O Apanhador no Campo de Centeio

O Apanhador no Campo de Centeio J. D. Salinger




Resenhas - O apanhador no campo de centeio


81 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6


rafael silvaro 17/10/2020

Um dos livros mais importantes da minha vida
Encontrei Holden Caulfield num momento que estava muito aporrinhado da minha vida. Junto dele, me conheci muito, sendo essa obra uma das que mais marcaram minha vida.
comentários(0)comente



Ana 17/10/2020

Exasperante
Supostamente o livro deveria apresentar o mundo do ponto de vista dos adolescentes e dar mais voz e importância a eles. Bom, não uso o condicional por acaso já que ele consegue se superar no quesito patético.
Sei que isso se dá principalmente por conta da tradução e da época mas, a forma de escrever e os termos utilizados, que deveriam ser "bacanas" e juvenis, acabam sendo extremamente artificiais e fazem a conexão com a história quase impossível.
O enredo é simples e extremamente maçante. Um dos elementos que quebra completamente a história é o protagonista, que , deveria representar um adolescente preocupado com seu futuro e revoltado com a sociedade e sua falsidade, que no entanto é apenas um hipócrita dogmático, exageradamente bipolar, que julga as pessoas pela aparência e por outras coisas fúteis, e que nunca considera os outros, achando sua opinião totalitária e correta, mas que não apresenta argumentos plausíveis para sustentá-la.
O Apanhador no Campo de Centeio é bastante aclamado, portanto eu esperava alguma coisa minimamente decente. Mas não, tudo que obtive foi uma baixíssima qualidade contextual, péssimos personagens, desenvolvimento forçado, drama vulgar e uma crítica que falha miseravelmente em ser transmitida.
Como adolescente não me sinto representada mas ultrajada.
comentários(0)comente



Laura 12/10/2020

Livro denso e psicologicamente interessante
A princípio, nos deparamos com a história de um adolescente de 16 anos aparentemente revoltado com tudo e todos - o que, no início da leitura, me irritou bastante (inclusive pensei várias vezes em desistir de ler). Mas, de certa forma, a história prende o leitor, que sente necessidade de saber o que acontece no desenrolar do livro.
Do ponto de vista de acontecimentos, trata-se apenas de uma história de um adolescente perambulando pelas ruas de NY por uns 3 dias no máximo.
Já do ponto de vista psicológico, é um dos livros mais densos que já li.
Holden Caufield é um menino que constantemente critica a sociedade ?fajuta? que vive, ou seja, hipócrita. Em vários momentos do livro me questionei o que estava escondido por trás do comportamento transtornado de Holden: uma personalidade sendo (mal) formada? Abuso sexual na infância? Transtorno de estresse pós traumático? Surtos psicóticos? Fica o questionamento.
Enfim, é um livro pra ser lido com MUITA paciência (kkkkk), pois o personagem principal não pode ser inteiramente confiado e reclama constantemente de tudo. Mas, se você decidir se abrir pra leitura, vale muito a pena analisar a história de um adolescente que, sem dúvidas, é apenas uma vítima de traumas psíquicos ocorridos na infância.
comentários(0)comente



Almicci 06/10/2020

mais um clássico que me surpreende positivamente. recomendo!
comentários(0)comente



Bia 30/09/2020

Um clássico
Apesar de ser um clássico, a história não me cativou .

Por ser narrado por um adolescente, tem muitas gírias e tal ( esse "tal"agora não sair da minha cabeça kkkk) .

Eu gostei da parte que ele tá com a irmã é muito fofo. E também gostei de saber por que o título de livro .

Achei tedioso. Não acontecia nada .
comentários(0)comente



Cinthya Simas 25/09/2020

O apanhador no campo de centeio
É engraçado, reflexivo e retrata muito bem o espírito adolescente.
O ritmo de leitura é rápido, há vícios de linguagem da parte do narrador/personagem principal, Holden Caufield, que podem irritar um pouco.
Esperava um pouco mais do final. Mas a leitura certamente valeu a pena.
Gostei da explicação do título.
comentários(0)comente



spoiler visualizar
comentários(0)comente



DENIZE AFONSO 19/09/2020

Várias interpretações para o mesmo conteúdo
Confesso que no inicio, senti que seria uma leitura enfadonha e me questionava por que era considerado um clássico. Irritou me por várias vezes as repetições do Holden, seu vocabulário um tanto chulo e alguns pensamentos que não faziam sentido. Mas, tentei entende-lo como um adolescente vivendo alguns questionamentos conflitantes, por não conseguir se adaptar ao mundo, as pessoas e aos comportamentos percebidos ao seu redor.
Entendi que para o momento em que foi escrito e publicado, foi um tanto controverso, pois de fato naquela época meninos na idade do Holden, eram visto como crianças e não tinham total liberdade para indagações e dúvidas, relacionados principalmente a questões como sexo, religião e posicionamentos.
Me encantei com toda a descrição que ele faz sobre a irmã e melhor amiga Phoebe e como ela é a pessoa mais importante da vida dele.
Me questiono se toda a raiva pelos adultos, por alguns colegas e professores, pela própria escola elitista e pela sociedade da qual ele vem, pode ser fruto de traumas vividos ou sofridos, além da perda do irmão Allie. Num dos trechos ele fala sobre pessoas pervertidas e de quantos desses ele teve que escapar.
Um outro ponto de vista também, é o desejo dele não se tornar adulto, para não correr o risco de se tornar aquilo que mais menospreza, um adulto "hipócrita."
Vale a pena a leitura.
comentários(0)comente



Grey - @medandbooks 17/09/2020

Holden de Salinger
Polêmica: Não rolou! Foi uma leitura que criei uma expectativa sobre uma temática, mas que na realidade não tinha nada a ver com o que idealizei.

"O Apanhador no campo de centeio", publicado em 1951, serviu de "inspiração" à Mark Chapman para cometer o assassinato de John Lennon, em 1980. Fato este, que me chamou muita atenção para ler o livro.

Baseado nisso, não fui atrás de resenhas antes de iniciar a leitura, e esperava alguma relação com o crime. E a verdade é que se trata de uma obra completamente inocente.

Não há nada de trágico na história para esse ponto. Holden Caulfield é um jovem de 16 anos, que três dias antes das férias de natal, foge do colégio interno motivado pela expulsão iminente devido suas notas baixas.

Nessa volta para sua casa ele vive algumas situações que oscilam entre cômicas e dramáticas. Além disto, testemunhamos um problema que não era cognitivo, mas psicológico.

?A narrativa é em primeira pessoa por meio da técnica de fluxo de consciência. Observamos um protagonista cheio de inseguranças e medos. Cabe salientar que naquela época, os jovens não tinham espaço para manifestar suas ideias e opiniões. Por este motivo, a obra revolucionou, e trouxe à tona discussões que - antes - estavam encobertas.

??A linguagem de Holden causou polêmica pelos palavrões que ele utiliza, sendo censurado em alguns colégios dos Estados Unidos.?

O personagem passa pelos problemas de sua idade. Embora, J.D. Salinger se sentisse ofendido quando questionado se Holden era louco, é difícil não evidenciar as nuances de uma mente desequilibrada.

??No início da leitura estava sendo uma experiência maravilhosa. Com o passar do tempo, se tornou cansativa e fui perdendo o interesse. O foco da obra é na mente do protagonista. Talvez, por esse motivo, eu tenha sentido falta de uma estória por trás da trama.

É um clássico, aclamado no mundo todo, mas que não funcionou para meu gosto literário. Avaliei com 3 ? no Skoob. E será aquele livro que todo mundo amou, menos eu ?.
comentários(0)comente



@guicouto13 09/09/2020

Boa leitura
"A situação toda é feita para homens que, em algum momento da vida, estavam em busca de algo que seu ambiente não poderia oferecer. Ou que achavam que seu ambiente não poderia oferecer. Então eles desistiram de procurar. Desistiram ainda antes de começarem de verdade."
comentários(0)comente



Thiago Neiva 08/09/2020

Extremamente entedioso.
É um livro clássico, sei disso, por isso concluí que ele também não é para mim. A escrita é boa, é crua e retrata exatamente a linguagem de um adolescente do século passado e dos dias de hoje. O livro é pequeno e os capítulos não são tão grandes assim, porém a história é algo que não me cativou em nada, pois ela não leva o leitor a lugar algum. Sinceramente, eu esperei muito e me decepcionei demais.

Creio que se "O Apanhador no Campo de Centeio" fosse lançado hoje, não faria nenhum sucesso, o que o fez popular anos atrás foi somente a sua escrita diferenciada e popular, apenas.
comentários(0)comente



Pedro Octaviano 04/09/2020

Achei a leitura bem simples, livre de qualquer palavra ou expressão mais "complexa".
Inicialmente imaginei que não iria gostar tanto do livro, pois, ele é escrito pelo narrador personagem adolescente e, como tal, é repleto de gírias e palavras repetitivas. Contudo, aos poucos fui me identificando com a personagem principal, mesmo ele sendo bem negativo e por vezes chato.
Ao acabar a leitura, fiquei com uma sensação gostosa, de satisfação com a doçura moral da personagem.
comentários(0)comente



João Bruno 01/09/2020

Palavrões, rebeldia adolescente, álcool e cigarros .. O mundo não estava preparado para isso nos anos 50.
Para nós hoje, nada mais normal, não só o cenário, como a escrita, Bukowski que o diga, tive até a impressão de que o livro foi escrito pelo tio do pavê/pacomê, algumas piadas e gírias que só mesmo esta ilustre figura usaria, e que nos dão verdadeira vergonha alheia.
Mas eu busquei compreender todo o contexto da história, ano em que foi escrita, e de fato foi um livro muito revolucionário, um retrato do vazio que todo adolescente uma hora experimenta, e confesso que depois de toda essa luta existencial, me emocionou a relação do protagonista com a irmã, talvez a única pessoa com quem ele realmente se importava nesse mundo frio e sem sentimento, rodeado de pessoas ignorantes.
Clássico muitas vezes é assim, nem sempre nos atinge como imaginamos, mas merece um esforço para ser lido.
comentários(0)comente



Leo Coelho 01/09/2020

Cumpriu as expectativas
?E tem como você saber o que vai fazer até chegar a hora de você fazer??
comentários(0)comente



anarontani 30/08/2020

chato!
sinceramente não sei pq é considerado um dos melhores livros do século xx. é aclamado por mostrar a juventude e como os jovens falam e se comportam, porém não foi escrito por um jovem e sim por um homem atormentado pela guerra. também não retratou a maioria dos jovens, pois o garoto fazia parte da elite e estudava em escolas particulares. fiquei irritada com tantas repetições de gírias e com esse mundinho vazio q ele vive.
comentários(0)comente



81 encontrados | exibindo 1 a 15
1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6