O Sol Ainda Brilha

O Sol Ainda Brilha Anthony Ray Hinton




Resenhas -


59 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2 | 3 | 4


Book.ster por Pedro Pacifico 15/06/2020

O sol ainda brilha, de Anthony Ray Hinton - Nota 7,5/10
Quando se discute como o poder judiciário pode ser falho, são casos como o de Anthony Hinton que vem à cabeça. Imagine passar 30 anos no corredor da morte, enquanto se tenta de toda forma mostrar que não cometeu um crime, para, só então, ser declarado inocente. Foi esse nível de injustiça que o autor sofreu e busca compartilhar em sua autobiografia.⁣

Foi com 29 anos que Hinton, um jovem negro e de uma família simples, foi acusado de ter assassinado 2 pessoas. Apesar das inconsistências da acusação, o autor ainda assim foi condenado à pena de morte. Muito disso tem como causa a vontade cega de um promotor em condenar quem ele entende não ser um “cidadão do bem”, bem como a falta de uma defesa adequada, patrocinada por um defensor público que enxergava o processo como só mais uma tarefa a ser concluída. ⁣

É impossível fazer a leitura sem sentir uma extrema revolta contra um governo míope e contra inúmeras violações a garantias básicas de um cidadão. Mas o mais triste disso tudo é pensar como essas injustiças ainda ocorrem e quantos Hintons ainda passarão pelo que o autor viveu.⁣

O racismo é um tema recorrente da obra. É o racismo sob o viés do sistema judiciário, que dá enfoque ao jovem negro dos bairros pobres. O livro também traz à tona a discussão da pena de morte. Se Hinton teve a sorte de conseguir escapar depois de três décadas de prisão indevida, esse não foi o destino de outros condenados à morte pelo Estado.⁣

A maior parte do livro escutei pela plataforma @autibooks. E apesar da relevância, senti que a história ficou um pouco cansativa, principalmente pela repetição de passagens da vida do autor e de algumas reflexões que ele queria passar. E isso foi refletido na nota que dei... Talvez isso seja uma consequência de eu ter optado pelo audiobook, mas não tenho certeza. Ainda assim, vale a leitura! ⁣

site: https://www.instagram.com/book.ster
comentários(0)comente



Juliana Rodrigues 09/06/2020

Existem alguns livros que possuem tanto impacto sobre o modo como enxergamos o mundo que chega a ser difícil expressar qualquer sentimento em palavras. Saber que uma história assim realmente aconteceu demonstra o quanto ainda precisamos evoluir como seres humanos.

Em vários momentos achei que não fosse conseguir prosseguir com a leitura, pois o racismo é tratado de forma cruel e profunda. Mas esse também é um livro sobre amor e, principalmente, sobre escolher ter esperança, mesmo nos momentos mais obscuros da vida.

Tenho certeza de que vou pensar nesse livro durante muito tempo, não apenas por ter sido uma leitura extremamente dura, mas também por todos os ensinamentos descritos ao longo de cada página.

"A corrida não é vencida por quem é mais rápido, mas por aqueles que têm maior resistência."

Apenas leiam!
Jefferson Vianna 11/06/2020minha estante
Uauuuu... Amei a resenha! =)
Quero ler!


Juliana Rodrigues 11/06/2020minha estante
Ah, muito obrigada! ??

Confesso que ainda estou me recuperando desse livro. Toda a humanidade precisa conhecer essa história.




Neide.Braga 24/03/2020

Leitura inesquecível!
Eu não tenho palavras pra expressar o que senti lendo esse livro. Foi o pior e o melhor livro que li até hoje. Sem palavras!
comentários(0)comente



Fê Evlaine @leitorestardios 30/05/2020

LEIA ESTE LIVRO
O melhor do ano, sem dúvida!!! aconteça o que acontecer jamais deixe de ser esse livro.
Juliana Rodrigues 31/05/2020minha estante
Será minha próxima leitura! ?


Fê Evlaine @leitorestardios 01/06/2020minha estante
Bom demais


Isabela 02/06/2020minha estante
Está na minha lista!!!


Fê Evlaine @leitorestardios 03/06/2020minha estante
?


Jéssica Lorena 04/06/2020minha estante
Esse livro é uma das coisas mais extraordinárias que meus olhos já viram e meu coração já sentiu. Belo e triste; triste e belo.


Fê Evlaine @leitorestardios 04/06/2020minha estante
Quem dera fosse ficção!




Bacurau 30/05/2020

Justiça para quem?
Estou até agora relutando em aceitar a história como verídica. A verdade me deixa nauseado. Se você é pobre e preto, às vezes a melhor e única coisa a fazer é fugir.
Juliana Rodrigues 30/05/2020minha estante
Gostou?

Será minha próxima leitura! ?


Bacurau 30/05/2020minha estante
Acho que foi o melhor do ano até agora! Tenho certeza que você vai amar


Juliana Rodrigues 30/05/2020minha estante
Expectativas altíssimas para esse livro ?

Obrigada!


Fê Evlaine @leitorestardios 30/05/2020minha estante
Orgulho da mamãe e do Pedrinho


Bacurau 30/05/2020minha estante
???




spoiler visualizar
almeidalewis 19/07/2020minha estante
??????




Barbara Hellen 09/05/2020

@cactosliterarios
Existem alguns relatos que mudam nossa visão de mundo quase que de forma mágica. São tão fortes que é impossível negar sua importância ou ignorá-la. A história de Anthony Ray Hinton é uma delas. Em 1985, Ray Hinton foi condenado ao corredor da morte e passou 30 anos tentando provar a sua inocência. Mesmo com provas, testemunhas, o racismo presente no Alabama - e não só nele, como sabemos - condenou Ray. Fez com que ele perdesse sua vida, injustamente. Como não se revoltar?

Essa história da luta pela justiça é muito comovente. Toca diversas feridas: o racismo, a falha do sistema judicial, as situações precárias das prisões. E apesar de tudo isso ter acontecido no Estados Unidos, é impossível não lembrar do Brasil - onde na teoria não existe corredor da morte, mesmo que a prática prove o contrário. Nunca tive tanta certeza sobre minha opinião em relação a pena de morte, por toda problemática que envolve esse assunto e especialmente por tantos crimes brutos que vemos por ai... Mas, esse livro consegue trazer uma outra visão: em um sistema no qual há falhas e racismo, como a pena de morte pode ser justa? Com certeza esse foi um dos melhores do ano!
comentários(0)comente



Paula 19/06/2020

Que livro!
Trata-se de um relato profundamente tocante de alguém que sentiu na pele o que é ser completamente injustiçado.
Ainda que seja bastante conhecido o fato de o Judiciário reproduzir o racismo impregnado na sociedade e, não raras vezes, ocasionar injustiças flagrantes, a história de Ray Hinton nos deixa completamente perplexos e revoltados, diante da completa arbitrariedade e total complacência dos atores processuais com o erro que se estava produzindo.
Há também uma grande lição de humanidade e resiliência por parte de uma pessoa que passou 30 anos no corredor da morte e, ainda assim, foi capaz de nutrir fé e esperança, apesar da revolta.
Um dos livros mais profundos que já li. Vale demais cada segundo!
Alexia 19/06/2020minha estante
Amei a resenha, Paulinha!!




@Estantedelivrosdamylla 31/05/2020

Deve ser lido
@estantedelivrosdamylla

Como falar de um livro tão marcante? Bem, vamos lá. Leitura fácil e clara, escrita simples e que atende todos os públicos, porém uma história incrivelmente dura. Esse livro relata a história de Anthony Ray Hinton, um homem que passou 30 anos no corredor da morte por um crime que NÃO cometeu. Quando a gente para e pensa sobre isso, sobre 30 anos perdidos dentro de uma prisão, 30 anos sem liberdade, sem ver o mar ou sentir o vento, parece impossível de cultivar qualquer coisa no coração além do ódio pela injustiça. Porém, este homem, Ray, mostrou que com fé no que acredita e com esperança podemos manter a sanidade e bons sentimentos no nosso coração, além de ajudar o próximo apesar de você mesmo estar em uma situação de extrema dificuldade. Esse livro mostrou o poder da amizade, e do amor. E também, o lado cruel e doentio da injustiça e do racismo. Houve momentos em que - mesmo sabendo o desfecho da história- cheguei a acreditar que a justiça não iria ser feita. Foram momentos cansativos em que fiquei indagando o que mais Ray e seu advogado Bryan poderiam fazer para mudar a situação. E aí eu pensei " se foi difícil pra mim, imagina pra ele". Por fim, só tenho a dizer que esse livro é essencial, é poderoso e é real! Quem puder, leia. Você irá agregar muito a sua vida.
comentários(0)comente



Gabriel 09/04/2020

Incrível...
Este livro entrou para minha lista de melhores! Com uma escrita fluida a história baseada em fatos reais contada pelo protagonista é uma lição de vida para os que leem. Por diversas vezes ao longo da leitura me despertou inúmeros sentimos: angústia, medo, raiva e sobretudo esperança, que no fim é a mensagem central que o autor deseja passar.
comentários(0)comente



Itinha 30/05/2020

Profundo
Terminei o livro destruída! Livro profundo, triste que nos faz pensar o quanto o ser humano pode ser tão repugnante quando julga outro por uma cor.
Várias passagens com ensinamentos e que chama nossa atenção e nos faz lembrar que nós escolhemos como nos sentimos a cada adversidade!
comentários(0)comente



Ikaelle 10/06/2020

Leitura necessária
A história real de um homem condenado à pena de morte por crimes que não cometeu e que, após 30 anos preso, foi declarado inocente. O livro aborda temas como o racismo, a precariedade das prisões, o sistema judicial falho e, sobretudo, a fé.

[...] eles podiam tirar a minha vida, mas que não poderiam nunca, de forma alguma, tocar em minha alma.
comentários(0)comente



Francy Müller 10/03/2020

Que livro!!!
Me apaixonei por esse livro ao mesmo que passei muita raiva.
A esperança do Hinton durante os 30 anos, a capacidade dele ver o lado bom das pessoas, da empatia... E ao mesmo tempo o ódio do sistema racista que o colocou no corredor da morte havendo todas as provas que ele era inocente.
Super recomendo esse livro para se pensar na questão da pena de morte
comentários(0)comente



Santana 15/07/2020

O sol ainda brilha!
Chorei. Chorei pela injustiça. Chorei pelo sistema fracassado. Chorei por vergonha do ser humano. Chorei a cada narrativa de impotência.
Mas também chorei pelo amor que transborda a presença física. Chorei pela família. Chorei pelos laços de amizade. Chorei e sou grata pela fé que se transforma nesse livro.
Obrigada por tanto, Ray!!
comentários(0)comente



59 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2 | 3 | 4