Mister

Mister E.L. James




Resenhas - The Mister


34 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2 | 3


Flávia HBS 10/08/2019

Mais ou menos
Excesso de melosidade deixa enjoativo... Fica repetitivo. Podia ter mais história e menos "ela é perfeita, ela é demais, meu pau reage"... História mesmo só no final
Jeniffer.Rufino 14/08/2019minha estante
Vdd




Iza 10/08/2019

Mister
Fantástico, quero a sequência já !!!!!
comentários(0)comente



Glaucia @blogmaisquelivros 08/08/2019

Maxim Trevelyan tem 28 anos, é inglês, rico e de beleza excepcional. Nascido em uma família nobre, ele nunca precisou trabalhar e nem se esforçar para garantir companhia. Suas preocupações eram tão somente com seus hobbies, dentre eles fotografia e música. Mas tudo muda com a morte precoce de seu irmão Kit, o primogênito e herdeiro dos Trevelyan. Com a tragédia, Maxim precisa assumir o controle dos negócios da família, as propriedades e o título que vem com ele, tornando-se o 13° Conde de Trevethick.

Aos 23 anos, Alessia Demachi fugiu de seu país, de sua família e do destino que lhe foi imposto. Sua chegada à Inglaterra foi conturbada, mas não o suficiente para ofuscar a esperança de um futuro melhor. Com muito esforço e perseverança, ela tenta refazer a vida juntando o pouco que ganha nas faxinas diárias e mantendo um padrão de vida simples e sem conforto. Até que seu caminho se cruza com o de Maxim.

Para Maxim, se distanciar da liberdade que antes possuía para dar conta do império Trevethick parece um pesadelo, ele não estava preparada para assumir esse papel. Mas sua vida toma um novo rumo quando conhece a doce e tímida Alessia, sua nova diarista. Ele não sabe muito sobre a moça, mas sente-se atraído e encantado imediatamente. Por isso quando a vida de Alessia fica em apuros, Maxim não pensa duas vezes antes de largar tudo e leva-la para a proteção da Cornualha. E, é nesse cenário rural encantador que eles viverão uma paixão intensa e sem reservas.
⠀⠀
📖Quero voltar para Londres. Quero voltar para perto dela. Meus pensamentos insistem em focar na minha doce diarista, com seus olhos escuros, seu rosto lindo e um talento musical extraordinário.

Depois de me apaixonar por Grey e Anastasia, não esperava menos de Maxim e Alessia. Porém acredito que as grandes expectativas possam ter influenciado na minha experiência com essa leitura. Assim como em 50 tons, temos o mocinho que não se apega a relacionamentos e a mocinha frágil que precisa ser resgatada. A diferença é que Maxin não possui traumas do passado e Alessia nasceu em um país com toda uma cultura machista e extremista.

A construção do romance não me convenceu e nem me arrebatou, senti falta de profundidade no desenvolvimento da confiança e dos sentimentos dos personagens. Alessia e Maxim se apaixonam instantaneamente e talvez esse seja um importante indício para tanta insegurança na relação. Ela sempre se achando inferior e ele escondendo sua origem e riqueza por medo de segundas intenções. Minha sensação durante a leitura foi que a escrita de E L James regrediu nesse romance e a autora se perdeu inserindo detalhes desnecessários na trama, o que só contribuiu para tornar a narrativa mais maçante.
Embora previsível, Mister também possui seus pontos positivos, tais como as referências e cultura na Albânia, o tráfico de mulheres e a abordagem da nobreza em um romance contemporâneo. A história deixa muitas pontas soltas, então acredito que possamos ter uma continuação em breve.

site: https://www.instagram.com/p/BzG0XXMD8jl/
comentários(0)comente



Ana.Oliveira 02/08/2019

Quente em muitos sentidos
Bom, esse livro foi muito mais do que eu estava esperando, tem aquela pitada sexy e hot característico da escrita da autora, mas surpreendente romântico, é um livro repleto de reviravoltas, os personagens estão sempre lutando para se encontrar e ser quem eles realmente querem ser, é um livro que te leva a conhecer novos costumes e tabus (Albânia) e como uma jovem pobre e talentosa pode conquintar o coração do devasso conde, que surpreendente é um romântico que faz com que vc se apaixone por ele tbm.
gostei muito, super envolvente.
comentários(0)comente



Gaby 27/07/2019

Mister
Maravilhoso, me apaixonei, quero continuação urgente.
comentários(0)comente



Balbie 22/07/2019

Esperava mais.
Maxim é o típico playboy que nunca se apaixonou e que tem sexo disponível sempre que tem vontade, com a ajuda da sua boa aparência. E agora ele é um duque. Não que fosse sua vontade, mas a morte repentina de seu irmão deixou como herança o ducado, assim como a fortuna e suas propriedades.

Alessia, por sua vez, é uma menina inteligente, adora música - principalmente clássica, as quais toca no piano, mas tem sua vida marcada por uma mudança brusca. Ela fugiu das opressões da Albânia e veio morar em Londres, onde trabalha como diarista. É assim que ela começa a atender o senhor Maxim ou Mister, como ela o chama.

O primeiro encontro dos dois foi arrebatador, pelo menos para Maxim, que se viu fascinado pela bela moça de cabelos e olhos escuros, de corpo magro e alto. Mas seria loucura se envolver como uma mulher de uma classe social tão diferente, ainda mais com ela sendo sua empregada.

Mesmo assim, ele não conseguia tirá-la da cabeça. Ainda mais quando via sua vida difícil, suas roupas e sapatos sempre surrados. Ela nem falava inglês fluente. Maxim nunca ligou muito para a situação dos outros, mas ela despertava algo nele. Ele queria a todo custo ajudá-la, tornar sua vida melhor.

Alessia era feliz na Inglaterra, longe de tudo que podia lhe fazer mal, mesmo não tendo um grande conforto em sua nova vida. Qualquer coisa era melhor do que a vida que levava em seu país natal. Mas tudo se complica quando seu passado volta com toda força atrás dela, demandando suas obrigações.

Quando Maxim percebe que Alessia vive um perigo constante, ele se sente obrigado à ajudá-la, mal sabendo onde estava se metendo e o que iria enfrentar.

Acho que a expectativa em cima desse livro era grande, devido ao grande sucesso da trilogia “50 tons de cinza”, mas ele não funcionou pra mim.

No começo, já torci o nariz. É a mesma narrativa do suposto mocinho, um homem lindo, maravilhoso, bom de cama, rico e que nunca havia amado e se apaixona à primeira vista. Não que isso não aconteça, eu sei que sim, mas é uma coisa meio cansativa quando se repete pela milésima vez.

A escrita da autora me incomodou muito. Em partes é o Maxim falando em primeira pessoa, enquanto mostra o que acontece com a Alessia em terceira. Tudo no mesmo capítulo. Ficou estranho demais. Fora que a Alessia não é nem um pouco carismática, chegando a ser até um pouco boba. Até o fato dela ficar chamando ele toda hora de Mister é meio chato.

Maxim também não tem simpatia. Mas pelo menos uma coisa me agradou: ele não é um homem possessivo, ciumento e controlador como era o Christian Grey. Ponto para Maxim.

Outra coisa positiva é que não teve tanta descrição de cenas com sexo como na trilogia passada da autora. Mas eles formaram um casal sem química e que pra mim não deu certo.

Quanto a história em si, achei bem sem graça e corrida. Parece que a autora tentou colocar um pouco de ação e mistério, mas acabou não funcionando.

A verdade é, eu não gostei muito do livro. Esperava um pouco mais, ainda mais sendo lançado tanto tempo depois da trilogia 50 tons.

site: https://www.facebook.com/memoriasdeumabiblioteca/
Dea 22/07/2019minha estante
Tema interessante, escrita e pesquisa fraca. Pra mim também não rolou. Levou duas estrelas pelo tema.


Balbie 22/07/2019minha estante
Sim, penso da mesma forma, pra mim também não deu certo, não gostei dos personagens, não achei que tinham química nem carisma, e também a escrita da autora estava perdida demais, ela não conseguiu passar o que queria.


Lu Bandeira 25/07/2019minha estante
Ainda estou lendo, e a escrita também tem me incomodado bastante. As vezes não dá para saber de pronto de quem é o ponto de vista.




Laura Brand 22/07/2019

Nostalgia Cinza
Depois do sucesso estrondoso de 50 Tons de Cinza, E.L. James retorna ao mercado editorial com mais um romance picante que promete ser arrebatador: Mister. O livro já está dividindo opiniões e promete causar mais polêmicas dignas de E.L. James.
Quando se tem em mãos um livro de uma autora que vendeu mais de 150 milhões de exemplares no mundo todo, é inegável criar uma certa expectativa, ainda mais tendo sido lançado após um hiato de alguns anos. Espera-se que a autora tenha desenvolvido sua escrita, aprendido com a experiência e lapidado características que a tornaram famosa. Confesso que estava muito ansiosa para conferir a leitura de Mister porque, quando li 50 Tons de Cinza, tive alguns problemas com os livros, principalmente no que diz respeito à personalidade dos protagonistas e à escrita da autora.
Mister promete ser um conto de fadas moderno, com características de Cinderella ao apresentar uma protagonista inexperiente e sem recursos, que se apaixona por um homem da realeza que promete ser seu salvador, praticamente um príncipe encantado e perfeito. O mocinho, por sua vez, se apresenta como um homem perturbado que precisa de uma mulher para consolá-lo e torná-lo alguém melhor.
Foi interessante notar como a autora tinha uma clara preocupação em não deixar o enredo tão superficial, buscando pegar assuntos mais densos para servir de pano de fundo da história. Ela fala sobre o tráfico de pessoas e, a princípio, pensei que ela poderia aprofundar um pouco mais para dar mais densidade à narrativa, mas infelizmente, E.L. James mantém o romance como o principal, deixando de lado grande partes das características que poderiam dar um toque de realidade ao livro.
Acredito que a autora tenha perdido uma ótima oportunidade de explorar o choque cultural dos personagens e até mesmo trabalhar melhor os cenários onde se passam diversas cenas do livro.
Mister não inova no enredo, na construção de personagens, no desenvolvimento da história, nas reviravoltas. E.L. James se baseia em todos os clichês de romances: mulher virgem e inocente, homem garanhão em busca de redenção, vilões atrás da mocinha e o mocinho com a missão de salvá-la.
Diversas vezes senti que, logo quando o livro me surpreendia e parecia ficar mais promissor e, principalmente, inteligente, as expectativas eram derrubadas e precisei levar em conta que provavelmente seria apenas mais um romance com muitas cenas de sexo e reviravoltas pouco críveis de acordo com o contexto.
A autora também peca no exagero nas cenas de sexo o que, mesmo sendo parte do propósito do livro, acaba tornando a leitura mais do mesmo até que algo aconteça na narrativa. Esperava-se que essas cenas fossem bem presentes porque, afinal, fazem parte do gênero e da premissa do livro, ainda mais levando o nome de E.L. James na capa. Entretanto, principalmente no meio do livro, todas as cenas tornam-se absolutamente excessivas e repetitivas. Acredito que existem livros do gênero que são voltados quase que totalmente para o envolvimento sexual dos protagonistas, mas que não pecam pelo excesso, buscando acrescentar algo novo a cada cena, o que não acontece em Mister.
Algo que me incomodou nas partes narradas por ele é o nível de autocrítica que a autora atribui ao protagonista. Os pensamentos não condizem com as ações e não faz sentido ele ter ciência de alguns detalhes e fazer reflexões que um narrador onisciente faria. Não entendi a escolha da autora se, quando o foco está em Alissia, a narração é em terceira pessoa. A narrativa ganharia um peso muito melhor se tivesse um padrão. Não faz sentido alternar entre primeira e terceira pessoa dessa forma, ainda mais levando em consideração que nenhum dos pontos de vista foi explorado em profundidade. Fiquei com a impressão de que ali havia uma tentativa de minimizar as críticas ao protagonista (que foram bem duras com o galã de 50 Tons de Cinza) ao colocá-lo como autocrítico e ciente de seus próprios demônios.
Além disso, me incomodou bastante a forma como ao mesmo tempo em que ela faz os personagens darem uma importância desproporcional para detalhes que seriam, em outras narrativas, insignificante, eles agem com naturalidade em momentos em que essa atitude não caberia. Em meio a um dos momentos mais dramáticos do livro, por exemplo, o protagonista se diverte turistando e tirando fotos de paisagens.
Mister termina com muitas pontas soltas, o que dá a entender que terá uma ou mais continuações. Continuo com vontade de conferir o que E.L. James reserva para os próximos títulos, na esperança que ela possa se preocupar mais com o desenvolvimento dos personagens, trabalhe mais no enredo e na condução da narrativa. Como fã de romances, não canso de dar uma chance para uma história de amor, só espero que possamos encontrar narrativas mais envolventes e bem-escritas nos próximos trabalhos de E.L. James.
A escrita de E.L. James melhora razoavelmente se compararmos Mister com os livros de 50 Tons, que lhe deram fama. Apesar de ainda ter muitos diálogos, a narrativa conta com mais descrições e uma tentativa maior de criar um enredo com princípio, meio e fim. Também percebe-se uma preocupação maior em relação às atitudes dos personagens, principalmente do protagonista masculino. Ao contrário de 50 Tons, em Mister a autora se esforça para justificar pensamentos e atitudes do personagem, tentando criar uma identificação para com o leitor. É possível observar uma evolução nesse sentido, entretanto, não funciona sempre.
É um livro bem rápido de ler, muito semelhante a diversos outros títulos com o mesmo propósito, então muitos fãs de romances encontrarão conforto na história de E.L. James, mesmo não sendo o melhor exemplo de livro do gênero.


site: https://www.nostalgiacinza.com.br/2019/07/resenha-mister.html
comentários(0)comente



spoiler visualizar
comentários(0)comente



Vanessa @LarLiterario 21/07/2019

Mais do mesmo.
Maxim Trevelyan está de luto pela morte do irmão mais velho, Kit. Agora ele herdou todo o patrimônio da família e com ele uma série de responsabilidades da qual ele havia feito de tudo para fugir.


Em meio ao caos que sua vida se tornou depois da tragédia, ele percebe que há uma nova diarista em seu apartamento e se surpreende por ficar atraído por ela. Intrigado, ele tenta se aproximar e percebe que a garota tem um passado um tanto quanto complicado.


Linda, tímida e misteriosa, Alessia vai atrair a atenção do seu chefe e se tornar alguém que ele jamais pensou um dia fosse encontrar.


Se eu pudesse definir esse livro numa frase seria: mais do mesmo. Não foi nenhuma surpresa pra mim, encontrar nesse livro o clichê de garota ingênua e virgem que precisa ser salva por um príncipe num cavalo branco, no caso, o Mister.


Eu esperava pelo menos um desenvolvimento da história e não encontrei. O livro começa lento e a autora só consegue colocar um clímax à narrativa pra lá da metade do livro.


Esse ponto chave só serviu pra dar início a um "romance", que não chega nem mesmo a ser crível de tão rápido que acontece. Apenas uma desculpa pra ter várias cenas de sexo desnecessárias.


Quanto aos personagens e ambientação do livro achei muito mal trabalhados. Alessia é albanesa, e isso é deixado claro várias vezes, mas o contexto histórico é muito raso. Ela passou por muita coisa e mesmo assim a história foca mais na riqueza do Maxim do que no que aconteceu com Alessia.


É importante frisar que, o que aconteceu à personagem, poderia ser muito bem explorado, mas eu senti que foi só usado como desculpa para ela ser "frágil".

Enfim, terminou do nada e cheio de pontas soltas. O que me leva a crer que é possível um segundo livro, mas eu, sinceramente, não o leria.

site: https://www.instagram.com/larliterario/
comentários(0)comente



Rodrigo 20/07/2019

Mister é o livro mais recente lançado por E.L. James, a mesma autora de Cinquenta Tons de Cinza. E o primeiro ?fora? do universo de Cinquenta Tons, fora pero no mucho uma vez que Maxim é um Trevelyan, o nome do meio de Grey. Ou seja deve ser um parente distante de Christian. Se Mister for uma série pode apostar que em breve terão notícias dos Grey?s.

Mais do que curioso pelo primeiro livro sem ter foco em Christian Grey. Estava curioso pra saber como seria retratado o romance no livro, já que a autora foi muito criticada por romantizar relacionamentos abusivos nos livros anteriores e tentou passar um pano pro Grey nos livros com o ponto de vista dele que obviamente não surtiu muito efeito.

Se você espera um livro parecido com Cinquenta Tons, a base é quase a mesma. Cara podre de rico que pode ter a mulher que quiser, mas se apaixona a primeira vista pela mocinha pobre, ingênua e... virgem! Tem até um quarto proibido (que por sinal achei uma ótima sacada da autora). Agora se você espera um Christian Grey vai se decepcionar um pouco. Tirando o fato de ser rico, Maxim é o oposto de Grey. Enquanto Christian meio que hitava sem prometer, Maxim promete muito, se cumpre tudo vai de você. Maxim é DJ, músico, modelo e acabou de se tornar conde. Que parece ser a única coisa na qual ele não seja capaz de fazer. Ele não tem um background de vida misterioso e sofrido como de Christian, já Alessia é o mistério em pessoa.

A parte policial é tão forçada quando Jack Hyde invadir o prédio de Grey. Isso continua sendo o calcanhar de Aquiles da autora e não melhorou nada. E quando Alessia começa a falar sobre a Albânia, os diálogos ficam parecendo que foram escritos pelos roteiristas do telecurso 2000 de tão didáticos e automáticos que ficam.

O livro não flui bem e a escrita é toda travada. E as partes da Alessia serem narradas em terceira pessoa não ajuda muito. A impressão que eu tinha é de ler 50 páginas e quando via tinha lido 10. Alguma coisa mesmo só vai acontecer lá no meio do livro e várias delas nem tem conclusão.
comentários(0)comente



Paula 20/07/2019

Uma boa distração
"Mister" é um livro que gira em torno do romance entre Alessia e Maxim. Ela, uma garota albanesa, que está em Londres de forma ilegal e com um passado bastante turbulento. Ele, um homem nascido em berço de ouro, que só pensa com a cabeça de baixo e que recentemente herdou o título da família, suas propriedades e todas as responsabilidades que vem com ela.

Não há muito mais o que dizer da história além do fato de que o envolvimento entre os dois acontece pois Alessia é a "nova" diarista de Maxim e logo ele se vê encantado pela garota. o passado dela volta à tona para assombrá-la e a única pessoa que pode ajudá-la é ele.

Há algumas semelhanças entre "Mister" e a trilogia "Cinquenta tons", isso é fato. Primeiramente pelo cara ser rico, poderoso e sexualmente mais experiente, ao passo em que ela é inocente, assustada e se apaixona perdidamente por ele com rapidez.

Tá aí um ponto negativo (na minha humilde opinião). O romance entre os dois acontece de forma quase instantânea, a atração entre eles é palpável e até aí tudo bem. Mas o mais estranho é como eles descobrem em questão de dias - DIAS - que estão completamente apaixonados um pelo outro, gerando loucuras pela pare de Maxim para ir atrás de uma garota que ele mal conhece. Achei um pouco falho isso aí.

No mais, acabei dando 4 estrelas por uma questão pessoal de: cenas de ação. O livro é repleto delas, e eu sou fã de carteirinha de momentos assim. Se elas não existissem no livro, teria dado uma estrela a menos.

No geral a história se desenrola bem. Quando começa a ficar cansativo as cenas de ação acontecem pra dar mais um engate na leitura. As cenas de sexo entre os personagens principais são descritivas mas não há uma quantidade exorbitante como em "Cinquenta tons". Para mim foram legais.

Enfim, não foi nem a melhor nem a pior leitura que eu já realizei. Foi uma boa distração e eu espero que a continuação (porque com certeza haverá uma continuação, afinal, ficaram muitas pontas soltas) seja melhor.
comentários(0)comente



Book.Obsession 17/07/2019

Sabe quando vamos com sede e expectativas demais em uma leitura a possibilidade de nos decepcionarmos é enorme.

O enredo não é de todo ruim. Achei interessante, como por exemplo, a autora abordar temas como crimes contra mulheres. O cenário também é bonito e encantador.
Porém faltou profundidade nos personagens, aquela entrega que nos motiva a não querer largar a leitura quando um capítulo termina. Tudo aconteceu rápido demais, deixando o romance raso e o casal não me causou empatia.
Outra coisa que dificultou meu envolvimento com a leitura, foi a narrativa que é realizada em dois momentos, 1ª e 3ª pessoa.
Lógico que não estava esperando personagens iguais Cinquenta Tons, mas ao final dessa jornada começo me questionar se a autora é mais um daqueles fenômenos de um livro somente. Sinceramente, espero que não, mas se tiver continuação devido as pontas soltas que a trama deixou, provavelmente irei realizar a leitura com muita cautela. Precisará reviravoltas bem melhores para conseguir me conquistar. Mas é a minha opinião né, indico que faça sua leitura e tire suas conclusões, afinal o que não me agradou pode ser o favorito de outro leitor.


Resenha completa no blog.

site: https://www.bookobsessionblog.com/2019/07/resenha-mister-el-james-editora.html
comentários(0)comente



Jeh 14/07/2019

Mister
A história não me conquistou totalmente. Infelizmente esse livro foi 50 tons de bege para mim. Meu preferido da autora ainda é a trilogia 50 tons de cinza que eu amo.
comentários(0)comente



Cristiane 10/07/2019

Muito diferente de 50 Tons
Alessia é uma jovem imigrante Albanesa, trabalhando como diarista em Londres, na casa de Maxim Trevelyan, um lorde que acabou de herdar um título de Conde com a morte do irmão em um acidente.
Ela é tímida, calada, linda e sedutora (sem fazer esforço algum para isso).
Ele, um mulherengo, playboy, que nunca precisou se preocupar com nada na vida, a não ser quem seria a próxima mulher a ocupar a sua cama à noite.
Quando os dois se encontram, não conseguem controlar os acontecimentos que irão alterar a vida de ambos.
.
Engana-se quem espera encontrar neste livro, algo semelhante a 50 Tons (Trilogia consagrada da autora).
É um livro muito mais leve, em todos os sentidos, seja no enredo principal ou nas cenas de sexo (afinal, é um livro classificado com hot).
Está mais para um conto de fadas moderno (apesar de não ter nenhuma fada madrinha) com um toque de hot.
Na minha opinião, no meio do livro existem trechos totalmente desnecessários, que poderiam ser excluídos (e o livro poderia perder umas 100 páginas) sem que se perdesse nada no enredo a não ser cenas de sexo.
Gostei do livro, mas não amei.
E pelos acontecimentos, acredito que poderá ter uma continuação, pois ficaram algumas pontas soltas.
comentários(0)comente



Eylane 10/07/2019

Esperei mais!
Esperava bem mais desse livro. A história é interessante, mas o desenrolar dela foi decepcionante! O casal não me agradou!
comentários(0)comente



34 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2 | 3