de casamento de Elliot com Louisa ele some e não aparece no decorrer da noite.

Quando um policial aparece e conta para ela que infelizmente devido a um acidente de carro seu marido faleceu.

Louisa lógico perde o chão, fica inconsolável e não entende como ele morreu em um acidente de carro sendo que ia ficar em alto mar junto com amigos.

A partir desse dia a vida de Louise nunca mais é a mesma, ela começa a descobrir inúmeras mentiras de seu marido, e além disso é ameaçada por algumas pessoas pois ele devia muito dinheiro.

Ela e sua cunhada descobrem muitas coisas referentes a Elliot acho que se contar mais do que isso já vira spoiler e a história perde a graça.

Mas pelo livro se passar na época de 1935 Louisa é muito a frente de seu tempo e mesmo muito abalada com a perda do marido e as mentiras que ele contava ela consegue tocar a vida a para frente e não se deixar se abalar.

O pai de Louisa também é um personagem muito forte e ajuda muito Louisa e a apoia em todas as decisões.

O livro é daqueles que é mais lento, mas nem por isso perde seu encanto. Gostei muito da escrita da autora e com certeza indico.

Beijos

Até mais!

site: http://www.livrosechocolatequente.com.br/2019/08/resenha-viuva-de-safira.html
comentários(0)comente



Fabi | @blogpsleitura 30/07/2019

{resenha feita no blog PS Amo Leitura}
Ceilão inglês no início do século XX. “A viúva de safira” é um romance da autora Dinah Jefferies – mesma autora de o perfume da folha de chá – e publicado pela Editora Paralela. Conheça mais sobre esse romance histórico.

Em uma colônia britânica do Sul da Ásia, Ceilão, Louisa – filha de um importante comerciante da região – e Elliot – um homem de negócios – tinham um excelente casamento e uma vida feliz, mas aos poucos foram se afastando.

O motivo que levou a distância e a frieza neste casamento foi o fato de Louisa não conseguir engravidar. Esse era o maior sonho do casal e gerar uma criança era algo que impediam de ter a família que sempre quiseram. Foram inúmeros abortos espontâneos e isso começou a afastá-los.

Porém, inesperadamente, em uma festa, Louisa recebe a notícia da morte de seu marido. Ele estava em uma estrada que ela não conhecia e não tinha uma ligação com aquele local. E é onde os segredos começam a ser revelados e notícias bombásticas mudam totalmente a vida dela.

Ela precisará encontrar forças para continuar e lutar contra todos aqueles terríveis segredos que seu marido escondeu por tantos anos. Será possível seguir em frente com todas as consequências dessas mentiras?

“A viúva de safira” foi meu primeiro contato com a autora.
Devo confessar que a premissa me chamou muita atenção e após a revelação do grande segredo, já imaginava como o livro iria acabar. De qualquer forma, muitas coisas aconteceram durante a jornada da personagem que me fez parar e refletir.

Quantos segredos as pessoas escondem durante uma relação? Ou pior, quantos segredos são revelados após a morte de alguém? Isso me faz pensar que nada adianta você esconder algo, pois um dia isso virá à tona e às vezes da pior forma. E a pessoa que fica que sofre todas as consequências de seus erros. Triste, mas real.

Apesar de não ter me conectado totalmente com a personagem e a narrativa não ter me conquistado em muitos momentos, devo dizer que a premissa do livro é ótima: dilemas familiares, segredos, dificuldades e superação. Um livro que te faz refletir sobre diversas questões da vida.

Quando digo que não me conectei com a narrativa, não digo que isso aconteceu desde o começo do livro. Em até certo momento, a escrita estava fluindo, os acontecimentos estavam surgindo e tudo desencadeando, mas, em um certo ponto em diante, o texto parecia prolixo.

Devo dizer que a personagem Louisa é extremamente forte.
Enfrentou diversas situações, problemas, descobertas e tudo de maneira elegante e sem perder a classe; enfrentou todos os seus “dragões” – se é que podemos dizer assim. Apesar da época, é uma mulher determinada.

Mas o que mais me chamou atenção foi a descrição do local. Não é sempre que temos livros com uma temática na Ásia. A forma como Dinah Jefferies descreve o local, faz com que você realmente se sinta lá e até mesmo em 1935. Posso não ter me identificado com alguns aspectos do livro, mas vale ressaltar a riqueza de detalhes apresentados em sua escrita.

Apesar de não ter gostado tanto quanto eu esperava (talvez tenha colocado expectativas demais após inúmeros elogios a autora), o livro aborda assuntos importantes para reflexão e até mesmo discussão.

Até onde você é capaz de mentir para a pessoa que você ama? Você já imaginou que após a sua morte, todos os seus grandes segredos poderão ser revelados? São pequenos questionamentos que te faz pensar em sua vida e o jeito que você decide vive-la.

Dilemas familiares, segredos, dificuldades e superação é tudo que você vai encontrar nessa obra. Se você gosta de drama em um contexto histórico, com certeza vai gostar de “a viúva de safira”.

site: https://www.psamoleitura.com/2019/07/resenha-a-viuva-de-safira.html
comentários(0)comente



19 encontrados | exibindo 1 a 16
1 | 2


Utilizamos cookies e tecnologia para aprimorar sua experiência de navegação de acordo com a Política de Privacidade. ACEITAR