A Rainha Aprisionada

A Rainha Aprisionada Kristen Ciccarelli




Resenhas - A Rainha Aprisionada


66 encontrados | exibindo 1 a 16
1 | 2 | 3 | 4 | 5


Micaela | @ninfadomar 21/06/2020

A Rainha Aprisionada
Roa é a nova rainha de Firgaard, não que ela tenha almejado esse lugar. Casar com Dax (irmão da Asha de a Caçadora de Dragões #1 Iskari) foi a única forma de tentar livrar seu povo da tirania imposta por Firgaard.

Cercada por um povo que não a clama e ao lado de um marido que não se preocupa em cumprir promessas, Roa se ver obrigada a buscar soluções pra finalmente livrar seu povo da miséria. Essa busca pode vir cheia de sacrifícios já que a recém rainha descobre uma maneira de trazer sua irmã gêmea de volta a vida.

Dividida entre ser o melhor pro seu povo, salvar a irmã e ser leal ao rei, Roa tenta escolher qual parte de si terá que sacrificar para que o que almeja seja alcançado.

💬 Não sei se vocês sabem mas a trilogia Iskari pode ser lida fora de ordem. Porém, eu como leitora, admito que foi muito mais emocionante ler o segundo tendo conhecimento (e apego) dos personagens do primeiro.

💬 O livro é todo cheio daquela áurea de misticismo e fantasia pura característico da Kristen (se você não leu não acho que possa compreender). Com uma protagonista negra cheia de força de vontade que luta pelo seu povo acima de tudo e uma história sobre perdão e sacrifícios que envolve o leitor numa leitura fluida e instigante, a rainha aprisionada foi um livro que me trouxe muitas emoções desde a raiva ao luto e também bons ensinamentos desde o aprender a perdoar a saber a hora de deixar ir... O livro só perde pontos no quesito romance.

💬 Antes que vocês me julguem dizendo que sou sem coração por ter odiado o romance presente nesse livro. Lembrem-se que ele foi introduzido de um jeito indigno! Sério, desmerecer a jornada da protagonista pra dar espaço pra um romance foi a única coisa que me incomodou.

Por fim o livro me ganhou apesar do romance meio ble por conta de todas as emoções que senti (esse negócio de irmãs mexe comigo). Não vejo a hora de ler a tecelã do céu já que conta com representatividade sáfica.

site: https://www.instagram.com/p/B-pTo8BB-SC/
comentários(0)comente



Juliana 19/01/2021

Esse segundo livro só fez crescer meu amor por essa série.
Eu sabia que os personagens antes secundários em A Caçadora de Dragões trariam histórias maravilhosas.

Roa é teimosa, inteligente, e tão cega pelo amor à irmã que chaga doer. Claro que a vontade de sacudir a Rainha veio com força em alguns momentos, mas o que seria da história se os personagens fizessem tudo certinho, não é mesmo?

Como sei que é um trilogia estou com A Tecelã do Céu na cabeceira da cama, prontinho para ser lido, mas se a história tivesse acabado em A Rainha Aprisionada e estaria feliz. O livro trouxe um fim coeso e satisfatório.

Estou curiosa para saber o que a Kristen nos reservou para o terceiro e último livro.
comentários(0)comente



spoiler visualizar
comentários(0)comente



Naty 08/09/2020

O amor resistia a tudo. Até à morte. Especialmente à morte.
Quando terminei a Caçadora de Dragões fiquei muito empolgada com a continuação pois queria ver como se sucederia a história de Asha com Torwin e Kozu mas quando soube que q o segundo livro seria sobre outra personagem da série, confesso que fiquei um pouco desanimada, mas a cada página que se passava me apaixonava mais e mais pela história e pelos personagens. Achei aliás que o livro supera o primeiro pois achei a relação de Dax e Roa muito mais envolvente do que a de Torwin e Asha mesmo tendo gostando muito deles tbm. Enfim achei o personagem de Dax muito interessante no primeiro livro, mas nesse segundo que explora muito mais a vida dele me apaixonei DE MAIS e ele acabou se tornando um dos meus personagens literários favoritos. Amei de mais essa série e não vejo a hora de ler o último livro.
comentários(0)comente



Sara.Adriely 29/07/2020

Amei
Essa história como no primeiro demorou um pouco a me prender, mas quando prende se mostra perfeita, alguma das frases desse livro são perfeitas.
comentários(0)comente



Nay Botelho | @Umsonhodeleitura 12/02/2020

Gostei muito mais dos personagens desse livro do que do primeiro mas, a história por trás não interessante (totalmente o contrário do que eu achei o primeiro)
comentários(0)comente



Queria Estar Lendo 01/06/2019

Resenha: A Rainha Aprisionada
A Rainha Aprisionada é o segundo volume da série Iskari, publicada aqui pela Editora Seguinte - que cedeu este exemplar para resenha. Dando sequência aos acontecimentos de A Caçadora de Dragões, esse livro é independente enquanto segue outros personagens, mas também conectado à história principal para dar expansão ao universo de Kristen Ciccarelli.

Esta resenha pode conter alguns spoilers de A Caçadora de Dragões.

Depois de se aliar a Dax para libertar o reino dele do pai tirano, Roa se vê confrontada com uma única certeza: é a rainha de um povo estrangeiro que não respeita o seu próprio povo. Os nativos foram em muito subjugados pelo reino de Dax - agora pode ser que o horizonte apresente mudanças, com a coroa sobre a cabeça de uma nativa. Não que isso tenha animado o conselho ou mesmo alguns apoiadores de Dax. As intrigas políticas estão crescentes e parecem assombrar Roa cada vez mais.

Do outro lado da moeda, há sua irmã. Essie foi transformada em um falcão depois de morrer; seu espírito permaneceu preso àquela forma - mas parece haver uma maneira de trazê-la de volta. E Roa precisa confrontar a ideia de que, para ter quem ama ao seu lado novamente, talvez tenha que dar as costas a um futuro promissor.

A Rainha Aprisionada me ganhou nas primeiras páginas e assim a leitura fluiu até o fim. Diferente de A Caçadora de Dragões, que teve um ritmo mais problemático e enfadonho, esta sequência corrigiu todos os erros que eu tinha encontrado em seu antecessor e melhorou tudo que podia melhorar.

O universo de Roa e seu povo é muito bem estabelecido; suas lendas, crenças, superstições, ritos. Tudo é devidamente apresentado em seu tempo e se desenvolve conforme conhecemos mais sobre a protagonista. As informações estão ali mais do que jogadas ou esquecidas, como um bom livro de fantasia precisa fazer para me ganhar.

Roa, por sua vez, foi uma protagonista bem interessante. Forte e determinada, apaixonada pelos costumes do próprio povo - devota a eles - estar em Fidgaard é estar entre desconhecidos. Mesmo que Dax tenha pertencido à sua infância, um amigo que se tornou um estranho e aliado, o mundo daquele reino é tão diferente que a perdição é tudo que Roa encontra.

"- Quer saber a terceira regra de deuses e monstros? [...] Nunca subestime um tolo."

Gostei muito de acompanhar o desenvolvimento dela; seus traços ingênuos e temerosos funcionaram bem na trama principal - foram críveis, ainda que frustrantes - e sua determinação e amor pela irmã movendo-a através desse tabuleiro de poder me deixaram muito animada. Roa é uma personagem bastante humana, cheia de erros e acertos. Uma protagonista perfeita para esse tipo de história.

Dax, por sua vez, foi meu amorzão supremo. Um enigma, a princípio, que se desconstrói conforme Roa se permite aproximar dele. O que imaginamos sobre o rei-dragão não bate com o que seu coração carrega; um garoto atencioso e gentil que entende dos jogos de poder melhor do que ninguém. Dax me surpreendeu mesmo quando eu achava que não tinha mais onde surpreender.

E ah, o ship! QUE SHIP LINDO AJFSABIGASBASUO QUE SAUDADES DE LER ALGO ASSIM. É um slow burn + hate do love perfeito e ainda resgata uns sofrimentos da infância deles, de quando eles se afastaram.

A parte mitológica se fez muito presente e enriqueceu bastante a narrativa; deu vida à história da Essie e da Roa. A lenda da Tecelã e como isso se entrelaçava com a das irmãs me encheu os olhos. Queria ter lido mais a respeito do tal murmúrio, maaaas não acho um defeito exatamente por ser algo desconhecido às duas também - e não era o foco.

A edição da Seguinte está linda e impecável e eu sou apaixonada pela releitura das capas aqui do Brasil - essa, em particular, fala muito da história da Essie e da Roa e combina demais com todas as emoções que o livro vai passar!

A Rainha Aprisionada é uma sequência espetacular - tenha você gostado ou não do primeiro volume, é o tipo de livro que vale a pena ler; a narrativa te fisga e não te solta e você vai rir e se emocionar com a coragem dessa rainha estrangeira.

site: http://www.queriaestarlendo.com.br/2019/05/resenha-rainha-aprisionada_31.html
Debora.Marinho 02/06/2019minha estante
Acabei de ler o primeiro volume e fiquei um pouco triste em saber que o 2° foca em outros personagens :(
Mesmo amando a criação de um novo mundo de fantasia, me apego demais aos personagens e tenho dificuldade de cortar os laços com eles e já acompanhar outros no mesmo mundo.
Pensei que o 2° livro ainda seria sobre Asha, tendo em vista a descoberta que ela faz sobre si mesma no final do 1°


Queria Estar Lendo 03/06/2019minha estante
Oi, Debora! Pessoalmente, eu amei essa escolha da autora porque dá mais liberdade e expande o universo que ela estabeleceu. O fato de ela mostrar mais sobre os povos nativos, quem salvou a guerra realmente, é genial. E o desenvolvimento é consequência do primeiro livro, então é uma continuação direta bem entrelaçada - que resolve pontos como esse da Asha, porque ela aparece e tem bastante importância. Só não tem o foco porque a história dela já foi contada.


Debora.Marinho 03/06/2019minha estante
Não vou negar a importância de falar sobre os nativos, ainda mais pela história deles e queria sim conhecer mais a Roa, pq ela parece ser maravilhosa demais.
Mas tb não nego que vou sentir falta da Asha e do Torwin hehe
E eu realmente pensei que por terem dito que ela ia unir o reino, ela ainda seria importante para a trama.
Será que terão mais livros que vão intercalando de personagens?




ingrid 03/11/2020

Minha opinião
"Todo aquele tempo, o murmúrio brilhava quente dentro de Roa. Dizendo a ela que Essie estava próxima. Que a ligação que compartilhavam sempre estaria ali, quer Essie fosse uma presença física ou não. Quer estivesse viva ou não. Porque era exatamente como Dax dissera. O amor resistia a tudo. Até à morte. Especialmente à morte."

Firgaard foi governada durante décadas por um rei tirano e manipulador, capaz de condenar povos inteiros apenas para aumentar seu poder.

Depois de uma grande batalha, Asha, sua filha, conseguiu derrotá-lo. E, assim, Dax, o primogênito, assumiu o poder ao lado de Roa, sua esposa. Roa é uma forasteira vinda das savanas ― um território sob o domínio de Firgaard, que há anos é oprimido e está prestes a entrar em colapso.

O maior desejo da nova rainha é mudar a vida de seu povo. O que ela não esperava era encontrar uma chance de alterar o curso do destino e trazer de volta à vida sua irmã gêmea, Essie, morta quando criança em um acidente. O único obstáculo? O novo e inconsequente rei.

O seu desleal marido.

O charmoso Dax.

Quando o companheiro não se apressa a cumprir o que prometeu, e continua frequentando a cama de outras mulheres, tramar contra ele parece uma alternativa muito interessante.

Mas será que tudo é mesmo o que parece?

Eu gostei deste livro mais do que esperava. Antes de lê-lo, li uma resenha bem negativa e fiquei cheia de medo de não gostar também. Fico feliz que minha experiência tenha sido ótima, gostei pra caramba. A escrita da Kristen continua aquela mesma coisa gostosinha de acompanhar.

Sobre Roa, às vezes eu quis sacudi-la por causa de sua obsessão pela irmã. Mas na maior parte do tempo eu me simpatizei com ela. Dax teve um desenvolvimento brilhante, a autora sobre trabalhar muito bem com o trajeto dele. Eu nunca desconfiei de você, Dax. Nunquinha!

Foi uma excelente experiência de leitura. Não tão emocionante como "A Caçadora de Dragões", mas tão encantadora quanto. Espero conferir o último volume em breve.
comentários(0)comente



spoiler visualizar
comentários(0)comente



Alwany Marchon 10/01/2021

"[...] Nunca subestime um tolo."
"- Quer saber a terceira regra de deuses e monstros? [...] Nunca subestime um tolo."

De primeira fiquei decepcionada porque honestamente, não queria saber da Roa, eu queria mais da Asha.
No primeiro livro da trilogia eu gostei de tudo já nesse segundo nem tudo foram flores, a trama foi boa mas foi muito arrastada apesar de eu ter terminado no mesmo dia que comecei. Achei várias partes muito chatas que me decepcionaram bastante, acrescentando a minha decepção com o Dax mas isso mudou durante o livro. Demorei a me apegar a Roa, e ouso isso dizer que não me apeguei 100%.
No entanto, gostei de conhecer mais dos personagens e me vi surpresa com algumas coisas, achei a história por traz da irmã da personagem principal, foi intrigante.
Falando sobre o casal, gostei dessa coisa da "má" reputação do cara e da garota só suportar ele porque durante a história podemos ver que o amor foi florescendo e crescendo mais e mais, achei melhor que o casal do livro anterior.
O plot do final foi emocionante e surpreendente, me deixou surpresa de verdade. Na minha opinião, não é tão bom quanto o primeiro livro mas vale a pena ler.
comentários(0)comente



Paraíso das Ideias 22/06/2020

A
pós toda a revolução do primeiro volume e a queda do reino tirano de Firgaard, iniciamos nosso segundo volume com alterações de grande importância no nosso enredo. Começando pelo fato de que Dax é o novo Rei e Roa, a nativa que teve grande participação no primeiro volume é a nossa protagonista. Desde já se percebe que a autora mudou o enfoque, ou seja, veremos muito pouco de Asha e os dragões nesse volume. Nossa Iskari é uma foragida, afinal ela matou seu pai o antigo rei, quebrando as leis de sua terra.

Roa não é bem-vinda em Firgaard e nem bem vista por seus súditos, mas ela não está preocupada com isso, não foi por eles que ela aceitou a união com Dax e sim por seu povo que vive em extrema miséria há anos, se unir com o Rei foi um meio para enfim trazer de volta a paz para seu povo, mas antes que isso enfim aconteça muitas águas rolarão.

Apesar de querer salvar seu povo existe algo que a rainha deseja com muito mais fervor... trazer de volta sua irmã gêmea. Essie faleceu em um acidente envolvendo Dax, e Roa acredita piamente que a morte da sua irmã é culpa do Rei, e agora seus objetivos podem mudar, fazendo a Rainha trair seu Rei para ter sua irmã de volta.

ー Diga que você é meu ー Roa sussurrou, olhando para ele. ー Ou não vou te aceitar.Ele inclinou a cabeça para trás, erguendo os olhos para ela.ー De quem mais eu seria?

Nesse segundo volume conheceremos mais do povo nativo e saberemos em que situação se encontra o reino após a queda do tirano, de quebra novos personagens serão incluídos na saga além de mudar o foco trazendo a luz os coadjuvantes do primeiro volume.

Apesar de ser uma personagem forte e determinada, isso não ajuda Roa a abrir os olhos e ser sensata de forma alguma, o que me causou grande irritação e uma vontade imensa de dar uns sacodes nela. A todo momento ela se contradiz, e sua imaginação é tão fértil que chega a ser cansativa. Ela passa 90% do livro conjecturando e imaginando o quanto seu marido é devasso e a envergonha, mas em nenhum momento se dá o trabalho de enfrentá-lo e colocar as coisas às claras, o que me faz pensar como alguém consegue viver assim sem enlouquecer...

Eu senti muita falta de Asha e Torwin, e apesar de revê-los em alguns momentos, nem de longe foi o suficiente para apaziguar minha saudade. Apesar de toda sua determinação e altruísmo Roa é uma personagem cansativa, e o fato dela não enxergar o que o leitor enxerga é irritante.

Dax é um doce a todo momento, e apesar de parecer ser um Rei omisso, ele é muito mais esperto e sagaz do que demonstra, e no final é surpreendente perceber que quem ensinou Dax a ser como é foi Roa.


A conversa silenciosa das duas de repente foi interrompida pelos roncos de alguém.(…) aquele era o rei-dragão. Dormindo em uma reunião importante.Roa sacrificara tudo por aquele… desperdício.

A história não chega a ser péssima, mas nem de longe me deixou tão eufórica quanto o primeiro volume, e o que me manteve presa foi sem dúvida a parte cultural dos nativos, e o fato de quê Dax já havia me conquistado no primeiro volume e apesar de ter me causado ira no final do primeiro se revelou o Rei que eu esperava que ele se tornasse.

Agora só me resta esperar e rezar para que no terceiro volume Roa venha mais madura e perspicaz e que Asha e Torwin tenham um pouco mais de cenas, já que ele vai contar a história de outro casal.


site: https://www.paraisodasideias.com
comentários(0)comente



AndyinhA 22/04/2020

Trecho de resenha do blog MON PETIT POISON

Vou ser bem sincera aqui, o que não gostei foi a troca de personagens, eu adorava Asha e sua personalidade e o lance com os dragões. E aqui, a história mudou totalmente de rumo para algo mais romantiquinho e o casal principal não tinha aquela química toda.

Quando a gente vem de um primeiro livro com lutas, um girl power e muita aventura e ideias, é bem chato você ler um segundo livro tão fraco e relativamente chato, eu teria trocado a posição, apresentando esse como 1 da série e o anterior como segundo. O livro tem muitas idas e voltas para tentar explicar a situação dos dois (Roa e Dax) e a sensação que passa é que parece um grande drama ‘ele-me-ama-ou-não?’

Para saber mais, acesse:

site: http://www.monpetitpoison.com/2020/04/PrisioneiraPoison.html
comentários(0)comente



julia 04/07/2020

Resenha: A Rainha Aprisionada
A Rainha Aprisionada tem um começo promissor? Eu tava bem interessana na Roa como personagens e na dinâmica do casamento dela com o Daz quando eu comecei a ler, já que eu esperava bastante intriga política, mas... isso não foi o que aconteceu. Eu diria que 90% do livro é a Roa pensando que ela é a pessoa mais inteligente do livro enquanto ela toma decisões sem sentido e estúpidas.

A escrita é bem fácil de ler e flui bem que nem no livro anterior. As passagens entre capítulos que ajudam a desenvolver o universo também são bem legais e minha parte favorita do livro. O problema é que o ritmo é muito devagar e quase nada acontece ao longo da história.

Os conflitos explorados em A Rainha Aprisionada são: o triângulo amoroso e uma traição que não dá em nada. A Roa passa grande parte do livro ou preocupada com o relacionamento dela com o Dax ou preocupada com o que uma deicisão dela vai fazer com o relacionamento dela com o Dax. A intriga política não é uma grande parte da história como eu esperava que fosse.

Leitura decepcionante.
comentários(0)comente



spoiler visualizar
comentários(0)comente



Helena_ 09/06/2020

Minha estrela
Talvez eu tenha pegado um pouco de ranço pela Roa, e além do fato dela ser uma péssima jogadora nesse jogo da corte.
Mais gente , o Dax é um homão, se a Roa não quisesse ele óbvio que eu seria a primeira da fila.
Aliás eu gostei muito da Safire e fiquei ansiosa para ler o próximo livro que será centrado nela
comentários(0)comente



66 encontrados | exibindo 1 a 16
1 | 2 | 3 | 4 | 5