Dom Casmurro: em Quadrinhos

Dom Casmurro: em Quadrinhos Alex Mir




Resenhas -


3 encontrados | exibindo 1 a 3


Diane 01/09/2019

Traiu ou não traiu?
Um dos maiores clássicos da literatura brasileira em quadrinhos. Narra a história de Bentinho e seu amor doentio pela mulher dos olhos de cigana oblíqua e dissimulada. Ele vive um romance com Capitu desde a juventude, mas após se casarem, ele acredita que sua amada vive um romance secreto com seu melhor amigo, o Escobar. Mas ai vem a genialidade da narrativa: será que Capitu é mesmo uma adúltera, ou é tudo fruto da imaginação de Bentinho?

O livro é um dos meus favoritos da literatura nacional, mas confesso que a versão em quadrinhos tirou um pouco da essência da narrativa. Primeiro, porque deixa tudo muito resumido, e depois, que os desenhos fortalecem os argumentos de Bentinho, já que o filho de ambos, realmente é a cara do Escobar. Confesso que ainda tenho minhas dúvidas quanto a essa traição, mas essa versão em quadrinhos ajuda a fortalecer o adultério de Capitu.
comentários(0)comente



Andrômeda Messier 07/08/2019

Capitu traiu Bentinho?
Mesmo que nunca tenha lido Dom Casmurro já ouviu falar desse clássico acompanhado da famosa e intrigante pergunta, Capitu traiu Bentinho?

Dom Casmurro é considerado pela crítica o terceiro romance da “Trilogia Realista” de Machado de Assis. O romance foi escrito pelo personagem Bento Santiago que decidiu “atar as duas pontas da vida” com memórias da sua infância até os dias em que está escrevendo o livro que ele intitulou Dom Casmurro, nome que ele mesmo é chamado por alguns amigos. Não se apressem em pesquisar o porquê deste nome, o próprio Bento Santiago nos explica no primeiro capitulo:

Não consultes dicionários. Casmurro não está aqui no sentido que eles lhe dão, mas no que lhe pôs o vulgo de homem calado e metido consigo. Dom veio por ironia, para atribuir-me fumos de fidalgo.

Bento Santiago conviveu com a promessa feita pela mãe de enviar o filho ao sacerdócio, promessa que se tornou difícil de conviver quando Bentinho começa a nutrir sentimentos por Capitu que o ajuda a encontrar uma maneira de contornar essa promessa. E o nosso personagem desesperado continua a sua busca por ajuda.

Inevitavelmente Bentinho é enviado ao seminário, deixando no Engenho Novo, a casa em que foi criado “na antiga R. de Matacavalos” (hoje Riachuelo), uma paixão por Capitu que jura esperar por ele para então um dia se casarem.

No seminário Bentinho conhece Escobar e se tornam amigos. Ele narra seus momentos vividos e visitas ao lar enquanto José Dias o “agregado” da família se encarrega da missão de tirá-lo do seminário.

Aos poucos é perceptível o ciúme doentio de Bentinho e a sua insegurança ao perceber a mulher que Capitu vem se tornando, são diversas as vezes que podemos perceber os ataques de inseguranças e ciúmes, assim como no trecho:

“Capitu era Capitu, isto é, uma criatura mui particular, mais mulher do que eu era homem”

Ele se via atado diante da mulher de “olhos de ressaca” ou “olhos de cigana oblíqua e dissimulada”. Como ele mesmo disse em outras palavras considerava Capitu, muita areia para o seu caminhãozinho.

A sua saída do seminário finalmente é confirmada ainda permanecendo a amizade com Escobar que se casa com Sancha melhor amiga de Capitu. Bentinho entra para a faculdade de direito, retorna para casa e se casa com sua paixão que o esperava. É a partir deste momento que começa os relatos do inicio da desconfiança de Bento que pode ou não responder a pergunta do inicio, Capitu traiu Bentinho?

Os casais Escobar e Sancha, Capitu e Bentinho andam sempre juntos, ambos tiveram filhos, o primeiro uma menina batizada de Capitolina e o segundo um menino batizado de Ezequiel.

Em um determinado ponto Bento Gonçalves começa a acreditar que a sua amada esposa e o seu melhor amigo o traiu, desconfiando da paternidade do seu filho Ezequiel.

Quis o destino que acabassem juntando-se e enganando-me…

Vale ressaltar que conhecemos apenas o ponto de vista do Bentinho, um advogado casmurro (fechado em si mesmo, teimoso, obstinado, carrancudo) que sabe usar os fatos e palavras a seu favor.

Descubra o qual a resposta correta e me conte. E apenas para te deixar um pouco mais alerta em relação a Bentinho, vou deixar um trecho final:

Não, não, a minha memória não é boa. Ao contrário, é comparável a alguém que tivesse vivido por hospedarias, sem guardar delas nem caras nem nomes, e somente raras circunstancias. A quem passe a vida na mesma casa de família, com os seus eternos móveis e costumes, pessoas e afeições, é que se lhe grava tudo pela continuidade e repetição.



site: https://wordpress.com/view/folheandosentimentos.home.blog
Hév 08/08/2019minha estante
Tive exatamente a mesma experiência que você quando li a primeira e segunda vez. Hoje acho Bentinho surtadíssimo e não choca ninguém, hahaha


Andrômeda Messier 08/08/2019minha estante
A maioria defende o Bentinho, porém era isso que ele queria, nos fazer aprofundar na sua loucura.




DaniM 07/04/2019

Dom Casmurro em quadrinhos
Não é porque o formato é em quadrinhos, que os personagens precisam perder a densidade e profundidade. Existe um sem número de quadrinhos no mercado que provam esse ponto. Além de superficial, esses quadrinhos são confusos até pra quem já sabe de cor a história de Bentinho, Capitu e Escobar. Enfim, acho que Machado merecia mais, bem mais.
comentários(0)comente



3 encontrados | exibindo 1 a 3